Cruzeiro 8x3 Siderúrgica - 16/02/1966

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Rússia.png Gol aos do Escudo Tupi.png 3x2 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 6x0 Escudo Uberlândia.png Gol aos do Escudo Uberlândia.png 1x4 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Rússia.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x2 Escudo Corinthians.png
Contra Siderúrgica
Escudo Siderúrgica.png 0x5 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Siderúrgica.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
8 × 3 Escudo Siderúrgica.png
Siderúrgica
22ª rodada do Campeonato Mineiro de 1965
Data: 16 de fevereiro de 1966 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: Não disponível Estádio: Mineirão
Árbitro: Luis Pereira Filho Público pagante: 4.537
Assistente 1: João Miguel Andere Público presente: 6.000
Assistente 2: José Gomes Renda: Cr$ 4.480.500,00 R$ 4.480.500 <br />Cr$ 4.480.500 <br />NCr$ 4.480.500 <br />Cz$ 4.480.500 <br />NCz$ 4.480.500 <br /> (preço médio: Cr$ 987,55 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Siderúrgica:

1. Tonho Substituição realizada de jogo ( Valdir ) . Bernardinho
2. Pedro Paulo . Hamilton
3. William . Carlos Martins
4. Vavá . Zé Luís
5. Neco . Geraldino
6. Piazza . Edson Gol aos 59 do 59'
7. Dirceu Lopes  Gol aos 36 do  (2T) 36'  (2T) . Zé Emílio
8. Tostão  Gol aos 10 do  (2T) 10'  (2T) Gol aos 16 do  (2T) 16'  (2T) Gol aos 44 do  (2T) 44'  (2T) . Ernani
9. Natal  Gol aos 24 do  (2T) 24'  (2T) Gol aos 35 do  (2T) 35'  (2T) . Adair Gol aos 63 do 63' Gol aos 88 do 88'
10. Marco Antônio  Gol aos 36 do  (1T) 36'  (1T) . Silvestre
11. Hilton Oliveira  Gol aos 30 do  (1T) 30'  (1T) . Guará
Técnico: Aírton Moreira Técnico: Juquita
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Siderúrgica:

* Renda em Cr$
* Público presente estimado

Sobre o jogo

Na penúltima rodada do campeonato, o Siderúrgica, campeão de 1964, venceu o Atlético e garantiu a terceira colocação em 1965.

Nada mal para um clube que, no ano anterior, sob o comando de Yustrich, investira pesado e, agora, desclassificado pelo Grêmio Porto-alegrense nas quartas-de-final da Taça Brasil (0×2, em Porto Alegre e 2×2, em Belo Horizonte) andava de farol baixo, em crise.

Vencer o campeão poderia motivar o povo sabarense e, por extensão, os administradores da Cia. Belgo Mineira, que estava indecisa quanto a continuar financiando a instituição.

A vitória não aconteceu e a ameaça, infelizmente, tornou-se realidade

no ano seguinte. Para o Cruzeiro, contudo, o jogo seria apenas uma festa.

O Siderúrgica resistiu durante quase meia hora.

Aos 30, Hilton Oliveira venceu Hamilton na corrida e centrou rasteiro. Tostão pegou de primeira. A bola explodiu na trave e voltou para a conclusão perfeita de Natal: 1×0.

Aos 36, Zé Luiz atrasou para Bernardino, mas Dirceu se meteu no lance para tomar a bola e servir a Marco Antônio que chutou para fazer 2×0.

O 2º tempo teve média de um gol a cada cinco minutos.

Aos 10, Dirceu colocou Tostão na cara do gol. O meia-atacante tocou com sutileza: 3×0.

Aos 14, de pênalti, Edson marcou o primeiro do time sabarense: 3×1.

Aos 16, Carlos Martins cometeu pênalti em Dirceu Lopes. Tostão bateu: 4×1.

Aos 18, Ernani driblou Neco e cruzou. Na pequena área, Adair concluiu pra as redes: 4×2.

Aos 24, Natal recebeu de Tostão e marcou: 5×2.

Aos 34, Marco Antônio, contundido, deixou o gramado. O Cruzeiro ficou com dez jogadores, pois já havia substituído Tonho por Valdir. Nada mudou.

Aos 35, Hilton centrou, Natal fez 6×2.

Aos 36, gol com a assinatura do Dez de Ouros. Em velocidade, Dirceu driblou, Zé Luiz, Carlos Martins, Geraldino e Bernardino. Podia levar bola até às redes. Daria confusão, por isso, ele só a tocou suavemente: 7×2.

Aos 43, Adair fez mais um para Esquadrão de Aço: 7×3.

Um minuto depois, Tostão recebeu de Hilton Oliveira, driblou Bernardino e fechou a goleada: 8×3.

Ficou faltando um gol para Tostão alcançar Roberto Mauro, do Atlético, na artilharia.

Fonte