Hebert Carlos Revetria

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar

[edit]

Revétria
Revetria.jpg
Informações pessoais
Nome completo Hebert Carlos Revetria
Data de nasc. 27/08/1955 (64 anos)
Local de nasc.

Apelido Revétria
Posição Atacante
Jogos 63
Gols 22
Elenco atual? Não
Primeiro jogo
Cruzeiro 2x0 ESAB - 29/06/1977
Último jogo considerado
Uberaba 2x0 Cruzeiro - 29/04/1979


Histórico[editar]

O Carrasco dos Clássicos[editar]

Heber Carlos Revétria, que jogou no Cruzeiro de 1977 à 1978, fez 63 partidas e marcou 22 tentos. Naquela época o Campeonato Mineiro era disputado em duas fases de pontos corridos, os campeões das duas fases disputavam a final. O Atlético-MG foi campeão da primeira fase e o Cruzeiro da segunda. E foi aí que a história do uruguaio Revétria começou no nosso clube, antes mesmo de estrear.

No dia 25 de setembro de 1977 Cruzeiro e Atlético-MG faziam a primeira partida da final num Mineirão cheio, com presença de 61.698 pagantes. O Atlético-MG acabou vencendo a partida com um gol de Danival, marcado aos 28’ do primeiro tempo. Os atleticanos encheram o peito pra gritar campeão muito antes da hora, o jogador listradinho Cerezo foi as rádios (leiam: Itatiaia) soltar foguetes antes da hora, disse que enquanto ele e uns outros jogassem ali não perderiam para o Cruzeiro. O clima ficou tenso pra segunda partida.

O Cruzeiro entrou precisando de uma vitória a qualquer custo, era questão de honra, a vitória levaria os times à terceira partida, a “nega”. Era 2 de outubro, quando o uruguaio recém contratado entrou ao lado de Joãozinho, ninguém ali imaginava que era o estreante quem ia fazer a festa da torcida azul. Com seu black-power, bigode e cordão de medalinha marcantes o “hermano uruguayo” encaçapou três bolas no fundo das redes alvi-negras. Primeiro Marinho marcou 1x0 pra eles, e Revétria empatou. Já no segundo tempo Revétria marcou mais dois gols decidindo a partida, no final Reinaldo ainda diminuiu o placar. Atlético-MG 2 x 3 Cruzeiro.

A terceira partida ocorreu uma semana depois, no dia 9. Jogo difícil, disputado e tenso. Reinaldo acabou acertando uma bola aos 35’ e colocando o Atlético-MG na frente, diante dos 122.534 presentes. Os times foram ao intervalo com o jogo tendendo ao lado negro da lagoa.

Quando voltaram o gol demorou a sair, até os 70’ quando Revétria marcou o gol inúmeras unhas foram roídas nas arquibancadas. De novo, o uruguaio mudou a história do jogo: empatando o placar. O título foi decidido na prorrogação, na qual o Cruzeiro se sagrou campeão marcando 2 gols, com Lívio e Joãozinho.

Há indícios de que atleticanos que compareceram ao jogos da final de 1977 até hoje sonham com gols de Revétria, alguns tentaram resolver o trauma com tratamento psiquiátrico, mas é só chegar perto de um deles e dizer “Revétria” que começam botar ovos. Revétria saiu do Cruzeiro em 1978 e foi para o futebol mexicano, mais tarde encerrou a carreira no River Plate, mas até hoje cultiva relações com o Cruzeiro. Inclusive foi o próprio que nos convidou para aquele Torneio de Verão, no qual também sapecamos as penas do emplumadinho.[1]

Dados ano a ano[editar]

    Lista está ordenada por número de jogo. Clique nas setas para mudar ordenação
    Ano Jogos Titular Reserva Cartões Amar. Cartão amarelo recebido aos Cartões Verm. Cartão vermelho recebido aos Gols Gol aos do Banco
    1977 22 19 3 1 0 10 0
    1978 11 5 6 1 0 2 0
    1979 6 5 1 0 0 1 0

Confrontos como jogador adversário[editar]

Enfrentou o Cruzeiro 0 vezes: 0 V, 0 E, 0 D. Marcou 0 gols.

Jogos[editar]

Não há registro de jogos como adversário

Título[editar]

Referências[editar]