Wágner Pires de Sá

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
(Redirecionado de Wagner Pires de Sá)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Wagner Pires de Sá foi eleito presidente no dia 2 de outubro de 2017 para o triênio 2018/2019/2020. Recebeu 235 dos 444 votos.

História

Wagner vence a eleição

Antes mesmo de iniciar sua gestão, na mesma semana da sua eleição, mudanças começaram a acontecer no Cruzeiro. No dia 4 de outubro o vice de futebol Bruno Vicintin anunciou sua saída do clube no dia seguinte a eleição, após a confirmação que Itair Machado seria integrado a diretoria. Bruno disse não abrir mão de ninguém da sua equipe e por isso pediu para sair.

Após a saída de Vicintin, no 6 de outubro o diretor de futebol Tinga confirmou o seu desligamento ao fim da temporada. Ao contrário do que vinha sendo dito pela imprensa, Tinga disse que sairia porque tinha um compromisso de ficar no clube até o final da temporada e não pela saída de Bruno Vicintin[1].

Wagner e Mano Menezes

Substituição da dívida

No dia 8 de fevereiro de 2019, deu uma entrevista a rádio Itatiaia na qual falou sobre o empréstimo para o qual pede aprovação do Conselho Deliberativo do Cruzeiro:

  • O empréstimo é de R$300 milhões;
  • O credor será estrangeiro;
  • Os juros serão de 0,9% contra os 1,7% pagos atualmente;
  • O Cruzeiro trocará todas as dívidas atuais por uma só;
  • A garantia serão os recebíveis, não o patrimônio;
  • Liquidando dívidas na Fifa, o Cruzeiro fica livre de sanções esportivas, como rebaixamento.[2]

Escandalo

No dia 26 de maio de 2019, o programa Fantástico da Rede Globo fez uma matéria com denúnicas sobre transações irregulares da diretoria do Cruzeiro como uso de empresa de fachada, lavagem de dinheiro e venda de jogadores menores de idade[3]

No dia seguinte a matéria, a diretoria celeste deu uma coletiva para explicar as acusões apresentadas no programa[4]

No dia 9 de julho a Polícia Civil cumpriu mandados na sede, CT e casa de dirigentes do Cruzeiro. Sequência da operação que investiga membros da diretoria do clube por falsificação de documentos, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Houveram buscas também na casa do Presidente do Clube[5][6][7][8][9].

No dia 10 de julho Cruzeiro sofreu nova derrota na justiça e foi intimado a pagar R$ 12 milhões à Minas Arena, concessionária que administra o Mineirão[10]

Briga política

Os meses que se seguiram à matéria do fantástico foram de resultados pífios do time do Cruzeiro dentro de campo, com a possibilidade de rebaixamento aumentando a cada rodada. A cada resultado ruim a repercussão das acusações se tornava cada vez mais forte até que no dia 3 de outubro, o presidente do conselho Zezé Perrella convocou uma reunião extraordinária para o dia 22 seguinte para votar o afastamento do Presidente e seus vices[11][12].

No dia 4 de outubro o Presidente marcou uma Assembléia Geral para o mesmo dia da reunião do conselho a fim de esvaziar a reunião[13][14]. No mesmo dia, um dos alvos das críticas da atual administração, Sérgio Nonato, pediu demissão do cargo de diretor-geral do Cruzeiro[15][16]. A oposição ao presidente o acusou de medo da assembléia[17].

No dia 10 de outubro os líderes da oposição entreram na justiça para impedir a realização Assembléia Geral convocada pelo presidente. Os representantes de 45 conselheiros e associados que impetraram o pedido de liminar alegam que Pires de Sá fez a convocação já ciente da Reunião Extraordinária chamada um dia antes pelo presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella[18]. A liminar foi concedida e a reunião foi suspensa judicialmente[19]. No mesmo dia foi anunciada a demissão de Itair Machado do cargo de vice-presidente de futebol[20], que, segundo o presidente, foi motivada por pressão que Itair vinha sofrendo. No lugar dele assumiu Zezé Perrella, que se ausentou da presidência do Conselho do clube[21].

Com a saída de Itair Machado, foi cancelada a reunião do Conselho no dia 21 que decidiria do afastamento de Wagner da presidência[21]. Zezé Perrella temia que um afastamento via conselho não resolveria o problema do Clube já que os vices não seriam afastados e ameaçavam judicializar a disputa que se arrastaria por mais tempo. O objetivo era conseguir apaziguar os ânimos até que o Cruzeiro resolvesse o seu futuro em campo onde via o rebaixamento para a Série B em 2020 cada vez mais próximo. Houve também um acordo para a antecipação das eleições para o dia 16 ou 18 de dezembro de 2019[22].

Rebaixamento e pressão para renúncia

Torcida pede a saída do Presidente e diretoria

Assim que foi confirmado o rebaixamento do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro a pressão pra que Wágner e toda sua diretoria renunciasse aumentou. Após demitir Zezé Perrella[23][24][25][26][27] do cargo de Gestor de Futebol, o novo Presidente do Conselho, José Dalai Rocha, marcou uma reunião no dia 16 de dezembro[28]. A reunião criou uma expectativa em todos (em especial na torcida) que poderia haver um anúncio de renúnica de toda a diretoria, renuncia essa que seria sugerida pelo Presidente do Conselho seguida pela marcação de eleções gerais em 60 ou 90 dias.

Após a reunião, mesmo aceitando a possiblidade de renúncia[29], o Presidente Wágner sinalizou que só o faria no caso de um conselho gestor assumir os compromissos que ele, Wágner, tem com o Clube como avalista de várias dívidas que o Cruzeiro possui[30].

No dia 17 de dezembro a torcida organizou um protesto para pedir a saída de toda a diretoria. O grupo se reuniu em frente da Sede do Barro Preto. Um caixão com a foto de Pires de Sá foi levado à manifestação, além de faixas demonstrando toda a insatisfaçao com a gestão[31].

No dia 18 de dezembro o Presidente do Conselho, José Dalai Rocha, disse que o termo de ajuste dos conselheiros que irão assumir o clube já estava sendo realizado, juntamente com o termo de renúncia do presidente Wagner Pires de Sá; do primeiro vice, Hermínio Lemos e do segundo vice, Ronaldo Granata.[32][33]. Por ainda não está 100% concretizada a renúncia, a torcida manteve o protesto no mesmo dia na casa do Presidente Wagner[34].

No dia 19 de dezembro, por causa do atraso de salários os cozinheiros da Toca I entraram em greve[35].

Renúncia

Na tarde do dia 19 de dezembro Wagner Pires de Sá, e o 1º vice-presidente, Hermínio Francisco Lemos assinaram suas cartas de renúncia a seus cargos[36]. Ainda faltava a assinatura do 2º vice-presidente, Ronaldo Granta, que em carta[37] e entrevista[38][39] disse que não se oporia. Com isso chegava ao fim o mandato da diretoria que iria até o fim de 2020.

No dia 20 de dezembro, mesmo dizendo que não se oporia, Ronaldo Granata, diz não concordar com a ata da reunião do dia anterior[40] por haver um erro nas datas e que então adiaria a assinatura da sua renúnica[41]. No início da noite, decide finalmente assinar a renúncia dando fim a uma novela que durou uma semana[42].

Vídeos

Wagner Sá é eleito o presidente
Coletiva 14/07/2018

Títulos

Referências

  1. Tinga fala sobre saída
  2. Blog PHD
  3. Cruzeiro é investigado por quebrar regras da Fifa, CBF e governo federal
  4. Assista a coletiva de Itair Machado e Wágner Pires de Sá no Cruzeiro
  5. Polícia Civil cumpre mandados na sede, CT e casa de dirigentes do Cruzeiro
  6. Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro
  7. Casas de dirigentes do Cruzeiro, centros de treinamentos e galpão de organizada são alvos de operação da Polícia Civil
  8. Polícia cumpre mandado na casa de Sérgio Nonato, diretor geral do Cruzeiro
  9. PC procura por documentos na casa de Wagner Pires, presidente do Cruzeiro
  10. Cruzeiro é intimado a pagar R$ 12 milhões à Minas Arena
  11. Zezé Perrella convoca Conselho do Cruzeiro para votar afastamento de Wagner e instauração de Comitê Gestor
  12. Afastamento do presidente do Cruzeiro será votado em reunião do Conselho; diretoria também está ameaçada
  13. Presidente do Cruzeiro marca Assembleia para o mesmo dia de reunião do Conselho que votará seu afastamento
  14. Presidente do Cruzeiro convoca reunião do Conselho para mesmo dia da marcada por Zezé Perrella
  15. Sérgio Nonato pede demissão do cargo de diretor-geral do Cruzeiro com objetivo de 'pacificar clube'
  16. Sérgio Nonato pede demissão do cargo de diretor geral do Cruzeiro "para pacificar o clube"
  17. Oposição do Cruzeiro vê tentativa de Wagner de tumultuar, acredita em Assembleia 'nula de pleno direito' e questiona: 'Por que o medo?'
  18. Oposição do Cruzeiro entra com ação na Justiça para impedir realização de Assembleia Geral convocada por Wagner
  19. Justiça suspende assembleia convocada por presidente do Cruzeiro
  20. Itair Machado é demitido e deixa cargo de vice-presidente de futebol do Cruzeiro
  21. 21,0 21,1 Volta de Perrella ao comando do futebol e novas eleições: o futuro do Cruzeiro
  22. Zezé Perrella sinaliza antecipação das eleições no Cruzeiro para dezembro deste ano
  23. Zezé Perrella deixa o comando do futebol do Cruzeiro após dois meses
  24. Zezé Perrella deixa o comando do futebol do Cruzeiro
  25. Zezé Perrella cai e deixa o comando do futebol no Cruzeiro
  26. Zezé Perrella é demitido da diretoria do Cruzeiro
  27. Demitido após manobra política, Zezé Perrella afirma que nunca mais voltará ao Cruzeiro
  28. Presidente do conselho aguarda reunião com Wagner Pires e indica renúncia coletiva no Cruzeiro
  29. Presidente do Cruzeiro aceita renunciar, mas condiciona saída a acordo assinado por futuro conselho gestor
  30. Oposição vai aumentar pressão sobre Dalai Rocha por reunião para afastar Wagner Pires
  31. Cruzeirenses fazem novo protesto exigindo a renúncia da diretoria
  32. Presidente do conselho anuncia renúncia coletiva do comando do Cruzeiro
  33. Cruzeiro finaliza detalhes de renúncia coletiva e terá conselho gestor formado por 5 empresários
  34. Antes de renúncias no Cruzeiro, torcedores protestam em frente à residência do presidente Wagner
  35. Em meio a atraso de salários no Cruzeiro, cozinheiros da Toca da Raposa I entram em greve
  36. COMUNICADO OFICIAL – DIRETORIA DO CRUZEIRO ESPORTE CLUBE
  37. Wagner Pires de Sá e Hermínio Lemos assinam renúncia no Cruzeiro; falta Ronaldo Granata
  38. Wagner e Hermínio renunciam; Granata não vai se opor à saída
  39. Granata garante que renunciará ao cargo de segundo vice-presidente do Cruzeiro nesta sexta
  40. Granata discorda de ata de reunião, mas promete saída 'independente'
  41. Granata adia assinatura de renúncia no Cruzeiro por questionar trâmites
  42. Granata assina renúncia e caminho está aberto para formação do Conselho de Notáveis no Cruzeiro