Uberaba 0x3 Cruzeiro - 07/04/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 2x2 Escudo Uberaba.png Gol aos do Escudo Betim.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 2x2 Escudo Uberaba.png Gol aos do Escudo Betim.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Uberabão
Escudo Uberaba.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Uberaba.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Contra Uberaba
Escudo Cruzeiro.png 2x2 Escudo Uberaba.png Gol aos do Escudo Uberaba.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Uberaba.png
Uberaba
0 × 3 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Jogo de volta - Quartas de final Campeonato Mineiro
Data: 7 de abril de 2010 Local: Uberaba, MG
Horário: 21:50 Estádio: Uberabão
Árbitro: Alício Pena Júnior Público pagante: Não disponível
Assistente 1: Helbert Costa Andrade Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marcus Vinícius Gomes Renda: Não informado
Súmula: Súmula
Escalações
Uberaba: Cruzeiro:

1. Fernando Cartão amarelo recebido aos 1. Fábio
2. Ivonaldo 2. Jonathan
3. Rodrigão Paulista 3. Gil
4. Rogério Cartão amarelo recebido aos 4. Leonardo Silva Gol aos do Cartão amarelo recebido aos
5. Balduíno Cartão amarelo recebido aos 5. Fabrício Substituição realizada de jogo ( 16. Fernandinho )
6. Felipe Nogueira Substituição realizada de jogo ( 13. Danilo Araguaia ) 6. Marquinhos Paraná Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 15. Anderson Uchôa )
7. Ednei Baiano Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 18. André Nascimento ) 7. Fabinho Alves Cartão amarelo recebido aos
8. Danilo Goiano 8. Henrique Cartão amarelo recebido aos
9. Douglas Cartão amarelo recebido aos 10. Gilberto Gol aos do
10. Rafael Ipuã 11. Thiago Ribeiro Cartão amarelo recebido aos Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 9. Wellington Paulista )
11. Thiago Marin Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 16. Gaucho ) 30. Kléber Cartão amarelo recebido aos
Técnico: Ney Franco Técnico: Adilson Batista
Reservas que não entraram na partida
Uberaba: Cruzeiro:
12. Glaysson 12. Rafael
17. Rodrigo Jordão 23. Roger
14. Maycon 18. Eliandro
15. Gabriel 17. Bernardo


O que foi dito após o jogo

  • Danilo Araguaia, volante do Uberaba: Acho que quem compareceu aqui, no Uberabão, viu o nosso esforço. Fizemos o nosso máximo, mas infelizmente a classificação não veio. O futebol é isso. O importante agora é seguir em frente.
  • Marcos Birigui, treinador do Uberaba: A gente sabia que era muito difícil jogar contra o Cruzeiro. É uma das melhores equipes do Brasil. Fiquei chateado só por decepcionar a torcida que compareceu ao Uberabão. Mas, no fim, fizemos um bom campeonato. Fomos até onde deu, disse o técnico do Uberaba.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: A equipe teve concentração nos momentos necessários e, na hora que apareceram as oportunidade, fez gols. Apresentou também uma marcação forte, neutralizando as jogadas do Uberaba. Vencemos com mérito. Não tem adversário fácil. A gente tem que esperar e ver quem merece jogar a próxima fase. Vamos entrar com todo o respeito possível, como a gente entra em todos os jogos.
  • Leonardo Silva, beque do Cruzeiro: Treino bastante, mas não tinha essa característica de fazer gols. Aqui no Cruzeiro tenho feito mais. Tenho procurando estar sempre presente e confiante. Conforme marcamos em sequência, adquirimos mais confiança nos treinamentos. Então, é continuar treinando pra quando aparecerem oportunidades, estar pronto. Contra o Atlético-MG é bem mais emocionante. Foram três gols em quatro partidas e é uma felicidade muito grande. Não por ser o Atlético-MG, mas é um jogo que inspira mais porque é clássico e a gente procura estar mais concentrado nessa situação. Graças a Deus, pude estar ali e quando aparece a bolinha eu procuro ajudar o Cruzeiro. A partir de agora são jogos decisivos e o Cruzeiro tem que estar preparado para entrar com aquilo que terá à disposição. Acho que o Adilson pensa nisso, mas em contrapartida a gente tem que ter cuidados para não exigir muito do jogador, porque às vezes ele pode ter uma contusão e prejudicar lá na frente.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Estou inteiro, foi só cansaço mesmo, como infelizmente tenho sentido muito. Aos pouquinhos, vou ficando bom e correndo bem, mas tenho que ter paciência, já que os companheiros estão voando. Mas é trabalhar para voltar.
  • Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro: Fomos muito bem. Muita gente achou que a gente não iria conseguir. Mas nós não erramos e conseguimos a classificação. Agora, é decisão. Não tem mais essa de time reserva, não tem mais essa de poupar ninguém. Nós temos que jogar sério e passar para a final.
  • Gilberto, meia do Cruzeiro: O Uberaba teve que sair mais pro jogo. O Cruzeiro não mudou nada do que vem treinando e jogando. O Uberaba conseguiu um resultado positivo no Mineirão, empatou e, se tivesse um outro empate hoje, daria Cruzeiro. Então, eles tiveram que sair mais pro jogo, deixando espaços pro nosso time. No Cruzeiro, a gente não escolhe. O Cruzeiro trabalha em cima do próximo adversário. A gente vai trabalhar bem pra chegar à final.
  • Kleber, atacante do Cruzeiro: A gente sempre quer fazer gol, mas o mais importante é a vitória. O Cruzeiro jogou bem e é difícil jogar em um campo ruim, o time deles começou muito defensivo. Todo mundo está de parabéns. Pela grandeza do Cruzeiro, não temos que escolher adversário. Aquele que vier, a gente tem que vencer, pela força do Clube.
  • Adilson Batista, treinador do Cruzeiro: Foi um jogo disputado, acirrado, como tem sido. Na 1ª rodada, tivemos 30 cartões amarelos e três vermelhos, nesta ainda temos que fazer as contas. Então, são jogos decisivos e mais truncados. Parabéns aos atletas do Cruzeiro. O objetivo foi alcançado. Agora, vamos ver amanhã qual será o adversário. É preciso explicar pro torcedor. Nós temos um planejamento, existe um controle, a fisioterapia, o departamento médico, a conversa com os preparadores físicos e a conversa franca com os atletas. Então, a gente vem fazendo isso pelo 3ª ano seguido. Existe um desgaste e, independentemente da formação, mantemos o sistema. Gostaria que o torcedor compreendesse isso. Estamos preparando o Fabrício e o Fernandinho, para que eles tenham condições. Agora, temos o Roger também, tínhamos a intenção de usá-lo, mas achei melhor ficar com dois na frente para tentarmos fazer o 4ª gol e quase fizemos, no lance do Kleber para o Wellington Paulista.
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro, em seu blog: Primeiramente, queria parabenizar o nosso time pela vitória de ontem. Os jogadores mostraram garra e não se acomodaram com o fato de poder empatar. O grupo deu sinais de que está com muita vontade conquistar esse título, que é tão importante para nós. Agora, estamos esperando o adversário da semifinal, que será Tupi ou Ipatinga. Não temos preferência por nenhum deles, afinal os dois são grandes times e se chegaram a essa fase da competição é porque tem qualidade. Então, seja qual for, será uma partida complicada e, por isso, o apoio de vocês é essencial. Até mais, China Azul.
  • André Kfouri, em seu blog: Um empate com o Uberaba estaria bom para o Cruzeiro, mas o time não quis correr riscos e resolveu o jogo no primeiro tempo. Em apenas um jogo, o Cruzeiro igualou seu total (2) de gols de falta na temporada passada.
  • Lédio Carmona, em seu blog: No Uberabão, a Raposa foi mais arisca e madura do que o açodado Boi Zebu. Diferentemente do jogo de ida, sábado, no Mineirão, quando o Cruzeiro se atrapalhou e deixou o Uberaba se impor, hoje, na casa do adversário, o time de Adílson Batista não deu mole. Entrou com o time titular, jogou em cima dos anfitriões, marcou forte, dominou o meio de campo e, naturalmente, construiu um placar confortável de 3 a 0 para chegar as semifinais – agora enfrentará o ganhador do confronto entre Tupi e Ipatinga. Foram gols decisivos, em momentos capitais da partida. O Uberaba foi para cima, mas, logo aos seis minutos, levou o gol de Leonardo Silva, bom zagueiro, após falta cobrada por Jonathan. O primeiro tempo se acomodou. Boi Zebu ansioso para empatar. Raposa administrando. Quando o Uberava começava a se reestabelecer, Thiago Ribeiro bateu falta e o goleiro Fernando aceitou. 46 min do primeiro tempo: 2 a 0. Golpe fatal. E, no segundo tempo, enquanto cozinhava o jogo e fazia o Uberaba correr, a Raposa ainda fez mais um, com Gilberto cobrando falta. Nada fora da ordem. Quando um grande se concentra para enfrentar um pequeno, dificilmente tropeça. Ordem natural das coisas. Basta querer. Mas tem gente que adora complicar. Não foi o caso do Cruzeiro na noite do Uberabão.
  • Mauro Beting, em seu blog: O placar foi o mesmo do show contra o Vélez. Mas não foi preciso jogar tanto no Uberabão. O Zebu não jogou como no sábado. A defesa celeste esteve melhor protegida pelos lados. E, na bola parada, o Cruzeiro fez o serviço, o estrago, e o que dele se esperava.
  • Mário Marra, em seu blog: Quando terminou o jogo de sábado, no Mineirão, a torcida do Cruzeiro reclamava da postura do time. Empatar com o Uberaba em casa e deixar a definição para o Uberabão era dar sopa para o azar. No entanto, aos 6 minutos de jogo, o Cruzeiro facilitou o que poderia se tornar um drama. Jonathan bateu falta e Gil devolveu a bola a para a entrada da pequena área, Leonardo Silva, sempre bem colocado, fez o primeiro gol. No final do primeiro tempo Thiago Ribeiro aumentou em cobrança de falta. Com a vantagem do empate e 2 a 0 no placar. O segundo tempo foi de descanso. Gilberto ainda bateu outra falta com perfeição e fez o terceiro gol. Resultado facilitado, Adilson pode observar que Fabrício precisa de mais ritmo de jogo. Fabinho Alves, que vinha sendo apontado como destaque, poderia ter sido expulso e foi desleal com um jogador do Uberaba. A grande notícia foi a boa participação de Gilberto na partida. Lúcido, com boa movimentação e bons passes, ele foi o grande nome do jogo.
  • Leandro Mattos, em seu blog: No Triângulo, o Cruzeiro facilitou a tarefa de continuar sua caminhada em busca do tri do Mineiro, ao inaugurar o placar do Uberabão logo aos seis minutos de jogo, com o gol de Leonardo Silva. O empate já bastava, mas os estrelados quiseram mais. Thiago Ribeiro e Gilberto foram felizes em duas cobranças de falta e deram números finais à partida: 3 a 0. O susto no primeiro duelo – 2 a 2 no Mineirão – serviu de alerta aos estrelados, que entraram conscientes em campo e não esmoreceram após o primeiro gol. Jogaram sério até o final e foram premiados com mais uma goleada no Estadual.
  • Paulo Fernando Borges, estudante de jornalismo e articulista do Jornal da Manhã, de Uberaba: Valeu! – Honestamente eu não esperava aquela derrota por 3×0. Eu acreditava firmemente que sairíamos do Uberabão classificados para a semifinal do Campeonato Mineiro. No entanto, o Cruzeiro fez por onde e mereceu a vitória, a classificação. Resultado, no futebol ou em qualquer segmento da vida, é questão de merecimento. A não ser nos casos em que outros fatores interferem no resultado final, como arbitragem ou falta de sorte, a vitória é questão de merecimento. E no jogo de quarta-feira, a meu ver, a arbitragem não interferiu no resultado final. Não é hora de lamentar, chorar ou xingar o nosso time! Ora, amigos, a obrigação de vencer era do Cruzeiro. Eles possuem estrutura, têm jogadores de muita qualidade e contam com todas as condições para se preparar para as competições. O Cruzeiro, é bom que se diga, tem uma das equipes mais bem estruturadas do País e uma das maiores do Mundo. Por isso, é motivo de orgulho para todos os torcedores do Colorado, o fato de o USC ter jogado de igual para igual contra nossos adversários celestes. Ficar triste pela desclassificação é normal, natural e compreensível. Mas se pararmos para analisar, com a estrutura do USC, o time foi até longe demais. Para quem não se lembra, o Uberaba Sport perdeu sua casa, seu campo de treinamento… ficou sem lar. Um time do Movimento dos Sem Estádio chegar aonde chegamos é, por si só, um ato de heroísmo. Lembrem-se, queridos leitores, que Ituiutaba e Uberlândia, rebaixados para a Segundona, investiram mais, possuem mais condições físicas para se preparar e ainda assim caíram. Atentem-se para o fato de que empatamos com o Cruzeiro no Mineirão e com o Atlético, aqui, mesmo com essa nossa medíocre estrutura. Como eu já disse, somos heróis! Concordo com o Marcos Birigui, treinador do Colorado. Fizemos um belo campeonato. Vencemos equipes fortes como o Ipatinga e o Tupi. Ambas com campo de treinamento e estrutura superior à nossa. Agora é momento de recomeçar. É hora de preparar o time para as competições que estão por vir. Atual campeão da Taça Minas Gerais, temos a missão de defender o título. Por outro lado, já é tempo de se pensar na disputa da Série D e pensar em voos mais altos. No mais, parabéns aos atletas e principalmente à torcida do Uberaba Sport Club. Aos primeiros, pelo esforço. Aos demais, pela fantástica demonstração de apoio. Bom final de semana a todos!
  • Renato-SP, no PHD: Muito boa resenha. Ontem tudo conspirou a favor. Parece que estamos entrando numa maré boa. O time fez segundo jogo importante de maneira segura. Forte na marcação e muito perigoso no ataque. Vou repetir sobre o Henrique, ele não para de evoluir. Na marcação parece uma máquina e agora tá até fazendo fila. Fabinho Alves recuperou-se do marasmo que o assolava. Fabrício vem recuperando-se fisicamente. Os olhos dele estão quase totalmente arregalados. Quando ficarem completamente esbugalhados ninguém segurará nossa meiúca. Entrando na maré boa, até a dupla de transmissão do PFC foi boa. Marcos Leandro narrou com empolgação e não deixou aquelas lacunas enormes de silêncio que costuma deixar. E o comentarista também foi bem. Só esqueci o nome do figura.
  • Rogério, no PHD: O Cruzeiro nem precisou imprimir um ritmo mais forte pra vencer o jogo, mas precisou levar a partida a sério e levou, pra variar não gostei do Fernandinho, não acrescentou nada a lateral esquerda quando entrou no 2ª tempo, achei o Fabinho Alves muito nervoso sem necessidade; se o juiz tivesse visto o pisão que ele deu no jogador do Uberaba poderia ter sido expulso e o jogo ficaria complicado, os demais ficaram na média, achei o Gilberto um pouco melhor que nas últimas partidas, mas ainda muito longe do jogador que ele foi no ano passado.
  • Raul Miranda Penna, no PHD: Que o juiz poderia conter um pouco os cartões, isso é fato. Mas, é verdade também que o jogador brasileiro, em grande parte é muito burro. O Marquinhos Paraná e o Rogério, beque do Uberaba, deveriam ser multados por terem faltas para cartão, totalmente desnecessárias. O MP, no meio-campo, com o Gilberto na jogada e o jogador deles, do lado da pequena área do Cruzeiro.
  • Ernesto Araujo, no PHD: Eu vejo o Kléber movimentando-se mas stá difícl as bolas chegarem nele. Precisa melhorar esse último passe e os lançamentos. Às vezes o Kleber também fica muito isolado. Largam ele no meio da marcação. Mas, por outro lado, o Kleber também as vezes ainda tem aquelas de segurar muito a bola.
  • Walfrido Jr., no PHD: Tá faltando o Gilberto. TR joga pra abrir a defesa. Os laterais também abrem. Os volantes chegam de surpresa. Falta o Gilberto voltar a acertar aquelas bolas enfiadas, as tabelas, os chutes… aí a vida do K30 melhora! To gostando muito do futebol cada dia mais solidário dele.
  • Naldo Morato, no PHD: No Mineirão, o Cruzeiro foi surpreendido pelo Uberaba, que veio com um esquema bem montado tentando neutralizar as principais jogadas e peças celestes, e quase conseguiu, tanto que, por pouco, o Zebu não venceu. Desta vez, o Cruzeiro mandou força máxima para o jogo de volta, com Gil no lugar do Thiago Heleno, Paraná deslocado para a laterla-esquerda no lugar do Diego Renan, Fabrício no meio e Fabinho Alves que já vinha jogando. Ciente que não tinha feito uma boa apresentação no Mineirão e disposto a apagar a má impressão do primeiro jogo , o time celeste foi contudo pra cima do Zebu. Com tranquilidade, eficiência, além de sua maior categoria, o time construiu sem maiores atropelos a vitória. Destaco os 2 gols de falta, lances que andavam sumidos no time celeste. A bola que o Gil acreditou, buscou na linha de fundo e mandou pro Leonardo Silva fazer o 1ª gol, a luta do Kleber, que apesar de não ter marcado, fez boa partida, foram os melhores momentos
  • Evandro Oliveira, no PHD: Queria dar um salve ao Danilo, garçom que atendeu aos cruzeirenses que foram ver o jogo ontem no bar Aos Democratas, em Curitiba. Televisão dedicada pra gente e muita atenção com ótimo atendimento e um chope honestíssimo. Salve!!!

Transmissão

  • GloboMG

Fonte