Siderúrgica 0x5 Cruzeiro - 17/10/1965

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 4x0 Escudo Renascença.png Gol aos do Escudo Atlético-MG.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 4x0 Escudo Renascença.png Gol aos do Escudo Atlético-MG.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 4x0 Escudo Renascença.png Gol aos do Escudo Atlético-MG.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Contra Siderúrgica
Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Siderúrgica.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 8x3 Escudo Siderúrgica.png

[edit]

Escudo Siderúrgica.png
Siderúrgica
0 × 5 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
10ª rodada do Campeonato Mineiro 1965
Data: 17 de outubro de 1965 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: Não disponível Estádio: Mineirão
Árbitro: Joaquim Gonçalves Público pagante: 9.776
Assistente 1: José Gomes Público presente: 10.400
Assistente 2: Geraldo Toledo Renda: Cr$ 9.308.000,00 R$ 9.308.000 <br />Cr$ 9.308.000 <br />NCr$ 9.308.000 <br />Cz$ 9.308.000 <br />NCz$ 9.308.000 <br /> (preço médio: Cr$ 952,13 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Siderúrgica: Cruzeiro:

1. Djair 1. Tonho Substituição realizada de jogo ( Valdir )
2. Gerladinho Cartão vermelho recebido aos 2. Pedro Paulo
3. Carlos Martins 3. William
4. Chiquito 4. Vavá
5. Dawson Laviolla 5. Neco
6. Edson 6. Wilson Piazza Gol aos 15 do  (1T) 15'  (1T)
7. Zé Emílio 7. Dirceu Lopes Gol aos 16 do  (1T) 16'  (1T)
8. Adair 8. Tostão Gol aos 18 do  (2T) 18'  (2T) Gol aos 25 do  (2T) 25'  (2T)
9. Noventa Substituição realizada de jogo ( Aldeir ) 9. Wilson Almeida
10. Silvestre 10. João José Gol aos 38 do  (2T) 38'  (2T)
11. Tião 11. Hilton Oliveira
Técnico: Juquita Técnico: Aírton Moreira
Reservas que não entraram na partida
Siderúrgica: Cruzeiro:

Sobre o jogo

O Siderúrgica, clube financiado pela Cia. Belgo Mineira, campeão mineiro de 1964 foi presa fácil para a Academia Celeste, que estava mais entrosada e forte a cada rodada.

Cada vez mais entusiasmado com a possibilidade de ver o Cruzeiro tornar-se o primeiro campeão da Era Mineirão, Felício Brandi buscou, no Santos, Oswaldo Rossi, o Pequeno Polegar do tricampeonato 59/60/61.

Contratou também Fábio, titular a Seleção Mineira na inauguração do Mineirão, que estava no São Paulo. Ambos ficaram no banco. O time estava tão entrosado que nem jogadores de renome conseguiam descolar uma vaguinha nele.

O 1º tempo terminou 2×0. Wilson Piazza e Dirceu Lopes, aos 15 e 16, chutando de fora da área fizeram os gols. Vitória garantida, restava saber a extensão da goleada.

Aos 37, Piazza levou pontapé de Zé Emílio e foi substituído por Oswaldo Rossi.

O time todo estava bem, mas o melhor era Hilton Oliveira que, sem ligar para o frio e o campo molhado, jogava a toda velocidade. Cansado de correr atrás dele, Geraldino apelou para os pontapés e foi expulso.

Depois, foi a vez de Noventa, esgotado com o ritmo do jogo, ser substituído por Aldeir.

Aos 18 do 2º tempo, Carlos Martins evitou gol certo de João José, mas Dirceu pegou o rebote e passou a bola pra Tostão fazer 3×0.

Aos 20, Tião saiu contundido. Com nove jogadores, o Siderúrgica foi massacrado.

Tostão, batendo pênalti de Chiquito em Dirceu Lopes, fez 4×0, aos 25.

Aos 38, Rossi recebeu lançamento de Tostão, driblou dois zagueiros e o goleiro Djair antes de tocar para o gol vazio: 5×0.

Fonte