Santos 4x1 Cruzeiro - 25/09/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Ceará.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Atlético-GO.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Ceará.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Atlético-GO.png
No estádio Arena Barueri
Escudo Prudente.png x Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Última ficha →
Contra Santos
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Santos.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Santos.png

[edit]

Escudo Santos.png
Santos
4 × 1 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
25ª rodada Campeonato Brasileiro 2010
Data: 25 de setembro de 2010 Local: Barueri, SP
Horário: 18:30 Estádio: Arena Barueri
Árbitro: Péricles Pegado Cortez Público pagante: 9.542
Assistente 1: Ricardo de Almeida Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marco Aurélio Pessanha Renda: R$ 192.530,00 R$ 192.530
Cr$ 192.530
NCr$ 192.530
Cz$ 192.530
NCz$ 192.530
(preço médio: R$ 20,18 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Santos: Cruzeiro:
1. Rafael 1. Fábio
2. Edu Dracena Gol aos 25 do  (2T) 25'  (2T) 2. Jonathan Cartão amarelo recebido aos 44  (2T) 44'  (2T)  
3. Léo Substituição realizada 48' (2T) de jogo 48' (2T) ( 17. Zezinho ) 3. Edcarlos
4. Danilo 4. Caçapa
5. Arouca 5. Fabrício Substituição realizada 13' 2T de jogo 13' 2T ( 17. Roger )
6. Durval 6. Diego Renan Cartão amarelo recebido aos 45  (1T) 45'  (1T)   Substituição realizada 23' (2T) de jogo 23' (2T) ( 16. Robert )
7. Zé Eduardo Cartão amarelo recebido aos 1  (2T) 1'  (2T)   Cartão amarelo recebido aos 19  (2T) 19'  (2T)   Cartão vermelho recebido aos 19  (2T) 19'  (2T)   7. Everton
8. Roberto Brum Cartão amarelo recebido aos 28  (1T) 28'  (1T)   8. Fabinho Alves Cartão amarelo recebido aos 10  (2T) 10'  (2T)   Substituição realizada 14' (2T) de jogo 14' (2T) ( 13. Elicarlos )
9. Marcel Gol aos 9 do  (2T) 9'  (2T) Substituição realizada 22' (2T) de jogo 22' (2T) ( 13. Alex Sandro Gol aos 43 do  (2T) 43'  (2T) ) 9. Farías Cartão amarelo recebido aos 38  (1T) 38'  (1T)  
10. Marquinhos Substituição realizada 40' (2T) de jogo 40' (2T) ( 15. Adriano ) 10. Montillo Cartão amarelo recebido aos 40  (1T) 40'  (1T)  
11. Neymar Gol aos 46 do  (2T) 46'  (2T) 11. Thiago Ribeiro Gol aos 35 do  (2T) 35'  (2T)
Técnico: Marcelo Martelote Técnico: Cuca
Reservas que não entraram na partida
Santos: Cruzeiro:
15. Adriano 12. Rafael
16. Alan Patrick 14. Gil
18. Tiago Nunes 15. Pablo
14. Rafael Caldeira 18. Wallison


Pré-Jogo

Em 3º lugar com 44 pontos, o Cruzeiro pode chegar à vice-liderança se vencer. Se perder, permanece onde está, no G3.

Cuca não poderá escalar Henrique, suspenso pelo 3º cartão amarelo, além de Leonardo Silva, Wellington Paulista e Marquinhos Paraná, contundidos.

Em 7º lugar com 35 pontos e um jogo a menos, o Santos pode subir duas posições se vencer. Perdendo, cai uma posição.

O interino Marcelo Martellote não conta com Pará, suspenso, Madson, Keirrison, Rodriguinho e Bruno Aguiar, machucados.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 18h30 – Hino Nacional
  • 18h31 – Começa o jogo. Cruzeiro todo de azul, à direita ds tribunas. Santos todo de branco.
  • 08 – Montillo cruza da esquerda, Rafael cede escanteio com um tapa.
  • 11 – Fábio sai da área e rebate com os pés bola lançada por Arouca.
  • 12 – Leo cruza da esquerda, Marcel protege a bola com o corpo, deixando Everton sem ação e arremata, da marca do pênalti. Bola por cima do travessão.
  • 13 – Neymar cruza da esquerda, Fábio defende.
  • 14 – Edcarlos fica com bola rebatida pela defesa santista e sai jogando com Caçapa.
  • 15 – Jogo equilibrado. Cruzeiro toca a bola, Santos tenta jogadas mais rápidas.
  • 16 – Montillo lança da esquerda pra área. Bandeira marca impedimento de farias, equivocadamente.
  • 18 – Bola lançada para Zé Eduardo, Jonathan toma a frente do santista e o desarma na meia lua. Torcida local pede falta. Juiz manda seguir.
  • 20 – Montillo disputa bola no meio de campo e lança Thiago Ribeiro, que cruza fechado. Rafael defende.
  • 21 – Durval cede escanteio. Montillo cobra pela direita,Dracena corta de cabeça.
  • 22 – Fabrício passa a Thiago Ribeiro, que arremata forte. Bola sai à esquerda de Rafael.
  • 24 – Marcel recebe na entrada da área e, livre, sem qualquer marcação, chuta forte,cruzado. Fábio defende salvando gol certo.
  • 25 – Edcarlos derruba Zé Eduardo próximo à meia lua. Neymar cobra, bola passa por cima do travessão.
  • 26 – Francisco Everton cruza da esquerda, Montillo não consegue arrematar.
  • 27 – Marquinhos faz lançamento longo. Fábio fica com a bola.
  • 28 – Roberto Brum comete falta em Montillo, no meiod e campo e recebe cartão amarelo.
  • 29 – Montillo chuta de longe, bola sai por cima do travessão.
  • 30 – Diego Renan chuta de fora da área, bola acerta as costas de Montillo e si pela linha de fundo.
  • 31 – Thiago Ribeiro cruza da direita, Dracena corta de cabeça.
  • 32 – Montillo lanç farias, que corta Dracena e chuta, fraco, para defesa de Rafael.
  • 33 – Roberto Brum lança Zé Eduardo, que deixa Caçapa para trás e chuta cruzado. Fábio defende.
  • 34 – Montillo desvencilha-se de três santistas no meio de campo e passa Fabrício, que rola para Thiago Ribeiro soltar uma bomba, cruzada. Bola acerta o poste direito doa arco santista.
  • 36 – Jonathan cruza da direita, defesa santista corta.
  • 37 – Montillo lança Farias em posição legal. Bandeira marca impedimento equivocadamente. O centroavante arremata pra rede e recebe cartão amarelo.
  • 38 – Thiago Ribeiro cruza da drieita, Edu Dracena cede escanteio.
  • 40 – Montillo comete falta em Zé Eduardo e recebe cartão amarelo.
  • 41 – Neymar recebe lançamento dentro da área, Fábio fecha o ângulo e o atacante chuta cruzado em cima do goleiro.
  • 42 – Danilo cruza da direita, Marcel não alcança, Edcarlos corta de cabeça.
  • 43 – Caçapa desrama Marquinhos dentro da área.
  • 44 – Montillo lança Thiago Ribeiro, entre os beques e arremta, de prima, cruzado. Bola sai à direita do arco santista.
  • 45 – Diego renan comete falta com joelhada nas costas de Neymar e recebe cartão amarelo. Marquinhos cobra falta sobre a área, Dracena cabeceia. Juiz marca impedimento do ataque santista.
  • 46 – Fim de 1º tempo.
  • Cláudio Caçapa: “Tivemos oportunidades pra marcar e não conseguimos.”
  • Roberto Brum: “Consegui dar três assistências para gol. Eu e o Arouca nos revezamos na marcação.”
  • Thiago Ribeiro: “Estou procurando explorar o lado do Leo. Acertei uma bola na trave, na outra cruzei e o farias chegou a trasado. No lance do Farias, até eu, do outro lado, vi que ele não estava impedido.”

Segundo Tempo

  • 18h33 – Times voltam a campo.
  • 18h35 – Começa o 2º tempo.
  • 30 seg – Zé Eduardo comete falta em Jonathan e recebe cartão amarelo por reclamação.
  • 01 – Leo lança Zé Eduardo. Bandeira marca impedimento equivocadamente.
  • 02 – Marcel lança Neymar, que cruza da direita. Fabinho Alves desvia para escanteio.
  • 03 – Santos toca bola de um lado pra outro em seu campo de ataque. Caçapa cede escanteio.
  • 04 – Fabrício erra saída de bola. Neymar chuta de fora da área, bola sai à esquerda de Fábio.
  • 11 – Neymar para Zé Eduardo, que cruza da direita. Marcel cabeceia torto, bola sai pela linha de fundo.
  • 12 – Edu Dracena comete falta em Montillo no meio de campo.
  • 13 – Diego rena cruza da esquerda, Danilo cede escanteio.
  • 14 – Roger Galera substitui Fabrício. Edcarlos substitui Fabinho Alves. Montillo cobra escanteio, Marquinhos corta.
  • 15 – Zé Eduardo coloca Danilo na cara do gol. O chute tem direção certas da rede, mas Edcarlos corta pra escanteio salvando gol certo.
  • 16 – Marquinhos cobra escanteio pela direita, Caçapa corta de cabeça.
  • 18 – Roger galera, do meio de campo, lança Diego renan na ponta esquerda. Bola escapa pela linha de fundo.
  • 19 – Zé Eduardo dá um tapa no rosto de Diego Renan, recebe 2º cartão amarelo e, em seguida, o vermelho.
  • 20 – Zé Eduardo gasta um minuto pra sair de campo.
  • 21 – Diego Renan cercado por dois santistas cava um lateral na ponta esquerda.
  • 22 – Alex Sandro substitui Marcel.
  • 23 – Montillo avança pela esquerda, deixa Danilo para trás e cruza. Farias cabeceia pra fora.
  • 24 – Robert substitui Diego Renan. Edcarlos comete falta em Neymar e recebe cartão amarelo.
  • 25 – Marquinhos cobra falta da ponta esquerda, Edu Dracena se antecipa a Edcarlos e cabeceia pra rede. Santos 2×0.
  • 26 – Alex sandro apanha rebote e chuta de for da área. Bola desvia em Caçapa e sai para escanteio.
  • 27 – Edcarlos derruba Neymar. Falta na meia esquerda. Marquinhos cobra, bola sai à esquerda de Fábio.
  • 28 – Montillo cobra da direita, defesa afasta sem ser incomodada pelo ataque celeste.
  • 29 – Montillo lança Elicarlos que tenta devolver, mas a bola fica com Rafael.
  • 30 Elicarlos derruba Leo na beirada doc ampo. Falta. Cuca esbraveja.
  • 31 – Arouca passa a Neymar, que dribla Edcarlos e chuta cruza, com perigo. Bola sai pela linha de fundo.
  • 32 – Montillo chuta de longa, pra fora.
  • 33 – Leo comete falta em Thiago Ribeiro. Montillo cobra da direita, Farias cabeceia. Rafael desvia pra escanteio, com um tapa.
  • 34 – Alex sandro deixa a marcação para trás e chuta cruzado. Bola sai à esquerda do arco celeste.
  • 35 – Robert acerta uma boma, cruzada, da entrada da área. Rafael salta e faz defesa espetacular. Dracena toca a bola com o peito e sobra para Thiago Ribeiro, que chuta com violência, pra rede. Cruzeiro 1×2.
  • 36 – Montillo erra cobrança de lateral. Reversáo do lance.
  • 37 – Danilo invade a área pela direita e chuta forte, por cima do travessão.
  • 38 – Thiago Ribeiro se desentende com Roger Galera por não receber passe.
  • 39 – Jonathan cruza da direita, Robert cabeceia pra fora.
  • 40 – Adriano substiui Marquinhos.
  • 41 – Edu Dracena corta de cabeça, Montillo apanha o rebote e chuta de fora da área. Bola sai por cima do travessão.
  • 42 – Adriano derruba Montillo. Roger Galera cobra com uma bomba, que Rafael desvia com um tapa.
  • 43 – Alex sandro recebe lançamento longo de Neymar, deixa Elicarlos para trás e na entrada da área, toca por cobertura. Fábio estica-se mas não intercepta a bola. Santos 3×1.
  • 44 – Jonathan derruba Neymar e recebe cartão amarelo.
  • 46 – Neymar faz carnaval pela direita, deixa Francisco Everton e Cláudio Caçapa para trás e chuta na saída de Fábio, que ainda toca mas não consegue segura a bola. Santos 4×1.
  • 47 – Neymar faz carnaval pela esquerda e cruza. Edcarlos corta. Zezinho substutui Leo.
  • 48 – Fim de jogo.
  • Alex Sandro: “Eu tinha um pulmão a amis doq eu os outros e ganhei na corrida, vi o goleiro adiantado e chutei.”
  • Edu Dracena: “Disseram que a equipe estava desunida, provamos que não está.”
  • Fábio: “Tenho que dar o parabéns pelo lance ao Alex Sandro.”

Vídeos

Atuações

  • Fábio – Falhou no 1º e no 4º gols do Santos. No 4º, foi enganado pela finalização do Neymar por entre as pernas do Caçapa, mas a bola era defensável. Esteve no nível da equipe no 2º tempo. Naldo Morato)
  • Jonathan – Muita força, nenhum brilho. Parece fora de forma devido às recentes contusões. (Síndico)
  • Edcarlos – Com a zaga exposta, sofreu com o ataque santista. Principalmente, com o Neymar, que só conseguia parar com falta. Esteve mal nas bolas altas e acabou vencido por Edu Dracena, que o venceu na antecipação no 2º gol santista. (Naldo Morato)
  • Cláudio Caçapa – Fez um 1º tempo perfeito, posicionando-se bem, reforçcando a tese de que devido a este fundamento e à boa colocação consegue dominar os atacantes. (Diogo Lara)
  • Diego Renan – Está subindo de produção e se tornando especialista em desarmes limpos, aqueles em que o adversário nem entende como a bola saiu de seu domínio. Tende a ser um ótimo lateral. (Maikon Schots) / Foi bem novamente. Enquanto esteve em campo, segurou por ali os avanços do time do Santos, inclusive quando Neymar começou a flutuar pelos dois lados. Se continuar corrigindo os fundamentos de marcação, não vai ter para ninguém na disputa pela posição. (Fabrício)
  • Fabrício – Totalmente fora de órbita. Sem as costumeiras e eficientes escaladas ao ataque, errou muitos passes e não foi voluntarioso como de costume. O preparo físico parece estar compromentendo seu futebol. (Fabrício) / É um volante bem acima da média, mas acho que, às vezes, pensa que joga mais do que realmente joga. Tenta forçar passes complicados no meio da defesa adversária, tenta sair jogando e quase entrega o ouro e arrisca chutes de fora da área sem qualquer perigo, ao invés de passar pra jogadores mais bem posicionados. Mas, ressalto, é um bom volante, que só precisa colocar os pés no chão. (Diogo Lara)
  • Fabinho Alves – Joga melhor quando fica apenas à frente da zaga, cercando ou cabeceando bolas cruzadas. Para ir mais à frente, precisa de um fôlego que já não possui. Apesar disto, sua substituição foi ruim, pois o meiod e cmapo ficou esburacado e Neymar pôde passear à vontade à frente da zaga celeste. (Síndico)
  • Elicarlos – Entrou mal, muito mal. Foi uma posta totalmente equivocada. (Diogo Lara) / Entrou pra refoçar a marcação e não funcionou. Não marcou ninguém e ainda tomou um humilhante drible da vaca de Alex Sandro. Tentou se recuparar na corrida, mas não teve velocidade. Deveria ter continuado no banco. (Naldo Morato)
  • Francisco Everton – Discreto, marcou mais do que apoiou. (Síndico)
  • Montillo – Ok, o outro Monstro venceu, mas o argentino, mesmo marcado, em revezamento, por Brum e Arouca, saiu-se bem. Fez algumas jogadas de craque. Deu sangue. Foi O Bom do Time, outra vez. (Síndico)
  • Roger Galera – É bom jogador, mas é instável. É jogador de momentos. Ideal pra entrar aos 20 do 2º tempo, com o adversário mais cansado, assim como foi contra o Atlético-MG no campeonato mineiro. Pra jogar com Montillo, que é muito ofensivo, tem que ser um volante.(Simone de Castro) / Entrou pra dar mais qualidade ao meio de campo já que o time perdia e tinha um jogador a mais. Nada acrescentou, pelo contrário, o time ficou pior. Parece que ao perceber que não tem chances de ser titular, voltou ao normal. Não se desdobrou, não ajudou na marcação, não levou perigo ao adversário, foi uma nulidade. (Naldo Morato)
  • Thiago Ribeiro – Perdeu a chance de sair mais uma vez consagrado pelas assistências. Se colocou bem, mas errou demais no último passe quando podia colocar os companheiros em condições de marcar os gols que fizeram falta no final. (Fabrício)
  • Ernesto Farías – Não demonstrou muita coisa até aqui. Tá certo, fez alguns gols, mas sempre em jogada de oportunismo. Ok, oportunismo é qualidade de centroavante, mas bom centroavante tem que fazer mais e ele não consegue incomodar as zagas adversárias. Wellington Paulista tá fazendo falta, pois tem mais mobilidade e habilidade. (Diogo Lara) / Lutou como sempre, tentou, teve um gol anulado injustamente e ainda foi punido com um cartão amarelo. Manteve o nível de sua atuações. Não sei se pode render mais do que tem rendido. (Naldo Morato)
  • Robert – Grosso, uma das piores contratações dos últimos anos. Só tem força e só serve se jogar dentro da hora pra bater cabeça com os beques. Com a bola nos pés, é fraco. (Diogo Lara)
  • Cuca – Errou feio, muito feio e acabou com a capacidade de combate do meio de campo ao sacar Fabrício e Fabinho Alves ao mesmo tempo e Diego Renan, que vinha bem. A aposta no Roger tudo bem, mas no Elicarlos não dá. E, pra piorar, colocou Robert. Não adianta encher o time de atacante grossão se perdemos equilíbrio e criatividade no meio de campo. Assim, o time não combate quando tá sem a bola e quando consegue ter a bola não faz a transição da defesa pro ataque. Mas não vamos detonar o Cuca, pois ele tem feito um bom trabalho até aqui. (Diogo Lara) / Foi ingênuo. Não aprendeu a lição do jogo contra o Guarani. Parece que se esqueceu de que o adversário era o Santos, que mesmo sem todas as estrelas do 1º turno, ainda é o Santos! (Simone de Castro) / O Cruzeiro fez um 2º tempo lastimável. No 1º, uma melhor pontaria de Thiago Ribeiro poderia ter nos colocado na frente, em que pese o gol mal anulado. No 2º, após falha coletiva de marcação no 1º gol sofrido, Cuca desarrumou o time. A entrada do Robert não se justificava, já que Wallyson vinha entrando bem nas partidas anteriores e seria opção melhor pra atacar pelas laterais. Mas o vilão da noite foi a pouca inspiração dos atletas, com raras exceções. Some-se isso ao enorme mérito do adversário e está explicada a goleada.(Marco Soalheiro)
  • Torcida – Compareceu em bom número e apoiou o time até mesmo quando a vaca já havia se encaminhado para o brejo. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras – O bandeira do lado de lá errou dois impedimentos, um contra cada time. No que prejudicou o Cruzeiro, o gol seria mais do que certo. E ainda resultou num cartão amarelo para El Tecla por ele ter concluído da jogada após o trilar do apito. A expulsão do marrento Zé Eduardo foi acertada, mas, por mal dos pecados, acabou atrapalhou o Cuca, que viu abrir-se uma falsa janela de oportunidade e saiu trocando volantes por atacantes e, bem, o final da brincadeira não foi muito legal. Trocando em miúdos: o Juiz avacalhou o Cruzeiro até quando acertou. (Síndico)
  • Santos – Está na hora de se criar uma regra impedindo um time de lançar mais de uma dúzia de talentos por ano. Caso contrário, o Santos volta aos sessenta. No 1º turno, o Cruzeiro parou “o melhor time dos últimos dez anos” completinho da silva e pensou que, agora, com apenas o Riquinho no time praiano, a coisa seria fácil. Mas qual o quê?! Apareceram outros pequenos demônios na Vila Belmiro. Como diz o talentoso Jonathan: “Já deu!” Chega! (Síndico)

O que foi dito

  • Edenilson Marra, no PHD: Perder faz parte do jogo. O Santos vencer é normal. Fora do normal é o Cruzeiro ficar que nem time de índio: todo mundo atacando e quase ninguém defendendo a oca. Aí, todo mundo sabe o que acontece: contra-ataque e gols, seja contra o Bugre, seja contra o Peixe.
  • Matheus Reis, no PHD: O Cruzeiro até fez um bom 1º tempo, mesmo jogando mais aberto. No 2º, tomou o gol e abriu-se ainda mais. Aí, o Santos foi mortal. Não quero dar uma de profeta do acontecido, mas o time não poderia ir de peito aberto, fora de casa, com os desfalques que tinha, contra um adversário de tanta qualidade. Que a lição seja aprendida.
  • Naldo Morato, no PHD: Com um jogador a mais e perdendo o jogo por 1×0, Cuca resolveu arriscar. Substituiu Diego Renan por Robert e Fabrício por Roger Galera buscando dar mais qualidade ao meio ofensividade ao time. Trocou o Fabinho Alves por Elicarlos, jogador de marcação e descançado, visando não desguarnecer o setor. Perfeito na teoria, só que na prática não funcionou. Um cara chamado Neymar resolveu entrar em cena e mandou tudo por água abaixo. Caiu pela lateral-esquerda e só fai parado com falta pelo Edcarlos, que saiu no seu encalço já que não tinha ninguém do time celeste no setor. Marquinhos cobrou, Edu Dracena se antecipou ao próprio Edcarlos e mandou pras redes. Santos 2×0 com um a menos e o moral em alta. O Cruzeiro partiu pro ataque e conseguiu fazer o seu. Continuou pressionando pra buscar o empate até a bola sobrar pro Neymar que, com um toque genial, lançou Alex Sandro. O lateral partiu em velocidade, deu o drible da vaca no Elicarlos e com um lindo toque cobriu Fábio, que saía pra fechar o ângulo. Jogada magistral, perfeita, bola indefensável. Santos 3×1. Já com o time abatido cabisbaixo e entregue, o Neymar resolveu fechar de vez a tampa do caixão. Driblou dois e mandou a bola para o barbante pela quarta vez.
  • Elias Guimarães, no PHD: Parece que a lição contra o Guarani não foi aprendida. Fabrício não pode sair. Não se pode afrouxar a marcação. Ruim com ele, muito pior sem ele. Dois meias nada acrescentou pro time e perdemos o melhor, que era a saída pela esquerda. Não entendi conmo o time voltou desligado no 2º tempo. Parece que o bom futebol do 1º, quando fomos tremendamente prejudicados, ficou no vestiário. No 2º tempo, não foi o time que nos acostumamos. Desconcentrado, frouxo na marcação e sem qq criatividade. Em suma, muuiiito ruim. Dois jogos em casa contra time da rabeira e da meiúca. Empate vira derrota. Não temos tempo pra chorar a derrota. Vamos lá, Mestre Cuca, vamos refazer a receita…
  • Jorge Schulmann, no PHD: A derrota é importante para o nosso técnico saber as fraquezas do time, que sempre ficam escondidas nas vitórias. Nossos laterais vão ao ataque e não defendem e quando tira Fabrício e não estão Marquinhos Paraná ou Henrique, o meio de campo acaba. E sem ele, não há time de futebol. Poderá fazer de tudo para emplacar Everton, Robert e todos os “Carlos”, mas não adianta. Enfim, uma página heróica jogada fora pelo técnico, no segundo tempo, e atrapalhada violentamente pelo juiz no primeiro, e a fominhagem do Thiago Ribeiro.
  • Simone Castro, npo PHD: Gente, definitivamente, e que me perdoem os fãs do Roger, mas ele é jogador para entrar nos minutos finais do 2º tempo!!! Não marca ninguém! Jogar contra o Santos aberto desse jeito, é pedir para tomar goleada! Claro que ele não foi o único responsável, mas muita gente reclamou quando empatamos com o super time do Santos do primeiro semestre. Chamamos o treinador de retranqueiro, mas ele apenas sabia o que tinha em mãos e o time do Santos tinha. Hoje era para jogarmos como time pequeno… Ao menos no 2º tempo.
  • Jonathan, lateral-direito do Cruzeiro: Poderíamos ter matado o jogo no 1º tempo, quando fomos melhores do que o Santos. No intervalo, chegou a notícia que o gol do Farías foi legal. Se o árbitro tivesse dado, as coisas poderiam ter sido diferentes. Acho que as mexidas do Cuca foram certas. Tínhamos um jogador a mais e precisávamos arriscar, mas tínhamos que ser mais organizados.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Nós estávamos com um jogador a mais. Tudo bem que o 2º gol foi em uma bola parada, mas equipe que quer ser campeã não pode tomar dois gols da maneira que foi. O jogador deles partiu sozinho com a bola contra três ou quatro marcadores nossos. Não pode ir devagar na marcação.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: Começamos muito bem, tivemos chances, mas pecamos achando que no 2º tempo a gente ia comandar também. Fizemos o primeiro gol, depois a equipe desandou e aí a gente não conseguiu, mesmo com um jogador a mais, marcar. Tenho que dar parabéns ao Alex Sandro pelo lance do gol. A jogada que ele fez foi boa, e ele foi feliz no chute, com consciência.
  • Marcelo Martelotte, treinador do Santos: O mais importante é que o Neymar entendeu que precisava mudar o seu comportamento. Contra o Corinthians e agora contra o Cruzeiro, em Barueri, ele se preocupou apenas em jogar futebol. Sofreu faltas sem revidar, sem reclamar. Esse garoto já foi castigado de todas as maneiras. Agora, colocou a cabeça no lugar e está focado apenas no seu jogo. E quando ele consegue isso, fica fácil.
  • Alex Sandro, lateral do Santos: Pela corrida que eu dei, não tinha mais perna para tentar chutar forte. A cavada era a opção. Foi um risco, mas, felizmente, a sorte estava ao meu lado. Vi que o Fábio deu um passo para trás e resolvi arriscar. Fui feliz, ficou bonito, né?
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Hoje foi um golpe duro, mas nós quisemos que esse golpe fosse duro. Foi uma goleada porque jogamos o time pra frente pra tentar empatar. Quando estava 2×1, colocamos os zagueiros pra frente, dois pontas, dois centroavantes. O torcedor sabe que o terceiro e o quarto gol aconteceram porque o time quis buscar o empate, foi um acidente de percurso. Quando o time está perdendo, temos a obrigação de jogar o time para a frente. O placar de 4×1 não reflete o que foi o jogo. No 1º tempo, o Cruzeiro foi superior, mas faltou um encaixe melhor pra chegar aos gols. Os próprios jogadores que entraram, não entraram bem como entraram em outras ocasiões. Tirei um lateral (Diego Renan) que tinha um cartão amarelo, com receio de perdê-lo, tirei um volante (Fabinho Alves) que também tinha um cartão amarelo, e entramos muito mal no jogo, não conseguimos marcar, mesmo eles com um jogador a menos. Tanto é que o terceiro e o quarto gol foram jogadas individuais, em que os jogadores pegaram a bola longe e conduziram até dentro do gol, a gente com dois, três na marcação.
  • Cláudio Caçapa, beque do Cruzeiro: Não entendi o nosso comportamento. Fizemos um péssimo 2º tempo, o resultado mostrou isso. Agora é tranquilidade, sabemos que temos dois jogos em casa, mas quem sabe essa derrota vai nos servir de lição.
  • Mário Marra, em seu blog: Algumas vitórias não dão margem a desculpas. O Santos não só venceu a equipe do Cruzeiro, o que se viu em campo foi muito mais que isso. O Santos envolveu o Cruzeiro e ainda fez a opção pela bola no chão. O primeiro tempo terminou em 0 a 0. O vestiário deu certo para o Santos e muito errado para o Cruzeiro. Neymar deu espaço ao futebol e brilhou. Não deixou Cuca perceber que ele flutuava entre os lados do campo. Aos 9, Marcel fez o primeiro gol. Cuca tentou arrumar o time não conseguiu. A opção por retirar Fabrício e deixar Everton em campo poderia até acelerar o jogo. Entretanto, o Cruzeiro parou de roubar a bola e os organizadores pararam de jogar. Não é que Montillo tenha parado de jogar, o que houve foi que o Cruzeiro parou de ter a bola e tinha um a mais na partida. Aos 19, Zé Love foi expulso. A expulsão poderia ter dado mais motivação e melhor ocupação de espaços ao Cruzeiro. Nada disso. O Santos era melhor distribuído em campo. Um erro de posicionamento da defesa do Cruzeiro custou o segundo gol, marcado por Edu Dracena. O Cruzeiro ainda diminuiu, mas o Santos sobrava. O terceiro gol do Santos foi espetacular. Neymar fez boa jogada pela esquerda e deu passe preciso para Alex Sandro arrancar. O garoto driblou Edcarlos e encobriu Fábio. Mas Neymar, que tinha participação muito boa ainda tinha que marcar o seu. O quarto gol mostrou que o Cruzeiro já tinha desistido do jogo. Neymar era praticamente o único homem no campo de ataque e ainda assim driblou e bateu rasteiro.
  • Marcelo Bechler, no blog de Lédio Carmona: O primeiro tempo de Santos e Cruzeiro foi equilibrado. O time mineiro poderia até mesmo ter saído com a vitória não fosse a bola de Thiago Ribeiro na trave ou o gol mal anulado de Farías. O Santos tinha Neymar jogando muito pelo meio, próximo a Marcel, com a aproximação de Zé Eduardo e Marquinhos também pela faixa central. Era o que o Cruzeiro queria para desarmar e contra-atacar. Depois do intervalo, Marcelo Martelotte mudou a forma da equipe se portar. Zé Eduardo abria pela direita, Neymar pela esquerda e Marcel fazia o pivô. O Santos abriu a defesa do Cruzeiro e parou de perder bolas na frente. Depois de nove minutos de pressão fez 1 a 0 e conseguiu ampliar, mesmo depois de ter Zé Eduardo bem expulso. Neymar era quem mais jogava. No canto do campo, seu futebol cresce, a marcação fica acuada e o jogador desequilibra. Após o gol de Thiago Ribeiro, Neymar deu lindo passe para o golaço de Alex Sandro e depois marcou também um belo gol. O Cruzeiro não percebeu, em momento algum, as mudanças táticas do adversário e pagou alto por isso. Com a marcação do Santos avançada, a bola não chegava a Montilo e o argentino não conseguia armar. O Santos goleou com autoridade no segundo tempo. Perder para a equipe da baixada seria um resultado aceitável, não fosse pelo detalhe que Corinthians e Fluminense, concorrentes ao título, derrotaram o Santos como visitante. A Raposa terá de se reabilitar na sequência que envolve Atléticos de Goiás e Paraná em casa, Goiás fora e depois o confronto direto com o Fluminense. Quatro jogos fundamentais para seguir na disputa pelo campeonato.
  • Juca Kfouri, em seu blog: O 0 a 0 do primeiro tempo na Arena Barueri tem três explicações: 1. Os erros no último passe, mais do Santos que do Cruzeiro; 2. As boas defesas de Fábio e a trave de Rafael, em chute de Thiago Ribeiro; 3. O erro crasso de arbitragem que roubou um gol de Farias, em posição legal, com marcação criminosa de impedimento e ainda com cartão para o cruzeirense. E veio o segundo tempo. Logo aos 9, em Barueri, Neymar deu passe açucarado para Zé Eduardo que bateu forte para defesa parcial de Fábio. O rebote sobrou no pé de Marcel para fazer 1 a 0 sem dificuldade. Aos 13, Cuca mexeu duas vezes: Eli Carlos no lugar de Fabinho Alves e Roger no de Fabrício. Aos 14 Neymar deu um lençol sensacional em Farias. O Santos tomou conta e quase fez 2 a 0 aos 15, em gol evitado por EdCarlos na linha fatal. Mas, aos 18, Zé Eduardo meteu a mão na cara de Diego Renan e foi muito bem expulso de campo. Era hora e vez do Cruzeiro. Marcel teve de sair para a entrada de Alex Sandro. E Robert substituiu Diego Renan. Mas aos 24 EdCarlos fez falta em Neymar, Marquinhos cobrou no primeiro pau e Edu Dracena enfiou a cabeça para marcar 2 a 0. A vida do Cruzeiro ficou complicada. E, por incrível que pareça, quem quase marcou de novo foi o Santos, o que só não aconteceu porque Neymar foi fominha e não deu o 3 a 0 para Arouca, aos 30. Daí, aos 35, Robert chutou, Rafael defendeu e Thiago Ribeiro pegou o rebote de primeira, num golaço: 2 a 1. Estava reaberta a perspectiva do empate que faria justiça ao time mineiro que teve um gol mal anulado no primeiro tempo. Marquinhos saiu e entrou Adriano. Mas, aos 43, Alex Sandro deu o drible da vaca em EdCarlos e meteu de cobertura em Fábio: um G O L A Ç O ! Que ainda foi complementado por Neymar, que fez 4 a 1, aos 47. Não dava para reclamar mais da arbitragem porque, afinal, com 10, o Santos marcou três vezes.
  • Bruno Pontes, no PHD: Quando ficamos com 1 a mais, o Cuca colocou o Robert pra balancear o número de jogadores em campo…
  • Maurício Sangue Azul, no PHD: O Cruzeiro fez um excelente 1º tempo, foi sensacional, o time dominou a partida e teve várias jogadas a gol desperdiçadas, especialmente pelo Tiago Ribeiro (pelo menos quatro boas chances) e um gol do Fárias anulado incorretamente pelo juiz. O 2º tempo foi horrível, pra se esquecer, apagar, pelo amor de deus! Sem comentários. Cuca mexeu errado mais uma vez. Não era jogo pra Robert e Elicarlos. Tínhamos a vantagem de 11 contra 10 jogadores, mas com Robert, o número de jogadores ficou equilibrado. Não me lembro, desde que cheguei ao Brasil em 1989, de o Cruzeiro ter levado 3 gols com um jogador a mais em campo. Isto nunca aconteceu. Que vergonha! Contra o Guarani, levou dois. Virou rotina. E o Roger? Não entendo a postura dele. Entra no 2º tempo contra o Palmeiras e dá sangue dentro de campo, carrinho e tudo mais. Hoje, estava parecendo o Marabá. Tenha a Santa Paciência! Estava com uma má vontade do cão! Isso é jogador que o Cruzeiro precisa? Saudade do Marabá, que ao menos tinha raça. Esqueçam o título, baixem a bola, vamos torcer pra classificar pra Libertdores, Esse é o Cuca que eu esperava no Cruzeiro: treinador medíocre!Saudade do Emerson Avila. Por que não deixaram esse treinador competente dirigir o Cruzeiro? Boa noite e bom domingo a todos. Amanhã, leio os cornetas do PHD. Ah, esqueci: precisamos que Henrique e do Paraná. Depois que o Paraná entrou naqueles jogos em Uberlândia, o time se acertou, Fabricio cresceu e Henrique se destacou. Fo uma pena ele ter se machucado. Com ele, não teríamos passado essa vergonha que passamos hoje. Quem leva de quatro é o rival, não o meu Cruzeiro.
  • Síndico, em seu blog: No post anterior ao jogo, Eduardo Arreguy deu sua patrulhada básica dizendo que não interessava discutir o trema proposto, ávido que estava por debater o duelo de Barueri. Depois da goleada, ele sumiu. Provavelmente, agora, esteja mais interessado no post vetado. Comentarista descompassado ou descompensado?
  • Matheus Reis, no PHD: No duelo de times indígenas, venceu a tribo dos moicanos.

Links e Fontes

Transmissão

  • Sportv