Cruzeiro 2x1 Palmeiras - 05/12/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Flamengo.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Uberlândia.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Flamengo.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Figueirense.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Cruzeiro.png 3x1 Escudo Vasco.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Caldense.png
Contra Palmeiras
Escudo Palmeiras.png 2x3 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Palmeiras.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
2 × 1 Escudo Palmeiras.png
Palmeiras
38ª rodada do Campeonato Brasileiro 2010
Data: 5 de dezembro de 2010 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 17h Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio Público pagante: 16.191
Assistente 1: João Antônio Sousa Público presente: Não disponível
Assistente 2: Kleber Lúcio Gil Renda: R$ 441.445,00 R$ 441.445
Cr$ 441.445
NCr$ 441.445
Cz$ 441.445
NCz$ 441.445
(preço médio: R$ 27,26 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Palmeiras:

1. Fábio 1. Bruno
2. Rômulo Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 17. Gilberto ) 36. Leandro Amaro Cartão amarelo recebido aos
3. Léo 33. Gualberto
4. Gil 4. Fabricio Cartão amarelo recebido aos
5. Marquinhos Paraná 14. Vitor
6. Diego Renan 13. Fernando Substituição realizada de jogo ( 26. Jean )
7. Roger Substituição realizada de jogo ( 18. Farías ) 38. Bruno Turco Substituição realizada de jogo ( 32. Luis Felipe Cartão amarelo recebido aos )
8. Henrique Gol aos 17 do  (2T) 17'  (2T) 40. Patrik Cartão amarelo recebido aos
9. Wellington Paulista Substituição realizada de jogo ( 16. Wallyson Gol aos 47 do  (2T) 47'  (2T) Cartão amarelo recebido aos ) 11. Rivaldo Gol aos 8 do  (1T) 8'  (1T)
10. Montillo 25. Vinícius Substituição realizada de jogo ( 19. Lenny )
11. Thiago Ribeiro 29. Dinei
Técnico: Cuca Técnico: Felipão
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Palmeiras:
12. Rafael 77. Bruno
13. Edcarlos 80. Julio Cesar
14. Pablo 16. Mayko
15. Pedro Ken 76. Raphael Alemão


Pré-Jogo

Em 3º lugar com 66 pontos, o Cruzeiro precisa vencer o Palmeiras e torcer para Corintias e Fluminense empatarem seus jogos para campeonar. O time não contará com Jonathan, suspenso, e Fabrício, lesionado.

Em 10º lugar com 50 pontos, se vencer, o Palmeiras pode terminar o torneio em 9º lugar. Felipão deu férias para os titulares e mandará a campo o time reserva.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 16h30 – Goleiros do Cruzeiro entram em campo para aquecimento.
  • 16h35 – Time celeste entra em campo para aquecimento e é recebido como “Vamos, vamos, Cruzeirooo!”
  • 16h36 – Raposão e Raposinho entram em campo e agitam a galera.
  • 16h50 – Trio de arbitragem entra em campo.
  • 16h52 – Palmeiras entra em campo com camisas branca, calções e meias verdes.
  • 16h57 – Cruzeiro entra em campo, com uniforme tradicional, carregando as bandeiras do Brasil e da Itália.
  • 16h59 – Paulo Jorge, representante da CBF, informa que o jogo só será iniciado quando começarem as partidas do Serra Dourada (Goiás x Corintiãs) e do Engenhão (Fluminense x Guarani).
  • 17h04 – Começa o jogo. Cruzeiro, à direita das tribunas, dá a saída.
  • 02 – Roger Galera, na meia direita, cobra falta fechada sobre a área. Leandro Amaro corta.
  • 03 – Wellington Paulista tenta a tabela com Roger na meia esquerda. Leandro Amaro intercepta o lance.
  • 05 – Leo Simões corta bola cruzada sobe a área celeste.
  • 06 – Vitor chuta de fora da área, bola explode nas costas de Diego Renan e sai pela lateral. Após a cobrança, Henrique retoma a bola.
  • 08 – Roger Galera desce pela meia esquerda, mas é desarmado por Vitor.
  • 09 – Marquinhos Paraná lança Rômulo, que cruza de primeira pra Thiago Ribeiro. Bola sobe e sai pela linha de fundo.11 – Roger Galera cobra falta na ponta direita. Leandro Amaro corta.
  • 13 – Henrique, na área, domina e chuta de virada no canto direito. Bruno espalma salvando gol certo.
  • 15 – Montillo cobra falta sobre a área. Bruno defende.
  • 16 – Cruzeiro começou o jogo pressionando o Palmeiras, que no 3-5-2 tranca a defesa.
  • 19 – Montillo, na direita, cobra escanteio na primeira trave e Gualberto afasta o perigo.
  • 21 – Marquinhos Paraná, cercado por dois marcadores, chuta de fora da área. Bola sai pela linha de fundo.
  • 22 – Montillo cobra escanteio no primeiro poste. Henrique sobe mais que a zaga porcina e cabeceia por cima do travessão.
  • 24 – Rivaldo cobra escanteio na área. Dinei comete falta em Fábio.
  • 26 – Vitor dribla Roger galera na intermediária e chuta. Bola sai pela linha de fundo.
  • 28 – Cruzeiro joga mais pelas laterais, Palmeiras pelo centro.
  • 29 – Rivaldo cobra escanteio, bola passa por todo mundo e sai pela linha de fundo, do lado oposto.
  • 30 – Cruzeiro perde meio de campo. Marquinhos Paraná e Henrique, sozinhos na contenção, ainda apóiam o ataque. Defesa fica muitas vezes no mano a mano com os rápidos atacantes porcinos.
  • 32 – Thiago Ribeiro entra na área, escorrega, Gualberto fica com a bola.
  • 33 – Marquinhos Paraná lança Diego Rena em profundidade. O lateral cruza da esquerda pra Wellington Paulista, que chega atrasado e permite o corte da defesa porcina.
  • 34 – Dinei chuta de fora da área, bola passa por cima do travessão.
  • 37 – Thiago Ribeiro cruza rasteiro, Rômulo arremata de primeira, pra fora.
  • 39 – Montillo cruza da direita, Fabrício corta.
  • 41 – Montillo tabela com Thiago Ribeiro, na área, e cai pedindo pênalti. Juiz manda seguir o jogo.
  • 43 – Fabrício cobra falta, bola acerta a barreira, Patrik fica com o rebote e chuta por cima do travessão.
  • 45 – Rômulo cruza da direita, Henrique cabeceia no ângulo esquerdo. Bruno voa e espalma salvando gol certo.
  • 46 – Patrik comete falta e recebe cartão amarelo.
  • 47 – Termina o 1º tempo. Cruzeiro começou bem, perdeu o controle de meio de campo, e só voltou a pressionar nos dez minutos finais.

Segundo Tempo

  • 18h07 – Começa o 2º tempo. Palmeiras dá a saída.
  • 00 – Gilberto substitui Eômulo, vai jogar na lateral esquerda enquanto Diego Renan vai para a direita.
  • 03 – Leandro Amaro comete falta em Montillo e recebe cartão amarelo.
  • 04 – Montillo cobra falta no ângulo direito. Bruno espalma salvando gol certo.
  • 05 – Irritada com as defesas de do goleiro porcino, torcida celeste canta: “Doutor, eu não me engano, esse Bruno é corintiano.”
  • 06 – Fernando chuta da intermediaria, bola explode nas costas de Leo Simões.
  • 08 – Vítor desce driblando pela direita passa a Patrik que, dentro da área, encobre Fábio e encontra Rivaldo no segundo pau pra cabecear pra rede. Palmeiras 1×0.
  • 11 – Rivaldo cobra escanteio, pela esquerda, Patrick cabeceia, Fábio defende.
  • 12 – Montillo, na meia direita, lança Thiago Ribeiro, que chuta em cima de Gualberto.
  • 14 – Ernesto Farias substitui Roger Galera.
  • 16 – Cruzeiro pressiona saída de bola do Palmeiras.
  • 17 – Diego Renan faz jogada individual pela direita e rola pra Henrique que domina e chuta cruzado, sem chance de defesa pra Bruno. Cruzeiro 1×1.
  • 18 – Torcida celeste canta: “Eu acredito!”
  • 19 – Vitor tenta jogada individual pela direita, mas é desarmado por Gilberto. Na sequencia, o lateral do Palmeiras comete falta em Gil.
  • 22 – Jean substitui Fernando.
  • 23 – Wallyson substitui Wellington Paulista.
  • 24 – Gilberto cobra falta na entrada da área, bola explode na barreira.
  • 27 – Montillo lança Wallyson, que tenta passar por dois marcadores e sofre a falta. Na cobrança, defesa porcina espana.
  • 29 – Rivaldo cobra escanteio, Fábio defende.
  • 31 – Fabrício recebe cartão amarelo por reclamação.
  • 32 – Luís Felipe substitui Bruno Turco.
  • 33 – Thiago Ribeiro recebe lançamento na área, Bruno se antecipa e fica com a bola.
  • 34 – Montillo desce pela esquerda e cruza pra Farias. Gualberto tira de cabeça.
  • 35 – Wallyson passa a Gilberto, na área. Vitor corta.
  • 37 – Lenny substitui Vinicius.
  • 38 – Luis Felipe comete falta em Diego Renan e recebe cartão amarelo.
  • 40 – Montillo cobra escanteio, Thiago Ribeiro cabeceia à esquerda de Bruno.
  • 42 – Cruzeiro vai todo para o ataque. Fábio joga fora da área.
  • 44 – Thiago Ribeiro, no bico da área, corta para o meio e chuta cruzado. Bola pasa por cima do travessão.
  • 45 – Juiz anuncia 4 minutos de acréscimos.
  • 46 – Wallyson entra na área, pela esquerda, e solta uma bomba no canto direito. A bola bate no poste direito, volta nas costas de Bruno e vai pra rede. Cruzeiro 2×1.
  • 47 – Wallyson recebe cartão amarelo por ter tirado a camisa na comemoração do gol.
  • 48 – Termina o jogo no Serra Dourada: Goiás 1×1 Corintiãs. Cruzeiro toca a bola e deixa o tempo correr.
  • 49 – Fim de jogo na Arena do Jacaré. Jogadores celestes permanecem dentro de campo à espera do final da partida no Engenhão.
  • 19h – Fim de jogo no Engenhão: Fluminense 1×0 Guarani. Flu é tricampeão brasileiro. Cruzeiro é vice e vai disputar a fase de grupos enquanto o Corintiãs, 3º colocado, vai disputar a Pré Libertadores. Na Arena do Jacaré, torcida celeste canta: “Vamos Cruzeiro querido, Libertadores ser campeão!”

Vídeos

Gols do jogo

Atuações

  • Fábio – Quando atacaram, os palmeirenses erraram o alvo, por isto, ele teve pouco trabalho. No fim, jogou de cabeçca de área, pois o time se mandou todo para o ataque. Seu grande lance foi o lançamento preciso para o gol de Wallyson. (Síndico)
  • Rômulo – Depois de boas partidas, voltou a jogar o arroz com feijão mediano de sempre. Esperava mais dele, pela chance que o Cuca lhe proporcionou. Aquela tabelinha até manjada com TR não aconteceu. Rômulo é mais ala e com o Cuca quem joga ali atua como lateral clássico. Bom reserva, tendo em vista que o setor está carente de bons nomes. (Elias Guimarães) / Atacou muito mas ficou devendo nos cruzamentos. (Matheus Penido)
  • Gil – É o beque-beque. Muita transpiração, pouca inspiração. Mas faz bem feito o que se propõe. Forma boa dupla com o mais clássico Leo Simões, que também não refresca. Gil é novo, tem grande futuro. Tomara que não fique marcado pelo lance com o Fofômeno, que certamente não sairá tão cedo da mídia. Bom jogador pra compor grupo. (Elias Guimarães) / É o jogador que mais tem mostrado evolução no elenco. Não tem qualidade técnica de outros zagueiros mas resolveu jogar sério. E tem jogado mais sério a cada partida. Para um zagueiro que não tem futebol para almejar um grande time europeu, está de ótimo tamanho. Esteve bem em todos os momentos na partida. (Evandro Oliveira)
  • Leo Simões – Chegou tarde no lance do gol porcino. Nos demais lances, esteve bem. Inclusive quando foi preciso inverter o posicionamento com Gil para ajudar Diego Renan nos avanços de Vítor. (Síndico) / Perdeu somente uma jogada na velocidade, mas como sempre se antecipou bem aos atacantes e jogou pro mato quando foi necessário. Cumpriu com precisão a sua função de zagueirão do time. (Fabrício)
  • Diego Renan – No 1º tempo saiu menos para o jogo, pois o meio de campo estava mais preocupado em atacar do que em defender. No 2º, foi um lateral ofensivo jogando pela direita. Errou ao deixar Rivaldo livre para marcar o gol palmeirense, mas redimiu-se ao tabelar com Montillo e servir Henrique para o gol de empate. Entre poucos erros e muitos acertos, seu saldo foi positivo. (Síndico)
  • Gilberto – Entrou na 2ª etapa, quando o Cuca mandou o Diego Renan sua posição original, a lateral direita. Confesso que me deu medo, pois ele não guardava a posição e o lateral dieito adversário, Vítor, passou a atacar por aquele lado, onde achou uma avenida e acabou construindo o lance do gol palmeirense. Mas gosto muito do futebol do Gilberto. Ele é acima da média, a despeito da idade. Toque refinado, bons lançamentos e visão privilegiada do desenrolar da jogada. Tem, como poucos, o chamado tempo de bola. Ele tentou de todas as formas reverter o quadro e deitou o cacete depois do jogo com uma frase contundente: “Ser campeão pelo Cruzeiro é muito dificil”. (Elias Guimarães) / Deu qualidade ao time. Joga com lucidez e pra frente, com objetividade. (Silvério Cândido)
  • Henrique – Defendeu com a garra de sempre e atacou com grande objetividade obrigando Bruno a uma defesa sensacional e marcando um gol precioso. (Síndico) / Aprendeu com Marquinhos Paraná a se posicionar bem. Gostou tanto que deve ter procurado o Romário para tomar algumas aulas de como se posicionar dentro na área também. Se já mandava bem na retaguarda, agora a bola parece procurar por ele no ataque. Excelente atuação. (Fabrício)
  • Marquinhos Paraná – Sobrecarregado no 1º tempo, pois só ele e Henrique marcavam e ainda tinhas a incumbência de fazer a transição, andou errando dois ou três passes. Tranquilo, não perdeu a cabeça, fez grandes desarames e continuou apoiando o ataque. (Síndico) / Sua tranquilidade frente a qualquer adversário, seja ele forte ou fraco, inexperiente ou experiente, jovem ou rodado, é impressionante. Mas não é unanimidade junto à torcida. A partida de ontem foi mais uma com atuação equilibrada. Errou e acertou como quem atua numa posição que precisa de alguém para tira o peso de tomar e passar a bola com perfeição. (Evandro Oliveira)
  • Roger Galera – Surpreendeu favoravelmente. O que este dito “chinelinho” correu debaixo do calorão daqueles de ontem foi notável. Só que, especificamente ontem, diante de um time mais corredor e muito mais jovem, ele ficou prejudicado. Mas criou, cadenciou e demonstrou certa lucidez quando os nervos estavam à flor da pele. (Elias Guimarães) / Tem demonstrado ser jogador de “grupo”, pelo menos, externamente. Não reclama das substituições, aplaude o time e ainda joga para a “galera”, o que é típico de jogador carioca. (Silvério Cândido)
  • Montillo – Muito marcado, no 1º tempo foi esforçado. No 2º, além de esforçado, foi brilhante com futebol objetivo e jogadas vistosas. Seu único erro foi ter chegado à Toca II com um ano de atraso. (Síndico) / Atua melhor quando tem opções de alas ou laterais e com fôlego para segurar as investidas quando está como único meia. Entretanto, tem sofrido severa marcação dos adversários que só entram nele com falta. Se melhorar o aproveitamento de faltas e escanteios, dará maiores oportunidades de gol aos atacantes. Ontem, teve ótima atuação e só ficou apagado quando Gilberto e Roger estavam em campo. Precisa ter mais confiança para abusar das jogadas individuais e menos na hora de bater possíveis penaltis! (Evandro Oliveira)
  • Thiago Ribeiro – Correu, marcou, voltou, chutou, deu passe milimétrico pro Henrique marcar numa bola defendida pelo goleiro do Palmeiras. Mas foi muito aquém do que nos acostumamos. Esquentou muito a cabeça devido à forte marcação dos garotos verdes e funcionou pouco. Não sei se fica, pois segundo consta, tem várias propostas por ter sido artilheiro da Libertadores. E por ter feito um grande campeonato brasileiro, onde carregou o ataque do Cruzeiro nas costas sem ter um companheiro à altura. (Elias Guimarães) / Como sempre, lutou e correu muito, deslocou-se e, ao mesmo tempo, fez jogadas incompreensíveis para um atacante de certa qualidade. Está, há muitos jogos, e ontem não foi exceção, perdendo gols feitos e fazendo jogadas bisonhas. Preocupante. (Evandro Oliveira)
  • Wellington Paulista – Anda ruim da cabeça e doente dos pés. Posiciona-se mal, erra conclusões, desespera-se com os erros e passa em branco jogo após jogo. (Síndico)
  • Ernesto Farias – Tal e qual o titular, não consegue se antecipar à bequeira adversário e torna-se improdutivo, fácil de ser marcado. (Síndico)
  • Wallyson – Em seu único acerto, fez um golaço. Como a única imagem é a que fica, a torcida vai esperar novas jogadas incisivas e decisivas em 2011. (Síndico) / Quando o Cuca fez duas substituições equivocadas, eu disse para um cruzeirense que via o jogo ao meu lado, que só colocando o Wallyson ele corrigiria as substituições erradas. É um jogador que corre, se desloca, tem pouca habilidade mas não se entrega. Meio afoito, meio indeciso, fez um gol que premiou a torcida, o Cruzeiro e seus companheiros. Um gol de R$1 milhão. Os menos conhecedores da matéria devem tê-lo escolhido o melhor em campo. Nada disto. Ele paenas houve-se Muito bem e cumpriu o papel para o qual entrou em campo. (Evandro Oliveira)
  • Cuca – Deve ter imaginado que o time liquidaria com facilidade os reservas do Palmeiras e desfez o tripé de volantes, deixando Roger Galera apenas na armação. Com o andar da etapa inicial, o time perdeu o meio de campo e não criou boas jogadas ofensivas. Trocou Rômulo por Gilberto, melhoraqndo a aletral direita, mas piorando a esquerda. Trocou Roger por Farias e apssou a jogar com pois postes avançados. Seu melhor momento foi a substituição de WP por Wallyson. Com dois pontas abertos, chegou à vitória. Para a qual, a garra dos jogadores foi mais importante do que a armação tática. (Síndico) / Tenho gostado, cada vez menos, das intervenções de Cuca durante as partidas. Em determinado momento da competição, achava que poderia ser pelos poucos recursos que tinha às mãos. Na partida final, é certo que os recursos não eram os melhores, mas o técnico tem dificuldade em escalar uma formação de acordo com o resultado que deseja e de acordo com o adversário. Entendo que deu sorte em muitas partidas (faz parte) e deu azar em outras (também faz parte) e por isso perdemos o título. Um amigo, provocador, torcedor do Botafogo, já havia me avisado: “Vocês não serão campeões de nada importante com o Cuca de técnico…” (Evandro Oliveira)
  • Dimas Fonseca – Em pouco tempo, o Diretor de Futebol mostrou competência, substituindo o todo poderoso Eduardo Maluf, com tranquilidade, sem aparecer na mídia e com contratações certas a curto prazo. Podem apostar, que o Cruzeiro vai nos dar muitas alegrias em 2011. (Silvério Cândido)
  • Torcida – Lotou o estádio, apoiou o time e, no final, título perdido, cantou a esperança de conquista da Libertadores 2011. E homenageou cada jogador gritando seu nome. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras – Não me lembro de erro do trio de arbitragem. E voltei de Sete Lagoas a Belo Horizonte com três chorões no carro sem ouvir uma reclamação sequer. Nem Wall Free Dow Jones, que assistiu jogo ao meu lado reclamou de esquemas complôs e que tais. Sendo assim, nota 10 para os homens de preto. (Síndico)
  • Bob Faria - Não tem uma explicação para o Bob Faria ter dado nota 4 ao Fábio, não tem! Ele pode ser atleticano, americano, flamenguista, colorado, xeneize… o que for. Isso não é desculpa pra fazer o que ele fez. Não tô querendo levantar teoria da conspiração, mas tem alguma coisa por trás disso, não é possível!!! Por mais que nota seja uma coisa subjetiva, o Fábio não merecia nota 4 nunca!!! Por mais que isso seja opinião pessoal, ele não tem o direito de dar nota 4 para a atuação do Fábio!!! Deve ter havido algum erro, algum engano. Porque eu não vejo outro motivo. O Bob pode ser inimigo do Fábio, pode odiar o Fábio, mas como jornalista da TV que detém os direitos de transmissão do campeonato ele tinha o dever de ser isento e imparcial. Ele precisa dar uma resposta ao Fábio, à torcida!!! (Geniba) / Cada comentarista dá a nota que bem entende aos jogadores. E cada ouvinte, leitor ou telespectador escolhe o comentarista em quem confiar pra tomar opiniões. Nâo vejo necessidade de o comentarista do SporTV pedir desculpas ou se justificar. A nota que ele deu não vai tornar Fábio pior ou melhor. E o torcedor não precisa se encrespar por tão pouco. O mundo é assim mesmo, é sempre hostil ao seu time. Ninguém gosta do nosso time. Juízes, comentaristas, narradores, videntes, gandulas, dirigentes de federações e confederações, todos nos odeiam. O trem é tão brabo, que chega a ter cruzeirense que podeia o Cruzeiro. Então, melhor largar de mão as opinoões contrárias e depender menos das avaliações da mpídia. Ou muito me engano? (Síndico)
  • Arena do Jacaré – Não é um cinco estrelas, mas é bastante agradável para se assistir a um jogo, se respeitados seus limites. E a frequência é bem mais educada do que a de Beagá. Passou no teste. Pode sediar jogos do Mineiro e das fases preliminares da Libertadores. (Síndico)
  • Palmeiras – Luiz Felipe Scolari montou um time consitente com as sobras do elenco. Deu mais trabalho ao Cruzeiro com os reservas do que a Fluminense com os titulares. Bruno fez três grandes defesas. Rivaldo marcou um gol e fez cera à bessa. Os três zagueiros estiveram firmes e Dinei causou alguma dor de cabeça ao sistema defensivo celeste. (Síndico)

O que foi dito

  • Rafael Belattini, no blog do Juca Kfouri: Na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, o Cruzeiro enfrentava o Palmeiras em um jogo que poderia valer o título para o Palestra mineiro. Só que dependia de Flu e Timão. A equipe celeste fez um primeiro tempo com o domínio do jogo, mas com poucas chances reais de gols. As melhores foram em chutes de longe com Henrique e Marquinhos Paraná. Se o Cruzeiro já dependia de muita coisa para ser campeão, tudo piorou aos oito minutos da etapa final. Patrik tocou na saída de Fábio e Rivaldo, de cabeça, fez 1×0 para o Palmeiras. Era hora de ir para cima e fazer, ao menos, a parte que lhe cabia. Aos 18, boa tabela do ataque cruzeirense, Henrique recebeu a bola dentro da área e encheu o pé para empatar. Mas, pouco depois do gol e da pressão celeste em busca do gol que poderia ser de um improvável título do Cruzeiro, o Fluminense fez 1×0 no Engenhão e o sonho sumiu de novo. Se o título não veio, Wallyson, aos 46, marcou o gol da virada que deixou o Cruzeiro como vice-campeão, já que o Corinthians não passou de um empate em Goiânia. O 2×1, além do vice, valeu passagem direta à fase de grupos da Libertadores, mandando o alvinegro paulista disputar o mata-mata preliminar.
  • Mauro Beting, em seu blog: Cuca tem muito do título do Fluminense, em 2010, pela manutenção do Tricolor na Série A. Ele e Adilson Batista tem muito de mais uma ótima campanha celeste, consagrada na virada emocionante sobre o Palmeiras, na última bola, das poucas que Bruno não conseguiu segurar. O Cruzeiro sofreu demais. E, com um pouco mais de ousadia, poderia ter ido além do vice. Time, elenco, camisa, comissão técnica, estrutura, tudo esteve à disposição. Embora tenha faltado algo a mais em momentos decisivos, até mesmo melhores arbitragens, é mais um ano para o Cruzeiro celebrar.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: O apoio da torcida foi super importante, pela dificuldade que tivemos sem o Mineirão. Tivemos que viajar praticamente em todos os jogos, ficamos longe de Belo Horizonte, e isso nos fez perder treinos e cansou. Ressaltando tudo isso, foi um ano muito importante, por conquistarmos a vaga na Libertadores e o 2º lugar do Brasileiro, no qual lutamos até o final com bastante hombridade pra buscar o título.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: A gente lutou contra todos, outras equipes ajudando os adversários, amolecendo, arbitragem. Nós fomos guerreiros, lutamos até o final, buscando sempre ser campeão. Nosso time deixa o campeonato de cabeça erguida e com a classificação direta pra 2ª fase da Libertadores. Nossa 4ª Libertadores seguida. A gente lamenta as partidas que eram pra perder, erros de arbitragem que aconteceram. A gente revê isso tudo, lamentamos, mas o time sai de cabeça erguida e com hombridade, que é o mais importante.
  • Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro: É muito gratificante você lutar, conseguir fazer gol no final, mas não deu para o título, acabou, valeu pelo trabalho que a gente fez, a equipe toda está de parabéns, valeu pelo resultado.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro: Fico feliz (pelo título do Flu), pois tenho muitos amigos lá. Tem roupeiro no profissional que começou comigo no infantil. Essas pessoas passaram por muitas dificuldades, chegaram a ficar 5 meses sem receber em uma fase onde o Fluminense sofria com a questão financeira. Todos eles merecem meu abraço e meus parabéns, porque essas pessoas que trabalham fora de campo são a base de um clube. Tivemos tropeços que não poderíamos ter. Deixamos escapar vitórias contra equipes que não disputavam o título. Além disso, em alguns jogos, que não vale a pena explicitar, já que todo mundo sabe quais foram, fomos prejudicados pela arbitr agem. Não muda muita coisa. Daqui a 20 anos vão lembrar que o Flu foi campeão. Do vice e do 3º lugar ninguém vai se lembrar.
  • Montillo, meia do Cruzeiro: Meu grande sonho é atuar com a camisa da Argentina, ainda mais quando as coisas vão tão bem. Mas, assim como no Brasil, há grandes jogadores lá e você precisa agarrar qualquer oportunidade que tiver. Já tive a felicidade de atuar pela Sub20, vou trabalhar para ganhar uma chance na principal. Tenho cinco anos de contrato e quero cumprir. Estou me sentindo muito bem aqui, me adaptei rapidamente e fiz um bom campeonato. Para mim é uma alegria imensa ter sido reconhecido logo no início, e só tenho a agradecer. Fiquei muito triste depois do jogo, mas pelo menos saímos com a cabeça erguida. O vice também é importante, fizemos nosso trabalho que era vencer o Palmeiras, mas o Fluminense acabou vencendo. Vamos esfriar a cabeça, nosso time é bem organizado e pode fazer uma grande temporada em 2011.
  • Gilberto, meia do Cruzeiro: Jogamos muito mais que o Corinthians e em um erro de arbitragem acabamos perdendo o jogo, mas não vamos falar disso. O mais importante é que a equipe lutou durante o campeonato inteiro, o trabalho de Cuca foi difícil demais, lutando contra tudo e todos. Conseguiu montar uma bela equipe, chegou o Montillo e Farías no meio do ano, arrumamos o time e chegamos aqui. É dar parabéns para todo mundo e agradecer principalmente a torcida por tudo que fez. Queríamos muito ter levantado o caneco e ser campeão brasileiro, mas o grupo todo, principalmente a torcida, está de parabéns.
  • Wallyson, atacante do Cruzeiro: Sem dúvida foi um dos gols mais importantes da minha carreira. O Brasileiro é o campeonato mais difícil do mundo. Eu tive esse prazer de fazer o gol do vice-campeonato, mas queríamos era o título e ele não veio.
  • Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: A gente queria comemorar o título. Sabíamos que seria difícil o Fluminense perder, até mesmo o Corinthians. Sorte que o Goiás fez a parte dele, pensamos que o Guarani também ia fazer, mas não conseguiu. O importante foi que a gente venceu e conseguiu terminar na 2ª colocação e agora é sonhar com a Libertadores do ano que vem, pra ser campeão. Este ano tive problemas com muitas lesões e fiquei quase quatro meses sem jogar, o que acabou me prejudicando agora no final do campeonato. Eu espero, ano que vem, voltar bem, sem lesões para que eu possa jogar o ano todo. A parcela do Cuca, pra mim, é muito grande. Desde quando chegou, ele mudou a cara do time, é um time mais guerreiro, mais aguerrido pra que a gente pudesse chegar aonde chegou. Temos que dar os parabéns pra ele e pra comissão técnica toda, diretoria, torcida e presidência. E também aos jogadores, que conseguiram fazer um excelente trabalho.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Fizemos nossa parte, mas não podemos fazer nada pra mudar os resultados de outros jogos. Infelizmente, o titulo não veio, mas ultrapassamos o Corinthians e ficamos com a vaga diretamente na fase de grupos da Libertadores.
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Temos que valorizar, sabemos que no Brasil não se lembra nem o nome do vice-presidente, mas eu vou procurar me lembrar. Ser vice-campeão no campeonato mais difícil do mundo, porque lá fora tem três ou quatro times que podem ser campeão, aqui tem 15. Temos que comemorar sim. O segundo lugar é honroso sim, porque foi duro, sempre ficamos atrás do Corinthians e do Fluminense na tabela. Pela primeira vez chego na reta final com chance de ser campeão. Lutamos, lutamos, lutamos e chegamos no máximo que deu. Apesar de alguns quase terem tirado um pouco o brilho, dando uma ofuscada no campeonato, mas não tirou o brilho. Parabéns ao Fluminense, ao Corinthians e o Cruzeiro que lutaram até a última rodada. Parabéns também para o Goiás, o Guarani e o Palmeiras hoje. Vocês viram que jogo, que dignidade, que luta para buscar a vitória como se o jogo valesse para eles. Isso que deixa o campeonato bonito. Eu sei que foi duro jogar contra o Guarani, lá em Goiás também.
  • Bruno Turco, volante do Palmeiras: Foi uma experiência positiva. Procuramos ao máximo a vitória e queríamos muito voltar pelo menos com o empate, mas mostramos um pouco do nosso valor e esperamos por novas chances na próxima temporada.
  • Wlademir Pescarmona, diretor de futebol do Palmeiras: Você fica envergonhado com essa situação, a gente gostaria de disputar algo na última rodada, pelo menos a vaga na Libertadores. Time grande como Palmeiras não pode chegar a isso. Eu ainda não digeri tudo o que aconteceu.
  • Diogo Lara, no PHD: Surpreendeu-me a grande disposição do Palmeiras. Achei perigosa a entrada do Gilberto como lateral esquerdo. Wellington Paulista continua muito mal. Henrique está espetacular. Paraná vem jogando bem. Montillo também. Roger enquanto teve em campo também se esforçou e contribuiu bem pro time. Leo é o melhor da zaga, grande contratação. Taticamente, foi um jogo muito aberto, o Cruzeiro se mandou todo pro ataque. Cuca acertou ao tirar um meia e colocar o Wallyson como ponta esquerda, abrindo o time. Para o ano que vem, precisamos de um centroavante pra ser titular, um atacante velocista pra ser reserva do Tiago, um lateral esquerdo pra ser titular, um volante para ser reserva, um zagueiro pra ser titular ao lado do Leo. Mas o principal mesmo é o Perrella não desmanchar o time. Isso já seria muito bom.
  • Elias Guimarães, no PHD: Já previa uma peleja pra lá de nervosa. Time de garotos sempre complica, pois quem está começando a vida profissional quer aparecer. Bruno, goleiro, e Dinei, atacante muito rápido, impressionaram favoravelmente. O Cruzeiro começou tentando compreender a proposta de Felipão. Quando ameaçou, o goleiro fez a diferença, numa cabeçada do Henrique e numa falta do Montillo. Muito calor e uma meninada correndo sem se cansar do outro lado, deixaram o Cruzeiro nervoso. E a coisa ficou feia quando saiu o gol verde. Nossa sorte (e competência) é que o time não dá moleza e empatamos num golaço do Henrique. Daí em diante, pressionamos e nossos atacantes (?) perderam um caminhão de gols. Até que, no finalzinho, Walysson limpou o lance (no estilo Thiago Ribeiro) e chutou forte. A bola acertou no goleiro, no poste e entrou. Vitória merecida.

Links e Fontes

Transmissão

  • Sportv