Cruzeiro 2x0 Atlético-MG - 15/05/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Atlético-MG.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Figueirense.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Atlético-MG.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Guarani-MG.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Atlético-MG.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Palmeiras.png
Contra Atlético-MG
Escudo Atlético-MG.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Atlético-MG.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
2 × 0 Escudo Atlético-MG.png
Atlético-MG
Jogo de volta - Final - Campeonato Mineiro de 2011
Data: 15 de maio de 2011 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 16h Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Wilson Luiz Seneme Público pagante: 17.384
Assistente 1: Emerson de Augusto Carvalho Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marcelo Carvalho Van Gasse Renda: R$ 293.415,81 R$ 293.415,81
Cr$ 293.415,81
NCr$ 293.415,81
Cz$ 293.415,81
NCz$ 293.415,81
(preço médio: R$ 16,88 )
Súmula: Súmula e Borderô
Escalações
Cruzeiro: Atlético-MG:
1. Fábio Cartão amarelo recebido aos  (1) 30. Renan Ribeiro
2. Leandro Guerreiro Cartão amarelo recebido aos  (1) 2. Patric
3. Gil Cartão amarelo recebido aos  (1) 3. Réver
4. Victorino Cartão amarelo recebido aos  (1) 4. Leonardo Silva Cartão amarelo recebido aos
5. Marquinhos Paraná 5. Filipe Souto
6. Everton Substituição realizada de jogo ( 18. André Dias ) 6. Guilherme Santos Substituição realizada de jogo ( 16. Bernard Cartão amarelo recebido aos )
7. Roger  Cartão vermelho recebido aos (fora de campo) Substituição realizada de jogo ( 14. Léo ) 7. Serginho Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos
8. Henrique Substituição realizada de jogo ( 15. Fabrício ) 8. Renan Oliveira Substituição realizada de jogo ( 14. Richarlyson )
9. Wallyson  Gol aos 31 do  (2T) 31'  (2T) 9. Mancini Substituição realizada de jogo ( 18. Cláudio Leleu )
10. Gilberto Cartão amarelo recebido aos  (1) Gol aos 41 do  (2T) 41'  (2T) Cartão vermelho recebido aos 10. Giovanni Augusto
11. Thiago Ribeiro 11. Magno Alves
Técnico: Cuca Técnico: Dorival Júnior
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Atlético-MG:

Pré-Jogo

Ao Cruzeiro só a vitória interessa. Montillo, suspenso, será o desfalque do time. Cuca trocará o lateral Pablo pelo volante Marquinhos Paraná.

O Atlético-MG campeona com empate ou vitória. Neto Berola, suspenso, não joga. Richarlyson e Renan Oliveira, que estavam suspensos no jogo de ida, estarão à disposição de Dorival.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 15h33 – Emplumados entram em campo, sob tremenda vaia, para o aquecimento.
  • 15h36 – Goleiros Fábio e Rafael Monteiro entram em campo para se aquecerem.
  • 15h40 – Cruzeiro faz aquecimento em campo.
  • 15h55 – Atlético-MG entra em campo com uniforme tradicional.
  • 15h57 – Cruzeiro entra em campo com uniforme tradicional.
  • 16h02 – Execução do Hino Nacional. Estádio lotado. Não se vê espaços vazios e há superlotação nas sociais.
  • 16h05 – Banco de reservas do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Pablo, Leo Simões, Fabrício, Dudu, Zé Ortigoza, André Dias.
  • 16h06 – Começa o jogo. Cruzeiro, à direita das cabines, dá a saída.
  • 01 – Roger Galera cobra falta na direita. Bola na área, defesa desvia, Renan Ribeiro sobe pra defender.
  • 01’30” – Patric recebe passe na ponta direita, gira e cruza. Gil limpa a área.
  • 02 – Giovanni Augusto recebe lançamento na ponta direita, tenta jogada individual, mas é desarmado por Gil.
  • 03 – Fillipe Soutto lança Magno Alves que, na ponta direita, passa por Everton, mas deixa a bola com Gil.
  • 03’30 – Gilberto chega atrasado na disputa com Patric e comete falta.
  • 04 – Patric toca pra Renan Oliveira, que é desarmado por Victorino, na intermediária.
  • 05 – Renan Oliveira faz jogada individual na intermediária, mas é desarmado pela defesa celeste.
  • 06 – Mancini toca na entrada da área pra Magno Alves, que chuta em cima da marcação.
  • 07 – Réver lança Magno Alves na ponta esquerda e ele toca na área para Mancini. O meia-atacante é desarmado e Fábio fica com a bola.
  • o8 – Wallyson toca na entrada da área procurando Gilberto, mas Patric se adianta e faz o corte.
  • 09 – Patric toca na intermediária pra Renan Oliveira, que buca Magno Alves. Victorino corta.
  • 10 – Gilberto passa a Wallyson na ponta esquerda, ele corta pra perna direita, tenta passe na área, mas Renan Oliveira fica com a bola.
  • 11 – Henrique chuta rasteiro, Thiago Ribeiro domina, gira e chuta prensado por Réver. Escanteio, que Roger cobra na área e Réver corta de cabeça.
  • 12 – Marquinhos Paraná avança pela intermediária, mas é desarmado por Fillipe Soutto.
  • 13 – Magno Alves tenta Mancini na ponta esquerda, Marquinhos Paraná se antecipa e corta.
  • 14 – Serginho lança Magno Alves nas costas da zaga, mas o atacante está impedido.
  • 15 – Roger Galera passa a Gilberto na ponta esquerda. Ele cruza na área. Guilherme Santos corta de cabeça cedendo escanteio. Roger Galera cobra o escanteio, Fillipe Soutto afasta o perigo.
  • 16 - Gilberto leva a bola pra linha de fundo e cruza. Leonardo Silva cede escanteio.
  • 17 – Gilberto cobra o escanteio, Gil cabeceia por cima do travessão.
  • 18 – Fillipe Soutto tenta passar a Renan Oliveira no meio-campo, mas a bola fica com Gilberto.
  • 19 – Leandro Guerreiro lança Gilberto na esquerda. meia cruza, Guilherme Santos corta.
  • 20 – Cruzeiro pressiona. Atlético-MG se fecha na defesa.
  • 21 – Mancini toca pra Magno Alves. na intermediária. Gil desarma o atacante.
  • 22 – Quase! Thiago Ribeiro cruza da direita, Serginho não consegue interceptar a bola, Roger Galera conclui na entrada da pequena área. Renan Ribeiro defende em cima da risca.
  • 23 – Magno Alves recebe passe perto da área, gira e chuta por cima do travessão.
  • 23’30” – Leandro Guerreiro lança Wallyson na direita. Guilherme Santos corta pra escanteio.
  • 24 – Thiago Ribeiro domina na esquerda, leva pro meio, tenta entrar na área, mas Réver toma-lhe a bola.
  • 25 – Leandro Guerreiro passa a Gilberto, que sofre falta de Réver. A falta é cobrada curta e Leandro Guerreiro chuta por cima do travessão.
  • 26 – Francisco Everton passa a Thiago Ribeiro na esquerda. Atacante leva bola pro meio e toca na área. Leonardo Silva fura, Guilherme Santos corta.
  • 27 – Amarelo! Marquinhos Paraná avança pela intermediária, mas é parado com carrinho por Leonardo Silva.
  • 28 – Roger Galera cobra falta de curva, cobrindo a barreira. Renan defende no canto esquerdo.
  • 29 – Amarelo! Victorino passa o rodo em Magno Alves. Filipe Soutto cobra sobre a área, três emplumados estão na banheira.
  • 30 – Seneme marca falta inexistente de Guerreiro em Mancini.
  • 31 – Renan Ribeiro sai errado. Wallyson fica com a bola , entra na área e tenta cruzar pra Roger, mas a bola fica em Serginho.
  • 32 – Roger Galera faz boa jogada na intermediária, mas chuta em cima da marcação. Renan Ribeiro fica com a bola e lança Magno Alves, que entra na área, mas é travado por Gil na hora do chute.
  • 33 – Termocefalia! Torcida celeste atira objetos em campo. Seneme para o jogo.
  • 34 – Giovanni Augusto cobra escanteio, Gilberto corta de cabeça.
  • 35 – Wallyson domina na ponta direita, gira em cima de Guilherme Santos, avança e cruza rasteiro. Renan Ribeiro defende.
  • 36 – Gilberto cruza da esquerda buscando Wallyson, mas Guilherme Santos intercepta a bola na pequena área.
  • 37 – Francisco Everton cruza com força, da esquerda. Wallyson erra a cabeçada, dentro da área.
  • 38 – Patric toca pra Mancini, que tenta cruzar pra Renan Oliveira, mas pega mal na bola, que sai pela linha de fundo.
  • 39 – Guilherme Santos cruza da esquerda, Mancini domina no peito, bola sobra pra Giovanni Augusto, que chuta na rede pelo lado de fora.
  • 40 – Leandro Guerreiro aplica carrinho em Mancin, no meio de campo. Falta.
  • 41 – Gilberto lança Thiago Ribeiro na esquerda. Patric cede escanteio. Thiago Ribeiro cobra curto, recebe de volta e cruza.Roger Galera cabeceia, Renan Ribeiro defende.
  • 42 – Patric cruza, Leandro Guerreiro corta.
  • 43 – Marquinhos Paraná passa a Roger Galera, na intermediária. Meia sofre falta de Serginho.
  • 44 – Roger Galera cobra falta, Réver corta de cabeça. Victorino conclui de bicicleta, bola sai pela linha de fundo.
  • 45 – Amarelo! Mancini reclama.
  • 46 – Giovanni Augusto tenta dominar a bola no meio-campo, mas sofre falta de Marquinhos Paraná.
  • 46’30” – Magno Alves passa a Giovanni Augusto na esquerda da área. Wallyson faz o desarme.
  • 47 – Fillipe Soutto chuta de fora da área, bola sai à esquerda do gol de Fábio.
  • 47’30” – Amarelo! Serginho aplica carrinho em Henrique.
  • 48 – Termina o 1º tempo.

Segundo Tempo

  • 17h11 – Começa o 2º tempo.
  • 00 – Trocas! Guilherme Santos por Richarlyson, Renan Oliveira por Cláudio Leleu. Ricky é recebido com gritos de “bicha, bicha!”
  • 01 – Wallyson avança pela ponta direita e Guilherme Santos chega de carrinho para cortar para a lateral.
  • 02 – Giovanni Augusto recebe passe na direita do meio-campo, tenta girar, mas Leandro Guerreiro corta para a lateral.
  • 03 – Henrique desce em velocidade pela intermediária e sofre falta de Fillipe Soutto.
  • 04 – Wallyson cruza da ponta direita, Henrique cabeceia por cima do gol.
  • 05 – Marquinhos Paraná toca na ponta direita para Wallyson, ele cruza baixo na área, Gilberto domina e Serginho corta pela linha de fundo.05 –
  • 06 – Thiago Ribeiro cobra escanteio pela direita, Gil cabeceia, bola sai tirando tinta do poste direito do arco emplumado.
  • 07 – Victorino lança Wallyson na intermediária, Patric afasta mal e tem que correr atrás dela para cortar para a lateral
  • 08 – Giovanni Augusto avança em velocidade pela direita e sofre falta de Henrique. Richarlyson cobra, Fábio defende.
  • 09 – Thiago Ribeiro tabela com Gilberto, Leonardo Silva corta, Gilberto comete falta em Richarlyson.
  • 10 – Fillipe Soutto toca pra Richarlyson, que lança Cláudio Leleu. Leandro Guerreiro intercepta a bola, de cabeça.
  • 11 – Seria de placa! Thiago Ribeiro entra em diagonal e, da meia lua, passa a Roger Galera, que dá um tapa com a canhota. Bola sai raspando o poste direito.
  • 12 – Guilherme Santos cai no gramado sentindo a coxa esquerda. Jogo parado para atendimento ao lateral.
  • 13 - Gilberto passa a Francisco Everton, que cruza. Leonardo Silva corta de cabeça.
  • 14 – Troca! Guilherme Santos por Bernard.
  • 15 - Fillipe Soutto lançca Richarlyson na ponta esquerda. Ricky corta Marquinhos Paraná, mas chuta pra fora.
  • 16 - Serginho lança Patric na ponta direita. O lateral chega atrasado e a bola sai pela lateral.
  • 16 – Amarelo! Bernard impede cobrança rápida de falta pelo Cruzeiro.
  • 17 – Victorino avança pela intermediária, mas é parado com falta por Bernard.
  • 18 - Troca! Francisco Everton por André Dias.
  • 19 - Cláudio Leleu recebe passe na esquerda da área, tenta ir à linha de fundo, mas deixa a bola escapar pela linha de fundo.
  • 20 - Fillipe Soutto toca pra Magno Alves na direita. Fábio sai do gol e defende.
  • 20’30” – Parte da torcida celeste grita: “Raça, raça!”
  • 21 – Defesaça! Magno Alves deixa Leandro Guerreiro, Victornino e Gil pra trás e chuta forte, rasteiro. Fábio faz defesa difícil, em dois tempos.
  • 22 – Gilberto lançca Wallyson na esquerda. O ponta leva pro meio e chuta. Patric desvia pra lateral.
  • 23 - Roger Galera cruza da direita, André Dias tenta cabecear, mas é impedido por Leonardo Silva, que faz o corte.
  • 24 - Bernard recebe passe na ponta direita, entra na área e toca pra Patric, que deixa pra Leleu chutar por cima do travessão.
  • 25 - Thiago Ribeiro passa a André Dias, que chuta. Renan Ribeiro cede escanteio.
  • 26 – Thiago Ribeiro cobra escanteio pela direita, à meia altura. Richarlyson corta na pequena área.
  • 27 – Richarlyson sassarica ma ponta-esquerda e leva um trompaço de Gil. Falta.
  • 28 – Troca! Hanrique por Fabrício.
  • 29 – Milagre! Magno Alves recebe lançamento e fica livre na frente de Fábio, que salta a seus pés e desvia a bola. Victorino fica com a sobra e limpa a jogada.
  • 30 – Amarelo! Gil comete falta em Magno, no meio de campo.
  • 31 – Gol! Wallyson entra na área emplumada pela esquerda, ginga na frente de Serginho, corta para o meio e solta uma bomba de direita. A bola entra no canto direito de Renan Ribeiro, que se estica, mas não alcança. Cruzeiro 1×0.
  • 31’30” – Torcida canta “Explode coração, na maior felicidade…”
  • 32 – Patric tenta passe na ponta direita, mas Gilberto intercepta
  • 33 - Troca! Roger Galera por Leo Simões.
  • 34 - Amarelo! Fábio demora pra recolocar a bola em jogo.
  • 35 – Defesaça! Wallyson recebe na entrada da área, dribla Fillipe Soutto e solta uma bomba de pé direito. Renan Ribeiro salta e espalma pra escanteio evitando que a bola entre no ângulo esquerdo de seu arco.
  • 36 – Defesaça! Leandro Guerreiro tabela com Thiago Ribeiro na direita da área e chuta forte. Renan Ribeiro faz defesa difísil cedendo escanteio.
  • 37 – Pé torto! Richarlyson avança pela esquerda e cruza descalibrado. Bola passa por trás da baliza.
  • 38 - Bernard avança pela esquerda, mas é parado com falta por Leo Simões.
  • 39 - Serginho cobra a falta na área, Gil corta de cabeça.
  • 40 – Vermelho! Thiago Ribeiro puxa contra-ataque e leva uma pancada de Serginho, que recebe segundo amarelo e vermelho.
  • 41 – Golaço! Fabrício rola bola na cobrança de falta, Gilberto acerta um petardo, bola entra no canto esquerdo de Renan Ribeiro. Cruzeiro 2×0.
  • 42 – Amarelo! Gilberto levanta a camisa na comemoração do gol e é punido.
  • 43 – Wallyson avança pela ponta direita, é desarmado por Leonardo Silva e comete falta no beque.
  • 44 – Vermelho! Cláudio Leleu toca pra Magno Alves, que sofre falta de Gilberto na intermediária. Meia recebe 2º cartão amarelo e é expulso.
  • 45 – Fillipe Soutto cobra a falta na área, Fábio defende.
  • 46 – Amarelo! Giovanni Augusto dribla Leandro Guerreiro e sofre falta no meio de campo e sofre falta. O volante celeste recebe cartão amarelo.
  • 46 – Cláudio Leleu faz boa jogada na direita, leva pro meio e chuta. Fábio defende.
  • 47 – Patric toca pra Magno Alves na entrada da área, Leo Simões desarma o atacante.
  • 47’30”- Vermelho! - Roger Galera sai do banco e vai até o alambrado comemorar o título com a torcida. Seneme não gosta e mostra o cartão vermelho.
  • 48 – Expulso! O treinador do Atlético, Dorival Júnior, reclama e é expulso. Mas continua no banco.
  • 49 – Giovanni Augusto cruza na direita, Patric cabeceia, Fábio defende.
  • 50 – 37 vezes campeão! Fim de Jogo. Cruzeiro conquista pela 37ª vez o Campeonato Mineiro. Arma-se um tablado no meio de campo. Os vices campeões recebem uma taça prateada e os campeões uma dourada. A TV Globo toca o hino dos dois clubes. Por mais de meia hora a Arena do Jacaré continua lotada. Poucos torcedores saem antes d avolta olímpica.

Finalizações certas: Cruzeiro 7×1.

Finalizações erradas: Cruzeiro 10×7.

Escanteios: Cruzeiro 11×0.

Desarmes: Atlético-MG 39×36.

Passes certos: Cruzeiro 303×223.

Impedimentos contra: Atlético-MG 5×1.

Faltas: Cruzeiro 24×23.

Posse de bola: Cruzeiro, 58%

Vídeos

Gols. Globoesporte.com

Atuações

  • Fábio - Fez duas grandes defesas e um milagre, quando saltou aos pés de Magno Alves pra evitar o que poderia ter sido o gol do título do rival citadino. (Síndico)
  • Marquinhos Paraná - Reeditou as atuações do lendário Pedro Paulo pela direita. O rival não teve moleza pelo seu setor. Desarmou, atacou, finalizou, enfim, entregou o pacote completo. Para muitos precisa matar três leões por jogo para justificar sua titularidade. E como ontem sacrificou apenas dois bichanos, será devidamente cobrado. (Gattuno) /// No 1º tempo, foi lateral direito e botou Mancini no bolso. No 2º, passou pra linha de volantes e ajudou a controlar o meio de campo, mantendo os garotos emplumados sob controle e permitindo que os homens de frente atacassem com tudo. (Matheus Penido)
  • Victorino - Sofreu bem menos que na partida anterior pois dessa vez Mancini, que devia atormentar seu setor, foi anulado por Paraná enquanto esteve em campo. Mas nem por isso deixou de dar uma contribuição decisiva pro título pois foi o coadjuvante de Fábio no desarme de Magno Alves que evitou o gol do título emplumado. (Matheus Penido) /// A raça uruguaia marcou presença na conquista do título. Sua recuperação no lance decisivo do jogo foi fundamental para que o rival não fizesse o gol. Sua serenidade tem contribuído inclusive para o crescimento do seu parceiro de zaga. (Gattuno)
  • Gil - Foi um gigante. Sofreu mais que seu parceiro de zaga porque a marcação do Everton era mais frágil, mas isso não foi problema pra ele, que desarmou quem aparecia por ali e ainda fez um desarme espetacular no fim do primeiro tempo impedindo que Magno Alves finalizasse na cara do Fábio. (Matheus Penido) /// O jogo foi pra coroar o início do ano. Foi muito questionado por nós torcedores que não temos paciência. Se não arrebenta no início, pedimos a cabeça igual fazemos no Elifoot. Zagueiro não é valorziado, ainda mais o Gil que não faz o estilo marketeito e nem é argentino. Mas, pra mim, o melhor jogador do Cruzeiro no ano é o Gil. É o mais regular. Jogou bem sempre e manteve o nível nas decisões da Libertadores e Mineiro. (Chaves) /// Sensacional! Que partidaça! Botou o tal de Magno Alves no bolso e cometeu um verdadeiro magnicídio (sim, essa palavra existe) junto do goleiro Fábio. Como merecia que aquela cabeçada entrasse. Para mim, pelo crescimento monstruoso de seu futebol, foi o melhor em campo. E é de uma ignorância cavalar qualquer um que não o escale na seleção do campeonato. Genial! (Matheus Reis)
  • Leo Simões - Entrou pra reequilibrar o sistema defensivo e fechar os espaços após o treinador lançar o time ao ataque. Jogou com a seriedade de sempre e será peça fundamental para a maratona de jogos que se aproxima. (Gattuno)
  • Francisco Everton - Dentro das suas limitações é um cara bastante aplicado. Tentou fechar o corredor esquerdo e ainda ajudar Gilberto na saída de bola, e tirante duas bolas irritantes perdidas no final do primeiro tempo, cumpriu sua misão razoavelmente. Saiu na hora que o jogo esquentou de vez pra entrada de um atacante. (Matheus Penido) /// Everton não fazia bem a função de lateral esquerdo, já que fechava muito para o meio e raramente marcava os ataques do seu lado e não ia para a linha de fundo tentar o cruzamento, indo apenas para o meio tentar o arremate. (Daniel Loures)
  • Leandro Guerreiro - Fazia sua melhor partida. Sobrava no meio, passava corretamente, fechava sua lateral e ganhava todas por cima e por baixo. E no ataque também. Mas quase pôs tudo a perder num vacilo que não pode acontecer numa decisão. Sua (e nossa) sorte está no fato do Fábio estar sobrando. O Magnata de segundo soltou uma pedrada obrigando Fábio a operar um pequeno milagre defendendo em dois tempos. Por essa razão, ele perde o posto do melhor da partida pro Fábio e pro Gil. (Elias Tate) /// Fez a sua melhor apresentação como jogador do Cruzeiro (talvez até como jogador profissional… rs). Marcou muito, se movimentou mais ainda. Não segurou a bola, quase sempre tocou bem e de primeira. Mesmo quando muitos estavam mal, ele foi bem… O ‘motorádio’ de ontem vai para ele por ter superado todas as expectativas. (Edu Mano)
  • Henrique - Uma pena ele não ter recuperado o futebol dos seus melhores momentos. Ainda assim lutou demais e foi importante na marcação e principalmente empurrando o time pro ataque, mesmo com erros de passe. Taí um cara que merecia e muito esse título. (Matheus Penido)
  • Fabrício - Entrou com a missão de dar mais velocidade ao time. Mas como o gol do título saiu logo, ele tratou de incendiar o time na contenção. Ainda assim, participou da jogada do 2º gol rolando a bola pra Gilberto. (Síndico) /// É dos que temos confiança acima de tudo. É patrimônio dos torcedores. Entra e os adversários tremem, a bola fica mais tensa, os companheiros mudam as RPM. (Jorge Schulman)
  • Gilberto - Fez um gol, armou pela esquerda, roubou bola da defesa das frangas, enfim, jogou muito bem, recuperou-se da péssima jornada da semana passada. (Cláudio Lemos) /// Joga muito. Ponto. Com trinta e tralalá, correu feito um garoto, driblou muito bem, se apresentou para o jogo. Quando marcou, usou a experiência para fechar os espaços, quando saiu fez boas jogadas. É um privilégio tê-lo no elenco. Pode mudar uma partida com seu futebol. Tomara que cumpra seu contrato até o final. Para coroar seu bom momento fez um gol maravilhoso. (Edu Mano)
  • Roger Galera - Não jogou o que pode, mas pelo menos dedicou demais, se entregou o jogo todo, depois pediu para sair. (Cláudio Lemos) /// É difícil definir o Roger. Ou ele realmente sossegou com o Cruzeiro e com o casamento ou é um marketeiro profissional. Ficou altamente desapontado na eliminação da Libertadores, têm se entregado em todos os jogos (até tentando marcar ele está tentando), tem sido companheiro, elogiou amores para a torcida e teve aquela cena dele ajoelhado esperando pelo goldo Gilberto. Outro momento marcante foi na comemoração com o Wallyson; ele o abraçou muito! (Danilo_VIX)
  • Thiago Ribeiro - Mesmo não tendo feito gols, deu a sua ótima contribuição. Foi para o jogo fora de suas melhores condições. (João Chiabi Duarte) /// Como sempre, aliou velocidade, garra e movimentação. Só faltou o gol pra coroar outra bela atuação. (Síndico) /// É o atacante fundamental do time. Companheiro de dança que acelera o ritmo, muda de passo, faz “corte e quebrada”. Um milongueiro no sentido estrito da palavra. (Jorge Schulman)
  • Wallyson - Um jogador predestinado a fazer gols decisivos e importantes. Joga para o time. Tenta as jogadas. Hoje, vacilou num lance que pegou uma bola chutada pelo goleiro das ROSAnas, quando tentou achar Thiago Ribeiro e poderia ter chutado a gol. Mas, como questionar o seu valor. Fez o gol que selou a sorte deste jogo. Um jogador precioso taticamente e que permitirá a qualquer treinador incorporar variações táticas ousadas. Impressionante o pulmão dele. (João Chiabi Duarte)
  • André Dias - Se nada tivesse pra contar, bastaria lembrar que participou do gol do título fazendo o passe que permitiu Wallyson iniciar a jogada do golaço. (Síndico)
  • Cuca - Manteve o esquema com dois meias, permitiu que Henrique atacasse mais e, assim, sufocou um adversário que apostou na retranca. Acertou nas substituições e levou muita sorte na inversão dos ponteiros. Com o pé forte, Wallyson fez o gol do título cortando o marcador da esquerda para o meio. (Síndico) /// Cuca começou a ganhar o jogo na escalação. Quando colocou o Paraná na Lateral direita para barrar as subidas do Mancini que tinha deitado e rolado por ali no primeiro jogo e o Leandro Guerreiro no meio de campo para ajudar a fechar o setor. O Mancini sumiu do jogo, foi uma nulidade e acabou sendo sacado do time. A volta da dupla Thiago Ribeiro e Wallyson foram fundamentais, eles precionam muito a defesa adversária, o que facilita o trabalho do meio de campo. (Naldo Morato) /// Só achei que o Cuca não foi correto ao tirar o Éverton para colocar o André Dias. Como está claro na resenha do Mauro, a partir desse momento o rival teve mais espaço no meio de campo e poderia ter complicado o jogo em definitivo. Pareceu um pouco desesperada essa atitude do Cuca. Embora entende que faltava alguém para definir dentro da área, esse espaço estava superlotado e talvez não fosse a melhor opção (insistir dentro da área). (Danilo_VIX) /// Cuca armou um time sem laterais no que diz respeito à ofensividade. Nem Paraná (ou Guerreiro no segundo tempo) nem Éverton chegaram à linha de fundo como laterais. Essa função ficou por conta de Ribeiro, Wallyson e Gilberto. Em função disso que o Atlético não arrumou nada. E com a liberdade para os meias e atacantes, Guilherme e Patric não passaram do meio campo. Banho do Cuca no DJ. (Matheus Reis)
  • Torcida - Lotou a Arena do Jacaré e cantou o tempo todo. Desde uma música de mau gosto da Máfia até os belos hinos lançados pela TFC. Sem esquecer o antológico Explode Coração que embalou tantas glórias. Ah, sim, cantou também um sambinha da Beth Carvalho especialmente pro Velho Damas. Atuação impecável. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras - O trio de arbitragem não cometeu erros relevantes. Grande atuação! (Síndico)
  • Atlético-MG - Apostou na defesa e quase deu bem. O goleiros e os beques estiveram muito bem e seguraram o zero durante 78 minutos. Além deles, Fillipe Soutto e Guilherme tiveram bom desempenho. Magno Alves também incomodou, mas no lance capital da partida, no mano a mano com Fábio, piscou e perdeu o título. (Síndico)

O que foi dito

  • Daniel Loures, no PHD: O Cruzeiro dominou do início ao fim. O Atlético-MG teve só duas chances, ambas com Magno Alves. Na segunda, Fábio saiu de forma esplêndida na bola que estava nos pés do adversário. O Cruzeiro entrou no tradicional 4-4-2 com Marquinhos Paraná e Francisco Everton nas laterais, Leandro Guerreiro quase como terceiro zagueiro, saindo só na boa, Henrique marcando à frente, Roger e Gilberto na meiúca. Roger mais pelo centro, caindo pra direita em alguns momentos e Gilberto mais pela esquerda, quase como um ala. Thiago Ribeiro e Wallyson era a dupla de atacantes, o primeiro pela esquerda e o segundo pela direita. No 1º tempo, não houve troca de posições no ataque e TR não conseguia cortar pra dentro e chutar facilitando a marcação. Mas como o Cruzeiro marcava a saída de bola, o time de Vespasiano não conseguia sair jogando. Everton não fazia bem a função de lateral esquerdo. Fechava muito pro meio, raramente marcava os ataques do seu lado, e não ia à linha de fundo tentar o cruzamento. Só avançava pelo meio pra tentar o arremate. Henrique parecia perdido e errava muitos passes. No 2º tempo, com a entrada do André Dias no lugar de Everton e Fabrício no lugar do Henrique, e com a inversão dos atacantes, o Cruzeiro colocou Gilberto um pouco mais recuado e André Dias pra puxar um zagueiro. O time rosa voltou com Serginho pra marcar um dos atacantes. Assim, surgiu o gol de Wallyson, cortando pro meio e fuzilando com a direita. No geral, o Cruzeiro esteve bem e bloqueou todas as jogadas do adversário. E ainda, atacava a ponto de perder boas oportunidades como as de Roger, Wallyson e Gilberto. Se mantiver o elenco, o Cruzeiro vai brigar pelo título brasileiro.
  • Rafael Belattini, no blog do Juca Kfouri: (…) A primeira etapa foi de domínio cruzeirense, apesar da escassez de oportunidades claras de gols para ambos os lados. O Atlético, que poderia administrar o empate para ser campeão, não conseguia segurar a bola no ataque e acabava tendo que se virar na defesa. Na volta do intervalo Dorival Júnior tirou o amarelado e irritado Mancini para colocar Cláudio Leleu, enquanto Richarlyson substituiu Renan Oliveira. O cenário da partida não mudou e, aos 11, Roger quase abriu o placar ao bater de dentro da área e ver a bola passar rente ao poste direito de Renan Ribeiro. No mesmo lance Guilherme Santos ficou caído no gramado e Dorival teve que gastar a última substituição para colocar Bernard. Cuca mandou o time para frente colocando André Dias no lugar de Everton e deixando Gilberto na lateral. Fabrício entrou no lugar Henrique. De tanto tentar, o Cruzeiro foi premiado. Depois de Fábio salvar o que seria o gol do Galo ao sair nos pés de Magno Alves, a Raposa fez o que seria o gol do título. Aos 30, Wallyson driblou na entrada da área e bateu para o gol. A bola saiu mascada mas balançou as redes para a festa cruzeirense. Cuca tirou Roger para colocar Léo e segurar o jogo. O Atlético teria pouco mais de 15 minutos para atacar e chegar ao empate. Mas Serginho foi expulso aos 41 e Gilberto bateu falta com perfeição para fazer 2×0 no minuto seguinte. O autor do gol ainda foi expulso, mas já era campeão (…).
  • Marcelo Bechler, no blog do Lédio Carmona: (…) No primeiro tempo, jogo lento. O Atlético tirava a velocidade do rival, como fez nas duas outras partidas na temporada, mas dessa vez, abdicava do ataque. O Cruzeiro tinha dificuldades na hora de definir. Sem um centroavante, cruzar bolas na área só consagrava os zagueiros do adversário. Depois do intervalo, com Richarlyson e Leleu nos lugares de Mancini e Renan Oliveira, Dorival tentava fortalecer o meio-campo e dar mais velocidade ao ataque. Era preciso ter o antídoto para a pressão, mas o Cruzeiro começou melhor. Perdeu boas oportunidades com Gil e Roger. As chances se foram, o Atlético cresceu. O Cruzeiro saía e já demorava a voltar, o contra-ataque alvinegro começou a aparecer e Magno Alves perdeu a bola do jogo. Fábio, excelente no cara-a-cara, salvou. Dois minutos depois, Wallyson ganhou de Patric e marcou. No momento em que o Atlético era melhor no jogo, o golpe foi fatal. Nos contragolpes, com campo para jogar e espaço para colocar velocidade, como goleou várias vezes na temporada, o time de Cuca criou e fez o segundo com Gilberto – o melhor da decisão. Dorival montou o mesmo time da última partida, mas que jogou de forma diferente. O Atlético esperou demais, saiu de menos e teve, a rigor, uma grande chance. Pagou por isso. (…)
  • Mauro Beting, em seu blog: (…) Cuca e o Cruzeiro foram mais que infelizes na eliminação para o Once Caldas. Mas ele e o elenco têm muitas soluções. Não é fácil vencer o rival sem Montillo e a necessidade do resultado. E com dois volantes improvisados nas laterais ainda carentes. Mas Cuca realmente acertou quando abriu o Cruzeiro no segundo tempo com três na frente, Roger armando, e Gilberto reconvertido à lateral? O melhor criador cruzeirense ficou distante da área rival e a Raposa só abriu o placar num belo lance de Wallyson, quando o Galo parecia controlar o jogo e a decisão. Não há como criticar Cuca. Na ponta do lápis e da chuteira, ele e o Cruzeiro acertaram. Mas se o famoso Se entrasse em campo, as cornetas roncariam com a mesma força com que Dorival escuta críticas que não merece pelo bom desempenho de um elenco fragilizado e ainda em construção.
  • Fábio, goleiro do Cruzeiro: O grupo está de parabéns, lutamos contra tudo e contra todos. Mostramos mais uma vez a garra do Cruzeiro. E, com a ajuda do torcedor, conseguimos o título. Temos que comemorar.
  • Gil, beque do Cruzeiro: Felizmente pude desempenhar um grande trabalho. Não tomamos gol e, lá na frente, conseguimos marcar dois.
  • Leo Simões, beque do Cruzeiro: Este título coroa toda a união, a gana e o companheirismo que existe no Cruzeiro. Felizmente, entrei e pude ajudar os companheiros.
  • Mauricio Victorino, beque do Cruzeiro: Espero que este seja o primeiro de muitos títulos meus aqui no Brasil. Fui bem recebido e só posso trabalhar para tentar retribuir o carinho de todos.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: Amanhã, vou comemorar duas vezes, título e aniversário. É um presente mais do que especial. É muito gostoso comemorar desta forma. Joguei até um pouco mais avançado hoje, junto do Roger. Claro que não é a minha, mas tentei dar o meu melhor. O Montillo fez falta, mas o grupo mostrou a sua força e saiu vencedor.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: É maravilhoso trabalhar com esses caras. Nosso time é muito bom, só tive que entrar e tentar ajudar eles. O time fez por merecer e não poderia ficar sem este título. Passou muita coisa na cabeça, mas foi gostoso demais. Foi muita pressão nesta semana, e sei que tem muita gente triste, algumas pessoas da imprensa. Mas o futebol é assim. Ri melhor quem ri por último. A gente passou por muita coisa e quando vem o título pra coroar é muito bom. Falou-se muito nesta semana, pessoas me criticando do outro lado. Exagero, às vezes, dentro de campo, com vontade de acertar sempre, mas nunca machuquei ninguém. Nunca quebrei o nariz de ninguém, pelo contrário, já tive o meu quebrado dentro de campo.
  • Leandro Guerreiro, volante do Cruzeiro: Fiz uma bela partida, a melhor pelo Cruzeiro, no jogo mais importante do ano. A gente tem que sequência a este trabalho. Mas agora é comemorar com o torcedor, com a nossa família. Temos que agradecer mais uma vez ao Cuca, que é um pai pra gente. Ele merece o título. Provou, mais uma vez, sua qualidade. Fomos felizes e somos campeões. A gente sabia que era obrigação ganhar o Mineiro, ainda mais depois da eliminação na Libertadores. Agora, vamos iniciar o Brasileiro um pouco mais tranqüilos.
  • Francisco Everton, volante do Cruzeiro: A felicidade é muito grande, uma sensação maravilhosa. Foi meu primeiro título de Série A, justamente em cima do maior rival do Cruzeiro, e atuando como titular. Tomara que seja a primeira de muitas conquistas na minha carreira. Este título premiou quem fez a melhor campanha e praticou o melhor futebol. Dedico primeiro a Deus, mas também à família e à torcida, que foi espetacular, apoiou do início ao fim e foi fundamental na vitória. Agora é hora de comemorar e depois voltar ao batente tendo como objetivo o título do Campeonato Brasileiro.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro: Estou muito feliz e o time inteiro está de parabéns. É o fruto do trabalho de muito tempo, o time tem uma base já formada há três anos. A gente veio de muito desgaste físico, sofremos uma derrota e, pra esse jogo, a gente descansou, trabalhou muito mais a mente do que a parte física durante a semana. Quero agradecer o apoio do torcedor. Ele mais uma vez foi fundamental. O título é do torcedor, não existe patrimônio maior que essa torcida apaixonada. É muito bonito ver o estádio tomado, todo de azul.
  • Gilberto, meia do Cruzeiro: Agora é comemorar com a família, que sempre está do nosso lado. Agradeço aos meus irmãos, que vieram do Rio ver o jogo. Tem um montão de gente pra eu dedicar o título. Sou campeão mineiro pela segunda vez. A gente sabe que lutou bastante, com muita humildade, e conquistou o título. O gol foi pra Torcida do Cruzeiro, pros torcedores que sempre vieram nos incentivar.
  • Montillo, meia do Cruzeiro: Ficar do lado de fora é ruim, mas temos jogadores de qualidade no elenco. Parabéns pra quem jogou. Estamos todos de parabéns.
  • Wallyson, atacante do Cruzeiro: O Cruzeiro está de parabéns pela campanha. Título merecido pra uma equipe que sempre lutou e que tem um grupo muito forte e unido. Foi um jogo pra ficar na história e vamos comemorar. Graças a Deus, mais uma vez a minha estrela brilhou e consegui ajudar o Cruzeiro a vencer e ficar com o título. Se falou muita besteira durante a semana, tem que ter mais respeito com o Cruzeiro. Cruzeiro é grande.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Estou morto. Foram três semanas sem jogar. Até pra dar volta olímpica, foi difícil. O importante é que estou conseguindo superar. Nossa equipe foi muito melhor e mereceu o titulo. Se tivéssemos tomado o gol do Magno Alves naquele momento, ficaria bastante complicado. Mas o Fábio é muito experiente. Ele foi pra fechar o ângulo, esperou, atrasou a passada e atrapalhou o Magno Alves. Setenta por cento do título é dele. O baque da Libertadores foi muito grande. Ninguém imaginava ser eliminado pela equipe foi pior classificada. Tínhamos que ganhar o titulo. Isso dá muita moral para começarmos o Brasileiro bem. Vamos buscar o título brasileiro também.
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: A gente mereceu. Valorizamos a competição. Parabéns aos dois times, parabéns a todos que fizeram um grande campeonato. Perdemos uma Libertadores, que podíamos ter ido até à final. Emocionalmente, foi uma semana horrível. Estamos muito felizes por ter recuperado parte da alegria do torcedor. A gente queria estar na Libertadores também, mas somos campeões mineiros. Na verdade, não me preocupei muito em esconder a equipe, tanto que vocês sabiam a escalação. Procurei treinar e deixar a equipe descansar pra ter condições iguais às do Atlético-MG. Fomos eliminados numa quarta-feira, na quinta e na sexta ninguém dorme, e no domingo já tivemos o Atlético-MG pela frente, na casa deles. Soubemos perder. Depois, durante a semana trabalhamos, descansamos e entramos mais preparados. O Leandro, na verdade, nem veio pra ser titular de imediato. Veio pra ser componente do grupo. É um homem de confiança não meu, mas do Cruzeiro. Joga na lateral, na zaga, de volante, é profissional. Fez ótimos campeonatos pelo Botafogo. Eu tinha levado ele do Criciúma pro Botafogo. Hoje, o Torcedor está muito contente com a entrega e a qualidade dele. Ele encorpou bem o espírito deste grupo.
  • Zezé Perrella, presidente do Cruzeiro: Muita alegria depois da tragédia da Libertadores. Essa torcida maravilhosa merecia. Quem fez a diferença para nós hoje, sem duvida nenhuma, foi a torcida, que foi fundamental mais uma vez e nos ajudou muito a conquistar o título. Este foi um título especial. Juntamos os cacos após a eliminação precoce da Libertadores e tivemos que ressurgir das cinzas. Sabia que o time tinha condições de dar a volta por cima, pois ele é muito superior ao do rival.
  • Renan Ribeiro, goleiro do Atlético-MG: A gente quer chegar no profissional e dar títulos e alegrias pra torcida. Hoje, não consegui. Mas pode ter certeza de que a gente que veio da base sempre vai se doar ao máximo pra dar a vida pelo clube. A gente cresce dentro do clube e tem uma paixão especial por ele. A gente vive o Atlético-MG todo dia e fica muito triste com essa derrota. A gente queria muito este título que era muito importante pra nossa equipe, que é merecedora, é um grupo forte. Infelizmente não conseguimos. A gente teve a chance de matar o jogo com o Magno Alves. Infelizmente, ele não conseguiu fazer o gol e o Cruzeiro matou nas oportunidades que teve.
  • Serginho, volante do Atlético-MG: É triste, chato. Entramos com a vantagem do empate. No 1º tempo, conseguimos segurar, mas no 2º tomamos um gol que não poderíamos ter tomado. Fomos pra cima, mas não tivemos tranquilidade pra empatar. A gente fica triste, mas tem que manter a cabeça no lugar porque já começa outra competição na semana que vem. Todo mundo deu o seu melhor, estamos todos muito tristes, porque fizemos ótima final e infelizmente não conseguimos o título esperado.
  • Magno Alves, atacante do Atlético-MG: É claro que estou chateado por perdido a chance que poderia ter mudado a história, mesmo ainda com muito jogo pela frente. Mas isto já faz parte do passado. Fui infeliz, o Fábio feliz. O Cruzeiro aproveitou, fez os gols que precisava e saiu campeão. Foi um lance rápido. A gente vive ali dentro há muito tempo. São questões de segundos. Quando pensei em fazer o lance que sempre faço, Fábio veio e voltou, acabou me enganando. Não é uma justificativa. Foi por isso que tentei o drible e não a finalização direta. A gente vinha fazendo muitos gols, tendo aproveitamento bom em todos os jogos. Em se tratando de final, você não pode perder uma oportunidade dessas. É claro que faz parte, um dia você faz e ocorreu o momento de perder num jogo decisivo.
  • Dorival Júnior, treinador do Atlético-MG: Foi um jogo difícil, truncado, de muita marcação. O Cruzeiro prevaleceu um pouco mais em posse de bola. O jogo estava equilibrado até o momento em que tivemos oportunidade clara para definição, mas não fizemos. E o Cruzeiro aproveitou a que teve numa grande jogada, de um grande atleta, e acabou fazendo o resultado, nos deixando em condição difícil de recuperação em função do emocional, psicológico que tem importância nesse momento. O trabalho é contínuo. Se ganhássemos o campeonato, seria uma semana de recuperação também, pois o atleta chega ao final do limite. Queira ou não, é momento de ápice de qualquer atleta. Temos de ter calma e equilíbrio pra buscar a recomposição. A garotada apareceu e deu resposta positiva. Sinto orgulho de vê-los jogando da forma que jogaram: com personalidade, partindo pra cima.
  • Amacio Gattuno, por e-mail: Eu nunca havia estado no palco do último domingo. Assistir ao jogo na Arena do Jacaré escancara a condição humana em estado bruto dos jogadores. Pela televisão ou do alto das arquibancadas do saudoso Mineirão eles se transformam em semideuses de chuteiras criados pra vencer e encantar. Mas em Sete Lagoas, não. A arquitetura do estádio coloca o torcedor dentro do gramado onde homens -isso mesmo, homens!- se enfrentam músculo numa luta ardente sob o sol. É como se o sonho se materializasse à sua frente e, por instantes, é quase possível tocá-lo. Mas basta um drible, um chute, um gol para que a bola, esse brinquedo fascinante, faça toda aquela multidão em transe se acordar. E, assim como nós, lá se vão todos eles após o apito final da partida. Sujos, banhados de suor, lágrimas e dolorosa humanidade.

Fontes

Transmissão

  • Globo Minas
  • Sportv