Cruzeiro 3x5 São Cristóvão - 14/02/1943

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Palestra Mineiro.png 3x1 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x4 Escudo São Cristóvão.png
Por Amistosos
Escudo Palestra Mineiro.png 3x1 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x4 Escudo São Cristóvão.png
No estádio Barro Preto
Escudo Palestra Mineiro.png 3x1 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x4 Escudo São Cristóvão.png
Contra São Cristóvão
Escudo São Cristóvão.png 7x1 Escudo Palestra Itália.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x4 Escudo São Cristóvão.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
3 × 5
Escudo São Cristóvão.png

Amistoso

Placar
Cruzeiro 3-5 São Cristóvão
Súmula/Borderô não disponível

Informações

Data: 14 de fevereiro de 1943
Local: Belo Horizonte, MG
Estádio: Barro Preto

Árbitro: Guilherme Gomes
Assistente 1:
Assistente 1:


Público e Renda

Público pagante: Não disponível
Público Presente: Não disponível
Renda: Cr$ 10.800,00 R$ 10.800 <br />Cr$ 10.800 <br />NCr$ 10.800 <br />Cz$ 10.800 <br />NCz$ 10.800 <br />


Escalações

Cruzeiro
  1. Geraldo II
  2. Gérson
  3. Azevedo
  4. Bibi Substituição realizada de jogo ( Fuinha )
  5. Juca
  6. Caieirinha
  7.  Nogueirinha  Gol aos do Gol aos do
  8. Rizzo II Substituição realizada de jogo ( Pedro )
  9.  Niginho Substituição realizada de jogo ( Ari )
10. Ismael
11. Alcides Gol aos do
Técnico: Bengala

São Cristóvão
  1. Joel
  2. Mundinho
  3. Pelado
  4. Gualter
  5. Papeti Gol aos do
  6. Castanheira
  7. Santo Cristo
  8. Alfredo
  9. Caxambu Gol aos do
10. Nestor Gol aos do Gol aos do
11. Magalhães Gol aos do
Técnico: Picabéia


Reservas que não entraram na partida


Primeira Partida como Cruzeiro[editar]

Foi na noite do dia 7 de outubro de 1942 que o Palestra Itália, o famoso Palestra Mineiro, mudou a sua identidade para Cruzeiro Esporte Clube. O nome foi sugerido pelo ex-presidente Oswaldo Pinto Coelho e aprovado pela assembléia geral formada por conselheiros e sócios. Assim o clube passaria a ostentar o nome e a constelação cívica do Cruzeiro do Sul, o símbolo maior da pátria, presente nas armas da república. No entanto, o mundo estava envolvido com a segunda guerra mundial e, naquele ano, o Brasil vivia em estado de beligerância, junto aos países que formavam o eixo Japão-Itália-Alemanha.

Um decreto lei do governo federal impedia o uso do nome e dos símbolos das nações inimigas, mas mesmo assim o clube não fugiu a sua característica brasiliana e adotou a cor azul, símbolo maior da Itália, que era uma referência a Casa de Savoia, residência oficial da realeza italiana, que comandou o país até o desfecho da segunda guerra mundial em 1945. O exército e as seleções esportivas da Itália adotam em seus uniformes a cor azul até os dias atuais.

O clube sempre preservou o conceito brasiliano em seu uniforme. No período em que foi o Palestra Itália, entre 1921 e 1942, o uniforme fazia uma alusão as bandeiras das duas pátrias. A meia vermelha, o calção branco e a camisa verde representavam as colunas que formam o pavilhão da Itália e o conjunto da camisa, com o escudo em forma de losango com um círculo ao centro representam as três figuras geométricas da bandeira do Brasil: o retângulo, o losango e o círculo. Assim, o uniforme do Cruzeiro não poderia ser diferente.

Após a reunião, toda a diretoria do clube renunciou, incluindo o presidente Ennes Ciro Pony, o grande motivador da nacionalização do Palestra e de sua transformação em Cruzeiro Esporte Clube. Foi o desfecho do processo que teve início em 1939, quando 90% dos sócios, conselheiros e atletas, que levou o nome de "Ala Renovadora", clamaram pela nacionalização do Clube sob o argumento de que o nome Itália inibia o aumento da massa torcedora.

No entanto, o time de futebol não poderia jogar com o novo nome e uniforme antes que seus estatutos estivessem prontos e aprovados pela Federação Mineira. O trio Ninão, Wilson Saliba e Mario Tornelli elaborou o documento e o entregou a entidade que o aprovou com três meses de atraso. Devido a isso, a estreia do Cruzeiro só aconteceu neste amistoso contra o São Cristovão-RJ, em 14 de fevereiro de 1943, no estádio do Barro Preto. Até aquela data atuou com o nome e uniforme do Palestra, conforme as atas das súmulas dos jogos da Federação Mineira.

O São Cristovão foi a sensação do Campeonato Carioca de 1943 e seu ataque era considerado o mais rápidos do país. Curiosamente, naquela tarde, o time carioca também fazia o seu primeiro jogo como São Cristóvão Futebol e Regatas, após a fusão entre São Christovão Athletico Club e Club de Regatas São Christovão homologada na véspera do amistoso.

Um imprevisto durante a semana fez com que o novo uniforme feito por uma fábrica de material esportivo de São Paulo não chegasse a tempo para a partida e o Cruzeiro Esporte Clube (registrado pela primeira vez nas atas da Federação Mineira) fizesse a sua primeira partida com o uniforme do Palestra. Os cariocas fizeram jus a fama do seu ataque. Terminaram o primeiro derrotados por 2 a 0, mas viraram o placar para 5 a 3.