Tupi 3x2 Cruzeiro - 07/03/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Uberaba.png Gol aos do Escudo Deportivo Itália.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Uberaba.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x2 Escudo América-MG.png
No estádio Mário Helênio
Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Tupi.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
Contra Tupi
Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Tupi.png

[edit]

Escudo Tupi.png
Tupi
3 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
8ª Rodada Campeonato Mineiro 2010
Data: 7 de março de 2010 Local: Juiz de Fora, MG
Horário: 17h00 Estádio: Mário Helênio
Árbitro: Alício Pena Júnior Público pagante: 7.844
Assistente 1: Helbert C. Andrade Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marcelo F. dos Reis Renda: R$ 67.050,00 R$ 67.050
Cr$ 67.050
NCr$ 67.050
Cz$ 67.050
NCz$ 67.050
(preço médio: R$ 8,55 )
Súmula: Súmula
Escalações
Tupi: Cruzeiro:
1. Jeferson 1. Fábio
2. Henrique 2. Jonathan Cartão amarelo recebido aos  (1)
3. Adalberto 3. Gil
4. Fabrício Soares Gol aos 47 do 47' Cartão amarelo recebido aos 33. Caçapa Cartão amarelo recebido aos  (1)
5. Felipe Santos Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 16. Darlan ) 10. Gilberto
6. Michel Substituição realizada de jogo ( 18. Yan ) 5. Fabinho Alves Substituição realizada de jogo ( 17. Thiago Ribeiro )
8. Leo Salino Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 7. Pedro Ken  Gol aos 46 do  (2T) 46'  (2T)
7. Gedeon Cartão amarelo recebido aos Gol aos 80 do 80' 8. Camilo Cartão amarelo recebido aos  (1)
11. Chiquinho 12. Roger Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 14. Marquinhos Paraná Cartão amarelo recebido aos )
10. Robson Substituição realizada de jogo ( 14. Paulo Roberto ) 9. Eliandro
9. Ademilson Gol aos 45 do 45' 11. Anderson Lessa Cartão amarelo recebido aos  (1) Gol aos 40 do  (1T) 40'  (1T) Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 16. Bernardo )
Técnico: Roberto Carlos Jovencio Técnico: Adilson Batista
Reservas que não entraram na partida
Tupi: Cruzeiro:
12. Gonçaves 24. Flávio
13. Marco Aurélio 13. Thiago Heleno
15. Adriano 15. Henrique
17. Cézar 17. Thiago Ribeiro

Pré-jogo

Com time misto, o Cruzeiro joga pra defender a liderança do campeonato e obter vantagens nos pleiofes.

A novidade será Gilberto, de olho na Copa da África do Sul, voltando a jogar de lateral-esquerdo.

Em 4º lugar, o Tupi, joga com vários reservas e tenta manter o aproveitamento de 100% jogando em casa neste campeonato.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 16h55 – Com uniformes tradicionais, times estão em campo em campo para ouvir o Hino Nacional.
  • 17h – Cruzeiro começa o jogo.
  • 02 – Gedeon chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 04 – Jonathan faz jogada individual pela direita, Jefferson sai do gol e defende a seus pés.
  • 05 – Ademilson é lançado na área, Fábio abafa o chute do artilheiro do campeonato e salva gol certo.
  • 08 – Gedeon cobra escanteio pela esquerda, bola passa por toda a área, ninguém arremata. Tiro de meta para o Cruzeiro.
  • 09 – Caçapa vacila, Henrique fica com a bola, recebe falta do beque, mas o Juiz marca escanteio.
  • 10 – Gedeon cobra o escanteio, Pedro Ken corta, de cabeça.
  • 11 – Gilberto toca de letra pra Eliandro, na área. Centroavante não domina a bola, que sobra pra Anderson Lessa, que não consegue arrematar.
  • 13 – Eliandro domina na área, gira sobre Henrique e cruza. Anderson Lessa não alcança a bola.
  • 15 – Roger chuta de fora da área, Jefferson defende.
  • 18 – Leo salino escapa pela direita, cruza Caçapa corta de cabeça pra escanteio.
  • 20 – Fabinho Alves lança Jonathan, que cruza direto pra linha de fundo.
  • 22 – Jonathan demora a cobrar lateral e recebe cartão amarelo.
  • 24 – Lesssa passa a PFabrício, que chuta defora da área, pra fora.
  • 25 – Ademílson recebe lançamento, ganha disputa com Caçapa, Fábio sai da área e corta com os pés.
  • 26 – Felipe Santos puxa Gilberto pelo ombro e recebe cartão amarelo.
  • 27 – Cruzeiro tem 57% de posse de bola.
  • 28 – Camilo Fabinho Alves, que é desaramdo por Michel.
  • 29 – Roger cruza da direita, Fabrício Costa corta de cabeça.
  • 31 – Ademílson cruza da direita, Fábio defende.
  • 33 – Jonathan cruza, Adalberto coprta de cabeça, dentro da área.
  • 34 – Bola murcha! Jonathan toca pra lateral e o Tupi bate lateral com bola cheia.
  • 35 – Camilo derruba Leo Salino e recebe cartão amarelo.
  • 36 – Chiquinho chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 37 – Finalizações: Tupi 4×3.
  • 38 – Gedeon sobe com braços abertos e acerta cotovelada em Anderson Lessa, que sai de campo com a boca e o nariz sangrando.
  • 39 – Gil comete falta em Gedeon, que cobra rasteiro para ebtrada da área. Chiquinho fora ao tentar arrematar.
  • 40 – Camilo, da esquerda, lança Anderson Lessa que rodopia sobre seu próprio eixo, fica de frente para o arco e acerta uma bomba, rasteira, de canhota. A bola entra no canto esquerdo de Jefferson, que salta mas não consegue defendê-la. Cruzeiro 1×0.
  • 43 – Anderson Lessa serve Eliandro, que invade a área e chuta prensado com Adalberto. Bola reboteia no atante e sai pela linha de fundo.
  • 45 – Ademilson, livre na ponta esquerda, corta Gil e chuta forte no ângulo superior esquerdo de Fábio, que só espia a bola entrar em seu ângulo esquerdo. Tupi 1×1.
  • 47 – Fim de 1º tempo. Finalizações: 5×5. Faltas: Tupi 12×7.
  • Ademílson: “Fui feliz e acertei a bola no ângulo; vamos voltar para o 2º tempo pra vencer.”
  • Anderson Lessa: “Levei uma cotovelada, mas já estou bem. O Ademílosn foi feliz ao certar um belo chute.”

Segundo Tempo

  • 18h03 – Começa o 2º tempo.
  • 00 – Bernardo substitui Anderson Lessa. Marquinhos Paraná substitui Roger Secco.
  • 02 – Gedeon cobra falta, pela direita, Henrique fica com o primeiro rebote da defesa, corta Marquinhos Paraná e chuta forte. Fábio defende, mas a bola sobra na pequena área pra conclusão de Fabrício Soares tocar pras redes. Tupi 2×1.
  • 04 – Gilberto se choca com Felipe Santos, que fica caído no gramado.
  • 06 – Leo Salino chuta de longe, Fábio defende.
  • 07 – Marquinhos Paraná passa a Bernardo, que chuta da entrada da área, por cima do travessão.
  • 08 – Marquinhos Paraná lança Jonathan, que cruza da direita. Chiquinho corta.
  • 09 – Eliandro leva no peito por toda a intermediária do Tupi, mas é desaramdo por Michel, dentro da área, quando tenta arrematar.
  • 10 – Camilo está na lateral-esquerda, Gilberto na armação, Bernardo próximo de Eliandro no ataque e Marquinhos Parná é o volante que sai para o apoio ao ataque.
  • 11 – Marquinhos Parana tabela com Eliandro e chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 14 – Pedro Ken cruza da dreita, Gilberto disputa a bola com Adalberto, que concede escanteio.
  • 15 – Henrique chuta de longe, pra fora.
  • 16 – Bernardo sofre falta de Leo Salino. Faltas: Tupi 13×12.
  • 17 – Gilberto passa a Jonathan, que invade a área e chuta rasteiro. Jeferson defende com dificuldade.
  • 18 – Caçapa comete falta na ponta direita e recebe o cartão amarelo.
  • 19 – Darlan substitui Felipe Santos. Gedeon cobra falta pela direita, bola sai do lado oposto.
  • 20 – Leo Salino comete falta em Jonathan e recebe o cartão amarelo.
  • 21 – Gedeon derruba Jonathan e recebe cartão amarelo.
  • 22 – Gilberto cobra falta, bola passa por toda a extensão da área. Juiz marca falta de Gil em Fabrício.
  • 23 – Gedeon derruba Jonathan e recebe cartão amarelo.
  • 24 – Camilo cruza, Gil escora de cabeça para Gilberto, que chuta em cima da zaga.
  • 25 – Começa chover. Thiago Ribeiro substitui Fabinho Alves.
  • 26 – Paulo Roberto Prestes Jr. substitui Robson.
  • 27 – Marquinhos Paraná reclama da marcação de uma falta simulada por Leo salino e recebe cartão amarelo.
  • 28 – Gedeon levanta na área, Paulo Roberto desvia para o gol, mas o árbitro anula o gol.
  • 29 – Chove muito no Estádio radialista Mário Helênio.
  • 30 – Gedeon cobra falta pela dieita, bola entra no canto esquerdo de Fábio. Bandeira marca impedimento do ataque. Lance duvidoso.
  • 32 – Ademilson receb lançamento em profunidade, Fábio sai na intermediária e corta. Na sequencia, Gedeon chuta do meio campo, mas a bola não chega ao gol.
  • 33 – Yan substitui Michel.
  • 35 – Yan lança do meiod e campo para Gedeon, que aparece na entrada da área e toca rasteiro, na saída de Fábio, pras redes. Tupi 3×1.
  • 37 – Thiago Ribeiro invade a área, limpa a marcação e cruza rasteiro, ninguém aparece pra arrematr a jogada.
  • 38 – Thiago Ribeiro lança Eliandro, que domina e cruza. Fabrício Soares corta.
  • 39 – Torcida do Tupi pede “mais um gol e chama Cruzeiro de timinho.
  • 40 – Leo Salino comete falta em Camilo, recebe o 2º amarelo e o vermelho.
  • 41 – Bernardo cobra forte, Jefferson defende. No rebote, Gil cruza, Adalberto corta pra escanteio.
  • 42 – Thiago Ribeiro levanta na área, Pedro Ken comte falta em Adalberto.
  • 43 – Fabrício Soares faz cera na cobrança de falta e recebe cartão amarelo.
  • 44 – Jonathan cruza, Adalberto corta.
  • 45 – Chuva intensa.
  • 46 – Após longa troca de passes, Bernardo escora para Pedro Ken, que chuta rasteiro, de canhota, no canto esquerdo de Jefferson, que salta mas não segura a bola, que entra em seu canto esqeurdo. Cruzeiro 2×3.
  • 48 – Jonathan cruza, Bernardo, dentro da pequena área, cabeceia à direita do gol do Tupi.
  • 49 – Thiago Ribeiro limpa a marcação e chuta de fora da área, Jefferson defende.
  • 49 – Fim de jogo.
  • Fabrício Soares: “Nosso ideal é vencer todas em casa, não importa qul seja o adversário. Tiver sorte e marquie um gol importante.”
  • Fábio: “Fizemos um gol e tivemos outra oportunidade, mas não marcamos. Tomamos outros gols por falta de atenção. Foi bom para colcarmos os pés no chão.”

Atuações

  • Adílson Batista – Percebeu que o time tinha buracos na defesa, não conseguia armar jogadas e havia perdido o meio de campo na etapa inicial. Tentou arrumar a casa com as substituições, mas o gol de desempate logo no início da etapa final deu a faca e o queijo ao Tupi, que não desperdiçou o banquete. Está na hora de garimpar alguns jogadores na base pra ter opções mais confiáveis. Jogador rodado no banco ajuda pouco. Melhor contar com a fome de bola e de sucesso da garotada.
  • Torcida – Compareceu em bom número, apoiou o time e, na volta pra casa, deve ter apanhado chuva forte na estrada. Ou alguém acredita na existência de tantos cruzeirenses em Juiz de Fora?
  • Fábio – Salvou um gol e levou quatro, um deles mal anulado. Foi surpreendido pelo chute certeiro de Ademílson no 1º gol do Tupi e nem foi na bola. Se fosse, também não defenderia. A novidade é que, com a defesa reserva à sua frente, está se aprimorando na função de líbero. Neste jogo, foram três saídas providenciais da área.
  • Jonathan – Foi ala e como tal, fica absolvido pelo gol de empate do Tupi. Correu muito, buscou sempre o ataque, mas, no fim das contas, pouco resultado concreto alcançou.
  • Gil – Não conseguiu controlar Ademílson e Robson. Menos ainda os volantes que se projetavam de vez em quando. Trocando em miúdos: esteve perdidão.
  • Cláudio Caçapa – Sério, compenetrado, quer fazer sempre o melhor, mas os reflexos já não ajudam. Contribui mais quando entra para garantir resultados cortando bolas levantadas sobre a área.
  • Gilberto – Entrou na lateral-esquerda. Ou na ala esquerda, dependendo do posicionamento de Fabinho Alves. E não produziu nada pela beirada do campo. No 2º tempo, virou meia e teve lampejos do bom armador que foi em 2009.
  • Fabinho Alves – Começou como 3º beque, pelo meio da zaga. No 2º tempo foi mais volante. E perdeu o duelo para o meio de campo do Tupi povoado por jogadores mais dinâmicos do que os cruzeirenses.
  • Pedro Ken – Correu muito e foi recompensado com um gol aproveitando jogada de Marquinhos Paraná e Bernardo. Está em fase de construção.
  • Camilo – Como armador, fez o lançamento para o gol de Lessa. Como lateral-esquerdo, no 2º tempo, esteve sóbrio.
  • Marquinhos Paraná – Se não der aula de bola, é o primeiro a ser ripado pelos cornetas. Eles jamais o perdoarão por dois anos de aborrecimentos, desde que ele calou as vaias recebidas em seus primeiros 20 minutos com a azul-estrelada. E, como se sabe, ódio de corneta é pra sempre. Entrou no 2º tempo pra tentar equilibrar o jogo no meio de campo, totalmente controlado pelo Tupi no 1º tempo. Mas não teve nem tempo de agir, pois o desempate aconteceu logo e permitiu que o time local recuasse a marcação e tirasse os espaços dos armadores celestes. Ainda assim, foi ele quem empurrou o time para o ataque com alguma qualidade.
  • Bernardo – Devia ter arriscado mais chutes e tabelas, pois entrou com a incumbência de jogar ao lado de Eliandro. Como não deu conta, voltou pra armação e ficou encaixotado na marcação do Tupi.
  • Roger – Muita disposição, quase nenhuma inspiração.
  • Eliandro – Lutou o tempo inteiro, mas quando descolou oportunidades pra arrematar, a defesa alvinegra chegou antes.
  • Anderson Lessa – Mais desinibido de que nos jogos anteriores, arriscou jogadas, e fez belo gol após um autodrible com um giro de 360º seguido de chute certeiro.
  • Thiago Ribeiro – Entrou com a missão de abrir a defesa jogando pelas pontas e cumpriu sua obrigação. Mas a defesa do Tupi não estava disposta a colaborar e nenhum cruzamento ou tentativa de tabela que ele arriscou resultou em gol. Outro que os cornetas não perdoam. Se entrou, tinha obrigação de virar o placar na marra. Este não conta com o benefício da dúvida. Está errado até prova em contrário.
  • Tropeiristas – Derrota é motivo de intensa euforia pra eles. Cada um tem seu desafeto pra ajustar contas. Adílson, Paraná, Ribeiro, Jonathan, Camilo, a lista é imensa. Como o time jogou mal, a semana começa com as cornetas tocando festivamente. Quem sabe, no País do Banho Rapidinho, a casa do treinador não caia de vez? Este seria o grande prêmio. Tem gente que nem vai dormir direito esperando uma vitória do Itália.
  • Juiz & Bandeiras – Se a bola não desviou na cabeça de Ademílson, e parece que não desviou, o gol do Tupi foi mal anulado pelo simples fato de que, em situações de duvidoso impedimento, deve-se beneficiar o ataque. É o que manda a Fifa. De resto, atuação normal.
  • Tupi – Aplicou contra o Cruzeiro o mesma tática que o bicampeão estadual usa com eficiência: marcação forte na intermediária e jogo vertical quando recupera a bola. Venceu o duelo pelo controle do meio de campo e quando teve o gol à disposição errou pouco. Henrique foi um lateral agressivo, Adalberto e Fabrício, defensores firmes, e Ademílson, um azougue no ataque. No meio de campo Felipe, Gedeon, Salino, Chiquinho e Yan foram dinâmicos na marcação e nas escapadas ofensivas. Leonardo Condé, treinador de apenas 31 anos, mostrou serviço. Não perdeu a oportunidade de se consagrar jogando contra um time meia-boca do Cruzeiro.

O que foi dito após o jogo

  1. Chaves, no PHD: Gilberto jogou bem. Gostei da movimentação e visão de jogo dele. Eliandro mostrou ser um garoto de muita personalidade. Ainda bem que o Inter não conseguiu aliciá-lo.
  2. Walfrido Jr., no PHD: O Cruzeiro não merecia, mas quase empata. Bernardo perdeu um gol incrivel. O que mais me preocupou foi a derrota física. Não na resistência, mas na explosão e na força mesmo. No mano a mano os tupis sempre se deram melhor. Ressalva feita ao Eliandro, esse mostrou a explosão e força da juventude que tem. Esta derrota não pode ser mais que apenas uma derrota de um time com o foco na Libertadores, com um time muito mesclado, sem entrosamento e pior, sem muita vontade. Deveria jogar a vera? Deveria. Tentou, correu mas sempre com o freio de mão meio puxado e não se deu bem. E o Tupi jogou como se valesse vaga pra Libertadores. Comemorava carrinho, bola explodida, chute pro mato… E a torcida emplumada parecia misturada aos Tupis se divertindo com um galo vencendo a raposa.
  3. Mateus no PHD: Eliandro jogou bem. O cara é um tanque, estilo Júlio Baptista de atacante. Vai empurrando até encontrar o gol, além de ter ótimo posicionamento. Belo gol do Anderson Lessa. Verdade seja dita, o ataque se salvou. A zaga foi mal, mas falta entrosamento pros dois, além do fato de terem sido sobrecarregados pelas péssimas atuações de Fabinho Alves e Camilo. Gilberto foi bem, marcou bem como lateral e quando saiu pro jogo fez com qualidade. Não lembro de nenhuma jogada nas costas dele. Fabinho Alves e Camilo foram nulos e eu gosto do futebol do Fabinho Alves. O Camilo não me engana. Roger e Pedro “Who” não conseguiram arrumar nada porque os dois volantes não davam uma bola certa. Mas achei equivocada a substituição do Adílson. Marquinhos Paraná entrou razoavelmente bem, Bernardo nem tanto.
  4. Matheus Penido, no PHD: Ouvi gente dizendo que o Fábio levou um frangaço. Se o conceito de frango fosse tão amplo como imaginam alguns torcedores todos os jogos terminariam 0×0 se os goleiros não levassem inúmeros frangaços. A defesa esteve muito mal. Gil ainda precisa melhorar muito pra se tornar um beque realmente confiável e Caçapa já não tem mais a força de outros tempos. Nesse momento, a titularidade tá se oferecendo a Leonardo Silva e Thiago Heleno. Pra piorar, o Fabinho Alves té numa moleza de dar dó. Talvez seja o caso de recomeçar a carreira no Sanca.
  5. Fábio, goleiro do Cruzeiro: A gente avisou antes da partida. Fizemos um gol, tivemos oportunidades de fazer outros. A equipe adversária fez um gol, num chute feliz do atacante. A gente tinha de voltar de outra forma pro 2º tempo. Não foi assim. Tomamos mais dois gols por falta de atenção. No final, tentamos o empate, quase conseguimos. É bom para colocarmos os pés no chão e vermos que temos que correr bastante. Não podemos achar que vamos decidir a partida no momento em que acharmos melhor e não aproveitarmos as oportunidades.
  6. Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro: Os jogadores que atuaram estão com a gente desde o começo do ano. Qualquer um que entrar, tem que procurar dar o seu melhor. O Tupi marcou muito forte. Do começo ao fim, estava, praticamente, com um atacante só. Quando estavam sem a bola, eles marcaram homem a homem. A nossa equipe teve dificuldades.
  7. Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro, em seu blog: Ontem, eu acabei sendo poupado contra o Tupi e, infelizmente, não pude ajudar o time a vencer a partida. O time começou bem, mas acabamos vacilando e dando oportunidades para o adversário virar o jogo. Essa derrota serviu para nos alerta para o próximo confronto, diante do Deportivo Itália. A Libertadores não permite erros, pois um equívoco pode ser fatal, assim como foi contra o Tupi. Temos que ter total atenção nesse importante duelo.
  8. Adílson Baptista: Foi um bom jogo, contra uma equipe bem treinada, bem postada. Pecamos por erros nossos, mas não podemos tirar os méritos do Tupi. Tivemos chances pra fazer e não fizemos e o adversário criou oportunidades e fez os gols. O Tupi foi mais eficiente, marcou bem, saiu rápido. Parabéns aos seus jogadores e ao treinador. Não dá para ficar justificando, lamentando. Em todo jogo fazemos uma edição, montamos 25 dos 90 minutos, explicamos, mostramos, para ir corrigindo. Já são dois anos e três meses que fazemos isto. Não precisa perder pra aprender. Só que tem coisas que a gente vai mostrando dentro de campo. Temos que ter os devidos cuidados, a devida atenção. Agora, temos de pensar pra frente e trabalhar pro jogo com o Deportivo. Vamos com um time forte pra vencer lá na Venezuela. A gente tem que ter atenção, cuidados e respeito, porque é muito importante a vitória.
  9. Leandro Mattos, em seu blog: A tarde de domingo foi de muitos gols no estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de fora, e o Tupi fez valer seu mando de campo, embalado pela ótima fase de seu artilheiro, Ademílson, principal goleador do Campeonato Mineiro até agora, com oito tentos e média de um por compromisso. Os 3 a 2, de virada, encerraram um tabu de 23 anos sem vitória dos carijós sobre a Raposa. Apesar do revés, os estrelados seguem supremos na tabela de classificação, na liderança isolada, com dois pontos a mais do que o Ipatinga. A última vez que o Tupi tinha batido o Cruzeiro, eu estava nas arquibancadas, em Juiz de Fora, no dia 12 de junho de 1987. Foi lá, acompanhando o Tupi, desde os meus 08 ou 09 anos, ainda no acanhado estádio Salles de Oliveira, que comecei a gostar do mundão da bola. Sem tempo para lamentar o tropeço, Adílson Batista e seus comandados já pensam no duelo contra o Deportivo Itália, em Caracas, na quinta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores da América. A meta é vencer o limitado time venezuelano e torcer por um tropeço do Vélez, no dia 16, o que daria ao time celeste a liderança de sua chave.
  10. Mário Marra, em seu blog: Não é o caso de falar que o Cruzeiro perdeu, o Tupi venceu seria melhor colocado. O time de Juiz de Fora soube jogar e marcar. Marcar o Cruzeiro todos tentam, entretanto, o Tupi procurou sair para o jogo e até por isso fez três gols. Preocupado com a agenda e o ritmo dos atletas, o Cruzeiro poupou vários jogadores e ainda assim entrou com um time interessante. Com sérios problemas defensivos, Léo Condé também não teve força máxima. Entretanto, o Tupi tinha as funções bem determinadas e definidas. O primeiro tempo terminou empatado em 1×1. Anderson Lessa abriu o placar e Ademílson fez um belo gol. Fábio, que dificilmente erra, não acreditou em um chute maluco e bem dado e a bola entrou. Com Bernardo e Paraná nos lugares de Anderson Lessa e Roger, o Cruzeiro pouco melhorou e encontrou um adversário cheio de motivação e bem posicionado. Fabrício Soares fez o gol da virada no início do segundo tempo. O Cruzeiro pouco usou os lados do campo e o Tupi cortava e saía em alta velocidade. Uma bobeada no meio e na zaga foi o suficiente para Henrique achar Gedeon na entrada da área, o meia/volante bateu com calma na saída de Fábio. Léo Salino colocou mais pimenta na partida e foi expulso aos 40. O Cruzeiro foi pra cima. Thiago Ribeiro entrou e tentava jogar pelos lados. Jonathan assumiu a meia. Na pressão, Pedro Ken bateu de fora da área e diminuiu. A posse de bola era toda azul e Bernardo conseguiu perder o gol de empate, cabeceando da pequena área para fora. Fim de jogo: Tupi 3×2 Cruzeiro. Foi a segunda derrota do Cruzeiro, que perdeu para os dois melhores times do interior em situações bem distintas. Quando perdeu para o Ipatinga o contexto era outro. Início de ano e Potosí na cabeça. Agora foi diferente. O Tupi jogou um bom futebol e aproveitou as oportunidades e os erros do Cruzeiro. A derrota não deve alterar nada no Cruzeiro. O time continua bom e bem treinado. Mas se for possível apreender algo… Camilo não é do mesmo nível dos outros jogadores e Pedro Ken vem crescendo. Caçapa está mais lento e desligado, Roger está abaixo dos outros no lado físico. Sem o jogo forte das laterais e sem as saídas de qualidade pelo meio de Henrique e Paraná o Cruzeiro perde o um pouco do brilho e se torna apenas um bom time. Com velocidade pelos lados, com Henrique, Paraná e Fabrício pelo meio e Kleber e T. Ribeiro no ataque o Cruzeiro é diferente dos outros.
  11. José Roberto Torero, em seu blog: Escorregão: O Cruzeiro bobeou e, com um time misto, perdeu para o Tupi. Mas a fórmula do Mineiro permite muitos escorregões.


Transmissão

  • Sportv
  • GloboMG

Fonte