São Paulo 2x2 Cruzeiro - 15/08/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Prudente.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Vitória.png
Por Campeonato Brasileiro 2010
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Prudente.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Vitória.png
No estádio Morumbi
Escudo São Paulo.png 2x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo São Paulo.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png
Contra São Paulo
Escudo São Paulo.png 2x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x2 Escudo São Paulo.png

[edit]

Escudo São Paulo.png
São Paulo
2 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Campeonato Brasileiro 2010
Data: 15 de agosto de 2010 Local: São Paulo, SP
Horário: 16:00 Estádio: Morumbi
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden Público pagante: 12.338
Assistente 1: Júlio César Rodrigues Santos Público presente: Não disponível
Assistente 2: Fábio Pereira Renda: R$ 261.086,59 R$ 261.086,59 <br />Cr$ 261.086,59 <br />NCr$ 261.086,59 <br />Cz$ 261.086,59 <br />NCz$ 261.086,59 <br /> (preço médio: R$ 21,16 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
São Paulo: Cruzeiro:

1. Rogério Ceni 1. Fábio
2. Jean 2. Rômulo Cartão amarelo recebido aos
14. Renato Silva 3. Edcarlos
32. Samuel 4. Gil Cartão amarelo recebido aos
6. Junior Cesar 6. Diego Renan Substituição realizada de jogo ( 14. Caçapa )
29. Casemiro Cartão amarelo recebido aos Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 37. Marcelinho ) 5. Fabrício
8. Cleber Santana 8. Henrique
31. Carlinhos Paraíba Substituição realizada de jogo ( 7. Jorge Wagner ) 7. Everton Substituição realizada de jogo ( 17. Roger )
16. Marlos Substituição realizada de jogo ( 12. Fernandinho ) 10. Montillo
15. Fernandão 11. Thiago Ribeiro Gol aos do
99. Ricardo Oliveira Cartão amarelo recebido aos Gol aos do 9. Wellington Paulista Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 18. Robert )
Técnico: Sérgio Baresi Técnico: Cuca
Reservas que não entraram na partida
São Paulo: Cruzeiro:
33. Dênis 12. Rafael
35. Zé Vitor 13. Fabinho Alves
34. Bruno Uvini 16. Pedro Ken
25. Dagoberto 15. Marquinhos Paraná


Vídeos

Fotos

Pré-Jogo

Em 6º lugar com 20 pontos, o Cruzeiro pode chegar ao G4 com uma vitória.

E pode quebrar um jejum de vitórias sobre o tricolor juveno-juvêncio em campeonatos brasileiros, que já dura seis anos (7 derrotas e 4 empates).

Cuca não poderá contar com Jonathan, Leonardo Silva e Gilberto, contundidos. Mas terá a estréia de Walter Montillo, meia argentino, buscado no Universidad de Chile.

Em 13º lugar, com 16 pontos, o São Paulo poderá chegar ao 8º em caso de vitória.

Sérgio Baresi, técnico promovido do time de juniores, não terá o volante Rodrigo Souto e os beques Xandão e Alex Silva, contundidos, e Miranda, suspenso.

Dagoberto, em má fase, vai comer banco e o volante Hernanes picou a mula. Foi jogar na Lazio logo após a desclassificação na Libertadores frente ao Internacional.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 16h – Jogadores perfilados para o Hino Nacional. Cruzeiro todo de azul. São Paulo com uniforme tradicional. Os dois times com camisas de mangas compridas. Venta muito e faz frio em Sampa.
  • 16h04 – Começa o jogo. Cruzeiro à esquerda das tribunas.
  • 01 – Bola recuada, Fábio dá um chutão para o campo adversário.
  • 02 – Montillo faz boa jogada e passa WP, que é desarmado, próximo à área são-paulina.
  • 03 – Montillo passa a TR, defesa cede lateral.
  • 04 – Montilo lança TR, bola fica com Samuel. Marlos puxa contra-ataque, mas é desarmado na entrada da área celeste.
  • 05 – TR chuta cruzado, Ceni defende.
  • 06 – Rômulo recua, Fábio despacha.
  • 07 – Bob Faria, comentarista da Globo, diz que, atualmente, Fábio é melhor do que Rogério Ceni.
  • 08 – Fabrício lança WP, que é desarmado por Renato Silva quando tentava invadir a área tricolor.
  • 09 – Ricardo Oliveira recebe lançamento longo. Impedido.
  • 10 – TR passa a Montillo, que toca de calcanhar pra Henrique. O volante chuta forte, bola sai à esquerda de Ceni.
  • 11 – São Paulo ataca mais pela esquerda. Cruzeiro recua todo quando atacado.
  • 12 – Ricardo Oliveira tenta entrar na área, mas é desarmado por Gil.
  • 13 – Rômulo avança pelo meio e passa a TR, que chuta. Bola desvia na zaga e sai a escanteio.
  • 14 – TR cruza, Renato Silva corta de cabeça.
  • 15 – Oliveira coloca Cleber Santana na cara do gol. O meia solta uma bomba, que Fábio desvia para escanteio. Milagre.
  • 16 – Bola sobre a área tricolor. Renato rebate de cabeça.
  • 17 – Falta no meio de campo para o SPFC. É 3ª da partida. Bola na área, Oliveira cabeceia pra fora.
  • 18 – Edcarlos dá um chutão para o alto. Fernandão fica com ela, mas erra o passe.
  • 19 – TR escapa pela direita e cruza. Defesa cede escanteio. Na sequência, Diego Renan cruza, Renato Silva corta de cabeça.
  • 20 – Montillo lança Francisco Everton, que é derrubado na meia lua por Renato Silva.
  • 21 – Montillo cobra falta, bola cobre a barreia e sai à esquerda de Ceni, que faz golpe de vista.
  • 22 – Oliveira ataca pela esquerda e cruza. Rômulo cede escanteio.
  • 23 – Jean chuta de fora da área, Fábio acompanha saída da bola à sua esquerda.
  • 24 – Ricardo Oliveira recebe livre nas costas da zaga, invade a área e chuta forte. Fábio fecha o ângulo, bola passa por cima do travessão. Milagre.
  • 25 – Marlos cruza da esquerda, Fernandão cabeceia à queima-roupa, Fábio defende milagrosamente com a mão esquerdas.
  • 26 – Everton chuta forte de canhota, de fora da área, Ceni espalma pra escanteio.
  • 27 – Escanteio cobrado, defesa corta. Na sequência, novo escanteio. Carlinhos corta de cabeça o cruzamento.
  • 28 – Rômulo recebe cartão amarelo por trocar de camisa dentro do campo.
  • 29 – Oliveira recebe lançamento, bandeira marca impedimento equivocadamente.
  • 30 – Cleber rola para Marlos que chuta de fora da área. Fábio defende.
  • 31 – Lançamento para TR, Ceni sai da área e corta de cabeça.
  • 32 – Cruzeiro toca bola na defesa, sem chance de sair devido à marcação do tricolor.
  • 33 – Diego Renan faz lançamento longo pra WP, que não consegue dominar a bola e chuta mal, por cima do travessão.
  • 34 – Rômulo derruba Ricardo Olveira na entrada da área. Oliveira bate, Montillo rebate.
  • 35 – Casemiro derruba Henrique no meio de campo e recebe cartão amarelo.
  • 36 – TR, recuado, desarma Júnior César e cede lateral.
  • 37 – Marlos lança na área, Gil corta de cabeça antes da chegada de Fernandão.
  • 38 – Cobrança de escanteio na área do São Paulo. Renato Silva corta de cabeça.
  • 39 – Jean chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 40 – WP derruba Casemiro no meio de campo. Falta.
  • 41 – Rômulo derruba Júnior César na lateral da área. Marlos cruza, Casemiro cabeceia pras redes. São Paulo 1×0.
  • 43 – Samuel lança Marlos na esquerda. Meia passa por Gil, Fabrício cede escanteio.
  • 44 – Renato Silva marca de cabeça após cruzamento de escanteio. Vuaden marca falta do beque tricolor sobre Henrique, No mesmo lance, Wellington Paulista puxou o tricolor pela camisa.
  • 45 – Fim de 1º tempo. SPFC merecia placar mais folgado. Após 20 minutos de equilíbrio, dominou completamente a partida e teve 58% de posse de bola.
  • Henrique: “Temos que corrigir. Tomamos gol de bola parada em erro de posicionamento nosso.”
  • Casemiro: “Baresi me mandou pra área, pois na base eu fazia muitos gols de cabeça.”

Segundo Tempo

  • 17h06 – São Paulo volta a campo sem modificações.
  • 17h08 – Cruzeiro volta a campo.
  • 00 – Cláudio Caçapa substitui Diego Renan. Cruzeiro jogará no 3-5-2.
  • 01 – Carlinhos Paraíba bate falta sobre a área. Casemiro aparece livre e chuta por cima do travessão.
  • 02 – Montillo cruza da esquerda, bola bate em Jean, resvala no argentino e sai pela linha de fundo.
  • 03 – Marlos cruza da direita, Oliveira tenta e erra bicicleta.
  • 06 – Montillo cobra falta pela direita. Ceni desvia pra escanteio.
  • 07 – Henrique lança Edcarlos, que é desarmado por Casemiro dentro da área.
  • 08 – Tricolor toca bola na intermediária celeste.
  • 09 – TR cruza da direita, Júnior cede escanteio.
  • 10 – Samuel comete falta em TR. 14ª falta da partida.
  • 11 – TR cruza da direita, Samuel corta de cabeça.
  • 12 – Fabrício passa a TR, que rola pra chute forte de Montillo. Bola sai à esquerda de Ceni.
  • 13 – Gil reclama de falta cometida em Fernandão e recebe cartão amarelo.
  • 14 – Baresi reclama dos lançamentos longos. Quer mais toque de bola. Cobrança de falta ensaiada do São Paulo. Bola para Marlos, que cruza fechado. Fábio defende.
  • 15 – TR se atrapalha com a bola. Tiro de meta.
  • 17 – Marlos faz lançamento de 50 m. Fábio sai da área e dá um chutão.
  • 18 – Everton chuta, Ceni defende sem dificuldade.
  • 19 – Roger Galera substitui Francisco Everton. Em sua primeira intervenção, o meia comete falta em Marlos.
  • 20 – Edcarlos lança TR, que cruza da esquerda. Bola sai do lado oposto sem que apareça um atacante pra concluir.
  • 21 – Jorge Wagner substitui Carlinhos Paraíba. Fernandinho substitui Marlos.
  • 22 – Rômulo cruza da direita, Roger disputa com Jean pelo alto, bola fica com Thiago Ribeiro na entrada da pequena área, pela esquerda. Ele chuta forte. Ceni defende com os pés, TR fica com o rebote e cabeceia cruzado. No 2º poste, em cima da risca, Wellington Paulista cabeceia pra rede. Cruzeiro 1×1
  • 23 – Montillo lança TR, que cruza. Samuel cede escanteio.
  • 24 – Montillo cobra escanteio, WP comte dalta em Ceni.
  • 25 – Fernandinho entra na área, Caçapa corta pra escanteio. Cleber cobra escanteio, Fábio defende.
  • 26 – Cleber Santan chuta, bola sai à direita de Fábio.
  • 27 – Montillo recebe de Roger e passa a Wellington Paulista.. Samuel corta.
  • 28 – Ricardo Oliveira agride Fabrício com uma dedada no olho e recbe cartão amarelo.
  • 29 – Ricardo Oliveira lança Jorge Wagner e corre para a área. Recebe cruzamento e perde u gol por não conseguir chegar a tempo na bola.
  • 30 – Roger cruza da esquerda, Samuel corta de cabeça.
  • 31 – Montillo cruza, WP cabeceia para fora.
  • 32 – Casemiro lança Fernandinho, Gil corta de cabeça.
  • 33 – Gil avança, passa a TR, que lança Montillo. O argentino passa por Júnior César e tenta cruza, mas deixa bola escapar pela linha de fundo.
  • 34 – Rômulo cruza, Ceni defende.
  • 35 – Cruzeiro joga melhor que o São paulo, mas não consegue concluir bem.
  • 36 – Fernandão tenta lançamento, bolas sai pela linha de fundo.
  • 37 – Jorge Wagner derruba Roger Galera a 15 passos da entrada da área. WP cobra falta, bola certa barreira e volta. Ele chuta, de novo, pra fora.
  • 38 – Montillo recupera bola na entrad da grande área celeste, passa a WP, recebe na frente e e lança Thiago Ribeiro, que dribla Rogério Ceni e toca pra rede. Golaço! Cruzeiro 2×1.
  • 39 – Fernandinho tenta jogada pela esquerda, Caçapa corta pra escanteio.
  • 40 – Torcida do Cruzeiro canta: “O Morumbi calou!”
  • 41 – Robert substitui Wellington Paulista.
  • 42 – TR disputa bola com defesa paulista, Robert aparece pra ceder lateral. Marcelinho substitui Casemiro.
  • 43 – Fernandinho tenta jogada pela direita, Robert isola a bola.
  • 44 – Robert cruza da esquerda, Samuel corta de cabeça. Todo o time celeste volta pra se defender e fica na frente da área.
  • 45 – Henrique cede lateral, que Jean cobra pra Fernandinho. Atacante recebe tranco de Edcarlos, deixa o beque pra trás, entra na área e cruza rasteiro. Caçapa fura, Ricardo Oliveira se antecipa a Rômulo e toca pra rede. São Paulo 2×2.
  • 46 – Jorge Wagner cruza da esquerda, Edcarlos antecipa-se a Fernandão e toca pra escanteio.
  • 47 – Cleber recebe na entrada da área e solta bomba, bola passa por cima do travessão.
  • 48 – Ricardo Oliveira recebe lançamento nas costas da zaga e chuta forte. Bola fica na rede, pelo lado de fora. Fim de jogo. SPFC teve 54% de posse de bola. Cruzeiro foi melhor na etapa final, mas deixou escapar a vitória por uma desatenção no final. Ainda não foi desta vez que desfez a escrita que já dura seis anos.
  • Ricardo Oliveira: “O time não conseguiu repetir o bom 1º tempo. Foi um péssimo resultado, pois não podemos perder pontos em casa”

Atuações

  • Fábio - Praticou três milagres, um deles sem tocar na bola, apenas fechando o ângulo para impedir o arremate fatal de Rocardo Oliveira. E foi correto nos demais lances. (Síndico) A segurança de sempre. Salvou duas bolas no primeiro tempo em chute de Ricardo Oliveira e cabeçada de Fernandão. Não teve culpa em nenhum dos gols. (Matheus Reis)
  • Rômulo – Complicado no 1º tempo, levou cartão infantil por trocar de camisa dentro de campo e sofreu com os ataques tricolores pelos eu setor. Na etapa final, melhorou. Marcou bem e subiu com perigo ao ataque. (Síndico) Não apareceu tão bem no ataque, embora tenha feito algumas boas jogadas como numa arrancada aos 14 do primeiro tempo. Protagonizou um lance de estupidez e malemolência quando trocou o uniforme dentro de campo e tomou amarelo. (Matheus Reis)
  • Gil – Junto do Montillo, o melhor em campo. Ganhou praticamente todas as bolas pelo lado direito. Perdeu a cabeça em lance que não fez falta, reclamou com o juiz e tomou amarelo. Só precisa ter um pouco mais calma em lances como esse. Merece a titularidade. (Matheus Reis) o melhor da defesa. Despachou, limpou a área, cortou bolas perigosas e até andou desarmando na técnica quando foi posssível. Tudo isso com tranquilidade, sem se intimidar com os renomados atacantes do SPFC. (Matheus Penido)
  • Edcarlos – Nãom fosse pelo vacilo na caçada inútil a Fernandinho por ocasião do gol de empate tricolor, teria sido um dos melhores em campo. (Síndico) Perdeu a disputa pelo alto com Casemiro no primeiro gol do SPFC e levou um drible desconcertante de Fernandinho no segundo. No restante do tempo teve atuação razoável mas acabou deixando o campo com a imagem maculada pelos dois lances capitais. (Matheus Penido)
  • Diego Renan – Nosso lateral de Surubim tem usado bastante o crédito que tem por ser jovem e ser prata da casa. Mas se as atuações comprometedoras continuarem não sei como será. Gilberto de lateral-esquerdo só na cabeça de quem está despertando de uma hibernação de 12 anos… (Ernesto Araujo) Depois desta atuação, deverá comer banco nas próximas rodadas. Sua característica principal são suas ótimas subidas ao ataque, coisa que o Cuca não está o permitindo. Desta forma, seu futebol de defensor o está comprometendo. O garoto terá que aprender a marcar. (Romarol) Teve menos trabalho defensivo que Romulo já que o SPFC concentrava seus ataques pela esquerda. Ainda assim foi pouco contundenete no ataque. Em seu unico lance de brilho na partida deixou WP na cara do gol com um belo lançamento que o centroavante não conseguiu dominar. Afora essa jogada não lembrou mto aquele jogador esperto e impetuoso do segundo semestre de 2009. (Matheus Penido)
  • Cláudio Caçapa – Entrou para marcar pela esquerda e liberar Everton – depois Roger – para subir ao ataque. Marcou bem, embora quase tenha se complicado por não fazer o simples. Com o andar do segundo tempo, ficou na sobra aparecendo bem pelo lado direito e também saindo pro jogo. (Matheus Reis) Deu algumas vaciladas e andou perdendo o tempo de bola em alguns lances no começo. Com o tempo se ajeitou em campo e teve atuação segura. (Matheus Penido)
  • Henrique - Não foi tão bem. Parecia um pouco desligado embora tenha ajudado bastante ali na cabeça da área. Errou alguns passes bobos, como num contra-ataque no fim da partida que poderia matar o jogo. Na seqüência bobeou na cobrança de lateral que deu origem ao gol de empate. (Matheus Reis)
  • Fabrício – Como sempre, lutou muito. Mas ficou muito preso à marcação, sem a mobilidade de outros tempos. Também não ficaria bem prum volante arriscar-se no ataque se várias vezes o Cruzeiro colocou 11 jogadores atrás da linha da bola, não é mesmo? (Síndico)
  • Francisco Everton – Até agora não fez por merecer a titularidade. Espero que aconteça com ele o mesmo que com o Henrique que, de tanto o AB insistir com ele, acabou mostrando bom futebol. Por enquanto, só o Cuca viu mais futebol no mancebo que no Paraná. (Walterson Almeida) Ocupou a faixa esquerda do campo. Defensivamente não teve tanto trabalho porque o São Paulo não queria jogar por ali. Ofensivamente não teve tanto trabalho porque o Cruzeiro também não quis jogar por ali. Entrou duas vezes pelo meio: numa sofreu falta cobrada por Montillo e na outra chutou para defesa de Ceni. Saiu para a entrada de Roger aos 19 do segundo tempo. (Matheus Reis)
  • Roger Galera – Entrou animado, corre daqui, pula dali, mas ficou nisto. Nada de prático. Ou melhor, ao menos uma vez fez algo útil: brigou com a bola que o bandonou e foi se oferecer a Ribeiro no lance que originou o gol de empate. (Síndico) Entrou bem e deu opção para o time jogar pela esquerda. Brigou na área no lance do primeiro gol e tentou cadenciar o jogo depois que o time virou o placar. Bela participação. (Matheus Reis)
  • Montillo - Grande estréia. Um camisa dez como não se faz mais no futebol brasileiro: rápido, bom passe, lançamentos precisos. E, ao contrário de Roger e Gilberto, dá conta de jogar 90 minutos. Este vai dar trabalho aos microfonistas, seca-pimenteiras e hienas! (Síndico) Estréia de encher os olhos e, por isso mesmo, o melhor em campo. Começou muito bem até metade do primeiro tempo chamando o jogo, tentando lançamentos e ajudando na marcação. Caiu junto com o time, a partir da metade da primeira etapa. No segundo tempo continou buscando o jogo com movimentação intensa e auxílio defensivo. Interceptou uma bola na defesa, saiu rápido pro contra-ataque e enfiou bola preciosa para Thiago Ribeiro marcar o segundo gol. (Matheus Reis)
  • Thiago Ribeiro - Outro que busca o jogo o tempo todo. Dá um trabalho imenso às defesas adversárias. E é decisivo. Serviu WP no primeiro gol e fez o segundo. É outro que não dá sossego às hienas. (Síndico) Voltou a jogar bem dando a opção de velocidade pelo lado direito do campo. Voluntarioso que é, roubou algumas bolas na defesa. Movimentou-se com inteligência, como no lance do gol em que teve calma para tirar de Rogério. (Matheus Reis)
  • Wellington Paulista – Jogou como atacante de área que é. Perdeu um gol no primeiro tempo e guardou o dele no segundo. Acho que bobeu no lance do primeiro gol tricolor quando não acompanhou Casemiro. Em lance idêntico no começo da segunda etapa, Casemiro quase ampliou. Saiu para a entrada de Robert. (Matheus Reis)
  • Robert – Entrou pra manter a opção de contra-ataque. Como estava com muito gás, deveria ter dado mais apoio no lance do gol maldito. Foi meio mole na marcação. (Matheus Reis)
  • Cuca – Cuca errou as substituições. Primeiro por deixar Romulo já amarelado já que ele e DR se equivaliam, ou seja, ambos não jogavam nada; segundo, colocou o Roger e ficou sem lateral (as substituições não deram certo pois a única participação do Roger foi trombar com um zagueiro); terceiro, trocar WP por Robert faltando 5 minutos, só se aquele estivesse muito cansado e o time estivesse vencendo por 3 gols de diferença mas como os mesarredondistas falam que tem de manter a bola no ataque… (Walterson Almeida) Compensou o mau primeiro tempo da equipe com ousadia e boa leitura da partida no segundo. Fez substituições que confundiram até o comentarista da CBN Globo (ah se fosse Adílson… e ainda teve gente falando que o Cuca não inventou nada ontem), mas infelizmente não conseguiu orientar o time adequadamente pra segurar o resultado. Avaliação geral: Bom. (Ernesto Araujo) Consertou o time no intervalo. Percebeu que ninguém queria jogar pelo lado esquerdo e botou o Caçapa pra segurar as coisas ali. Quando viu que Everton não estava aproveitando o espaço, meteu o Roger e o time conseguiu a virada. Com o jogo no fim e a vitória perto, poderia ter trancado o time como anunciara que faria caso achasse necessário. O empate foi um castigo ao bom trabalho que fez na partida. Merece um puxão de orelhas –e me explico– por deixar o Rômulo trocar de uniforme dentro do campo. Se o lateral trocou é porque alguém lhe deu a camisa. E se alguém lhe deu a camisa, foi alguém que estava no banco. Como ele comanda o banco, é sua orelha que leva um puxão. (Matheus Reis)
  • Torcida – Compareceu em bom número e apoiou o time. Por voklta dos 40 do 2º tempo, conseguiu até calar a maioria são-paulina.
  • Juiz & Bandeiras – Vuaden deixa o jogo correr. Isto é bom para o futebol na mesma medida em que é ruim para os malandros. Os bandeiras também estiveram bem. Um deles cometeu um erro ao marcar impedimento de Ricardo Oliveira. Pouca coisa para um jogo tão corrido.
  • Adversários – Sérgio Baresi montou um time vivo, lutador, com bastante mobilidade. E soube trocar seus jogadores mais cansados por outros que fizeram a diferença no fim da partida. Os beques Renato Silva e Samuel estiveram bem e o volante Casemiro foi um dos destaques da partida marcando e atcando com desenvoltura. Ricardo Oliveira também fez uma grande partida, movimentando-se muito e aparecendo pra decidir empatar quando a vaca tricolor já estava atolada até o pescoço. (Síndico) Casemiro vai ser preparado para assumiu o lugar de Hernanes. É um bom volante para quem gosta de bons volantes. Marlos movimentou-se demais e deu trabalho como sempre. Junior César fez um bom primeiro tempo e Ricardo Oliveira brigou muito na frente. (Matheus Reis)

O que foi dito

  • Juca Kfouri, em seu blog: No Morumbi, o São Paulo abusou do direito de perder gols contra o Cruzeiro. Fez 1 a 0 com o menino Casemiro, no primeiro tempo, mas tomou o empate no segundo, de Wellington Paulista, num gol chorado, buscado, pouco comum. No fim, Thiago Ribeiro, quase de bola e tudo, aumentou o castigo e virou para 2 a 1, num resultado que não era o que o jogo tinha sido, razão pela qual, o empate em 2 a 2, com Ricardo Oliveira, nos minutos derradeiros, amenizou a dor tricolor, num belo jogo de futebol.
  • Marcelo Bechler no blog do Lédio Carmona: O empate e a lição: O Cruzeiro começou o jogo contra o São Paulo tomando a iniciativa do jogo: finalizou três vezes em quinze minutos e tinha Montillo organizando bem a equipe. A primeira finalização do time paulista foi com Cléber Santana, cara-a-cara com Fábio aos 15 minutos, em bola que o goleiro fez grande defesa. A partir daí a equipe de Sérgio Baresi se encontrou. Encurtou o espaço que tinha o camisa 10 adversário, não deixava o Cruzeiro armar e pressionou até o final do primeiro tempo. Antes do gol do Casemiro, o time paulista já havia perdido outras duas boas chances com Ricardo Oliveira e Fernandão – em outra excelente defesa de Fábio. No segundo tempo, Cuca voltou com Caçapa na vaga de Diego Renan. Com o meio-campo mais avançado, o Cruzeiro trocava mais passes, não esticava a bola para Thiago Ribeiro pelo lado do campo ou Wellington Paulista entre os zagueiros. Roger entrou na vaga de Everton e o passe melhorou, e o time passou a jogar ainda mais próximo. As estatísticas apontam 105 passes do time mineiro no primeiro tempo e 211 no segundo. O dobro de passes de uma equipe que apostou na bola curta e assim chegou a dois gols, o segundo em jogada de Wellington Paulista para Roger e depois Montillo lançar Thiago em diagonal para marcar. A imagem mostra o fluxo de passes do Cruzeiro no segundo tempo: Montillo era o jogador mais procurado e Thiago Ribeiro deixou o lado do campo para jogar mais próximo do gol. O antídoto de Sérgio Baresi era o contragolpe com Fernandinho na vaga de Marlos e Jorge Wagner para dar o passe longo que Carlinhos Paraíba não conseguia. O gol de empate sai em jogada pela direita, por onde a equipe paulista mais tentou no segundo tempo – como mostra a imagem abaixo. Cuca poderia ter protegido melhor sua defesa no final do jogo, recompondo o setor que foi sacrificado para tentar buscar a vitória. O empate soa como castigo ao Cruzeiro que vencia até os 45 minutos do segundo tempo, mas não é injusto pelo que produziu o São Paulo na etapa inicial. Enquanto Sérgio Baresi tenta manter o São Paulo competitivo sem Hernanes e Dagoberto, o que Cuca pode levar como lição é que o time que troca o dobro de passes no segundo tempo é bem melhor. O Cruzeiro da bola curta e que joga de maneira compacta é o que pode brigar entre os primeiros colocados no campeonato brasileiro.
  • Marcos Guiotti, em seu blog: O Cruzeiro fez um primeiro tempo sofrível contra o São Paulo. Pouca posse de bola, marcando de longe e dando espaço para os laterais do São Paulo avançarem. O Segundo foi completamente diferente. Um time mais disposto, forte na marcação e criando melhor com a entrada do Roger. Montillo se mostrou para o jogo. Tem boa bola parada e é inteligente. Consegue ver o jogo. Acho que vai dar muito certo no time do Cruzeiro. A bobeira no final do jogo não pode acontecer. Jogador não pode ter vergonha de dar um bico na bola.
  • Mauro Beting, em seu blog: Montillo estreou como se estivesse completando a centésima partida pelo Cruzeiro. Deu o gol da virada mineira para Thiago Ribeiro, em bela conclusão, aos 37. Mas os velhos problemas defensivos cruzeirenses ajudaram Fernandinho a mais uma vez escapar até a linha de fundo, e servir o artilheiro Ricardo Oliveira para empatar, aos 45 minutos. Fazendo justiça a um jogo de nove chances paulistas contra sete mineiras. De um São Paulo que mostrou mudanças, jogadas ensaiadas por Baresi, mas dificuldades para impor seu jogo diante de um Cruzeiro que vai lutar pelo G-4. Algo difícil para este São Paulo. O interino-efetivado-como-interino Sérgio Baresi estreou mudando muita coisa. Sem alternativas, escalou dupla de zaga que não havia atuado junto – Renato Silva e Samuel. Usou esquema raro no São Paulo dos últimos tempos – 4-3-1-2 -, prendendo Casemiro na cabeça da área, soltando um pouco mais Cléber Santana pela direita, segurando o travado Carlinhos Paraíba pela esquerda, deixando Marlos para articular, adiantando Fernandão para encostar, pela esquerda, em Ricardo Oliveira. O Cruzeiro usou o mesmo 4-3-1-2. Mas com um meio-campo menos talentoso e mais marcador, com Fabrício e Everton. Porém, com um Montillo iluminado, armando ataque de bom nível. O primeiro tempo igual só teve Casemiro para abrir o placar, aos 39, num cruzamento de Jean, que usava o sugestivo nome de um sócio-torcedor tricolor: Djalma Santos. Cuca retornou com três na zaga, adiantou Rômulo pela ala direita, improvisou Everton do outro lado. Mas só achou o empate, com Wellington Paulista, aos 21, três minutos depois da entrada ousada de Roger no lugar de Everton. Com um meio-campo mais criativo, o Cruzeiro foi um tanto melhor. Mas pregou no fim, e quase levou a virada tricolor. Mais uma vez faltou algo ao São Paulo. E vai ser preciso recuperar muita coisa no BR-10. Para o Cruzeiro, como no BR-09, faltou atenção no fim. Mas faltam menos coisas se comparadas ao rival paulista.
  • Mário Marra, em seu blog: São Paulo e Cruzeiro diferentes: Sérgio Baresi assumiu e revigorou a base do São Paulo. Relacionou vários meninos e fez despertar o grupo titular. É óbvio que o novo treinador aproveitou a série de lesões para mexer com a meninada. Do outro lado estava o favorito. Sim, o Cruzeiro era um time melhor e em paz. O estreante Montillo foi notícia durante toda a preparação para o jogo. Cuca também tinha desfalques, mas tinha a força do conjunto contra um atribulado, mas remoçado, Tricolor. Surpreendente foi ver que Baresi havia conseguido transformar o lento Carlinhos Paraíba em um jogador leve pela esquerda. Por lá, em cima de Rômulo, o São Paulo passou a criar muito. Júnior César saía com Paraíba e forçava Thiago Ribeiro a recuar bastante. Diego Renan não subia muito, mas dava liberdade para que Everton atacasse. O meio do Cruzeiro tinha a troca constante de Fabrício e Henrique, as escapadas de Éverton e o toque inteligente e refinado do argentino Montillo. Fernandão jogava de costas e Ricardo Oliveira era perigo constante. A movimentação de Fernandão era pouca, mas suficiente para tirar Gil da área. Em uma das muitas jogadas de Paraíba, Marlos e Júnior César, Rômulo foi batido e fez falta. Casemiro, que marcava bem e mostrava muita disposição, aproveitou bobeada da zaga para fazer o primeiro gol do jogo. Segundo tempo: O vestiário fez bem ao Cruzeiro. Cuca deixou Diego Renan de fora e voltou com três zagueiros. Caçapa, que acabara de entrar, fez a sobra. Edcarlos foi para a esquerda e Gil fez a direita. Rômulo, que poderia ter saído, passou a apoiar mais. Éverton esticava o time como quase um lateral pela esquerda. Montillo conseguia se desgarrar de Casemiro e o São Paulo foi perdendo o encanto. Era nítido que se Sérgio Baresi apostasse na velocidade para anular a sobra, o São Paulo poderia até ampliar. Cuca mexeu mais. Fez Roger entrar e a bola ficou mais azul. Aproveitando um cruzamento da direita, Roger forçou o erro da zaga. Na sobra, Thiago Ribeiro obrigou Rogério a fazer difícil defesa, mas na volta Thiago cruzou na cabeça de Wellington Paulista, para empatar. A bola continuava azul. Montillo era perigo constante e o São Paulo passou a asistir. O meia Montillo recebeu na intermediária ofensiva e achou Thiago Ribeiro em alta velocidade. Thiago com um toque tirou Rogério da jogada e fez o gol da virada. Mérito para o argentino e um prêmio para aquele que corre por muitos e fez uma partida próxima da perfeição. O gol mexeu com o São Paulo e Fernandinho foi para o jogo. O jovem Marcelinho, tido como promessa de respeito também entrou. Baresi apostou alto e arriscou ao abrir mão de Casemiro. Perto do fim do jogo, Edcarlos foi driblado por Fernandinho. Caçapa foi no bote errado (se tivesse ficado parado, obrigaria Fernandinho a tentar outro drible) e Ricardo Oliveira cutucou para o gol de empate. Novos tempos: Seria precipitado afirmar que os meninos do São Paulo vão dar um caldo melhor que o que o São Paulo conseguiu em 2010. No entanto, não é cedo para afirmar que o time mais leve é mais perigoso. Seria igualmente precipitado garantir que Montillo trouxe encanto ao Cruzeiro. Entretanto, não é exagero afirmar que ele aparenta mais qualidade no setor que Gilberto e mais participação que Roger. O camisa 10 tem tudo para dar certo. Destaques: Vale destacar, mais uma vez, que Fábio poderia ser titular da seleção brasileira. Thiago Ribeiro é o titular que todo treinador gostaria de ter. Montillo confirmou muito da expectativa criada em torno dele. Casemiro passou no teste e consegue contagiar a equipe. Carlinhos Paraíba mostrou que tem qualidades e pode ser melhor aproveitado. Ricardo Oliveira é muito rápido e perigoso. Jogador que não desiste das jogadas. Treinadores: Sérgio Baresi e Cuca foram bem. Baresi conseguiu criar a competição pela vaga de titular e dirigiu um bom São Paulo no primeiro tempo. Cuca enxergou o jogo do primeiro tempo e tomou a partida no segundo tempo. O jogo foi bem dividido e leal. Placar foi até justo pelo que os times mostraram em campo.
  • Leandro Mattos, em seu blog: E o 10 encheu os olhos: O domingo foi de emoções fortes para o torcedor estrelado. Depois de sofrer o 1 a 0 na primeira etapa, os 11 de Cuca tiveram personalidade para virar o jogo no Morumbi, diante do São Paulo, mas quando o grito da vitória já estava pronto na garganta, uma bobeada do setor defensivo permitiu o empate aos paulistas. O 2 a 2 manteve a Raposa fora do G-4, mas colada no Botafogo, com os mesmos 21 pontos dos cariocas, mas com cinco gols a menos de saldo. A frustração pelo empate aos 45 do segundo tempo foi, em parte, compensada pela atuação de Walter Montillo. O camisa 10 mostrou inteligência, toques precisos e raciocínio rápido na armação das jogadas. Foram apenas os primeiros 90 minutos, o que é pouco para qualquer avaliação justa e correta, mas a impressão deixada pelo argentino foi a melhor possível. Montillo tem tudo para ser o principal municiador dos homens de frente do Cruzeiro e, de quebra, ainda deixar suas marcas, já que também finaliza com qualidade e tem bom aproveitamento nas bolas paradas.O passe para o gol de Thiago Ribeiro, o segundo do Cruzeiro no embate deste domingo, foi um primor. Se tivesse segurado o triunfo no placar, a equipe de Cuca começaria a semana na terceira colocação da tabela. O objetivo de voltar a pisar no grupo de elite do Brasileirão volta à pauta no próximo domingo, diante do Vitória, no Ipatingão.
  • Rômulo, lateral-direito do Cruzeiro: A gente só tinha acompanhado o Montillo pelos treinos e ele mostrou no jogo que veio para somar muito. Nos ajudou muito, principalmente no segundo tempo e, quando se entrosar mais, será uma arma importante para o Cruzeiro.
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: Isso não pode acontecer. Conseguimos virar o jogo, mas, no fim o São Paulo pressionou, empatou e poderia ter até feito o terceiro. Estávamos com a vitória na mão e deixamos escapar dois pontos fora de casa, que seriam muito importantes.
  • Cláudio Caçapa, beque do Cruzeiro: Tentei ajudar a equipe, conseguimos reverter a situação. Mas, no finalzinho, tomamos um gol bobo, um gol evitável e acabamos cedendo o empate. Fico triste porque foi um gol que a gente não poderia tomar de maneira nenhuma. Conseguimos o mais difícil que era fazer os dois gols aqui.
  • Edcarlos, beque do Cruzeiro: Com os três zagueiros, nós melhoramos. Mas o São Paulo tem jogadores diferenciados. Com a entrada do Fernandinho, abriram as jogadas. Eles também necessitavam do resultado. Mas, no contexto geral, fomos bem, conseguimos parar as jogadas deles. São duas equipes grandes, com grandes elencos. Foi um grande jogo. Agora, vamos buscar o resultado em casa, contra o Vitória.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Demos mole. É muito difícil fazer gol, estar na frente. Não podemos dar essa bobeira.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: Eles fizeram um gol de bola parada, em um erro de posicionamento da gente. Temos de corrigir para evitar que isso ocorra de novo.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro: Vacilamos numa bola na lateral, deixamos eles girarem e acabamos castigados no final.
  • Walter Montillo, meia do Cruzeiro: Estou contente e um pouco triste com o resultado, porque poderíamos ter conquistado os três pontos aqui no Morumbi. É uma lástima termos levado o gol no último minuto, em uma jogada de lateral. Espero que possamos aprender com o erro e buscar a vitoria no próximo domingo. Temos uma semana inteira para nos preparar para o próximo jogo. Temos um grande time, o campeonato é longo e tomara que eu possa me entrosar rápido para ajudar o time a recuperar esses dois pontos que deixamos escapar no Morumbi. Como mandante, esses três pontos são fundamentais.
  • Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: Temos que jogar sempre assim, com muita vontade. Fizemos um grande segundo tempo. Temos que ter mais atenção, tomar cuidado. É complicado, porque conseguimos reagir e não é para qualquer um não. Tinha que ser no contra-ataque, conseguimos virar o jogo na etapa final, quando fomos mais aguerridos e com a bola nos pés pressionando, mas deixamos escapar a vitória no último minuto.
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: No 2º, o Cruzeiro foi bem, empatou, virou e faltou pouco pra gente matar o jogo. Fica a sensação da perda de dois pontos, porque o São Paulo empatou no final, em cobrança de lateral. Não fizemos a falta. É um erro que te custa dois pontos. A gente fica triste nesse aspecto, fica aquele gostinho de quero mais, porque a poderíamos estar no 3º lugar. Mas, por outro lado, ficamos contentes pela reação no 2º tempo. Prefiro enaltecer a garra e a vontade do time, que soube sair de um resultado adverso. Temos que lamentar a falta de sorte, mas enaltecer o grande jogo que a gente fez.
  • Rogério Ceni, goleiro do São Paulo: Não foi o ideal. Nosso time correu bastante. Mas isso também aconteceu contra o Internacional pela Libertadores. Mas caímos fora por causa do resultado. O time tem algumas limitações e vai precisar conviver com isso.
  • Casemiro, volante do São Paulo: Estava confiante de que faria o gol. O time vem treinando com dois zagueiros indo para a área e eu ficava na sobra. Mas o Baresi disse pra eu entrar, e deu tudo certo.
  • Ricardo Oliveira, atacante do São Paulo: Não podemos desperdiçar mais nenhum ponto dentro de casa, foi um péssimo resultado. Aceitamos a pressão deles e o Cruzeiro acabou gostando do jogo, virando o placar. Felizmente conseguimos o gol e a reação nos minutos finais, ainda tive uma chance de virar o jogo, mas não deu.
  • Sérgio Baresi, treinador do São Paulo: Não estou saindo do Morumbi satisfeito, gostaria de ter a vitória na estréia, e tenho certeza que poderíamos ter conseguido com mais calma no último arremate. Mas futebol é isso. Não aproveitamos as chances, o Cruzeiro sim. O que mais me agradou foi que o São Paulo teve um poder de reação grande. Não é fácil jogar contra uma equipe qualificada, empatar e ainda ter chance de vencer. Realmente fizemos um 1º tempo bom, o 2º ruim, mas equilibramos. Perdemos o meio, tomamos o gol e depois, de forma lançada, adiantamos mais a linha de frente. Temos que ter o equilíbrio em todos os setores, e com o tempo vamos corrigir isso. Realmente vi que o Carlinhos e o Marlos estavam cansados, e mudei, mas não surtiu efeito. O que deu certo foi o lance individual do Fernandinho, resultando no gol.
  • Maurício Sangue Azul, no PHD: O 1º tempo do Cruzeiro foi horrível. Não levamos 3 gols por causa do milagreiro se chama São Fábio. Nosso meio de campo foi muito mal no 1º tempo, foi a pior partida do Everton que estava muito bem desde a sua contratação. Pensei que o pior viria no 2º tempo, mas o Cuca arrumou a equipe com a entrada de Caçapa. O time melhorou muito e conseguimos virar o placar. Somente não entendi por que ele deixou tanto tempo o Everton em campo e muito menos a entrada do Robert pra fazer a ala. O cara nem sabe atacar, imaginem subir e marcar??? Cuca poderia ter colocado qualquer outro jogador de meio: Pedro Ken, Marquinhos Paraná ou Fabinho Alves. Nunca o Robert!
  • João Chiabi Duarte, no PHD: Em que gol o Rômulo falhou? Ah, Eduardo o Carlinhos Paraíba cortou prá dentro e cruzo?! Jogada igual a esta o Thiago Ribeiro fez 400 na partida… Bobagem querer culpar jogador… Acho que Cuca errou ao tirar o WP e colocar o Robert. Poderia ter colocado alguém pra marcar o setor esquerdo que fora enfraquecido com as saídas do Diego Renan e do Roger.. Era o caso de ter colocado o Marquinhos Paraná. Mas, é preciso dar mérito ao atacante do São Paulo, Fernandinho que mais uma vez jogou bem contra o Cruzeiro. Tivemos chances de vencer, mas parece que o São Paulo escolhe acertar tudo contra o Cruzeiro. E, no fim, quase reviraram o placar. Ganhar em casa é importante…
  • Romarol, no PHD: Inacreditável. Pensei que economizaria uma calculadora. Contra o SPFC não pode ter erro, é sina. Jogamos mal no 1º tempo. No 2º tempo, Cuca fez 2 substituições precisas. O 1º gol foi um sofrimento para bola entrar. Thiago Ribeiro deu um passe de cabeça com muita categoria para Wellington Paulista. Nodesempate, houve um passe primoroso de Montillo e Thiago Ribeiro fez um gol de craque. Na 3ª substituição do Cuca, eu teria colocado Marquinhos Paraná para o time tocar a bola. O resultado foi justo, embora para entrar no G4 foi péssimo já que tomamos gol nos acréscimos. Mas deu um gostinho de esperança e de dias melhores.
  • Simone de Castro, no PHD: Ai, ai, empate com gosto de derrota. Custava prender mais a bola, segurar lá na frente, cavar faltas? Os jogadores do Cruzeiro às vezes me parecem inocentes! Que $%#@&^*! Só valeu pela recuperação no 2º Tempo!
  • Jorge Schulman, no PHD: Meu presente de aniversário para Cuca é um relógio, já o defini. Faltando 3 minutos, ganhando de SPFC, ele substitui o WP por Robert, com Marquinhos Paraná e Fabinho Alves no banco de reservas. O primeiro para segurar a bola, o segundo para dar maior consistência na bola aérea. Estou inconformado.

Links e Fontes

Transmissão

  • Globo Minas