Cruzeiro 2x1 Atlético-MG - 15/02/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Guarani-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Estudiantes.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Guarani-MG.png Gol aos do Escudo Uberaba.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Guarani-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Estudiantes.png
Contra Atlético-MG
Escudo Cruzeiro.png 4x2 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 5x0 Escudo Atlético-MG.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
2 × 1 Escudo Atlético-MG.png
Atlético-MG
5ª rodada do Campeonato Mineiro 2009
Data: 15 de fevereiro de 2009 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 16h00 Estádio: Mineirão
Árbitro: Alício Pena Júnior Público pagante: 47.803
Assistente 1: Marcio Eustáquio Santiago Público presente: Não disponível
Assistente 2: Celso Luiz da Silva Renda: R$ 972.856,50 R$ 972.856,5
Cr$ 972.856,5
NCr$ 972.856,5
Cz$ 972.856,5
NCz$ 972.856,5
(preço médio: R$ 20,35 )
Súmula: Súmula
Escalações
Cruzeiro: Atlético-MG:
1. Fábio Cartão amarelo recebido aos 31  (2T) 31'  (2T)   1. Juninho
2. Jancarlos Cartão amarelo recebido aos 21  (2T) 21'  (2T)   Substituição realizada 25' (2T) de jogo 25' (2T) ( 14. Jonathan ) 2. Marcos Luis Substituição realizada 62' de jogo 62' ( 14. Werley )
3. Léo Fortunato 3. Welton Felipe Cartão amarelo recebido aos Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 37  (1T) 37'  (1T)  
4. Thiago Heleno 4. Leandro Almeida (C) Cartão amarelo recebido aos 20  (1T) 20'  (1T)  
5. Marquinhos Paraná 5. Renan Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 15. Thiago Feltri )
6. Fernandinho 6. Júnior Cartão amarelo recebido aos 6  (1T) 6'  (1T)  
7. Henrique Cartão amarelo recebido aos 39  (2T) 39'  (2T)   7. Carlos Alberto
8. Ramires  Gol aos do 8. Márcio Araújo
9. Soares Cartão amarelo recebido aos 15  (2T) 15'  (2T)   Gol aos 43 do  (1T) 43'  (1T) Substituição realizada 18' (2T) de jogo 18' (2T) ( 18. Wellington Paulista ) 9. Diego Tardelli Gol aos 32 do  (2T) 32'  (2T)
10. Gerson Magrão Cartão amarelo recebido aos 12  (1T) 12'  (1T)   Substituição realizada 15' (2T) de jogo 15' (2T) ( 16. Wagner ) 10. Yuri Substituição realizada 40' (1T) de jogo 40' (1T) ( 13. Marcos )
11. Thiago Ribeiro Cartão amarelo recebido aos  (1) Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 41  (2T) 41'  (2T)   11. Éder Luis Cartão amarelo recebido aos 41  (2T) 41'  (2T)  
Técnico: Adilson Batista Técnico: Emerson Leão
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Atlético-MG:
12. Andrey Cartão amarelo recebido aos 16  (1T) 16'  (1T)   20. Edson
13. Gustavo Schiavolin 16. Júnior Carioca
15. Fabrício 17. Raphael Aguiar
17. Wanderley dos Santos 18. Kléber

Pré-jogo

Para o clássico deste domingo, o Cruzeiro leva uma série de 9 partidas de invencibilidade, com 8 vitórias entre elas. Isto motiva o rival, que precisa tanto de um bom resultado como um náufrago de uma boia. E esta é a principal motivação do Jogão das 16h na Pampulha.

Encerrada a partida, o Cruzeiro vai cuidar da Libertadores seu principal desafio no 1º semestre e o Atlético-MG vai começar a pensar na Copa do Brasil, enfraquecida pela ausência dos melhores times do país.

Seja lá como for, os noventa e poucos minutos desta tarde valem, para a maioria dos torcedores, um título à parte.

Os emplumados levam fé em sua dupla de ataque, que cobina a força e a velcidade de Eder Luiz com a classe a pontaria de Diego Tardelli.

Os cruzeirenses confiam na habilidade, fôlego e espetacular noção tática de seu habilidoso meio de campo.

Problema terá a torcida pra pagar os ingressos majorados pelo Cruzeiro, mandante da partida. Muita gente acabará na frente das televisões espalhadas pelos bares da cidade.

Outro motivo de preocupação são as brigas de torcedores por todos os catntos da região Metroplitana. Antes do jogo, as organizadas brigaram em Nova Lima, Betim, Contagem, Vespasiano e no bairro Nova Suíça em Beagá.

E dois jovens atleticanos foram baleados na Av. Silviano Brandão, no bairro do horto. Para um deles, de apenas 17 anos, o tiro desferido por um torcedor vestido com uniforme da Máfia Azul, que passou na garupa de uma moto, foi fatal. Insanidade que, assim que noticiada tirou muita gente do estádio

O jogo

Primeiro Tempo

  • 16h02 – Começa o Jogão. Cada time com seu uniforme tradicional. Cruzeiro defende o Gol da Lagoa, Atlético-MG, o Gol da Cidade.
  • 01 – Wagner Tardelli invade a área pela esquerda, Fortunato despacha pra escanteio. Na cobrança, Fortunato afasta de cabeça.
  • 03 – Jancarlos entra na diagonal e é derrubado por Júnior na intermediária. Fernandinho bate na barreira, bola sobra para Soares, na pequena área, mas bandeira marca impedimento.
  • 05 – Carlos Alberto recebe nas costas da zaga, é desarmado por Fortunato na entrada da área. Leão entra em campo para reclamar. Replay mostra que foi desarme com ombro.
  • 07 – Thiago Ribeiro cruza da ponta-direita, Ramires recebe dentro da área, gira sobre beque e arremata, no poste direito do arco de Juninho.
  • 09 – Ribeiro dribla Júnior na lateral-esquerda e cruza. Zaga afasta. Fernandinho é derrubado na intermediária por Márcio Araújo.
  • 10 – Fernandinho sai no carrinho-maca.
  • 12 – Fernandinho volta mancando. Carlos Alberto avança pela ponta-direita e é derrubado por Gerson quando ia entrar na área. Gerson recebe cartão amarelo. Falta cobrada, defesa espana.
  • 14 – Paraná lança Gerson, que passa a ramires. O Queniano recebe uma rasteira, mas o juiz nada marca.
  • 15 – Falta em Soares, que Alício, apitando à européia, não marca.
  • 16 – Alício dá cartão amarelo a Andrey que, do banco reclama em altos brados.
  • 17 – Eder Luiz conclui para defesa difícil de Fábio. Na saída, Welton Felipe derruba Soares e leva cartão amarelo.
  • 18 – Jancarlos desarma Tardelli invade a área pela direita e cruza. Juninho não consegue cortar, Ramires cabeceia para as redes: Cruzeiro 1×0.
  • 20 – Jancarlos bate falta da intermediária levantando a bola na área. Juninho sobe e defende com tranquilidade.
  • 22 – Tardelli entra livre pela ponta-direita e cruza. Defesa não encontra a bola, que sobra livre para Yuri. O arremate, na cara do gol, sai à direita do arco de Fábio, raspando o poste.
  • 24 – Júnior bate falta sobre a área, Henrique sobe e corta de cabeça.
  • 25 – Marcos Rocha tenta cruzar, mas é travado por Henrique.
  • 26 – Os dois times encontram facilidades para atacar sobre as laterais-esquerdas adversárias.
  • 27 – Cruzeiro diminui o ritmo, perde contundência, adversário força a marcação e começa a dominar a partida, mas falha no ataque.
  • 28 – Júnior chuta e Fábio tira de tapinha pra escanteio.
  • 29 – Carlos Alberto chuta de fora da área, raspando o poste direito do arco de Fábio.
  • 31 – Júnior lança Carlos Alberto, que entra na área e toca de trivela, Fábio espalma para escanteio. Na volta Leandro Almeida chuta forte, no poste esquerdo.
  • 32 – Gerson cobra escanteio, Juninho defende pelo alto.
  • 33 – Ribeiro entra na área, pela direita e chuta em Leandro Almeida que cede escanteio.
  • 34 – Meio de campo celeste aberto, Eder arma jogada para Tardelli, que entra na área e completa pra fora, à esquerda de Fábio.
  • 37 – Ribeiro recebe na intermediária, passa a Soares, que recebe encostão de Welton Felipe. Beque recebe segundo amarelo e, em seguida, o vermelho.
  • 38 – Fernandinho bate falta, por cima do travessão.
  • 40 – Yuri é substituído por Marcos. Torcida cruzeirense grita o nome do novo beque.
  • 41 – Ribeiro toca para Jancarlos que cruza para Leandro cebecear para escanteio.
  • 42 – Paraná desarma Tardelli na entrada da área. Cruzeiro ataca, na volta Ramires desarma Carlos Alberto dentro da área celeste.
  • 43 – Marcos Rocha cruza, Fernandinho fica com a bola dentro da área.
  • 44 – Soares entortou Renan com um corte na entrada da área, pela direita, e fuzila Juninho. A bola passa debaixo do corpo do goleiro e entra à sua esquerda: Cruzeiro 2×0.
  • 45 – Escanteio sobre a área celeste, Leandro Almeida cabecea mal, mas obtém um escanteio, que Júnior bate. De novo, Leandro Almeida cabeceia. dessta vez, pra fora, à direita de Fábio.
  • 46 – Cruzeiro toca bola na intemediária. Ribeiro recebe e é derrubado. Jancarlos fica coma bola, vai à linha de fundo e cruza. Almeida cede corner, que Alício não deixa bater terminando o 1º tempo.
  • Soares diz que, no 2º gol, livrou-se de Renan, que foi de primeira. Com a bola limpa, na frente do gol, ele não tinha outra coisa a fazer a não ser chutar e marcar.
  • Leão quer que o árbitro seja preso pela falta não marcada sobre Carlos Alberto no início da partida. O treinador emplumado ainda reclama de 5 expulsões nos 5 jogos de seu time no campeonato.

Segundo Tempo

  • 17h07 – Começa o 2º tempo. Thiago Feltri substitui Renan. Júnior vai para o meio de campo.
  • 2 – Ribeiro tenta puxar contra-ataque, mas passa mal a Soares, que perde a bola.
  • 3 – Thiago Heleno desarma Eder Luiz, toca pra Ramires que passa a Ribeiro. Chute sai à esquerda de Juninho.
  • 4 – Jancarlos vai à linha de fundo, cruza, defesa emplumada espana.
  • 5 – Cruzeiro toca bola, torcida grita“Olé!”
  • 6 – Ribeiro cruza, Juninho defende sem ser acossado pelo ataque celeste.
  • 7 – Ramires puxa contra-ataque, passa a Ribeiro. Defesa corta.
  • 8 – Júnior entra na área pela esquerda e cruza. Defesa corta.
  • 9 – Fernandinho entra na área e chuta forte. Juninho defende bem salvando 3º gol.
  • 10 – Ramires corta Almeida dentro da área e cai. Juiz manda seguir o jogo.
  • 11 – Ribeiro e Ramires, na cara do gol, não conseguem marcar, pois Juninho sai ao pé deles e salva. Só a torcida do Cruzeiro se manifesta.
  • 12 – Jancarlos é desarmado por Marcos Rocha, que cruza para defesa de Fábio.
  • 13 – Carlos Alberto cruza pra fora. Na volta, Gerson Magrão cruza, Soares chega atrasado, Juninho defende.
  • 14 – Ramires coloca Soares na cara do gol. Chute sai torto e um gol certo é desperdiçado.
  • 15 – Paraná cruza, Ribeiro cabeceia pra fora. Wagner substitui Gerson Magrão.
  • 16 – Soares erra passe nop contra-ataque. Defesa atleticana é desarmada, bola volta para Soares que cava a falta e recebe cartão amarelo. Werley substitui Marcos Rocha.
  • 17 – Fábio defende, no chão, cruzamento de Feltri.
  • 18 – Wellington Paulista substitui Soares. Soares diz pra WP: “Você vai fazer gol!”
  • 19 – WP joga bola na área, Juninho defende.
  • 20 – Jancarlos comete falta em Tardelli e recebe cartão amarelo.
  • 22 – Henrique chuta de longe, por cima do travessão.
  • 25 – Jancarlos substituído por Jonathan.
  • 26 – Júnior levanta sobre a área, bola sai à direita de Fábio.
  • 27 – Eder chuta de longe, Fábio defende bola rasteira.
  • 28 – Wagner dribla e cruza. Bola atravessa a defesa, sai do lado direito. Ribeiro reclama e recebe cartão amarelo.
  • 29 – Ribeiro para Ramires, que toca para WP. O centroavante conclui mal. Juninho defende. Bravo com o que cosnidera displicência do time, Adílson Baptista pede seriedade.
  • 32 – Fábio sai em Carlos Alberto, que se joga dentro da área eganha a marcação de um pênalti que, depois, ele confessaria n”ao ter existido. Fábio recebe cartão amarelo. Tardelli bate com paradona. Fábio sai para a esquerda, mas ainda volta para a direita, sem, contudo alcançar a bola: Atlético-MG 1×2.
  • 33 – Feltri cruza. Aberta, defesa celeste assiste a chegda atrasada de Tardelli, que perde gol certo.
  • 34 – Henrique passa a Wagner, que cruza. Jonathan fica com a bola do lado direito e recebe falta de Feltri.
  • 35 – Cruzeiro abusou do toque e da perda de gols; agora, a partida está equilibrada. As torcidas duelam na tentativa de animar os times.
  • 36 – Ribeiro dribla Juninho e chuta cruzado, Almeida cede corner.
  • 37 – Cruzeiro toca bola e tenta encontrar brechas. WP é derrubado na entrada da área.
  • 38 – Fernandinho bate falta com um totó tentando enconbrir a barreira, mas defesa corta.
  • 40 – Falta de Ramires em Carlos Alberto, na intermediária. Júnior bate sobre a área, Werley, sozinho, cabeceia para importante defesa de Fábio.
  • 41 – Ribeiro puxa camisa de Eder, recebe cartão amarelo e, em seguida, vermelho.
  • 42 – Júnior bate falta sobre a área, Fábio tira de soco.
  • 43 – Márcio Araújo dribla vários defensores, entra na área, fica de frente pro arco celeste, mas chuta pra fora. Alício indica prorrogação de 4 minutos.
  • 45 – WP tenta segurar jogo e é derrubado na lateral-esquerda. Leão pressiona juiz. Torcedor emplumado invade o gramado, mas é contido e arrastado pra fora por um segurança.
  • 46 – Fernandinho bate falta para Wagner que chuta por cima do travessão quando estava à frente de Juninho.
  • 47 – Ramires cruza, WP carrega a bola para a lateral querendo segurar a partida. Atlético-MG recupera a bola e sai jogando. Henrique comete falta na intermediária.
  • 48 - Juninho quer ir para o ataque, Leão não deixa. Alício acrescenta mais 1 minuto ao jogo.
  • 49 – Eder cruza bola perigosa, Fábio faz ponte e corta pra fora da área.
  • 50 – WP incvade a área na corrida e é derrubado por Juninho. Pênalti claro, que o juiz não marca.
  • 51 – Alício Pena Jr. apita o final da partida.
  • Leão diz que arbitragem foi uma vergonha. Márcio Araújo reclama do juiz, diz que Ramires deveria ter sido expulso, que Alício deu pênalti inexistente em favor do Atlético-MG para compensar outro, de Fortunato em Tardelli, no início do jogo. Leão diz que não pode controlar o extra-campo, por sito vai pedir ao Kartolinha emplumado pra tomar providências. E segue a festa!

Vídeos

Gols

O que foi dito

  • “Tivemos erros de marcação, erros de posicionamento, falta de entrega. Isto tem que ter sempre, independentemente do adversário e da superioridade numérica. Se quiser ganhar alguma coisa, temos que ter concentração, obediência, seriedade. Tivemos oportunidades pra fazer mais. O Carlos Alberto penetrou 3 vezes pelo lado esquerdo e 2 pelo direito. Isto foi alertado. Temos que ter um pouco mais de atenção. Se virarmos as costas, eles batem rápido. Na Libertadores, será assim. Temos que prestar atenção no jogo, ajudar, socorrer, senão terei que trabalhar com 3 volantes. Não dá pra achar que só se joga com a bola no pé. Na Libertadores nós sabemos como é. Estamos cobrando é por isso. Ele [presidente do Atlético-MG] tem que dar o nome da quadrilha. Ele não sabe? O Cruzeiro jogou bem e o Atlético também. Foram criadas várias oportunidades. Poderíamos ter feito um placar maior. Não acertamos e não tivemos capacidade pra fazer. O Atlético cresceu e também teve oportunidades. Quem veio ao estádio viu um bom jogo.” (Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro)
  • “[O reconhecimento de meu futebol] é mérito do trabalho. Os companheiros me ajudam e está dando tudo certo. Espero continuar ajudando o Cruzeiro. Adílson me deu mais liberdade pra estar lá na frente ajudando o companheiros. Deu certo. Eles abriram e eu cheguei de trás. Tinha um jogador rápido me marcando, que era o Carlos Alberto, mas graças a Deus saímos com a vitória. Contra o Estudiantes, não posso jogar, mas virei ao Mineirão apoiar os companheiros e entrar no clima da competição. Temos um grupo muito bom e unido. não vou fazer falta. Vamos sair com uma vitória boa e começar a competição com o pé direito.” (Ramires, volante do Cruzeiro)
  • “A torcida ainda não me conhecia. Graças a Deus fiz um gol com o Mineirão lotado. Com a torcida junto, espero, daqui pra frente, estar mais iluminado para ajudar a equipe a vencer. No gol, recebi a bola, não tinha ninguém na área, mas o marcador veio pra cima e eu dei um corte seco, puxei a perna direita e vi o Juninho. Pensei: é agora, vou ter que soltar a perna. Atacante tem que ser fominha na área e foi o que eu fiz. Sobre o gol perdido, estou me cobrando. Recebi uma bola só com o Juninho à frente e podia ter matado a partida. Peguei errado nela, mas só erra quem está lá pra marcar. Agora, é treinar pra evitar erros. É fundamental fazer gols e conquistar pontos.” (Soares, atacante do Cruzeiro)
  • “Jogo por minha equipe. No 2º tempo, sentimos um pouco. Mas valeu a determinação de todos. Agora, é comemorar. A gente sempre fala: faz lá pra dar tranqüilidade aqui atrás. Tivemos a chance para matar o jogo, mas não fizemos isso e tomamos sufoco no final.” (Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro)
  • “Qualquer resultado teria sido normal, pois os times se equivaleram, mas a diferença de qualidade em favor do Cruzeiro é abissal. Não gostei da dupla de zaga, do Fernandinho e do Wellington Paulista. Marquinhos Paraná e Tiago Ribeiro foram os melhores em campo. Fábio, esteve perfeito como sempre. Fala do Ramires, é chover no molhado. O Cruzeiro não ganhou porque jogou melhor, mas porque é muito melhor do que o Atlético-MG.” (Rodrigo Dylan, cruzeirense, de Brasília)
  • “Mais uma vez o Adilson foi o grande nome. Seus acertos já começaram na escalação, quando optou por preservar o Wagner, que não tem a mesma saúde do Ramires. Durante a partida, à beira do campo, comandou a equipe com destreza. Ao final do jogo, elogiou e criticou o time na mesma dose. As críticas foram motivadas pela falta de entrega de alguns em campo, coisa que PC Gusmão e Dorival nunca fizeram. Palmas pra ele, em 1º lugar. Quanto à partida propriamente dita, mais uma vez tivemos boa apresentação. Ramires marcou mais um; Jancarlos fez sua melhor partida com a camisa azul; a dupla Heleno e Fortunato mostraram que Gustavo Schiavolin, Leonardo e Anderson terão dificuldades pra agarrar uma vaga na defesa. Thiago Ribeiro também foi bem, apesar da excessiva individualidade em determinado lance do 2º tempo.” (Anderson Olivieri, cruzeirense, de Brasília)

Atuações

  • Adílson Baptista – Vai moldando o time à sua feição. Acertou na escalação que mandou a campo e nas opções táticas, notadamente na colocação de Thiago Ribeiro na direita, para explorar os avanços e a má forma de Junior. Já se tornou especialista em derrotar o rival. Reclamou com razão da vacilada do time em não definir o jogo, cobrando mais concentração e dedicação.
  • Torcida – Foi maioria no estádio e fez uma bonita festa quando o time entrou em campo. Como não dá para sentir a vibração pela TV, transcrevo o comentário do Frederico Amaral, que esteve no Mineirão: “A torcida do Cruzeiro foi um show a parte. Marcos, Juninho tiveram os nomes gritados, justa homenagem. No intervalo, a torcida continuou cantando e aproveitou para tirar um sarro gritando a música da Beth Carvalho. As cocotas já estavam sentadas e desanimadas. No segundo tempo a torcida ficou morna, como o time em campo. Mas nas horas importantes abafava a rival. A festa, dentro do estádio, foi muito bonita.”
  • Fábio – Quando exigido, mostrou a segurança e a boa colocação de costume. Nos lances de maior perigo do adversário, contou com a incompetência dos atacantes emplumados e nem precisou intervir. Não cometeu o pênalti.
  • Jancarlos – Fez um excelente primeiro tempo. Foi responsável por toda a jogada do primeiro gol, do roubo de bola ao cruzamento perfeito para Ramires. Vinha bem no segundo tempo, até ser amarelado e dar lugar para Jonathan.
  • Jonathan – Entrou bem no jogo, mesmo não sendo tão efetivo no ataque como em outras ocasiões.
  • Léo Fortunato – Mostrou segurança e foi soberano no mano a mano com os atacantes emplumados. Não fez falta em Carlos Alberto no lance polêmico do inicio do jogo. Não parece disposto a se conformar com a reserva.
  • Thiago Heleno – Tão seguro quanto o companheiro de zaga. Excelente atuação.
  • Fernandinho – No primeiro tempo revezou com Magrão entre a meia e a lateral. Junto com o companheiro, deixou espaços para o ataque adversário. Melhorou no segundo tempo quando se fixou na lateral e marcou presença no ataque, com um bom chute defendido por Juninho e uma tabela com Wagner que quase resultou num gol deste. Desperdiçou duas faltas próximas à área, uma de forma displicente no segundo tempo.
  • Henrique – Cumpriu o seu papel de ajudar na marcação e mostrou a luta de sempre. Joga pro time e não pra torcida.
  • Marquinhos Paraná – Foi o “dono” do jogo. Comandou a defesa, organizou o meio de campo e ditou o ritmo do time. Reclamou com razão das chances perdidas pelos atacantes.
  • Gerson Magrão – Mais lateral do que meia no primeiro tempo, no revezamento com Fernandinho, não foi bem na marcação. Voltou um tanto displicente no segundo tempo, quando foi para a meia, foi amarelado e substituído.
  • Wagner – Ainda não está no melhor da sua forma, mas entrou bem no jogo.
  • Ramires – Mais uma excelente atuação, mesmo sem ser tão brilhante como de outras vezes. Movimentou-se bastante e deixou o seu gol, assumindo de vez o lugar de Guilherme como carrasco dos emplumados.
  • Soares – Aprontou uma correria impressionante no primeiro tempo. Mesmo assim, não vinha sendo muito efetivo, até provocar a expulsão do zagueiro emplumado e marcar o segundo gol, em bela jogada. Perdeu uma chance incrível no segundo tempo, que poderia ter definido o jogo. Tomou um cartão bobo por simular uma falta numa jogada em que poderia ter prosseguido para o gol e foi substituído logo depois.
  • Wellington Paulista – Entrou com muita disposição, mas perdeu pelo menos uma grande chance para marcar. Compensou com muita luta e prendeu bem a bola no ataque no final do jogo. Sofreu um pênalti não marcado pelo juiz.
  • Thiago Ribeiro – Excelente atuação. Infernizou a defesa emplumada com seus deslocamentos e penetrações em velocidade, especialmente no primeiro tempo, quando jogou pela direita. Acabou expulso infantilmente no final.
  • Juiz & Bandeiras – Alício estragou o espetáculo. Acertou ao não marcar nada no lance do Fortunato com Carlos Alberto no inicio do jogo, mas diante das reclamações emplumadas, procurou compensar de qualquer jeito. Deixou de marcar algumas faltas a favor do Cruzeiro e inventou um pênalti ridículo, que deu um novo alento ao time emplumado, que àquela altura estava quase batido. Sem contar o pênalti que ignorou no final do jogo, quando Juninho derrubou Wellington Paulista. Pelo menos foi correto nas expulsões. Os bandeiras, ao contrário, não comprometeram.
  • Adversários – Carlos Alberto foi o melhor dos emplumados. Marcio Araujo se salvou pela vontade. Junior criou alguns lances de perigo em cruzamentos, mas está longe de sua melhor forma. O decantado Tardelli foi um fiasco. Perdeu a bola que originou o primeiro gol celeste de forma bisonha e na única chance que teve chutou para fora. O trio KLB fez papel ridículo, ao tentar jogar a culpa pela derrota no juiz, como de costume, tentando encobrir as deficiências do time medíocre que armaram.

Transmissão

  • Globo Minas

Fonte