Cruzeiro 5x2 Fluminense - 07/12/2003

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Paysandu.png Gol aos  do Escudo Bahia.png 0x7 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Paysandu.png Gol aos  do Escudo Bahia.png 0x7 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Paysandu.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Valeriodoce.png
Contra Fluminense
Escudo Fluminense.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Fluminense.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
5 x 2 Escudo Fluminense.png
Fluminense
45ª rodada do Campeonato Brasileiro 2003
Data: 7 de dezembro de 2003 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 16h Estádio: Mineirão
Árbitro: Wallace Nascimento Valente Público pagante: 37.728
Assistente 1: Alfonso Scarpati Público presente: Não disponível
Assistente 2: José R. Maciel Linhares Renda: R$ 481.112,50
R$ 481.112,5
Cr$ 481.112,5
NCr$ 481.112,5
Cz$ 481.112,5
NCz$ 481.112,5
(preço médio: R$ 12,75 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Fluminense:
1. Gomes 1. Kléber
2. Maurinho Substituição realizada  de jogo ( Maicon ) 2. Júnior César Cartão amarelo recebido aos
3. Cris 3. César
4. Edu Dracena Cartão amarelo recebido aos 4. Rodolfo Gol aos 24 do  (1T) 24'  (1T) Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( Antonio Carlos )
5. Leandro 5. Jadílson Gol aos 34 do  (2T) 34'  (2T)
6. Augusto Recife Substituição realizada  de jogo ( Felipe Melo Cartão amarelo recebido aos ) 6. Marcão
7. Maldonado 7. Sidney
8. Wendel Substituição realizada  de jogo ( Zinho Gol aos 44 do  (2T) 44'  (2T) ) 8. Esquerdinha Substituição realizada  de jogo ( Alex Oliveira )
9. Alex Gol aos 17 do  (2T) 17'  (2T) Gol aos 32 do  (2T) 32'  (2T) 9. Thiago
10. Márcio Nobre Gol aos 25 do  (2T) 25'  (2T) 10. Marcelo
11. Mota Gol aos 3 do  (2T) 3'  (2T) 11. Romário Substituição realizada  de jogo ( Josafá )
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Renato Gaúcho
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Fluminense:


Sobre o jogo

A vontade do Fluminense em carimbar a faixa do Cruzeiro não foi suficiente. Faltou competência para o Tricolor carioca. Em outra tarde inspirada de Alex, o Cruzeiro chegou à 30ª vitória na competição, com uma goleada por 5 a 2 e segue firme em busca dos 100 pontos na competição.

A tarde - que teve início com a festa das faixas do Campeão Brasileiro e terminou com a volta olímpica com a taça oficial da CBF - começou com o gol carioca de Rodolfo. Mas o susto não foi suficiente para abater o time celeste, que voltou mais consciente para o segundo tempo e buscou a vitória.

Primeiro Tempo

A meta dos 100 pontos parecia não empolgar os jogadores celestes e o jogo contra o Fluminense começou muito morno. A primeira conclusão para o gol foi azul e só aos oito minutos, quando Wendell arrematou de cabeça um lançamento de Maurinho, mas Kléber, bem colocado, defendeu. Um minuto depois foi a vez de Maurinho acionar Márcio Nobre, que, de frente para o gol, conclui muito mal.

O Fluminense, ainda na briga para espantar a ameaça do rebaixamento, não tinha qualquer organização ofensiva. O Cruzeiro insistia pelo lado direito, com as iniciativas de Maurinho.

Aos 21 minutos o Cruzeiro avançou pela esquerda. Leandro venceu a defesa tricolor e cruzou para área. Márcio Nobre não conseguiu concluir e acabou se chocando com Kléber, pedindo a marcação de um pênalti.

A resposta tricolor só vinha nas bolas paradas. Como aos 24 minutos, quando Rodolfo aproveitou a cobrança de uma falta de longa distância e contou com a colaboração de Gomes, que numa falha incrível, permitiu a vantagem carioca. Fluminense 1 a 0.

O capitão Alex comemora com a Taça de Campeão Brasileiro de 2003 fazendo a torcida ir ao delírio no Mineirão. O gol tricolor acordou os celestes, que pareciam sentir a ressaca do título. Aos 25 minutos, Cris arrematou de cabeça, com perigo, mas a zaga do Fluminense salvou a equipe, ao desviar a bola em cima da linha. Aos 35, foi a vez de Mota tentar a igualdade no Mineirão. O atacante chutou da esquerda e Kléber, no reflexo, desviou o perigo.

O Fluminense tentava responder no contra-ataque. Aos 39 minutos, Esquerdinha recebeu na entrada da área e bateu forte. Gomes defendeu com segurança.

Segundo Tempo

O Cruzeiro voltou disposto a manter o brilho da temporada e querendo impedir que o Fluminense estragasse a festa. Logo aos três minutos, Alex fez um lançamento primoroso para Maurinho. O lateral-direito venceu Jadílson e cruzou para Mota. O Cearense não perdoou e, de dentro da área, bateu de esquerda para deixar tudo igual no Mineirão. 1 a 1.

Mas o empate era pouco para marcar a entrega oficial da taça e das faixas ao Campeão Brasileiro. Aos 17 minutos, o Cruzeiro tirou a igualdade do placar. Zinho e Leandro tabelaram e a bola encontrou os pés de Alex. O camisa 10, com muita calma, bateu de canhota, deu um lençol em Kléber, e comemorou. Cruzeiro 2 a 1, de virada.

Aos 20 minutos, o Fluminense tentou o empate. Josafá recebeu na área, tentou imitar Alex e quis encobrir Gomes, mas mandou a bola por cima do gol. Cinco minutos depois, a velha máxima do futebol apareceu de novo: quem não faz, leva. Leandro avançou pela esquerda e, já dentro da área, tocou para Márcio Nobre, que empurrou para as redes. Cruzeiro 3 a 1.

Os números da festa ainda não estavam completos. Aos 32 minutos foi a vez de Maicon servir Alex. O camisa 10 fuzilou de esquerda, da entrada da área, para fazer Cruzeiro 4 a 1.

Logo depois, quando o Cruzeiro ainda comemorava o quarto gol, o Fluminense diminuiu. Jadílson bateu de longe, a bola desviou em Cris e enganou Gomes. 4 a 2 no Mineirão.

Mas foi o Cruzeiro o último a balançar as redes no Mineirão. Aos 44 minutos, foi a vez do veterano Zinho deixar sua marca. Ele recebeu da esquerda e bateu cruzado, para fazer Cruzeiro 5 a 2.

A goleada marcou a despedida do Cruzeiro de sua torcida. A equipe encerra a temporada vitoriosa de 2003, enfrentando o Bahia, na última rodada do Brasileiro, em Salvador, no próximo domingo.

Como foi o jogo para o Talento azul

Especiamente escrito Por Alex. O craque Azul de 2003!

Antes de falar do jogo, eu queria agradecer mais uma oportunidade que tenho de manter um contato direto com a torcida celeste. Fazem 7 anos que fui embora da Toca, mas ainda sinto viva essa ligação que criamos.

Meu jogo é Cruzeiro 5×2 Fluminense.

Antes do jogo foi lindo e especial. Vi de perto uma grande maioria de atletas que participaram do Título Brasileiro de 66. Recebi a faixa de Campeão Brasileiro das mãos de Dirceu Lopes, e tive o prazer de pôr nele a merecida faixa pelo titulo de 1966. Não tive o prazer de ver Dirceu Lopes e companhia jogarem, mas cresci com meu pai (meu pai é santista e sempre me falou da final de 66) falando à respeito desse pessoal.

O Mineirão estava azul e dourado, o dourado vinha da estrela que todos sonhavam que fosse bordado junto àquelas lindas 5 estrelas que o Cruzeiro já possui normalmente. Naquele jogo me dei conta que mais do que uma estrela, marcamos uma época.

Quando Dirceu Lopes me abraçou, me lembro como se fosse agora. Ele disse:”Olhe para essa arquibancada e passeie um pouco por Minas Gerais, que você entenderá a alegria que proporcionou ao cruzeirense nesse ano”. Estava ganho o meu ano, o meu dia. Queria ir a campo e me divertir na ultima partida daquele ano no Mineirão.

Começamos como sempre. Bem, pressionando e querendo o gol. Numa falha do Gomes, num frango na falta do zagueiro tricolor saímos atrás. Lembro que fomos tranquilos ao vestiário e tomamos uma dura do Cris. Muitos estavam totalmente desconcentrados, mas mais que isso, estávamos relaxados demais, e necessitava um pouco de tensão, e a dura dada pelo xerife era sempre respeitada. Criou-se a tensão necessária, o Luxa consertou o que via de errado e fomos pro Segundo Tempo.

No túnel na volta vieram as palavras do Vanderlei. “Eu quero fazer 100 pontos’”. E fomos atrás disso. Pressionamos o Flu e empatamos com Mota, cearense que foi espetacular naquela campanha. Ai veio a parte em que retribui ao mestre Vanderlei Luxemburgo toda a confiança que depositou em mim.

Sai um bola pela esquerda com o Leo, ele domina olha e coloca no primeiro pau. Domino bem e me vejo sem espaço pra nada, e imagino o seguinte: “se eu conseguir cavar , esse goleiro não consegue voltar”. Cavei, a bola subiu, passou pelo goleiro Kléber e caiu mansa na rede do Fluminense. Os jogadores tentavam me abraçar, eu desviava de todos, queria abraçar a pessoa que mais acreditou em mim. Enfim achei o Luxa, abracei-o e disse obrigado.

Mais gols saíram e ainda fiz mais um de fora da área, depois de uma jogada do Maicon. Dessa vez fui em direção ao torcedor. Aquele mesmo que desconfiara quando cheguei, mas que sempre me tratou com o respeito e o carinho necessário. Fizemos 5 gols e poderíamos ter feito mais.

Eu escrevi a respeito desse jogo por três motivos simples. Agradecer a o Luxa pelo apoio e o credito que sempre me deu. Agradecer o imenso carinho com que sou tratado pelo cruzeirense. Ao Dirceu Lopes dizer que trocar as faixas com ele foi uma das grandes alegrias que o futebol me proporcionou.

Não é minha praia escrever, mas acho que consegui passar para vocês um pouco da emoção de ter jogado com essa camisa azul e ter marcado uma pagina importante na historia desse imenso clube.

Mídia

Vídeo

Lances do jogo
Jogo completo.

Áudio

Legenda -
Gols por Emerson Rodrigues
Gols por Emerson Rodrigues

Fontes