Villa Nova-MG 1x6 Palestra Itália - 06/01/1929

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Palestra Itália.png x 20px Gol aos do Escudo Palestra Itália.png 4x0 Escudo América-MG.png
Por Campeonato da Cidade
Escudo Palestra Itália.png x 20px Gol aos do Escudo Palestra Itália.png 12x0 20px
No estádio Bonfim
← Primeira ficha Gol aos do Escudo Villa Nova-MG.png 2x1 Escudo Palestra Itália.png
Contra Villa Nova-MG
Escudo Palestra Itália.png 3x1 Escudo Villa Nova-MG.png Gol aos do Escudo Palestra Itália.png x Escudo Villa Nova-MG.png

[edit]

Escudo Villa Nova-MG.png
1 × 6
Escudo Palestra Itália.png

Última rodada do Campeonato da Cidade 1928

Placar
Villa Nova-MG 1-6 Palestra Itália
Súmula/Borderô não disponível

Informações

Data: 6 de janeiro de 1929
Local: Nova Lima, MG
Estádio: Bonfim

Árbitro: João Lopes Moura
Assistente 1:
Assistente 1:


Público e Renda

Público pagante: Não disponível
Público Presente: Não disponível
Renda: Não informado


Escalações

Villa Nova-MG
  1. Floriano
  2. Arthur
  3. Sérgio
  4. Teófilo
  5. Cícero
  6. Bento
  7. Lacerda
  8. Lêra
  9. Pires
10. Carvalho Gol aos 15 do  (2T) 15'  (2T)
11. Totó
Técnico:

Palestra Itália
  1. Geraldo
  2. Nereu
  3. Rizzo
  4.  Morganti
  5.  Osti
  6.  Nininho
  7.  Piorra
  8.  Ninão  Gol aos 35 do  (1T) 35'  (1T) Gol aos 35 do  (2T) 35'  (2T)
  9. Zezinho
10.  Bengala  Gol aos 1 do  (1T) 1'  (1T) Gol aos 4 do  (1T) 4'  (1T) Gol aos 28 do  (2T) 28'  (2T) Gol aos 31 do  (2T) 31'  (2T)
11. Armandinho
Técnico: Matturio Fabbi


Reservas que não entraram na partida


Curiosidades[editar]

  • Neste jogo o Palestra foi campeão, graças a empate do Atlético-MG com o fraco Alves Nogueira. O time (do Alves Nogueira) foi levado para a comemoração do título palestrino na sede do clube. Durante a semana os alvi-negros tentaram desqualificar o Alves acusando-os de terem recebido uma gratificação em dinheiro para se empenharem na partida. Também tentaram melar a conquista, que ficou sub-júdice por 6 meses, sendo a primeira de uma série de tentativas ao longo da história de tripudiar as conquistas do Cruzeiro com manobras extra-campo. Um funcionário da federação paulista ligado ao Corinthians (SP), com o propósito de prejudicar o Palmeiras (SP) havia falsificado o atestado liberatório do jogador Carazo para o Cruzeiro e combinados com dirigentes atleticanos levaram a denúncia a Confederação Brasileira, que chegou a suspender o jogador e ameaçar Palmeiras e Cruzeiro de perda de pontos. Com a descoberta da farsa o Cruzeiro foi homologado campeão em 06/07/1929.

Fontes[editar]

  • Livro Almanaque do Cruzeiro.