Otávio Fantoni

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar

[edit]

Nininho
Icone-Jogador-Palestra.png
Informações pessoais
Nome completo Otávio Fantoni
Data de nasc. 04/04/1907 (27 anos)
Local de nasc.

Belo Horizonte

Falecido em 08/02/1935 †
Local da morte Roma, Itália
Apelido Nininho
Jogos 18 (Oficais: 10 / Amistosos: 8)
Gols 3
Elenco atual? Não
Primeiro jogo
Caçapavense Escudo Caçapavense.png 2x1 Escudo Palestra Itália.png Palestra Itália - 02/05/1926
Primeiro Gol
Palestra Itália Escudo Palestra Itália.png 12x0 Escudo Palmeiras-MG.png Palmeiras-MG - 13/07/1930
Último jogo considerado
Palestra Itália Escudo Palestra Itália.png 3x3 Escudo Bonsucesso.png Bonsucesso - 07/09/1930

Otávio Fantoni, mais conhecido como Nininho, foi um jogador do Palestra Itália.

Nasceu em uma família de futebolistas cruzeirenses: era primo dos irmãos João Fantoni (Ninão), Leonízio Fantoni (Niginho) e Orlando Fantoni. Os quatro começaram a carreira no então Palestra Itália mineiro e jogariam todos na Lazio, onde ficaram conhecidos como uma dinastia: Ninão foi Fantoni I, ele foi Fantoni II, Niginho foi Fantoni III e Orlando, Fantoni IV.[1] Destes, só não jogou ao lado de Orlando, que só iniciou a carreira já após a morte de Nininho.

Ele foi para o clube italiano em 1930, juntamente com Ninão, e no ano seguinte ambos receberiam a companhia de Niginho.

Dos Fantoni, apenas Nininho jogou pela Seleção Italiana: a Itália sediaria a Copa do Mundo de 1934, mas teria de disputar as eliminatórias para se classificar - foi o único anfitrião que teve de submeter às eliminatórias.[2] A Azzurra jogou apenas uma partida, uma vitória de 4 x 0 em Milão sobre a Grécia, que abriu mão da disputa.[2] Nininho ou Fantoni II atuou naquela partida ao lado de Filó (ou "Guarisi", para os italianos), e de outros dois sul-americanos, os argentinos Enrique Guaita e Luis Monti.[2] Apesar disso, acabou não incluído entre os convocados pelo técnico Vittorio Pozzo para jogar no mundial.

Menos de um ano depois da Copa, morreria precocemente:[2] em jogo contra Torino, feriu o nariz. O machucado, aparentemente sem gravidade, não sofreu cuidados e evoluiu para uma infecção, que por sua vez gerou uma septicemia que o mataria em fevereiro de 1935. No mesmo ano, os primos Ninão e Niginho deixariam a Lazio, fugindo da convocação do exército italiano para lutarem na invasão à Abissínia[1].

Números por ano[editar]

    Lista está ordenada por número de jogo. Clique nas setas para mudar ordenação
    Ano Jogos Titular Reserva Cartões Amar. Cartão amarelo recebido aos Cartões Verm. Cartão vermelho recebido aos Gols Gol aos do Banco
    1929 6 6 0 0 0 0 0
    1928 5 5 0 0 0 0 0
    1927 5 5 0 0 0 0 0
    1926 1 1 0 0 0 0 0
    1930 1 1 0 0 0 3 0

Referências[editar]

  1. 1,0 1,1 "Tanque de guerra", Dagomir Marquezi, Placar número 1334, setembro de 2009, Editora Abril, pág. 98
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 "As primeiras eliminatórias", Max Gehringer, Especial Placar: A Saga da Jules Rimet fascículo 2 - 1934 Itália, outubro de 2005, Editora Abril, págs. 18-21