Cruzeiro 6x1 Americano - 14/09/1966

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 5x1 Escudo América-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Atlético-MG.png
Por Taça Brasil
Escudo Americano.png 0x4 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Grêmio.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 5x1 Escudo América-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Atlético-MG.png
Contra Americano
Escudo Americano.png 0x4 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Americano.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
6 × 1 Escudo Americano.png
Americano
Taça Brasil (oitavas de final)
Data: 14 de setembro de 1966 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: Não disponível Estádio: Mineirão
Árbitro: Altamir Vieira (RJ) Público pagante: 6.531
Assistente 1: Doraci Jerônimo Público presente: 7.000
Assistente 2: Joaquim Gonçalves Renda: Cr$ 9.170.400,00 R$ 9.170.400 <br />Cr$ 9.170.400 <br />NCr$ 9.170.400 <br />Cz$ 9.170.400 <br />NCz$ 9.170.400 <br /> (preço médio: Cr$ 1.404,13 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Americano:

1. Raul Substituição realizada de jogo ( Tonho ) 1. Dias
2. Ilton Chaves 2. Budica
3. William 3. Zé Henrique
4. Cláudio 4. Marcinho
5. Piazza 5. Zé Alcindo aos 44 do  (2T) 44'  (2T)
6. Neco 6. Gilberto
7. Natal 7. César Substituição realizada de jogo ( Adalberto )
8. Zé Carlos  Gol aos 34 do  (2T) 34'  (2T) 8. Edinho
9. Evaldo  Gol aos 6 do  (1T) 6'  (1T) Gol aos 4 do  (2T) 4'  (2T) 9. Gessi
10. Marco Antônio  Gol aos 24 do  (1T) 24'  (1T) Gol aos 5 do  (2T) 5'  (2T) 10. Geraldo Brás
11. Hilton Oliveira 11. Paulo Roberto Gol aos 14 do  (2T) 14'  (2T)
Técnico: Airton Moreira Técnico: José Damas Ortiz
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Americano:

O jogo

Sem Tostão, poupado, e Dirceu Lopes, contundido, o tripé de meio de campo cruzeirense se desfez. O time jogou num 4-2-4 clássico.

Pior para o Americano. Com Piazza e Zé Carlos perfeitos na marcação e na armação, o Cruzeiro teve quatro atacantes para azucrinar a defesa fluminense. Um deles, Natal, estava endiabrado.

Os gols foram surgindo em ritmo de treino, como previra William.

Aos 6, Evaldo recebeu lançamento de Zé Carlos e chutou de pé trocado no canto direito do goleiro: 1×0.

Aos 24, Marco Antônio desarmou Zé Alcindo, passou a bola a Natal. O ponta driblou três defensores antes de devolvê-la ao centroavante, que chutou de pé direito: 2×0.

Placar discreto para um 1º tempo em que o Cruzeiro passeou em campo.

Aos 5 do 2º, Natal acertou o travessão numa batida de falta. No rebote, Marco Antônio fez 3×0.

Aos 14, Paulo Roberto driblou três cruzeirenses e diminuiu: 3×1.

Aos 34, Natal bateu outra falta. Dias soltou. Zé Carlos fez 4×1.

Aos 41, Evaldo recebeu lançamento de Natal e chutou na saída do goleiro: 5×1.

Aos 44, Dias soltou a bola de uma falta batida por Natal. Apavorado, Zé Alcindo, o marcador do Diabo Louro, fez contra: 6×1.

Pós jogo

No dia seguinte, os jogadores receberam Cr$100.000 de bicho.

Dois dias depois, caiu a pedra 1 no sorteio realizado na sede da CBD, no Rio de Janeiro, para definir o mando de campo nas quartas-de-final da Taça do Brasil.

Jorge Abhraão, representando Felício Brandi, escolheu jogar a primeira partida em Porto Alegre.

Quatro dias depois, Tostão voltou ao time no superclássico. Perdeu pênalti, marcou gol, deu espetáculo.

A semana de oito dias, que começara com 5×1 sobre o América, terminava com 2×0 sobre o Atlético. A torcida cantou: “É coelho no almoço e galo no jantar!”

Fonte