Cruzeiro 4x0 Santos - 25/05/2008

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
Por temporada
Escudo Vitória-POR.png 1x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo América-MG.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Botafogo.png Gol aos do Escudo Coritiba.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Botafogo.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Vasco.png
Contra Santos
Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Santos.png Gol aos do Escudo Santos.png 2x0 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
4 × 0 Escudo Santos.png
Santos
3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2008
Data: 25 de maio de 2008 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 16:00 Estádio: Mineirão
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF) Público pagante: 19.291
Assistente 1: Público presente: 20.642
Assistente 2: Renda: R$ 264.292,50 R$ 264.292,5
Cr$ 264.292,5
NCr$ 264.292,5
Cz$ 264.292,5
NCz$ 264.292,5
(preço médio: R$ 13,70 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Santos:
1. Fábio 1. Fábio Costa
2. Marquinhos Paraná 2. Betão Cartão amarelo recebido aos
3. Thiago Heleno 3. Marcelo
4. Espinoza 4. Fabão
5. Jadilson Substituição realizada de jogo ( Jonathan ) 5. Kléber
6. Fabrício 6. Marcinho Guerreiro Cartão amarelo recebido aos
7. Charles Cartão amarelo recebido aos  (1) 7. Rodrigo Souto
8. Ramires 8. Molina (Wesley)
9. Wagner  Gol aos do 9. Adriano (Rodrigo Tabata)
10. Guilherme Gusmão  Gol aos do Gol aos do Substituição realizada de jogo ( Bruno Neves ) 10. Kléber Pereira
11. Jajá Substituição realizada de jogo ( Maicosuel Gol aos do ) 11. Lima
Técnico: Adilson Batista Técnico: Emerson Leão
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Santos:

Pré-Jogo

A volta de Charles recompõe o meio campo celeste. Os três volantes do Cruzeiro atacam com mais eficiência do que muitos meias ofensivos dos outros times. Mesmo assim, há quem associe a palavra volante a jogo defensivo. Apegam-se a posições e não percebem funções.

No ataque, permanece a dúvida acerca do substituto ideal para Marcelo Moreno, que está se tranferindo para o Shaktar, da Ucrânia. Jontahas tem mais presença na área, Marcinho, meia-atacante que parte do meio de campo com a bola, e Jajá, segundo atacante (no Guarani, Adriano, é quem jogava mais próximo da área), obrigariam Guilherme Gusmão a se tornar um camisa 9 mais tradicional.

O Santos vai repetir o time que venceu inutilmente o América mexicano por 1 x 0, pela Libertadores. E deve pagar algum preço pelo desgaste ocorrido nesta guerra travada 66 horas antes na Vila Belmiro. Mas como tem dois Kleber sem similares no futebol brasileiro, um na armação pela esquerda, outro na artilharia, deve incomodar muito. É jogo sem favorito.

Como foi

Primeiro Tempo

Atacando contra o gol da cidade, o Cruzeiro foi à frente, em alta velocidade, logo no início da partida. Ramires, Marquinhos Paraná e Jajá triangulavam pela direita mostrando bom entrosamento. Pela esquerda, Jadílson avançava deixando Charles na cobertura. Wagner teabalhava mais pelo meio e Guilherme Gusmão, metido entre os beques, ora tentava definir, ora fazia o pivô.

Sem um lateral-direito de ofício, o time santista teve várias oportunidades deperdiçadas nas costas de Jadílson pela inabilidade de Betão, improvisado na posição. Kleber esbanjava categoria sempre que abandonva a lateral-esqueda e se posicinava para recolher rebotes defensivos e iniciar ataques com passes, lançamentos e viradas de jogo excepcionais. Com o tempo, porém, ele teve de recuar à sua posição original, pois Jajá, aberto na ponta-direita, criava jogadas perigosas.

O domíncio celeste rendeu uma excelente oportunidade, que Guilherme Gusmão desperdiçou aos 8 minutos. Após conduzir a bola com o braço, o centroavante deixou Fabão para trás e concluiu na saída de Fábio Costa, sem sucesso. Aos 18, contudo, ele se redimiu ao receber lançamento preciso de Jajá e tocar de bico na saída do goleiro santista; Cruzeiro 1 x 0.

Um minuto depois, Wagner recebeu de Ramires e livre, à frente do gol, e chutou pra fora. A torcida entendeu e gritou o nome do meia que, apesar do apoio, passou alguns minutos cabisbaixo. O Santos também esteve perto de marcar aos 21, quando Kleber Pereira cortou Espinoza e concluiu para defesa de Fábio. E com Lima chutando por cima do travessão após receber passe de Molina, aos 25.

O jogo ficou equilibrado. Aos 31, Wagner concluiu no travessão bela jogada de Ramires e Guilherme Gusmão. As oportunidades continuaram a surgir com regularidade até o final desta etapa prenunciando um 2º tempo equilibrado.

  • 01 – Paraná desce pela direita e cruza para Jajá. Marcelo rebate de cabeça.
  • 02 – Wagner tenta driblar Marcinho Guerreiro e cai na área. O juiz manda seguir.
  • 03 – Lima corre pela ponta esquerda e cruza. Thiago Heleno antecipa-se a Kleber Pereira e cabeceia para defesa de Fábio.
  • 06 – Lima desarma Thiago Heleno, arranca pela meia-direita e, da entrada da área, chuta forte. Fábio espalma a escanteio.
  • 08 – Charles lança Guilherme Gusmão nas costas da zaga. O atacante carrega a bola com o braço, livra-se de Fabão e chuta. Com os pés, Fábio Costa desvia a bola para córner.
  • 13 – Charles desarma Lima e lança Jajá na meia-direita. O atacante chuta de canhota, Fábio Costa defende.
  • 15 – Ramires puxa contra-ataque e serve a Jajá, que chuta de longepara defesa de Fábio Costa.
  • 17 – Kleber Pereira serve Lima, que passa a Molina, na área. Charles trava e o chute sai mascado.
  • 18 – Da intermediária, pela direita, Jajá lança Guilherme Gusmão nas costas da zaga. O atacante avança e, da entrada da área, chuta, de bico, à direita de Fábio Costa: Cruzeiro 1 x 0.
  • 19 – Fábio Costa sai jogando errado, Ramires recupera a bola e serve Wagner, na cara do gol. O meia conclui rente ao poste direito do arco vazio.
  • 20 – Lima serve Kléber Pereira na área. O centroavante corta Espinoza e chuta para defesa de Fábio.
  • 24 – Jajá recebe na ponta direita e cruza. Ramires chuta de primeira, Fábio Costa defende sem dar rebote.
  • 28 – Ramires é empurrado dentro da área. O juiz manda seguir.
  • 32 – Espinoza passa a Paraná, que lança Ramires, pela direita. O Queniano cruza, Guilherme Gusmão ajeita a bola para Wagner, que arremata de canhota, da entrada da área. A bola bate no travessão e sai.
  • 34 – Adriano lança Molina nas costas da zaga. O colombiano avança e, da marca do pênalti, toca por cima de Fábio. A bola sai à direita do arco celeste.
  • 37 – Kleber Pereira cruza, Molina cabeceia por cima do travessão.
  • 40 – Paraná passa a Fabrício, que chuta forte, de longe. Fábio Costa espalma para escanteio. Na seqüência, Wagner cruza e a zaga afasta.
  • 42 – Kléber Pereira tabela com Lima, dentro da área, e chuta cruzado. Fábio espalma para escanteio.
  • 44 – Jajá recebe pela direita e chuta forte para Fábio Costa desviar a córner.
  • 45 – Fabrício chuta de canhota. A bola passa longe do arco santista.

Segundo Tempo

O Cruzeiro voltou com Jonathan no lugar de Jadílson. O multifuncional Paraná foi para a lateral-esquerda e o novo lateral-direito avançou decididamente sobre um cansado Kleber, que enlouqueceu com a incumbência de marcar e municiar seu ataque. Não conseguiu. Nem mesmo a entrada do garoto Wesley, em lugar de Molina, ajudou o ataque santista em crise de abastecimento com a contenção obrigatória de seu principal municiador.

Mais descansado, o Cruzeiro pressionou. O Santos não resistiu. Wagner virou ponta-esquerda, Jonathan atacou com disposição, Fabrício empurrou o time e Ramires, como sempre, girou por todos os lados, embora tenha feito suas melhores jogadas pela esquerda.

O Cruzeiro caiu sobre o time paulista como avalanche. E os gols saíram sem muito esforço. Aos 17, Jonathan avançou e serviu Guilherme Gusmão que, dentro da área, fintou Fabão e chutou forte no canto esquerdo de Fábio Costa: Cruzeiro 2 x 0.

Leão tentou adiantar o time trocando o volante Adriano pelo meia-atacante Tabata. O meio de campo do Santos ficou vulnerável e foi envolvido pelos deslocamentos e passes rápidos dos cruzeirenses. Aos 25, Wagner recebeu lançamento de Charles e tocou com sutileza na saída de Fábio Costa: Cruzeiro 3 x 0.

Seguiram-se 10 minutos de amplo domínio celeste. Nas arquibancadas, a torcida fazia festa e empurrava o time. Maicosuel, que entrou no lugar de Jajá, recebeu, aos 35, passe milimétrico de Jonathan e chutou forte na saída de Fábio Costa: Cruzeiro 4 x 0.

A partir daí, o Santos desmilingüiu-se e, não fosse a falta de ambição dos jogadores celestes, o placar teria subido a 5, 6 ou 7. Após ótimo 1º tempo, Kleber Pereira desapareceu. Os beques santistas pareciam rezar para a coisa acabar logo e Fábio Costa, a cada vez que se via diante dos atacantes celestes, soltava palavrões. Foi um massacre.

  • 00 – Jonathan substitui Jadílson. Wesley substitui Molina. Paraná cede a lateral-direita a Jonathan e vai jogar na esquerda. O Santos passa a ter 3 atacantes.
  • 03 – Charles chuta forte, a bola passa sobre o travessão.
  • 04 – Wesley recebe de Betão, na meia direita, mas é desarmado com falta por Fabrício. Kléber bate, a bola desvia em Wagner e sai a córner, pela esquerda.
  • 05 – Kléber cruza, Fábio tira de soco. Kléber repõe na área, Marcelo cabeceia por cima do travessão.
  • 07 – Wagner serve Guilherme Gusmão na área. O 11 chuta para defesa de Fábio Costa.
  • 08 – Jonathan avança pela meia-direita, tabela com Ramires e chuta. Fábio Costa defende.
  • 09 – Guilherme Gusmão lança Ramires na ponta-esquerda. Adriano desarma o volante cedendo lateral.
  • 10 – Jonathan recebe de Ramires e chuta cruzado para defesa de Fábio Costa.
  • 11 – Marcinho Guerreiro comete falta em Ramires e recebe o cartão amarelo. Charles empurra Guerreiro e também recebe cartão amarelo.
  • 17 – Jonathan lança Guilherme Gusmão, na área. O centroavante corta Fabão e chuta cruzado, no canto direito de Fábio Costa: Cruzeiro 2 x 0.
  • 18 – Tripodi substitui Lima.
  • 19 – Maicosuel substitui Jajá, que sai debaixo de aplausos.
  • 21 – Rodrigo Tabata substitui Adriano.
  • 25 – Guilherme Gusmão lança Maicosuel, que é derrubado por Fabão. O beque recebe cartão amarelo. Charles bate a falta lançando Wagner, nas costas da zaga. O meia avança e toca na saída de Fábio Costa: Cruzeiro 3 x 0.
  • 27 – O Cruzeiro troca passes e a torcida grita olé.
  • 30 – Wagner lança Maicosuel. Fábio costa sai da área para dividir com o meia e chuta a bola para a lateral.
  • 31 – A torcida provoca o treinador do Santos: “Puta que o pariu, o Leão parece o Clodovil!”
  • 32 – Guilherme Gusmão, jogando de pivô, serve Maicosuel, que chuta forte, à esquerda de Fábio Costa. O goleiro se irrita com sua defesa e solta um sonoro “Puta que o pariu!”.
  • 34 – Jonathan avança pela direita e lança Maicosuel, nas costas da zaga. O meia-atacante avança e chuta forte, pelo alto, vencendo Fábio Costa: Cruzeiro 4 x 0.
  • 35 – Bruno Neves substitui Guilherme Gusmão.
  • 37 – Tabata lança Kléber Pereira na área. Espinoza desarama o centroavante.
  • 39 – Paraná lança Wagner, que dribla Guerreiro e cruza. Fabão corta.
  • 43 – Ramires passa a Charles, que chuta de fora da área, pra fora.
  • 41 – Maicosuel sofre falta. Fabrício cobra para Wagner, que cruza. Bruno Neves conclui mal, Fábio Costa defende.
  • 43 – Tripodi passa a Tabata, que chuta forte, de perna direita. Fábio faz grande defesa e, na seqüência, sofre falta.
  • 46 – Kleber entra na área, Jonathan impede que ele conclua, Fábio defende e o lateral tenta chutar o goleiro.

Atuações

  • Torcida – Ainda não se encantou com o time e a competição. O público, mais uma vez, foi pequeno. E a vibração contida. Somente no 2º tempo, quando o espetáculo ficou irresistível, ela mostrou a boa forma de outras jornadas.
  • Adversários – Fábio Costa, qiue evitou uma goelada mair, Kleber, que é o faz-tudo, e Kleber Pereira, que só incomodou no 1º tempo, foram os melhores do Peixe. Feia foi a atitude de Kleber ao tentar chutar Fábio, quando o goleiro estava caído, após desfazer o útlimo ataque santista aos 45 do 2º tempo.
  • Juiz – Por pouco não complica ao permitir que Guilherme Gusmão entrasse na área em condição de marcar após carregar a bola com o braço. Nos demais lances, apitou com o qualquer juiz mediano brasileiro.
  • Fábio – Fáceis ou difíceis, defendeu todas as bolas chutadas contra seu arco com tranqüilidade.
  • Marquinhos Paraná -O brilho discreto de sempre. Taticamente consciente, jogou bem nas duas laterais.
  • Jonathan – Entrou no 2º tempo e incendiou a partida com boas arrancadas e passes para 2 gols.
  • Espinoza – No 1º tempo, encontrou dificuldades para marcar Kleber Pereira. Mas quem não teria? No 2º, jogou com a tranqüilidade de sempre enquanto os santitstas perdian élan.
  • Thiago Heleno – Impecável durante os noventa e poucos minutos.
  • Jadílson – Atacou muito, incomodou Betão, mas não concluiu com êxito as jogadas.
  • Ramires – Um volante que arma e ataca. Pode ser encontrado em qualquer parte do gramado sempre lutando pela bola e iniciando jogadas que surpreendem o adversário.
  • Fabrício – O Volante-em-chefe está virando maestro da equipe. Defende bem e sai com propriedade para o ataque.
  • Charles – Guerreiro. Bom de bola quando o assunto é atacar o adversário. E de briga, pois não leva desaforo para o vestiário.
  • Wagner – Perdeu 2 incríveis e, ainda assim, foi aplaudido pela torcida. O que dá a medida exata da qualidade das outras jogadas (inculindo um gol) que construiu ou concluiu.
  • Jajá – Desinibido, jogou como veterano em sua estréia. Pela ponta-dierita, criou embaraços para o laeteral-esquerdo Kleber. Produziu ótimas triangulações com Paraná e Ramires. E ainda fez 2 lançamentos milimétricos para Guilherme Gusmão, um dos quais foi transformado em gol.
  • Maicosuel – Entrou disposto a mostrar serviço. Correu muito, tentou jogadas individuais e fez um golaço.
  • Guilherme Gusmão – Perdeu 1 e marcou 2 golaços. Pode jogar entre os beques sem dificuldade. Os santistas que o digam. Só se acalmaram quando ele saiu.
  • Bruno Neves – Lento, ainda não encontrou um jeito certo de jogar num time veloz e de rápicos deslocamentos.
  • Adilson Baptista – Seu time deu espetáculo sem perder o equilíbrio. O que mais se pode exigir de um teinador?

O que foi dito

  1. Semana passada, fui cobrado pelo que sei fazer de melhor, que é gol, a minha função. Teve até amigo me pedindo pra fazer um gol de bico e eu fui feliz em fazer.” (Guilherme Gusmão)
  2. “É gostoso sair de campo elogiado pela torcida. Só tenho que agradecer a Deus. A torcida reconheceu e me aplaudiu de pé. Deixo pro Adílson responder se vou ser titular. Na concentração, pensei bastante, mentalizei o que ia fazer dentro de campo e acabei dando a assistência pro Guilherme Gusmão e ajudei meus companheiros. Foi um jogo muito movimentado. Graças a Deus, parti pra cima, trabalhei bem e fiz o que o treinador pediu. Agora é continuar jogando assim, que o gol vai acabar saindo”. (Jajá)
  3. “O principal fator pra goleada foi o conjunto. Todos conseguiram dar o seu máximo. O Maicosuel entrou e ajudou, o Jonathan entrou e deu passe. Estamos provando que estamos unidos e mais fortes a cada dia.” (Wagner)
  4. “O Santos trabalhou bem a bola por dentro, no meio, nós tivemos algumas dificuldades em determinados momentos do jogo, mas criamos algumas situações onde poderíamos ter decidido o jogo no 1º tempo. O Santos também teve as suas. Foi um bom jogo. No 2º tempo, aproveitamos, saímos rápido, fizemos os gols e acho que foi uma vitória merecida”. (Adílson Baptista)

Transmissão

  • Sportv

Fontes