Cruzeiro 1x1 Santos - 11/06/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1 x 1 Escudo Santos.png
Santos
4ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2011
Data: 11 de junho de 2011 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 18:30 Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique Público pagante: 6.073
Assistente 1: Altemir Haussman Público presente: 7.133
Assistente 2: Roberto Braatz Renda: R$ 104.820,00
R$ 104.820
Cr$ 104.820
NCr$ 104.820
Cz$ 104.820
NCz$ 104.820
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Santos:
1. Fábio 1. Aranha
2. Vitor Substituição realizada 3' (2T) de jogo 3' (2T) ( Dudu Cartão amarelo recebido aos ) 2. Bruno Aguiar
3. Leo 3. Rafael Caldeira
4. Gil 4. Vinicius Simon Cartão amarelo recebido aos Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos
5. Gilberto 5. Alex Sandro
6. Fabrício Substituição realizada 24' (2T) de jogo 24' (2T) ( PabloCartão amarelo recebido aos ) 6. Charles
7. Marquinhos Paraná 7. Rodrigo Possebon
8. Henrique Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada 32' (2T) de jogo 32' (2T) ( Leandro Guerreiro ) 8. Roger Substituição realizada 26' (2T) de jogo 26' (2T) ( Felipe Andreson )
9. Anselmo Ramon 9. Richelly Cartão amarelo recebido aos
10. Montillo aos  do 10. Borges aos  do
11. Wallyson 11. Tiago Alves Substituição realizada 8' (2T) de jogo 8' (2T) ( Wallace Cartão amarelo recebido aos )
Técnico: Cuca Técnico: Muricy Ramalho
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Santos:

Pré-Jogo

Em 17º lugar com um ponto, o Cruzeiro precisa de uma vitória pra tentar escapar da zona de rebaixamento.

O treinador Cuca não contará com o armador Roger Galera e o atacante Thiago Ribeiro, contundidos, nem com o beque Victorino, servindo à Seleção Uruguaia.

O volante Fabrício, que volta à condição de titular após sete meses recuperando-se de uma cirurgia no púbis, comenta o entrosamento do tripé de volantes celestes:

“Há quatro temporadas, estamos juntos e muito bem no Cruzeiro. O Brasil todo nos elogia. Ano passado, esse meio-campo, juntamente com Montillo, foi eleito o melhor do país. Conheço bem o Henrique e o Paraná. Eles nunca te deixam na mão e têm característica de volante moderno. Saem pro jogo, todo mundo tem que saber defender, mas tem que saber atacar, tem que ter pulmão pra isso também. São atletas com quem gosto de jogar e espero que a gente volte a vencer, juntos. Quando o meio está bem, tudo anda mais fácil, porque dá consistência pra zaga, a bola passa ali no meio toda hora, a coisa evolui. O ala vai passar mais fácil e vai receber a bola, os atacantes também. O meio-campo é fundamental e esperamos jogar bem de novo.”

Em 11º com 4 pontos, o Santos sonha com uma vitória pra se aproximar do G4, embora talvez nem precise perseguir a vaga pra Libertadores no Brasileiro.

Se tudo der certo e ele vencer o Peñarol na final do torneio sul-americano, estará no maior torneio continental, em 2012, sem sofrimento.

Apostando nisto, Muricy Ramalho escalou um time reserva no cujo centroavante, Borges, deve ser o único a ser promovido a titular após a Libertadores.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 18h33 – Começa o jogo. Cruzeiro com camisas verdes e calções brancos, uniforme dos anos 20, à direita das tribunas. DSantos com camisa alvinegra e calções pretops, à esquerda.
  • 00 - Banco de Reservas do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Pablo, Naldo, Francisco Everton, Leandro Guerreiro, Dudu, Brandão.
  • 02 - Montillo, na meia direita, cobra falta no meio da área mas a zaga santista cede o escanteio. Na sequência do lance, a equipe paulista retoma a posse de bola.
  • 04 - Montillo, na esquerda, cobra escanteio no meio da área porém Vinicius tira de cabeça.
  • 06 - Pressão do Cruzeiro no inicio do jogo tentando abrir o placar na Arena do Jacaré.
  • 07 - Anselmo Ramon, na intermediária, disputa bola com um jogador do Santos e cai pedindo falta mas o arbitro manda seguir o jogo.
  • 08 - Fabrício tenta o passe na entrada da área com Gilberto porém a bola corre muito e fica nas mãos de Aranha.
  • 10 - Montillo, na meia direita, rola para Gilberto, em cobrança de falta ensaidada, encher o pé mas a bola explode em cima da barreira.
  • 12 - Fabrício, na entrada da área, solta um torpedo porém a bola explode na zaga santista.
  • 13 - Montillo cobra escanteio na pequena área mas Aranha sai do gol e agarra a bola.
  • 14 - Borges, na entrada da área, tenta o passe com Tiago Alves porém Marquinhos Paraná se antecipa e intercepta o passe.
  • 17 - Vinícius faz falta em Wallyson e leva o amarelo.
  • 20 - Defesaça! Wallyson, na grande área, solta um torpedo no canto esquerdo baixo mas Aranha faz grande defesa impedindo o primeiro gol do time mineiro.
  • 22 - Alex Sandro, na esquerda, levanta bola na área para Borges porém a zaga celeste afasta o perigo.
  • 25 - Jogo morno com as duas equipes criando poucas chances de gols.
  • 27 - Tiago Alves, na ponta direita, cobra falta fechada e Fábio em dois tempos segura a bola.
  • 29 - Montillo entra na área, marcado de perto por Charles, cai pedindo pênalti porém o juiz manda seguir a partida.
  • 30 - Montillo, na ponta direita, descola cruzamento rasteiro na pequena área mas Aranha sem problemas faz a defesa.
  • 31 - Defesaça! Borges toca na área para Roger que disputa bola com a zaga mineira e chuta cruzado mas Fábio espalma impedindo o primeiro gol da partida.
  • 33 - Gilberto, no bico da grande área, descola cruzamento na área porém a defesa santista tira de cabeça.
  • 34 - Defesaça! Montillo entra em velocidade na área santista, livre de marcação, chuta cruzado no canto direito mas Aranha salta e espalma impedindo o que seria o primeiro gol celeste.
  • 36 - Quase! Fabrício arrisca de fora da área no canto direito e a bola passa tirando tinta da trave.
  • 38 - Santos roda a bola no meio de campo buscando um espaço na defesa do Cruzeiro.
  • 41 - Borges é lançado na área mas já está marcado o impedimento do atacante.
  • 43 - Escanteio para o Cruzeiro. Montillo cobra no meio da área porém a zaga afasta.
  • 44 - Escanteios: Cruzeiro 12×2.
  • 45 - Termina o 1º tempo.

Segundo Tempo

  • 01 - Cuca avisa que Fabrício só dá conta de jogar mais 15 minutos.
  • 02 - Rychely entra em velocidade na área celeste e chuta rasteiro no canto direito porém Fábio sem dar rebote faz a defesa.
  • 03 - Troca! Vítor por Dudu. Vítor sentiu dores na parte posterior da coxa direita.
  • 04 - Vermelho! Vinícius Simon entra forte em Dudu e recebe o segundo amarelo.
  • 05 - Quase! Fabrício, na entrada da área, chuta cruzado no canto esquerdo mas a bola passa tirando tinta da trave.
  • 07 - Pressão do Cruzeiro em busca do primeiro gol.
  • 08 - Troca! Tiago Alves por Walace.
  • 09 - Pênalti! Anselmo Ramon, na grande área, é derrubado por Walace e o juiz marca a penalidade máxima.
  • 10 - Gol! Montillo cobra pênalti no canto esquerdo rasteiro empatando o placar na Arena do Jacaré. Cruzeiro 1×0.
  • 11 - Fabrício lança Dudu na grande área porém a bola corre muito e fica nas mãos de Aranha.
  • 12 - Tirou tinta! Dudu, na entrada da área, chuta rasteiro no canto direito mas a bola vai com muito perigo ao lado do gol.
  • 15 - Dudu, na área, chuta rasteiro no canto direito e Aranha sem problemas agarra a bola.
  • 17 - Escanteio para o Cruzeiro. Montillo cobra na primeira trave e Henrique desvia de cabeça ao lado do gol.
  • 19 - Wallyson tabela com Anselmo Ramon na grande área porém a zaga santista faz o desarme preciso.
  • 21 - Cruzeiro roda a bola no meio de campo buscando um espaço na zaga do time da baixada santista.
  • 23 - Troca! Fabrício, aplaudido pelos torcedores, por Pablo.
  • 26 - Troca! Roger por Felipe Anderson.
  • 28 - Após a expulsão de Vinícius expulso, Santos se fechou todo e agora a equipe celeste roda a bola no campo de ataque buscando um buraco na defesa.
  • 30 - Jogo parado para que Henrique e Rychely possam receber atendimento médico dentro de campo.
  • 31 - Amarelo! Henrique por cera.
  • 32 - Troca! Henrique por Leandro Guerreiro.
  • 33 - Está tudo bem com o atacante do Santos.
  • 34 - Defesaça! Wallyson entra em velocidade na área, se livra da marcação de dois jogadores, solta um torpedo no canto esquerdo alto mas Aranha espalma impedindo o segundo do time mineiro.
  • 36 - Anulado! Falta cobrada na área do Cruzeiro, a bola sobra para Borges que domina e manda para o fundo do gol porém já está marcado o impedimento.
  • 37 - Baliza! Montillo, na entrada da área, solta um torpedo porém a bola explode na trave. Por pouco, a equipe celeste amplia o placar.
  • 40 - Leandro Guerreiro arrisca de fora da área mas a bola se perde pela linha de fundo.
  • 42 - Dudu, na grande área, cercado por um marcador, chuta cruzado porém Aranha espalma afastando o perigo da área.
  • 43 - – Melhor em campo! Wallysion, eleito pela eequipe da Rádio Itatiaia.
  • 44 - Pablo chega atrasado em Alex Sandro e leva o amarelo.
  • 45 - Gol! Falta cobrada no meio da área do Cruzeiro, Borges desvia de cabeça para empatar o placar. Santos 1×1.
  • 45 - Mais 2 minutos de acréscimos.
  • 46 - Rychely por atrapalhar cobrança de falta leva o amarelo.
  • 47 - Amarelo! Dudu por reclamação.
  • 47 - Fim de jogo. O Cruzeiro finalizou 27 vezes, 11 no alvo, mas só fez um gol.

Vídeos

Melhores momentos

Atuações

  • Fábio – Fez duas boas defesas. O gol do Santos evidenciou uma falha do trio final nas bolas longas. Está faltando combinar quem vai na bola, se beque ou goleiro. (AC Rossi) /
  • Vitor - Atacou e defendeu. Nada excepcional. Importante é que não comprometeu. Saiu por contusão. (Ernesto Araujo) /
  • Pablo - Entrou cheio de vontade mas acabou, de novo, como vilão ao fazer a falta que o Santos tanto queria. Consagrou o comentarista Carlos Eduardo Lino, do SporTV, que cantou, no final do 2º tempo todo, que o Santos estava por uma bola pra chegar ao empate. (Ernesto Araujo) /
  • Leo Simões - Estava acompanhando bem o Borges mas, em duas bolas cruzadas, cometeu duas falhas de posicionamento. (AC Rossi) /
  • Gil – Não se deixou abater pela fase ruim da equipe. Na caçada aos atacantes, tem sido perfeito. Passar por ele, é tarefa inglória pra qualquer adversário. Deixou de ser YellowGil pra se tornar o BlueGil. Tá batendo um bolão! (Síndico) /
  • Gilberto - Sem o brilho de outras partidas, sofreu com a correria dos Garotos da Vila. (Ernesto Araujo) / Está marcado por boa parte da torcida, pela amolação que causou com a vontade de se transferir para o Botafogo. Abstraindo-se dessa marola, julgando-se apenas sua atuação, ela foi satisfatória. Subiu ao ataque com parcimônia, mas sempre oferecendo alternativas para boas jogadas. Não brilhou contra o Santos, mas esteve longe de ter atuado mal. (Síndico) /
  • Fabrício - Marcou, correu, chutou. Atuação razoável. Saiu cansado. (Ernesto Araujo) / Marcou, correu, chutou. Atuação excelente. Saiu aplaudido. (Síndico) /
  • Marquinhos Paraná - Quando esteve mais atrás fez apenas o simples, tocando de lado para fazer a transição defesa/ataque. Passou alguns momentos na lateral direita e depois foi um pouco mais pra frente tentando fazer a bola chegar aos jogadores mais bem posicionados. Teria sido um dos poucos se salvar se não tivesse sido mais um dos espectadores da manobra ofensiva do Borges. (Ernesto Araujo) / O comentarista do PFC, Carlos Eduardo Lino, insistiu, diversas vezes, que Paraná, não é mais ou mesmo. Até achou que ele tem 36 anos. Também acho que ele caiu muito este ano, independentemente de sua idade. Aliás, Paraná tem corrido por ele e por Leandro Guerreiro há algum tempo. Fabrício faz muita falta, mas ainda acredito que o Trio de Ferro subirá de produção. (JulimBH) / Ótima partida. Como sempre, joga muito e fala pouco. Na volância ou na lateral, marcando ou apoiando, cumpriu bem seu papel. (Síndico) /
  • Henrique – Com a volta do tripé de volantes, recuperou um pouco de seu jogo marcando e apoiando conscientemente. Deixou de jogar de costas para a defesa adversária e partiu de trás no apoio ao ataque. Ainda não voltou ao seu melhor nível, mas isto não deve demorar com o passar dos jogos. (Síndico) /
  • Leandro Guerreiro – Entrou no 2º tempo em lugar de Henrique, contundido. Fechou bem o meio campo de um time que, naquele instante, jogava no 4-2-2-2. No lance do gol do Santos, subiu no primeiro pau insuficientemente pra cortar a trajetoria da bola. (Claudinei Vilela) / Outra vez mal colocado na bola cruzada sobre a área. Quem acompanha o cruzamento, no primeiro pau, tem que subir mais ou estar mais bem colocado. (AC Rossi) /
  • Montillo – Está jogando muito abaixo do seu potencial. Eu diria que só está rendendo 16,7% do que pode. E este acaba sendo o desempenho da equipe até agora. Trata-se de um craque que vive um mal momento, algo que ele mesmo reconheceu isso. E quando o cérebro do time vai mal, tudo se complica. (Claudinei Vilela) / Jogou bem. movimentou-se, chutou a gol, passou bolas com qualidade e bateu um pênalti com categoria. Perdeu dois gols e chutou uma bola no travessão. Coisas do futebol. (Síndico) /
  • Wallyson - Movimentou-se, driblou e passou muito bem. Só faltou marcar um gol. AC Rossi) / Impetuoso, parte pra cima da defesa adversária. Às vezes, acerta, às vezes, erra, mas nunca esmorece. (Síndico) /
  • Anselmo Ramon -Péssimo primeiro tempo quando desapareceu em campo. Foi prejudicado também pelo egoísmo dos companheiros. Melhorou no 2º tempo. Mas nada demais. Atuação discreta. (Ernesto Araujo) / Pergunto o seguinte: Quantas bolas, ele recebeu em condições de concluir a gol e não o fez? Uma, no 1° tempo, que ele recebeu do Vítor, após triangularem com o Montillo e chutou a gol, mesmo espremido, e a bola foi a corner. Uma outra ele chutou em cima do Aranha, cara-a-cara. O lance do pênalti foi briga dele. Ganhou no corpo e virava para o gol quando tomou o toco. (João Chiabi Duarte) /
  • Dudu – Pôs fogo no jogo. Armou boas jogadas, foi pra cima da zaga e finalizou uma bola que desviou no zagueiro e resvalou na trave. (Claudinei Vilela) / Terrível! Errou tudo. (Pedro) /
  • Cuca – Mais do que triste e envergonhado, parecia desanimado após o jogo. E não deveria, O time precisa de um comandante determinado, que mobilize seus atletas para a reação. Dois pontos não refletem as atuações do Cruzeiro nestas quatro rodadas iniciais. A conta certa seria meia dúzia. Contra o Santos, Cuca escalou o melhor time possível, fez as alterações corretas, mas uma falha coletiva pôs tudo a perder. Não é hora pra lamentação, mas pra superação. A fase está ruim, mas pode ser superada. Coragem! (Síndico) / Entrou muito bem com o Dudu, e precisou fazer as outras substituições. Não é culpado pela queda do time. O momento é de benzeção. (AC Rossi) / Estava bem até conceder a coletiva, quando vacilou. A depressão do comandante pode arruinar o ânimo do grupo. (Cláudio Xina Lemos) / Até onde vai a culpa dle? Muitos reclamam que ele está jogando a responsabilidade pros jogadores. Será que ele não está certo? Montillo tem uma das suas piores atuações, os demais atacantes foram fominhas ou ruins de pontaria, a defesa cometendo erros para os quais já havia sido alertada… Cuca é mais aberto que o Adilson nas entrevista. Adílson é muito vago, desconversa, fala nas entrelinhas. Cuca é mais direto. Sinceramente, acho que ele fez tudo o que podia. Agora, cabe aos atletas corresponderem. (Ernesto Araujo) /
  • Torcida – Máfia Azul, Jovem, Fúria Azul, Pavilhão e outras deram sua contribuição na forma de gritos e bandeiras. O restante do público esteve desanimado. Parece que prevendo a queda do pão com a manteiga pra baixo. Vamos reagir, galera! (Síndico) /
  • Juiz e Bandeiras - O juiz marcou em cima e mostrou os cartões corretamente. Um dos bandeiras anulou um gol santista. Ainda não conferi o replay. Alguém viu? (Síndico) /
  • Santos – Mais Muricy Ramalho, impossível. Defesa compacta, especulação em poucos mas certeiros ataques. Aranha, pelas quatro ou cinco defesaças, Borges pelo gol de centroavante farofino e Charles pela disposição foram os melhores. Depois do treinador Muricy, é claro. (Síndico) /

O que foi dito

  • Rosan Amaral, no PHD: Pelo que vi in loco na Arena do Jacaré, destaco as atuações de Paraná, Fabrício, Montillo e Wallyson. O volume de jogo foi notável. O que faltou? Tranquilidade e clarividência para por a bola na casinha. É pacífico que o Montillo não está 100% (talvez o stress pós-crise de saúde de seu filho), mas esteve acima da média. Cuca escalou bem e mexeu sem equívoco (embora duas substituições tenham sido por contusões). Mas era visível a insegurança do grupo (melhorou muito com o Fabrício). Se a diretoria não conseguir reverter o psicológico do Cuca, tem que convencer o Ney Franco ou ficar com a sobra da xepa: o da prancheta. O ideal é recuperar o Cuca e mantê-lo até o fim do ano. Taticamente, o ataque não está bem desenhado.
  • KMP, no PHD: Futebol também se joga com o cérebro e um mínimo de bom senso. Sei que pedir um pouco de sangue frio no calor de uma partida é complicado, mas o Pablo precisava mesmo chegar com aquela vontade toda e cometer uma falta na lateral do campo aos 44 minutos, sendo isso, tudo o que o Santos queria? Não estou crucificando o garoto, mas são lances aparentemente tolos assim que definem o resultado de uma partida, como definiu infelizmente contra nós. Foi mesmo um domínio inútil. Xô zica!!
  • Eugenio Raggi, no PHD: Enfrentamos um time inexperiente e desentrosado, cheio de meninos, jogando em casa e com um homem a mais. Ainda assim o futebol foi sofrível. O tipo de pressão exercida foi feita de forma desorganizada, sem qualquer objetividade. Praticamos um futebol feio, de mais individualismos do que coletividade, os laterais são inoperantes, a bola não chegava com qualidade no ataque, muitos toques para os lados, burocráticos, carrancudos. O time não sorria. Até a comemoração foi estranha.
  • Juca Kfouri, no seu blog: Até os 10 minutos do segundo tempo estava 0×0, num jogo também de um time só, o do Cruzeiro, que cansou de perder chances de gol no primeiro tempo e levar apenas um susto, num contra-ataque bem feito pelo time suplente do Santos. Mas logo no começo do segundo tempo o Santos reserva ficou com 10 jogadores, graças à expulsão do zagueiro Vinicius. O que obrigou Muricy Ramalho a tirar Tiago Alves e botar o zagueiro Walace. Inexperiente, o rapaz, em seu primeiro lance, fez pênalti infantil em Anselmo Ramon que Montillo, o melhor em campo, converteu aos 10: 1×0. Dava para imaginar até uma goleada, apesar de Aranha estar em noite inspirada como goleiro santista. Mas o Cruzeiro, de verde celeste, estava aparentemente satisfeito em assegurar sua primeira vitória no Brasileirão e o Santos nem sequer o incomodava. Só que aos 36 incomodou. E empatou, com Borges. Mas o bandeirinha anulou, alegando um desvio que não se viu. Em seguida, Montillo carimbou o travessão santista. No minuto final, no entanto, a justiça dos homens se fez, não a do que houve no gramado, e Borges empatou, ao fazer seu terceiro gol com a camisa santista e ao impedir que o Cruzeiro ganhasse seu primeiro jogo. O Cruzeiro fez por ganhar de 3, 4×0. Mas a arbitragem fez por impedir que fosse 2×1. Para o Santos…
  • Alexandre Souteiro, no blog do Lédio Carmona: Empate mais que justo: Cruzeiro e Santos fizeram um jogo de baixo nível técnico na Arena do Jacaré. O Santos, de olho na Libertadores, queria voltar para casa com pelo menos um ponto. O Cruzeiro, de uniforme novo, corria atrás de sua recuperação. De um dos melhores times dos primeiros meses de 2011 a frequentador assíduo da zona de rebaixamento, o Cruzeiro foi incapaz de dominar o Santos B de Muricy na etapa inicial. No segundo tempo, ainda perante a transpiração sem inspiração do time santista, o Cruzeiro se fez valer de um vacilo da zaga adversária para abrir o placar com Montillo, de pênalti. No apagar das luzes, Borges foi mais rápido que a zaga cruzeirense e deu números finais ao jogo. O Cruzeiro saiu sob vaias de sua torcida, enquanto o Santos comemorou o ponto ganho fora de casa.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: Criamos 3 ou 4 chances claras pra fazer o gol e não fizemos. Isso está nos atrapalhando muito. Claro que se cria chances e perde, o jogador fica ansioso. Temos que trabalhar esse lado, não podemos deixar isso nos atrapalhar, vamos corrigir pra não errar lá na frente. Trabalho, corrigir os pecados. Temos que nos cobrar entre nós jogador es e voltar a ser o Cruzeiro que era antes, porque ninguém desaprendeu a jogar. Vamos dar a volta por cima.
  • Gilberto, lateral-esquerdo do Cruzeiro: Nem é questão de posicionamento, mas de tranqüilidade na hora de finalizar. A gente está criando muito, cria-se pelo lado direito, cria-se pelo lado esquerdo, as jogadas aéreas acontecem, mas na hora de finalizar está muito complicado. A gente tem que ter consciência e trabalhar mais pra que as bolas entrem. Contra Figueirense e Palmeiras criamos muito. Contra o Fluminense foi o pior jogo que a gente fez. Mas é isso, o futebol pune. A gente cria, não faz gols. Contra o Santos, era pra ter feito 3 ou 4, não fizemos e ainda sofremos no final. A gente precisa fazer os gols. A gente sabe onde está os nossos erros, temos que trabalhar mais.
  • Montillo, meia do Cruzeiro: O jogo estava controlado, eles não chegaram a nos ameaçar, mas em uma bola parada tomamos o gol. Isso não pode acontecer com o Cruzeiro, foi um resultado ruim para nós, mas temos que continuar trabalhando. O futebol é assim, injusto.
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Com 29 finalizações, fizemos um gol de pênalti. Não podemos perder tantas chances, tem que matar o jogo senão você será castigado, assim como fomos. O Santos teve algumas chances, mas depois que tiveram um jogador expulso, começaram a marcar bem atrás, lógico, 1×0 pra eles não era ruim, um time descaracterizado, sem treinar junto, jogando contra o Cruzeiro com um poder de jogo muito grande, posse de bola e criando oportunidades, eles foram defender o 1×0, pra não tomar o 2º, 3º ou 4º gol. Eu também faria a mesma coisa. No final tiveram a sorte e a competência de empatar. Ficamos tristes, porque era pra ganharmos bem, tendo o volume de jogo que tivemos, com as chances que criamos. Mas se perdemos muitos gols, vamos fazer o quê? Tem que seguir a vida. Embora tenhamos jogado bem contra o Palmeiras e hoje, mas jogar bem e não vencer é pesado. A bola não entrou, o que vamos fazer?! Ela deu na trave, o goleiro pegou e muito, não tenho que crucificar ninguém. Eu sei que ninguém perde gols por querer. Em quatro jogos somamos dois pontos. O Cruzeiro tem que melhorar, temos que estar lá em cima. O time foi muito vibrante, só que a bola não entrou. Na hora do nosso gol todos vibraram muito, os reservas inclusive. O time foi participativo, mas perdeu 15 chances de gol que normalmente não se perde, se você está tranqüilo pra fazer o gol, não erra. Este momento de instabilidade deixa as coisas mais difíceis.
  • Valdir Barbosa, gerente de futebol: Esse tipo de reunião acontece todos os dias, após os jogos. Sempre conversamos no intervalo, após os jogos. Em momento algum, conversamos sobre a saída do Cuca ou a troca de treinadores.
  • Dimas Fonseca, diretor de futebol do Cruzeiro: Vou reunir ainda hoje com o presidente, que saiu cinco minutos mais cedo do jogo. Não tomamos qualquer decisão logo após o jogo, pra não precipitarmos. Temos que ter cautela. Nós entendemos que o elenco é bom. Com relação ao Cuca, iremos conversar amanhã, com mais tranquilidade. E vamos tomar a decisão que seja a melhor para o Cruzeiro.
  • Borges, atacante do Santos: Estou muito feliz. Fui muito bem recebido aqui. É importante trabalhar em um clube em que você tem a confiança do treinador. O jogo foi muito difícil. A equipe não tem o entrosamento ideal e estava toda desfalcada, mas todos se dedicaram. É muito difícil jogar com um a menos.
  • Muricy Ramalho, treinador do Santos: Eles iam se expor, tirar um volante e colocar gente de lado. Íamos jogar no contra-ataque, mas nosso plano foi por água abaixo com a expulsão. Quero ganhar o Campeonato Brasileiro. Temos meninos, mas temos de colocar pouco a pouco, porque senão acaba queimando. Precisamos ter responsabilidade e tomar cuidado pra lançar esses meninos. Estamos dando muita responsabilidade pra eles, e isso não é bom.
  • Genibaldo Lucena, no PHD: Gostei do time. Parece discurso de atleticano, mas acho que demos azar. Criamos, criamos e a bola não entrou. A zaga esteve bem, apesar da falha no final. Fabrício jogou muito. Paraná foi bem. Montillo, diferente do que outros falaram, eu achei que foi bem. Wallyson jogou muito. E Anselmo Ramon é muito bom! Gostei demais do futebol dele. A cada jogo está melhor! Tem muito futuro esse menino.

Fontes

Transmissão

  • Sportv