Cruzeiro 2x4 Figueirense - 31/08/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Atlético-MG.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Palmeiras.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro 2011
Escudo Atlético-MG.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Palmeiras.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Ipatingão
Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Vitória.png Gol aos do Escudo Tombense.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png
Contra Figueirense
Escudo Figueirense.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Figueirense.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
2 × 4 Escudo Figueirense.png
Figueirense
20ª rodada do Campeonato Brasileiro 2011
Data: 31 de agosto de 2011 Local: Ipatinga, MG
Horário: 20:30 Estádio: Ipatingão
Árbitro: Jailson Macedo Freitas Público pagante: 14.738
Assistente 1: Fabiano da Silva Ramires Público presente: Não disponível
Assistente 2: Belmiro da Silva Renda: R$ 229.915,00 R$ 229.915 <br />Cr$ 229.915 <br />NCr$ 229.915 <br />Cz$ 229.915 <br />NCz$ 229.915 <br /> (preço médio: R$ 15,60 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Figueirense:

1. Rafael 1. Wilson
2. Gil Bahia Substituição realizada de jogo ( 16. Sandro Manoel ) 2. Bruno
3. Léo 3. João Paulo Cartão amarelo recebido aos
4. Cribari 4. Edson Silva
5. Fabrício Cartão amarelo recebido aos 5. Ygor Cartão amarelo recebido aos
6. Everton Substituição realizada de jogo ( 14. Gabriel Araújo Cartão amarelo recebido aos ) 6. Juninho
7. Róger 7. Túlio Cartão amarelo recebido aos
8. Marquinhos Paraná 8. Maicon Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 83. Leandro Chaves Cartão amarelo recebido aos )
9. Anselmo Ramon Cartão amarelo recebido aos 99. Júlio César Gol aos do Gol aos do
10. Charles Gol aos do Gol aos do 17. Wellington Nem Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 25. Jackson )
11. Sebá Substituição realizada de jogo ( 18. Bobô ) 11. Elias Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 10. Fernandes )
Técnico: Joel Santana Técnico: Jorginho
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Figueirense:


Pré-Jogo

Em 7º lugar com 27 pontos, o Cruzeiro precisa vencer para se aproximar do G4, mas não tem chances de entrar nele nas duas próximas rodadas.

Joel Santana não contará com nove jogadores: o goleiro Fábio, o beque Naldo e o meia Montillo estão suspensos, o beque Victorino, os laterais Vítor, Diego Renan e Gilberto e os atacantes Wellington Paulista e Ortigoza estão lesionados.

Na 10ª colocação com 26 pontos, o Figueira não tem problemas e vai com msua força máxima para o jogo.

O treinador Jorginho não poderá escalar Rhayner e Aloísio, lesionados e Wilson Pittoni, convocado pela seleção do Paraguai.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 20h24 – Figueirense em campo com camisas brancas, calções e meias pretas.
  • 20h27 – Cruzeiro em campo com uniforme tradicional carregando uma faixa: “Ricardo Gomes, o Cruzeiro torce por voc*e”
  • 20h29 – Execução do Hino Nacional.
  • 20h32 – Um minuto de silêncio em homenagem ao treinador Pinheiro, campeão da Copa do Brasil de 1993 dirigindo o Cruzeiro.
  • 20h33 – Começa o jogo. Cruzeiro à esquerda das tribunas.
  • 00 – Reservas do Cruzeiro: Douglas Pires, Murilo, Gabriel Araújo, Leandro Guerreiro, Sérgio Manoel, Bruninho, Bobô.
  • 01 – Charles sofre falta no meio de campo. Roger Galera cobra horizontalmente. Figueirense recupera a bola.
  • 02 – Cruzeiro toca bola no campo de defesa. Roger derrubado no meiod e campo.
  • 03 – Anselmo Ramon derrubado a 15 passos da grande área.
  • 04 – No poste! Roger Galera cobra falta com levantamento sobre a área. Wilson sai mal e deixa a bola nos pés de Leo Simões, que acerta uma bomba no poste esquerdo.
  • 05 – Roger Galera cobra escanteio pela direita, Wilson rebate de soco, Charles apanha o rebote e chuta em cima da bequeira.
  • 06 – Charles passa a Fabrício, que invade a área e chuta forte, por cima.
  • 07 – Elias percebe Rafael Monteiro adiantado e chuta de longe. O goleiro faz ponte, mas não alcança a bola que sai à sua direita.
  • 08 – Elias lança Júlio César, que é desarmado por Leo Simões.
  • 09 – Bola sobre a área celeste, Gil Bahia amortece no peito e sai jogando.
  • 10 – Amarelo! Júlio César derruba Gil Bahia.
  • 11 – Roger Galera recua pra Rafael Monteiro que dá um chutão limpando a área.
  • 12 – Jogada embolada na intermediária celeste. Charles dá um chutão e limpa o pedaço.
  • 13 – Tabela do Figueira desfeita por Leo Simões e Marquinhos Paraná na entrada da área celeste.
  • 14 – Maicon lança Wellington Nem dentro da área. Rafael Monteiro chega antes e fica com a bola.
  • 15 – Charles tenta um lançamento a Sebá, mas joga a bola pra fora do gramado.
  • 16 – Cruzeiro inicou o jogo marcando por pressão, mas já perdeu o gás e o Figueira começa a sair com toque de bola.
  • 17 – Francisco Everton cruza da esquerda, Sebá perde a disputa com a bequeira, pelo alto.
  • 18 – Roger Galera chuta forte, de fora da área, bola sai por cima do travessão.
  • 19 – Charles chuta de canhota de fora da área e a bola sai direto pela linha de fundo. Tiro de meta para Wilson.
  • 20 – Maicon joga bola na área, Rafael Monteiro tira de soco, Sebá puxa contra-ataque, mas perde da bola pra defesa do Figueira.
  • 21 – Júlio César cobra falta da intermediária. Bola passa longe do arco celeste.
  • 22 – Roger Galera desvencilha-se de Túlio e passa a Anselmo Ramon, que é parado com falta por João Paulo.
  • 23 – Torcida grita o nome de Roger, que cobra a falta. Bola na barreira.
  • 24 – Gil Bahia tenta jogada pela direita, Figueirense recupera a bola e fica com ela numa longa sessão de toques na intermediária.
  • 25 – Wellington Nem recebe lançamento de Elias, mas está impedido.
  • 26 – Júlio César chuta forte, de fora da área. Rafael Monteiro defende com firmeza.
  • 27 – Gil Bahia cruza da direita, João Paulo corta, Roger chuta, defesa rebate, Anselmo Ramon conclui de bicicleta, bola sai à esquerda de Wilson.
  • 28 – Elias chuta de longe, Rafael Monteiro defende.
  • 29 – Charles chuta de direita, bola explode em Edson Silva.
  • 30 – Gol! Elias recebe na área, pela direita. Cribari e Francisco Everton tentam cercá-lo, mas o arrmador encontra Júlio César livre no meio da área. O arremate é seco, sem chance de defesa pra Rafael Monteiro. Figueirense 1×0.
  • 31 – Marquinhos Paraná lança Sebá, que tenta jogada individual, mas é desarmado por Túlio.
  • 32 – Ygor derruba Charles na intermediária. Roger Galera cobra falta, bola fica com a defesa.
  • 33 – Gil Bahia avança pela direita, passa no meio pra Roger Galera. A bola fica nos pés de Túlio, que parte em velocidade para o contra-ataque.
  • 34 – Gol! Juninho entra livre na área e chuta forte, cruzado. Elias apanha a bola na entrada da área, chuta de canhota, rasteiro. Rafael Monteiro encoberto pela defesa pula tarde. Bola na rede. Figueirense 2×0.
  • 35 – Roger Galera passa a Charles, que recebe falta de Ygor, nas proximidades da área.
  • 36 – Roger Galera levanta de canhota pra área, João Paulo sobe pra afastar.
  • 37 – Gol! Gil Bahia, cobrando lateral, encontra Charles dentro da área. O volante passa a bola da canhota para o pé direito e solta uma bomba. Wilson ainda toca na bola que vai de encontro ao poste direito e termina nas redes. Cruzeiro 1×2.
  • 38 – Torcida celeste volta a se animar e incentiva o time.
  • 39 – Fabrício lança Gil Bahia, bola fica com Juninho.
  • 40 – Meio de campo do Cruzeiro não articula jogadas de qualidade os atacantes são presas fáceis pra defesa do Figueira.
  • 41 – Charles cruza da direita, João Paulo, dentro da área, corta de cabeça.
  • 42 – Gil Bahia passa a Anselmo Ramon, que é desarmado e posto na roda pela defesa catarinense.
  • 43 – Ygor avança pela defesa celeste, mas é desramado por Sebá que o persegue.
  • 44 – Milagre! Bruno desce pela direita e cruza. Dentro da área, Elias solta uma bomba, mas a bola acerta Leo Simões e sai pela linha de fundo.
  • 45 – Milagre! Juninho avança pela esquerda e pass a Elias, que é desarmado por Leo Simões quando ira marcar o terceiro gol do Figueira.
  • 46 – Fim de 1º tempo. Ficou barato. Figueira poderia ter feito mais gols.
  • Elias: “Eu acertei o gol, mas o zagueiro estava passando na frente da bola e ela bateu nele.”
  • Charles: ““Estamos com muitos jogadores que não estão acostumados a jogar juntos, mas a ausência de muitos atletas não justifica a derrota, quem está no Cruzeiro está por qualidade. Temos que dar todo o mérito ao time do Figueirense que trabalhou bem a bola.”

Segundo Tempo

  • 21h35 – Times em campo sem alterações.
  • 21h37 – Começa o 2º tempo.
  • 01 – Sebá cruza da esquerda, Wilson fica com a bola.
  • 02 – Roger Galera recebe de Sebá e chuta forte, de fora da área. Wilson se estica e espalma pra escanteio.
  • 03 – Charles disputa bola com Júlio César no meio de campo, leva um pescoção e fica caído.
  • 04 – Charles volta a campo.
  • 05 – Gol! Wellington Nem vence dividida com Leo Simões no meio de campo, avança pelo campo de defesa celeste, entra na área e toca pra rede na saída de Rafael Monteiro. Figueirense 3×1.
  • 05’30”- Amarelo! Wellington Nem tira a camisa na comemoração do gol e recebe advertência.
  • 06 – Paraná lança Sebá na ponta-esquerda. Ygor fica com a bola.
  • 07 – Troca! Maicon por Leandro Chaves. Figueirense pressiona a saída de bola e o Cruzeiro não consegue sair da defesa.
  • 08 – Francisco Everton chuta de longe, pra fora.
  • 09 – Mais do que desentrosado, Cruzeiro está desanimado.
  • 10 – Impaciente, torcida celeste reclama do time. Figueirense é patrão da bola.
  • 11 – Cribari, indeciso, recua mal, Rafael Monteiro despacha a bola.
  • 12 – Sebá cruza da esquerda, Anselmo Ramon disputa bola com a bequeira, Wilson fica com ela.
  • 13 – Gol! Túlio, na entrada da área,tabela com Júlio César, que chuta pra rede, sem dificuldade. Figueirense 4×1.
  • 14 – Joel chama Bobô. Vai tirar Sebá.
  • 15 – Gol! Charles recebe na entrada área e chuta forte, de pé direito. Wilson salta, mas a bola entra no canto direito. Cruzeiro 2×4.
  • 16 – Troca! Sebá por Bobô.
  • 17 – Elias cobra escanteio fechado, Rafael Monteiro tira de soco.
  • 18 – Leandro Chaves tenta entrar na área celeste, mas é desarmado por Leo Simões.
  • 19 – Anselmo Ramon chuta da entrada da área, bola explode na defesa catarinense.
  • 20 – Juninho desce pela esquerda, mas é parado com falta por Leo Simões.
  • 21 – Amarelo! Leandro Chaves derruba Roger Galera.
  • 21’30”- Troca! Gil Bahia por Sandro Manoel.
  • 22 – Wellington Nen enfileira, mas erra o passe na entrada da área. Charles fica com a bola.
  • 23 – Amarelo! Túlio derruba Bobô.
  • 24 – Roger Galera cobra falta sobre a área, João Paulo corta de cabeça.
  • 25 – Leandro Chaves tenta entrar na área, Cribari despacha a bola.
  • 26 – Sandro Manoel cruza da direita, Juninho corta.
  • 27 – Roger Galera já não tem mais fôlego. Fabrício e Marquinhos Paraná não conseguem marcar e armar. Meio de campo do Figueira controla o jogo.
  • 28 – Troca! Wellington Nem por Jackson.
  • 29 – Marquinhos Paraná cruza da direita, Bobô ganha no alto e escora de cabeça. A bola sai pela linha de fundo.
  • 30 – Amarelo! Fabrício derruba Elias. Volante não poderá jogar contra o Palmeiras.
  • 31 – Bobô recebe de Roger dentro da área e, de primeira, ele finaliza. A bola explode em cima da zaga.
  • 32 – Figueirense toca bola no meio de campo. Cruzeiro na roda.
  • 33 – Amarelo! Ygor derruba Charles, que tentava puxar contra-ataque.
  • 34 – Trocas! Francisco Everton por Gabriel Araújo. Elias or Fernandes.
  • 35 – Anselmo Ramon tenta jogada individual na direita para cima de Bruno e é desarmado sem falta.
  • 36 – Roger Galera cobra falta, bola explode na barreira.
  • 37 – Amarelo! Anselmo Ramon sobre Bruno.
  • 38 – Cruzeiro sem organização tática não cria jogadas. Figueirense se defende bem.
  • 39 – Chutaço, defesaça! – Roger Galera chuta da esquerda, defesa cede rebote, Cribari apanha de prima, Wilson espalma pra escanteio, com dificuldade.
  • 40 – Amarelo! Gabriel Araújo derruba Bruno.
  • 41 – Roger Galera cobra escanteio pela esquerda, Edson Silva sobe e corta de cabeça.
  • 41 – Anselmo Ramon passa a Roger galera, que chuta fraco. Bola bate em João Paulo e sai da área.
  • 42 – Amarelo! João Paulo derruba Anselmo Ramon, que puxava contra-taque.
  • 43 – Júlio César recebe lançamento e, da entrada da área, chuta forte. Bola desvia em Cribari e sai pela linha de fundo.
  • 44 – Figueirense segura bola na ponta esquerda.
  • 45 – Melhores, segundo UOL: “Elias fez gol, deu passes importantes para os companheiros e foi o principal jogador do Figueirense. Charles foi o melhor jogador do Cruzeiro, marcou os dois gols do seu time e atuou com enorme disposição também na marcação.”
  • 46 – Gabriel Araújo cobra falta da direita, defesa cede escanteio. Roger Galera cobra, defesa cede novo escanteio. Roger Galera cobra, defesa afasta.
  • 47 – Charles chuta de fora da área, bola passa por cima do travessão.
  • 48 – Piores, segundo UOL: “Francisco Everton atuando improvisado na lateral esquerda esteve mal, permitindo a maioria das jogadas do Figueirense pelo seu setor. Cribari não esteve bem, falhando em diversos lances, embora tenha mostrado muita vontade.”
  • 49 – Fim de jogo. Torcida vaia o time celeste, que cai para o 11º lugar.
  • Roger Galera: “Tem uma série de fatores. A gente não tem casa. A gente se desloca de avião duas vezes por semana, Há muitos fatores. Os meninos jogarm bem. ”
  • Júlio César: “Quando o time está concentrado sempre faz bons jogos. ”

Vídeos

Gols

Atuações

  • Torcida - Pior que a torcida de Beagá. (Pedro Angrisano) /// Compareceu em bom número, tentou apoiar e não atrapalhou. Vaiou só no final. (Síndico) ///
  • Rafael Monteiro – Péssimo. Rebate todas as bolas pro meio da área. (Pedro Angrisano) /// Não falhou nos gols, mas também não mostrou o algo mais que faz do goleiro santo milagreiro. E era disto que o Cruzeiro precisou contra o Figueira. (Síndico) ///
  • Gil Bahia – Péssimo. Não acertou um passe e nenhum cruzamento. Deixou uma avenida. (Pedro Angrisano) /// Começou desinibido, atacando, mas esqueceu-se de marcar e fazer a cobertura da bequeira nas bolas vindas do lado oposto. Impossível avaliá-lo por uma partida atípica. (Síndico) ///
  • Cribari – Pouco menos que ridículo, já que errou um pouco menos que o parceiro. (Pedro Angrisano) /// Sua melhor jogada foi o chute de prima que obrigou Wilson a uma bela defesa. Na bequeira foi batido pelo ataque figueirense em diversos lances. (Síndico) ///
  • Leo Simões – Ridículo. Errou tudo, perdeu todas as disputas. (Pedro Angrisano) /// Fazia uma excelente partida até perder um lance capital pra Wellington Nem. Ficou dependendo de velocidade pra se recuperar e, aí, só restou assistir à conclusão fatal da jogada. (Síndico) ///
  • Francisco Everton – É o pior jogador da história do Cruzeiro. (Pedro Angrisano) /// Marcou mal -não sabe tourear- e não apoiou o ataque. (Síndico) ///
  • Gabriel Araújo – Pra jogar o mesmo tanto que o titular o melhor teria sido ficar em casa. (Pedro Angrisano) /// Entrou a mil querendo mostrar serviço. Mas o jogo não estava favorável e ele terá de esperar nova oportunidade. De qualquer forma, se a opção for entre ele e Francisco Everton, não tem papo: ele é melhor. (Síndico) ///
  • Fabrício – Chega. Pode parar! Renovar não, pelo amor de Deus! Já deu o que tinha que dar. Não marca e nem ataca. Virou um segundo Roger. (Pedro Angrisano) /// Nesta configuração atual do meio de campo, tem a função de marcar. Foi o que fez. Mas dois cruzeirenses contra quatro figueirenses foi demais pra ele e MP. Síndico) ///
  • Marquinhos Paraná - O melhor do time. O único que tentou marcar os adversários. (Pedro Angrisano) /// Uma ilha de lucidez tática e técnica no meio de campo. Obediente ao treinador, apenas marcou. Mas a luta era desigual, o Figueira tomou conta do setor e venceu com facilidade. (Síndico) ///
  • Charles – Fez dois gols e salvou o time de um vexame pior. Mas também não marcou ninguém. (Pedro Angrisano) /// Taticamente, mal, salvou-se pela vontade de atacar. Ocorre que o jogo pedia equilíbrio no meio de campo e pra isto, nem ele nem Roger Galera contribuíram. No fim, será lembrado pelos dois gols. O que não é pouco, mas foi insuficiente. (Síndico) ///
  • Roger Galera – Este encosto bem que poderia voltar pro DM. Só atrapalha. Não consegue criar nenhuma boa situação jogo após jogo. (Pedro Angrisano) /// O toquinho continua o mesmo, mas os cabelos e o futebol estão acabando rapidamente. Não armou nem marcou. E, no fim, praticou o diversionismo colocando a culpa no avião e no estádio. (Síndico) ///
  • Sérgio Manoel - Cadenciou o jogo. Deve ter se confundido e pensado que o placar era favorável ao Cruzeiro. (Pedro Angrisano) /// Sabe jogar, mas a partida pedia mágica e isto ele não faz. (Síndico) ///
  • Bobô – Já poderia ir pensando em como formar dupla com Farias pra correrem em volta do campo 4 da Toca 2. (Pedro Angrisano) /// A estréia fica pra outra ocasião. (Síndico) ///
  • Sebá – Foi um ótimo atacante na base. No profissional, não consegue partir pra cima, trava o contra-ataque, não acerta chute e nem consegue tabelar. (Pedro Angrisano) /// Nos juniores encontrava espaços construídos por um meio de campo habilidoso. Contra profissionais, bate na parede o tempo todo e não tem capcidade técnica pra resolver as coisas no mano a mano. (Síndico) ///
  • Anselmo Ramon - Quem disse pra este cara que ele é jogador de futebol? Aprendeu com o Kleber que atacante tem de tornar lentas as jogadas e ficar trocando bundada com os beques. Só que o Kleber pelo menos sabia finalizar. (Pedro Angrisano) /// Sem jogadas de área, vira um órfão no jogo. Sair da zona do agrião, pra ele, é perda de tempo, pois não tem bom trato de bola. (Síndico) ///
  • Joel Santana – O time não cria nem marca. Quando retranca não tem contra-ataque, quando tenta jogar não tem armação. Pior é que suas idéias são fantásticas. Neste jogo fez 3 alterações trocando 6 por meia dúzia. Não era pro time sair do lugar. (Pedro Angrisano) /// Não conhecia o Figueira. Não sabia da marcação forte no meio de campo, nem da velocidade no ataque. Além dos desfalques importantes, escalou apenas dois marcadores. Mas vamos compreender: se tira o Galera, seria massacrado pela imprensa e pelos torcedores teleguiados. Mas era o que devia ser feito. Com Leandro Guerreiro, seriam quatro volantes, três com boa saída de bola e boa capcidade de armar jogadas para os atacantes. Podia ter salvado um ponto ao menos. Com o time que escalou, ficou dependendo de que Roger jogasse como Montillo. O que é piada. (Síndico) ///
  • Juiz & Bandeiras – Boa atuação. (Síndico) ///
  • Cruzeiro – Desentrosado, sem volúpia, taticamente ingênuo, tecnicamente tosco, o time de ontem fez a pior apresentação no campeonato. (Síndico) ///
  • Figueirense - O time inteiro seria titular do Cruzeiro. Não tem um único jogador pior do que os nossos de hoje. (Pedro Angrisano) /// Com os dois times completos, há um certo equilíbrio. Com os desfalques e o desentrosamento, o Cruzeiro não deu nem pra saída. Meio de campo impecável com três cães de guarda e um armador inteligente, bequeira firme e ataque veloz. Sobrou. Não houve destaque, todos jogaram bem. (Síndico) ///

O que foi dito

  • Joel Santana, treinador do Cruzeiro: Foi um começo bom, arrasador, em função da empolgação dos garotos. Mas a empolgação vai passando, passando, e o que fica? Fica o conjunto, a parte física, muitos jogadores sem jogar. Contra um time que não treina junto, o adversário, que não é bobo, foi colhendo o resultado com nossos erros. Temos de isentar essa rapaziada de culpa. São garotos que estão começando. Alguns, em dois meses que estou no clube, foi a primeira vez que jogam em cima. Não tirei jogadores porque estavam mal. Foi pra poupá-los. São garotos, poderiam ficar tristes em função de vaias da torcida, o que é normal numa derrota. O time é tecnicamente bom, mas taticamente jogamos com aquilo que a gente tinha. O que a gente tinha? Nada. Armamos um time e colocamos em campo. Não é só o Cruzeiro que dependente do Montillo, qualquer clube que tenha um jogador assim depende dele. Tiraram o Ronaldinho do Flamengo e o time tomou de quatro, igual a gente. O time sente falta do jogador competente. Até porque, não só como atleta, como jogador, ele leva um peso dentro da equipe. Um peso de moral, de qualidade de precisão. E o respeito do adversário, que fica preocupado com ele. Quando um jogador qualificado não joga, a equipe sente.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: É uma noite para ser esquecida. Uma das nossas pretensões era começar bem este 2º turno, mas acabamos tomando os gols e ficou complicado. Não podemos julgar os meninos que estrearam hoje. A equipe toda não esteve bem e não deu suporte pra eles. Quando você não consegue repetir o mesmo time, fica difícil ter padrão de jogo. Estávamos conseguindo definir esse padrão em termos defensivos e fazer o que o Joel pede. Infelizmente, não tivemos tempo pra treinar e mudamos muita coisa. E só teremos uma semana inteira pra treinar depois do jogo contra o Santos. Não dá pra tentar consertar alguma coisa agora. Só vamos ter tempo de descansar e ir pro jogo. Levei o cartão amarelo numa disputa de bola. Passei do cara e tive que matar o lance. Não podia deixar a jogada seguir pra ver o que aconteceria perto da área.
  • Gil Bahia, lateral direito do Cruzeiro: O que nos prejudicou mais foi a falta de entrosamento. Foi a primeira vez que este grupo jogou junto. Não vínhamos treinando juntos, não vínhamos tendo sequência. Eu soube que ia jogar no dia do jogo.
  • Sebá, atacante do Cruzeiro: O desentrosamento pesou muito. O time está com vários desfalques. Tentamos superar esse problema, mas não conseguimos. Foi um jogo atípico. Vamos procurar acertar nosso posicionamento e corrigir os erros.
  • Leo Simões, beque do Cruzeiro: Cribari ainda estava sem ritmo de jogo. É natural que a gente tenha as dificuldades que tivemos. Aos poucos, a gente vai se conhecer melhor dentro de campo e vamos nos entrosar. Começamos bem, mas não soubemos nos portar dentro de campo. Sabemos das dificuldades que tivemos em função de lesões e suspensões.
  • Bobô, atacante do Cruzeiro: Não foi o que a gente esperava. Levamos um gol muito fácil que nos complicou no 2º tempo. Tive oportunidade de jogar 25 minutos. Não estou na minha forma ideal, mas espero entrar em forma aos poucos e poder ajudar mais a equipe. Daqui uma semana e meia, uns três jogos, já estarei bem pra jogar 90 minutos.
  • Rafael Monteiro, goleiro do Cruzeiro: Começamos muito bem, tivemos oportunidades de abrir o placar, mas não conseguimos. Aí, o time deles que é bem postado aproveitou as chances que teve e concluiu em gol. Foi mérito deles e desentrosamento nosso também.
  • Roger Galera, armador do Cruzeiro: Não temos casa e nos deslocamos de avião duas vezes por semana. É uma série de fatores… Chega uma hora, o time sente. Tudo tem que ser levado em consideração. Foi quase um time inteiro que ficou de fora se contarmos todos os jogadores que estão machucados. Os meninos jogaram bem, se esforçaram, mas contra um time bem organizado fica difícil.
  • Dimas Fonseca, diretor de futebol do Cruzeiro: Roger é empregado e tem que acatar as decisões do clube. Essa não é uma situação para o Roger resolver. Só fui procurado por ele pra tratar desse assunto. Nenhum outro jogador falou sobre isso. E ele não é o único jogador do Cruzeiro.
  • João Lucas Cardoso, no blog do Lédio Carmona: Passada a pressão inicial do Cruzeiro, o Figueirense buscou fazer seu jogo e sem querer tomou conta da partida. Fechou a porta da defesa, ganhou o meio e foi ao ataque. Fez como faz no seu Orlando Scarpelli na maioria das vezes. Fez do Ipatingão casa. Encontrou caminhos para fazer gols: quatro contra a Raposa. Não foram os desfalques em série que fizeram falta ao time azul. Foi a ausência de Montillo. Sem grandes preocupações na defesa, restou ao Figueira o meio para frente. Fechou o primeiro tempo com os dois primeiros de sua soma. Júlio Cesar de primeira e Elias, num míssil teleguiado, de fora da área, para explodir na rede. Ficou a sensação de que a sorte cruzeirense poderia ser melhor se tivesse um time completo quando Charles achou a brecha e a Raposa um gol. Ainda assim, o Cruzeiro flertava com o inofensivo. O Figueira continuou a tomar conta do jogo e foi dono do placar com Wellington Nem e outro de Júlio Cesar –o artilheiro alvinegro da temporada. Charles, de novo, descobriu a rede e o desconto. Com os 4×2, o Figueirense se deu ao luxo de esperar o final quando ainda faltavam mais de 20 minutos pro apito, algo que beiraria ao inimaginável por estar na condição de visitante. O time de Santa Catarina mais uma vez comprovou que não voltou à Série A por acaso e exige muito respeito aos rivais. O Cruzeiro é que às vezes parece estar o Brasileiro ao acaso, como na noite de quarta-feira.
  • Jorginho, treinador do Figueirense: Fizemos um grande Jogo, aproveitamos bem as oportunidades.
  • Bruno, lateral do Figueirense: Jogamos certinho, tivemos posse de bola
  • Wellington Nem, atacante do Figueirense: Tocamos bem a bola e acertamos nas finalizações.
  • Storrs, no PHD: A realidade é que o time do Figueirense ontem era infinitamente melhor do que o do Cruzeiro. Parem de dizer que é obrigação vencer o Figueirense, pois em futebol vence o melhor e não o mais famoso. Se jogarmos 10 vezes, o Figueirense ganha 8. Mesmo se o Roger jogasse aquilo que cobram dele, perderíamos. Ninguém desfaz um time impunemente. Convivam com isso e torçam para os 45.
  • JC Damasceno, no PHD: Velho Damas avisou no início do campeonato que o Cruzeiro tinha bom time, mas não tinha plantel. Lembram-se?

Fontes

Transmissão

  • Sportv