Osasuna 2x3 Cruzeiro - 23/08/1986

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Real Valladolid.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Atlético de Madrid.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
Por Amistosos
Escudo Real Valladolid.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Atlético de Madrid.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
No estádio El Sadar
← Primeira ficha Gol aos do Última ficha →
Contra Osasuna
← Primeira ficha Gol aos do Última ficha →

[edit]

Escudo Osasuna.png
2 × 3
Escudo Cruzeiro.png

Troféu Cidade de Pamplona 1986

Placar
Osasuna 2-3 Cruzeiro
Súmula/Borderô não disponível

Informações

Data: 23 de agosto de 1986
Local: Pamplona, Espanha
Estádio: El Sadar

Árbitro: Paz Garcia
Assistente 1: Manuel Osório
Assistente 1: Lobujo Xavier


Público e Renda

Público pagante: Não disponível
Público Presente: Não disponível
Renda: Não informado


Escalações

Osasuna
  1. Javier Vicuña
  2. Mina Substituição realizada 31' (2T) de jogo 31' (2T) ( De Luis )
  3. Sabido
  4. Castañeda
  5. Bustingorri
  6. José María Lumbreras
  7. Michael Pedersen
  8. Sola Gol aos 36 do  (2T) 36'  (2T)
  9. Javier Aguirre Substituição realizada 31' (2T) de jogo 31' (2T) ( Andoni Goikoetxea )
10. Jesús Orejuela
11. Martín Gol aos 32 do  (1T) 32'  (1T)
Técnico: Iván Brzic

Cruzeiro
  1. Wellington
  2. Balu
  3. Geraldão Gol aos 29 do  (2T) 29'  (2T)
  4. João Batista
  5. Ademar
  6. Douglas
  7. Eduardo Lobinho Gol aos 34 do  (1T) 34'  (1T) Substituição realizada 7' (2T) de jogo 7' (2T) ( Ronaldo Sereno )
  8. Andrade
  9. Robson Gol aos 24 do  (1T) 24'  (1T)
10. Ernani
11. Édson
Técnico: Jair Bala


Reservas que não entraram na partida


Curiosidades[editar]

  • Jogo de disputa do Troféu Cidade de Pamplona 1986. Torneio disputado em jogo único. Com a vitória o Cruzeiro sagrou-se campeão do torneio.
  • Após o segundo gol do Osasuna, o Cruzeiro marcou um gol que seria histórico. Na saída da bola, Ronaldo Sereno tocou para Ernane, que chutou do meio de campo e marcou um golaço. O árbitro estava de costas no momento do gol e, mesmo sem ter visto o lance, marcou tiro de meta, alegando que a bola havia passado por cima da trave, sob vaias da torcida no estádio. A marcação surpreendeu até o goleiro do Osasuna, que apanhou a bola de dentro do gole e cobrou o tiro de meta.


Fontes[editar]

  • Livro Almanaque do Cruzeiro Esporte Clube 1921-2013- RIBEIRO, Henrique - Caxias do Sul-RS: Editora Belas Letras Ltda., 2014. 405 p.