Internacional 1x2 Cruzeiro - 09/05/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Nacional-URU.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x2 Escudo São Paulo.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Santos.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x2 Escudo Avaí.png
No estádio Beira-Rio
Escudo Internacional.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Internacional.png 3x2 Escudo Cruzeiro.png
Contra Internacional
Escudo Internacional.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Internacional.png

[edit]

Escudo Internacional.png
Internacional
1 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1ª Rodada - Campeonato Brasileiro 2010
Data: 9 de maio de 2010 Local: Porto Alegre, RS
Horário: 16:00 Estádio: Beira-Rio
Árbitro: Wilson Luiz Seneme Público pagante: 14.177
Assistente 1: Emerson Augusto de Carvalho Público presente: Não disponível
Assistente 2: Vicente Romano Neto Renda: R$ 158.540,00 R$ 158.540
Cr$ 158.540
NCr$ 158.540
Cz$ 158.540
NCz$ 158.540
(preço médio: R$ 11,18 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Internacional: Cruzeiro:

1. Lauro 1. Fábio
2. Ronaldo Alves 2. Eli Carlos
3. Ronaldo Conceição Substituição realizada de jogo ( Wilson Matias ) 3. Gil
4. Fabiano Eller 4. Thiago Heleno
5. Arílton Substituição realizada de jogo ( Leandro Damião ) 6. Diego Renan
6. Glaydson Cartão amarelo recebido aos 5. Fabrício Substituição realizada de jogo ( Marquinhos Paraná )
7. Guiñazu 6. Fabinho Alves
8. Giuliano 7. Pedro Ken Cartão amarelo recebido aos
10. Kleber 10. Fernandinho Substituição realizada de jogo ( Fábio Santos )
11. Taison Gol aos do 30. Kléber Cartão amarelo recebido aos Gol aos do Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 19. Guerrón )
Técnico: Jorge Fossati Técnico: Adilson Batista
Reservas que não entraram na partida
Internacional: Cruzeiro:
12. Derley 15. Gilberto
13. Juan 13. Henrique
14. Thiabo Humberto 12. Rafael
15. Wilian 16. Thiago Ribeiro


Como foi

1º Tempo

  • 16h03 – Começa o jogo. Internacional com uniforme tradicional. Cruzeiro, todo de azul, defende o gol à esquerda das tribunas.
  • 04 – Diego Renan cruza da esquerda. Ronaldo Alves desvia bola com a mão, dentro da área. Pênalti.
  • 05 – Kleber cobra com paradinha. Lauro vai pra direita, bola entra rasteira na esquerda. Cruzeiro 1×0.
  • 06 – Giuliano desce pela esquerda, evita Gil, que aparece na cobertura de Elicarlos, e cruza. Taison, livre dentro da área, cabeceia no canto esquerdo de Fábio. Inter 1×1.
  • 07 – Kleber entra livre na área e chuta à queima roupa. Lauro desvia para escanteio.
  • 09 – Elicarlos cruza, Eller desvia de cabeça.
  • 11 – Kleber Pereira chuta, sem marcação, da entrada da área. Fábio defende.
  • 12 – Wellington Paulista chuta o tornozelo de Ronaldo Alves e recebe cartão amarelo.
  • 13 – Fabrício cobra falta rolando a bola pra Fernandinho. Meia lança sobre a área. Eller corta.
  • 15 – Jogo aberto. Defesa celeste prometendo fortes emoções. Fernandinho e Ken ainda não entraram no jogo.
  • 16 – Fabiano Eller cabeceia por cima do travessão uma bola de escanteio.
  • 19 – Wellington Paulista apanhado em impedimento.
  • 21 – Cruzeiro marca saída de bola. Kleber cede lateral, Elicarlos cobra mal entregando a bola pra Guiñazu.
  • 22 – Arílton dribla Diego Renan, entra na área, mas é desarmado por Thiago Heleno.
  • 24 – Kleber recebe lançamento na área e chuta cruzado, ao invés de passar a Wellington Paulista. Lauro salva gol certo.
  • 25 – Cruzeiro bombardeia, defesa corta, Pedro Ken fica com o rebote, mas chuta a bola nas pernas de um beque.
  • 26 – Finalizações: Cruzeiro 4×3.
  • 30 – Posse de bola: Inter, 51%.
  • 32 – Fabinho recua, do meio de campo, e quase marca gol contra.
  • 33 – Kleber cai na área e troca pontapés com Ronaldo Conceição. Juiz passa um pito nos dois.
  • 36 – Fabrício faz lançamento de 40 metros, Kleber recebe dentro da área, escora Ronaldo Alves e toca rasteiro, sem chance de defesa pra Lauro. Cruzeiro 2×1.
  • 37 – Diego Renan lança Fernandinho dentro da área, defesa corta.
  • 38 – Pedro Ken aplica carrinho perigoso em Arílton e recebe cartão amarelo.
  • 39 – Fabiano cruza da esquerda, Thiago Heleno tenta desviar pra escanteio, Fábio se estica pra salvar gol contra.
  • 40 – Eller, livre na área, cabeceia. Fábio defende.
  • 41 – Kleber reclama e recebe cartão amarelo.
  • 42 – Fernandinho disputa com Giuliano e corta bola com a mão na entrada área. Kleber cobra falta, Fábio espalma pra escanteio.
  • 43 – Giuliano tabela com Kleber, tenta cruzar e erra. Bola fica com Taison, que solta uma bomba. Fábio defende milagrosamente, bola acerta o poste esquerdo.
  • 44 – Thiago Heleno corta bola dentro da área.
  • 46 – Wellington Paulista chuta de fora da área, Lauro espalma pra escanteio. Ronaldo Conceição torce o tornozelo sozinho e fica caído.
  • 47 – Wilson Matias substitui Ronaldo Conceição.
  • 48 – Fabrício lança Kleber que, na cara do gol, pega mal na bola, mas consegue tirá-la do alcance de Lauro. Quase em cima da risca, Fabiano Eller corta evitando o gol.
  • 49 – Fim de 1º tempo. Finalizações: 7×7.
  • Kleber: “Temos que manter o ritmo pra marcar mais gols no 2º tempo. Estes que marquei no 1º dedico à minha mãe pelo dia dela e ao meu pai, pelo aniversário dele. Amo demais os dois.”

2º Tempo

  • 17h11 – Começa 2º tempo.
  • 00 – Everton substitui Kleber Pereira. Ronaldo Conceição rompeu tendão de Aquiles. Será operado ainda hoje e ficará 70 dias fora do futebol.
  • 01 – Giuliano cobra escanteio pela esquerda, Gil corta.
  • 03 – Arílton chuta Wellington Paulista, juiz economiza o amarelo.
  • 04 – Arílton chuta Diego Renan e continua sem cartão amarelo.
  • 06 – Everton, em rush impressionante, deixa bequeira pra trás e invade a área. Fábio sai do gol, divide com ele, e defende com os pés.
  • 09 – Kleber desce pela esquerda e cruza, diretamente pra linha de fundo.
  • 10 – Fábio Santos vem aí!
  • 11 – Fernandinho arranca pela esquerda, mas é derrubado por Ronaldo Alves.
  • 12 – Fábio Santos substitui Fernandinho. Fabrício cobra falta, Fabiano Eller corta de cabeça.
  • 13 – Elicarlos corta bola cruzada da esquerda.
  • 14 – Confusão na área celeste. Após bate-rebate, gol de empate do Inter não acontece por milagre.
  • 15 – Leandro Damião substitui Arílton. Everton acerta cotovelada em Fábio santos, Gil quer briga.
  • 16 – Glaydson cruza da direita, bola passa em frente ao arco, Fábio Santos fica com ela e sai jogando.
  • 17 – Fabrício reclama de dores na virilha e foiça caído.
  • 18 – Marquinhos Paraná substitui Fabrício.
  • 19 – Marquinhos Paraná cede escanteio cortando cruzamento, de cabeça. Gil corta também de cabeça.
  • 20 – Guerrón recebe instruções de Adílson Baptista.
  • 21 – Guerrón substitui Kleber.
  • 22 – Fabrício tá com saúde perfeita. Estava apenas simulando dores pra ganhar tempo.
  • 23 – Cruzeiro não sai mais do campo de defesa.
  • 24 – Wellington Paulista escapa pela esquerda perseguido por dois colorados até ser desarmado. Guerrón aparece e fica com a bola.
  • 25 – Everton chuta forte, de direita, de fora da área. Fábio defende.
  • 26 – Everton recebe cartão amarelo por falta em Fábio Santos.
  • 27 – Taison rola pra Glaydson, que chuta por cima do travessão.
  • 28 – Pedro Ken recebe falta de Wilson Matias. Bola sobre a área, Gil cabeceia por cima do travessão.
  • 29 – Protegido por Fábio Santos, que escora Damião, Fábio defende bola cruzada.
  • 31 – Ken lança WP, que é apanhado em impedimento. Não estava. Erro do bandeira.
  • 32 – Fabinho cede escanteio. Diego Renan espana após cruzamento. Guerrón puxa contra-ataque mas cruza pra ninguém e defesa colorada corta.
  • 34 – Inter avança em contra-ataque. Giuliano rola para Everton que chuta pras redes. Impedido. Banco do Inter para pra cima do bandeira de dedo em riste, reclamando.
  • 35 – Fábio retarda reposição de bola e recebe cartão amarelo.
  • 36 – Diego Renan puxa contra-ataque e rola pra Guerrón, que é desarmado na ponta-esquerda..
  • 37 – Posse de bola: Inter, 52%. Guerrón cruza da esquerda, defesa corta.
  • 38 – Everton cruza da direita, na rede, por fora.
  • 39 – Kleber cruza da esquerda, Gil corta pra escanteio.
  • 41 – Kleber cobra lateral sobre a área, Damião cabeceia pra fora.
  • 42 – Guerrón toca mão na bola. Falta.
  • 43 – Taison, marcado por Diego Renan, cruza da direita, defesa corta.
  • 44 – Paraná lança Guerrón, que avança e toca pra trás. Paraná arremata, bola desvia na defesa, escanteio.
  • 45 – Thiago Heleno pára contra-ataque do Inter com um chutão pra lateral.
  • 46 – Taison disputa bola com Fabinho e cai. Falta cavada a dez passos da área.
  • 47 – Kleber cobra falta sobre uma barreira de dez jogadores dois times. Bola passa por cima do travessão.
  • 48 – Falta na intermediária. Kleber lança sobre a área. Confusão. Taison chuta por cima do travessão.
  • 49 – fim de jogo. Leo Figueiredo, da CBN, elege Fabrício o melhor em campo. No site da CBN, o escolhido foi o goleiro Fábio.

Atuações

  • Fábio - É o melhor goleiro do Brasil. Fez uma defesa cinematográfica. Incrível sua regularidade. Faz pelo menos um milagre por jogo. (Binho)
  • Elicarlos - Voluntarioso, Elicarlos só subiu “na boa” e a lentidão que o Rogério Correa (locutor da TV Globo) criticou em determinado momento, nada mais era do que consciência tática. Eli não é o Jonathan pra ficar subindo à toda. (Matheus Reis)
  • Gil – Melhor que o companheiro de zaga. Aos poucos vai se confirmando como a melhor opção para atuar ao lado de Leonardo Silva. (Matheus Reis)
  • Thiago Heleno – Claro que há torcedor capaz de botar a culpa da crise financeira grega no Thiago Heleno. Ele não passa confiança, mas é inegável que o coitado tem se esforçado muito para não comprometer. Foi bem. (Matheus Reis)
  • Diego Renan – Deu uma belíssima assistência de três dedos para o Kléber em lance que Lauro defendeu. Recupera o futebol e a confiança. É o melhor lateral esquerdo destro desde Nonato! (Matheus Reis)
  • Fabrício – Dizem que quando ele fica com os olhos esbugalhados, é porque está a fim de estraçaiar a bola. Se está mesmo ninguém pode garantir, pois a TV não mostrou closes dele. Mas que o danado jogou uma barbaridade, jogou. De novo. Marcou, fez coberturas, armou e atacou. E ainda não está 100% fisicamente. Pelos meus cálculos, isto só deve acontecer no jogo inaugural da Copa. Com a palavra, o treinador da Seleção. (Síndico) Fabricio foi três em um. Fez a dele, e como sempre bem, marcou pelo Pedro The Who e armou pelo Fernandinho. Abre o olho Dunga!!! (Silva Rocha)
  • Marquinhos Paraná – Entrou pra comandar o meio de campo e melhorar a saída de bola. Mas com a defesa rifando e a bola pipocando, ele não conseguiu aparecer. (Arthur Alvarenga)
  • Fábio Santos – Entrou mais pelo lado direito e procurou jogar sério. A seriedade foi tanta que em determinado lance chegou a deixar o braço que quase atingiu o rosto do jogador do Inter que o marcava. Sua entrada aumentou a estatura da defesa, o que ajudou a rebater as bolas alçadas. Pode ser útil caso se dedique mais à marcação. Não gostava da saída de bola dele em sua primeira passagem pelo clube. (Vinícius Cabral)
  • Fabinho – Toma 5 bolas e devolve 3 pro adversário. Tem lá sua importância na cabeça de área. Mas é o jogador que mais “atrapalha” a saída de bola da meiuca azul. Quase fez um gol contra do meio campo. Lembra um pouco o Henrique no começo de Cruzeiro. (Matheus Reis) Vacilou no lance do empate, mas depois lutou bastante, guardou posição e apareceu várias horas pra ajudar os beques a não deixarem a casa cair. (Arthur Alvarenga)
  • Pedro Ken – Aindainda está timido, precisa se soltar mais, ganhar confiança. Ontem ele atuou bem, foi taticamente importante especialmente no 2º tempo, fechando os espaços e saindo pro ataque. Com o tempo acho que ele vai crescer. Como aocnteceu com o Henrique, que demorou a engrenar. (Mauro França)
  • Fernandinho - Não prendeu a bola e fez várias tabelas rápidas. Não foi um primor mas pode voltar a jogar razoavelmente como já fez antes. É preciso um pouco de paciência. O cara vive machucado e sem ritmo de jogo. (Binho) Fernandinho serviu de desafogo pra defesa na saída de bola. Parece que o pessoal confia nele naquelas situações em que o ataque adversário pressiona a defesa. É pouco, mas não é nada. (Ricardo Malafaia)
  • Kleber - Voltou a ser o Kleber matador. Não que tenha jogado mal nos outros jogos. Mas voltar a marcar na véspera do jogo do ano (até o momento) é importante pra dar confiança. (Matheus Reis)
  • Guerrón – Ajudou a valorizar a posse de bola e a deixar o tempo correr. Entrou no momento que o jogo estava bom pra ele: com o time vencendo e boas oportunidades de contra-ataques. (Hugo Serelo)
  • Wellington Paulista – Quase marcou um gol com um bom chute; No mais, correu e ajudou na recuperação, combateu, suou a camisa, enfim, batalhou muito (Arthur Alvarenga) Nem fazer gols ele tem feito mais. E tá muito mais individualista do que antes. Daqui a pouco passam o cerol nele. (Evandro Oliveira)
  • Adílson Baptista – Escalou um time mais titular que o adversário. Não fosse a punição, Roger certamente seria o 10 no lugar de Fernandinho. Mexeu bem. Fernandinho nada fazia. Fabrício e Kléber correram o suficiente e era melhor segurá-los. (Matheus Reis)
  • Torcida – compareceram aproximadamente 50 cruzeirenses que apoiaram a equipe como sempre, mas que nunca seriam ouvidos no meio de 14 mil colorados. (JJ) Fez grande festa na oficialização da Confraria Celeste do Rio de Janeiro. Segundo a PM, havia cerca de 120 cruzirenses no evento. Muita gente tirando fotos com o Raposão e com as taças do clube. E o melhor foi que tudo terminou com uma grande vitória. (Maurício Sangue Azul).
  • Juiz & Bandeiras - Bandeira 1 errou o lance do Paulista. Bandeira 2 acertou o impedimento do Inter no lance do gol. O penalti foi lance subjetivo e aí não há como culpar o juiz. Só faltou um cartão pro Airton do Inter que bateu no Renan, no Paulista, no Kleber, na mãe, no pai, na irmã e em quem mais aparecesse pra lhe dar boa tarde. (Matheus Reis)
  • Internacional – Os titulares Kleber e Guiñazu estavam jogando de segunda. O segundo reserva, Everton, entrou e, num segundo, já engatou uma quinta e deu trabalho. Taison fez um gol e passou o resto do jogo com aquela cara de choro inexplicável. Giuliano ficou devendo. Wilson Matias deu uma arrumada na bequeira quando entrou. Que eu me lembre, foi só. E o treinadro J. Fossatti, além de torrar a paciência do bandeira, que anulou, com razão, um gol em offside, ainda quis bater num repórter. Que mala! (Síndico)

O que foi dito

  • Fábio Santos, volante do Cruzeiro: Acho que dei sorte para o Cruzeiro na minha estréia, apesar de estar sem ritmo. Vou melhorar de acordo com os jogos, tendo oportunidades. Parabéns para a equipe, que soube jogar e respeitou o adversário.
  • Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro: Todo mundo jogou firme. Thiago Heleno foi bem. É difícil marcar o Taison. O Giuliano também incomodou. Nós revezamos, Elicarlos, Fábio Santos, o Fabinho. Acho que todo mundo teve dedicação, jogou bem concentrado, competitivo, pensando em vence, esquecendo o jogo de quarta-feira. Eu sei que é difícil, a gente sente no próprio vestiário. O clima de Montevidéu era um, aqui era outro. A competição é outra, temos que estar conscientizando. Acho que eles têm méritos. Criamos algumas situações, fomos pressionados em determinado momento, coisa que é normal. Fábio Santos entrou bem. É um jogador que nós confiamos, sabe jogar e esteve tranquilo no decorrer da partida.
  • Kleber, atacante do Cruzeiro: Nosso time chegou com mais qualidade, no toque de bola. Eles tentaram mais lançamentos ou jogadas de bate-rebate na área. Por isso, penso que o resultado foi justo. Hoje, tive a chance de fazer os gols, jogando como estou acostumado. No primeiro jogo contra o Nacional, atuei mais recuado, abrindo espaço para que o Thiago Ribeiro arrancasse de trás. No Uruguai passei a madrugada da partida com febre, não me sentia muito bem no jogo e não pude ter o rendimento esperado. Desta vez, pude ajudar o time, que é o que importa. Acabou a tortura de uma semana longe de casa, e o que é melhor, conseguindo nosso objetivo de vencer as duas partidas.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Foi bom o jogo, poderíamos ter feito mais gols. Jogamos bem, nos defendemos bem. Jogar contra o Inter aqui é sempre difícil. Começamos com o pé direito e esperamos continuar assim.
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: O importante é que a equipe conseguiu segurar o placar e estreamos bem. Fizemos um grande jogo, apesar entrarmos com alguns jogadores que não vêm atuando, mas suportamos bem a pressão.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: É bom pra equipe que quer ser campeã começar vencendo. Vamos respeitar os outros times, mas temos que buscar o máximo de pontos. Fomos muito felizes porque jogamos com muita concentração.
  • Gil, beque do Cruzeiro: Era de se esperar essa pressão no final do Internacional, mas graças a Deus conseguimos anular as jogadas deles e todo mundo se empenhou ao máximo pra conseguir os três pontos. A gente trabalha assim, na dificuldade, quando o professor precisar e faltar um zagueiro ali, é entrar e dar o melhor.
  • Jorge Fosatti, treinador do Inter: Não posso estar contente com o resultado, mais ainda porque partiu de um erro de arbitragem. E estou falando antes de olhar as imagens na TV. No 2º tempo, só existiu um time em campo, buscando virar o jogo, criando oportunidades. Mas o Inter fez um bom jogo, um pouco nervoso em função de uma decisão arbitral mais uma vez prejudicial para a gente. Isso é incrível para entender. A gente conhecia o risco de jogar com time misto contra um adversário duríssimo. Os jogadores estão de parabéns. Estou lamentando muito mais a grave lesão do Conceição, que é mais uma adversidade. Mas estou tranquilo com a resposta do time.
  • Taison, atacante do Inter: O time tentou, fomos fortes. Estamos de parabéns, mas agora é pensar na Libertadores. Graças a Deus fiz uma boa partida hoje e estava precisando disso.
  • Giuliano, meia do Inter: Não foi tão boa a atuação, mas tivemos grande volume de jogo. Infelizmente não deu para empatar.
  • Guiñazu, volante do Inter: Buscamos o gol até o final e isso é importante. Foi um jogo pegado e assim é o Campeonato Brasileiro.
  • Fabiano Eller, beque do Inter: A equipe era mesclada. Muitos jogadores não vinham jogando e isso afetou. Têm muitas paridas ainda. Agora é pensar no jogo da Libertadores. Primeira partida é em casa e por isso temos que fazer resultado. Muitos vão analisar nossa atuação hoje e isso é normal.
  • Fernando Carvalho, vice de futebol do Inter: Acho que foi um resultado injusto. No 2º tempo, o Inter mereceu pelo menos empatar. O Cruzeiro é um grande time e infelizmente perdemos. O time já volta a focar na Libertadores. Este campeonato nacional nos dá chances de se recuperar. Temos que compensar nos jogos que vêm pela frente. O Brasileiro não é mata-mata e isso nos beneficia.
  • Mário Marra, em seu blog: Só o Cruzeiro venceu fora de casa – Outros dois times entraram em campo pelo Brasileiro já de olho na Libertadores. Inter e Cruzeiro não jogaram com times principais, mas entraram com bons times. A disputa paralela é a mais importante, entretanto, o sufoco de jogar no Beira-rio, contra o Inter, já passou e o Cruzeiro venceu. A vitória começou a ser construída com um pênalti difícil de ser marcado. Na minha opinião o posicionamento do árbitro deve ser respeitado, mas o zagueiro não teve a intenção de cortar com a mão. Kléber, que não tem nada com isso, bateu e fez. O Inter rapidamente acordou e a defesa do Cruzeiro deu bobeira e permitiu que Taison tocasse de cabeça com muita tranquilidade para o gol. Quem marca os lados do campo ou apenas o organizador do Cruzeiro se dá mal. O Inter se deu mal! De novo pelo meio e com um ótimo toque de Fabrício para Kléber, o Cruzeiro ampliou. A diferença no placar só não se desfez por causa de um jogador que é muito acima da média: Fábio. Mais uma vez o Cruzeiro mostrou erros defensivos e Fábio salvou de novo. Vale a pena ver o Fábio jogar. O Cruzeiro foi a única equipe a vencer fora de casa e venceu um time que dificilmente é batido em casa. Ano passado a virada do Cruzeiro no Brasileirão foi lá…será?
  • Lédio Carmona, em seu blog: O jogo do Beira-Rio deixou poucas lições para colorados e cruzeirenses, por terem sido disputados por times mistos. Mas há pelo menos um assunto para cada time que se estenderá nas pautas. Pelo lado do Cruzeiro, Kleber voltou a ser decisivo, marcou duas vezes, uma em pênalti inexistente. Além disso, perdeu três chances incríveis, que se evidenciam um desperdício anormal, também demonstram que ele está recuperando o velho senso de colocação. Thiago Ribeiro e Kleber em forma é uma dupla de ataque que pode deixar o Cruzeiro com um poder de fogo só comparável ao do Santos. Já no Inter, mais do que o jogo, a notícia foi o destempero de Fossati no final do jogo. Não há que se falar do mérito da pergunta, se foi provocativa ou não. Técnicos de grandes times sempre ouvirão perguntas como a do repórter da Rádio Bandeirantes, e se reagirem assim de modo tão desproporcional, é melhor não responder a mais nada. É provável que a reação do técnico uruguaio diga mais sobre a pressão contínua que ele vem sofrendo do que sobre a pergunta em si. Porém, mesmo com erro de arbitragem, mesmo com Fossati abandonando mais uma coletiva, o melhor que Inter e Cruzeiro tem a fazer é esquecer logo a estreia no Brasileiro. Estudiantes e São Paulo vem aí.
  • Wianey Carlet, em seu blog: O Inter pediu para perder para o Cruzeiro – Como acontece sempre que se enfrentam, Inter e Cruzeiro fizeram um jogo eletrizante. Adilson Batista foi menos atrevido do que Jorge Fossati. O treinador do time mineiro escalou seu time com cinco titulares e deixou mais quatro no banco. O colorado escalou nove reservas e não deixou reserva técnica para tentar uma eventual virada. Fossati errou, também, escalando a sua equipe com apenas 10 jogadores. Desperdiçou um tempo inteiro com Kleber Pereira. O Inter estreou em casa sem somar um único ponto. Na verdade, pediu para perder. Porém, mesmo tendo tantos reservas, o Inter enfrentou bem o Cruzeiro. Perdeu porque os mineiros tiveram Kleber Gladiador, um exímio definidor. Ele se encarregou de derrotar o Inter. Tayson e Giuliano, eles foram os melhores do Inter. Glaydson ou Wilson Mathias ? Glaydson, claro. Se o primeiro é espetacular, o segundo é fantástico. Duas inverdades. É compreensível que o Inter priorize a Libertadores. Mas não era possível utilizar alguns titulares, durante breves períodos do jogo?
  • Mário Marcos de Souza, em seu blog: No jogo dos mistos, Inter é pior e perde – Quando decidiu escalar nove jogadores reservas para o jogo contra o Cruzeiro, na primeira rodada do Brasileirão, o Inter sabia que corria um sério risco de estrear com derrota. Foi o que ocorreu na tarde deste domingo, no Beira-Rio. No confronto entre times mistos, o Cruzeiro foi melhor. Venceu por 2 a 1 e largou em vantagem no campeonato. Leva três pontos para Minas – e o Inter terá de buscar a recuperação fora de casa. Desentrosado, com jogadores que há muito tempo não apareciam diante da torcida (Arílton, por exemplo) ou estreantes (Ronaldo Conceição), o Inter ainda deu a impressão de que conseguiria reagir e chegar à vitória. Kleber, um dos titulares utilizados pelo técnico Adilson Batista, fez 1 a 0, de pênalti, logo no início. O Inter reagiu em seguida, quando Taison empatou de cabeça, depois de boa jogada de Giuliano. A partir daí, o time reserva do Inter passou a impressão de que conseguiria virar o jogo. Poderia, mas não teve capacidade, especialmente porque acabou punido com uma falha dos zagueiros: depois de uma saída errada, o Cruzeiro retomou, acionou Kleber e o goleador não perdeu a chance. Chutou rasteiro, cruzado, na direita do goleiro Fábio e marcou. O técnico Jorge Fossati fez substituições no segundo tempo, mudou o esquema, reforçou o ataque, mas não encontrou soluções para vencer a defesa e o goleiro Fábio. Para o torcedor que enfrentou a tarde e encarou o frio do início da noite houve pelo menos uma compensação: Taison mostrou disposição, bom futebol e passou a impressão de que aos poucos recupera seu ritmo. Pelo menos tomou a iniciativa em várias jogadas. O Inter ainda poderia sair com empate e o atacante Leandro Damião tivesse retardado sua corrida em ao menos um passo para ficar atrás da linha da bola. Quando recebeu o passe de Giuliano, já no fim do jogo, e tocou para a rede, o auxiliar marcou impedimento. Ele estava adiantado por centímetros. Ao perder, o Inter deixa de garantir três pontos em casa e permite três para aquele que será, certamente, um dos candidatos ao título. Agora, os dois times partem para seus jogos mais importantes deste semestre. O Cruzeiro enfrenta o São Paulo e o Inter encara o Estudiantes, pelas quartas de final da Libertadores. Aí, com todos os titulares.
  • Leandro Mattos, em seu blog: O Cruzeiro foi ao Sul e bateu o Internacional por 2 a 1, num jogo fraco tecnicamente, no Beira-Rio. O Colorado praticamente reserva e a Raposa mista sentiram a falta de entrosamento e não tiveram bom rendimento tático. Também, pudera! Os dois times estão mesmo é com a cabeça voltada para o meio da semana, nos duelos decisivos das quartas de final da Libertadores da América. Os azuis recebem o São Paulo no Mineirão e os 11 de Jorge Fossati vão encarar o atual campeão do torneio continental: o Estudiantes. Kléber mostrou que está com apetite e anotou os dois tentos do embate deste domingo.
  • Elias Guimarães, no PHD: Pois é… tomei um susto com o gol do Inter. Gil saiu na cobertura do Elicarlos, a bola rapidamente foi alçada na área do Cruzeiro ante um estatelado Thiago Heleno no mano-a-mano com o baixinho Tason, que marcou de cabeça. Mas segurando os laterais, perdemos força ofensiva pelas beiradas. Nossa força ofensiva está nas laterais, principalmente a direita. O jeito vai ser encurtar espaços e jogar em bloco. Querendo ou não temos que arriscar é aqui…
  • João Chiabi Duarte, no PHD: Discordo Elias. Observe bem o lance Thiago Heleno marcava o Kleber Pereira e continuou a marcá-lo até o fim como tem que ser. A falha na marcação de Taison foi do Elicarlos. Reveja o lance com atenção e notará que antes do Giuliano cruzar a bola, Elicarlos dá uma olhadinha e ao invés de marcar o Taison prefere marcar a trajetória da bola. O cruzamento saiu perfeito e dele saiu o gol. Culpar o Thiago Heleno por este lance é só pela posição que ele ocupa e pelo que a torcida tem contra ele. Em minha opinião, mais magro e também mais focado, nosso beque de apenas 21 anos, vai recuperando o seu status de ótimo zagueiro que teve por volta dos 17 anos quando se profissionalizou. O Cruzeiro entrou em campo com a intenção de marcar a saída de bola do Inter que tinha 3 zagueiros que não estão acostumados a jogarem juntos. Com isto desde o começo o Cruzeiro ganhou rebotes ofensivos importantes e acertou passes na vertical. Veio o pênalti, a bola foi realmente cortada com o braço pelo defensor do Inter que parece ter se assustado com o desvio feito por um colega. Kleber bateu com paradinha e fez 1×0 . Mais uma vez, não pudemos nem nos assentar em campo com a vantagem. Na saída de bola, Giuliano recebeu na esquerda e Gil saiu na cobertura. Ele cortou prá dentro e Elicarlos que vinha acompanhando a Taison, vacila e sai o gol deles. E tome bola de Fabrício deixando o Kleber em condições de concluir. Numa dessas, o Gladiador recebe e põe na rede deslocando Lauro. O Cruzeiro soube segurar o placar e levou a vantagem para os vestiários, sem abdicar do direito de atacar e de perder chances de gol. O Inter ainda meteu outra na trave com Taison, num lance que nasceu de um chute errado de Giuliano, e teve desvio fundamental de Fábio. Com as substituições o Cruzeiro atraiu o Inter para gerar os espaços e acionar Guerrón. O Inter teve um gol anulado (o atacante estava mesmo à frente da linha da bola) e pressionou, mas, o Cruzeiro fez o que devia. Tocou a bola com inteligência. Destaques especiais para Fábio, Thiago Heleno, Gil, Diego Renan, Fabrício e Kléber, que fizeram um grande jogo. Não gostei de Fernandinho, WP e Pedro Ken. Os demais tiveram atuação normal.
  • Evandro Oliveira, no PHD: Minhas notas: Fábio (8), Elicarlos (7), Gil (7), Thiago Heleno (7) e Diego Renan (7); Fabrício (9), Marquinhos Paraná (7), Fabinho (8), Pedro Ken (4); Fernandinho (2), Fábio Santos(4); Kleber (9), Guerrón (4), Wellington Paulista(3). Adílson Baptista (7).
  • Flávio Carneiro, no PHD: Mesmo jogando com 10 o tempo todo (WP não jogou), nosso mistão se comportou muito bem dessa vez e conseguiu 3 pontos importantíssimos. O destaque foi o Fabrício, numa atuação quase perfeita, tanto na armação das jogadas de ataque quanto na marcação de meio campo. Fábio, mais uma vez, garantiu o resultado sempre que foi exigido. Ele merece estar na seleção do Dunga.
  • Arthur Alvarenga, no PHD: Conseguimos um pênalti aos 4 minutos, bem convertido e com muita reclamação. Meio rigoroso. Parece que se achou por bem, devolver o gol quase de imediato, aos 6 , quando a zaga deixou Taison cabecear livre. K30, que já havia perdido uma boa chance, recebeu lançamento sensacional de Fabrício e guardou. Dai pra frente foi muita luta. O 8 do Inter cansou de bater no tornozelo e o juiz não lhe deu cartão amarelo. No 2º tempo o Inter foi todo pressão e teve um gol anulado corretamente, embora no nascedouro do lance tivesse havido falta não marcada de um jogoador do nosso time. Pela valentia e luta, o resultado foi merecido e muito bom.
  • Casé, no PHD: Pessoal, gostei de todo o time. A defesa comportou-se muito bem. TH, no 1º tempo, tirou várias bolas de Taison. No 2º, sofreu muito. Os laterais foram corretos e não tivemos grandes sobressaltos. O meio de campo foi muito bem, mesmo jogando com um a menos(Fernandinho). O ataque também esteve estiveram excelente.
  • Danilo_VIX, no PHD: Em um jogo sem o time principal de cada equipe fica difícil de avaliar quem está mais preparada para o longo Morrinhão deste ano. Fato importante foram os 3 pontos conquistados pelo Cruzeiro. No 1º tempo, a marcação forte no campo de defesa do Inter foi fundamental para abafar a correria do início da partida e a tentativa do Colorado de sair na frente. Não há dúvidas de que Fabrício foi peça chave para a vitória, junto com a garra do Gladiador, que não se deixou abalar pelas críticas de que vinha rendendo abaixo do esperado. Ele mostrou, que quando se precisa dele, há resposta positiva. Ele joga e trabalha pro time ter sucesso. Elicarlos, que teve um começo de ano arrebatador, mostrou que após a contusão continua guerreiro e em acensão pra se tornar um excelente jogador. No 2º tempo, Adilson quis segurar o resultado, mas o fez de modo arriscado porque tirou a posse de bola do Cruzeiro do meio de campo. Recuou e chamou o Inter pro campo de defesa celeste. Mesmo antes da saída de Fernandinho, isso já dava indícios de que isto aconteceria. Sem o esquema do 1º tempo, quase tivemos a vida complicada, mas vencemos por sorte. Elicarlos esteve muito bem, assim como a dupla de zaga. Continuo afirmar que depois que Gil e Thiago Heleno aprenderam a dar chutão adquiriram mais confiança. Gostei da dupla de zaga. Mas contra o São Paulo será mais tenso.
  • Bruno Barros, no PHD: Realmente, a defesa que o Fábio fez naquele chute do Taison, foi coisa de cinema, é um craque no gol e só não vai a Copa porque o Dunga prefere o Doni, assim como prefere o Júlio Batista ao Ganso. Fazer o quê? Diego Renan também tá demais! Fabrício, em sua melhor fase, e ainda vai melhorar fisicamente, mas tá jogando muito. Gilberto, Jonathan, e Paraná voltando a jogar muito bem, Henrique, sempre bem nas partidas, figura indispensável nesse meio de campo, Thiago Ribeiro, voando, Kleber, bem também. Leonardo Silva, um dos melhores zagueiros jogando no Brasil, o time tá azeitado pra conquistar a vaga na semifinal, se vier mais um bom zagueiro, será muito bem vindo. Mas as torres gêmas, Gil e Thiago Heleno estão melhores esse ano. Não são os zagueiros dos sonhos de ninguém, acredito, muito menos dos meus, mas deram conta do recado até o momento, é hora de dar um voto de confiança pros caras subirem ainda mais de produção.

Transmissão

  • GloboMG
  • PPV

Links e Fontes