Palmeiras 1x2 Cruzeiro - 19/06/1996

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Palmeiras.png Gol aos do Escudo Villa Nova-MG.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
Por Copa do Brasil
Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Palmeiras.png Gol aos do Escudo Santa Cruz.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Parque Antártica
Escudo Palmeiras.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Palmeiras.png 4x0 Escudo Cruzeiro.png
Contra Palmeiras
Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Palmeiras.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Palmeiras.png

[edit]

Escudo Palmeiras.png
Palmeiras
1 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Final da Copa do Brasil 1996 - Jogo de volta
Data: 19 de junho de 1996 Local: São Paulo, SP
Horário: Não disponível Estádio: Parque Antártica
Árbitro: Sidrack Marinho dos Santos (SE) Público pagante: 29.139
Assistente 1: Público presente: Não disponível
Assistente 2: Renda: R$ 329.159,00 R$ 329.159 <br />Cr$ 329.159 <br />NCr$ 329.159 <br />Cz$ 329.159 <br />NCz$ 329.159 <br /> (preço médio: R$ 11,30 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Palmeiras: Cruzeiro:

1. Velloso 1. Dida
2. Cafu 2. Vítor
3. Sandro Cartão amarelo recebido aos 3. Gélson Baresi
4. Cléber 4. Célio Lúcio
5. Júnior Cartão amarelo recebido aos 6. Nonato
6. Cláudio Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( Reinaldo ) 7. Fabinho Silva Cartão amarelo recebido aos  (1)
7. Amaral 8. Ricardinho
8. Marquinhos Substituição realizada de jogo ( Cris ) 5. Palhinha Substituição realizada de jogo ( Edmundo )
10. Djalminha 10. Roberto Gaúcho  Gol aos 25 do  (1T) 25'  (1T)
11. Luizão Gol aos 5 do  (1T) 5'  (1T) Cartão amarelo recebido aos 9. Marcelo Ramos  Gol aos 38 do  (2T) 38'  (2T)
9. Rivaldo 11. Cleison Cartão amarelo recebido aos  (1)
Técnico: Wanderley Luxemburgo Técnico: Levir Culpi
Reservas que não entraram na partida
Palmeiras: Cruzeiro:

Sobre o jogo

Dez entre dez jornalistas davam como certo que o Palmeiras seria o campeão da Copa do Brasil/96. O empate (1×1) no primeiro jogo da decisão reforçou ainda mais essa certeza. Para alguns mais eufóricos, a única questão era saber de quanto seria o placar. No clima de euforia que se instalou em São Paulo, o Cruzeiro era apenas um coadjuvante da festa.

Os 5 minutos iniciais deram a impressão de que as previsões iriam se confirmar. O Palmeiras perdeu uma chance clara de gol com um minuto de jogo, fez dois ou três ataques perigosos e chegou ao gol aos 5 minutos. Mas ao contrário do que se esperava o “massacre” não teve sequência. Aos poucos o Cruzeiro se assentou no jogo, acertou a marcação, passou a tocar a bola no ataque e equilibrou a partida.

Por volta dos 20 minutos, o time já ditava o ritmo e controlava a partida. A marcação começava a partir da intermediária palmeirense. Sempre que um jogador do Palmeiras dominava a bola era cercado por dois e às vezes três jogadores celestes. Ninguém aliviava nas divididas e quando necessário faziam faltas e paravam o jogo.

No ataque, o time tocava bem a bola e valorizava a sua posse. Essa postura tirou a velocidade do jogo do Palmeiras que, recuado, passou a tentar lançamentos longos para o ataque, facilmente neutralizados pela defesa celeste.

O gol de empate, aos 25, reforçou o domínio celeste, mantido até o final do primeiro tempo. O Palmeiras não conseguia trocar passes e ameaçou apenas em eventuais cobranças de faltas e escanteios. Ao Cruzeiro, faltou apenas mais agressividade no ataque.

O Palmeiras voltou mais agressivo para o segundo tempo, marcando presença constante no ataque. Em parte, devido ao recuo do Cruzeiro. Ao contrário do primeiro tempo, os laterais celestes pouco passavam do meio de campo.

Por pouco mais de dez minutos, entre os 16 e 28, o Palmeiras sufocou em busca do segundo gol. E só não o conseguiu porque Dida se transformou numa muralha intransponível.

Com as defesas de Dida, o ímpeto palmeirense arrefeceu. O Cruzeiro voltou a tocar a bola e equilibrou a partida, aproveitando-se do nervosismo que tomou conta do adversário, que passou a cometer seguidos erros.

Num deles, do goleiro Veloso, aproveitado por Marcelo, saiu o segundo gol celeste, aos 36. Atônitos, os palmeirenses, no campo, nas arquibancadas e nas cabines de rádio e TV, viram o Cruzeiro tocar a bola com propriedade, gastando tempo a espera do fim do jogo.

Primeiro Tempo

  • 01 – Vitor derruba Junior próximo a lateral. Djalminha cobra de curva, a bola passa por todo o gol e sobra para Luisão, no bico esquerdo da pequena área. O chute sai forte porém torto e vai para fora.
  • 02 – Cleison faz falta dura em Junior e recebe o cartão amarelo.
  • 03 – Cafu avança pela direita, ginga na frente de Nonato, que se atira e intercepta o cruzamento, cedendo escanteio. Na cobrança, Cleber disputa pelo alto com a zaga e toca por último na bola, que sai pela linha de fundo.
  • 05 – Junior rouba a bola na lateral da sua grande área, avança até quase o meio de campo sem marcação e passa para Djalminha, pouco depois do círculo central. Este, com um toque de primeira de calcanhar, lança Rivaldo, livre nas costas de Vitor, que também de primeira cruza para Luisão se antecipar a Dida e mandar pro fundo do gol. Palmeiras, 1×0.
  • 07 – Palhinha II avança e é derrubado na meia-esquerda. Na cobrança, ele joga na área e a defesa alivia.
  • 10 – Roberto Gaúcho vai na linha de fundo, dribla Cafu e parte para área. Cafu se recupera e faz o desarme, na bola.
  • 11 – Junior revida a falta sofrida de Vitor e o atinge com uma tesoura, recebendo o amarelo.
  • 12 – Nonato avança da esquerda para o meio e de fora da área bate pro gol. A bola sai à esquerda de Veloso, levando perigo.
  • 13 – Vitor avança pela direita, lança na área para Marcelo Ramos, recebe de volta e cruza. Veloso defende com tranqüilidade.
  • 16 – Da intermediária, Cafu lança para área, Vitor disputa no alto com Luisão e a bola sobra para fácil defesa de Dida.
  • 18 – Claúdio arrisca de fora da área e manda longe do gol.
  • 20 – Palhinha II recebe de Cleisson na meia-esquerda, conduz em diagonal e bate da entrada da área. A bola sai à esquerda de Veloso.
  • 21 – Cafu faz boa jogada pela direita, vai no fundo e cruza. Gelson corta mal e no rebote Marquinhos chuta em cima do zagueiro, conseguindo escanteio. Dida defende a cobrança com tranqüilidade.
  • 24 – Junior é lançado por Djalminha, vai ao fundo e cruza. Nonato se antecipa e de cabeça corta para escanteio, de cabeça mandou para escanteio. Dida, mais uma vez, sai do gol e defende com firmeza.
  • 25 – Roberto Gaúcho, deslocado pela direita, vai ao fundo e cruza. Marcelo tenta de cabeça, a bola sobra para Palhinha II que cruza de virada. A bola bate em Cleber e sai pela linha de fundo. O juiz manda voltar a primeira cobrança. Na segunda, Palhinha II bate curto para Gaúcho, recebe de volta e se embola com a bola. Amaral tenta espanar e fura de maneira espetacular. Roberto Gaúcho domina, entra na área e bate de esquerda, rasteiro, entre Veloso e a trave. Cruzeiro, 1×1.
  • 27 – Gaúcho sofre falta dura de Cafu. Palhinha II cobra curto para Gaúcho, que cruza e a defesa alivia.
  • 28 – Ricardinho arranca pelo meio e sofre falta por trás de Claudio, que recebe o amarelo.
  • 30 – Djalminha arrisca de fora da área e Dida defende com tranqüilidade.
  • 33 – Rivaldo domina na linha de fundo e cruza. Djalminha, no meio da área, tenta pegar de primeira, o chute sai mascado e Gelson tira de cabeça.
  • 36 – Rivaldo é derrubado por Ricardinho próximo à meia lua, pela esquerda. Djalminha cobra buscando o ângulo esquerdo de Dida, que de tapinha manda para escanteio.
  • 37 – Djalminha cobra, Dida solta a bola, Claudio toca pro gol, Gelson salva quase em cima da linha e Célio Lúcio completa. Djalminha pega o rebote, rola para Cafu que chuta forte da entrada da área. A zaga corta, Marcelo puxa contra-ataque e é derrubado por Sandro, que recebe o amarelo.
  • 39 – Vitor avança, toca para Cleison, que devolve na frente, um pouco longo. Vitor ainda alcança e cruza, Claudio corta e sai jogando.
  • 40 – Juiz marca jogo perigoso de Fabinho na intermediária. Djalminha rola para Claudio, que acerta um chute forte. A bola sai por cima do gol, com muito perigo.
  • 42 – Cleison rouba bola no ataque, Marcelo apanha a sobra e tenta lançar Palhinha II, que penetrava por trás da zaga. Sandro se estica, corta e Veloso sai jogando com os pés.
  • 46 – Sidrack Marinho apita o fim do primeiro tempo.

Segundo Tempo

  • 00 – Palmeiras volta com alteração: Sai Claudio, zagueiro improvisado de volante, e entra o atacante Reinaldo. O Cruzeiro voltou com a mesma formação.
  • 02 – Amaral chuta de fora da área e Dida defende em dois tempos.
  • 07 – Rivaldo lança em profundidade para Djalminha, que penetra na área pela esquerda e bate cruzado. Dida faz grande defesa e manda para escanteio.
  • 08 – Djalminha chuta fraco da entrada da área e Dida defende com firmeza.
  • 10 – Ricardinho derruba Luisão na intermediária. Djalminha cobra, a bola sobe muito e sai por cima do gol, sem perigo.
  • 13 – Cafu faz boa jogada pela direita, dribla Nonato e cruza. A bola passa pela área e sobra para Djalminha do outro lado, que pega de primeira. A bola resvala em Vitor e sai a escanteio.
  • 14 – Nonato carrega fechando pelo meio, tabela com Marcelo Ramos, e é desarmado na entrada da área. A bola sobra para Palhinha II, que tira Junior da jogada com um drible de corpo, gira e bate por cobertura. Veloso se estica todo e manda para escanteio.
  • 15 – Roberto Gaúcho cobra mal o escanteio, defesa rebate, ele pega a sobra e cruza novamente para a área. A defesa alivia, Djalminha liga contra-ataque com Luisão. Fabinho o agarra e recebe cartão amarelo.
  • 16 – Cafu recebe de Marquinhos dentro da área, cruza, a bola desvia em Célio Lúcio, passa por toda a extensão do gol e sai do outro lado pela linha de fundo. Na cobrança, sucessão de cabeçadas para o alto até que Sandro, também de cabeça, toca para o gol. Dida defende com firmeza.
  • 19 – Djalminha tabela com Junior e penetrou livre na área, pela esquerda, quase na linha de fundo. Dida sai do gol para abafar o lance, Djalminha consegue virar e cruza. Luisão cabeceia, Fabinho tira em cima da linha. No rebote Reinaldo chuta e Dida, voltando às pressas para o gol, tira de pé, fazendo uma defesa espetacular. Cafu fica com a sobra, chuta cruzado, a bola bate na zaga e Dida segura firme.
  • 20 – Cafu avança pela direita, lança na área, Amaral disputa com a zaga, a bola sobe e Djalminha ajeita de cabeça para Luisão, que bate de primeira. Dida se joga e faz outra grande defesa. Vitor alivia o rebote e manda para escanteio. Na cobrança, Dida sai do gol e defende com firmeza.
  • 23 – Palhinha II sente o tornozelo e deixa o campo para a entrada de Edmundo.
  • 24 – Cafu cava escanteio pela direita. Djalminha bate, Dida disputa com Sandro e tira de soco. A bola sobra para Luisão, a defesa corta parcialmente, Reinaldo tenta e Ricardinho tira para escanteio. A defesa alivia a cobrança com um chutão.
  • 26 – Amaral avança pela direita, vai no fundo e cruza. Dida não alcança, Reinaldo toca de leve na bola e Gelson alivia.
  • 27 – Djalminha bate falta na intermediária, lança Cafu, a zaga rebate, Luisão de cabeça lança para o lateral, que vai ao fundo e cruza. Nonato se joga e intercepta a bola, cedendo escanteio. Djalminha cobra e Fabinho, no primeiro pau, cede outro escanteio. Djalminha cobra de novo e desta vez Dida tira de soco.
  • 28 – Edmundo derruba Sandro no meio de campo e recebe amarelo.
  • 31 – Vitor avança pela direita e recebe uma peitada de Cleber, próximo ao bico esquerdo da área palmeirense. Marcelo Ramos cobra e a bola sai por cima do gol, sem nenhum perigo.
  • 34 – Vitor fez falta em Reinaldo no bico da grande área cruzeirense. Djalminha lança para a área, a defesa sai e deixa Reinaldo impedido.
  • 36 – Marcelo recupera uma bola no meio de campo e abre na esquerda para Roberto Gaucho, que dribla Sandro, avança e cruza. Veloso tenta aparar e solta a bola, que cai na medida para Marcelo Ramos emendar para o gol. Cruzeiro, 2×1.
  • 37 – Em disputa de bola no meio de campo Luisão acerta cotovelada em Fabinho e recebe o amarelo.
  • 40 – Luxemburgo troca Marquinhos, volante, por Cris, atacante.
  • 41 – Roberto Gaucho recebe de Nonato e arrisca de fora da área. O chute sai fraco, rasteiro e Veloso defende sem problema.
  • 46 – Sidrack Marinho apita o fim do jogo. A festa explode no Palestra Itália e em toda a nação celeste.

Vídeos

Matéria o jogo
Jogo completo
Matéria do jogo

Transmissão

  • SBT