Internacional Sub-20 1x2 Cruzeiro Sub-20 - 22/12/2012

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa
Em construção.png
Este artigo está em construção!
Se tiver informações que completem este artigo, entre em contato conosco.
INTER: Jackson; Vilela, PV, André e Ebert (Gavá); Índio (Tárik), Jair, João Paulo (Valdívia) e Fernando Baiano; Giovani (Tiago) e Jefferson Renan (Rafael Pernão). 	CRUZEIRO: Charles; Mayke, Alex, Wallace e Antônio Carlos; Eurico, Bruno, Lynneeker (Juninho) e Alisson; Vinícius Araújo (Rodrigo Dias) e Pedro Paulo (Hugo Sanches).
Técnico: André Jardine 	Técnico: Paulo Ricardo
Local e horáiro: Estádio Passo d'Areia, em Porto Alegre (RS), às 19h30m (de Brasília).
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden. Assistentes: Altemir Hausmann e Tatiana Jacques de Freita
Gols: Alisson (Cruzeiro), aos 25 minutos do primeiro tempo, Valdivia (Inter), aos 22, e Pedro Paulo (Cruzeiro), aos 39 do segundo. Cartões amarelos: Índio e Tárik (Inter), Antônio Carlos, Pedro Paulo e Charles (Cruzeiro):

Sobre o jogo

Jogando dentro de sua cidade, com pequena, mas barulhenta torcida fazendo a sua parte, o Inter começou a partida jogando pressão para cima dos mineiros. Sob um sol ainda forte, por causa do Horário de Verão (jogo começou às 19h30m de Brasília), o lateral Vilela tentou por duas vezes nos primeiros minutos, sem sucesso. A Raposa respondeu aos 11 minutos, com Vinícius Araújo emendando uma meia bicicleta após boa jogada de Bruno, mas para fora. O time gaúcho teve outra chance aos 20, quando o zagueiro PV pegou uma sobra de primeira, mas sem direção. Três minutos depois, foi a vez de o meia celeste Lynneeker receber após uma jogada rápida pela direita, mas também concluir muito mal por cima do travessão.

A impressão era de que faltava tranquilidade para os jovens jogadores dos dois times. Até que aos 25, Alisson, fez o que ninguém ainda tinha feito: teve calma. Ao receber bom passe na área, o camisa 10 da Raposa limpou a jogada, rolando para a perna direita, e bateu colocado no canto esquerdo do goleiro Jackson, fazendo 1 a 0. O meia de 19 anos já é conhecido: foi relacionado para o Brasileirão duas vezes no time principal este ano pelo então técnico Celso Roth. O Inter só ameaçou de novo aos 33 e aos 41: primeiro, com Giovani, que desperdiçou após receber livre na área; depois, com João Paulo chutando duas vezes à queima-roupa , ambas bem defendidas pelo goleiro Charles.

Valdívia muda panorama

A equipe mineira retornou dos vestiários melhor. Aos três minutos, Lynneeker avançou pela direita e tentou achar Alisson na área, mas a zaga do Inter afastou na hora H. Os gaúchos responderam aos cinco: Giovani bateu colocado, mas, de novo, o arqueiro Charles defendeu com categoria.

Precisando mudar a história da partida, vendo que os mineiros dominavam o jogo, o técnico do Inter, André Jardine, trocou João Paulo por Valdívia. E foi da cabeça dele, aos 22, após belo cruzamento de Vilela pela direita, que saiu o empate colorado: o cabeludo de 18 anos escorou certeiro para as redes, aproveitando de falha da zaga e do goleiro, que ficaram parados: 1 a 1.

Pedro Paulo decide

O empate incendiou a final. As duas equipes passaram a jogar tudo para evitar a decisão nos pênaltis. E a Raposa acabou também aproveitando uma pane da defesa rival, assim como acontecera com os mineiros no empate. Aos 39, Mayke fez jogada em velocidade pela direita e cruzou na área para Pedro Paulo, sozinho, na frente de Charles, fuzilar para as redes. Na comemoração, o jovem de 18 anos imitou alguns profissionais e tirou a camisa para comemorar. Recebeu um amarelo do árbitro Leandro Pedro Vuaden. Mas pouco importou diante da alegria de quem acabara de marcar o gol do tricampeonato celeste.[1]

Referências