Cruzeiro 2x1 Bahia - 17/07/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo São Paulo.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo São Paulo.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Grêmio.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Botafogo.png
Contra Bahia
Escudo Bahia.png 0x7 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Bahia.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
2 × 1 Escudo Bahia.png
Bahia
10ª rodada do Campeonato Brasileiro 2011
Data: 17 de julho de 2011 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 18:30 Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha Público pagante: 6.666
Assistente 1: Fábio Pereira Público presente: 7.804
Assistente 2: João Patrício de Araújo Renda: R$ 108.625,00 R$ 108.625
Cr$ 108.625
NCr$ 108.625
Cz$ 108.625
NCz$ 108.625
(preço médio: R$ 16,30 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Bahia:
1. Fábio 31. Marcelo Lomba
2. Vítor Júnior Substituição realizada  de jogo ( 17. Róger ) 54. Jancarlos Cartão amarelo recebido aos
3. Léo Cartão amarelo recebido aos 22. Titi
4. Naldo 28. Paulo Miranda
5. Fabrício Cartão amarelo recebido aos 6. Ávine
6. Gilberto Substituição realizada  de jogo ( 16. Dudu ) 7. Fahel Cartão amarelo recebido aos
7. Marquinhos Paraná 17. Diones Substituição realizada  de jogo ( 21. Gabriel )
8. Leandro Guerreiro Cartão amarelo recebido aos 8. Hélder Substituição realizada  de jogo ( 80. Ricardinho )
9. Ortigoza Substituição realizada  de jogo ( 15. Everton ) 19. Carlos Alberto
10. Montillo 11. Jóbson Gol aos  do Cartão amarelo recebido aos
11. Wallyson Gol aos 4 do  (1T) 4'  (1T) Gol aos 6 do  (2T) 6'  (2T) 99. Junior Substituição realizada  de jogo ( 77. Lulinha )
Técnico: Joel Santana Técnico: Rene Simões
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Bahia:


Pré-Jogo

Em 10º lugar com 12 pontos, o Cruzeiro pode chegar ao xx, se vencer.

Joel Santana não contará com o beque Victorino, a Seleção Uruguaia, o lateral-esquerdo Diego Renan e o atacante Thiago Ribeiro, contundidos, além do beque Gil, suspenso.

O retornos de Gilberto à lateral-esquerda e do meia Roger Galera ao banco são as novidades do time celeste.

Em 15º lugar com 10 pontos, o Bahia tem feito campanha melhor fora do que dentro de casa.

Renê Simões não contará com o volante Marcone, suspenso, mas terá os retornos do lateral-esquerdo Ávine, do meia Carlos Alberto e do atacante Jobson, que não puderam jogar contra o Botafogo.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 18h27 – Times em campo. Cruzeiro todo de verde, Bahia com calções e meias azuis, camisas brancas com duas faixas horizontais, uma vermelha, outra azul.
  • 18h29 – Execução do Hino Nacional.
  • 18h35 – Começa o jogo, Cruzeiro à esquerda, Bahia dá a saída.
  • 30seg – Jancarlos bate falta na direita, Jobson cabeceia pra linha de fundo.
  • o1 – Montillo cobra escanteio pela esquerda. Ortigoza tenta cabecear, maa s defesa corta,
  • 02 – Carlos Alberto, no meio de campo, tenta a jogada individual, mas é desarmado pela zaga celeste.
  • 03 – Carlos Alberto, no meio de campo, tenta a jogada individual, mas é desarmado pela zaga cruzeirense.
  • 04 – Golaço! Montillo cobra escanteio pela esquerda, defesa dá rebote, Leandro Guerreiro faz o corta-luz, Wallyson acerta um petardo. Bola na rede. Cruzeiro 1×0.
  • 05 – Cena de terror! Jóbson é acionado na área, livre de marcação, dribla Fábio e chuta um torpedo no meio do gol porém Vítor salva em cima da linha.
  • 06 – Montillo cobra escanteio pela esquerda, Marcelo Lomba corta a bola com um soco.
  • 07 – Fábio machuca o ombro e fica caído. Segue o jogo.
  • 08 – Fabrício cruza da direita, Marcelo Lomba defende.
  • 09 – Cruzeiro toca a bola no meio de campo buscando um espaço na defesa baiana.
  • 10 – Montillo cobra escanteio pela esquerda, no primeiro poste. Ávine corta.
  • 11 – Cruzeiro toca bola no meio de campo buscando espaços na defesa baiana.
  • 12 – Gilberto aciona Ortigoza na ponta esquerda. Paulo Miranda se antecipa e o desarme.
  • 13 – Junior recebe na grande área, não consegue dominar, Leo Simões limpa a área.
  • 14 – Gol! Jancarlos deixa Gilberto pra trás, cruza, Fábio sai, não encontra a bola, Naldo fura, Jobson chuta, da pequena área, pra rede. Bahia 1×1.
  • 15 – Wallyson cobra escanteio pela direita, defesa afasta, Leandro Guerreiro chuta, bola acerta a zaga e sai da área.
  • 16 – Montillo cruza da direita, Titi corta.
  • 17 – Ortigoza é lançado na entrada da área, marcado de perto por dois baianos, chuta rasteiro no canto esquerdo de Marcelo Lomba, que defende sem oferecer rebote.
  • 18 – Renê Simões, os berros, manda Fahel marcar Montillo pessoalmente.
  • 19 – A la Gerson! MP lança Ortigoa, que, sozinho, nas costas da bequeira, chuta rasteiro. Marcelo Lomba defende.
  • 20 – Ortigoza chuta forte, de fora da área, bola passa por cima do travessão.
  • 20 – Finalizações: Cruzeiro 5×3.
  • 21 – Leandro Guerreiro é o capo da bequeira. Montillo corre por todos os lados carregando Fahel na cola.
  • 22 – Jobson vence Leandro Guerreiro na corrida e cruza. Naldo corta.
  • 23 – Ávine comete falta em Wallyson na ponta direita. Montillo cobra, Titi corta.
  • 24 – Diones lança Jobson, que cruza. Guerreiro corta, Jobson volta a chuta, bola desvia em Naldo e sai pra ecanteio. Jancarlos cobra, Fahel cabeceia pra linha de fundo.
  • 25 – Montillo é o jogador mais criativo do Cruzeiro, embora seja muito marcado por Fahel. Bahia joga pelo os lados, com velocidade, sempre buscando Jobson.
  • 26 – Montillo cruza da direita, Diones corta.
  • 27 – Carlos Alberto chuta de longe. Fábio defende.
  • 28 – Marquinhos Paraná chuta de fora da área, bola sai à esquerda de Lomba.
  • 29 – Milagre! Montillo cruza da direita, Ortigoza cabeceia à queima-roupa, Marcelo Lomba defende milagrosamente.
  • 30 – Diones passa a Júnior, que é desarmado por Marquinhos Paraná, na entrada da área.
  • 31 – Fabrício cruza da direita, Titi se antecipa a Ortigoza e corta.
  • 32 – Júnior chuta de fora da área, Fábio defende.
  • 33 – Montillo cruza da direita, Marcelo Lomba defende e fica caído fazendo cera.
  • 34 – Desarmes: Bahia 23×3.
  • 35 – Titi e Paulo Miranda se enrolam na saída de jogo, Wallyson toma a bola e passa a Montillo, que chuta forte. Bola explode na bequeira.
  • 36 – Jobson cruza da esquerda, Fábio defende.
  • 37 – Amarelo! Jancarlos aplica um tackle em Wallyson na ponta esquerda celeste.
  • 38 – Montillo cobra falta pela esquerda, Helder corta na marca do pênalti.
  • 39 – Marquinhos Paraná passa a Fabrício, que lança Ortigoza. Bola sai pela lateral.
  • 40 – Leo Simões se atrapalha com a bola e cede lateral.
  • 41 – Wallyson chuta forte, cruzado, da direita. Bola sai rente ao poste direito do arco baiano.
  • 42 – Jancarlos lança Jobson na direita. Leandro Guerreiro desarma o atacante baiano.
  • 43 – Amarelo! Fahel chuta o tornozelo de Wallyson. Escanteios: Cruzeiro 8×1.
  • 44 – Choque! Leo Simões e Paulo Miranda sobem na área e batem cabeça. Jogo parado. Atletas sendo atendidos no gramado.
  • 45 – Jogo reiniciado. Ávine lança Jobson, Naldo rebate, Montillo lança Ortigoza no contra-ataque, Lomba fica com a bola.
  • 46 – Wallyson cruza da direita, Marcelo Lomba defende.
  • 47 – Naldo desarma Jobson, lança Wallyson, que passa a Fabrício. O volante cruza, a defesa corta, Carlos Alberto derruba Marquinhos Paraná. Montillo cobra falta, bola sai pela linha de fundo.
  • 48 – Fim de 1º tempo.
  • Jobson: “Tive duas chances, era pra estar 2×1 pra nós. Tem que tomar cuidado com o Montillo, que está desequilibrando.”
  • Wallyson: “O Juiz está empatando o jogo, dando muita falta sem ser. Fahel já fez umas 5 faltas. Vamos jogar na bola! O Juiz tá atrapalhando, mas estamos criando muitas chances.”
  • UOL: Em 1º tempo movimentado na Arena do Jacaré, o Cruzeiro vai empatando em 1×1 com o Bahia. O time celeste abriu o placar, aos 4 , com Wallyson após aproveitar a assistência de Leandro Guerreiro. O tricolor baiano não se abalou e continuou pressionando em busca do gol de empate que saiu aos 14 com Jóbson. A partida foi equilibrada com os times criando várias chances de gols e proporcionando um bom jogo. A equipe mineira jogou variando entre os lados do campo e a faixa central do gramado usando o toque de bola enquanto que o tricolor baiano utilizou da velocidade explorando as laterais do gramado. Com esse resultado, o time celeste vai chegando aos 13 pontos e se mantém na 11° posição enquanto que a equipe baiana vai chegando aos 11 pontos e segue na 16° colocação.

Segundo Tempo

  • 19h40 – Cruzeiro volta a campo.
  • 19h341- Começa o 2º tempo.
  • 00 – Troca! Vítor por Roger Galera.
  • 01 – Jobson disputa com Naldo, que despacha a bola com um chutão.
  • 02 – Ávine cruza da esquerda, Leandro Guerreiro corta de cabeça, dentro da área.
  • 03 – Fabrício cede escanteio. Ávine cobra para Jobson, Naldo corta.
  • 04 – Wallyson desce pela esquerda e chuta cruzado. Bola atravessa a pequena área e fica com Paulo Miranda.
  • 05 – Leandro Guerreiro disputa bola com Jobson, Ávine fica com ela , mas é desarmado com falta por Ortigoza.
  • 06 – Wallyson chuta cruzado da esquerda, bola passa raspando o travessão.
  • 07 – Gol! Montillo faz lançamento sensacional pra Wallyson nas costas da zaga. O paraguaio cruza rasteiro, Tite, na pesquena área desvia a bola contra seu arco, Wallyson chega de carrinho e completa pra rede. Cruzeiro 2×1.
  • 08 – Ávine chuta fraco da esquerda, Fábio defende.
  • 09 – Cruzeiro no 3-5-2. Guerreiro junto com os beques, Fabrício marcando pela direita e Gilberto pela esquerda. No centro, Marquinhos Paraná e Roger Galera defendendo e Montillo armando. No ataque, Ortigoza e Wallyson.
  • 10 – Troca! Júnior por Lulinha.
  • 11 – Ávine cruza da esquerda, Lulinha entra como um raio e arremata, bola sai raspando o poste direito do arco celeste.
  • 12 – Carlos Alberto lança Jobson, Fábio fica com a bola.
  • 13 – Marquinhos Paraná ataca pelo meio, abre na ponta pra Ortigoza, que disputa com Titi e acaba desaramdo.
  • 14 – Roger Galera desrama Lulinha com um carrinho na lateral esquerda.
  • 15 – Montillo cobra escanteio pela esquerda, Paulo Miranda corta de cabeça.
  • 16 – Troca! Helder por Ricardinho.
  • 17 – Jobson solta uma bomba do bico da área, Fábio corta com os punhos. Carlos Alberto cruza da esquerda, Fahel comete falta em Naldo, dentro da área.
  • 18 – Ricardinho lança Ávine, bandeira marca impedimento inexistente.
  • 19 – Bahia ronda a área celeste com toques de um lado pra outro. Cruzeiro se fecha na defesa.
  • 20 – Roger Galera está marcando muito e armando pouco. Cruzeiro sem contra-ataque.
  • 21 – Lançamento longo de Ricardinho, Fábio chega antes de Lulinha e fica com a bola.
  • 22 – Wallyson rola pra Gilberto, que entra livre e chuta forte, cruzado,. Bola sai pela linha de fundo.
  • 23 – Troca! Ortigoza por Francisco Everton. Montillo vira atacante.
  • 24 – Passes errados: Bahia 29×24.
  • 25 – Perigo! Carlos Alberto, num X, coloca Jobson na cara do gol. O atacante chuta forte, cruzado, Fábio não alcança, bola sai rente ao poste esquerdo.
  • 26 – Amarelo! Fabrício derruba Ávine.
  • 27 – Cena de terror! Ricardinho cobra falta, Lulinha empurra Fábio que espalma bola no travessão. Juiz marca a falta.
  • 28 – Joel Santana, desesperado, pede que Fabrício marque as subidas de Ávine.
  • 29 – Amarelo! Leo Simões desce a ripa em Ávine na entrada da área.
  • 30 – Falta perigosa! Jancarlos cobra, bola desvia na barreira celeste e sai para escanteio.
  • 31 – Jobson entra na área e chuta com perigo. Bola passa por cima do travessão. Finalizações: 13×13.
  • 32 – Acossado por Lulinha, Fabrício recua pra Fábio, que despacha a bola com um chutão.
  • 33 – Troca! Gilberto por Dudu. Francisco Everton vai pra lateral esquerda.
  • 34 – Marqunhos Paraná desarma Jancarlos. Bahia recupera a bola e ganha uma falta. Ricardinho cobra, Fábio, de peixinho, corta com os punhos.
  • 35 – Lulinha cruza da esquerda, Naldo corta. Bahia tomou conta do meio de campo. Cruzeiro sem saída de bola.
  • 36 – Amarelo! Jobson, por reclamação.
  • 37 – Wallyson e Montillo tentam segurar a bola na ponta esquerda. Jancarlos cede lateral.
  • 38 – Quase! Dudu recebe na ponta direita, dribla Titi e cruza forte. Wallyson passa pela bola, Montillo arremata, Lomba fecha o ângulo e faz impressionante defesa.
  • 39 – Gabriel cruza da direita, Fábio se estica e defende com dificuldade. Confusão na área, Lulinha se joga ao chão pedindo pênalti que não houve.
  • 40 – Francisco Everton lança Wallyson, que cruza da esquerda. Bola desvia em Paulo Miranda. Cruzeirenses pedem pênalti, que não houve.
  • 41 – Ávine chuta de longe, Fábio defende. Lateral fica caído sentindo cãimbras.
  • 42 – Público: 6.666. Renda: R$108.635,00.
  • 43 – Juiz sinaliza 3 minutos de acréscimo. Bahia pressiona.
  • 44 – Roger Galera derruba Gabriel na lateral esquerda.
  • 45 – Ricardinho cobra, bola na área, Fahel se joga sobre Fábio. Falta de ataque.
  • 46 – Bahia pressiona, Cruzeiro tranca a entrada da área.
  • 47 - Amarelo! Leandro Guerreiro comete falta em Jobson.
  • 48 – Fim de jogo. Posse de bola: Bahia, 55%. Escanteios: Cruzeiro 10×3.
  • Jobson: “Nós jogou de igual pra igual, nós mereceu vencer no 2º tempo.”
  • Marquinhos Paraná: “Marcamos bem e criamos oportunidades. Dois a um está bom diante de um time difícil. ”

Vídeos

Melhores momentos. Globoesportes.com

Atuações

  • Torcida – Pouco comparecimento, pouca vibração. Não está sentidno cheiro de título, nem de Libertadores. Por isto, perde boas oportunidades pra se divertir com o futebol bem jogado. Como o deste Cruzeiro 2×1 Bahia. (Síndico)
  • Fábio – Confundiu-se no lance do gol do Bahia, mas, pegou o resto. (João Chiabi Duarte)
  • Vitor – Não é nem arremedo do lateral insinuante dos tempos de Goiás. Hora de lançar o Gil Bahia. (João Chiabi Duarte)
  • Naldo – Zagueiro-zagueiro. Quando deu, saiu jogando, quando não deu, foi na raça. Outra boa atuação. (João Chiabi Duarte)
  • Leo Simões – Vacilou em alguns in-fights com os atacantes do Bahia sem, contudo, comprometer o time. (João Chiabi Duarte)
  • Gilberto - Apagado, pouco efetivo no marcação, não apareceu no ataque pra ajudar o time, que com o Montillo muito marcado, precisava de apoio dos laterais. Me lembro de apenas um chute dele que passou perto da trave. Uma de suas piores partidas pelo Cruzeiro. (Naldo Morato) Lento, dispersivo e apático em alguns momentos do jogo. Demonstra claramente não mais gostar de jogar de lateral. Eu creio que seja a hora de fixar o Diego Renan ou dar mais chances ao Gabriel Araújo, que terminou o ano pedindo passagem. (João Chiabi Duarte)
  • Francisco Everton - Fez Gilberto avançar mais, marcou melhor na lateral e não deu sopa pro azar. Entrada positiva. (João Chiabi Duarte)
  • Marquinhos Paraná – Em sua 201ª partida, outro show de eficácia. Sem jogar pra torcida com carrinhos espetaculares, divididas mortais, agarrões e cotovelaços, cumpre sua missão, hoje em dia, mais de marcação do que de armação. (Síndico) MP é opção o jogo inteiro. Incrível como ele se apresenta pra socorrer que tá apertado. (Marcus Oliveira) Uma ótima atuação, jogando com garra e vontade incomuns. Ontem, eu o vi chegar junto, desarmar, passar bem as bolas e até dar assistência primorosa ao Ortigoza. É assim que gostaria de vê-lo jogar. (João Chiabi Duarte)
  • Leandro Guerreiro – Outra boa atuação à frente da zaga. Fechou bem os espaços do bom meio campo do Bahia. Encarnou um ótimo 3° zagueiro na reta final da partida. (João Chiabi Duarte) Teve de roer o osso mais duro. Marcar o arisco Jobson não é pra qualquer um. Com disciplina tática e infinita disposição foi à luta. Ganhou e perdeu combates direitos. Mas saiu de campo com a vitória. Deveria recber o bicho em dobro. (Síndico) Guerreiro não pode ter sido destaque do jogo falhou incrivelmente no gol do Bahia, mais uma vez perdeu uma disputa de bola pelo alto na grande área que resultou em gol contra o Cruzeiro. (Cláudio Henrique Cardoso)
  • Fabrício – Rendeu abaixo do que pode, provavelmente, devido ao ata-desata de sua renovação contratual. O Cruzeiro tem que decidir logo esse problema. Não o vi, depois de muito tempo, integralmente focado no jogo. Foi o que me passou. (João Chiabi Duarte) Fez boa partida, mas pecou pelo excesso de firulas. Por diversas vezes, saiu driblando perigosamente. Até entendi o porquê. Foi o jeito que teve pra colocar o Jobson na linha, uma vez que o atacante adversário andava meio saidinho com dribles etc etc… (Edu Mano)
  • Montillo – Como enganche, armador clássico ou atacante, saiu-se muito bem. Não economia energia. Outra atuação pra deixar saudade na torcida, em breve. (Síndico)
  • Roger Galera - Embora não tenha feito nenhuma de suas costumeiras assistências, jogou com raça e com vontade. E não vi a Débora Secco nas cabines… (João Chiabi Duarte) Foi um bom volante de contenção, (Síndico)
  • Ortigoza – Lutou muito e poderia ter deixado um gol. Mas as bolas que chutou sempre encontraram algum obstáculo. (João Chiabi Duarte)
  • Wallyson – O melhor em campo. Fez dois gols e deu enorme trabalho à defesa do Bahia. Tem mobilidade e visão de gol. (João Chiabi Duarte) Os dois gols bastariam para consagrá-lo na partida. Mas fez mais: lutou, arriscou chutes, incomodou a defesa baiana quase tanto quando Jobson à cruzeirense. (Síndico)
  • Dudu – Entrou para jogar nas costas de Ávine, que se mandou pro ataque incomodando demais a defesa celeste. Criou algumas jogadas e conteve o ímpeto do lateral baiano. (Naldo Morato)
  • Joel Santana - Gostei das mexidas do Joel (tirar Vitor e Ortigoza era absolutamente necessário) mas não do posicionamento dos jogadores no campo. Guerreiro no meio da zaga deixou o meio meio vazio. Fabrício fazendo a ala direita limita seu campo de ação, ele que é um dos jogadores mais lúcidos do Cruzeiro, também do meio pra frente. Everton e Gilberto poderiam ter trocado de posição. (Thiago Duarte) Na rádio Itatiaia, foi condenado pelo locutor Alberto Rodrigues quando trocou Ortigoza por Everton. Talvez porque o narrador e os comentaristas dessa emissora não gostem de substituições surpreendentes. Pra eles tem que sair lateral e entrar lateral… Simples assim? Mas, Joel acertou mais a defesa quando tirou Vitor e colocou Roger, deslocando o Paraná para a linha derradeira. Congestionou o meio. Dudu pôs velocidade no jogo. Vitor x Roger: O lateral não jogava nada e Roger ajudaria a Montillo na armação e daria um suporte ao lado esquerdo do time. Ortigoza x Everton: Mais gás ao setor de marcação pelo lado esquerdo e mudança no sistema de jogo. O time ficou com Leo Simões e Naldo na zaga + Paraná, Guerreiro, Fabrício, Roger e Everton numa 2ª linha + Montillo e Gilberto (Dudu) numa 3ª linha e com Wallyson na frente. (João Chiabi Duarte)
  • Juiz & Bandeiras – Um impedimento mal marcado do ataque baiano foi o erro mais grosseiro. De resto, interpretações que podem não coincidir com a do torcedor, mas nada importantes a ponto de mudar os rumos da partida. (Síndico)
  • Bahia – Renê Simões montou uma equipe forte, mesmo sem estrelas em ascensão no futebol brasileiro. Lomba foi ótimo goleiro, Ávine, como sempre, um ala que produz grande volume de jogo e tem inteligência pra atacar nos momentos certos, Jobson, um azougue, quase imarcável e Diones um trabalhador da maia cancha. De quebra, ele tem Carlos Alberto e, no banco, Ricardinho, que sabem trabalhar a bola e encontrar as melhores soluções pra cada jogada. Não foi à toa que o Tricolor de Aço teve 55% de posse de bola e fez a torcida celeste se assutar. Bom time. Melhor do que a posição que ocupa na tabua de classificação. (Síndico)
  • Cruzeiro – O segundo tempo foi sofrível e parecia que não acabava nunca. O Cruzeiro precisa urgentemente contratar dois laterais ou, pelo menos, testar os laterais da base. Este Vitor é ridículo e não tem futebol para jogar nem na segunda divisão, muito menos para o Cruzeiro. Contribuiu e muito no gol de empate do Bahia. Joel vai ter muito serviço para botar este time nos eixos. (Palmeira) O estilo Joel é meio assustador, o time vem aceitando pressão demais, mas a bem da verdade a pressão dos adversários não vem sendo traduzida em chances de gol, mesmo trocando os zagueiros a cada partida o sistema defensivo vem bem, falta os laterais acertarem no apoio e os atacantes começarem a jogar bola, se tivessemos o Thiago Riberio na boa forma de outros tempos estariamos muito bem e confiantes neste campeonato. (Rogério Potencial)

O que foi dito

  • Ricardo Barbosa, no PHD – Gostei da vitória. O time jogou mal, e até por isso gostei mais, pois quando se ganha jogo assim é sinal que o time lutou, mesmo em má atuação. Não vi preguiça. O que ocorre é que o problema nas laterais é ainda mais sério que no ataque, tanto que os adversários exploram estes setores contra nós. Ai, mesmo contra equipes tecnicamente inferiores, passamos aperto. E no caso do Bahia, eles têm jogadores com características específicas para jogadas ali. O Cruzeiro precisa resolver esse problema. O mercado está complicado, não há bons nomes. Digo até que essa posição, no futebol, está ‘morrendo’. Talvez seja necessário até rever o esquema tático, se não aparecer algum nome na cartola até o dia 20, o que, acredito, não ocorrerá. Resolvendo isso, até o rendimento do ataque melhora. E aí vai dar pra gente sonhar com coisa melhor neste campeonato.
  • Anderson Olivieri, no PHD - Excelente vitória, fundamental pra se afastar da zona de risco. O 2º tempo do Cruzeiro foi muito ruim. Várias vezes, correu riscos de levar o gol de empate. Wallyson tem sido o melhor do ataque, que anda muito mal. Marquinhos Paraná comemorou 200 jogos em grande estilo. Joga muito. Montillo, idem. Já o Vítor, pfiiiii. Precisamos de um lateral direito urgentemente. Naldo também jogou muito bem.
  • Naldo Morato, no PHD - Jogo equilibrado, vitória suada. Em alguns momentos, o Bahia esteve melhor e criou oportunidades pra empatar. O Cruzeiro não estava nem, mas as mudnças feitas por Joel Santana deram bons resultados. Francisco Everton melhorou a marcação pela esquerda e Dudu, posicionado nos espaços deixados por Ávine, conteve um pouco o ímpeto do lateral que incomodava bastante. O Bahia tem um bom time e vai subir na tabela. Naldo, Leandro Guerreiro, Montillo, Ortigoza e Wallyson foram os melhores. Os laterais estiveram mal. Ávine, do Bahia, e Boiadeiro, do Ceará, são jogadores a serem observados.
  • Elias Guimarães, no PHD – Marquinhos Paraná foi merecidamente homenageado antes da partida pelos 200 jogos realizados com a camisa do Cruzeiro.
  • Lédio Carmona, em seu blog - Após um escanteio cobrado da direita e do desvio no primeiro pau, Leandro Guerreiro fez a parede para Wallyson acertar uma pancada indefensável. Merecia o tira-teima para medir a velocidade da bola, um míssil teleguiado que viajou a um palmo de altura até estourar nas redes baianas. Eram quatro minutos de jogo e parecia que o Cruzeiro ia atropelar o Bahia. Porém, não demorou para o Bahia responder. Jobson perdeu na pequena área depois de uma firula desnecessária e, pouco depois, aproveitou-se da indecisão entre Naldo e Fábio para entrar com bola e tudo, estufando a rede como se quisesse responder à suposta provocação de Joel Santana . Desnecessário, Jobson, tudo já estava suficientemente explicado. Fato é que o mar cruzeirense não estava para peixe. Ortigoza quase marcou em cabeçada que Lomba defendeu bem, mas o jogo estava complicado. O Bahia ameaçava encaixar um contra-ataque e o Cruzeiro não se achava na armação. Wallyson voltava para ajudar Montillo e Ortigoza ficava na referência, que não é seu papel preferencial. No intervalo, Joel sacou Vitor para a entrada de Roger, atitude que aliviou Montillo e deu mais opções para o argentino, como no lance do segundo gol. Wallyson puxou pela esquerda e atraiu a marcação, o que abriu a brecha para Montillo achar Ortigoza na banguela, pela direita, livre. Lomba saiu para fechar o ângulo e Ortigoza rolou no meio. Depois de a bola bater no beque, Wallyson rompeu como homem de área para empurrar tudo para o fundo do gol. Time mais arrumado, placar novamente construído, tudo encaminhado para a vitória. O Bahia teve suas chances, com Jobson principalmente, mas os momentos mais claros foram do Cruzeiro, como na estupenda defesa de Lomba no chute à queima-roupa de Montillo. Mais três pontos em outra vitória com o dedo de Joel Santana. O Cruzeiro não foi brilhante, mas deu para o gasto.
  • Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro – Vitória sofrida, suada. Todos nós tivemos obediência tática, fizemos o que o Joel pediu, por isso a vitória veio. Foi importante vencer uma equipe que veio pra marcar e nos complicar. Criamos mais, marcamos bem e o placar poderia ser melhor, mas o 2×1 tá de bom tamanho.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro – É sempre complicado o time do Bahia, que é bastante ofensivo. Conseguimos neutralizar as principais jogadas deles e saímos com a vitória.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro - O Bahia tem uma boa equipe, com jogadores experientes e não veio se defender.
  • Wallyson, atacante do Cruzeiro – Não foi a primeira vez que vivi um jejum de gols. Fiquei um tempo sem marcar, mas mantive a cabeça no lugar, trabalhando. E, como falei, na hora que a bola começasse a entrar, não ia parar mais. Graças a Deus, estou voltando àquela boa fase da Libertadores. Fico feliz por ter jogado bem. O mais importante é ajudar o Cruzeiro a vencer e falar da garra da equipe, da vontade de todos, que correram bastante. A Torcida também está de parabéns, nos apoiou do começo ao fim, mais uma vez.
  • Joel Santana, treinador do Cruzeiro - Sabíamos que seria um jogo complicado, o Bahia tem boa equipe. Todo jogo será assim, a responsabilidade era nossa, jogávamos em casa, tivemos que nos expor. Vencemos e chegamos aos 15 pontos. O Bahia foi armado em cima do Brasileiro, por isso, está encontrando dificuldades neste começo. Mas tem uma bola parada perigosíssima. Eles chegam bem na frente, com o centroavante, com os zagueiros, que são altos. Quando tiraram o centroavante, o Júnior, optaram pelas jogadas de chão, e eu congestionei o meio. Foi uma troca de cartas. Na hora em que eles gostaram do jogo, nós fizemos o gol, em um contra-ataque, que era tudo o que a gente queria. Depois eles não deram mais. No futebol, hoje, existe muito equilíbrio.
  • Titi, beque do Bahia - Não adianta jogar bem e não somar três pontos. A gente fica chateado, porque não está vindo o que a gente quer. Sabíamos da dificuldade que seria o jogo em Minas, mas estávamos confiantes na vitória. Agora aumenta a responsabilidade de vencer em casa. Está faltando manter a tranquilidade. A ansiedade está atrapalhando um pouco a equipe.
  • Jobson, atacante do Bahia - Não fomos muito felizes, mas o time jogou bem. A arbitragem também deu uma atrapalhada. Não merecíamos perder.
  • René Simões, treinador do Bahia - Temos que ser mais competentes na frente, segurar mais a bola. No 2º tempo, fizemos isso. Gostei, mas aí no lance do gol do Cruzeiro adiantamos demais e tomamos contra-ataque. Temos que segurar a bola no ataque pra descansar a defesa. Se você não descansa a defesa, uma hora leva o gol. Jogamos bem, fizemos um bom 2º tempo, mas é uma facilidade dar cartão aos nossos jogadores. Os do Cruzeiro reclamaram bastante e não receberam um amarelo por isso. O Guerreiro fez umas 12 faltas pra levar um amarelo, já pro Bahia, qualquer falta era cartão amarelo.
  • Mariana Resende, no PHD - Que jogo esquisito! Mas o que vale são os 3 pontos e a confirmação que a lateral direita é o problema a ser resolvido.

Fontes

Transmissão

  • Sportv