Vasco 1x1 Cruzeiro - 28/08/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Corinthians.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Flamengo.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Corinthians.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Flamengo.png
No estádio São Januário
Escudo Vasco.png 1x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Vasco.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png
Contra Vasco
Escudo Vasco.png 1x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x1 Escudo Vasco.png

[edit]

Escudo Vasco.png
Vasco
1 × 1 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Campeonato Brasileiro 2010
Data: 28 de agosto de 2010 Local: Rio de Janeiro, RJ
Horário: 18:30 Estádio: São Januário
Árbitro: Luis Flavio de Oliveria Público pagante: 13.691
Assistente 1: Ednilson Corona (Fifa-SP) Público presente: 16.518
Assistente 2: Vicente Romano Neto Renda: R$ 309.020,00 R$ 309.020
Cr$ 309.020
NCr$ 309.020
Cz$ 309.020
NCz$ 309.020
(preço médio: R$ 22,57 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Vasco: Cruzeiro:

1. Fernando Prass 1. Fábio
23. Fagner Cartão amarelo recebido aos 43  (1T) 43'  (1T)   2. Rômulo
26. Dedé 3. Gil Cartão amarelo recebido aos 23  (1T) 23'  (1T)  
4. Fernando Gol aos 48 do  (1T) 48'  (1T) (contra) 4. Caçapa
5. Nilton Cartão amarelo recebido aos 18  (2T) 18'  (2T)   5. Fabrício Cartão amarelo recebido aos 22  (2T) 22'  (2T)  
6. Felipe Substituição realizada 34' 1T de jogo 34' 1T ( 35. Allan ) 6. Diego Renan Substituição realizada 35' 2T de jogo 35' 2T ( 13. Pablo )
22. Irrazábal Substituição realizada 16' 2T de jogo 16' 2T ( 38. Carlinhos ) 7. Edcarlos
8. Rafael Carioca 8. Henrique Cartão amarelo recebido aos 48  (2T) 48'  (2T)  
19. Carlos Alberto 9. Wellington Paulista Cartão amarelo recebido aos 21  (1T) 21'  (1T)  
10. Zé Roberto Gol aos 44 do  (1T) 44'  (1T) Substituição realizada 30' 2T de jogo 30' 2T ( 15. Jonathan ) 10. Montillo Substituição realizada 30' 2T de jogo 30' 2T ( 17. Roger )
7. Eder Luis 11. Thiago Ribeiro Substituição realizada 30' 2T de jogo 30' 2T ( 14. Wallysson )
Técnico: Paulo César Gusmão Técnico: Cuca
Reservas que não entraram na partida
Vasco: Cruzeiro:
50. Tiago 12. Rafael
03. Cesinha 15. Marquinhos Paraná
18. Jumar 16. Everton
25. Fumagalli 18. Robert


Pré-Jogo

Em 6º lugar com 24 pontos, o Cruzeiro pode avançar até 3 posições. Se perder, pode cari 5 posições.

Cuca terá Fabrício e Thiago Ribeiro de volta, mas pode ficar sem Jonathan, que, após sentir-se mal pode ficar fora da equipe.

Em 9º lugar com 22 pontos, o Vasco pode entrar no G4 se vencer. Perdendo, cai de uma a quatro posições.

PC Gusmão poderá escalar Carlos Alberto, que volta de suspensão, mas não terá o volante Rômulo, suspenso pelo terceiro amarelo.

Felipe deve ceder a lateral-esquerda a Irrazábal e ser transferido para o meio de campo.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 18h28 – Vasco entra todo de preto.
  • 18h29 – Cruzeiro entra em campo todo de branco.
  • 18h30 – Banco do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Pablo, Francisco Everton, Marquinhos Paraná, Roger Galera, Wallyson,
  • 18h33 – Um minuto de silêncio.
  • 18h34 – Começa o jogo. Cruzeiro à direita.
  • 01 – Escanteio para o Cruzeiro, pela direita. Montillo cobra, WP erra a finalização, defesa afasta.
  • 02 – Bola recuada para Fábio, que é vaiado pela torcida. Ele foi revelado em São Januário.
  • 03 – Nílton lança Zé Roberto, que não consegue dominar e deixa a bola sair pela linha de fundo.
  • 04 – Gil derruba Carlos Alberto no meio de campo.
  • 05 – Montillo lança WP, que corta um beque e lança TR. Fernando cede escanteio.
  • 06 – Montillo cobra pela direita, bola atravessa a área, WP cruza da esquerda, defesa corta, Montillo chuta por cima do travessão.
  • 07 – Zé Roberto recebe lançamento, Fábio sai do gol e fica com a bola.
  • 08 – Thiago Ribeiro cruza da direita, Fernando corta na pequena área.
  • 09 – Eder Luís chuta da entrada da [área, com força. Fábio defende.
  • 11 – Eder Luís cruza da direita, Gil corta, bola passa por cima do travessão. Após cobrança do escanteio, Dedé chuta, da entrada da área, pra fora.
  • 12 – Montillo lança TR, bola escapa pela lateral.
  • 14 – Dedé lança Carlos Alberto, que cava falta. Juiz manda seguir.
  • 15 – Montillo empurra Zé Roberto evitando o contra-ataque. Falta.
  • 16 – Carlos Alberto derruba Gil no meio de campo.
  • 17 – Eder Luís passa a Irrazábal. Rômulo corta.
  • 18 – Cruzeiro toca bola no meio de campo. Defesa vascaína despacha.
  • 19 – Felipe recebe passe na entrada da área e chuta pra fora, à direita de Fábio.
  • 20 – TR cruza da direita, Diego Renan chuta, bola explode na zaga.
  • 21 – WP derruba Fagner no meio de campo e recebe cartão amarelo.
  • 22 – TR cruza d direita, ninguém aparece pra concluir, bola escapa pelo lado oposto.
  • 23 – Gil comete falta em Dedé e recebe cartão amarelo.
  • 24 – Rômulo cruza da direita, Fernando Prass defende.
  • 25 – Caçapa recua pra Fábio, que afasta com um chutão.
  • 26 – WP entra na área e chuta ao invés de cruza. Prass defende com os pés. Oportunidade perdida.
  • 27 – Diego Renan passa a Montillo na lateral da área. Rafael carioca desarma o argentino.
  • 28 – Edcarlos marca Carlos Alberto. Rafael Carioca marca Montillo.
  • 29 – WP ajeita para Fabrício, que solta uma bomba da entrada da área. Bola tira tinta no travessão.
  • 30 – Fernando recua para Fernando Prass, que chuta a bola pra longe.
  • 31 – Felipe cobra escanteio pela esquerda, WP corta, Zé Roberto chuta, bola sai à direita de Fábio.
  • 32 – Caçapa recua, Fábio dá um chutão para o ataque.
  • 34 – Alan substitui Felipe, que sai contundido. Lesão na coxa.
  • 35 – Zé Roberto passa a Fagner. Edcarlos corta. Escanteio.
  • 36 – Fagner cobra escanteio, Dedé cabeceia por cima do travessão.
  • 37 – Rômulo cruza d direita, WP cabeceia enviesado, bola sai à esquerda de Prass. Oportunidade perdida.
  • 38 – Alan derruba Montillo no meio de campo.
  • 39 – Dedé cruza da direita, Caçapa corta de cabeça.
  • 40 – Thiago Ribeiro derruba Carlos Alberto no meio de campo.
  • 41 – Irrazábal cruza mal, Fábio fica com a bola.
  • 42 – Montillo tenta laçar TR, Dedé intercepta a bola. Rômulo cruza da direita, Prass tira de soco.
  • 43 – Fagner derruba Diego Renan e recebe cartão amarelo.
  • 44 – Carlos Alberto prende a bola na entrada da área e passa a Zé Roberto, que dribla Fábio e arremata. Edcarlos corta pra escanteio.
  • 45 – Zé Roberto acerta uma bomba de fora da área. Bola entra no ângulo esqerdo de Fábio, que voa mas não alcança a bola. Vasco 1×0.
  • 46 – Carlos Alberto desarma Montillo na ponta direita do ataque celeste.
  • 47 – Fagner recebe lançamento longo, corta Caçapa e arremata de canhota. Fábio defende.
  • 48 – Bate-rebate na pequena área vascaína. WP cabeceia, defesa corta, TR, na lateral da pequena área, cruza forte. Fernando toca a bola pras redes. Autogol. Cruzeiro 1×1.
  • 49 – Fim de jogo. Nílton e PC Gusmão pressionam juiz. Cuca entra no bolo pra saber o que está acontecendo.
  • Carlos Alberto: “O Cruzeiro é experiente. Demos mole, mas vamos voltar pra vencer no segundo tempo.”
  • Thiago Ribeiro: “Se a gente caprichar, vence este jogo.”

Segundo Tempo

  • 19h41 – Começa o segundo tempo. Vasco dá a saída.
  • 01 – Montillo derruba Rafael Carioca no meio de campo.
  • 02 – Montillo lança Diego Renan, Dedé cede escanteio. Montillo cobra pela esquerda, Dedé cede outro escanteio.
  • 03 – Henrique chuta de fora da área. Bola sai à direita de Fernando Prass.
  • 07 – Contra-ataque rápido, Montillo coloca TR na cara do gol. O chute sai forte, Prass desvia para escanteio. Oportunidade perdida.
  • 08 – TR cruza da esquerda, Nílton cabeceia pra escanteio.
  • 09 – Montillo cruza, Gil ajeita de cabeça, Edcarlos chuta pra fora.
  • 10 – Carlos Alberto cobra falta de longe, Fábio defende.
  • 11 – TR cruza da direita, Dedé corta na pequena área. Escanteio.
  • 12 – Eder Luís recebe lançamento de Alan, corta Gil e solta uma bomba em direção ao arco celeste. Bola sai pela lateral do lado oposto.
  • 13 – Carlinhos substitui Irrazábal.
  • 14 – TR recebe lançamento na ponta-esquerda, mas é desarmado por Dedé ao entrar na área.
  • 15 – Montillo lança Rômulo, que cruza da direita. TR, na pequena área, desvia de cabeça. Bola sai à direita de Prass.
  • 16 – Cruzeiro domina a partida.
  • 17 – Montillo lança Rômulo, que leva uma rasteira de Nílton. Cartão amarelo. Podia ter sido vermelho.
  • 19 – Montillo comete falta em Carlos Alberto na entrada da área.
  • 20 – Carlos Alberto cobra falta, bola acerta a barreira.
  • 21 – Edcarlos dá um chutão da defesa, bola sai pela linha de fundo, no campo do Vasco.
  • 22 – Fabrício levanta Nílton na intermediária e recebe cartão amarelo. Poderia ter sido vermelho. Nilton cobra, bola sai à esquerda de Fábio.
  • 23 – DR lança TR, Prass chega antes e despacha com os pés.
  • 24 – Rômulo cruza da direita, Fernando rebate na pequena área.
  • 25 – Fabrício chuta de longe, bola passa por cima do travessão.
  • 26 – Montillo lança TR, que se enrola com a bequeira vascaína e fica com abola para cruzar da direita. Prass defende.
  • 27 – Fagner cobra escanteio pela direita. Defesa corta.
  • 28 – Henrique cruza da direita, Fernando Prass defende pelo alto.
  • 29 – Fagner aplica chapéu em DR, mas Fábio sai do arco pra defender.
  • 30 – Rômulo derruba Carlos Alberto no meio de campo.
  • 30 – Jonathan substitui Zé Roberto. Roger Galera substitui Montillo. Wallyson substitui Thiago Ribeiro.
  • 31 – WP entra na área, mas é desarmado por Dedé.
  • 33 – Fagner lança Carlos Alberto, que dribla Fábio. Defesa rebate. Oportunidade perdida.
  • 34 – Rômulo cruza da direita, defesa espana.
  • 35 – Edcarlos desarma Carlos Alberto dentro a área. Carlinhos fica com o rebote, mas chuta por cima do travessão.
  • 36 – Roger lança Wallyson, que mata no peito e chuta na saída de Prass. Bola passa por cima do travessão e cai na rede pelo lado de fora. Oportunidade perdida.
  • 38 – Eder Luís passa a Jonathan, Fábio defende.
  • 39 – WP vence a zaga vascaína na corrida e chuta forte, cruzado. Bola fica na rede, pelo lado de fora.
  • 40 – Fabrício tenta passar a WP na entrada da área. Defesa rebate.
  • 41 – Gil, acossado por Jonathan, despacha uma bola perigosa.
  • 42 – Rômulo chuta de direita, Prass tira com um tapa. Roger cobra escanteio, Dedé corta.
  • 43 – Torcida vascaína reclama do time, que foi dominado na maior parte do segundo tempo. Público pagante: 13.691. Público presente: 16.000.
  • 44 – Fabrício chuta de fora da área, bola sai rente ao poste esquerdo de Prass.
  • 45 – Eder Luís disputa corrida com Diego Renan, Edcarlos aparece pra cortar.
  • 47 – Fagner cobra escanteio, bola fica com Fernando dentro da pequena área. O beque arremata por cima do travessão. Oportunidade perdida.
  • 48 – Henrique comete falta em Rafael Carioca e recebe cartão amarelo.
  • 49 – Fim de jogo. Torcida vascaína vaia seu time.
  • Henrique: “Faltou capricho e concentração para aproveitar as oportunidades que criamos. Nosso time foi aguerrido e merecia a vitória.”
  • Eder Luis: livre…”“A bola do jogo esteve nos meus pés, mas eu não vi o Carlos Alberto entrando livre.”
  • Dedé: “Já houve muita desconfiança comigo, mas hoje fui aplaudido e isto é bom.”

Atuações

  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Perdemos dois pontos hoje pelo jogo que fizemos. Acho que foi o melhor jogo meu no comando do Cruzeiro. Jogar aqui é sempre difícil e o Cruzeiro fez por merecer a vitória. O mais difícil é criar as oportunidades e o time criou muitas. Pena que escapou a vitória. Foi um time rápido, jogando pelos dois lados, diferente do jogo anterior. A velocidade apareceu para nós e foi tudo bem planejado. Tudo bem executado, menos a parte final, a execução do gol.
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: Pela situações de gols que a equipe criou, ficou um gostinho de que poderíamos ter vencido. A gente queria os três pontos, mas não foi possível e um ponto fora de casa e válido. Temos que caprichar mais nas finalizações. Espero que o torcedor possa lotar mais uma vez o Parque do Sabiá para nos ajudar a conquistar mais uma vitória em Uberlândia.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: Pelas oportunidades que criamos, merecíamos sair com a vitória. Saímos de campo com um gostinho amargo, criamos chances mas não conseguimos vencer, principalmente na segunda etapa. Faltou capricho e um pouco mais de gana para marcar. Mas, de qualquer maneira, a equipe jogou bem e mereceu a vitória.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Faltou caprichar mais na finalização, eu mesmo tive duas ou três chances para acertar o gol, mas, infelizmente, hoje ela não quis ir nele. Em volume de jogo fomos bem, no meu modo de ver jogamos muito melhor que o Vasco, que vinha jogando bem. Mas o resultado foi bom, dava para sair com a vitória mas o empate foi bom.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro: Sem dúvida dava para sair com a vitória pois criamos muitas oportunidades claras de gol. A gente desperdiçou as chances e poderia ter saído com os três pontos. Mas somar pontos fora de casa não é ruim.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Tive outras duas oportunidades. Na primeira, o Fernando Prass fechou muito bem o ângulo. Depois, tive aquela de cabeça, uma clara chance de gol. Antecipei o goleiro, tentei dar uma casquinha na bola, mas foi muito de raspão e a bola não entrou. Infelizmente, o jogo aéreo não é minha especialidade. Jogamos para vencer, o tempo todo para conseguir a vitória. Fomos muito superiores ao Vasco, mas faltou caprichar um pouquinho mais nas finalizações para conseguimos a vitória. Agora temos que vencer o Flamengo. Vamos descansar e fazer um bom jogo contra o Flamengo. Temos condições de vencer e com o apoio do nosso torcedor tudo fica mais fácil.
  • Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: Eu não acredito. Putz. Não acredito. Rapaz do céu. Não sabia. Acho que é o segundo amarelo. Eu estou contando. Não pode ser o terceiro. A gente jogou muito mais. Tivemos mais posse de bola, mais chances de gols. O Fábio não trabalhou. Nós fomos muito melhores. A gente está treinando muito. O problema que não tivemos sorte. O gol do Vasco foi contra. Mas estamos somando os pontos.
  • PC Gusmão, treinador do Vasco: Empatar com o Cruzeiro, dentro de São Januário, é normal. O time deles acabou de disputar uma Libertadores. Sabia que seria dificílimo. Jogamos para vencer, saímos na frente, mas não conseguimos. Em nenhum momento ficamos atrás, tivemos três atacantes, jogadores de características ofensivas. Infelizmente tivemos a lesão do Felipe (problema muscular na coxa direita) e tivemos de mexer no primeiro tempo. O empate faz parte do jogo. Colocamos para os jogadores que o objetivo é sempre vencer, mas nem sempre acontece. Pelos adversários, são resultados normais. Só teve um jogo nesses empates em que ficamos a desejar, que foi contra o São Paulo (o time não deu um chute a gol). Nos outros, procuramos a vitória, tomamos gols em erros nossos. Mostra que o Vasco está buscando, mas infelizmente não está acontecendo. Esse primeiro turno, nosso trabalho foi de recuperação. Era a proposta quando cheguei. O time era o vice-lanterna da competição, com cinco pontos, e até hoje não perdeu comigo. Perder o Felipe é muita coisa, é um jogador de qualidade. Contra o Cruzeiro, vinha servindo os companheiros, ajudando na recomposição. É difícil. Vamos procurar um encaixe durante a semana. Mais uma dor de cabeça para um jogo difícil. Fico triste. Estamos num momento em que os atletas estão evoluindo, principalmente os que entraram agora, na abertura da janela (de transferências). Foi a primeira partida com o Felipe de meia com o Carlos (Alberto), o Zé (Roberto) e o Éder (Luis). Perdemos uma referência. O Felipe de meia com o Carlos (Alberto), o Zé (Roberto) e o Éder (Luis). Perdemos uma referência. O Felipe preocupa o adversário. Esperamos que ele se recupere logo.
  • Dedé, beque do Vasco: Prejuízo eu acho que não houve. Nosso time jogou contra uma equipe muito boa. O Cruzeiro veio com boa proposta de jogo, para cima da gente. Nosso time estava bem no primeiro tempo, sofremos um gol bobo (contra, do zagueiro Fernando). Melhoramos no segundo, mas eles também cresceram. No meu modo de ver, não foi muito bom, mas também não pode ser desprezado. O sinal de alerta tem de estar ligado em todos os jogos. Vamos pegar o Ceará, que está bem, vamos jogar de igual para igual. Eles têm a melhor defesa do campeonato (11 gols sofridos). Nosso time tem de chegar lá e jogar com inteligência, ir para cima. Nosso time é bem focado, hoje é mais experiente. Para o próximo jogo, vamos estudar bastante o adversário e temos de estar sempre atentos.
  • Rafael Carioca, volante do Vasco: Lutamos pela vitória, fizemos o possível. Mas, infelizmente, não deu. Vamos continuar trabalhando para melhor nossa posição na tabela.
  • Zé Roberto, meia do Vasco: Foi um chute bonito, belo gol, mas infelizmente não conseguimos a vitória. Infelizmente não conseguimos a vitória em casa, mas temos condições de conquistar pontos fora.
  • Felipe, meia do Vasco: Estou muito chateado com o que aconteceu, estava me sentindo bem, satisfeito com a minha atuação. No momento em que fui arrancar, senti a fisgada na coxa e comecei a sentir dor. Ainda sinto. Vou ficar de repouso e começar a fazer a fisioterapia, mas tenho que esperar o exame para saber o que vai dar.
  • Carlos Alberto, meia do Vasco: Queríamos vencer, mas infelizmente não conseguimos. Agora, temos de pensar no próximo adversário.
  • Eder Luís, atacante do Vasco: Não jogamos o suficiente para vencer a partida.
  • Juca Kfouri, em seu blog: Em São Januário o primeiro tempo foi tão equilibrado, e movimentado, que, primeiro, o Vasco teve três boas chances de marcar. Depois foi a vez do Cruzeiro, que também por três vezes esteve perto de fazer seu primeiro gol. Na quarta tentativa vascaína, Zé Roberto perdeu o gol que, segundos depois, de fora da área, marcou de maneira magistral, aos 44. Quando todos imaginavam que seria este o resultado do primeiro tempo, eis que ao tentar cortar um cruzamento da linha de fundo, o zagueiro Fernando marcou contra e deu o empate ao Cruzeiro: 1 a 1. Era um placar justo e que prometia um segundo tempo ainda melhor. E, de fato, foi. Com chances divididas entre dois times em busca de ganhar. E com as duas torcidas tendo seguidas sensações de que o gol da vitória sairia. Difícil, aliás, dizer quem perdeu as melhores chances, embora os cruzeirenses tenham deixado mais forte tal impressão. Fato é que a vontade de ganhar foi do tamanho que foi porque ninguém queria empatar, o que não foi bom para nenhum dos dois, apesar de ter sido um bom jogo de futebol.
  • Lédio Carmona, em seu blog: Montillo, Dedé e mais um empate: O Vasco teve a sua pior semana no período pós-Copa. Incensado após a excelente atuação contra o líder Fluminense, o time de Paulo Cesar Gusmão abusou da covardia contra o São Paulo, não deu um chute a gol e ficou no 0 a 0 numa partida que, mesmo no Morumbi, poderia ter sido vencida. Hoje, em São Januário, o Vasco melhorou, mas assim mesmo foi dominado pelo Cruzeiro e de novo empatou: 1 a 1, gols de Zé Roberto (lindo pombo de fora da área) e de Fernando, contra. Assim mesmo, o time segue invicto com PC Gusmão (quatro vitórias e seis empates). O Cruzeiro teve a melhor semana no período pós-Copa. Após perder para o Vitória domingo, em Ipatinga, o time ganhou do Corinthians, em Uberlândia, e hoje dominou o Vasco, em São Januário. Melhor de tudo: a Raposa encontrou no argentino Walter Montillo o meia de ligação que procurava há dois anos. Se forçarmos um pouco a barra, talvez estivesse nessa busca desde que Alex se mandou para a Turquia. PC Gusmão gostou do empate. Não acho que seja uma lástima, mas poderia ser melhor. O Vasco empatou 8 partidas em 17 disputadas. É demais. Isso significa que, nessas igualdades, o time disputou 24 pontos e só ganhou 8. É pouco para quem sonha com Libertadores. É preciso pensar em sequência de vitória, não de empates. Mas claro que o time pode crescer, desde que Felipe, Carlos Alberto e Zé Roberto não oscilem tanto durante os jogos. Não dá para comparar com o que víamos no início do Brasileirão, quando o Vasco ganhou cinco ponto de 21, mas dá para evoluir ainda mais. Pelo menos, Dedé parece ser mesmo uma espécie de Montillo da Colina. Trata-se do zagueiro que o clube procurava há uns 10 anos. Coisa que o Cruzeiro começa a fazer. O discurso de Cuca no pós-jogo era de quem tem confiança e sabe que encontrou a receita. Thiago Ribeiro jogou muito hoje. Os volantes voltaram a crescer. E o sistema de três zagueiros pegou de vez. Creio que tudo isso seja o Efeito-Montillo. Era o detalhe que faltava. Detalhe, não. A diferença que a Raposa rastreava pelo mundo afora.
  • Vander Ribeiro, no blog do Mário Marra: Vacilo azul: Jogando em São Januário, o time celeste não se comportou como um visitante tradicional. Normalmente, as equipes visitantes se encolhem em seu campo de defesa e esperam o adversário assumir o controle da partida. A postura defensiva, tradicionalmente adotada pelos visitantes, valoriza o contra-ataque e a velocidade pelos lados do campo. O Cruzeiro usou essas armas, mas não esperou o Vasco. O time celeste foi para cima e logo no início do jogo mostrou ao Vasco que buscaria a vitória. A velocidade de Thiago Ribeiro, Montillo e do ala Rômulo foram os pontos fortes do Cruzeiro. No Vasco, Éder Luis (ex-Atlético), Carlos Alberto, Zé Roberto e Felipe, que jogou como meia, pouco produziram. Fabrício e Henrique dominaram o meio e o Cruzeiro foi superior. O time celeste explorou principalmente o lado esquerdo da defesa vascaína e criou muitas oportunidades, o gol era questão de tempo. O ataque celeste criava chances com facilidade, mas a pontaria deixava a desejar. O Cruzeiro chegava, criava e desperdiçava inúmeras oportunidades. Castigo: No final da primeira etapa a equipe carioca conseguiu levar perigo ao gol de Fábio. Aos 43 minutos, em um erro de marcação da defesa celeste, o meia Carlos Alberto encontrou Zé Roberto livre de marcação. A bobeada da defesa obrigou Fábio a sair do gol e, mesmo sendo driblado, sua saída foi providencial. O goleiro fechou os espaços do atacante que, após o drible, não teve mais ângulo para finalizar para as redes e bateu para fora. Se aos 43 Zé Roberto perdeu chance clara, aos 44 surpreendeu. Após um chutaço de fora da área a bola morreu no ângulo esquerdo do goleiro Fábio que nada pôde fazer para evitar o gol. Vasco 1 a 0. Apesar de sofrer o gol, o time celeste não se abateu, continuou pressionando e aos 47 minutos foi premiado. Após chute cruzado de Thiago Ribeiro, a bola tocou no zagueiro Fernando, foi parar no fundo das redes vascaínas e a igualdade voltou ao placar, 1 a 1. Segundo tempo: Na segunda etapa o Cruzeiro continuou sendo superior, continuou criando e continuou desperdiçando. A equipe do Vasco se defendia, suportava a pressão celeste e investia nos contra-ataques e na velocidade de Éder Luis. O Cruzeiro repetiu o mesmo erro que cometeu na partida contra o Vitória, perdeu uma enxurrada de gols e, apesar de dominar o jogo, não conseguiu conquistar os três pontos. Placar final: 1 a 1. O ponto conquistado foi importante, considerando que o time celeste jogou fora de seus domínios, mas os dois pontos perdidos farão muita falta.
  • Naldo Morato, no PHD: Cruzeiro e Vasco fizeram um bom jogo. O Cruzeiro esteve melhor durante quase todo a partida e poderia ter saído com uma vitória. Faltou um pouco de sorte e, em algumas jogadas, competência mesmo, nas finalizações. Cuca parece ter encontrado o melhor esquema para o Cruzeiro, o 3-5-2, com o Caçapa de titular. Só lamento o Marquinhos Paraná ficar de fora, mas o Cruzeiro é bem servido de volantes e Henrique e Fabrício tem a preferência do técnico. A nossa defesa se acertou, o nosso meio tambem, falta agora só o ataque, tivéssemos um matador no jogo de hoje, fatalmente teríamos saído vitriosos. WP ja não balança as redes desde o jogo contra o Atlético-MG. É muito pouco pra um atacante.
  • Vinícius Cabral, no PHD: Eu acredito no trabalho do Cuca. Mas tirar o Thiago Ribeiro e o Montillo para colocar o Roger e Wallyson foi soda. Não que o Roger tenha entrado muito mal –ele até colocou o Wallyson na cara do gol– , mas sim por ter tirado o Montillo. E deixar o inoperante do Wellington Paulista pra tirar o lutador Thiago Ribeiro é incompreensível. Ribeiro cansado faz mais pelo time do que o WP descansado. Fato é que só engulo a saída dos dois se eles tiverem pedido a substituição. Do contrário, Cuca deu bobeira. Tirando a jogada em que o Roger colocou o Wallyson na cara do gol, o Vasco passou a dominar uma partida que era do Cruzeiro.
  • Maurício Sangue Azul, no PHD: O 1º tempo do Cruzeiro foi péssimo. Ficou claro que estávamos perdendo o meio de campo. No gol do Zé Roberto da para perceber isto. Ele chutou de muito longe e não tínhamos ninguém fazendo a sombra na marcação. Nosso gol foi um bate e rebate e a bola entrou. Sorte mesmo. No 2º tempo, Cuca consegui organizar a equipe. Nulo no 1º tempo, Rômulo melhorrou consideravelmente e perdemos pelo menos três chances claras. Uma pena. Os 3 pontos estavam de bandeja. Fabricio está irreconhecível. Não sei o que esta acontecendo com ele. Anda muito mal. Marquinhos Paraná está melhor e deveria ser o titular nesse esquema armado pelo Cuca.

O que foi dito

  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Perdemos dois pontos hoje pelo jogo que fizemos. Acho que foi o melhor jogo meu no comando do Cruzeiro. Jogar aqui é sempre difícil e o Cruzeiro fez por merecer a vitória. O mais difícil é criar as oportunidades e o time criou muitas. Pena que escapou a vitória. Foi um time rápido, jogando pelos dois lados, diferente do jogo anterior. A velocidade apareceu para nós e foi tudo bem planejado. Tudo bem executado, menos a parte final, a execução do gol. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: Pela situações de gols que a equipe criou, ficou um gostinho de que poderíamos ter vencido. A gente queria os três pontos, mas não foi possível e um ponto fora de casa e válido. Temos que caprichar mais nas finalizações. Espero que o torcedor possa lotar mais uma vez o Parque do Sabiá para nos ajudar a conquistar mais uma vitória em Uberlândia. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Henrique, volante do Cruzeiro: Pelas oportunidades que criamos, merecíamos sair com a vitória. Saímos de campo com um gostinho amargo, criamos chances mas não conseguimos vencer, principalmente na segunda etapa. Faltou capricho e um pouco mais de gana para marcar. Mas, de qualquer maneira, a equipe jogou bem e mereceu a vitória. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Faltou caprichar mais na finalização, eu mesmo tive duas ou três chances para acertar o gol, mas, infelizmente, hoje ela não quis ir nele. Em volume de jogo fomos bem, no meu modo de ver jogamos muito melhor que o Vasco, que vinha jogando bem. Mas o resultado foi bom, dava para sair com a vitória mas o empate foi bom. Fonte: UOL
  • Roger, meia do Cruzeiro: Sem dúvida dava para sair com a vitória pois criamos muitas oportunidades claras de gol. A gente desperdiçou as chances e poderia ter saído com os três pontos. Mas somar pontos fora de casa não é ruim. Fonte: Superesportes
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Tive outras duas oportunidades. Na primeira, o Fernando Prass fechou muito bem o ângulo. Depois, tive aquela de cabeça, uma clara chance de gol. Antecipei o goleiro, tentei dar uma casquinha na bola, mas foi muito de raspão e a bola não entrou. Infelizmente, o jogo aéreo não é minha especialidade. Jogamos para vencer, o tempo todo para conseguir a vitória. Fomos muito superiores ao Vasco, mas faltou caprichar um pouquinho mais nas finalizações para conseguimos a vitória. Agora temos que vencer o Flamengo. Vamos descansar e fazer um bom jogo contra o Flamengo. Temos condições de vencer e com o apoio do nosso torcedor tudo fica mais fácil. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: Eu não acredito. Putz. Não acredito. Rapaz do céu. Não sabia. Acho que é o segundo amarelo. Eu estou contando. Não pode ser o terceiro. A gente jogou muito mais. Tivemos mais posse de bola, mais chances de gols. O Fábio não trabalhou. Nós fomos muito melhores. A gente está treinando muito. O problema que não tivemos sorte. O gol do Vasco foi contra. Mas estamos somando os pontos. Fonte: Globo.com
  • Paulo César Gusmão, treinador do Vasco: Empatar com o Cruzeiro, dentro de São Januário, é normal. O time deles acabou de disputar uma Libertadores. Sabia que seria dificílimo. Jogamos para vencer, saímos na frente, mas não conseguimos. Em nenhum momento ficamos atrás, tivemos três atacantes, jogadores de características ofensivas. Infelizmente tivemos a lesão do Felipe (problema muscular na coxa direita) e tivemos de mexer no primeiro tempo. O empate faz parte do jogo. Colocamos para os jogadores que o objetivo é sempre vencer, mas nem sempre acontece. Pelos adversários, são resultados normais. Só teve um jogo nesses empates em que ficamos a desejar, que foi contra o São Paulo (o time não deu um chute a gol). Nos outros, procuramos a vitória, tomamos gols em erros nossos. Mostra que o Vasco está buscando, mas infelizmente não está acontecendo. Esse primeiro turno, nosso trabalho foi de recuperação. Era a proposta quando cheguei. O time era o vice-lanterna da competição, com cinco pontos, e até hoje não perdeu comigo. Perder o Felipe é muita coisa, é um jogador de qualidade. Contra o Cruzeiro, vinha servindo os companheiros, ajudando na recomposição. É difícil. Vamos procurar um encaixe durante a semana. Mais uma dor de cabeça para um jogo difícil. Fico triste. Estamos num momento em que os atletas estão evoluindo, principalmente os que entraram agora, na abertura da janela (de transferências). Foi a primeira partida com o Felipe de meia com o Carlos (Alberto), o Zé (Roberto) e o Éder (Luis). Perdemos uma referência. O Felipe preocupa o adversário. Esperamos que ele se recupere logo. Fonte: Globo.com
  • Dedé, beque do Vasco: Prejuízo eu acho que não houve. Nosso time jogou contra uma equipe muito boa. O Cruzeiro veio com boa proposta de jogo, para cima da gente. Nosso time estava bem no primeiro tempo, sofremos um gol bobo (contra, do zagueiro Fernando). Melhoramos no segundo, mas eles também cresceram. No meu modo de ver, não foi muito bom, mas também não pode ser desprezado. O sinal de alerta tem de estar ligado em todos os jogos. Vamos pegar o Ceará, que está bem, vamos jogar de igual para igual. Eles têm a melhor defesa do campeonato (11 gols sofridos). Nosso time tem de chegar lá e jogar com inteligência, ir para cima. Nosso time é bem focado, hoje é mais experiente. Para o próximo jogo, vamos estudar bastante o adversário e temos de estar sempre atentos. Fonte: Globo.com
  • Rafael Carioca, volante do Vasco: Lutamos pela vitória, fizemos o possível. Mas, infelizmente, não deu. Vamos continuar trabalhando para melhor nossa posição na tabela. Fonte: UOL
  • Zé Roberto, meia do Vasco: Foi um chute bonito, belo gol, mas infelizmente não conseguimos a vitória. Infelizmente não conseguimos a vitória em casa, mas temos condições de conquistar pontos fora. Fonte: Globo.com
  • Felipe, meia do Vasco: Estou muito chateado com o que aconteceu, estava me sentindo bem, satisfeito com a minha atuação. No momento em que fui arrancar, senti a fisgada na coxa e comecei a sentir dor. Ainda sinto. Vou ficar de repouso e começar a fazer a fisioterapia, mas tenho que esperar o exame para saber o que vai dar. Fonte: Globo.com
  • Carlos Alberto, meia do Vasco: Queríamos vencer, mas infelizmente não conseguimos. Agora, temos de pensar no próximo adversário. Fonte: UOL
  • Eder Luís, atacante do Vasco: Não jogamos o suficiente para vencer a partida. Fonte: UOL
  • Juca Kfouri, em seu blog: Em São Januário o primeiro tempo foi tão equilibrado, e movimentado, que, primeiro, o Vasco teve três boas chances de marcar. Depois foi a vez do Cruzeiro, que também por três vezes esteve perto de fazer seu primeiro gol. Na quarta tentativa vascaína, Zé Roberto perdeu o gol que, segundos depois, de fora da área, marcou de maneira magistral, aos 44. Quando todos imaginavam que seria este o resultado do primeiro tempo, eis que ao tentar cortar um cruzamento da linha de fundo, o zagueiro Fernando marcou contra e deu o empate ao Cruzeiro: 1 a 1. Era um placar justo e que prometia um segundo tempo ainda melhor. E, de fato, foi. Com chances divididas entre dois times em busca de ganhar. E com as duas torcidas tendo seguidas sensações de que o gol da vitória sairia. Difícil, aliás, dizer quem perdeu as melhores chances, embora os cruzeirenses tenham deixado mais forte tal impressão. Fato é que a vontade de ganhar foi do tamanho que foi porque ninguém queria empatar, o que não foi bom para nenhum dos dois, apesar de ter sido um bom jogo de futebol.
  • Lédio Carmona, em seu blog: Montillo, Dedé e mais um empate: O Vasco teve a sua pior semana no período pós-Copa. Incensado após a excelente atuação contra o líder Fluminense, o time de Paulo Cesar Gusmão abusou da covardia contra o São Paulo, não deu um chute a gol e ficou no 0 a 0 numa partida que, mesmo no Morumbi, poderia ter sido vencida. Hoje, em São Januário, o Vasco melhorou, mas assim mesmo foi dominado pelo Cruzeiro e de novo empatou: 1 a 1, gols de Zé Roberto (lindo pombo de fora da área) e de Fernando, contra. Assim mesmo, o time segue invicto com PC Gusmão (quatro vitórias e seis empates). O Cruzeiro teve a melhor semana no período pós-Copa. Após perder para o Vitória domingo, em Ipatinga, o time ganhou do Corinthians, em Uberlândia, e hoje dominou o Vasco, em São Januário. Melhor de tudo: a Raposa encontrou no argentino Walter Montillo o meia de ligação que procurava há dois anos. Se forçarmos um pouco a barra, talvez estivesse nessa busca desde que Alex se mandou para a Turquia. PC Gusmão gostou do empate. Não acho que seja uma lástima, mas poderia ser melhor. O Vasco empatou 8 partidas em 17 disputadas. É demais. Isso significa que, nessas igualdades, o time disputou 24 pontos e só ganhou 8. É pouco para quem sonha com Libertadores. É preciso pensar em sequência de vitória, não de empates. Mas claro que o time pode crescer, desde que Felipe, Carlos Alberto e Zé Roberto não oscilem tanto durante os jogos. Não dá para comparar com o que víamos no início do Brasileirão, quando o Vasco ganhou cinco ponto de 21, mas dá para evoluir ainda mais. Pelo menos, Dedé parece ser mesmo uma espécie de Montillo da Colina. Trata-se do zagueiro que o clube procurava há uns 10 anos. Coisa que o Cruzeiro começa a fazer. O discurso de Cuca no pós-jogo era de quem tem confiança e sabe que encontrou a receita. Thiago Ribeiro jogou muito hoje. Os volantes voltaram a crescer. E o sistema de três zagueiros pegou de vez. Creio que tudo isso seja o Efeito-Montillo. Era o detalhe que faltava. Detalhe, não. A diferença que a Raposa rastreava pelo mundo afora.
  • Vander Ribeiro, no blog do Mário Marra: Vacilo azul: Jogando em São Januário, o time celeste não se comportou como um visitante tradicional. Normalmente, as equipes visitantes se encolhem em seu campo de defesa e esperam o adversário assumir o controle da partida. A postura defensiva, tradicionalmente adotada pelos visitantes, valoriza o contra-ataque e a velocidade pelos lados do campo. O Cruzeiro usou essas armas, mas não esperou o Vasco. O time celeste foi para cima e logo no início do jogo mostrou ao Vasco que buscaria a vitória. A velocidade de Thiago Ribeiro, Montillo e do ala Rômulo foram os pontos fortes do Cruzeiro. No Vasco, Éder Luis (ex-Atlético), Carlos Alberto, Zé Roberto e Felipe, que jogou como meia, pouco produziram. Fabrício e Henrique dominaram o meio e o Cruzeiro foi superior. O time celeste explorou principalmente o lado esquerdo da defesa vascaína e criou muitas oportunidades, o gol era questão de tempo. O ataque celeste criava chances com facilidade, mas a pontaria deixava a desejar. O Cruzeiro chegava, criava e desperdiçava inúmeras oportunidades. Castigo: No final da primeira etapa a equipe carioca conseguiu levar perigo ao gol de Fábio. Aos 43 minutos, em um erro de marcação da defesa celeste, o meia Carlos Alberto encontrou Zé Roberto livre de marcação. A bobeada da defesa obrigou Fábio a sair do gol e, mesmo sendo driblado, sua saída foi providencial. O goleiro fechou os espaços do atacante que, após o drible, não teve mais ângulo para finalizar para as redes e bateu para fora. Se aos 43 Zé Roberto perdeu chance clara, aos 44 surpreendeu. Após um chutaço de fora da área a bola morreu no ângulo esquerdo do goleiro Fábio que nada pôde fazer para evitar o gol. Vasco 1 a 0. Apesar de sofrer o gol, o time celeste não se abateu, continuou pressionando e aos 47 minutos foi premiado. Após chute cruzado de Thiago Ribeiro, a bola tocou no zagueiro Fernando, foi parar no fundo das redes vascaínas e a igualdade voltou ao placar, 1 a 1. Segundo tempo: Na segunda etapa o Cruzeiro continuou sendo superior, continuou criando e continuou desperdiçando. A equipe do Vasco se defendia, suportava a pressão celeste e investia nos contra-ataques e na velocidade de Éder Luis. O Cruzeiro repetiu o mesmo erro que cometeu na partida contra o Vitória, perdeu uma enxurrada de gols e, apesar de dominar o jogo, não conseguiu conquistar os três pontos. Placar final: 1 a 1. O ponto conquistado foi importante, considerando que o time celeste jogou fora de seus domínios, mas os dois pontos perdidos farão muita falta.

Links e Fontes

Vídeos

Fotos

Transmissão

  • PPV