Cruzeiro 1x0 Tupi - 28/03/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Ituiutaba.png 1x4 Escudo Cruzeiro.png
Contra Tupi
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Tupi.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1 × 0 Escudo Tupi.png
Tupi
Jogo de ida - Quartas de Final - Campeonato Mineiro 2009
Data: 28 de março de 2009 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 21h50 Estádio: Mineirão
Árbitro: Paulo César de Oliveira Público pagante: 9.882
Assistente 1: Hilton Moutinho Rodrigues Público presente: Não disponível
Assistente 2: Maria Eliza C. Barbosa Renda: R$ 141.137,00 R$ 141.137
Cr$ 141.137
NCr$ 141.137
Cz$ 141.137
NCz$ 141.137
(preço médio: R$ 14,28 )
Súmula: Súmula
Escalações
Cruzeiro: Tupi:
1. Fábio 1. Gonçalves
2. Jonathan Substituição realizada 74 de jogo 74 ( 14. Jancarlos ) 2. Serginho
3. Leonardo Silva Cartão amarelo recebido aos 72 72'   3. Reginaldo
4. Thiago Heleno 4. Rodrigão
5. Fabrício 5. Bruno Ramos Cartão amarelo recebido aos 5 5'  
6. Gerson Magrão Cartão amarelo recebido aos 8  (2T) 8'  (2T)   6. Michel
7. Marquinhos Paraná Gol aos 15 do  (2T) 15'  (2T) 7. Marcel Cartão amarelo recebido aos 61 61'   Substituição realizada 85' de jogo 85' ( 17. Darlna )
8. Ramires 8. Salino Cartão amarelo recebido aos 36 36'  
11. Soares Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 18. Wellington Paulista ) 9. Ademilson (C) Substituição realizada 85' de jogo 85' ( 15. Márcio Carioca )
10. Bernardo Substituição realizada 81' de jogo 81' ( 15. Henrique ) 10. Hugo
30. Kléber 11. Daniel Cartão amarelo recebido aos 12 12'   Substituição realizada 89' de jogo 89' ( 16. Neol )
Técnico: Adilson Batista Técnico: Leonardo Rodrigues Condé
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Tupi:
12. Andrey 12. Alan
13. Anderson 13. Itamar
17. Elicarlos 14. Jaiminho
9. Wanderley dos Santos 18. Rodrigo Mucarbel


Pré-Jogo

Neste sábado, o Cruzeiro, 2º lugar no turno de classificação com 25 pontos, e o Tupi, 7º, com 15, iniciam a disputa de uma vaga para as semifinais do Mineiro.

O desnível técnico em favor do Cruzeiro é evidente. Mas é bom lembrar que o placar terminou em branco no jogo entre ambos na fase classificatória, no Mineirão.

Naquela ocasião, o Tupi mostrou saber se defender. Não é, por acaso, o time com maior número de empates, seis, até aqui.

Adílson Baptista reconhece as qualidades dos carijós: ”O Tupi é bem treinado, tem bons jogadores. Eu achava que ficaria numa situação até melhor, mas acabou empatando muito. Tivemos dificuldades, pois eles neutralizaram, marcaram. Apesar disto, tivemos chances pra fazer o gol, mas não estávamos numa noite inspirada. Agora, temos que encarar os dois jogos com seriedade pra não cometermos erros.”

Sorín, Wagner e Thiago Ribeiro, contundidos, desfalcarão o time celeste.

No Tupi, há suspense quanto à escalação do armador Hugo que, lesionado, pode ser substituído por Rodrigo Mucarbel. Já o volante Robson está mesmo fora da partida.

A dúvida é quanto ao comparecimento da torcida celeste, que anda aborrecida com os preços dos ingressos.

Uma pena que, na reta de chegada do Mineiro, torcedores e dirigentes não se entendam e o time receba apoio menor que tem feito por merecer após 17 partidas de invencibilidade na temporada.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 16h10 – Jogo não pode começar, pois Fábio veste camisa branca como a do Tupi e tem que trocá-la por uma amarela.
  • 16h12 – Começa o jogo. Com uniforme tradicional, Cruzeiro defende o Gol da Lagoa. De camisas brancas e calções e meias pretas, Tupi defende o Gol da Cidade.
  • 01 – Thiago Heleno avança pela esquerda e aciona Gerson Magrão, que é desarmado por Serginho.
  • 04 – Kléber é derrubado por Bruno, que recebe cartão amarelo.
  • 05 – Gerson bate falta rasteira, de longe. Gonçalves dá rebote, Kléber emenda para o gol, mas Reginaldo salva em cima da linha.
  • 07 – Leo Salino chuta de longe, Fábio defende.
  • 08 – Bernardo lança Soares, que é derrubado na intermediária. Bernardo cobra a falta, defesa corta.
  • 09 – Marcel puxa contra-ataque e é derrubado, no meio de campo, por Gerson, que leva amarelo.
  • 10 – Michel desarma Fabrício, vai á linha de fundo, pela esquerda, e cruza. Leonardo Silva corta para escanteio.
  • 11 – Daniel aplica rasteira em Bernardo e leva amarelo.
  • 13 – Bruno disputa bola com Kléber pelo alto, corta a testa e fica caído.
  • 15 – Cancha encharcada, bola não corre, mas, ainda assim, o Cruzeiro tenta jogar com toques rápidos.
  • 16 – Fabrício perde bola no meio de campo, Ademílson é acionado na entrada da área, mas chuta fraco. Fábio defende.
  • 18 – Tupi tem 11 jogadores em seu campo de defesa. Sem espaços e sem poder tocar a bola com rapidez no gramado encharcado, Cruzeiro não consegue criar boas jogadas.
  • 21 – Kléber recebe de Gerson na ponta-esquerda e cruza. Soares ajeita para Ramires soltar uma bomba, que acerta o travessão e sai pela linha de fundo.
  • 26 – Ademílson recebe dentro da área, Fábio corta.
  • 27 – Bernardo gira sobre Leo Salino e sofre falta a 10 passos da meia-lua. Gerson cobra a falta rolando para Fabrício, que solta uma bomba, rasteira. Gonçalves defende no canto esquerdo.
  • 28 – Leonardo Silva cabeceia bola vinda esquerda. Gonçalves faz outra defesa difícil.
  • 30 – Kléber cruza da esquerda, Ramires cabeceia, Gonçalves faz ponte e cede escanteio.
  • 31 – Ramires entra na área em velocidade, divide com o goleiro e cai. Torcida pede pênalti, PC Oliveira manda seguir o jogo.
  • 32 – Bernardo é derrubado na entrada da área. Gonçalves cai dentro da pequena área para esfriar o jogo.
  • 33 – Bernardo bate falta por cima da barreira, no ângulo superior direito de Gonçalves, que cede escanteio com uma ponte.
  • 37 – Leo Salino comete falta em Kléber e recebe amarelo.
  • 40 – Daniel passa a Marcel, que chuta de longe pra defesa de Fábio.
  • 41 – Leo Salino derruba Kléber. Gerson bate a falta sobre a área, Rodrigão corta.
  • 42 – Serginho cruza, Fabrício cede escanteio. Hugo bate, Fabrício cede novo escanteio. Na batida seguinte, o volante corta pra fora da área.
  • 43 – Soares, pela esquerda, cruza por cima do travessão.
  • 44 – Jonathan lança Fabrício, que vai á linha de fundo e cruza. Reginaldo corta.
  • 45 – Leo Salino recebe psse na entrada da área, mas chuta fraco permitindo a defesa de Fábio.
  • 46 – Hugo corta Leonardo e toca para Daniel, que chuta forte, cruzado. Fábio se estica e salva gol certo.
  • 48 – Termina o 1º tempo. Fábio lamenta gols perdidos e diz que, obrigado a agredir, o Cruzeiro deixa espaços para o contra-ataque do Tupi.

Segundo Tempo

  • 17h18 – Começa o 2º tempo. No Cruzeiro, Wellington Paulista substitui Soares.
  • 02 – Michel recebe passe após trama do ataque do Tupi e chuta, de longe, para defesa de Fábio.
  • 04 – Jonathan cruza, WP cabeceia, Gonçalves defende.
  • 05 – Kléber é derrubado no bico da área, pelo lado esquerdo. Bernardo cobra falta com chute rasteiro. Jonathan emenda, mas a bola vai para linha de fundo.
  • 07 – Gerson cruza, Ramires recebe na esquerda e emenda para as redes. Paulo César de Oliveira atende a bandeira Maria Eliza Barboza, que marca impedimento, e anula o lance.
  • 10 – WP bate Reginaldo na corrida, na ponta-esquerda e cruza. Gonçalves defende.
  • 11 – Kléber recebe de Fabrío e chuta forte, de longe. Gonçalves segura firme.
  • 12 – Torcida do cruzeiro canta mais forte incentivando o time.
  • 13 – Jonathan recebe de Fabrício e chuta cruzado. Rodrigão corta.
  • 15 – Kléber cruza da direita, Marquinhos Paraná, dentro da área, encobre Gonçalves, de cabeça. Cruzeiro 1×0. Em sua 79ª partida, MP marca o 1º gol com a camisa celeste. Um golaço!
  • 17 – Torcida canta forte: “Vamos, vamos Cruzeiro!”
  • 18 – MP faz jogada de ponta-direita, mas é desarmado por Bruno.
  • 19 – No Tupi, Noel substitui Daniel.
  • 22 – Leo Salino chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 23 – Fabrício desarma Hugo com carrinho cedendo escanteio. Hugo bate, Fábio espalma cedendo novo escanteio. Nova batida, desta vez, Fábio tira, de soco, pra fora da área.
  • 24 – Volta a chover forte.
  • 25 – Hugo tabela com Michel, pela esquerda. Leonardo Silva derruba o lateral-esquerdo e recebe cartão amarelo.
  • 27 – Jonathan cai no gramado e é substituído por Jancarlos.
  • 29 – Dr. Sérgio Freire, médico do cruzeiro informa que o lateral sofre cãibras e nada mais grave.
  • 30 – Chuva diminui.
  • 33 – Volta a chover forte. Torcida celeste incentiva o time.
  • 34 – Ramires aprece como um raio dentro da área para disputar uma bola com Reginaldo e Gonçalves, mas só consegue um escanteio.
  • 35 – Michel entra driblando na área, mas é desarmado por Leonardo Silva. Na sequência, Fabrício chuta pra frente, Hugo apanha o rebote e arremata por cima do travessão.
  • 36 – No cruzeiro, Bernardo é substituído por Henrique, que recebe a missão de parar Hugo, o atacante mais perigoso do Tupi. Ramires fica livre para atacar.
  • 37 – WP persegue Noel de uma intermediária a outra pra barrar um contra-ataque e fica caído, exausto.
  • 40 – No Tupi, Márcio Carioca substitui Ademílson.
  • 41 – WP passa a Jancarlos, que chuta para defesa de Gonçalves.
  • 43 – MP lança Kléber na meia-lua. Rodrigão aparece para desarmar o atacante antes do arremate.
  • 44 – Henrique lança Ramires, que passa a Keber. Ao tacante corta uRodrigão, vai à linha de fundo e cruza. Gonçalves defende.
  • 45 – Marquinhos Paraná é eleito o melhor em campo na Itatiaia e na Globo.
  • 46 – Cruzeiro toca a bola e a trocida, querendo mais gols, vaia.
  • 46 – Gerson passa a WP, que chuta para grande defesa de Gonçalves, que cede escanteio.
  • 47 – No Tupi, Felipe substitui Marcel.
  • 48 – Fim de jogo. Fabrício elogia marcação do Tupi e dia que o time havia combinado não cometer loucuras em busca de um marcador maior a qualquer custo. Gerson diz que o objetivo, que era a vitória, foi cumprido.

Vídeos

Atuações

  • Fábio – Salvou um gol com uma grande defesa. Nos demais lances, potencialmente, perigosos, contou com a má pontaria ou a falta de força dos jogadores juiz-foranos na hora do arremate.
  • Jonathan – Não comprometeu, mas também não repetiu suas melhores atuações.
  • Jancarlos – Discreto.
  • Leonardo Silva – Ágil na cobertura, expedito na limpeza da área, animado nas subidas ao ataque, tem sido o melhor beque do elenco.
  • Thiago Heleno – Razoável, alternou momentos de indecisão com outros de xerife.
  • Gerson Magrão – Esforçado, defendeu e atacou, na medida de sua capacidade, sem se omitir. Levou cartão amarelo no começo e, só por isto, teve de afrouxar um pouco a marcação no restante da partida.
  • Marquinhos Paraná – Defendeu sem dar pontapés ou aplicar carrinhos, atacou de cabeça erguida, cabeceou com maestria para fazer seu 1º gol com a azul-estrelada. O melhor em campo.
  • Fabrício – Incansável, é quase onipresente aparecendo, tanto na defesa quanto no ataque. Participa tanto do jogo, que, muitas vezes, erra e dá motivos para os caolhos negarem sua contribuição para a equipe.
  • Ramires – Procurou espaços, apareceu de surpresa para marcar um gol (mas estava impedido) e para cavar um pênalti, que o juiz não aceitou.
  • Henrique – Entrou pra acabar com a folga do meia-atacante Hugo e liberar Ramires para os contra-ataques. E cumpriu a contento a determinação tática.
  • Bernardo – Tem personalidade, joga à vontade, mesmo sendo, pelos critérios do Cruzeiro, um imaturo. Fez excelente 1º tempo, mas caiu no 2º. Como não volta para marcar e o Tupi estava começando a criar problemas para o lado direito da defesa celeste, Adílson Baptista o substituiu por Henrique, que acabou com a farra que Michel e Hugo faziam por aquele setor.
  • Kléber – Protege, mas também prende em demais a bola, o que tira a velocidade do time e permite as faltas táticas do adversário. Mas quando consegue se desvencilhar da marcação, o adversário sempre pode esperar um castigo. Aos 15 do 2º tempo, numa das poucas vezes em que ficou livre com a bola, levantou a cabeça, descobriu Marquinhos Paraná nas costas da bequeira juiz-forana e o serviu para um golaço. Adílson Baptista terá de inventar um esquema para aproveitar sua potencialidade.
  • Soares – Tentou abrir espaços, mas o campo encharcado não contribuiu para seu futebol veloz.
  • Wellington Paulista – Em 45 minutos, fez duas boas jogadas. Numa, como ponta-esquerda, venceu Reginaldo na corrida e cruzou da linha de fundo. Noutra, perseguiu Noel de intermediária a intermediária para evitar, com sucesso, um contra-ataque. Como defesa para a pouca atividade, pode alegar que o time passou boa parte do 2º tempo administrando mais do que forçando o jogo e, assim, ele “boiou” em campo.
  • Adílson Baptista – Correu riscos por não ter um time pronto para uma cancha em que a bola não corre. Seu time só sabe jogar com toques. Mas venceu e isto é o que interessa.
  • Torcida – Parte dela continua furiosa com os preços dos ingressos muito superiores do Clube de Lourdes e está em greve. Outra parte acredita na lenda do campeonato rural e prefere guardar o dinheirinho pra Libertadores. Os 10 mil que pareceram cumpriram sua missão de empurrar o time e calar as turmas das cornetas e dos amendoins, que só vão ao estádio pra extravasar frustrações.
  • Juiz & Bandeiras – Acertaram o essencial. Uma ou outra marcação pode ser questionada pela torcida. Tudo dentro da normalidade.
  • Adversários – Gonçalves só não pegou a cabeçada de Mestre de Marquinhos Paraná. No resto do tempo, foi uma muralha. A linha de beques é toda muito boa, com destaque para Reginaldo na cobertura e Michel no apoio ao ataque. Bruno, como manda o jargão, “se doa para a equipe” na marcação. Hugo e Salino, considerados os mais boêmios do grupo, sabem jogar quando têm a posse de bola, mas nem tanto quando ela está fora do alcance deles. E o treinador Leonardo Condé mandou a campo uma equipe organizada.

O que foi dito

  • “O time está de parabéns pela dedicação e esforço. O jogo foi difícil como nós prevíamos, até em função do desgaste de quarta contra o Democrata, do gramado um pouquinho desgastado, do sistema do Tupi, com marcação cerrada, e em função do retrospecto do adversário. Os zagueiros deles marcaram forte, mas foram leais. Eles tiverem situações de contra-ataque. Importante é criar pra gente conseguir dormir um pouco mais sossegado. Infelizmente, não foi possível fazer mais gols, mas foi importante vencer. Ampliamos a vantagem e temos uma semana pra nos preparar, fazer um bom jogo no próximo final de semana e nos garantir na semifinal. O Cruzeiro pediu pra jogar a partida de volta no sábado porque temos outra, importante, na quarta-feira contra o Estudiantes, pela Libertadores.” (Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro)
  • “Ampliamos a vantagem. Queríamos fazer mais gols, mas não conseguimos. O Tupi é um bom time, tem muita força defensiva.” (Fabrício, volante do Cruzeiro)
  • “O Cruzeiro dominou e ganhou com os médios-volantes Paraná, Fabrício e o Ramires, que defendeu e surpreendeu. Kléber foi um gladiador ético. Lutou muito, apanhou, mas não bateu. No 1º tempo o ataque do Cruzeiro atacou pra cidade, o lado mais empoçado, razão talvez do alto número de chances perdidas. No 2º, atacou pra Pampulha, mais seco. O Tupi manteve sempre duas linhas de 4, com 2 jogadores para contra-atacar. Nos últimos 20 minutos, suas linhas avançaram, mas o Cruzeiro não tinha pernas pra contra-atacar. Houve 4 chances pra ampliar, todas desperdiçadas. Mas vi o Cruzeiro preparado taticamente pros mata-mata do Mineiro e da Libertadores. Os últimos 20 minutos de hoje, refletiram o cansaço de duas partidas decisivas em campo pesado.” (Rosan Amaral, torcedor)
  • “Jogo duro, resultado justo. O Tupi marca muito bem e é forte fisicamente. O gramado encharcado favoreceu à sua defesa. O goleiro Gonçalves esteve muito bem. Kléber foi o melhor em campo. Paraná, Leonardo Silva também estiveram bem. Thiago Heleno esteve normal. Os demais foram razoáveis. Adílson Baptista colocou o Soares pra abrir o jogo com velocidade. Não deu certo e ele voltou com o WP mais centrado e abriu o jogo pros laterais. Tirou o Jonathan com cãibras fortes e depois o Bernardo, que parecia cansado. Quanto à queda de ritmo após o gol, pode ter sido por desgaste. Se foi ele quem deu a ordeme, errou. Mas não acredito que ele tenha pedido isto.” (Walfrido Jr., torcedor)
  • “Jogo encardido, como era de se esperar. O Tupi se desdobra na marcação, no empenho. Dominamos o jogo inteiro e eles tiveram somente uma boa chance, providencialmente defendida por Fábio. Nós tivemos no mínimo 8, com uma bola no travessão, boas defesas do Gonçalves e um lance, no mínimo duvidoso, sobre o Ramires, dentro da área. Mas o maior adversário do Cruzeiro foi o gramado pesado, quase uma lagoa. Time leve, que precisa fazer o resultado, sofre muito nestas condições. Fábio foi pouco acionado mas, como sempre, esteve firme. Leonardo Silva, Fabrício, Paraná, Bernardo e Kléber estiveram bem. Os demais foram razoáveis, menos Thiago Heleno, que não atravessa boa fase. No Tupi, destaco o bom goleiro e o habilidoso Hugo. Paulo César de Oliveira continua ensebando o jogo. É muito estrelinha pro meu gosto e, na dúvida, nunca marca pra nós. No quesito transmissão, repito, é difícil aguentar o Marcos Guiotti. Comentários dúbios, outros óbvios e sempre com um tom crítico. Parece que tem profunda mágoa da camisa azul.” (Elias Guimarães, torcedor)
  • “Jogo dificílimo com o Tupi sempre nos complicando. O 1º tempo do Cruzeiro foi bom, mas não gostei do 2º, principalmente, após o gol. Parece que o time ficou satisfeito com o placar mínimo, o que é sempre perigoso. E não tem jeito: com juiz mineiro ou juiz de fora, o Cruzeiro é sempre prejudicado. Em todo caso, continuo preferindo juiz de fora. Melhores: Leonardo Silva, Kléber (muita luta) e ele, o craque elegante, Marquinhos Paraná.” (Rodrigo Gomes, torcedor)

Fontes