Cruzeiro 5x0 Social - 01/02/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Uberlândia.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Villa Nova-MG.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Uberlândia.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Villa Nova-MG.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 4x1 Escudo Portuguesa.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Guarani-MG.png
Contra Social
Escudo Social.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Última ficha →

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
5 × 0 Escudo Social.png
Social
2ª rodada do Campeonato Mineiro 2009
Data: 1 de fevereiro de 2009 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 17h00 Estádio: Mineirão
Árbitro: Alicio Pena Junior Público pagante: 15.844
Assistente 1: Guilherme Dias Camilo Público presente: 16.994
Assistente 2: Janette Mara Arcanjo Renda: R$ 225.967,50 R$ 225.967,5
Cr$ 225.967,5
NCr$ 225.967,5
Cz$ 225.967,5
NCz$ 225.967,5
(preço médio: R$ 14,26 )
Súmula: Súmula
Escalações
Cruzeiro: Social:
1. Fábio 1. Nivaldo
2. Jonathan  Gol aos 20 do  (1T) 20'  (1T) 2. Filhão
3. Leonardo Silva 3. Eleílson Cartão amarelo recebido aos
4. Thiago Heleno Cartão amarelo recebido aos  (1) 4. Tiago Emílio Cartão vermelho recebido aos
5. Fernandinho Substituição realizada de jogo ( Soares ) 5. Dykson
6. Henrique 6. Rodrigo Paulista
7. Marquinhos Paraná 7. Marcinho Cartão amarelo recebido aos
8. Ramires  Gol aos 38 do  (1T) 38'  (1T) Gol aos 8 do  (2T) 8'  (2T) 8. Rolete Cartão amarelo recebido aos
9. Wellington Paulista  Gol aos 4 do  (1T) 4'  (1T) Gol aos 35 do  (2T) 35'  (2T) 9. William Substituição realizada de jogo ( Andrezinho )
10. Wagner Substituição realizada de jogo ( Gerson Magrão ) 10. Isac Substituição realizada de jogo ( Carlos Henrique )
11. Thiago Ribeiro Substituição realizada de jogo ( Alessandro ) 11. Nei Bala Substituição realizada de jogo ( Ronaldo )
Técnico: Adilson Batista Técnico: Wantuil Rodrigues
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Social:

Pré-jogo

O Cruzeiro vem de três vitórias convincentes neste início de temporada: 4×2 sobre o Atlético-MG, 4×1 sobre o Nacional, do Uruguai, e 2×1 sobre o Uberlândia.

O treinador Adílson Baptista atribui o bom nível técnico à antecipação dos exames e dos treinos táticos na pré-temporada e ao entrosamento devido à manutenção da maior parte do elenco de 2008.

Hoje, o time celeste terá as voltas de Henrique e Wagner ao meio de campo. O desafio ficará por conta de Wellington Paulista, que pretende marcar seu 1º gol no Mineirão, algo essencial pra silenciar as primeiras cornetas que já começam a tocar no meio da torcida celeste.

O Social, que iniciou o campeonato empatando, em casa, com o Tupi, de Juiz de Fora, mantém a mesma equipe da estréia. Naquela partida, o time demorou a se impor contra o toque de bola mais refinado do Tupi. Mas demonstrou muita capacidade de luta.

Seus destaques são o lateral Filhão e o meia-atacante, William. O goleiro Nivaldo também pode se tornar um obstáculo caso esteja inspirado. Foram vendidos apenas 8.472 ingressos antecipadamente. É pouco.

A torcida deve dar uma banana pra TV e comparecer ao Mineirão pra se divertir, empurrar o time e financiá-lo. A crise global pode causar estragos ao clube e a galera, além de jogar com a 12, terá de se tornar o 1º patrocinador do Mais Querido de Minas.

O jogo

Primeiro Tempo

  • 3 – Fernandinho cruza, Thiago Ribeiro cabeceia, Nivaldo salva o gol.
  • 4 – Ney Bala recebe nas costas da zaga, entra sozinho e, cara-a-cara com Fábio chuta pra fora, à esquerda do arco celeste.
  • 7 – William faz jogada individual, mas erra o último passe.
  • 8 – Jonathan chuta cruzado, ninguém aparece pra concluir.
  • 9 – Jonathan chuta de longe, Nivaldo defende.
  • 14 – Wagner cobra escanteio, zaga despacha a bola.
  • 15 – Ribeiro recebe na direita e chuta a gol com perigo.
  • 16 – Jonathan cruza, Ramires cabeceia pra fora.
  • 17 – Filhão cruza, Fernandinho cede escanteio.
  • 20 – Henrique pega rebote de escanteio e chuta. Zaga socialina rebate.
  • 21 – Fernandinho chuta forte, cruzado; Jonathan, de primeira, desvia bolaque entra à esquerda de Nivaldo: Cruzeiro 1×0.
  • 22 – Wellington Paulista parte em velocidade para o gol e é puxado pelo pescoço por Thiago Emílio. Falta e expulsão do beque.
  • 23 – Wagner cobra a falta, Nivaldo defende.
  • 24 – Nei Bala é substituído por Ronaldo.
  • 26 – Ramires chuta cruzado, bola bate em Ronaldo, que quase Mara gol contra.
  • 28 – Filhão cobra falta sobre a área, Thiago Heleno afasta o perigo.
  • 30 – Filhão comete falta em Wagner e recebe cartão amarelo.
  • 31 – Fernandinho cruza, Henrique cabeceia, Nivaldo faz ótima defesa.
  • 36 – Jonathan chuta cruzado, Nivaldo defende.
  • 39 – Wagner rola pra Ramires, que, frente-a-frente com Nivaldo chuta rasteiro. A bola passa entre as pernas do goleiro e entra mansamente à sua esquerda: Cruzeiro 2×0.
  • 41 – Wagner é derrubado na lateral da área, pede pênalti. Alicio manda o jogo seguir.

Segundo Tempo

  • 0 – Os times voltam sem alterações.
  • 2 – Paraná chuta forte, Nivaldo defende.
  • 4 – Fernandinho cruza, da esquerda, Ronaldo afasta de cabeça.
  • 5 – Fernandinho cruza, da esquerda, Wellington Paulista aproveita da “dividida” entre o goleiro e seu beque pra tocar a bola pras redes: Cruzeiro 3×0.
  • 6 – Jonathan cruza pela direita, Eleilson, de cabeça, cede corner.
  • 8 – Ramires dá um chapéu em Rolete e chuta pra defesa de Nivaldo
  • 9 – Ramires aproveita rebote de Nivaldo e toca, rasteiro, pras redes, quase sem ângulo: Cruzeiro 4×0.
  • 11 – Fernandinho é substituído por Soares. No intervalo, o lateral havia se queixado de inflamção na garganta e de ter sofrido vômitos no vestiário, antes do jogo.
  • 12 – William é substituído por Carlos Henrique.
  • 13 – Isac é substituído por Andrezinho. Wantuil tenta reduzir a diferença no placar com jogadores descansados e velozes, capazes de fechar o meio e atacar. Mas o jogo já estava decidido e as mudanças não surtiram efeito.
  • 20 – Wagner é substituído por Gerson Magrão. A torcida gritou o nome do ex-americano.
  • 23 – Ramires perde chance de marcar o 5º gol.
  • 25 – Andrezinho recebe na meia direita, mas é desarmado pela defesa celeste.
  • 28 – Ribeiro recebe na meia esquerda, dribla vários adversários até ser desarmado.
  • 29 – Ribeiro recebe sem marcação dentro da área e chuta alto, cruzado, pra fora. Na lateral do campo, Adílson Baptista resmungou contrariado.
  • 31 – Ribeiro é substituído por Alessandro.
  • 33 – Thiago Heleno comete falta em Andrezinho na lateral-esquerda e recebe cartão amarelo.
  • 36 – Alessandro chuta de longe, com perigo para Nivaldo.
  • 37 – Jonathan chuta cruzado, Wellington Paulista desvia bola que sairia pela linha de fundo, para as redes: Cruzeiro 5×0.
  • 39 – Eleilson derruba Soares com falta dura e recebe cartão amarelo.


Vídeos

Gols

O que foi dito

  • “Parabéns ao grupo pela dedicação, empenho, seriedade. No começo o Social teve uma oportunidade, não fizeram. Depois nós criamos algumas situações, teve a expulsão que acabou facilitando. Arriscomos um pouquinho trabalhando com mais gente lá na frente. Valorizamos bem a bola, rodamos, criamos mais situações. Pecamos um pouco pela individualidade e vaidade. Futebol é coletivo. O mais simples fica bonito. Conseguimos o objetivo que era a vitória, mas não me iludo com resultado. Tenho consciência do trabalho, conheço os atletas, estamos conhecendo alguns que chegaram. É importante ter um grupo forte. Futebol não é toda hora isto. Já estamos projetando algumas coisas que temos que ter consciência, melhorar. Lá na frente vamos ter as dificuldades das competições. Tem muita coisa pra corrigir e melhorar. Ramires é um um jogador importante, extremamente profissional que quebra qualquer tipo de esquema pela movimentação como elemento surpresa. Tem muita facilidade de ajudar e chegar até em função do físico privilegiado. Está merecendo a atenção de todos e sendo elogiado por muita gente. A gente fica contente. Conheço o Villa Nova e seu estádio, sei da dificuldade que é jogar lá. Ano passado, eles fizeram um grande jogo contra nós. A bola parada é importante, o time tem força e jogadores altos. Nós podemos mudar um pouquinho nossa característica no próximo jogo.” (Adílson Baptista, treinador)
  • “Eu nunca prometi gol. Prometo empenho, vontade, determinação e raça. Graças a Deus, no decorrer da partida os gols saíram. Vão para minha filha que entrou no campo comigo, hoje. A gente fez com que o jogo se tornasse mais fácil até porque eles estavam com um jogador a menos desde o 1ºtempo. A gente estava pressionando muito, a bola estava chegando muito fácil. Quando eles ficaram com um jogador a menos, ficou mais fácil porque perderam o poder ofensivo. Ficaram com um atacante, só o Isac lá na frente, e um jogador sozinho não faz milagre. O que me ajudou foi a base mantida. Eu observo como o pessoal joga, vou pegando como o Thiago Ribeiro joga, como o Wagner joga, o Ramires, o pessoal que está perto de mim, na frente. É importante saber como eles gostam de tocar, receber. Já estou pegando entrosamento.” (Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro)

Atuações

  • Adilson Batista – Escalou certo, substituiu corretamente, reclamou do que considerou individualismo e vaidade dos atacantes e não se mostrou entusiasmado com o time nem com o resultado – DJ fazia o contrário -, pois sabe que as pedreiras a serem detonadas ainda não apareceram.
  • Torcida – Mesmo com a TV aberta mostrando jogo para Beagá, compareceu em bom número. Aliás, mesmo esvaziados e levando a lugar algum, os estaduais continuam mobilizando torcidas. Para profunda irritação os que planejam carrear para os 3 ou 4 mais poderosos do Eixo toda a torcida brasileira. Mas isto é outra história.
  • Fábio – Não teve trabalho.
  • Jonathan – Atacou o tempo todo, chutou muito e fez gol. Na Libertadores, terá menos liberdade. Ao lado de Ramires, tem sido o destaque neste início de temporada.
  • Leonardo Silva – Sem grande trabalho. Parou no único lance de perigo do Social quando Nei Bala chegou livre à frente do gol e desperdiçou oportunidade abrir o placar.
  • Thiago Heleno – No mesmo plano de Leonardo, mas com um cartão amarelo desnecessário por uma falta na lateral.
  • Fernandinho – O Rei do Facão. Sai da lateral e faz a diagonal com freqüência pra chutar a gol com o ângulo mais aberto. Quando Sorín voltar, se voltar, o baiano será reserva de Ramires e Wagner mais do que do argentino.
  • Henrique – Defendeu com eficiência e atacou na medida do possível. Quase marcou um belo gol numa cabeçada certeira que Nivaldo defendeu com muita dificuldade.
  • Marquinhos Paraná – Defendeu muito, atacou pouco e terminou na lateral-esquerda. Cumpriu bem todas as tarefas.
  • Ramires – Recebeu marcação pessoal implacável de Rolete, o que não o impediu de visitar cada canto do gramado. Lá pelas tantas, o volante socialino cansou e o Queniano jogou à vontade. Marcou dois gols de centroavante, deu chapéu, chutou ao arco adversário. Outra grande exibição.
  • Wagner – Excelente atuação. Deu velocidade ao time com passes certeiros e rápidos. Se estiver bem física e espiritualmente, fará a diferença na Libertadores, pois poucos times contam com um meia de ligação de boa qualidade técnica. O problema dele é manter altio nível durante tofa uma competição.
  • Gerson Magrão – Discreto, mas não desligado.
  • Thiago Ribeiro – Correu muito, marcou a saída de bola e arriscou vários chutes, pelo que está sendo acusado de fominhagem. Ano passado, era criticado por não marcar gols, agora por querer marcar. Estou com ele: clareou, chuta!
  • Soares – Pouco tempo em campo, mas o suficiente para movimentar-se bastante e buscar o gol.
  • Alessandro – Jogou pouco tempo, o suficiente pra fazer uma bela jogada finalizada com arremate impreciso. Será um reserva útil, daqueles que fazem o torcedor esquecer o titular.
  • Wellington Paulista – Fez dois gols de centroavante. Terá de se ajustar ao futebol veloz e de grande mobilidade de Wagner, Ramires e Ribeiro o que, convenhamos, não é pra qualquer um. Mas ele está se esforçando.
  • Juiz & Bandeiras – Dizem que o juiz deixou de marcar um pênalti sobre Wagner. Do lugar em que estava, não não vi. Como também não vi o lance pela TV, aprovo integralmente a arbitragem. Um impedimento mal assinalado pela bandeira, que correu do lado oposto às cabines, é pouco pra manchar o trabalho do trio de arbitragem.
  • Adversários – Nivaldo tomou um gol entre as pernas. Como atenuante, pode alegar que o chute de Ramires foi à queima-roupa. Fez defesas difíceis, especialmente numa bela cabeçada de Henrique que ele buscou no cantinho. William tentou jogar, mas com um esquema muito amarrado e atacantes sem habilidade, não teve com quem dialogar. Filhão continua o mesmo lateral-direito eficiente, bom na marcação e melhor ainda no apoio.

Fonte