Cruzeiro 7x0 Nacional-UB - 05/12/1965

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Revisão de 09h28min de 24 de setembro de 2019 por Camponez (discussão | contribs) (Substituição de texto - "emplumado" por "atleticano")
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Villa Nova-MG.png 0x5 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 7x1 Escudo Guarani-MG.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Villa Nova-MG.png 0x5 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 7x1 Escudo Guarani-MG.png
No estádio Mineirão
Escudo Villa Nova-MG.png 0x5 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 7x1 Escudo Guarani-MG.png
Contra Nacional-UB
Escudo Nacional-UB.png 0x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Nacional-UB.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
7 × 0 Escudo Nacional-UB.png
Nacional-UB
16ª rodada do Campeonato Mineiro 1965
Data: 5 de dezembro de 1965 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: Não disponível Estádio: Mineirão
Árbitro: Joaquim Gonçalves Público pagante: 5.656
Assistente 1: Witan Marinho Público presente: 6.500
Assistente 2: Elmo Sanches Renda: Cr$ 5.297.500,00 R$ 5.297.500 <br />Cr$ 5.297.500 <br />NCr$ 5.297.500 <br />Cz$ 5.297.500 <br />NCz$ 5.297.500 <br /> (preço médio: Cr$ 936,62 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Nacional-UB:

1. Tonho Substituição realizada de jogo ( Fábio ) 1. Netinho
2. Pedro Paulo 2. Jackson
3. William 3. Gilberto Peres
4. Vavá 4. Batatais
5. Neco 5. João Carlos
6. Piazza Gol aos 22 do 22' Gol aos 74 do 74' 6. da Silva
7. Dirceu Lopes 7. Tati
8. Tostão Gol aos 17 do 17' Gol aos 49 do 49' 8. Zuley Substituição realizada de jogo ( Robertinho )
9. Wilson Almeida 9. Manoel
10. Marco Antônio Gol aos 54 do 54' Gol aos 66 do 66' Substituição realizada de jogo ( Rossi ) 10. Tinoco
11. Hilton Oliveira Gol aos 78 do 78' 11. Toninho
Técnico: Aírton Moreira Técnico: Tam
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Nacional-UB:

Sobre o jogo

Chegando a Belo Horizonte, os jogadores do Naça se assustaram só de ler manchete do O Diário: “Rolo Compressor Pode Esmagar Nacional”. Aterrorizante premonição. Mesmo com a cancha desgastada pelo excesso de jogos e de chuvas o que, teoricamente, prejudicaria seu toque de bola o Cruzeiro não demorou a definir o jogo. Aos 17 do 1º tempo, Hilton cruzou, Tostão marcou. Simples, mas eficiente. Cinco minutos depois, Piazza recebe de Tostão a chuta no ângulo. De novo, sem complicação.

No 2º tempo, o rolo compressor passou ainda mais pesado. Aos 4, Marco Antonio serviu, Tostão marcou. Aos 9, Wilson Almeida cobrou escanteio e Marco Antônio fez 4 x 0. O Nacional não conseguia passar do meio de campo. Aos 21, Piazza serviu a Marco Antônio, que cortou dois zagueiros e fuzilou: 5 x 0. Depois do jogo, Jackson diria: “É impossível jogar neste estádio!”. Aos 29, Hilton tabelou com Tostão e serviu Piazza, que driblou o goleiro e rolou para o gol vazio: 6 x 0. Aos 33, Marco Antônio fez fila na defesa adversária e serviu Hilton que empurrou a bola para as redes: 7 x 0. Depois disso, o Cruzeiro descansou. Se o juiz marcasse um pênalti, que fingiu não ver e as duas bolas na trave tivessem entrado, seria 10 x 0.

O Cronista Malagueta contou que, depois do jogo, um diretor do Naça ameaçou: “Vou mandar dez jogadores embora!” Um gaiato quis saber: “Só vai ficar um? Pra quê?”. Furioso, o cartola arrematou: “Pra não me deixar mentir quando eu contar esse jogo!”

Na segunda-feira, além do placar, a torcida celeste saboreou outra vitória. O Cruzeiro apareceu pela primeira vez na frente do Atlético no ranking de público e arrecadação. Uma surpresa. Até então, os atleticanos eram tidos como imbatíveis nestes quesitos.

Fonte