Estudiantes 0x0 Cruzeiro - 08/07/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Goiás.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x3 Escudo Atlético-MG.png
Por Copa Libertadores da América 2009
Escudo Grêmio.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x2 Escudo Estudiantes.png
No estádio Ciudad de La Plata
Escudo Estudiantes.png 4x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Estudiantes.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png
Contra Estudiantes
Escudo Estudiantes.png 4x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x2 Escudo Estudiantes.png

[edit]

Escudo Estudiantes.png
Estudiantes
0 × 0 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Jogo de ida - Final - Copa Santander Libertadores 2009
Data: 8 de julho de 2009 Local: La Plata, ARG
Horário: 21:50 Estádio: Ciudad de La Plata
Árbitro: Jorge Larrionda Público pagante: 45.000
Assistente 1: Pablo Fandiño (URU) Público presente: Não disponível
Assistente 2: Mauricio Espinosa (URU) Renda: Não informado
Súmula: Não disponível
Escalações
Estudiantes: Cruzeiro:

21. Andújar 1. Fábio
3. Cellay 2. Jonathan
14. Schiavi Cartão amarelo recebido aos 27  (1T) 27'  (1T)   22. Leonardo Silva
2. Desábato Cartão amarelo recebido aos 3. Anderson Beraldo
16. Cartão amarelo recebido aos 20. Gerson Magrão Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada 42'(2T) de jogo 42'(2T) ( 21. Fabinho Alves )
22. Braña 15. Henrique
8. Pérez 7. Marquinhos Paraná
11. Verón 8. Ramires
23. Benítez Cartão amarelo recebido aos 15  (1T) 15'  (1T)   Substituição realizada 32'(2T) de jogo 32'(2T) ( 18. Nuñez ) 10. Wagner Cartão amarelo recebido aos 39  (1T) 39'  (1T)  
10. Fernández Substituição realizada 37'(2T) de jogo 37'(2T) ( 7. Salgueiro ) 25. Kléber Cartão amarelo recebido aos 42  (1T) 42'  (1T)  
17. Boselli 9. Wellington Paulista Cartão amarelo recebido aos 40  (2T) 40'  (2T)  
Técnico: Alejandro Sabella Técnico: Adilson Batista
Reservas que não entraram na partida
Estudiantes: Cruzeiro:
5. Sanchez 12. Andrey
6. Fernadez 5. Fabrício
9. Calderon 6. Athirson
13. Diaz 11. Thiago Ribeiro
25. Albil 16. Bernardo
17. Elicarlos


O jogo

Primeiro Tempo

  • 22h04 – Começa o jogo. Os times estão com uniformes tradicionais. O Cruzeiro defende o gol à esqeurda. Muita dumaça provocada pelos sinalizadores da torcida do estudiantes deixa o campo com má visibilidade.
  • 01 - Anderson Beraldo (AB) comte falta em Fernandez, pela esquerda do ataque local. Veron cobra, Leonardo Silva (LS) corta.
  • 03 - Schiavi empurra e chuta Kléber na linha de meiod e campo.
  • 05 – Cellay toca para Benítez na área, mas o juiz marca impedimento.
  • 06 – Wagner cobra escanteio pela direita. Bola sai fechada, Leonardo Silva tenta desviá-la, mas a não consegue.
  • 07 – Gerson Magrão perde bola na esquerda, Benitez cruza sobre a área do Cruzeiro, AB corta.
  • 09 – Cellay cruza da direita, Fábio defende.
  • 10 - Estudiantes marca a saída de bola do Cruzeiro.
  • 11 – Verón cobra falta da entrada da área, Fábio espalma pra escanteio com dificuldade.
  • 14 – Benítez dá carrinho em Marquinhos Paraná (MP) e recebe cartão amarelo.
  • 15 – Gerson Magrão recebe de Wagner e chuta forte, bola sai pela linha de fundo.
  • 17 – Pérez tabela com Fernandez, recebe na área e chuta forte. Fábio faz grande defesa e evita o gol do Estudiantes.
  • 18 – Estoura um cano atrás doa rco celeste e água invade a área. Veron cobra escanteio pela direita, Gerson Magrão, na primeira trave, corta de cabeça.
  • 20 - ruzeiro troca passes e prende bola no ataque.
  • 22 – Fernández passa a Boselli, mas o juiz marca impedimento.
  • 24 - Wellington Paulista (WP) recebe passe de Wagner na área, mas está impedido.
  • 25 - Schiavi derruba Ramires na entrada da área e recebe cartão amarelo.
  • 26 – Wagner cruza, Leonardo Silva cabeceia à direita de Andujar.
  • 28 – Ramires recebe na área, mas chuta para fora.
  • 30 - Cruzeiro começa a segurar a bola. á cosegue atacar um pouco mais. O Estudiantes está sob controle.
  • 31 - Wagner comete falta em Benitez. Verón cobra falta da direita, por cima do travessão.
  • 34 – Marcação forte dos dois lados, muitos erros de passe.
  • 36 - Benítez cobra falta da direita, Fábio salta com Schiavi e tira de soco.
  • 38 - Estudiantes troca passes. Perez cruza, MP corta.
  • 39 – Wagner derruba Braña e recebe cartão amarelo.
  • 41 – Kléber reclama e recebe cartão amarelo.
  • 42 – Ré lança Fernández na esquerda. O atcante entra na área, mas é desaramdo por LS com um carrinho.
  • 44 - Verón acerta chute de fora da área, Fábio faz outra bela defesa e evita gol do Estudiantes.
  • 45 – Gerson Magrão (GM) perde bola para Fernandez, que cruza. Boselli ajeita, Veron pega de primeira, Fábio defende com grande dificuldade.
  • 46 – Ré cruza, Fábio tira de soco.
  • 47 – Fim do 1º tempo.

Segundo Tempo

  • 23h12 – Começa o 2º tempo com saída do Cruzeiro. Entrevistado, Adílson Batista diz que o time precisa sair mais para o jogo.
  • 02 – Boselli recebe de Verón na esquerda e cruzadiretamente pra fora.
  • 03 – Boselli chuta forte, à queima roupa. Fábio defende com dificuldade. No rebote, Anderson Beraldo manda para escanteio. Braña cobra, Schiavi cabeceia no ângulo superior direito de Fábio que voa e desvia para escanteio.
  • 06 - Wagner cobra a falta para GM, recebe de volta na área, cruza, Schiavi empurra WP dentro da área. Pênalti que o juiz não vê e manda seguir o jogo.
  • 09 – Jonathan chuta de fora da área, Andújar defende.
  • 11 – Benítez cobra falta da direita, Kléber corta de cabeça.
  • 12 -Verón e Ramires disputam pelo alto. O argentino leva cotovelada e cai sangrando no rosto.
  • 15 - Cruzeiro trocar passes e valoriza posse de bola.
  • 19 – GM calça Verón e recebe cartão amarelo.
  • 20 – Veron sai para fazer curativo. Benitez cobra falta para a área. Wagner corta de cabeça.
  • 21 – Desábato dá carrinho em Jonathan e recebe cartão amarelo.
  • 23 – Pérez faz boa jogada pela esquerda, cruza pra área, Schiavi cabeceia pra fora.
  • 26 - Cruzeiro prende a bola, impedindo que Estudiantes force o jogo.
  • 28 - WP tenta finalizar, Desábato corta pra ecscanteio. Wagner cruza, Schiavi corta, Kléber apanha o rebote e recebe falta fora da área.
  • 29 – Jonathan cruza da direita, LS cabeceia pra fora, rente ao poste direito de Andujar.
  • 30 - Nuñez substitui Benítez.
  • 34 – GM chuta cruzado, Andujar rebate. Kléber chega batendo, dentro da pequena área, mas a bola sai à direita do arco argentino. Melhor chance do Cruzeiro na partida.
  • 36 – Salgueiro substitui Fernández.
  • 38 – LS escora, de cabeça, cruzamento sobre a área. WP chuta com força. Bola passa por cima do travessão.
  • 39 – WP derruba Verón e recebe cartão amarelo.
  • 40 – Fabinho Alves substitu Gerson Magrão, que sai no carrinho-maca sentindo câimbras.
  • 42 – Kléber passa a Wagner, que cruza. Desábato corta.
  • 44 – Wagner cruza, de curva, Desábato corta.
  • 45 – Salgueiro comete falta em Henrique e chuta cruzado. Bola sai á esquerda de Fábio.
  • 46 – Fabinho Alves desarama Perez e lança WP. Andujar fica com a bola.
  • 47 – Fabinho Alves chuta de longe, bola desvia em Schiavi e sai para escanteio.
  • 48 – Termina a partida.
  • Wagner: “Adílson me colocou pra marcar o lateral-direito deles. Em Beagá, vamos atacar mais.”
  • Leonardo Silva: “Conseguimos manter o 0×0, demos um passo importante rumo ao título.”
  • Fábio: “Glória a Deus! Nossa equipe lutou. O Estudiantes quis tirar um jogador nosso a qualquer custo, mas não conseguiu.”

Atuações

  • Adílson Batista : Armou o time com a escalação mais lógica que tinha… A equipe melhorou do 1° para o 2° tempo. Tem o grupo nas mãos.
  • Torcida – Compareceu em pequeno número, mas foi animada o suficente pra empurrar o time. Faixas da TFC e da Máfia podeim ser vistas no Ciudad de La Plata. (Síndico)
  • Fábio – Impecável. Pegou até pensamento.
  • Jonathan – Jogou muito bem defensivamente e apoiou quando deu. Gostei da raça.
  • Anderson Beraldo - Teve alguma dificuldade, mas, soube se superar. Valeu ter jogado com a garotada, pois mostrou rítmo de competição. Foi importante a sua calma. Não brincou nunca.
  • Leonardo Silva – Um esteio na defesa. Ótimo no jogo aéreo.
  • Gerson Magrão – Foi a válvula de escape, jogou muito. Criou situações de gol, não se intimidou, Gostei de novo.
  • Fabinho Alves – Entrou aos 40 da etapa final para recompor a defesa e não desafinou.
  • Henrique – Marcou bem na frente da defesa e pelo lado direito. Verón não teve boa vida com ele. Não errou passes.
  • Marquinhos Paraná – Outra atuação importante. Joga coletivamente. Ajuda a defesa, passa pra dar oportunidade de desafogo a quem tem a posse de bola. Seu futebol é espetacular.
  • Wagner – Fez a função tática pedida pelo treinador impedindo que o lateral mascaradinho do Estudiantes tivesse vida boa. Cadenciou, brigou, chegou junto, marcou. Uma atuação de muita garra e inteligência futebolística.
  • Ramires – Apareceu pouco, mas, quando apareceu o Cruzeiro quase chega ao gol. Lutou como de costume, embora sem o brilho costumeiros. Com certeza, vai arrebentar com o jogo em Beagá.
  • Kléber – O futebol de sempre, de contato e muitas faltas sofridas. Sabe segurar a bola para o time jogar. É essencial para a equipe.
  • Wellington Paulista – Raçudo, se doou na marcação, forçou os beques do Estudiantes a darem chutões porque os marcou em cima. Ajeitou uma bola para Kléber e, depois, na raça, chutou um prego pra quase fazer um gol. Gostei do empenho.
  • Juiz & Bandeiras – Cuidaram, primeiro, de segurar o jogo. Com um mínimo de dispciplina garantida, deixaram a aprtida correr mais na etapa fiunal. E não cometeram erros grabes. (Síndico)
  • Adversários – Desábato foi um leão na defesa. Verón não brilhou e o melhor da meia cancha foi Perez. No ataque, Fernandez é um perigo constante pela boa colocação e rapidez de raciocínio. Andujar, o goel~eiraço, foi pouco acionado, pois das dez conclusões do Cruzeiro, somente uma foi em direção a seu arco. Alejandro Sabella, o treinador, mostrou compet|ência. Tem um time armado, consciente e perigoso para o qual não se pode abrei a guarda. (Síndico)

O que foi dito

  • “Foi 0×0 a partida de ida da final da Copa Libertadores. O goleiro Fábio salvou sua equipe e foi a figura do jogo, mesmo que os visitantes ainda tivessem a chance mais clara nos pés de Kléber. Na quarta-feira, em Belo Horizonte, a revanche. Será muito difícil para o Estudiantes, que na fase de grupos perdeu ali por 3×0.” (Clarin, jornal de Buenos Aires)
  • “Sem jogo nem gols, Estudiantes se encheu de dúvidas ao não encontrar respostas perante um Cruzeiro, que lhe cortou os circuitos criativos e cuja proposta foi mais iluminada. O 0×0 deixa interrogações sobre a revanche da próxima quarta-feira, em Belo Horizonte. A equipe platense não pôde mostrar sua maior virtude: resolver problemas. No primeiro capítulo da final, ela se encontrou com uma encruzilhada chamada Cruzeiro, que não decifrou. Confundiu-se em sua busca e não pode alcançar o que pretendia: ganhar a primeira parte da decisão. Nervos e a ansiedade se conjugaram e atuaram diretamente sobre as equipes e o jogo ofereceu mais choques do que ações coletivas.” (La Nacion, jornal de Buenos Aires)
  • “O Estudiantes não jogou bem na partida de ida pelo título da América. Falatram-lhe idéias, por isto empatou sem gols com o Cruzeiro que, ontem, teve no bom arqueiro Fábio, sua maior figura. Na próxima quarta-feira, em Belo Horizonte, o time platense tentará confirmar sua história e obter, pela 4ª vez, a preciosa copa.” (Norberto Verea, do diário esportivo Olé)
  • “Desta vez, La Bruja se dedicou mais à contenção do que à criação, clara mostra de um físico que não lhe deu corda para outro tipo de ação. O Estudiantes contou com as suas sutilezas e com toda a contundencia anímica que tem sua presença em campo, ainda que a aposta foi a abordagem pelos lados, tanto por Enzo Pérez como por Benítez. Eles e Gastón Fernández, marcado intensa e individualmente por Henrique, que se resignou à tarefa habitual do volante tampão para dedicar-se ao jogador do Estudiantes. Assim, La Gata Fernández usou os lados para participar das jogadas mais perigosas de sua equipe, como aquela magnífica devolução a Pérez no primeiro tempo ou a que ele mesmo definiu mal tambén mano a mano com Fábio. Faltou à equipe argentina marcar um gol, embora tenha pressionado o quanto pôde. Mas os brasileiros cortaram e bateram, às vezes em excesso, diferente de suas caraterísticas. Houve golpes fortes, pequenas infrações, uma aposta no desgaste físico geral e no avanço inexorável dos ponteiros do relógio. Ordenado e plantado atrás, somente quando percebeu que algumas pernas pinchas começaram a perder estabilidade, foi que o Cruzeiro começou a sair da toca e a mostrar que parecia guardar suas armas mais afiadas para a definição em Belo Horizonte. Quando há brasileiros no meio, nunca se sabe quantos gols seriam suficientes para com tranquilidade à partida revanche. O Estudiantes, que passou batido por estes primeiros 90 minutos, ja demostrou, na Era Sabella, espírito e sabedoria que parecem herdadas de outros leões ferozes.” (Olé, jornal esportivo de Buenos Aires)
  • “O goleiro de Cruzeiro, foi a figura da partida ao evitar, com suas defesas. O Estudiantes buscou a vitória, mas chocou-se com Fábio e, no final, teve de se conformar com o empate.” (Diagonales, jornal de La Plata, Argentina)
  • “Estudiantes irá a BH pela façanha. Fábio realizou defesas incríveis em arremates de Pérez e Verón. Fez tudo bem. O cruzeirense roubou do Estudiantes o grito de gol.” (La Plata, jornal argentino)
  • “Não era o resultado que queríamos, mas vamos com toda fé para o Brasil. Para o Estudiantes as coisas nunca foram fáceis. Controlamos a situação em boa parte do jogo. Dominamos as ações, mas esse tipo de final nunca é fácil. Está tudo aberto. Temos que jogar do mesmo jeito que vínhamos fazendo nas fases anteriores.” (Verón, armador do Estudiantes)
  • “Tivemos mais oportunidades claras de gol. Eles, praticamente, só tiveram um chute que passou rente ao poste no 2º tempo. Criamos mais jogadas durante toda a partida, mas não não conseguimos definir. Isso dificulta a mudar a situação desfavorável. Sabíamos que seria difícil. O Cruzeiro é uma das melhores equipes que enfrentamos. O reflexo disso foi o que se viu na cancha. Eles jogam bem e têm velocidade. O adversário gasta enorme esforço físico e mental para marcá-los.” (Alejandro Sabella, treinador do Estudiantes)

Vídeos

Melhores momentos

Transmissão

  • Sportv
  • GloboMG