Cruzeiro 1x1 Atlético-PR - 20/11/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1 x 1 Escudo Atlético-PR.png
Atlético-PR
36ª rodada do Campeonato Brasileiro 2011
Data: 20 de novembro de 2011 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 17h Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden Público pagante: 18.139
Assistente 1: Júlio César Rodrigues Santos Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marcelo Bertanha Barison Renda: R$ 118.591,75
R$ 118.591,75
Cr$ 118.591,75
NCr$ 118.591,75
Cz$ 118.591,75
NCz$ 118.591,75
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Atlético-PR:
1. Fábio 1. Renan Rocha
2. Marquinhos Paraná 2. Wendel
3. Leandro Guerreiro 3. Manoel
4. Cribari 4. Gustavo
5. Fabrício 5. Renan Substituição realizada  de jogo ( 16. Cléber Santana )
6. Diego Renan 6. Heracles
7. Ortigoza Substituição realizada  de jogo ( 17. Roger ) 7. Guerrón Cartão amarelo recebido aos
8. Charles aos  do Substituição realizada  de jogo ( 16. Everton ) 8. Marcelo Oliveira
9. Wellington Paulista Substituição realizada  de jogo ( 18. Farías ) 20. Morro Garcia Substituição realizada  de jogo ( 17. Branquinho )
10. Montillo Cartão amarelo recebido aos 10. Paulo Baier
11. Anselmo Ramon 11. Marcinho aos  do Substituição realizada  de jogo ( 18. Adailton )
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Antonio Lopes
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Atlético-PR:


Pré-Jogo

Em 16º lugar com 38 pontos,o Cruzeiro está à frente do Ceará apenas pelo saldo de gols. Se vencer ou empatar, mantém a posição. Perdendo, entra na zona de rebaixamento.

O treinador Vagner Mancini não contará com os beques Victorino e Naldo, suspensos, e Leo Simões, contundido.

Em 18º lugar com 37 pontos, o Atlético só sai da zona de rabaixamento, se vencer.

O treinador Antônio Lopes não poderá escalar o volante Deivid e o atacante Nieto, suspensos.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 16h37 – Cruzeiro entra em campo para aquecimento sob aplausos da torcida.
  • 16h45 – Organizadas presentes na Arena do Jacaré: Máfia Azul, CG Ibirité, CG Sete Lagoas, CG Betim, CG Zona Oeste, Mancha Azul, Nação Azul, Pavilhão Independente, Os Imortais, Fúria Azzurra, Cachazeiros, Torcida Jovem, CruChopp, TFC.
  • 16h56 – Cruzeiro, todo de branco, entra em campo sob grande foguetório e fumaça azul e branca.
  • 16h57 – Atlético entra em m campo com uniforme tradicional.
  • 16h58 – Máfia Azul canta o nome de cada um dos jogadores do Cruzeiro.
  • 17h – Execução do Hino Nacional.
  • 17h03 – Um minuto de silêncio.
  • 17h04 – Começa o jogo. Cruzeiro, à direita das cabines, dá a saída.
  • 00 – Banco de Reservas do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Vítor, Francisco Everton, Sandro Manoel, Roger Galera, Ernesto Farías,
  • 01 – Montillo cruza da esquerda, Renan Rocha corta a bola com um soco.
  • 02 – Paulo Baier cobra falta da intermediária, zaga celeste afasta de cabeça.
  • 03 – Charles arranca do meio campo, mas é’parado com falta por Guerrón.
  • 03’30”- Xerife! Cribari empurra Guerrón de faz sina de que o beque está maluco.
  • 04 – Wellington Paulista passa a Anselmo Ramon, defesa atleticana corta.
  • 05 – Cribari joga pela esquerda da bequeira, Guerreiro pela direita.
  • 05’30” – Fabrício lança Ortigoza, bola corre demais e sai pela linha de fundo.
  • 06 – Montillo tenta jogada pela direita mas é desarmado por Renan.
  • 07 - Cruzeiro troca passes no meio campo buscando espaço para o ataque.
  • 08 – Marquinhos Paraná cruza pela direita, Wellington Paulista toca de cabeça e a zaga afasta.
  • 09 – Paulo Baier arranca do meio campo, toca para Guerrón que descia pela direita, a bola sai muito forte e vai pela linha de fundo.
  • 10 – Anselmo Ramon dá belo passe para Ortigoza, que desce pela direita, perde o domínio e a bola sai pela lateral.
  • 11 – O Cruzeiro tenta pressionar o adversário no campo de ataque.
  • 12 – Guerrón cruza pela direita e Leandro Guerreiro faz o corte.
  • 13 – Montillo arrisca o chute de fora da área, a bola sai rasteira pelo canto direito do goleiro Renan Rocha.
  • 14 – Paulo Baier joga completamente livre, sem marcação individual.
  • 15 – Renan levanta na área e Marcinho toca de cabeça para fora.
  • 16 – Perigo! Wendel desce pela direita e cruza. Paulo Baier cabeceia pra fora, com perigo para o arco celeste.
  • 17 – Atlético tenta encontrar espaço na marcação do time cruzeirense.
  • 18 – Guerrón acerta cotovelada em Diego Renan. Leandro Pedro Vuaden não mostra cartão, mas chama a atenção do equatoriano.
  • 18’30”- Charles chuta de longe, bola sai por cima do arco defendido por Renan Rocha.
  • 19 – Apoio! Torcida incentiva muito o time celeste.
  • 20 – Cruzeiro ataca mais pelo lado esquerdo.
  • 21 – Montillo e Ortigoza tabelam na entrada da área, Heracles corta pra para escanteio.
  • 22 – Montillo recebe passe de Fabrício e cruza da direita pra Anselmo Ramon que, no 2º poste, entra por trás da zaga e finaliza com o pé esquerdo, na pequena área. Bola passa raspando e fica na rede, pelo lado de fora.
  • 23 - Jogo parado! Juiz permite que jogadores se recuperem bebendo água à beira do campo, devido ao forte calor.
  • 25 – Recomeça o jogo.
  • 26 - Gol! Diego Renan tenta impedir a progressão de Wendel com um chutão, mas fura. O lateral vai à linha de fundo, pela direita, e cruza. Livre, na entrada da pequena área, Marcinho toca pra rede. Atlético 1×0.
  • 27 – Cruzamento na área do Atlético e Marcelo Oliveira afasta o perigo.
  • 28 – Chutaço! Anselmo Ramon chuta forte de fora da área, Renan Rocha espalma salvando gol celeste.
  • 29 – Montillo tenta sair com a bola na intermediária, mas não consegue passar pela marcação adversária.
  • 30 – Charles perde a bola para Morro Garcia, que arrisca o chute da entrada da área. A bola sai fraca e fica com o goleiro Fábio.
  • 31 – Atlético mantém a posse de bola, valorizando o passe.
  • 32 – Wellington Paulista puxa o contra-ataque, entra na área no meio de três, é desarmado e cai pedindo a falta. O juiz diz que não foi nada.
  • 33 – Apoio! Torcida celeste continua alentando o time.
  • 34 – Marcelo Oliveira toca pra Marcinho na esquerda, que chuta cruzado, pra fora.
  • 35 – Marcinho aciona Marcelo Oliveira na área, Leandro Guerreiro chega antes e afasta a bola.
  • 36 – Amarelo! Guerrón comete falta em Wellington Paulista.
  • 36’30”- Pegada! Guerrón já cometeu 5 das 8 faltas do Atlético. Cruzeiro cometeu 5 faltas.
  • 37 – Posse de bola: Cruzeiro, 54%.
  • 38 – Montillo lança a bola para Anselmo Ramon na esquerda, mas o juiz marca impedimento.
  • 39 – Montillo cobra falta pela direita, cruza na área e Fabrício cabeceia sem direção.
  • 40 – Atlético toca bola, Cruzeiro, confuso, não consegue armar boas jogadas.
  • 40’30” – Anselmo Ramon tenta jogada pela esquerda e Manoel faz o desarme.
  • 41 - Cruzeiro segue com dificuldade para sair com a bola.
  • 42 – Paulo Baier cobra falta da intermediária e a bola bate em Charles.
  • 43 – Gol! Paulo Baier erra cobrança de falta no meio de campo, Montillo recupera a bola e passa a Wellington Paulista que puxa contra-ataque pela meia-esquerda e cruza. Wendel cabeceia pra trás, Charles se mete entre ele e o goleiro e cabeceia pra rede. Cruzeiro 1×1.
  • 44 – No lance, Charles se choca com o goleiro Renan Rocha e fica caído.
  • 45 – Explode, coração! Torcida canta o samba-enredo do Salgueiro.
  • 45’30′- Juiz indica dois minutos de acréscimo.
  • 46 - Anselmo Ramon lança rasteiro para esquerda da área, Ortigoza ganha dividida e chuta. Bola desvia na zaga e sai rente ao poste.
  • 47 – Termina o 1º tempo.
  • Guerrón: “Os jogadores do Cruzeiro estão pressionado o juiz pedindo minha expulsão.”
  • Wellington Paulista: “Pra vencer, só se for na raça.”
  • Fora do estádio: 18 cambistas presos pela Polícia Militar.

Segundo Tempo

  • 18h06 – Times voltam a campo sem substituições.
  • 18h07 – Começa o 2º tempo. Saída do Atlético.
  • 01 – Paulo Baier lança para Heracles que cruza pela linha de fundo e a bola vai para fora.
  • 02 – Anselmo Ramon lança a bola na área e Renan Rocha fica com ela.
  • 03 – Guerrón dentro da área chuta para o gol e a bola bate na zaga que afasta o perigo.
  • 04 – Montillo faz falta em Renan que fica caído.
  • 05 – Cribari tenta sair com a bola e fica na marcação de Morro Garcia.
  • 06 – Cruzeiro desce pela esquerda e Heracles chega para fazer o corte.
  • 07 – Troca de passes entre Charles e Wellington Paulista. O volante cruza rasteiro, Ortigoza aparece pra concluir, mas é travado e não consegue o arremate.
  • 08 – Wendel se machuca em lance com Wellington Paulista e fica caído. Jogo parado.
  • 09 – Wellington Paulista passa a Montillo dentro da área. Muito marcado, o argentino devolve a WP que cruza. Renan Rocha defende.
  • 10 – Segundo tempo equilibrado.
  • 11 – Wellington Paulista se precipita e chuta de longe. Bola sai pela linha de fundo.
  • 11’30”- Dedo duro! Paulo Baier entrega ao juiz um copo d’água atirado da arquibancada.
  • 12 – Troca! Renan por Cleber Santana.
  • 13 – Montillo tenta jogada pela direita e recebe a falta.
  • 14 – Montillo cobra a falta levantando a bola na área. Manoel afasta de cabeça.
  • 15 – Perigo! Wellington Paulista cruza da esquerda na cabeça de Ortigoza, na pequena área. O lateral Heracles se antecipa e cede escanteio.
  • 16 – Morro Garcia puxa o contra-ataque, chega na área e Marquinhos Paraná afasta o perigo.
  • 17 – Troca! Ortigoza por Roger Galera.
  • 18 – Troca! Morro Garcia por Branquinho.
  • 20 – Montillo passa a Wellington Paulista, que está impedido.
  • 21 - Branquinho chuta da entrada da área, mas pega mal na bola que sai pela linha de fundo.
  • 22 – Montillo chega na área e Manoel afasta a bola.
  • 23 – Anselmo Ramon toca para Charles na meia lua, o jogador chuta para o gol e a bola bate em Heracles.
  • 24 – Marquinhos Paraná chuta para o gol e a bola vai para fora.
  • 25 – Guerrón entra na área e fica cara a cara com Fábio. Leandro Guerreiro salva de carrinho.
  • 25’30’ – Cleber Santana chuta forte, de dentro da área, Guerreiro salva o gol de cabeça.
  • 26 – Consagrado! Torcida grita o nome de Leandro Guerreiro.
  • 26’30’’ – Wellington Paulista cruza na área pela direita, a bola corre demais e sai pela linha de fundo.
  • 27 – Troca! Charles por Francisco Everton.
  • 28 – Cleber Santana chega com perigo na área e Leandro Guerreiro manda para escanteio.
  • 29 – Montillo recebe passe na intermediária, livra-se da marcação, mas finaliza fraco e a bola à direita do arco do Furacão.
  • 30 – Faltou pouco! Montillo cruza da direita, Anselmo Ramon desvia de canela, na marca do pênalti. Bola sai à direita de Renan.
  • 31 – Defesaça! Montillo tabela com Francisco Everton que, dentro da área, cruza, mas a bola é interceptada por Renan Rocha.
  • 32 – Trocas! Marcinho por Adaílton. Wellington Paulista por Ernesto Farías.
  • 33 – Montillo recebe passe dentro da área, mas chuta fraco. Renan Rocha defende.
  • 34 – Cruzamento na área, Farías toca de cabeça, Heracles corta.
  • 37- Paulo Baier entra na área, chuta para o gol e Fábio faz a defesa.
  • 38 – Anulado! Paulo Baier entra sozinho na área e tocca na saída de Fábio, mas o lance já está parado com impedimento marcado por Barison.
  • 39 – Bomba! Farías solta um petardo de fora da área, Renan Rocha espalma, bola sai por cima do travessão.
  • 41 – Montillo desce pela direita, tenta o cruzamento e Gustavo faz o corte.
  • 43 – Cleber Santana chuta de fora da área, Cribari afasta o perigo.
  • 44 – Dose dupla! Guerrón chuta forte da entrada da área, Fábio faz grande defesa, Branquinho apanha o rebote também chuta pra Fábio espalmar.
  • 45 – Amarelo! Montillo invade a área, mas se joga quando é cercado pela bequeira.
  • 46 – Montillo puxa contra-ataque pela esquerda, invade a área, mas em vez de arrematar, tenta cruzar para o meio da área e a bola fica com Renan Rocha.
  • 46’30” – Marcelo Oliveira faz boa jogada pelo meio e toca pra Guerrón, que erra o passe e perde a bola.
  • 47 – Guerrón cai em campo pra ganhar tempo.
  • 47’30’’ – MVP! Leandro Guerreiro eleito pelas equipes das rádios Itatiaia e CBN, o melhor em campo.
  • 48 – Termina o jogo. Cruzeiro permanece na 16ª posição, agora com 39 pontos, Atlético cai para a 18ª com 38 pontos.
  • Melhores, segundo Portal UOL: Marcinho tinha errado tudo o que tentara até fazer o gol atleticano, aos 25 min 1º tempo, que foi importante para a sua equipe. Montillo de volta depois de dois jogos ausentes, por lesão, foi de novo o jogador mais lúcido do Cruzeiro, apesar de muito bem marcado.
  • Piores, segundo Portal UOL: Diego Renan falhou no lance do gol do Atlético, ao permitir o cruzamento e chegou a ser vaiado pelos torcedores cruzeirenses. Morro Garcia o substituto do titular Nieto teve atuação apagada e foi facilmente anulado pela improvisada zaga cruzeirense.

Vídeos

Atuações

  • Torcida – Espetacular. Lotou a Arena do Jacaré quebrando recorde de público em 2011, incentivou o time o tempo todo e, mesmo encerrada a partida com o gosto amargo de um placar ruim, foi parcimoniosa nas vaias. (Síndico) ///
  • Fábio – Não cometeu erros, foi obrigado a fazer uma jogada de líbero e, quando o CAP pressionou, defendeu as bolas possíveis. (Síndico) ///
  • Marquinhos Paraná – O melhor do time. Deve continuar na lateral, pois é uma dor de cabeça a menos para o treinador. (Alan Mendonça) /// Seu futebol cai na lateral, mas ainda assim é bem melhor que o de muitos outros que não jogam nada em lugar nenhum do campo. Ao contrário do Diego Renan, não deixa nenhum ponta se criar em cima dele. Não acompanhou o Marcinho no lance do gol e deu uma sentada em cima da bola num lance sem perigo, pra alegria dos seus detratores ferrenhos. No resto do tempo, teve atuação razoável, sem brilhar nem comprometer. (Matheus Penido) /// Escorregou e caiu em cima da bola, como, poucos dias atrás, Neymar também escorregou. Um erro assim não invalida o bom futebol de um jogador. Paraná tem sido de longe o mais regular do time, tem jogado constantemente e dificilmente toma cartão amarelo ou vermelho. É disciplinado taticamente. De resto, é bom lembrar que em 2009 o melhor técnico do Brasil, Muricy Ramalho, disse que Paraná era o melhor cabeça de área do futebol brasileiro. (José Neto) ///
  • Leandro Guerreiro – Soberano na defesa. Por esta atuação, pode largar a volância e assumir a bequeira. Ganhou todas as disputas, inclusive as de cabeça. Teve no senso de posicionamento o grande diferencial para esta excelente atuação. (Edu Mano) /// Nessas horas é que conseguimos separar o bom profissional do jogador de ocasião. Sempre critiquei Leandro Guerreiro, mas hoje me curvo à sua perfeita atuação. (Amantea) ///
  • Cribari - Firme. No início do jogo, deu um chega pra lá no Guerron pra mostrar quem é que manda. Espanou do jeito que deu, mas tentou algumas arrancadas malucas pro ataque. Foi bem na cobertura do Diego Renan. (Frede Amaral) ///
  • Diego Renan - Não atacou, não defendeu e ainda espirrou o taco no lance que deu origem ao gol do CAP. (Wagner Caetano) ///
  • Charles - Luta muito, às vezes comete erros incriveis, mas neste jogo salvou nossa pele azul.(Alan Mendonça) /// Defendeu razoavelmente e atacaou bem. Voltou um pouco aquela velha pegada de 2008, mostrada inclusive no gol. Pena que tenha cansado cedo. (Matheus Penido) ///
  • Francisco Everton – Entrou com alguma disposição, correndo muito (algo que o Charles não conseguia nem no 1º tempo). Fez uma boa tabelinha com o Montillo e perdeu um gol. Depois, acabou. Não marcou nem atacou. No cômputo geral, ficou devendo. (Frede Amaral) ///
  • Fabrício - Mal técnica e fisicamente, é uma das causa desse time não se acertar. Está perdendo bolas que um volante de contenção não poderia perder jamais e com isso o adversário acaba tomando conta do meio. De positivo, algumas jogadas de meia direita na reta final do jogo. (Matheus Penido) /// Lutou como sempre, só que me pareceu dispersivo. Tentou jogadas de risco na saída da defesa para o ataque e ainda deixou Paulo Baier ter muita facilidade na armação de jogadas. Nas chegadas ao ataque, foi discretíssimo e tentou pouco as jogadas agudas. (João Chiabi Duarte) ///
  • Roger Galera – Escondeu-se durante o tempo que esteve em campo. Duvido que mesmo os torcedores que estavam no estádio conseguiram ver isto. Fábio ia recolocar a bola em jogo e ele escondido atrás de um adversário, jogador do Cruzeiro ia bater lateral, ele escondido atrás de adverário. Perdeu bola que nem um infantil perderia. Só não foi pior do que Diego Renan porque jogou somente meia hora. (Evandro Oliveira) ///
  • Montillo – Não não deveria ter jogado, pois estava nitidamente sem condições, mesmo assim, deu o gol do jogo para o Anselmo Ramon, que o desperdiçou. (Cláudio Xixa Lemos) /// Longe de seu dinamismo habitual mostrando ainda não estar preparado para voltar a competir em altíssimo nível, ainda assim, criou as melhores jogadas ofensivas da equipe. (Síndico) ///
  • Ernesto Farias - Centroavante-tanque nunca joga bem. Nem mal. Ou faz ou não faz gol. Contra o CAP, Farias deu um bom chute. Se receber quatro opu cinco bolas razoáveis, uma ele bota na rede. Se receber, é claro… (Síndico) ///
  • Wellington Paulista - Tem dado boas assistências nos ultimos jogos. (Wagner Caetano) ///
  • Ortigoza – Muito esforçado, como sempre, mas com futebol pra apresentar. (Alan Mendonça) /// Perdeu bolas no início do jogo, o bastante pra torcida chiar e meter vaia nele. Mas teve razoável participação na partida. Só que fazer gols é uma dificuldade pro nosso Coalhada. Contra o CAP, deu azar em dois lances que poderiam ter mudado a história do jogo. Em tese, a substituição dele por Roger Galera foi correta. Mas como Roger não disse ao que veio, acabou foi por abrir mais o time. (João Chiabi Duarte) ///
  • Anselmo Ramon – Precisa ter mais calma, controlar mais o emocional. Parece se entrosar melhor com Farias. (Wagner Caetano) ///
  • Vagner Mancini – Nosso técnico aposta suas fichas nos jogadores tidos como experientes. Temo que ele e principalmente nós e nosso clube morramos abraçados com eles. Temi pela zaga, que se portou até bem, principalmente o Leandro Guerreiro. Ele tentou fechar o lado direito com Paraná e com saídas rápidas com Ortigoza. E esperava mais de WP e AR. Mas sem treinos, não tem esquema que dê jeito. Montillo, que faz diferente, ainda carece de força física. No 2º tempo, seu maior pecado: colocar o inoperante Roger Galera. O time, que ainda dava umas estocadas, perdeu totalmente a força no meio e começou a dar campo a um adversário mais inteiro. Ai foi a vez de Fábio limpar a cara do treinador (pra variar). Ele tem de rever conceitos. O time demonstra estar ml treinado, sem jogadas armadas. Péssimo fisicamente (talvez com medo de estourar alguns que estão no limite). Segue meu conselho: Juízo, Mancini. Um dia e meio de descanso e vamos recolher o pessoal novamente. Concentração total. WM conhece como poucos o time cearense. Hora de por em prática o conhecimento adquirido em favor do nosso time. Se entrar como nas duas últimas partidas, perde feio. Tem que aproveitar esta semana cheia e, pelo menos, tentar melhorar o que está péssimo. Este é um dos piores (ou o pior) time (não elenco) que vi jogar, isso desde 67/68. Parece que os caras se conheceram no vestiário. Nem parece time profissional. Mancini errou também ao deixar o Farias de fora. O cara estava regulando na Arena do Jacaré, mesmo perdendo algumas chances, sempre marcava em Sete Lagoas. O ataque tinha que ser AR e Farias. Essa dúvida e o insistente rodízio mata qualquer tentativa de se conseguir um mínimo de entrosamento. Ai reside o maior erro do treinador. (Elias Tate) ///
  • Juiz & Bandeiras – O bandeira Bretanha Barison errou um impedimento pra cada lado. No mque prejuudicou o CAP, Paulo Baier concluiu a jogada marcando o gol e, depois, reclamou. O juiz, Leandro Vuaden, deixou o jogo correr sem cometer erros grosseiros. (Síndico) ///
  • Cruzeiro – Um bando. Time totalmente desorientado e mal treinado. Deixou Paulo Báier solto o jogo todo enquanto Montillo foi perseguido o jogo todo pelo volante do Paranaense. Tomou sufoco, pouco agrediu. Um time pronto para brigar pelo G4 da Série B. (Amantea) ///
  • Atlético - Time bem organizado, sem grandes jogadores, mas cada um sabendo o que fazer com ou sem a bola. Manoel, na defesa, Oliveira, na volância, e Mrcinho, na linha de meias, foram os melhores.

O que foi dito

  • Leandro Guerreiro, volante do Cruzeiro: Foi minha melhor partida pelo Cruzeiro. Até porque foi em uma posição que eu não jogava há muito tempo. Joguei uma vez só, no Guarani, no esquema de dois zagueiros. Já fiz essa função, mas no esquema de três zagueiros. Precisei de superação. Na vida pessoal também, porque perdi meu sogro na sexta-feira. Foi um baque muito grande. Tive que superar isso também. Nem pude acompanhar minha esposa. Entrei com esse pensamento positivo dentro de campo, de ajudar a equipe a sair dessa situação e dar alegria à minha família, à minha esposa. O pensamento era de fazer um gol pro meu sogro. Mas, com a boa atuação, já acredito que pude ajudar e deixá-lo feliz também. Eu fiquei bastante emocionado dentro de campo pelo reconhecimento. Quando a gente demonstra garra e determinação, o torcedor reconhece. Tive esse momento feliz e só tenho a agradecer. Sei que vivemos um momento difícil e espero ficar aqui muito tempo e fazer uma historia boa no Cruzeiro. A equipe mostrou garra e determinação, mesmo com tantos desfalques na defesa. Temos que levantar a cabeça, continuar lutando, porque temos todas as condições de sair dessa situação. Vamos pensar agora no jogo contra o Ceará, que será fora. Temos que unir nossas forças cada vez mais, deixar a vaidade de lado. Temos todas as condições de sair desta situação. Vamos trabalhar ainda mais durante a semana.
  • Vagner Mancini, treinador do Cruzeiro: O que eu temia aconteceu. Vários atletas retornando, o time sentiu muito fisicamente. Na verdade, fiz apenas uma troca, porque nas outras duas os atletas sentiram muito. Precisando ganhar em casa, e eu não quis tirar o Fabrício, porque ele também pediu pra sair. Fica difícil ter que ganhar a partida e ter que mexer na parte defensiva. Ninguém entende, só quem está aqui. O equilíbrio emocional fala muito mais alto que outras coisas. O atleta não consegue desenvolver se não tiver equilíbrio emocional. Num jogo desse, onde você sabe que era de suma importância a vitória, e toma um gol num lance em que um atleta saiu de campo por causa de uma chuteira… O árbitro paralisou o jogo, a chuteira não chegou e Wellington acabou ficando de fora. Naquele setor, nasceu a jogada do gol. Nós temos que passar por cima de tudo nesta fase. O cara tem que entender que o 100% não é mais suficiente, tem que ser 150%, 200%. Felizmente, ainda só dependemos da gente e temos seis pontos a jogar.
  • Cribari, beque do Cruzeiro: Cribari, beque do Cruzeiro: Eu e o Guerreiro nunca treinamos juntos. Fomos na base da conversa. Não era fácil mesmo. Ainda estou em fase de adaptação. Somos jogadores rodados, conversamos muito e demos conta do recado. A vitória era muito importante. Todo mundo procurou se ajudar. Ainda não está nada perdido. Vamos lutar muito pra sair dessa situação.
  • Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: É ter tranquilidade, ir pra Fortaleza com calma e tentar vencer lá. É mais uma decisão. Infelizmente, não conseguimos o resultado. Mas temos que ter tranquilidade nesse momento.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro:Foi um jogo bem disputado, difícil, entre duas equipes que queriam ganhar de todo jeito. Mas o importante é que só dependemos da gente. Estamos um ponto fora da zona e vamos continuar assim até o final.
  • Antônio Lopes, treinador do Atlético: Todo mundo achou que podia ter vencido o jogo. Acalmei eles dizendo que não deviam ficar abatidos, porque fizeram boa partida. Cumpriram o que tinha cumprir, com consciência tranquila e mostrei que o empate acabou não sendo um resultado tão ruim, porque o Cruzeiro não se desgarrou da gente. O time não fez má partida. Foi bem no 1º tempo, mas no 2º não foi tão bem. A equipe correu e se doou muito. No gol deles, falhamos na marcação, mas a equipe se comportou bem no sistema de defesa. O time trabalhou bem a bola e agrediu o adversário, fazendo jogadas centralizadas de ataque.
  • Paulo Baier, meia do Atlético: Preciso ver direito, mas acho que não estava à frente, então ele errou. Nos prejudicou, até porque tivemos as melhores chances durante o jogo e merecíamos sair daqui com a vitória.
  • Cleber Santana, volante do Atlético: O gol não foi impedido e tava legal. É preciso rever esses problemas com a arbitragem.
  • Branquinho, meia do Atlético: Não sei o que ele marcou, é brincadeira. Nem vou falar muito, senão acabo suspenso. Nossa equipe esteve pra matar o jogo e o lance que eu fiz com o Paulo ali, ele deu impedimento. Tivemos muitas chances, mas por infelicidade, displicência não matamos o jogo. A equipe foi guerreira.
  • Juliano Lorenz, no Blog do Torcedor do Furacão: O Furacão poderia ter vencido. Faltou atacar. Por vários minutos na segunda etapa a partida pareceu um amistoso de pré-temporada. Não estava difícil, mas complicamos principalmente pela inoperância do setor ofensivo. O Atlético entrou esperando o Cruzeiro atacar. A pressão dos 15 minutos iniciais não existiu. O jogo foi equilibrado. E a primeira grande chance da partida foi nossa. Aos 16 minutos Wendel desceu pela direita e cruzou para Paulo Baier. O camisa 10 cabeceou para fora. Pela importância do jogo, a partida continuou em ritmo lento dos dois lados. Até que aos 25 minutos, Marcinho aproveitou cruzamento de Wendel e fuzilou a meta de Fábio. O Furacão marcava bem, estreitava o campo pro Cruzeiro. A vitória era merecida apesar do meio-campo não criar quase nada e o ataque estar isolado. Mas aí Paulo Baier poderia ter lançado na área em bola parada – ponto que destacamos ser essencial no pré-jogo. Um homem na barreira e o que aconteceu ? PB acertou no cruzeirense. E aí pintou o contra-ataque. Cruzamento na área e Wendel foi cortar. Cabeceou pra trás. Charles veio pro lance. Se a mãe do Renan Rocha tiver morrendo fora da pequena área, a véia vai pro saco. Charles cabeceou antes de todo mundo e balançou a rede. E assim acabou o primeiro tempo. Na volta da segunda etapa, Antônio Lopes não mexeu na equipe. Estava privilegiando a forte marcação e apostando nos contra-ataques, já que a zaga do adversário estava desfalcada e qualquer lance de velocidade poderia ser fatal. Aos 12 minutos, Renan Foguinho saiu para entrada de Cléber Santana. O time poderia ter perdido em marcação, mas não foi isso que aconteceu. O volume ofensivo cresceu na medida do possível. Com Morro García saindo para a entrada de Branquinho (sem duplo sentido), o Atlético criou chances. A última troca foi entre Marcinho e Adaílton. Jogando no campo do Cruzeiro, o Furacão teve um lance crucial e mal anulado pela arbitragem. Aos 38 minutos, Branquinho lançou na área e Paulo Baier desviou de Fábio. O bandeirinha marcou impedimento que não existiu. Até não acho que foi má intenção. É o reflexo da arbitragem brasileira. Fraca e principalmente com pouco preparo. Erros que resultam em mudanças bruscas no campeonato. A maioria dos times passou por isso em 2011. Aos 43 minutos, Guerrón chutou e Fábio espalmou. Na sequência do lance, Branquinho chutou e Fábio espalmou novamente. Mesmo com contornos de emoção por causa da situação das equipes, o jogo terminou empatado.
  • Rosan Amaral, no PHD: As mudanças foram equivocadas. Farias deveria entrar bem antes (não sei se estava sendo poupado, não treinou durante a semana). Montillo estava com o pé no freio, provavelmente com o músculo por um fio. Mas o gol saiu de uma roubada de bola do nosso craque, que que ainda serviu uma bola pro Anselmo Ramom desperdiçar um gol que teria decidido a partida.
  • Matheus Penido, no PHD: Impossível comentar o jogo sem falar da torcida. Nota 10 em comparecimento, em apoio ao time. A raça do Leandro Guerreiro em campo, foi a dos torcedores na arquibancada.

Fontes

Transmissão

  • Sportv