Cruzeiro 0x2 São Paulo - 03/11/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Prudente.png 0x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Vitória.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro 2010
Escudo Prudente.png 0x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Vitória.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Parque do Sabiá
Escudo Cruzeiro.png 3x4 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Uberlândia.png 0x3 Escudo Cruzeiro.png
Contra São Paulo
Escudo São Paulo.png 2x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo São Paulo.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
0 × 2 Escudo São Paulo.png
São Paulo
33ª rodada do Campeonato Brasileiro 2010
Data: 3 de novembro de 2010 Local: Uberlândia, MG
Horário: 21:50 Estádio: Parque do Sabiá
Árbitro: Nielson Nogueira Dias Público pagante: 25.694
Assistente 1: Roberto Braatz Público presente: Não disponível
Assistente 2: Ubirajara Ferraz Jota Renda: R$ 486.445,00 R$ 486.445 <br />Cr$ 486.445 <br />NCr$ 486.445 <br />Cz$ 486.445 <br />NCz$ 486.445 <br /> (preço médio: R$ 18,93 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: São Paulo:

1. Fábio 1. Rogério Ceni Gol aos do P
2. Jonathan Substituição realizada de jogo ( 18. Farías ) 2. Jean
3. Edcarlos 3. Alex Silva
4. Léo 5. Miranda
5. Fabrício Cartão amarelo recebido aos  (1) 20. Richarlyson
6. Diego Renan 18. Rodrigo Souto
7. Gilberto Cartão amarelo recebido aos  (1) Substituição realizada de jogo ( 17. Roger ) 31. Carlinhos Paraíba Cartão amarelo recebido aos
8. Henrique 37. Lucas Gol aos do Substituição realizada de jogo ( 16. Marlos )
9. Robert Substituição realizada de jogo ( 16. Wallyson ) 15. Fernandão Substituição realizada de jogo ( 14. Renato Silva )
10. Montillo 25. Dagoberto Substituição realizada de jogo ( 8. Cléber Santana )
11. Thiago Ribeiro 99. Ricardo Oliveira
Técnico: Cuca Técnico: Paulo César Carpegiani
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: São Paulo:
12. Rafael 27. Diogo
13. Rômulo 29. Casemiro
14. Gil 33. Dênis
15. Fabinho Alves 77. Ilsinho

Pré-Jogo

Em 2º lugar com 57 pontos, O Cruzeiro pode assumir a liderança se vencer. Perdendo, pode cair para o 3º posto.

Cuca terá quatro desfalques. Wellington Paulista está contundido. Jonathan, com dores no púbis e nas pernas, fica no banco. Cláudio Caçapa está fora do campeonato devido a uma lesão no joelho. Suspenso, Marquinhos Paraná também fica fora da partida.

Entre Rafael Monteiro, Jonathan, Gil, Pablo, Fabinho Alves, Francisco Everton, Roger Galera, Wallyson e Ernesto Farías, ele escolherá os sete que ficarão no banco.

Em 7º lugar com 47 pontos, o São Paulo pode avançar dus posições se vencer ou recuar até três caso perca.

Paulo César Carpeggiani não tem problemas para escalar sua equipe, que contará com dois meias ofensivos e dois atacantes em ótima fase. Denis, Ilsinho, Renato Silva, Diogo, Casemiro, Cleber Santana e Marlos ficarão no banco são-paulino.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 1' Começa o primeiro tempo
  • 1' O São Paulo começa trocando passes no campo de ataque, mas Fabrício chega na marcação e o time da casa ganha arremesso lateral
  • 2' Montillo recebe a bola na direita, Carlinhos Paraíba chega na marcação e manda para escanteio
  • 2' O time paulista sai no contra-ataque rápido e o impedimento é marcado
  • 3' Diego Renan recebe passe de Gilberto, passa por Alex Silva e é derrubado pelo zagueiro
  • 4' Montillo levanta a bola para a área, a defesa rebate para trás e o Cruzeiro ganha escanteio
  • 4' O tiro de canto é cobrado para o meio da área e a defesa rebate, afastando o perigo
  • 5' Lucas aparece na direita com perigo e Diego Renan chega com precisão para recuperar a bola
  • 6' Dagoberto toca na entrada da área para Lucas, que é derrubado e o árbitro marca falta que pode levar muito perigo
  • 7' Rogério Ceni vem para a cobrança da falta
  • 8' O goleiro são paulino cobra mal e acerta a barreira. O Cruzeiro não consegue dar sequência e Rogério Ceni retorna para o gol
  • 9' Diego Renan disputa bola com Lucas e o São Paulo fica com o arremesso manual
  • 10' Gilberto toca mal para Robert e a defesa do time paulista consegue rebater
  • 11' Montillo recebe a bola na direita, puxa para a perna esquerda e cruza direto pela linha de fundo
  • 12' Diego Renan lança no ataque para Robert, Alex Silva chega na frente e sai jogando
  • 13' Gilberto toca para Montillo, que é desarmado na entrada da área. Gilberto pega a sobra e chuta forte, à esquerda do gol
  • 14' Início de jogo equilibrado em Uberlândia. O Cruzeiro tem mais posse de bola, mas esbarra na boa marcação do time paulista
  • 15' Thiago Ribeiro cruza para a área, a bola desvia na marcação e sai pela linha de fundo
  • 15' Robert fica com a bola na lateral esquerda, cruza para a área e Alex silva tira de cabeça
  • 16' Apesar da formação ofensiva, o São Paulo joga no campo de defesa para explorar os contra-ataques
  • 17' QUASE!!! Thiago Ribeiro cruza rasteiro para o meio da área, Robert desvia de letra e a bola passa perto da trave esquerda
  • 18' O time mineiro segue com a bola no campo de ataque
  • 19' Montillo tenta um grande passe na área para Robert e Rogério Ceni sai para fazer a defesa
  • 20' Dagoberto rola na esquerda para a passagem de Richarlyson e Thiago Ribeiro aparece no campo de defesa para recuperar a bola
  • 21' Ricardo Oliveira recebe grande passe na área e Léo chega de carrinho para travar na hora da finalização
  • 22' Dagoberto cobra escanteio na segunda trave, Fernandão sobe de cabeça, a bola em Diego Renan e sai pela linha de fundo
  • 23' O tiro de canto é cobrado e Fabrício tira de cabeça
  • 24' Fabrício toca por cobertura para Robert, que é flagrado em posição de impedimento
  • 25' Ricardo Oliveira toca para Dagoberto nas costas da defesa e Fábio chega primeiro para fazer a defesa
  • 26' Boa tabela de Jonathan com Henrique, o lateral chega no fundo, cruza rasteiro e Robert não consegue finalizar
  • 27' O Cruzeiro volta para o ataque e ganha outro tiro de canto pelo lado direito
  • 28' Montillo cobra o escanteio, Robert e Edcarlos se atrapalham na hora de cabecear e a bola sai à direita do gol
  • 29' Ricardo Oliveira gira com a bola, passa no meio de dois marcadores e recebe falta
  • 30' NÃO VALEU!!! Dagoberto levanta a bola para a área, Alex Silva sobe de cabeça e manda para o fundo do gol, mas o auxiliar já marcava posição irregular do zagueiro são paulino
  • 31' Lucas arrisca de fora da área, a bola sobe demais e passa longe do gol
  • 32' O Cruzeiro erra muitos passes e o São Paulo cresce na partida
  • 33' Gilberto estica a bola na ponta esquerda para Diego Renan, mas Alex Silva chega na frente e chuta para o lado
  • 34' Fabrício comete falta em Lucas e recebe cartão amarelo
  • 35' Thiago Ribeiro arrisca para o gol do bico direito da área e Rogério Ceni faz a defesa em dois tempos
  • 36' Ricardo Oliveira tenta passar pela marcação de Edcarlos e o zagueiro do Cruzeiro desvia pela linha de fundo
  • 36' Impedimento! Após a cobrança de escanteio, a bola sobra para Ricardo Oliveira dentro da área e a posição irregular do atacante é marcada
  • 37' Jogo bem disputado em Uberlândia. As equipes tem dificuldades para criar chances reais de gol
  • 38' Dagoberto chega no contra-ataque, chuta forte e a bola explode em Edcarlos
  • 39' BOA CHANCE!!! Thiago Ribeiro recebe passe na área, chuta forte para o gol e Rogério Ceni bem colocado faz a defesa
  • 40' A equipe paulista volta sempre com rapidez para o campo de defesa e o Cruzeiro fica sem espaços
  • 41' Jonathan chega na linha de fundo, cruza, a bola desvia na zaga e é rebatida na sequência
  • 43' SALVA EDCARLOS!!! Dagoberto recebe a bola com liberdade na área, toca por cobertura na saída de Fábio e Edcarlos evita o gol quase em cima da linha
  • 43' Gilberto comete falta dura e recebe cartão amarelo
  • 44' O técnico Carpegiani discute com o árbitro. Lucas está caído no gramado após a falta
  • 45' Teremos um minuto de acréscimo
  • 45' Jonathan desce em velocidade pela direita, cruza e a defesa do time paulista rebate mais uma bola
  • 46' Termina o primeiro tempo

Segundo Tempo

  • 1' Começa o segundo tempo
  • 1' Jonathan leva a bola para a linha de fundo e cruza nas mãos de Rogério Ceni
  • 2' Dagoberto aparece pela direita, cruza para a área e Léo afasta
  • 2' Richarlyson chega pela esquerda, bate rasteiro para o gol e Fábio faz a defesa
  • 3' Fernandão toca com a mão na bola e o árbitro marca falta no meio de campo
  • 4' Robert cruza rasteiro para a área, Rodrigo Souto rebate muito mal e manda pela linha de fundo
  • 4' Montillo cobra o escanteio e Rogério Ceni tira de soco. Fabrício pega a sobra fora da área e chuta à esquerda do gol
  • 5' Ricardo Oliveira é derrubado por Léo na intermediária e o lance pode levar perigo
  • 6' Alex Silva aparece livre na área, e mais uma vez é flagrado em posição de impedimento
  • 7' GOL DO SÃO PAULO!!! Lucas faz grande jogada individual, passa por dois marcadores, tabela com Dagoberto, recebe na área, passa pelo goleiro Fábio e manda para o fundo do gol. Golaço do São Paulo em Uberlândia
  • 8' O time paulista explora bem o contra-ataque e em jogada individual de Lucas abre o placar no Parque do Sabiá
  • 9' Jonathan perde a bola no campo de ataque e comete falta em Carlinhos Paraíba
  • 10' O time mineiro segue cometendo muitos erros de passe
  • 11' Thiago Ribeiro recebe a bola na linha de fundo e ganha escanteio
  • 12' Montillo cobra curto, recebe de volta, lança para a área e o impedimento é marcado
  • 13' Thiago Ribeiro chuta de fora da área, a bola amortece na defesa e Alex Silva recebe falta de Robert na sequência
  • 14' Montillo leva a bola para a linha de fundo, cruza com perigo e Rogério Ceni se estica para defender
  • 15' Ricardo Oliveira passa pela marcação de Léo, entra na área e rola errado para o meio. Na sequência ele comete falta
  • 16' Gilberto gira com a bola e é derrubado por Alex Silva próximo a área
  • 17' Montillo bate colocado e Rogério Ceni segura firme no canto esquerdo
  • 18' Thiago Ribeiro recebe passe de Gilberto e o auxiliar aponta posição de impedimento
  • 19' Carlinhos Paraíba chuta de fora da área e manda a bola muito longe do gol de Fábio
  • 20' SALVA ROGÉRIO CENI!!! Fabrício solta uma bomba da entrada da área e Rogério Ceni espalma pela linha de fundo
  • 20' QUASE!!! Rogério Ceni sai do gol e afasta mal a bola, ela fica com Léo, que chuta para o gol e Fernandão evita o empate
  • 21' Miranda comete falta em Thiago Ribeiro e recebe o cartão amarelo
  • 22' Edcarlos fica com a bola na ponta esquerda, cruza para a área e Rogério Ceni segura na pequena área
  • 23' Substituição no Cruzeiro. Sai Gilberto, entra Roger
  • 24' Montillo toca na ponta direita para Jonathan e o árbitro marca impedimento do lateral
  • 26' Montillo levanta a bola para a área, a zaga rebate, Thiago Ribeiro pega a sobra e chuta completamente errado, longe do gol
  • 26' Substituição no São Paulo. Sai Fernandão, entra Renato Silva
  • 27' Dagoberto cobra escanteio para a área e a defesa do Cruzeiro rebate
  • 28' Boa tabela de Thiago Ribeiro com Montillo e Richarlyson chega de carrinho para mandar pela linha de fundo
  • 29' Montillo cruza, a bola resvala em Richarlyson e fica para Rogério Ceni fazer a defesa
  • 29' Rogério Ceni sai da área para interceptar passe, quase se atrapalha, mas consegue afastar
  • 30' Léo comete falta em Lucas e o São Paulo tem uma falta perigosa a seu favor
  • 31' Rogério Ceni cobra a falta e manda por cima do gol
  • 32' Carlinhos Paraíba comete falta em Henrique e é punido com cartão amarelo
  • 32' Substituição no São Paulo. Sai Lucas, entra Marlos
  • 33' PÊNALTI PARA O SÃO PAULO!!! Ricardo Oliveira é derrubado por Edcarlos fora da área, mas o árbitro entende que foi em cima da linha e marca penalidade para o São Paulo
  • 34' Rogério Ceni se prepara para a cobrança
  • 35' GOL DO SÃO PAULO!!! Rogério Ceni cobra no alto do canto esquerdo e amplia o placar para o time paulista
  • 36' Diego Renan chega na ponta esquerda e recebe falta de Renato Silva
  • 37' PARA FORA!!! Montillo cobra na primeira trave, a bola é desviada de cabeça para o gol e bate na rede pelo lado de fora
  • 38' ROGÉRIO CENI!!! Após cabeçada no ângulo esquerdo, Rogério Ceni se estica e manda a bola pela linha de fundo
  • 39' Henrique chega na marcação de Richarlyson e comete falta na lateral da área
  • 40' Dagoberto cruza na cabeça de Renato Silva, que manda para o chão e Fábio faz a defesa
  • 41' Substituição no Cruzeiro. Sai Robert, entra Wallyson
  • 42' Montillo cobra escanteio, a defesa rebate, Henrique pega a sobra e toca para o argentino, que está impedido
  • 43' Substituição no São Paulo. Sai Dagoberto, entra Cléber Santana
  • 44' O São Paulo está perto de garantir a vitória fora de casa e segue na briga por vaga no G4
  • 45' Teremos três minutos de acréscimo
  • 46' Ricardo Oliveira protege a bola na lateral de campo e recebe falta de Léo
  • 47' O Cruzeiro tenta diminuir e o São Paulo se fecha na defesa
  • 48' Fim de jogo em Uberlândia

Vídeos

Melhores momentos

Atuações

  • Fábio – Sem culpa nos gols. (Síndico)
  • Jonathan - Atacou muito mas suas jogadas foram todas previsíveis. Faltou o mínimo de inspiração pra achar uma idéia que furasse o sólido bloqueio defensivo paulista. (Matheus Penido)
  • Leo Simões - A camisa azul-estrelada lhe caiu bem. Virou xerife. (Síndico) / O melhor do time. Teve trabalho de sobra com os muitos e bons atacantes lançados pelo SPFC e cumpriu bem sua missão . Inclusive salvando um gol certo no primeiro tempo ao bloquear um chute de Ricardo Oliveira que ia pro gol. Nem o pênalti marcado pelo árbitro sobre o mesmo Oliveira lhe tira pontos, afinal só Sua Senhoria conseguiu enxergar aquela infração. (Matheus Penido)
  • Edcarlos - Muito criticado pelo comentarista do PFC e por boa parte da torcida, parece ser um dos que está recebendo a conta pelo mau momento do time. Não conferi ainda mas sua cabeça já deve estar sendo pedida à exaustão nos programas esportivos de Beagá. Apesar disso, não teve a atuação desastrosa que muitos enxergaram e até salvou um gol no primeiro tempo. Estava mau posicionado no primeiro gol, é verdade, mas é bom lembrar que o Cruzeiro já tomava esse tipo de gol com toques curtos dentro da área a exaustão no primeiro semestre, quando o becão de confiança do Cuca nem tinha aportado ainda na Toca da Raposa. (Matheus Penido)
  • Diego Renan - Mais preso na defesa, fez bom primeiro tempo. Quando resolveu atacar mais caiu de produção mas ainda assim esteve acima da média do time. (Matheus Penido)
  • Henrique – Outro que não tem medo de fama nem de cara feia. Joga sempre no limite. Brigou contra um meio de campo mais congestionado e mais hábil do São Paulo e não se perdeu mesmo nos momentos mais difíceis. (Síndico) / Ao lado de Léo Simões, o melhor do time. Mais pela garra habitual que por qualquer outra coisa. (Matheus Penido)
  • Fabrício - Sem a presença de Marquinhos Paraná acaba muitas vezes sem ter pra quem tocar na dificuldade e acaba perdendo bolas bobas. Ontem deu algumas mostras de insegurança no comando do meio campo e não encontrou inspiração pra atacar o SPFC. Mas mostrou a garra e disposição de sempre. (Matheus Penido)
  • Montillo - Tentou de todos os modos mas não conseguiu escapar da marcação são paulina. Agora que está manjado pelos adversários e aparentemente recebendo a conta de uma temporada de esforço físico, não seria melhor ter mais campo pra se movimentar e volantes que o dão liberdade ao invés de um outro meia técnico mas estático pra dividir o espaço? (Matheus Penido)
  • Gilberto - Com a bola no pé a categoria de sempre, embora também não tenha resolvido. Sem ela não se movimenta e não volta pra fechar na marcação o que torna o time mais previsível e menos compacto. Evidentemente isso não é culpa dele que é bom jogador e todo mundo já sabe qual é seu estilo de jogo. Cabe ao treinador decidir se opta pelo talento do veterano ou por um meio de campo mais versátil. (Matheus Penido)
  • Roger Galera - Que eu me lembre deu apenas uma furada dentro da área digna de registro, fora isso foi outro que nem incomodou os paulistas. (Matheus Penido)
  • Thiago Ribeiro - Muita correria, pouca produção. Faltou mais capricho nas conclusões e também um centroavante melhor e mais esperto pra conferir seus cruzamentos. Não seria o caso então de tentar resolver a parada “no peito e na raça”? (Matheus Penido)
  • Robert - Fez alguma fumaça no começo mas apagou rapidinho e virou enfeite no meio dos beques paulistas. Se o Cruzeiro conseguir campeonar com um nove desses é caso pra se levantar a taça duas vezes. (Matheus Penido)
  • Ernesto Farías - Sem tempo e sem condição de fazer qualquer coisa útil. (Matheus Penido)
  • Wallyson - Cabeceou uma bola pra fora no último lance do Cruzeiro. Ficou nisso. (Matheus Penido)
  • Cuca - Confiante no talento dos dois meias manteve o esquema 4-2-2-2 que venceu o Prudente e se deu mal. Seu time, embora tenha tido provavelmente maior posse da bola (não cheguei a conferir), foi dominado na maior parte do tempo e só construiu jogadas óbvias. Fica com o mega- desafio de reinjetar força numa equipe que tem dado sinais de fraqueza pros próximos dois dificílimos jogos que definirão a sorte do time no campeonato em termos de título e também de Libertadores. Priroize a defesa, Sr. Stival, defesa, deixe os laterais contidos, remonte a linha de 3 volantes que é o setor mais confiável do Cruzeiro desde 2008 e dê liberdade pra Montillo e Thiago Ribeiro se movimentarem pelo campo de ataque e tentarem minar as defesas adversárias. Fora isso, reze pro contestado WP voltar logo, afinal ele não é uma Brastemp, mas já arrancando suspiros pela sua ausência em boa parte da galera celeste. (Matheus Penido)
  • Torcida – Perdeu o duelo para a adversária em presença e no grito. Aceitou a supremacia técncia do São Paulo como fato consumado. (Síndico) / Repetiu-se nas arquibancadas o domínio do SPFC dentro de campo. Pelo visto o talentoso Jonathan vai precisar rever em breve seus conceitos sobre Sete Lagoas e a Arena do Jacaré. (Matheus Penido)
  • Parque do Sabiá – É o melhor estádio de Minas. Se o time não pode jogar lá, não poderá em qualquer outro lugar. Se a torcida celeste perdeu a disputa para a tricolor, o problema é outro. Deve ser alvo de preocupação e estudos do Departamento de Marketing. (Matheus Penido)
  • Juiz & Bandeiras - Nielsen Nogueira Dias anulou bem o gol de Miranda e aplicou corretamente os cartões pros dois times. Mas jogou sua atuação e provavelmente seu ano de trabalho no lixo ao marcar um pênalti ridículo de Leo Simões em Ricardo Oliveira. Ajudou a decidir a partida em favor dos paulistas, embora verdade seja dita, o Cruzeiro não deu em momento algum a menor pinta de que reverteria o resultado. O que não diminui a gravidade do erro do pernambucano. (Matheus Penido) / O Juiz marcou um pênalti absurdo num lance normal de jogo fora da área. Deu cartão amarelo desnecessário a Fabrício e não deu um merecido para Gilberto. (Síndico)
  • São Paulo - Inicialmente desacreditado o pardal Carpegiani deu nova vida ao até então desenxabido SPFC versão 2010. Méritos totais pra ele, ou melhor, méritos em parte, afinal esteja como estiver e com qualquer técnico o SPFC sempre surra o Cruzeiro em Campeonatos Brasileiros. Dentro de campo Ceni foi seguro e cobrou com decisão o pênalti, Alex Silva e Miranda foram soberanos na área, Fernandão, Dagoberto e Ricardo Oliveira foram muito bem também. Mas o astro da companhia foi mesmo o garoto Lucas que com talento e objetividade atazanou a defesa celeste, além de marcar um golaço. (Matheus Penido)

O que foi dito

  • André Kfouri, em seu blog: A vitória do São Paulo (2 x 0 no Cruzeiro: Lucas e Rogério Ceni – público ND no Parque do Sabiá), que teve maioria de torcedores no estádio em Uberlândia, interferiu na disputa do título. Obviamente não foi pênalti em Ricardo Oliveira.
  • Decio Lopes, em seu blog: O Cruzeiro bobeou e teve uma atuação apenas mediana. Como que jogou poderia até ter conseguido resultado melhor mas, sinceramente, parecia que era o São Paulo que brigava pelo título nacional. Pelo empenho, pela marcação forte, pela atenção nas bolas altas sobre a área… O pênalti, a meu ver mal marcado pela arbitragem, atrapalhou muito uma possível reação. Mas a equipe de Cuca não pode (nem deve) querer explicar esses pontos preciosos perdidos apenas por isso.
  • Juca Kfouri, em seu blog: Antes do clássico, Timão agradece ao São Paulo: Não fosse pelo ex-são-paulino Edcarlos e o São Paulo teria saído na frente do Cruzeiro, no Parque do Sabiá já no primeiro tempo. O jogo era equilibrado, o Cruzeiro mal conseguia escapar da boa marcação tricolor, Rogério Ceni era pouco exigido e o tricolor ameaçava em contra-ataques, até porque cumpria o que prometera, ou seja, também agredia em busca dos três pontos. E depois que Miranda teve um gol bem anulado por impedimento, Dagoberto cobriu Fábio mas Edcarlos chegou a tempo para salvar sobre a linha fatal. Mais ainda que o jogo do Beira-Rio, o 0 a o não agradava a ninguém. O segundo tempo começou mais aberto e, aso 7 minutos, Lucas, o ex-Marcelinho, fez 1 a 0 para o São Paulo, para alegria dos torcedores do Flu e do Corinthians. E dos atleticanos, é claro. Aos 15, Ricardo Oliveira perdeu a chance claríssima, em contra-ataque, de fazer ou dar o segundo gol ao São Paulo. E aos 20 Rogério salvou o empate dos pés de Fabrício, assim como Fernandão, na linha do gol, salvou o empate de Léo, depois que Rogério afastou mal a bola que veio do escanteio que ele causou na grande defesa. Pegava fogo em Uberlândia. Roger entrou no lugar de Gilberto, aos 24. Fernandão saiu entrou Renato Silva. Marlos também entrou, no lugar de Lucas. E Ricardo Oliveira sofreu falta fora da área mas o árbitro resolveu marcar dentro. Rogério Ceni bateu o pênalti e fez 2 a 0. Depois, ainda fez uma super-defesa. Sim, a síndrome de Cuca abalava o Parque do Sabiá. O Cruzeiro perdia a chance de assumir a liderança e perdia ainda a vice-liderança, para o Corinthians, no saldo de gols.
  • Marcelo Bechler, no blog do Lédio Carmona: O tabu é tricolor, o sinal de alerta é azul: O São Paulo com Fernandão, Lucas, Dagoberto e Ricardo Oliveira e o Cruzeiro com Gilberto, Montillo, Thiago Ribeiro e Robert prometiam fazer um jogo aberto. Paulo César Carpegiani não entendeu assim. Fechou o seu time com Carlinhos Paraíba e Rodrigo Souto à frente da defesa, uma linha com Lucas pela direita, Dagoberto por dentro e Fernandão pela esquerda. Ricardo Oliveira isolado.. O erro do time paulista foi deixar Fernandão na marcação de Jonathan. O cruzeirense levava a melhor e, com Dagoberto centralizado, Henrique o vigiava e o contragolpe não saia. Pela direita, o Cruzeiro chegava com Jonathan, mais Thiago Ribeiro e Montillo. A tentativa era a de chegar à linha de fundo e cruzar para Robert. Jogada que consagrou os zagueiros do Tricolor. No primeiro tempo, Dagoberto quase abriu o placar quando trocou de posição com Fernandão e apareceu nas costas de Jonathan para encobrir Fábio e Edcarlos salvar sobre a linha. No início da etapa final, Fernandão recua para armar no círculo central. A senha para Lucas e Dagoberto entrarem em diagonal e Lucas abrir o placar. Cuca não podia deixar seu time mais ofensivo, senão daria o contragolpe para o São Paulo. Tentou soltar mais Diego Renan, Jonathan virou ponta e Fabrício tentou ser meia. Não deu certo. Em jogada de Ricardo Oliveira, Léo coloca o braço no peito do atacante, fora da área. Choque não é sinal de falta. O lance foi normal e foi fora da área. Não foi por isso que o Cruzeiro perdeu. O São Paulo era soberano em campo e apenas o acaso de um lance fortuito poderia mudar o resultado. Rogério Ceni marcou seu sexto gol em Fábio, sua maior vítima. Sexto gol no Cruzeiro, o Palmeiras é quem mais levou gols do goleiro: sete. O São Paulo de Carpegiani, como foi dito neste espaço após a vitória sobre o Atlético-PR, é melhor. Venceu cinco dos seis jogos que fez sob o comando do treinador. Mais rápido, mais envolvente e mais solto. Segue o tabu: nas últimas 13 partidas entre as equipes pelo campeonato brasileiro, oito vitórias paulistas e cinco empates. Com três derrotas nas últimas quatro rodadas, o Cruzeiro precisa de 13 pontos nos últimos 15 para chegar aos 70 pontos – que Cuca acredita ser o suficiente para ser campeão. Um ponto atrás do Fluminense, a derrota não é uma tragédia, mas passa a oportunidade de ser líder a cinco rodadas do fim.
  • Vander Ribeiro no blog do Mário Marra: Se o Atlético desperdiçou ótima chance de sair da zona de rebaixamento, o Cruzeiro perdeu uma oportunidade de ouro. A equipe celeste enfrentaria o São Paulo e com a vitória, após o empate do Fluminense, assumiria a liderança isolada da competição. Sabendo o que deveria fazer, o Cruzeiro entrou em campo em busca da vitória. Cuca apostou no talento de Gilberto e Montillo e na velocidade de Thiago Ribeiro. A equipe celeste foi para cima do São Paulo. Aos 17 minutos Robert tentou finalização de letra. O São Paulo suportou a pressão inicial e apostava nos contra-ataques. A equipe tricolor anulou os pontos fortes do Cruzeiro. Montillo, Gilberto e Thiago Ribeiro não tiveram espaços para criar. Aos 30, após cobrança de falta, Miranda marcou. O zagueiro estava em posição de impedimento e o gol não foi confirmado pelo árbitro. O jogo seguiu disputado e o São Paulo ganhou território. Dagoberto, aos 43 minutos, com ótima finalização, encobriu o goleiro Fábio. Edcarlos salvou em cima da linha e evitou o gol são-paulino. Segundo Tempo: Em ótima jogada, o jovem são-paulino Lucas marcou um golaço. O jogador arrancou pelo meio, conduziu a bola até a entrada da grande área, tabelou com Dagoberto e recebeu de frente para o gol. Lucas ainda teve sangue frio para driblar o goleiro Fábio e marcar. O Lance foi muito rápido, a defesa do Cruzeiro poderia ter parado o jogador adversário com uma falta, mas se cometesse a infração, daria ao São Paulo uma ótima oportunidade de gol com a sempre perigosa bola parada de Rogério Ceni. A raposa resolveu correr o risco e o gol aconteceu. São Paulo 1 a 0. Aos 20 minutos veio a chance do empate: Após cobrança de escanteio a bola sobrou para Leo bater para o gol, mas Fernandão, em cima da linha, evitou o empate celeste. Aos 33 minutos, em um lance nitidamente fora da área, o árbitro marcou pênalti para o São Paulo. Na cobrança Fábio acertou o canto, mas a forte finalização de Rogério Ceni estufou a rede defendida pelo goleiro celeste. São Paulo 2 a 0. Com a derrota o Cruzeiro foi ultrapassado pelo Corinthians e caiu para a terceira posição na tabela. A equipe celeste soma 57 pontos, apenas um ponto atrás do líder Fluminense com 58. Já o São Paulo, com os três pontos conquistados, soma 50, ocupa a 7ª posição, cresce em um momento importante e segue na briga por uma vaga na Libertadores.
  • Leandro Mattos, em seu blog: Os estrelados foram prejudicados pelo árbitro pernambucano Nielson Nogueira Dias, que chancelou um pênalti inexistente de Leo em Ricardo Oliveira, quando o São Paulo vencia por 1 a 0, mas o erro grave não justifica, sozinho, o revés. Os 11 de Cuca têm sido menos regulares tecnicamente do que vinham sendo em rodadas anteriores. É uma queda de produção que preocupa no ‘sprint’ decisivo do Brasileiro e que precisa ser corrigida, mas nem de longe tira o Cruzeiro da briga pelo caneco. A contenda pela taça continuará franca até o final, entre celestes, tricolores cariocas e os alvinegros do Timão paulista. A prova é a tabela. O Flu lidera com apenas um ponto de frente em relação ao Corinthians e ao Cruzeiro, que têm os mesmos 57 pontos, mas o time de Tite leva a melhor no saldo de gols.
  • Vitor Birner, em seu blog: O Cruzeiro ganhou o reforço de Jonathan, voltando de lesão, que é muito superior ao Rômulo no apoio. Fábio, os zagueiros Leo e Edcarlos, o lateral esquerdo Diego Renan, os volantes Henrique e Fabrício, os meias Montillo e Gilberto, Thiago Ribeiro e Robert completaram o clássico 4-4-2 de Cuca. Carpegiani confirmou a escalação divulgada durante a semana, Rodrigo Souto e Carlinhos Paraíba foram os volantes, Lucas, Fernandão e Dagoberto os meias e Ricardo Oliveira o atacante do 4-2-3-1. Dois grandes treinadores!: Não espero que Cuca transforme Robert em Tostão nem que Carpegiani faça Dagoberto virar Raí. Quero ver times bem escalados e posicionados. E também devidamente orientados. Ambas as equipes têm virtudes e defeitos. O trabalho coletivo ajuda a diminuir os próprios erros e aproveitar os do rival. Cuca e Carpegiani fizeram isto. Volume ofensivo cruzeirense maior: O Cruzeiro jogou exatamente onde o São Paulo tem errado mais. Usou os 2 habilidosos meias para tentar achar epaço pelo meio, e Thiago Ribeiro aberto na direita, onde marca Richarlyson (antes que alguém apareça com xingamentos, lembro que o lado direito do ataque cruzeirense é o esquedo da defesa sãopaulina). Jonathan também apareceu bastante no apoio. Várias vezes a Raposa, ainda com apoio de Henrique, cruzou várias bolas por baixo. Miranda e Alex Silva quase sempre conseguiram a antecipação contra Robert. Quando não, estavam em cima da jogada e dificultaram a finalização. Alguns chutes da entrada área e outros dentro dela, na diagonal, deram trabalho ao Rogério Ceni. Na maior parte da etapa inicial, a Raposa levou a melhor no meio-campo. E isso deixou o Cruzeiro aparentemente mais perto de inaugurar o placar. Mas as melhores oportunidades foram do São Paulo: O São Paulo acertou a marcação mais a frente por volta dos 30 minutos. Começou a roubar algumas bolas no meio e a levar perigo. Teve ótima chance para fazer 1×0 antes do intervalo. Dagoberto na cara de fábio tentou encobrir o goleiro, poderia ter simplificado, e Edcarlos tirou antes da bola entrar. Gol de Miranda corretamente anulado. Árbitro erra feio ao não expulsar Gilberto.: Miranda, aos 30, de cabeça, balançou a rede. Roberto Braatz foi bem, anulou. Estava impedido. No fim do primeiro tempo, Gilberto deu carrinho e cravou as travas da chuteira pouco abaixo do joelho de Lucas. Pediu desculpas, falou que não teve intenção, levou cartão amarelo, mas era lance para vermelho. Ainda mais nos padrões da arbitragem no Brasil. Richarlyson, à caminho do vestiário, falou que se fosse ele ou o Kléber, o apitador daria vermelho. Acho que outros seriam punidos também. Contudo eles não escapariam. Estão marcados. São Paulo continua melhor no início dos segundo tempo: Lucas, Dagoberto e Ricardo Oliveira estão jogando bem. A atuação de Fernandão foi razoável. A boa marcação na frente deixou o jogo parecido com o final da etapa anterior. A dupla de zaga cruzeirense, ao contrário da sãopaulina, não pode encarar jogadores rápidos. Quando Lucas e Dagoberto conseguiram numa tabela superar a marcação dos volantes, Lucas ganhou na velocidade de Edcarlos e balançou a rede aos 7 minutos. O São Paulo ainda manteve cerca de 5 minutos de superioridade. Cruzeiro ataca. São Paulo no contragolpe.: O Cruzeiro, por necessidade, apertou a marcação, soltou mais Henrique para ajudar na criação e quase empatou. Fernandão salvou. Rogério Ceni também fez duas grandes defesas. Ricardo Oliveira, aos 14, quase conseguiu deixar Dagoberto em excelente condição para ampliar a vantagem. Obviamente não foi pênalti em Ricardo Oliveira: Pênalti ridículo. De volta ao tema. Eu acho ridículo marcar uma falta como a do lance do pênalti. Só aqui no Brasil. Isto não é futebol. Para completar, a “falta brasileira” aconteceu fora da área. Nielsen Nogueira Dias cometeu o segundo erro grave no jogo. Mudanças de atletas, táticas, mas não de andamento: Cuca, aos 25, trocou Gilberto por Roger, mudança técnica para melhorar a qualidade da criação. Carpegiani tirou Fernadão e mandou Renato Silva ao gramado. O Cruzeiro não conseguiu criar aquela chance realmente clara. Depois dos 40, por causa do desespero, Robert deu lugar a Wallyson e Jonathan ao centroavante Farias. Não ajudaram. O São Paulo manteve o bom trabalho defensivo e o contragolpe perigoso. Acabou atuando melhor que a equipe celeste, por isso venceu. Cruzeiro deve olhar o que não anda bem: Assisti, ao vivo, os jogos do Cruzeiro contra o Galo, Prudente e São Paulo, os 3 últimos do time. Para ganhar este brasileirão, não é preciso ser brilhante. Mas o Cruzeiro vai ter que jogar mais bola. Mal na primeira etapa contra o Atlético, na segunda diante do Prudente, e em parte do jogo dessa quarta, tem de melhorar já na próxima rodada. Montillo está sumindo, tal qual se dizia dele nos tempos de San Lorenzo. Ou alguém acha que ele foi atuar no Universidad de Chile, não na Europa, porque mostrava no time argentino o ótimo futebol desse ano na Libertadores pelos chilenos e desde a chegada ao Cruzeiro? Torcida sãopaulina divide o Parque do Sabiá: Vale ressaltar a boa presença da torcida do São Paulo. Segundo os repórteres, dividiu o estádio.
  • Edcarlos, beque do Cruzeiro: Não está nada decidido. Mesmo se tivéssemos vencido o São Paulo, não estaria decidido. Estamos a um ponto da liderança e temos que seguir com a mesma disposição para conseguir as vitórias. Fonte: Globo.com
  • Fabrício volante do Cruzeiro: O que é revoltante é que o Alex Silva tinha feito uma falta de jogo e não tomou cartão e depois o cara faz uma brincadeira, ao dar um pênalti daquele. Tivesse 1 a 0 a gente tinha condição de dar pressão e buscar o empate. Mas os caras trazem o árbitro do Nordeste, lá de Pernambuco, para apitar um jogo deste. Trás um Simon, um Gaciba (se aposentou na última semana), sei lá. Aí é sacanagem, ele vai aguentar pressão? Tudo vai dar para o São Paulo. Isso que é complicado. Fonte: Superesportes
  • Henrique, volante do Cruzeiro: No segundo tempo falhamos mesmo e tomamos o gol (primeiro). Aí a equipe se descontrolou. Na ansiedade de querer empatar e de ir logo para a primeira posição, falhamos nesse aspecto. Fonte: Globo.com
  • Gilberto, meia do Cruzeiro no seu Facebook: Andei pensando muito esta noite e cheguei a conclusão que vai ser f... ganhar este Brasileirão. Não que os times sejam melhores que o Cruzeiro. Mas tem cada homem de preto, verde, amarelo, azul, sei lá, fazendo cada besteira cara!!! O incrível é que, nesta reta final, os erros são todos contra o Cruzeiro. Não aguento (...)!
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: A gente sai triste, porque é mais uma chance que a gente deixa escapar de reassumir a liderança. Mas estamos em terceiro, um ponto atrás do primeiro. Continua embolado. Nosso time não jogou bem. A gente foi facilmente marcado pelo São Paulo, ainda demos espaços ao adversário, como no primeiro gol, quando eles marcaram depois de uma troca de passes. Não merecíamos a vitória pelo que nosso time apresentou. Temos que ser realistas. Quando jogamos bem para vencer, o resultado é merecido. A verdade é que o São Paulo mereceu a vitória. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Acabou aqui e eu estou muito consciente de tudo o que está ocorrendo, e não estou desesperado, porque confio no grupo que temos. Demos uma caída, é verdade, só que vamos daqui direto para a Bahia, em regime de concentração. Vamos seguir a nossa vida a um ponto do líder. Perdemos apenas um ponto. Como vamos dizer que está acabado. Estamos a um ponto do líder. Verdade que nos últimos três jogos somamos três pontos apenas, mas temos sido prejudicados. Não sou muito de ficar chorando, mas a arbitragem lá com o Grêmio e essa de hoje (quarta-feira) aqui, foram doídas. Você pode dizer que ele errou em um gol e então seria 1 x 0. Não sei. No 1 x 0, até o minuto 90 você vai se jogar para frente. Eu tinha duas trocas e elas seriam diferentes do que foram, porque com 1 x 0 você empata até no último lance. A gente estava muito melhor que o São Paulo, eles tinham tirado o gol em cima da linha e o homem tirou a chance de a gente empatar porque, além de ter errado, é teimoso. Isso não é admissível hoje, porque a gente viu outro dia num jogo em Sete Lagoas, e não cabe a mim discutir se está certo, um árbitro voltar atrás, porque o bandeira agiu. Foi um jogo muito igual. O detalhe é a individualidade no primeiro gol do São Paulo e a sorte que eles tiveram quando o Fernandão tirou uma bola em cima da linha. Se a bola entra, você vai buscar a vitória. Tem que ter equilíbrio e no domingo buscar força, mais um jogo dificílimo contra o Vitória-BA, buscar os três pontos, sem desespero. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Valdir Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro: Nós temos a informação que o bandeira perguntou para o árbitro se ele não sentiu o aparelho que ele carrega no braço tremer no momento em que foi marcada a falta. O bandeira viu que foi fora da área. Até o Rogério Ceni viu, do outro lado, e falou em entrevista. O árbitro não sentiu o aparelho tremer, mas o bandeira deveria ter corrido até ele e informado. Não há nenhum problema em relação a isso. Se o bandeira viu que a falta foi fora da área, ele tem obrigação de avisar imediatamente ao árbitro. O pênalti é uma falta capital. É a falta mais grave do jogo. Ele tem que avisar o árbitro que ele se equivocou. É melhor voltar atrás que de repente tirar um título de uma equipe por um erro simplesmente por teimosia. É uma situação complicada, porque colocam um árbitro sem nenhuma categoria para apitar um Cruzeiro x São Paulo. Aspirante é uma categoria que existe somente no Brasil, para ganhar voto. É a categoria política. Você não tem como colocar todo mundo na Fifa, aí pega esses ‘apitos de pau’ e colocam como aspirante. Está complicado, são erros consecutivos e graves. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Rogério Ceni, goleiro do São Paulo: Vou falar que, de onde eu estava, achei que tivesse sido fora da área. Estou certo? É, erros acontecem, assim como o juiz poderia ter expulsado o Gilberto, que não é violento, pela entrada dura que deu no Lucas no primeiro tempo. Fiquei surpreso com o pênalti, mas ele (Nielson Nogueira) estava contra a linha, sua visão poderia não ser tão boa. Os resultados não foram bons para a gente, o Botafogo ganhou, o Grêmio também... Mas vamos lá, vamos para a briga e ver o que é possível fazer. Estamos bem e já vamos pensar nesses pontos contra o Corinthians. Fonte: Globo.com
  • Alex Silva, beque do São Paulo: Este é o São Paulo que todo mundo gosta de ver. O time teve postura do começo ao fim, todos os jogadores correram e se ajudaram demais. Uma vitória como esta nos enche de motivação para o clássico de domingo. Fonte: Globo.com
  • Richarlyson, volante do São Paulo: No passado eu cobrava uma melhor participação dos atacantes, e hoje você vê todos correndo, ajudando muito a defesa. Com isso o time fica mais compacto, cresce e vai pra cima. Fonte: Globo.com
  • Dagoberto, atacante do São Paulo: Esta vitória dá mais moral ainda, temos um time focado que vem de bons jogos, está todo mundo de parabéns. Os números nos favorecem e estamos fazendo a nossa parte. Temos mais uma pedreira pela frente, não há muito tempo para comemorar. Ontem (quarta) ajudamos o São Paulo a subir, não pensamos nos outros, pensamos no nosso time. Agora este jogo é uma nova história, uma nova chance, e futebol é assim mesmo. Domingos temos a oportunidade de subir na tabela e este é o nosso objetivo. Fonte: Globo.com
  • Lucas, meia atacante do São Paulo: Eu não tenho medo de nada. Quanto mais me caçam, mais eu vou para cima. Estou muito feliz porque fiz um gol e pude ajudar a minha equipe. Foi o meu melhor jogo pelo São Paulo. Agora quero dar sequência no clássico contra o Corinthians. Precisamos da vitória e vamos com tudo. O Corinthians que se cuide. Eu estou muito feliz porque ainda tenho muito a mostrar. Foi uma jogada típica minha. Ameacei tocar para o Jean na direita, mas cortei para dentro e passou por dois marcadores. Fui para dentro, toquei para o Dagoberto, recebi na frente e fiquei cara a cara com o Fábio. Como ele fechou muito bem o canto, minha única alternativa era tentar dar o drible. Foi o que eu fiz. Foi um gol muito bonito e que abriu caminho para uma vitória muito importante. Fonte: Globo.com
  • Paulo Cesar Carpegiani, treinador do São Paulo: Desde o princípio até quando ele saiu, o Lucas fez a diferença. No primeiro tempo, foi o grande destaque. No segundo, fez uma grande jogada e marcou um belo gol. Só que depois ele afrouxou um pouco, pensou que era atacante e parou de fazer a composição defensiva. Mas ele está de parabéns. Enquanto esteve em campo, foi um fator de desequilíbrio. Fonte: Globo.com
  • Ricardo Oliveira, atacante do São Paulo: Não vou falar que foi pênalti, porque até eu mesmo vi depois que não foi, mas foi falta, só que no limite da grande área e o juiz acabou marcando. Nosso pensamento não é de atrapalhar o Corinthians, e sim de fazer bem nosso trabalho. Não queremos saber se estamos ajudando outro time e, agora, vamos enfrentar um adversário que também briga pelo título. Será um jogo diferente e vamos em busca da vitória, porque não resta alternativa. Não podemos pensar no título, a realidade é outra. Temos de olhar o terceiro lugar, ali na zona de Libertadores. Se ganharmos os jogos e chegarmos com possibilidade (de título), será então outra realidade. Fonte: Superesportes
  • Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo: A torcida maior era a do São Paulo. Tínhamos entre 60 e 70% em Minas Gerais, para vocês verem como o São Paulo extravasa as fronteiras. Fonte: Superesportes

Links e Fontes

Transmissão

  • Sportv