Cruzeiro 0x3 Atlético-MG - 12/07/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Estudiantes.png x Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png x Escudo Estudiantes.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Goiás.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 1x2 Escudo Corinthians.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Avaí.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png x Escudo Estudiantes.png
Contra Atlético-MG
Escudo Atlético-MG.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Atlético-MG.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
0 × 3 Escudo Atlético-MG.png
Atlético-MG
10ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009
Data: 12 de julho de 2009 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 16h Estádio: Mineirão
Árbitro: Paulo César de Oliveira Público pagante: 22.583
Assistente 1: Denilson Corona Público presente: Não disponível
Assistente 2: Janete Mara Arcanjo Renda: R$ 424.612,23 R$ 424.612,23
Cr$ 424.612,23
NCr$ 424.612,23
Cz$ 424.612,23
NCz$ 424.612,23
(preço médio: R$ 18,80 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Atlético-MG:
12. Andrey 36. Aranha
2. Jancarlos 15. Marcos Rocha Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 21. Alessandro Gol aos 43 do  (1T) 43'  (1T) )
3. Neguete 13. Werley
4. Vinícius Santos 3. Welton Felipe
5. Diego Renan 16. Thiago Feltri
6. Fabrício 5. Renan Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( SerginhoCartão amarelo recebido aos )
7. Elicarlos Cartão amarelo recebido aos 6. Jonílson (C)
8. Fabinho Alves Substituição realizada  de jogo ( 13. Anderson Beraldo ) 8. Márcio Araújo Cartão amarelo recebido aos
10. Athirson Cartão amarelo recebido aos 19. Júnior Gol aos 40 do  (1T) 40'  (1T) Substituição realizada  de jogo ( 31. Evandro )
11. Thiago Ribeiro Substituição realizada  de jogo ( 18. Wanderley dos Santos Cartão amarelo recebido aos ) 11. Éder Luís Gol aos 43 do  (2T) 43'  (2T)
9. Zé Carlos Cartão vermelho recebido aos 9. Diego Tardelli
Técnico: Adilson Batista Técnico: Celso Roth
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Atlético-MG:
1. Rafael 25. Bruno
14. Anderson Uchôa 29. Thiago
16. Sorín 2. Alex Bruno
17. Rômulo 27. Kléber
16. Dudu 22. Sergio


Pré-jogo

Há 12 partidas, o Cruzeiro não perde para a Cocota. A escrita é tão grande, que mesmo tendo um ajuntamento como adversário, a torcida emplumada fez forfait.

E a do Cruzeiro, vacinada pela atuação ridícula do ajuntamento no Serra Dourada, domingo passado, também comprou poucos ingressos para o clássico no Mineirão.

O Cruzeiro, que se diz um clube organizado, chega à 10ª rodada escalando um amontoado sem o menor critério técnico e tático.

Adílson Baptista jogou onze camisas pro alto e quem apanhou foi a campo se divertir.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 10 seg – Zé Carlos dá cotovelada em Renan e recebe cartão vermelho.
  • 2 Thiago Feltri avança pela ponta esquerda, tenta entrar na grande área, mas Elicarlos corta a bola para a lateral
  • 03 – Eder Luís recebe bola na meia esquerda, Athirson conte falta sobre ele.
  • 04 – Júnior cobra a falta. Tardelli chuta a bola no canto direito, mas PCO marca impedimento.
  • 05 – Éder Luís é lançado na ponta esquerda, tromba com Fabrício e cai.
  • 06 – Sob pressão, Cruzeiro não consegue passar do meio de campo.
  • 07 – Thiago Feltri cruza da ponta esquerda, Neguete afasta a bola de cabeça.
  • 08 - Cruzeiro permanece na defesa.
  • 09 – Jancarlos avança pela direita, tenta cruzar pra Thiago Ribeiro, mas a bola bate em Thiago Feltri e sai pela lateral.
  • 10 – Cruzeiro se defende como pode contra um Atlético-MG nervoso, que não consegue espaços pra atacar.
  • 11 – Marcos Rocha comete falta em Diego Renan e recebe cartão amarelo.
  • 13 – Elicarlos lança Ribeiro, Aranha defende.
  • 14 – Márcio Araújo comete falta em Diego Renan e recebe cartão amarelo.
  • 15 – Athirson lança Diego Renan na esquerda, lateral passa por Márcio Rocha e cruza. Fabinho Alves cabeceia pra fora.
  • 16 – Eder Luís puxa contra-ataque e chuta nas mãos de Andrey.
  • 21 – Júnior bate escanteio, Andrey defende pelo alto.
  • 22 – Athirson lança Ribeiro, Aranha tira de soco.
  • 25 – Fabríco lança Ribeiro que, no comando do ataque, gira sobre Welton Felipe e chuta por cima do travessão.
  • 26 – Márcos Rocha dribla Vinícus e cruza. Elicarlos corta para escanteio. Na cobrança, defesa celeste dá rebote, que Marcos Rocha apanha e serve Júnior. Dentro da área, armador chuta por cima do travessão.
  • 27 – Elicarlos puxa contra-ataque e é derrubado por Marcos rocha. Falta para 2º amarelo e expulsão, mas PCO não pune o infrator como deveria.
  • 28 – Welton Felipe e Renan discutem na defesa emplumada.
  • 29 – Alessandro substitui Marcos Rocha. Vai jogar dentro da área, apedido do treinador Celso Roth, deixando Tardelli na ponta-direita e Eder na esquerda.
  • 30 – Diego Rena bate escanteio com passe curto para Athirson. O armador lança a bola sobre a área. Welton Felipe corta.
  • 31 – Feltri cruza da esquerda, Vinícius Santos corta de cabeça para escanteio.
  • 32 – Thiago Feltri recebe lançamento pela esquerda e entra na área. Neguete impede que ele conclua, mas bola sobra para Júnior, que chuta, à esquerda de Andrey, pra fora.
  • 33 – Vinícius Santos desarama Alessandro e lança Ribeiro. Werley se antecipa ao atacante e recua para Aranha.
  • 34 – Júnior apanha rbote dentro da área e chuta colocado. Bola sia à esquerda de Andrey.
  • 35 – Márcio Araújo recupera bola na intermediária e lança Tardelli. Esticado no chão, dentro da área, Neguete dá condição de jogo ao atacante que cruza da direita. Andrey defende, Júnior fica com rebote e chuta oor cima do travessão.
  • 38 – Feltri cruza da esqeurda, Fabrício, de cabeça, cede escanteio.
  • 39 – Márcio Araújo lança Alessandro que, moleirão, permite a Andrey se antecipar e denfender a bola.
  • 40 – Tardelli para por três jogadores do cruzeiro e lança Júnior, que chuta por cima do travessão.
  • 41 – Eder Luís recebe lançamento de Márcio Araújo, na direita, e cruza. Diego Tardelli fura, na cara do gol, mas a bola sobra para Júnior finalizar pras redes. Atlético-MG 1×0.
  • 42 – Athirson recebe lançamento e é derrubado por Welton Felipe com uma cotovelada. PCO manda seguir o jogo sem marcar a falta.
  • 43 – Diego Tardelli cruza pela direita, Alessandro, soem marcação, dentro da área, chuta para as redes: Atlético-MG 2×0.
  • 45 – Athirson cobra falta lançando a bola sobre a área. Fabinho Alves cabeceia pra fora.
  • 46 – Jancarlos cruza pela direita, Thiago Ribeiro cabeceia pra fora.

Segundo Tempo

  • 02 – Elicarlos avança pela esquerda e é derrubado por Márcio Araújo. Diego Renan reclama da marcação e recebe cartão amarelo.
  • 03 - Cruzeiro toca a bola no ataque e sua torcida grita “Olé! Olé!”.
  • 04 – Thiago Ribeiro recebe passe na grande área, cruza pra Athirson, que chuta à esquerda de Aranha.
  • 05 - Atlético-MG toca bola no meio de campo e sua torcida tmbém grita “Olé!”.
  • 06 – Jancarlos cruza da ponta direita. Elicarlos disputa com Márcio Araújo na área, cai e pede pênalti. O cruzeirense fica no gramado sentindo dor no pé direito.
  • 08 - Alessandro recebe passe na ponta direita, mas cruza pela linha de fundo.
  • 10 Fabinho Alves divide com Renan, sente a pancada no joelho direito e fica mancando.
  • 11 - Atlético-MG joga pelas pontas.
  • 12 – Fabinho Alves chuta da entrada da área, bola bate em Werley e não chega ao gol.
  • 13 – Anderson Beraldo substitui Fabinho Alves.
  • 15 – Wanderley dos Santos substitui Thiago Ribeiro.
  • 17 – Evandro substitui Júnior.
  • 20 – Eder Luís, cara-a-cara com Andrey , chuta. Goleiro defende.
  • 21 – Athirson lança Elicarlos que domina a bola com mão desperdiçando ataque.
  • 23 – Tardelli cobra escanteio pela ewqeurda, fechado. Andrey defende no chão, mesmo levando um carrinho de Welton Felipe.
  • 24 – Elicarlos comete falta em Evandro e recebe cartão amarelo. Marcos Leandro, locutor, e Bob Faria, comentarista, ambos da Globo Minas pedem cartão vermelho.
  • 25 – Márcio Araújo invade a área, mas é desarmado por Vinícius Santos.
  • 26 – Anderson Anderson Uchôa substitui Fabrício, que sai reclamando de uma pancada na coxa.
  • 28 - Cruzeiro não consegue reter a bola no ataque e se limita a defender.
  • 30 - Serginho substitui Renan.
  • 31 – Márcio Araújo cruza, Evandro cabeceia à doreita de Andrey. Bola fica na rede pelo lado de fora.
  • 32 – Diego Tardelli, pela ponta esquerda, lança Eder Luís, mas Anderson Beraldo espana a bola.
  • 33 - Diego Tardelli tenta dominar a bola, mas pisa nela e se esborracha no gramado.
  • 34 – Torcida canta alto e cala a torcida emplumada.
  • 37 – Neguete chega duro em Eder Luís, que reclama da dividida.
  • 39 – Wanderley dos Santos pisa no tornozelo de Werley, na linha de fundo, e recebe o cartão amarelo. Sentindo a contusão, zagueiro é retirado de campo.
  • 40 – Serginho recebe passe na entrada da área, passa por dois marcadores, mas é desaramdo por Elicarlos.
  • 42 – Elicarlos avança pela esquerda, mas perde a bola para Jonílson.
  • 42 – Andrey sai da área para defender com o peito, deixa bola escapar. Eder Luis conclui para o gol vazio. Lento, Anderson Beraldo não consegue evitar o gol. Atlético-MG 3×0.
  • 44 – Athirson recebe o cartão amarelo após chutar a bola pra lateral com o jogo parado.
  • 45 – PCO indica 2 minutos de acréscimo.
  • 46 – Elicarlos parte com velocidade pela meia esquerda, mas é derrubado por Serginho, que recebe cartão amarelo.
  • 47 – Termina o jogo.


O que foi dito

  • “Se nem assim eles ganhassem…” (Manchete do Globo.Com)
  • “Perdermos a nossa sequência de uma forma boba… Expulsão ridícula do Zé Carlos: pra que aquilo com menos de 1 minuto de jogo? Onde que esse garoto está com a cabeça? Éa 2ª vez que ele faz besteira, é expulso e compromete o time. Acho que não é caso pra passar a mão na cabeça. Os 2 gols das cocotas sairam nas costas, onde o ala direito recebeu a bola livre, sem nenhuma marcação. Tem dó, né? Isto é pedir pra tomar gol. Fabrício esteve mal o tempo todo. E a furada do 2º gol é inaceitável prum capitão de time. Andrey completou a lambança, devolvendo de peito a bola pro atacante adversário. Ele estava fora da area e, ali, goleiro não deve sair a não ser pra chutar. E nossos jogadores só olhando sem ir na bola…” (Arthur Alvarenga, torcedor)
  • “Estive no Mineirão. Expulsão justa do Zé Carlos. Deveria ter sido expulso também o zebrado Marcos Rocha. O Cruzeiro esteve melhor durante uns 10 minutos, depois, o time zebrado dominou o jogo, mas sem mostrar objetividade. Os gols saíram em falhas individuais, mas o 3º foi surpresa até mesmo para o adversários, que já estava satisfeito com o resultado. Athirson não motrou absolutamente nada, Jancalos foi péssimo e Thiago Ribeiro, inócuo. Os demais deram o sangue mas a expulsão desgastou demais o time. A torcida deu show deixando a rival atônita ao gritar olé e apoiar o time o tempo todo. Agora são dois os boquirrotos: o que só aparece quando o time ganha e o inapetente que deixou de ser reserva de um tme classe A pra ser reserva num time de classe B.” (Clelidon, torcedor)
  • “Esse Neguete é bom demais! Deve subir já. Agora, os senhores Jancarlos e Fabrício (só fala) têm todo o meu apoio pra se retirarem do time. Quanto ao Zé Carlos, se eu fosse presidente, demitia na hora. Se eu fosse treinador, afastava do elenco na hora. O que ele fez transcende o limite da ingenuidade. Isso aí é um perigo pro time num jogo que valha alguma coisa. Qualquer cabeça-de-bagre com um pingo de inteligência não faz uma besteira dessas. Ele, simplesmente, acabou com o esquema do treinador aos 10 segundos. Só peço uma coisa ao Adílson Baptista: por favor, não me venha escalar o Fabrício na quarta-feira. Fabinho Alves pode não ter estado numa boa jornada contra o Atlético-MG, mas tá jogando muito mais que o ex-titular. E com raça.” (Gabriel Moreira, torcedor)
  • “O Atlético-MG fez o que tinha que fazer: sapecou 3×0 no amontoado e descompromissado time do Cruzeiro e assumiu a ponta do Brasileirão. Não é problema deles se o Cruzeiro não pôde entrar com a sua força máxima. Se houve planejamento pra disputa do Brasileirão e da Libertadores, concomitantemente, ele falhou. Depois da Libertadores, teremos que correr pra recuperar o terreno perdido. Que o Adilson possa montar o time pra buscar o resultado que mais interessa no momento, o Tri da Libertadores.” (Agnaldo Morato, torcedor)
  • “Prum jogo que não valia nada, a exibição do rival foi “primorosa”. Não se esperava outro resultado, mas a expulsão do nosso centroavante logo cedo, foi de lascar. Aquela expulsão deve ter sido recorde mundial, digna do Guiness, ou alguem já ouviu falar de outra mais rápida? Jancarlos já deu o que tinha de dar. Além do Neguete, achei que o Vinícius Santos não foi mal e o Diego Renan foi bem. Por que Adílson Baptista não entrou com Bernardo e Dudu? Mais uma derrota com lambança de goleiro. Na última vez que isto aconteceu, ficaram 12 jogos sem vencer. Nossa vingança será malígrina.” (Walterson Almeida, torcedor)
  • “Não é questão de o Paulo estar apitando. Ele é um excelente árbitro, estava em cima, a gente tem que respeitar a decisão dele, mas muda muita coisa. Desmontou o objetivo. A equipe teve um comportamento bom, tocou bem a bola, tentou rodar, tentou marcar, tentou sair rápido mas é difícil jogar com um a menos. Quero agradecer aos meninos pela tranquilidade e pela qualidade. Viemos de uma maratona, usamos três jogadores fora das melhores condições, principalmente o Athirson, e os atletas que viajaram, Fabinho Alves e Elicarlos, estão desgastados. É o preço que se paga por jogar no Cruzeiro. Nosso objetivo é na quarta-feira, e voltaremos a ter as dificuldades deste domingo até o jogo contra o Corinthians. O Cruzeiro só entra no Brasileiro depois.” (Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro)
  • “Foi um jogo em que a gente saiu prejudicado logo no início. Não vi o lance, não sei o que aconteceu, mas perdemos um jogador nos primeiros segundos. Tivemos de mudar a nossa estratégia, tentamos duas ou três vezes, e poderíamos até ter saído com a vitória se tivéssemos acertado a finalização. A torcida está de parabéns, pois nos incentivou e nos apoiou, gritando “olé”. Agora vamos pensar somente na Libertadores. Não esperava jogar 90 minutos. Como tivemos alguns problemas, tive que jogar. O time está em duas competições, às vezes não tem muito tempo para trabalhar com um grupo misto, mas estão todos de parabéns. É normal poupar jogadores na fase final da Libertadores, Adilson Batista teve que poupar por lesão ou cansaço. O resultado não veio, mas tem o lado positivo também. Jogadores que não estavam tendo muitas oportunidades podem voltar a aparecer.” (Athirson, meia do Cruzeiro)
  • “O Athirson tocou a bola pra mim, eu escorreguei e, no momento em que fui tentar recuperar a bola, meu braço bateu no rosto do Renan. Pedi desculpas a ele, mas o árbitro entendeu que tinha sido uma agressão. Peço desculpas aos meus companheiros e aos torcedores que compareceram para apoiar. É difícil passar por isso num clássico. Tenho que levantar a cabeça e tentar superar. Vai ser um dia marcante na minha vida e para os meus familiares que estão aqui.” (Zé Carlos, centroavante do Cruzeiro)
  • “Infelizmente, nossa equipe desmoronou com o 1º gol. Continuamos lutando até o final, mas não conseguimos reverter o placar. O importante é não desistir nunca e foi isto que fizemos.” (Neguete, beque do Cruzeiro)
  • “Quem pensa assim [que o jogo foi fácil, pois o rival tinha um catadão de reservas e juvenis] , só olha para o pé. Eu olho pra frente e sei que essa vitória é importante para o que estamos planejando no Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro, principalmente na frente, tem jogadores que seriam titulares em qualquer equipe, como o Thiago Ribeiro. E os meninos que entraram também são qualificados. Acho que temos de valorizar muito essa vitória. Ainda mais porque conseguimos voltar à liderança do campeonato. Foi um bom jogo, o Atlético se portou bem. O Cruzeiro teve o problema da expulsão, que foi justa. Depois disso, o Atlético encontrou dificuldades, se assustou um pouquinho. Uma expulsão aos sete segundos deixa as duas equipes atordoadas e, normalmente, a que fica com um a menos reage antes. Nós demoramos um pouquinho, depois entramos no jogo. Se não ficássemos tão abismados com o que aconteceu no início da partida, poderíamos ter feito 3×0 já no 1º tempo e, aí sim, poderia ter sido uma catástrofe pro Cruzeiro. A gente montou todo um esquema de trabalho em cima de uma mecânica de treinamento que fizemos. Tínhamos que dar um tempo para ver a reação do time. Mas foi um jogo de um time só, com todo respeito ao Cruzeiro. O Atlético está de parabéns pelo resultado e, se tivesse forçado, poderia conseguir alguma coisa a mais.” (Celso Roth, treinador do Atlético-MG)
  • “Estávamos buscando o 1º lugar na tabela de novo. Nossa equipe é assim: tem muita raça e humildade. O trabalho está sendo bem feito graças ao Celso Roth. Ele tem dado tranquilidade não só pra mim como para todos os jogadores que estão voltando de contusão. Fico muito feliz de termos saído com os três pontos. Foi uma alegria total. Estava no banco, querendo uma oportunidade. Graças a Deus ela veio e eu consegui ajudar a equipe. Mantive o mesmo ritmo do grupo e saímos de campo com a vitória.” (Serginho, volante do Atlético-MG)
  • “É para compensar as humilhações que eu passei lá. Fui cortado dentro do ônibus. O gol foi uma resposta.” (Alessandro, centroavante reserva por onde passa)

Atuações

  • Adílson Baptista – Escalou um monte de jogadores sem condição física e preguiçosos. Como castigo, ficou sem ficando sem opção para todas as mexidas que precisaria ter feito para dar alma a um time desinteressado é Campeonato Brasileiro.
  • Torcida – Ao contrário do time-baba que Adílson escalou, fez sua parte. Calou a torcida emplumada mesmo quando estava perdendo a partida.
  • Andrey – Boas defesas, algumas saídas em falso e uma defesa com o peito que resultou no 3º gol emplumado.
  • Jancarlos – Lento, marcou mal e não conseguiu atacar. Que fase!
  • Neguete – Sério, tranqüilo, não se intimidou com os freqüentes ataques emplumados. Rebateu, com os pés e com a cabeça, o que pôde. O melhor do Cruzeiro.
  • Anderson Beraldo – Entrou, quando a vaca já havia ido para o brejo, pra fazer a sobra na bequeira e evitar um vexame maior. No 3º gol, fosse mais esperto, teria rebatido a bola que foi mansamente para as redes passando bem adiante de seu nariz.
  • Vinícius Santos – Inferior a Neguete, mas não comprometeu. No final, deslocado para a esquerda, andou desarmando o ataque emplumado diversas vezes.
  • Diego Renan – Tem personalidade, Buscou o ataque pela esquerda, criou uma bela jogada, que Fabinho Alves cabeceou pra fora. Sua atuação, contudo, ficou manchada pelos lances que resultaram nos dois primeiros gols, ambos pelo seu setor de marcação.
  • Elicarlos – Lutador, mas pouco efetivo no apoio ao ataque.
  • Fabrício – Lutador, mas com preparo físico inadequado para um clássico. Não conseguiu despachar a bola que ficou à disposição para o cabeça-de-bagre Alessandro marcar o 2º gol sem qualquer esforço. Por falta de fôlego também não apoiou o ataque.
  • Fabinho Alves – Perdeu a única chance de gol criada pelo time. Também foi discreto na defesa. Saiu machucado.
  • Anderson Anderson Uchôa – Jogou pouco tempo e não comprometeu.
  • Athirson – Quando está fisicamente bem, tem fôlego pra um tempo. Vindo de contusão, como hoje, não aguenat jogar 15 minutos. Resumo: não marcou, não armou, não ajudou Ribeiro no ataque. Sua escalação foi o maior vacilo dos muitos que Adílson Baptista cometeu nesta partida.
  • Thiago Ribeiro – Sozinho no ataque, não levou uma vantagem sequer sobre a defesa emplumada.
  • Zé Carlos – Deu uma cotovelada, que Renan conseguiu defender com o braço e, não satisfeito, ato contínuo, deu um soco no volante emplumado. Duas molecagens que Paulo César de Oliveira, em cima do lance viu e expulsou. Isto aos 10 segundos de jogo. Foi o maior responsável pela derrota do Cruzeiro.
  • Wanderley dos Santos – Entrou pra dar pancadas. Acertou Welton Felipe no ar e pisou no tornozelo de Werley. E só. Pelo conjunto da obra, levou somente um cartão amarelo.
  • Juiz & Bandeiras – Paulo César de Oliveira acertou ao expulsar Zé Carlos, mas errou ao poupar Marcos Rocha que, tendo um cartão amarelo no lombo, parou Elicarlos com falta num contra-ataque. Era caso pra outro amarelo. E o jogo ainda estava 0×0. A bandeira Janette errou ao marcar impedimento inexistente do ataque emplumado. O outro bandeira não errou.
  • Adversários – Percebendo que, mesmo com um jogador a mais seu time não conseguia abrir espaços, Celso Roth colocou um 3º atacante e venceu a partida abrindo a defesa celeste. A seu favor, teve o fato encontrar um Cruzeiro cheio de jogadores baleados e preguiçosos, que não poderiam fechar todos os espaços em campo. Jonílson com seu futebol elementar foi importante no controle do meio de campo. E Feltri arriscou jogadas pela esquerda contra o fraco Jancarlos.

Fonte