Cruzeiro 1x0 Tupi - 28/03/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro 2004.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro 2004.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro 2004.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro 2004.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro 2004.png 7x0 Escudo Democrata-GV.png Gol aos do Escudo Ituiutaba.png 1x4 Escudo Cruzeiro 2004.png
Contra Tupi
Escudo Cruzeiro 2004.png 0x0 Escudo Tupi.png Gol aos do Escudo Tupi.png 2x7 Escudo Cruzeiro 2004.png

[edit]

Escudo Cruzeiro 2004.png
1 × 0
Escudo Tupi.png

Jogo de ida - Quartas de Final do Campeonato Mineiro 2009

Placar
Cruzeiro 1-0 Tupi
Súmula

Informações

Data: sábado, 28 de março de 2009 às 21:50
Local: Belo Horizonte, MG
Estádio: Mineirão


Público e Renda

Público pagante: 9.882
Público Presente: Não disponível
Renda Bruta: R$ 141.137,00 R$ 141.137 <br />Cr$ 141.137 <br />NCr$ 141.137 <br />Cz$ 141.137 <br />NCz$ 141.137 <br /> (preço médio: R$ 14,28 )


Escalações

Cruzeiro
  1. (T) Fábio
  2. (T) JonathanSimbolo jogador base.png Substituição realizada 29' (2T) de jogo 29' (2T) ( 14.(R) Jancarlos )
  3. (T) Leonardo Silva Cartão amarelo recebido aos 27  (2T) 27'  (2T)  
  4. (T) Thiago HelenoSimbolo jogador base.png
  5. (T) Fabrício
  6. (T) Gerson MagrãoSimbolo jogador base.png Cartão amarelo recebido aos 8  (2T) 8'  (2T)  
  7. (T) Marquinhos Paraná  Gol aos 15 do  (2T) 15'  (2T)
  8. (T) Ramires
11. (T) Soares Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 18.(R) Wellington Paulista )
10. (T) BernardoSimbolo jogador base.png Substituição realizada 36' (2T) de jogo 36' (2T) ( 15.(R) Henrique )
30. (T) Kléber
Técnico: Icone-Treinador.png Adilson Batista

Tupi
  1. Gonçalves
  2. Serginho
  3. Reginaldo
  4. Rodrigão
  5. Bruno Ramos Cartão amarelo recebido aos 5 5'  
  6. Michel
  7. Marcel Cartão amarelo recebido aos 61 61'   Substituição realizada 85' de jogo 85' ( 17. Darlna )
  8. Salino Cartão amarelo recebido aos 36 36'  
  9. Ademilson (C) Substituição realizada 85' de jogo 85' ( 15. Márcio Carioca )
10. Hugo
11. Daniel Cartão amarelo recebido aos 12 12'   Substituição realizada 89' de jogo 89' ( 16. Neol )
Técnico: Leonardo Rodrigues Condé


Reservas que não entraram na partida

Cruzeiro
12. (B) Andrey
13. (B) Anderson
17. (B) Elicarlos
9. (B) Wanderley dos Santos

Tupi
12. Alan
13. Itamar
14. Jaiminho
18. Rodrigo Mucarbel

Pré-Jogo[editar]

Neste sábado, o Cruzeiro, 2º lugar no turno de classificação com 25 pontos, e o Tupi, 7º, com 15, iniciam a disputa de uma vaga para as semifinais do Mineiro.

O desnível técnico em favor do Cruzeiro é evidente. Mas é bom lembrar que o placar terminou em branco no jogo entre ambos na fase classificatória, no Mineirão.

Naquela ocasião, o Tupi mostrou saber se defender. Não é, por acaso, o time com maior número de empates, seis, até aqui.

Adílson Baptista reconhece as qualidades dos carijós: ”O Tupi é bem treinado, tem bons jogadores. Eu achava que ficaria numa situação até melhor, mas acabou empatando muito. Tivemos dificuldades, pois eles neutralizaram, marcaram. Apesar disto, tivemos chances pra fazer o gol, mas não estávamos numa noite inspirada. Agora, temos que encarar os dois jogos com seriedade pra não cometermos erros.”

Sorín, Wagner e Thiago Ribeiro, contundidos, desfalcarão o time celeste.

No Tupi, há suspense quanto à escalação do armador Hugo que, lesionado, pode ser substituído por Rodrigo Mucarbel. Já o volante Robson está mesmo fora da partida.

A dúvida é quanto ao comparecimento da torcida celeste, que anda aborrecida com os preços dos ingressos.

Uma pena que, na reta de chegada do Mineiro, torcedores e dirigentes não se entendam e o time receba apoio menor que tem feito por merecer após 17 partidas de invencibilidade na temporada.

Lance a lance[editar]

Primeiro Tempo[editar]

  • 16h10 – Jogo não pode começar, pois Fábio veste camisa branca como a do Tupi e tem que trocá-la por uma amarela.
  • 16h12 – Começa o jogo. Com uniforme tradicional, Cruzeiro defende o Gol da Lagoa. De camisas brancas e calções e meias pretas, Tupi defende o Gol da Cidade.
  • 01 – Thiago Heleno avança pela esquerda e aciona Gerson Magrão, que é desarmado por Serginho.
  • 04 – Kléber é derrubado por Bruno, que recebe cartão amarelo.
  • 05 – Gerson bate falta rasteira, de longe. Gonçalves dá rebote, Kléber emenda para o gol, mas Reginaldo salva em cima da linha.
  • 07 – Leo Salino chuta de longe, Fábio defende.
  • 08 – Bernardo lança Soares, que é derrubado na intermediária. Bernardo cobra a falta, defesa corta.
  • 09 – Marcel puxa contra-ataque e é derrubado, no meio de campo, por Gerson, que leva amarelo.
  • 10 – Michel desarma Fabrício, vai á linha de fundo, pela esquerda, e cruza. Leonardo Silva corta para escanteio.
  • 11 – Daniel aplica rasteira em Bernardo e leva amarelo.
  • 13 – Bruno disputa bola com Kléber pelo alto, corta a testa e fica caído.
  • 15 – Cancha encharcada, bola não corre, mas, ainda assim, o Cruzeiro tenta jogar com toques rápidos.
  • 16 – Fabrício perde bola no meio de campo, Ademílson é acionado na entrada da área, mas chuta fraco. Fábio defende.
  • 18 – Tupi tem 11 jogadores em seu campo de defesa. Sem espaços e sem poder tocar a bola com rapidez no gramado encharcado, Cruzeiro não consegue criar boas jogadas.
  • 21 – Kléber recebe de Gerson na ponta-esquerda e cruza. Soares ajeita para Ramires soltar uma bomba, que acerta o travessão e sai pela linha de fundo.
  • 26 – Ademílson recebe dentro da área, Fábio corta.
  • 27 – Bernardo gira sobre Leo Salino e sofre falta a 10 passos da meia-lua. Gerson cobra a falta rolando para Fabrício, que solta uma bomba, rasteira. Gonçalves defende no canto esquerdo.
  • 28 – Leonardo Silva cabeceia bola vinda esquerda. Gonçalves faz outra defesa difícil.
  • 30 – Kléber cruza da esquerda, Ramires cabeceia, Gonçalves faz ponte e cede escanteio.
  • 31 – Ramires entra na área em velocidade, divide com o goleiro e cai. Torcida pede pênalti, PC Oliveira manda seguir o jogo.
  • 32 – Bernardo é derrubado na entrada da área. Gonçalves cai dentro da pequena área para esfriar o jogo.
  • 33 – Bernardo bate falta por cima da barreira, no ângulo superior direito de Gonçalves, que cede escanteio com uma ponte.
  • 37 – Leo Salino comete falta em Kléber e recebe amarelo.
  • 40 – Daniel passa a Marcel, que chuta de longe pra defesa de Fábio.
  • 41 – Leo Salino derruba Kléber. Gerson bate a falta sobre a área, Rodrigão corta.
  • 42 – Serginho cruza, Fabrício cede escanteio. Hugo bate, Fabrício cede novo escanteio. Na batida seguinte, o volante corta pra fora da área.
  • 43 – Soares, pela esquerda, cruza por cima do travessão.
  • 44 – Jonathan lança Fabrício, que vai á linha de fundo e cruza. Reginaldo corta.
  • 45 – Leo Salino recebe psse na entrada da área, mas chuta fraco permitindo a defesa de Fábio.
  • 46 – Hugo corta Leonardo e toca para Daniel, que chuta forte, cruzado. Fábio se estica e salva gol certo.
  • 48 – Termina o 1º tempo. Fábio lamenta gols perdidos e diz que, obrigado a agredir, o Cruzeiro deixa espaços para o contra-ataque do Tupi.

Segundo Tempo[editar]

  • 17h18 – Começa o 2º tempo. No Cruzeiro, Wellington Paulista substitui Soares.
  • 02 – Michel recebe passe após trama do ataque do Tupi e chuta, de longe, para defesa de Fábio.
  • 04 – Jonathan cruza, WP cabeceia, Gonçalves defende.
  • 05 – Kléber é derrubado no bico da área, pelo lado esquerdo. Bernardo cobra falta com chute rasteiro. Jonathan emenda, mas a bola vai para linha de fundo.
  • 07 – Gerson cruza, Ramires recebe na esquerda e emenda para as redes. Paulo César de Oliveira atende a bandeira Maria Eliza Barboza, que marca impedimento, e anula o lance.
  • 10 – WP bate Reginaldo na corrida, na ponta-esquerda e cruza. Gonçalves defende.
  • 11 – Kléber recebe de Fabrío e chuta forte, de longe. Gonçalves segura firme.
  • 12 – Torcida do cruzeiro canta mais forte incentivando o time.
  • 13 – Jonathan recebe de Fabrício e chuta cruzado. Rodrigão corta.
  • 15 – Kléber cruza da direita, Marquinhos Paraná, dentro da área, encobre Gonçalves, de cabeça. Cruzeiro 1×0. Em sua 79ª partida, MP marca o 1º gol com a camisa celeste. Um golaço!
  • 17 – Torcida canta forte: “Vamos, vamos Cruzeiro!”
  • 18 – MP faz jogada de ponta-direita, mas é desarmado por Bruno.
  • 19 – No Tupi, Noel substitui Daniel.
  • 22 – Leo Salino chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 23 – Fabrício desarma Hugo com carrinho cedendo escanteio. Hugo bate, Fábio espalma cedendo novo escanteio. Nova batida, desta vez, Fábio tira, de soco, pra fora da área.
  • 24 – Volta a chover forte.
  • 25 – Hugo tabela com Michel, pela esquerda. Leonardo Silva derruba o lateral-esquerdo e recebe cartão amarelo.
  • 27 – Jonathan cai no gramado e é substituído por Jancarlos.
  • 29 – Dr. Sérgio Freire, médico do cruzeiro informa que o lateral sofre cãibras e nada mais grave.
  • 30 – Chuva diminui.
  • 33 – Volta a chover forte. Torcida celeste incentiva o time.
  • 34 – Ramires aprece como um raio dentro da área para disputar uma bola com Reginaldo e Gonçalves, mas só consegue um escanteio.
  • 35 – Michel entra driblando na área, mas é desarmado por Leonardo Silva. Na sequência, Fabrício chuta pra frente, Hugo apanha o rebote e arremata por cima do travessão.
  • 36 – No cruzeiro, Bernardo é substituído por Henrique, que recebe a missão de parar Hugo, o atacante mais perigoso do Tupi. Ramires fica livre para atacar.
  • 37 – WP persegue Noel de uma intermediária a outra pra barrar um contra-ataque e fica caído, exausto.
  • 40 – No Tupi, Márcio Carioca substitui Ademílson.
  • 41 – WP passa a Jancarlos, que chuta para defesa de Gonçalves.
  • 43 – MP lança Kléber na meia-lua. Rodrigão aparece para desarmar o atacante antes do arremate.
  • 44 – Henrique lança Ramires, que passa a Keber. Ao tacante corta uRodrigão, vai à linha de fundo e cruza. Gonçalves defende.
  • 45 – Marquinhos Paraná é eleito o melhor em campo na Itatiaia e na Globo.
  • 46 – Cruzeiro toca a bola e a trocida, querendo mais gols, vaia.
  • 46 – Gerson passa a WP, que chuta para grande defesa de Gonçalves, que cede escanteio.
  • 47 – No Tupi, Felipe substitui Marcel.
  • 48 – Fim de jogo. Fabrício elogia marcação do Tupi e dia que o time havia combinado não cometer loucuras em busca de um marcador maior a qualquer custo. Gerson diz que o objetivo, que era a vitória, foi cumprido.

Vídeos[editar]

Atuações[editar]

  • Fábio – Salvou um gol com uma grande defesa. Nos demais lances, potencialmente, perigosos, contou com a má pontaria ou a falta de força dos jogadores juiz-foranos na hora do arremate.
  • Jonathan – Não comprometeu, mas também não repetiu suas melhores atuações.
  • Jancarlos – Discreto.
  • Leonardo Silva – Ágil na cobertura, expedito na limpeza da área, animado nas subidas ao ataque, tem sido o melhor beque do elenco.
  • Thiago Heleno – Razoável, alternou momentos de indecisão com outros de xerife.
  • Gerson Magrão – Esforçado, defendeu e atacou, na medida de sua capacidade, sem se omitir. Levou cartão amarelo no começo e, só por isto, teve de afrouxar um pouco a marcação no restante da partida.
  • Marquinhos Paraná – Defendeu sem dar pontapés ou aplicar carrinhos, atacou de cabeça erguida, cabeceou com maestria para fazer seu 1º gol com a azul-estrelada. O melhor em campo.
  • Fabrício – Incansável, é quase onipresente aparecendo, tanto na defesa quanto no ataque. Participa tanto do jogo, que, muitas vezes, erra e dá motivos para os caolhos negarem sua contribuição para a equipe.
  • Ramires – Procurou espaços, apareceu de surpresa para marcar um gol (mas estava impedido) e para cavar um pênalti, que o juiz não aceitou.
  • Henrique – Entrou pra acabar com a folga do meia-atacante Hugo e liberar Ramires para os contra-ataques. E cumpriu a contento a determinação tática.
  • Bernardo – Tem personalidade, joga à vontade, mesmo sendo, pelos critérios do Cruzeiro, um imaturo. Fez excelente 1º tempo, mas caiu no 2º. Como não volta para marcar e o Tupi estava começando a criar problemas para o lado direito da defesa celeste, Adílson Baptista o substituiu por Henrique, que acabou com a farra que Michel e Hugo faziam por aquele setor.
  • Kléber – Protege, mas também prende em demais a bola, o que tira a velocidade do time e permite as faltas táticas do adversário. Mas quando consegue se desvencilhar da marcação, o adversário sempre pode esperar um castigo. Aos 15 do 2º tempo, numa das poucas vezes em que ficou livre com a bola, levantou a cabeça, descobriu Marquinhos Paraná nas costas da bequeira juiz-forana e o serviu para um golaço. Adílson Baptista terá de inventar um esquema para aproveitar sua potencialidade.
  • Soares – Tentou abrir espaços, mas o campo encharcado não contribuiu para seu futebol veloz.
  • Wellington Paulista – Em 45 minutos, fez duas boas jogadas. Numa, como ponta-esquerda, venceu Reginaldo na corrida e cruzou da linha de fundo. Noutra, perseguiu Noel de intermediária a intermediária para evitar, com sucesso, um contra-ataque. Como defesa para a pouca atividade, pode alegar que o time passou boa parte do 2º tempo administrando mais do que forçando o jogo e, assim, ele “boiou” em campo.
  • Adílson Baptista – Correu riscos por não ter um time pronto para uma cancha em que a bola não corre. Seu time só sabe jogar com toques. Mas venceu e isto é o que interessa.
  • Torcida – Parte dela continua furiosa com os preços dos ingressos muito superiores do Clube de Lourdes e está em greve. Outra parte acredita na lenda do campeonato rural e prefere guardar o dinheirinho pra Libertadores. Os 10 mil que pareceram cumpriram sua missão de empurrar o time e calar as turmas das cornetas e dos amendoins, que só vão ao estádio pra extravasar frustrações.
  • Juiz & Bandeiras – Acertaram o essencial. Uma ou outra marcação pode ser questionada pela torcida. Tudo dentro da normalidade.
  • Adversários – Gonçalves só não pegou a cabeçada de Mestre de Marquinhos Paraná. No resto do tempo, foi uma muralha. A linha de beques é toda muito boa, com destaque para Reginaldo na cobertura e Michel no apoio ao ataque. Bruno, como manda o jargão, “se doa para a equipe” na marcação. Hugo e Salino, considerados os mais boêmios do grupo, sabem jogar quando têm a posse de bola, mas nem tanto quando ela está fora do alcance deles. E o treinador Leonardo Condé mandou a campo uma equipe organizada.

O que foi dito[editar]

  • “O time está de parabéns pela dedicação e esforço. O jogo foi difícil como nós prevíamos, até em função do desgaste de quarta contra o Democrata, do gramado um pouquinho desgastado, do sistema do Tupi, com marcação cerrada, e em função do retrospecto do adversário. Os zagueiros deles marcaram forte, mas foram leais. Eles tiverem situações de contra-ataque. Importante é criar pra gente conseguir dormir um pouco mais sossegado. Infelizmente, não foi possível fazer mais gols, mas foi importante vencer. Ampliamos a vantagem e temos uma semana pra nos preparar, fazer um bom jogo no próximo final de semana e nos garantir na semifinal. O Cruzeiro pediu pra jogar a partida de volta no sábado porque temos outra, importante, na quarta-feira contra o Estudiantes, pela Libertadores.” (Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro)
  • “Ampliamos a vantagem. Queríamos fazer mais gols, mas não conseguimos. O Tupi é um bom time, tem muita força defensiva.” (Fabrício, volante do Cruzeiro)
  • “O Cruzeiro dominou e ganhou com os médios-volantes Paraná, Fabrício e o Ramires, que defendeu e surpreendeu. Kléber foi um gladiador ético. Lutou muito, apanhou, mas não bateu. No 1º tempo o ataque do Cruzeiro atacou pra cidade, o lado mais empoçado, razão talvez do alto número de chances perdidas. No 2º, atacou pra Pampulha, mais seco. O Tupi manteve sempre duas linhas de 4, com 2 jogadores para contra-atacar. Nos últimos 20 minutos, suas linhas avançaram, mas o Cruzeiro não tinha pernas pra contra-atacar. Houve 4 chances pra ampliar, todas desperdiçadas. Mas vi o Cruzeiro preparado taticamente pros mata-mata do Mineiro e da Libertadores. Os últimos 20 minutos de hoje, refletiram o cansaço de duas partidas decisivas em campo pesado.” (Rosan Amaral, torcedor)
  • “Jogo duro, resultado justo. O Tupi marca muito bem e é forte fisicamente. O gramado encharcado favoreceu à sua defesa. O goleiro Gonçalves esteve muito bem. Kléber foi o melhor em campo. Paraná, Leonardo Silva também estiveram bem. Thiago Heleno esteve normal. Os demais foram razoáveis. Adílson Baptista colocou o Soares pra abrir o jogo com velocidade. Não deu certo e ele voltou com o WP mais centrado e abriu o jogo pros laterais. Tirou o Jonathan com cãibras fortes e depois o Bernardo, que parecia cansado. Quanto à queda de ritmo após o gol, pode ter sido por desgaste. Se foi ele quem deu a ordeme, errou. Mas não acredito que ele tenha pedido isto.” (Walfrido Jr., torcedor)
  • “Jogo encardido, como era de se esperar. O Tupi se desdobra na marcação, no empenho. Dominamos o jogo inteiro e eles tiveram somente uma boa chance, providencialmente defendida por Fábio. Nós tivemos no mínimo 8, com uma bola no travessão, boas defesas do Gonçalves e um lance, no mínimo duvidoso, sobre o Ramires, dentro da área. Mas o maior adversário do Cruzeiro foi o gramado pesado, quase uma lagoa. Time leve, que precisa fazer o resultado, sofre muito nestas condições. Fábio foi pouco acionado mas, como sempre, esteve firme. Leonardo Silva, Fabrício, Paraná, Bernardo e Kléber estiveram bem. Os demais foram razoáveis, menos Thiago Heleno, que não atravessa boa fase. No Tupi, destaco o bom goleiro e o habilidoso Hugo. Paulo César de Oliveira continua ensebando o jogo. É muito estrelinha pro meu gosto e, na dúvida, nunca marca pra nós. No quesito transmissão, repito, é difícil aguentar o Marcos Guiotti. Comentários dúbios, outros óbvios e sempre com um tom crítico. Parece que tem profunda mágoa da camisa azul.” (Elias Guimarães, torcedor)
  • “Jogo dificílimo com o Tupi sempre nos complicando. O 1º tempo do Cruzeiro foi bom, mas não gostei do 2º, principalmente, após o gol. Parece que o time ficou satisfeito com o placar mínimo, o que é sempre perigoso. E não tem jeito: com juiz mineiro ou juiz de fora, o Cruzeiro é sempre prejudicado. Em todo caso, continuo preferindo juiz de fora. Melhores: Leonardo Silva, Kléber (muita luta) e ele, o craque elegante, Marquinhos Paraná.” (Rodrigo Gomes, torcedor)

Fontes[editar]