José Perrella de Oliveira Costa

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
(Redirecionado de Zezé Perrella)
Ir para navegação Ir para pesquisar

História

Assumiu pela primeira vez a presidência do Cruzeiro em 1994, cargo que ocupou entre 1995 e 2002, durante três mandatos. Em 2003 seu irmão Alvimar Perrella assumiu a cadeira.

Em 2008 foi novamente eleito presidente do Cruzeiro, assumindo em 2009 o seu quarto mandato no comando do clube.[1]

Deixou o clube ao final do mandanto em 2011. A rejeição da torcida com o quase descenso para a série b em 2011 fez com que se afastasse completamente do clube e se dedicasse a vida política.

Retorno em 2017

No dia 7 de setembro de 2017 foi eleito por aclamação para ser presidente do conselho deliberativo após a chapa que apoiava perder a disputa para a presidencia do clube.[2][3][4]

No dia 11 de outubro de 2019 foi anunciado [5] como novo vice-presidente de futebol.

Resumo da entrevista à Itatiaia em 4 de novembro de 2019

Clique para epxandir e veja como foi a entrevista:

  • Canto de Wagner Pires de 'o bagaço da laranja': "Estou tranquilo. A carapuça para mim não serviu. Quando entrei no Cruzeiro, emprestei ao clube R$ 1 milhão, hoje valeria R$ 20 milhões. E não fico falando disso".
  • ÚLTIMA GESTÃO: "Eu queria ter continuado. Mas depois de ter ganhado de 6 a 1 do Atlético, a torcida me xingou e eu fiquei chateado e não quis permanecer. O torcedor é passional!".
  • Conselho x Gestão: "Diante de tudo que aconteceu, eu vi que minha presença poderia ajudar. Aceitei o desafio. Coloco em risco meu legado de dezenas de títulos. Pela emergência, é preciso".
  • Conselho x Gestão: "Se eu ficar na Gestão, vou avaliar meu caminho no Conselho. Mas é algo necessário no momento. Até o Kallil, no Atlético, já esteve a frente dos dois. Não é novidade e não vejo problema.".
  • Planejamento: "O problema maior são as multas com a FIFA. Isso estamos resolvendo. Vamos equacionar! Sempre disse: um gestor que dirige como torcedor dá no que deu. Por isso é uma urgência".
  • FIFA: "Não vamos perder ponto. Ouvir isso de Fluminense ou Botafogo é o sujo falando do mal lavado. Estamos equacionando, e a perda de ponto seria somente em última instância".
  • CONSELHO FISCAL: "Nós fizemos tudo o que era possível. Tenho e-mails cobrando tudo, e sempre me pediam prazos maiores. Tive tolerância, mas sempre notifiquei e cobrei. Fiz tudo e nunca fui inerte. Mas procurei manter tudo isso interno".
  • CONSELHO FISCAL: "Não precisava levar os problemas à imprensa, nem levar a Justiça para não gerar crise. Sempre fiz tudo, mas internamente. Solicitei balanço, auditoria, comissão de sindicância. Cobrei ações efetivas".
  • DÍVIDAS: "O aumento (da minha gestão até agora) foi inconsequência. A dívida de R$ 117 milhões que deixei é histórica! Não é minha. Fomos ingênuos em receber parte dela de gestões anteriores. Deixei o Cruzeiro equilibrado".
  • DÍVIDAS: "Além disso, tínhamos Montillo e Lucas Silva para vender. Só isso daria R$ 100 milhões. Éramos o clube mais bem equilibrado financeiramente do Brasil".
  • SITUAÇÃO ATUAL: "O Cruzeiro pegou R$ 90 milhões de adiantamento na Gestão passado. Não estou acusado ninguém de desvio. Foi gasto pelo departamento de futebol. Se tiver irregularidade, a Justiça vai encontrar".
  • SITUAÇÃO ATUAL: "O grande erro do Wagner Pires de Sá e até do Gilvan foi delegar demais. Na minha gestão, a última palavra era minha. Eu, como presidente, tomava a decisão".
  • SITUAÇÃO ATUAL: "Eu tenho autonomia para fazer o que eu quiser, mas vou sempre comunicar ao presidente".
  • SITUAÇÃO ATUAL: "O Wagner é uma pessoa afável, fácil de mexer. E não é só no futebol! Colocamos um Conselho e ele aceitou! Ele é sensato".
  • REBAIXAMENTO: "Não cai. Tenho absoluta convicção disso! Aceitei voltar porque acredito nisso. Agora, se cair, eu assumo que errei. Volto atrás. O Bolsonaro faz isso toda hora!".
  • TIME 2020: "Reconheço o comprometimento de todos, até os que não estão indo bem. Esse time é o mesmo que até o meio do ano brigava por Libertadores. Não estão acostumados a brigar pra não cair".
  • TIME 2020: "Com calma veremos o planejamento. Não vou sacanear nenhum jogador, principalmente os que tem contrato com o clube".
  • PLANEJAMENTO: "Primeiro passo é pagar salário. São tão caros que, se pagarmos 1 mês, o caras podem ficar 3 sem receber. Mas se fizemos esse compromisso, precisamos pagar!".
  • PLANEJAMENTO: "Futebol é gestão! Olha o Flamengo. O Cruzeiro, se tiver bem, é uma marca extraordinária! Dá para ganhar dinheiro. Temos credibilidade!".
  • CAMBISTAS: "A CBF tem 3 mil ingressos. O que ela faz com isso? Os patrocinadores tem uma carga também. Então foge ao nosso controle! Temos que valorizar, sim. Cuidar disso".
  • ADMINISTRATIVO: "Vamos criar um planejamento de salários para que o administrativo receba um valor coerente. Precisam receber, mas não fortunas".
  • COTAS: "Temos valores comprometidos até 2024, mas não é total. Então, a receita está comprometida mais ou menos por dois anos. Precisamos nos virar para mudar isso".
  • ÚLTIMA GESTÃO: "Não vou falar que minha última gestão foi a melhor, mas éramos tidos como o melhor da América. E fomos jogar na Arena do Jacaré, ou seja, não tínhamos renda para pagar nada!".
  • BASE: "Estou tão voltado aos problemas macros, que não tomei conhecimento sobre a base. Nunca disse que vou terceirizar a base. Vou dividir em três categorias".
  • ÚLTIMA GESTÃO: "Faço a mea-culpa de que foi um ano ruim para o Cruzeiro. Estava mesmo um pouco longe, pela política, deixando o clube mais nas mãos do Gilvan".
  • NOVA GESTÃO:* "Serei o Zezé Perrella dos anos 90, mais calma, menos explosivo".
  • BASE: "Mas não temos revelado ninguém! O que temos são comprados. Vamos ampliar o trabalho de base, mas não todo na Toca. Vamos negociar parcerias com outros clubes".

No dia 10 de dezembro se licenciou da presidência do Conselho Deliberativo para se dedicar exclusivamente ao cargo de Gestor de Futebol do Cruzeiro[6][7].

Vídeos

Apresentação como gestor do futebol
Entrevista a itatiaia - 04/11/2019
Aúdio da coletiva pós jogo

Títulos

Ver também

Referências