Cruzeiro 1x0 Vitória - 28/09/2003

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
Por temporada
Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Flamengo.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Flamengo.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Santos.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Flamengo.png
Contra Vitória
Escudo Vitória.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Vitória.png 3x2 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1 × 0 Escudo Vitória.png
Vitória
33ª Rodada do Campeonato Brasileiro 2003
Data: 28 de setembro de 2003 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 16:00 Estádio: Mineirão
Árbitro: Sílvia Regina de Oliveira Público pagante: 24.992
Assistente 1: Ana Paula da Silva Oliveira Público presente: Não disponível
Assistente 2: Aline Lambert Renda: R$ 204.100,50 R$ 204.100,5
Cr$ 204.100,5
NCr$ 204.100,5
Cz$ 204.100,5
NCz$ 204.100,5
(preço médio: R$ 8,17 )
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Vitória:
1. Gomes 1. Juninho
2. Maicon 2. Marcos Cartão amarelo recebido aos
3. Cris 3. Nenê Substituição realizada de jogo ( Samir )
4. Edu Dracena 4. Marcelo Heleno
5. Augusto Recife 5. Maurício
6. Leandro 6. Dyonísio Substituição realizada de jogo ( Ramalho )
7. Wendel Substituição realizada de jogo ( Zinho ) 7. Alecsandro Goiano Cartão amarelo recebido aos
8. Maldonado 8. Dudu Cearense
9. Márcio Nobre Substituição realizada de jogo ( Mota Gol aos do ) 9. Almir
10. Alex Cartão amarelo recebido aos 10. Zé Roberto
11. Aristizábal Substituição realizada de jogo ( Alex Alves II Cartão amarelo recebido aos ) 11. Enílton Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( Alecsandro )
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Lori Sandri
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Vitória:


Como foi

Primeiro Tempo

Quem esperava retranca do Vitória, se enganou. A equipe baiana tomou a iniciativa no jogo e nos primeiros dez minutos, conseguiu ser superior ao líder do Brasileiro. Sem eficiência na saída de bola, o Cruzeiro não conseguia articular jogadas de ataque. Somente a partir dos 15, quando Alex passou a buscar a bola no campo de defesa, é que os mineiros conseguiram freqüentar a área rival e levar perigo.

Esta superioridade durou dez minutos e a primeira chance de gol nasceu pelo lado esquerdo. Leandro recebeu lançamento de Alex, tabelou com Aristizábal e alçou a bola na grande área. Atento, o goleiro Juninho se antecipou a Márcio Nobre. No minuto seguinte, Alex passou por três marcadores em jogada individual e deixou Maicon em ótima condição na ponta direita. Após cruzamento, Nobre cabeceou rente à trave direita. Já aos 19, Alex cobrou falta e Juninho defendeu no ângulo direito.

O ímpeto cruzeirense voltou a diminuir a partir dos 25 e o Vitória seguia mostrando que a defesa não era sua única prioridade. Em contra-ataques sempre puxados por Enílton, ex-Atlético, e Zé Roberto, que teve uma passagem de um ano pela Toca da Raposa, a equipe baiana dava trabalho à zaga e a Gomes. Aos 39, por exemplo, o goleiro cruzeirense evitou o primeiro gol baiano se antecipando a Almir após cruzamento da esquerda. Aos 41, ele defendeu cabeceio à queima-roupa de Dudu.

Por não coibir a tradicional "cera" por parte dos jogadores do Vitória e inverter algumas faltas, a árbitra Sílvia Regina de Oliveira foi perseguida pelos torcedores cruzeirenses e ao apitar o término do primeiro tempo, foi questionada pelo cruzeirense Alex. "Ela não está punindo o goleiro deles, que não quer jogar", alegou.

Segundo Tempo

Ainda no intervalo, Luxemburgo trocou Wendell e Márcio Nobre por Zinho e Mota. Logo no primeiro minuto, a dupla recém promovida mostrou serviço e o Cruzeiro conseguiu abrir o placar. Em seu primeiro lance, Zinho obrigou Juninho a fazer bela defesa após um chute de perna canhota. Na seqüência, Leandro cobrou lateral pela esquerda, Maldonado desviou de cabeça na grande área e na sobra, Mota chutou no canto esquerdo e colocou o Cruzeiro em vantagem: 1 a 0. O cearense, autor de nove gols no Brasileiro, dirigiu seu olhar para Luxemburgo e agradeceu a confiança.

Atordoado com o gol, o Vitória passou a abusar das faltas. Aos 17, no intuito de voltar a atacar, Lori Sandri trocou Dionísio por Ramalho. No Cruzeiro, Luxemburgo sacou Aristizábal e lançou Alex Alves II. Notando cansaço de sua equipe, Sandri voltou a mexer: Samir substituiu Nenê. Aos 24, o Vitória acabou prejudicado pela árbitra com a não marcação de um pênalti de Cris sobre Zé Roberto. O atacante foi derrubado dentro da área e na seqüência, após duas finalizações baianas, Gomes fez defesas importantes. No rebote, Zé Roberto deu um voleio e mandou à linha de fundo. Irritados, jogadores rubro-negros pressionaram a árbitra, mas em vão.

As substituições deram nova motivação ao Vitória. Os baianos afrouxaram a marcação, foram ao ataque e por outro lado, ficaram mais expostos aos contra-ataques. Aos 32, Maicon rompeu a linha central e encontrou Zinho na intermediária. O veterano passou para Alex Alves II, que com um toque de primeira, deixou Alex na cara do gol. O camisa 10 tentou encobrir Juninho e mandou por cima do travessão.

Daí em diante, o Cruzeiro cadenciou a partida e administrou a vantagem. Aos 44 minutos, o atacante Alex Alves II desperdiçou a chance de ampliar após cruzamento perfeito de Maicon. O Vitória quase empatou aos 45. Alecsandro dominou a bola na entrada da área e chutou forte no canto esquerdo. Gomes defendeu para escanteio e garantiu a 20ª vitória na competição nacional.

Imagens do jogo