Cruzeiro 3x1 Vasco - 21/11/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Corinthians.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Flamengo.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Corinthians.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Flamengo.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Atlético-PR.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Palmeiras.png
Contra Vasco
Escudo Vasco.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Vasco.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
3 × 1 Escudo Vasco.png
Vasco
36ª rodada do Campeonato Brasileiro 2010
Data: 21 de novembro de 2010 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 19:30 Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden Público pagante: 16.228
Assistente 1: Carlos Berkenbrock Público presente: Não disponível
Assistente 2: José Javel Silveira Renda: R$ 278.814,25 R$ 278.814,25
Cr$ 278.814,25
NCr$ 278.814,25
Cz$ 278.814,25
NCz$ 278.814,25
(preço médio: R$ 17,18 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Vasco:

1. Fábio 1. Fernando Prass
2. Jonathan 23. Fagner
3. Léo 3. Cesinha
4. Edcarlos Gol aos 32 do  (1T) 32'  (1T) Cartão amarelo recebido aos 26. Dedé
5. Marquinhos Paraná 8. Rafael Carioca Substituição realizada de jogo ( 25. Fumagalli )
6. Diego Renan Cartão amarelo recebido aos 34. Diogo
7. Roger Gol aos 13 do  (1T) 13'  (1T) 28. Renato Augusto Gol aos 44 do  (1T) 44'  (1T)
8. Henrique Gol aos 19 do  (1T) 19'  (1T) 19. Carlos Alberto
9. Wellington Paulista Substituição realizada de jogo ( 18. Farías ) 10. Zé Roberto
10. Montillo Substituição realizada de jogo ( 17. Everton ) 15. Jonathan Substituição realizada de jogo ( 35. Allan )
11. Thiago Ribeiro Substituição realizada de jogo ( 16. Wallyson ) 07. Éder Luis Substituição realizada de jogo ( 20. Caíque )
Técnico: Cuca Técnico: Paulo César Gusmão
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Vasco:
12. Rafael 50. Tiago
13. Rômulo 13. Titi
14. Pablo 38. Carlinhos
15. Pedro Ken 40. Elivélton


Pré-Jogo

Em 3º lugar com 60 pontos, o Cruzeiro precisa vencer para manter as esperanças de título. Se perder, praticamente dá adeus ao título e passa a se preocupar em manter a vaga, até aqui, garantida pra Libertadores.

Em 11º lugar com 46 pontos, o Vasco está praticamente garantido na Copa Sul-americana de 2011.

Gil e Gilberto, expulsos contra o Corintiãs, desfalcam o Cruzeiro.

Felipe, suspenso, desfalca o Vasco que, no entanto, terá o retorno de seu jogador mais importante, Carlos Alberto.

Todos os ingressos já foram vendidos e o time celeste terá apoio de mais de 18 mil torcedores para se manter invicto na Arena do Jacaré.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 19h30 – Cruzeiro e Vasco em campo. Cruzeiro com uniforme tradicional. Vasco todo de preto. Cruzeiro à direita das tribunas.
  • 19h31 – Montillo chuta de fora da área, bola passa por cima do travessão.
  • 02 – Dedé comete flta em WP na ponta direita.
  • 03 – Roger Galera cobra falta, Fernando Prass corta de soco.
  • 04 – Carlos Bierkembrock pára ataque do Vasco marcano impedimento de Eder Luís. Thiago Ribeiro avança pela direita e cruza. WP cabeceia na frente do arco vascano, bola sai à esquerda de Prass.
  • 05 – Renato Augusto dá um chutão limpando a área vascaína.
  • 06 – Marquinhos Paraná avança pela direita, mas é desarmado.
  • 07 – Diego Renan chita forte de fora da área, Prass dá rebote, WP, sozinho, na frente doa rco, chuta por cima do travessão.
  • 08 – Rafael Carioca desarma Thiago Ribeiro na ponta-direita.
  • 09 – Vasco ataca com Jonathan sem perigo.
  • 10 – MP lança TR, que cruza da direita. Dedé cede escanteio.
  • 11 – Henrique cruza da direita, Dedé corta.
  • 12 – Carlos Alberto chuta de for da área, bola desvia em Leo Simões e vaia escanteio. Carlos Alberto cobra, Fábio corta de soco.
  • 13 – Mpntillo cruza da ponta direita, Cesinha desvia para escanteio. Montillo cobra, Roger Galera pega de primeira dentro da área, bola entra no alto do arco vascaíno sem chance de defesa para Fernando Prass. Cruzeiro 1×0.
  • 14 – Eder Luís tenta dominar, mas perde controle da bola.
  • 15 – Montillo é parado com falta por Renato Augusto.
  • 16 – Roger Galera volta na lateral esquerda para marcar e desarma ataque vascaíno.
  • 17 – Vasco troca passes na defesa sem conseguir sair para o ataque.
  • 18 – Roger Galera aplica chapéu em Fagner e recebe falta de Jonathan.
  • 19 – Montillo cobra falta pela direita, Carlos Alberto corta de cabeça pra escanteio. Montillo cobra pela direita, Henrique se antecipa à zaga e cabeceia do bico da pequena área. Bola passa entre o primeiro poste e Fernando Prass. Cruzeiro 2×0.
  • 20 – Carlos Alberto atropela Roger Galera. Falta no meio de campo.
  • 21 – TR cruza da direita, bola passa à frente do arco vascaíno.
  • 22 – Carlos Alberto avança pela direita, mas deixa bola escapar pela lateral.
  • 23 – Fagner cobra falta sobre a área, Henrique despacha de cabeça.
  • 24 – TR passa por Diogo e cruza. Prass defende.
  • 25 – Cercado por Edcarlos e Henrique, Eder Luís é desarmado.
  • 26 – Fagner cruza pela direita, Jonthan despacha.
  • 27 – Carlos Alberto lança Fagner, que é desarmado por Jonathan dentro da área.
  • 28 – Leo Simõesdesarma Jonathan na entrada da área celeste.
  • 29 – Montillo cruza da direita, Dedé corta de cabeça.
  • 30 – Zéroberto comete falta em Nenrique no meiod e campo.
  • 31 – MP passa a WP, que toca pra Montillo. O argentino tenta encobrir o goleiro, que defende.
  • 32 – Mpntillo cruza, Digo cede o 5º escanteio a favor do Cruzeiro. Montillo cobra pela direita. Edcarlos arremata, a bola acerta Dedé e volta. Edcarlos volta a chutar, a bola passa entre as pernas de Dedé e entra no canto direito de Prass. Cruzeiro 3×0.
  • 33 – Diogo cruza da esquerda, Diego renan fica com a bola, do outro lado.
  • 34- Diogo etra na área e solta uma bomba. Fábio defende no ângulo esquerdo.
  • 35 – Fagner cruza da direita, Fábio corta de soco.
  • 36 – Alan substitui Jonathan.
  • 37 – Carlos Alberto lança Fagner, que cruza d direita. Fábo voa e espalma.
  • 38 – Roger Galera joga como volante pela esquerda. Henrique derruba Carlos Alberto.
  • 39 – Começa a chover em Sete Lagoas.
  • 40 – MP é derrubado por Rafale Carioca.
  • 41 – Roger Galera cobra falta [ela direita, por cima do travessão.
  • 42 – cruzeiro troca passes na defesa.
  • 43 – Henrique desarma Eder Luís na ponta esquerda. Vaco tem 59% de posse de bola. Faltas: Vasco 13×4
  • 44 – Fagner cobra falta pela esquerda, Fábio espalma pra escanteio.
  • 45 – Renato Augusto acerta um chute forte, de curva, de fora da área. Fábio tenta, mas não alcança a bola. Vasco 1×3.
  • 46 – Fim de 1º tempo.
  • Fagner: “Marquinhos Paraná e Henrique estão desencaixando nossa marcação.”
  • Roger Galera; “O gol do Vasco aocntece com os melhores goleiros, mas também foi bobeira nossa que não apertamos a marcação.”
  • Cuca: “Foi bom até os 35, depois começamos a cercar, em vez de tocar, e o Vasco que tem qualidade criou três chances e fez um. Com 3×0, o jogo estava quase decidido, agora com 3×1 complica e temos que fazer o 4º.”

Segundo Tempo

  • 20h34 – Começa o 2º tempo.
  • 01 – Montillo dribla Renato Augusto, mas é desarmado por Diogo.
  • 02 – Eder Luís cruza da direita, Zé Roberto chega atrasado.
  • 03 – Tihiago Ribeiro chutra de fora da área, bola acerta em Cesinha.
  • 04 – Zé Roberto tabela com Carlos Alberto, que é desarmado por Henrique.
  • 05 - Zé Roberto cruza da direita, Edcarlos corta.
  • 15 – Fumagalli substitui Rafael Carioca.
  • 17 – Marquinhos Paraná recebe passe de Roger e chuta forte. A bola passa raspando o travessão e sai pela linha de fundo.
  • 18 – Roger Galera passa a Montillo, que chuta pra fora.
  • 20 – Thiago Ribeiro recebe lançamento de Roger Galera, vai à linha de fundo, corta Diogo e rola pra Montillo, que, na corrida, chuta de prima, por cima do travessão.
  • 27 – Ernesto Farías substitui Wellington Paulista.
  • 28 – Edcarlos recebe cartão amarelo.
  • 29 – Carlos Alberto cobra falta do bico da área. Fábio defende.
  • 32 – Montillo chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 37 – Francisco Everton substitui Montillo. Caíque substitui Eder Luís.
  • 39 – Wallyson substitui Thiago Ribeiro.
  • 40 – Diego Renan derruba Carlos Alberto e recebe cartão amarelo.
  • 41 – Fumagalli cobra falta, bola acerta barreira celeste.
  • 42 – Renato Augusto chuta de longe, bola pega efeito, Fábio voa e defende no canto.
  • 48 – Fim de jogo. Desarmes: 18×18. Escanteios: Cruzeiro 10×4. Faltas: Vasco 20×14. Finalizações certas: Cruzeiro 6×3. Finalizações erradas: Cruzeiro 7×4. Passes errados: Cruzeiro 28×27. Impedimentos: Vasco 2×1.
  • Zé Roberto: “Como tem acontecido nos últimos jogos, fora de casa, entramos apáticos e desligados, contra um adversário que estava 100%. Assistimos o Cruzeiro jogar no primeiro tempo e aí fica difícil tirara diferença depois, quando começamos a jogar.”
  • Cuca: “O primeiro passo era alcançar a Libertadores, mas ainda estamos vivos na luta pelo título.”

Vídeos

Melhores momentos

Atuações

  • Fábio – Impõe respeito e tem autoridade para cobrar dos beques e laterais. tem a vantagem de estar sempre ligado e atento. Acredito que foi traido pelo efeito da bola no gol. (Raher)
  • Jonathan – Fez uma grande partida. Chegava o tempo todo na linha de fundo com a sua força característica, se apresentava com opção para receber a bola tando do Montillo como do Thiago Ribeiro que caia pelo seu lado, fazia os cruzamentos para dentro da área, não aproveitados pelo ataque, e voltava para marcar. Só precisa melhorar um pouco os cruzamentos. Seria bom também o Cruzeiro ter alguém que saiba arrematar para as redes. (Naldo Morato)
  • Leo Simões – Um monstro! Joga muito! Arrebenta! Que classe, que categoria! (Geniba)
  • Edcarlos - Não deu as tradicionais vaciladas. Foi sua melhor partida pelo Cruzeiro. (Casé)
  • Diego Renan - Foi auxiliado pelo Roger do lado esquerdo. Precisa voltar a apoiar como quando começou, na marcação melhorou. (AC Rossi)
  • Henrique - Defendeu, apoiou, atacou e marcou. Foi perfeito. (AC Rossi)
  • Marquinhos Paraná – Fez a cobertura da lateral direita para que o Jonathan pudesse subir com mais tranquilidade, marcava bem no meio dificultando a vida dos armadores vascaíno. Joga simples mas com muita eficiência. Voltou à titularidade na bola. (Naldo Morato)
  • Roger Galera – Jogando de volante, marcou como nunca havia feito antes. De armador, deu bons passes. No atque, marcou um golaço. (Síndico) / Fez sua melhor partida no Cruzeiro, ajudou muito na marcação. (AC Rossi)
  • Montillo – Cobrou os três escanteios que resultaram em gols. Tentou marcar o seu, mas a bola preferiu tirar tinta no travessão. Fez boas jogadas individuais apesar da forte marcação que recebeu. (Síndico) / Continua jogando bem. Está mais marcado mas sabe como poucos colocar o tempo certo nos lançamentos curtos. Além de preocupar muito os adversários, dando um refresco pros companheiros na rodada da bola, às vezes com passes curtos e, quase sempre, certos. Nunca o compararia com o Roger, mesmo hoje quando este esteve muito bem. Só os escanteios (arma mortal) me autorizam a crer nisso… (Elias Guimarães)
  • Francisco Everton – Pouco tempo em campo, cuidou da marcação e se deu bem. (Síndico)
  • Thiago Ribeiro - Aberto pela direita, foi bem. Só não tem um companheiro no ataque. (Casé)
  • Wallyson – Pouco tempo em campo, correu, mas não conseguiu nada de efetivo. (Síndico)
  • Wellington Paulista – Nosso melhor atacante está brigado com o gol. Tudo bem que o Washington tambem tá, mas o coração valente ou de Leão –sei lá– já foi artilheiro do Brasileirão com mais de 30 gols e já passou dos 30 há algum tempo. Centroavante tem que fazer gol, ajudar na marcação e ter disposição são bem vindas, mas se não faz gol, nada feito. E o nosso principal atacante tá devendo nesse quesito. Contra o Vasco, ele teve mais uma atuação ruim. Estamos muito mal servidos no setor. (Naldo Morato)
  • Ernesto Farías – Entrou numa fase em que o time já estava administrando ojogo e nao teve oportunidades de marcar. (Síndico)
  • Cuca – Sem Gil e Gilberto, suspensos, e Fabrício, baixa de última hora, Cuca escalou os reservas imediatos e não mexeu muito no esquema. Conseguiu que Roger Galera marcasse e atacasse, tudo num só jogo. Um espanto! Pra facilitar sua vida, Montillo estava com o pé calibrado nas cobranças de escanteio e os defensores trataram de fazer o serviço de WP. Cpm tudo isto, o indiozinho não saiu de suas costas com arco, flecha e machadinha em punho. Melhor assim. (Síndico) / Mandou o time pra cima do Vasco no primeiro tempo e matou o jogo. Deveria ganhar um ótimo, mas hoje tá faltando ao time mais variações de jogo. O time ficar só pelo lado direito cruzando bolas para o meio é muito pouco. A defesa do SPFC que o diga. (Ernesto Araújo)
  • Torcida – Apesar do tempo chuvoso, compareceu e empurrou o time. Parte da galera levou algumas faixas tolas, outros se fantasiaram de palhaços, mas a maioria fez o que precisava ser feito: torceu e se divertiu com a boa exibição do time, em especial no 1º tempo. (Síndico) / A torcida foi sensacional. Mostrou que está ligada, que sabe protestar, que vai defender o clube que ama, todas as vezes que for preciso. E aproveitou para cutucar certos jornalistas. Além claro, de fazer uma linda festa! A arena ficou linda, lotada e azulada! (Simone Castro)
  • Juiz & Bandeiras – O melhor do trio de arbitragem foi ter poupado os sensatos da choradeira dos termocéfalos. Nisso foi ajudado pela providência já que nenhum lance mereceu discussão acalorada. (Síndico)
  • Arena do Jacaré – Ao contrário do que disseram há algum tempo, Jonathan, Fabrício e Valdir Barbosa, a Arena ainda “não deu!”. Lá o Cruzeiro continua invicto e recebe calor da parte mais fanática de sua torcida. E o gramado continua impecável ao contrário de outros de estádios mais afamados. (Síndico) / Parece ser um bom estádio. Um caldeirão interessante para Libertadores. Os gringos vão provar do próprio veneno. (Casé)
  • Vasco - Dedé é um dos melhores beques do torneio, Renato Augusto tem habilidade e chuta com força e veneno. Jonathan dava algum trabalho, mas teve de sair para PC Gusmão reforçar o meio de campo, que estava sendo engolido por Marquinhos Paraná, Roger Galera e Henrique. (Síndico)

O que foi dito

  • Henrique, volante do Cruzeiro: Fico feliz, estou sempre dando o meu melhor pra ajudar o time e hoje não foi diferente. Sou um jogador que não aparece muito, mas tenho uma função importante. Isso é o que vale. Fico feliz pela Libertadores, mas a gente ainda acredita que possa chegar ao título. Tenho certeza de que o campeonato será defindido na última rodada. Vamos com tudo contra o Flamengo, acreditando que vai dar.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Estou exausto e com dor no corpo inteiro. Foram muitos piques no 1º tempo pelo lado direito. São muitos jogos na temporada e vai batendo o desgaste. Mas o importante é que fizemos um ótimo 1º tempo e, no 2º, administramos. Enquanto existir esperança de título vamos acreditar já que a diferença é de dois pontos e com um empate do Fluminense poderemos ultrapassar. Temos que fazer nossa parte, vencer os dois jogos restantes e ver o que acontece. Agora é procurar descansar, porque no próximo final de semana teremos mais um jogo difícil.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: As bolas entraram e a gente conseguiu um grande resultado. Fizemos um início de jogo muito forte, tivemos outras chances, mas o importante foram os três pontos. Conseguimos sair com mais uma vitória e continuamos em busca de nosso objetivo. Deus vai nos dar este presente, mesmo que seja na última rodada, mas temos de fazer por merecer, fazer a nossa parte, conquistar os nossos resultados.
  • Edcarlos, beque do Cruzeiro: Desde que a minha filha nasceu, eu havia prometido fazer o gol para ela e não estava conseguindo. Mas, graças a Deus, pude fazer essa homenagem, hoje. Estou muito feliz. Futebol é assim, principalmente em uma equipe que tem grandes jogadores. Hoje, tive a felicidade de jogar, jogar bem e fazer o gol. É uma dor de cabeça boa para o Cuca. Agora é esperar que os adversários tropecem e que nós consigamos fazer o nosso papel. No futebol, tudo pode acontecer.
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: A equipe entrou com muita gana, vontade de vencer, com determinação, desde o primeiro momento, fazendo uma decisão, como tinha de ser. Encaixou muito bem a bola parada e fizemos os três gols. Tomamos um gol aos 45, que pô o Vasco de volta ao jogo. Se eles fazem o segundo, muda todo o emocional da partida. Então, o pessoal soube administrar bem, cadenciou e não correu grandes riscos, até porque o Vasco tem uma boa equipe, muito rápida. Domingo que vem, teremos ainda mais dificuldades contra o Flamengo, uma outra decisão. Pra gente ser campeão teriam que acontecer três tropeços de Corinthians e Fluminense. Já aconteceu um, do Corinthians, e, se houver mais dois tropeços e nós fizermos nossa parte, e vencermos os dois próximos jogos, que é muito difícil, poderemos ser campeões. Chegamos a duas rodadas do final do campeonato ainda com chances. Vamos nos manter vivos, se Deus quiser, até a última rodada. Temos que trabalhar só nosso jogo contra o Flamengo. Com a vitória do Avaí, embolou tudo lá em baixo. É um jogo decisivo para o Flamengo também. Cada um com sua necessidade. O Vuaden é um cara de diálogo, que tranquiliza o jogador, não enerva. Se impõe, da maneira que tem de se impor. Deixa o jogo correr um pouco mais do que os outros, é característica dele, mas é um cara de diálogo e todos podem conversar com ele. No meu modo de ver, o trio teve uma grande atuação.
  • Zé Roberto, meia-atacante do Vasco: No 1º tempo, o time foi apático. O adversário entrou a cem por hora, a gente toma três gols e aí fica difícil correr atrás. Quando a gente começou a marcar, a tirar os espaços, já era tarde.
  • Renato Augusto, meia do Vasco: Trabalhei forte pra conseguir essa oportunidade e graças a Deus pude aproveitar. Fico feliz pelo 1º gol como profissional, mas triste pelo resultado, pois tínhamos capacidade de sair da Arena do Jacaré com uma vitória. PC Gusmão me parabenizou pela atuação e pelo gol. Não saiu da forma como eu queria, pois queria os três pontos. Mas fiquei feliz pela a minha atuação e pelo gol.
  • Paulo César Gusmão, treinador do Vasco: Se não temos grandes objetivos, precisamos lutar pelo que ainda nos resta, como é o caso da vaga na Sul-Americana. Temos que aproveitar. Quem pode jogar, aproveite e curta muito, pois um dia acaba. É muito bom poder ver o Carlos Alberto novamente. Sabíamos o quanto ele queria voltar e precisamos exaltar a sua vontade e dedicação apresentada em campo.
  • Juca Kfouri, em seu blog: O Vasco tinha a bola e o Cruzeiro tinha o futebol, em Sete Lagoas, com a Arena do Jacaré repleta. Wellington Paulista perdeu um, dois gols, nem bem o jogo começava e aí Montillo resolveu bater o escanteio mais aberto, para Roger, que pegou de bate-pronto para fazer 1 a 0, aos 13. Não satisfeito, o brilhante argentino bateu um segundo escanteio, desta vez no primeiro pau e Henrique enfiou a cabeça para fazer 2 a 0, aos 19. Só dava Cruzeiro, ou quase, só o Cruzeiro criava chances de gol, ou quase. Mas quando o Vasco as criava, Fábio as conjurava. E Montillo, aos 32, bateu mais um escanteio, sempre pela direita. A bola sobrou para Edcarlos fazer 3 a 0. Então, o Cruzeiro descansou e Renato Augusto, aos 44, acertou uma bomba cheia de veneno e molhada de fora da área e o goleiro cruzeirense, enfim, resolveu ser generoso: 3 a 1. O segundo tempo foi para constar e garantir também ao Cruzeiro uma vaga na Libertadores, a exemplo de Flu e Corinthians.
  • Lédio Carmona, em seu blog: O início do Cruzeiro na Arena do Jacaré foi inspirador. O time jogava com marcação adiantada, sufocava o adversário e, em comunhão com a torcida, mandava em campo – mais precisamente, na segunda metade do gramado: era ataque contra defesa. O início do Vasco foi constrangedor. O time jogava sem força, sem rumo e sem nenhum volume. Sonolento, foi atropelado. Carlos Alberto, de volta após longo e tenebroso inverso, nada fazia. Zé Roberto, atuação pavorosa. Eder Luis no seu pior jogo pelo clube. E havia uma avenida nas costas do garoto Diogo. O caos parecia armado. Aos 33 minutos, o Cruzeiro já vencia por 3 a 0. Três cobraças de corner do mesmo lado (o lado de Diogo), três falhas da defesa, e gols de Roger, impecável, Henrique, espetacular, e Edcarlos. PC Gusmão tirou Jonathan, pôs Allan e equilibrou a marcação. Fez um gol com o garoto Renato Augusto, mas, diante da noite de Carlos Alberto, Zé Roberto e Eder Luis, era impossível e ilusório pensar em algo mais. O Cruzeiro ganhou porque queria mais e, no fundo, é muito melhor do que o atual Vasco. Só não precisava ter jogado sozinho e sem adversário durante 30 minutos. Foi aí que a partida se decidiu. Quase um pocket-show. 33 minutos, 3 gols e fim de papo.
  • Elias Guimarães, no PHD: Com 20 minutos, já era prá ser de 5. E isso com menor posse de bola, mas com um futebol estilo avalanche, com nossos laterais indo prá cima, explorando principalmente o jovem lateral esquerdo suplente do bacaiau carioca. Marquei a diferença na batida dos escanteios do Montillo. Depois do 2º gol, deu pra vê-lo apontando pro Henrique como se dissesse: eu não te disse que ia cair ali? Nota 10 prá torcida. Protestou na hora certa, empurrou na hora certa, colocou pressão no adversário. E quando o gol sai no início do jogo, fica bão demais. Não sei se vai dar pra campeonar. Mas estamos firmes e fortes. Fazendo nossos resultados prá ver o que vai rolar. Libertadores já é um baita bônus. Afinal, chegar na Libertas com 36 rodadas é um feito. Ave, Cuca!
  • Bruno Barros, no PHD: Fábio falhou sim, pois a bola perfeitamente defensável pra qualquer goleiro profissional. Mas todos sabemos quem ele realmente é, por isso não há motivos para preocupação. Jonathan, Leo, Edcarlos, Diego Renan tiveram boas atuãções. O Paraná joga demais, Henrique, ah o Henrique! Esse é o melhor volante do Brasileirão 2010, disparado. O Montillo nos fez lembrar o Talento Azul com sua maestria nas bolas paradas, fico imaginando os dois juntos. O adversário teria que entrar com uns 6 volantes pra segurar a dupla. Seria um sonho azul da cor do mar. O Roger fez sua melhor partida com a camisa estrelada, jogou muita bola, fez até o que não sabe, marcar. Com a bola no pé foi bem do primeiro minuto ao último, pra mim o melhor em campo. Thiago Ribeiro já teve jornadas melhores, mas foi bem. Já o Wellington Paulista deu dó. Os gols que ele perdeu foram de lascar! O primeiro então quando subiu livre, leve e solto foi inacreditável. O mundo todo sabe que é nessa posição onde reside nossa maior carência. Ano que vem o Zezé já sabe por onde tem que começar a busca por reforços. Wellington Paulista é no máximo, sendo gente boa, um bom reserva. Titular do Cruzeiro, não. Definitivamente não tem bola pra isso. Mas tomara que eu queime a língua e que ele faça gols que nos levem ao título nessa reta final. Acredito que teremos surpresas na próxima rodada. O Fluminense tá dando o título como favas contadas, é notório isso no semblante dos jogadores cariocas. E isso é que vai complicá-los. E o Vasco por sua vez tem um time interessante, que pode complicar pra pauliceia desvairada no domingo.
  • Júlio César, no blog do Torcedor do Vasco: Os leitores começaram a dar pela falta da resenha de Cruzeiro 3 x 1 Vasco hoje, dois dias depois da derrota. Não falei nada sobre o jogo porque esse foi o primeiro compromisso do Vasco no ano que não pude acompanhar, seja no estádio, pela TV, rádio ou internet. Fui ao show do Paul McCartney em SP e não tive como conferir o jogo. Mas depois de ver que sofremos três gols em menos de 20 minutos, todos eles nascidos em jogadas de escanteio, posso afirmar quase com certeza que, mesmo que eu não tivesse tido um excelente motivo para estar ocupado, não teria valido a pena correr atrás de um lugar para ver o jogo. As reclamações dos leitores confirmam essa minha impressão. E diante de mais um jogo em que o Vasco entrou dormindo em campo, acaba sendo mais reconfortante imaginar que a atuação desatenta e sem vontade foi proposital.
  • Matheus Caldas, no Blablagol: O Cruzeiro acredita. E faz muito bem. Depois de toda a celeuma criada em torno do jogo contra o Corinthians, cansei de ouvir que o Cuca mostraria sua face de chorão e que o Cruzeiro iria patinar nas rodadas finais, mais preocupado com armações e conspirações do que em jogar futebol. O time, por outro lado, deixou a chiadeira e o protesto pra torcida e ontem, contra o Vasco, se preocupou em jogar bola. E em alto nível, principalmente no 1º tempo. Sem Fabrício, machucado, Cuca mandou a campo Roger-”Chinelinho”-Galera-Flores-Secco. E, meus amigos, que partida do camisa 7. Armou, driblou, tocou e…MARCOU! Tanto gol quanto os adversários. Senhoras e senhores, alguma coisa cheira muito bem no reino da Raposa. Roger ajudando na marcação. Na meia-cancha? Dando raça na intermediária azul? Eu posso com isso? Cuca já não é mais aquele do Botafogo. Alguma coisa o professor falou pro marido da gata e botou sangue-nos-zóio do cara. O melhor da partida, sem sombra de dúvida. Cuidado pro Chinelinho não agarrar na grade. Se foi o melhor da partida, muito se deve ao fato de Walter Montillo, o Pirata Azul (ou Cowboy da Toca da Raposa) estar sempre marcado por dois jogadores. Montillo, mesmo quando não joga bem, faz o que se espera dele. Um grande jogador, sem sombra de dúvida, que consertou o meio-de-campo do Cruzeiro e tem tudo pra ser um dos craques do campeonato. Montillo cobrou os 3 escanteios que se converteram em gols do Cruzeiro. O primeiro pelo monstro (2ª vez no ano) que vestiu a camisa 7. O 2º do outro monstro que joga no meio do Cruzeiro, Henrique. E o 3º pelo Edcarlos (me abstenho de fazer qualquer outro comentário). A tendência era de uma goleada, porque o Cruzeiro mandava no jogo, o Vasco não tinha saída e o lado esquerdo do pessoal de São Januário era uma avenida só. Mas o Cruzeiro sossegou e o Vasco, no fim do 1º tempo, passou a equilibrar o jogo e achou seu gol em um belo chute de Renato Augusto que contou com uma falhinha de nada de São Fábio (que já tinha operado um milagre antes). Culpa da secada que eu e Alexandre (a.k.a. Nardoni) demos no melhor do Brasil um pouco antes. O 2º tempo veio e o jogo ficou morno, a não ser pelos chutes bizonhos de Casalbé (devidamente homenageados por Mito Leite) e uma ou outra jogada de perigo que parava nas atuações seguras de Prass e Fábio. Cabe ressaltar a atuação catastrófica (que faaaaaaaaaase, hein?) de W. Parede. Relembrando seus piores momentos, o camisa 9 foi uma Parede no ataque do Cruzeiro, isso quando não tinha um rompante de “eu-sou-o-cara-dessa-p***ra” e destruia um ataque com uma matada no peito ridícula. Ah se o Cruzeiro tivesse ‘Loco’ usando a 13. O Cruzeiro aguarda os tropeços de Corinthians e Fluminense. Restam dois jogos para que um dos 3 times ganhe o campeonato mais equilibrado do Mundo. Cruzeiro merece, Fluminense merece, Corinthians me…bom, o Corinthians é um caso a parte. Pelo menos, por mais um ano, o Blá Blá Gol terá um representante mineiro na Champions League dos trópicos. Se ele vai credenciado como Tricampeão do Brasileiro, as próximas duas rodadas dirão.

Links e Fontes

Transmissão

  • Sportv