Cruzeiro 0x1 Corinthians - 16/10/2011

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Bahia.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x2 Escudo Atlético-GO.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Bahia.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x2 Escudo Atlético-GO.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Cruzeiro.png 3x3 Escudo São Paulo.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x2 Escudo Atlético-GO.png
Contra Corinthians
Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Corinthians.png 2x0 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
0 x 1 Escudo Corinthians.png
Corinthians
30ª rodada do Campeonato Brasileiro 2011
Data: 16 de outubro de 2011 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 16h Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Pablo dos Santos Alves Público pagante: 17.004
Assistente 1: Fabiano da Silva Ramires Público presente: Não disponível
Assistente 2: Fabrício Vilarinho da Silva Renda: R$ 189.185,00
R$ 189.185
Cr$ 189.185
NCr$ 189.185
Cz$ 189.185
NCz$ 189.185
(preço médio: R$ 11,13 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Corinthians:
1. Fábio 1. Julio Cesar
2. Vitor 2. Alessandro Cartão amarelo recebido aos
3. Léo 13. Paulo André
4. Victorino 4. Leandro Castan
5. Fabrício 5. Ralf
6. Everton Substituição realizada  de jogo ( 14. Diego Renan ) 33. Ramon Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 25. Wallace )
7. Marquinhos Paraná Cartão amarelo recebido aos 20. Danilo
8. Charles Substituição realizada  de jogo ( 15. Élber Pimentel ) 12. Alex
9. Keirrison Substituição realizada  de jogo ( 18. Anselmo Ramon ) 8. Paulinho Gol aos  do
10. Montillo 7. Willian Substituição realizada  de jogo ( 21. Edenilson )
11. Wellington Paulista Cartão amarelo recebido aos 9. Liedson Substituição realizada  de jogo ( 14. Ramírez )
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Tite
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Corinthians:


Pré-Jogo

Em 16º lugar com 31 pontos, o Cruzeiro pode terminar a rodada em 15º ou 17º lugar.

O treinador Vagner Mancini não poderá escalar o volante Leandro Guerreiro e os atacantes Wallyson e Bobô, contundidos.

Em 1º lugar com 51 pontos, o Corintias permanecer no G4 com qualquer resultado.

O treinador Tite não poderá escalar o lateral Fábio Santos, o meio-campista Morais e o atacante Emerson Sheik, contundidos, nem com o atacante Jorge Henrique, suspenso.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 15h54 – Times em campo com uniformes tradicionais.
  • 15h57 – Execução do Hino Nacional.
  • 15h59 – Torcida celeste grita homenagenado o filho de Montillo: “Guerreiro Santino, Guerreiro Santino!”
  • 16h – Torcida celeste canta: “Eu acredito! Eu acredito!”
  • 16h01 - Reservas do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Naldo, Diego Renan, Sandro Manoel, Elber, Anselmo Ramon, Ortigoza.
  • 16h02 – Começa o jogo. Cruzeiro, à direita das tribunas, dá a saída.
  • 01 – Keirrison disputa bola com Ramon no meio de campo e cai com a testa sangrando. O jogo para.
  • 01’30”- Jogadores do Cruzeiro pressionam Juiz, Ortigoza est;a no aquecimento.
  • 02 – Montillo avança pela direita e cruza. Wellington Paulista sobe mais que Paulo André e cabeceia. Bola passa por cima do travessão.
  • 03 – Keirrison volta ao gramado com uma touca.
  • 04 – Ao lado do time! Excelente presença da torcida celeste que ocupa 85% do estádio.
  • 05 – Alex, da entrada da área, chuta no canto esquerdo. Fábio faz a defesa.
  • 06 – Alessandro avança pela direita, mas é derrubado por Charles. Falta.
  • 07 – Alex cobra a falta. Liédson sobe sozinho e cabeceia. Bola passa perto do poste direito e sai pela linha de fundo.
  • 08 – Cruzeiro tenta se impor pela velocidade, Corintiãs pela força física.
  • 09 – Vítor lança Montillo na direita. Argentino domina a bola com o braço. Lance paralisado.
  • 10 – Victorino disputa Liedson na entrada da área celeste, leva carrinho do atacante. Falta.
  • 11 – Francisco Everton deixa muitos espaços pela esquerda. Marca à distância.
  • 12 – Paulo André desarma Keirrison na entrada da área e dá um chutão pro meio de campo.
  • 13 – Wellington Paulista dribla Paulo André, mas perde o equilíbrio e cai ao entrar na área.
  • 13’230”- Alex, da direita, cruza pra Liedson que está impedido na área.
  • 14 – Cruzeiro toca a bola na intermediária e tenta chegar ao gol do Corinthians pelo meio, sem sucesso.
  • 15 – Keirrison cruza da direita, Júlio Césr corta com os punhos pra escanteio.
  • 16 – Defesaça! Fabrício pega rebote na entrada da área e chuta rasteiro, no canto esquerdo. Júlio César estica-se todo e espalma a bola pra linha de fundo.
  • 16’30”- Montillo cobra escanteio pela direita, Leandro Castan corta de cabeça.
  • 17 – Wellington Paulista é lançado na meia direita, mas domina a bola com o braço. Juiz marca a falta.
  • 17’30”- Torcida celeste canta alto na Arena do Jacaré.
  • 18 – Willian recebe passe de Alex na entrada da área, chuta errado, bola passa longe do arco celeste.
  • 19 – Boca de bode! Cruzeiro tenta, mas não encontra espaços na lacrada defesa corintiana.
  • 20 – Desperdício! Montillo lança Francisco Everton na grande área, lateral cruza pra Keirrison, que, na pequena área, chuta por cima do travessão.
  • 21 – Paulinho recebe na ponta direita, tenta cruzar, mas Everton desviar bola pra lateral.
  • 22 – Fabrício recebe passe na ponta direita, tenta passar por Ramon e cai. Torcida cruzeirense pede o pênalti, Juiz manda seguir.
  • 23 – Amarelo! Marquinhos Paraná pressiona Juiz por falta marcada a favor do Corintiãs.
  • 24 – Francisco Everton avança pela esquerda, mas é seguro por Alex. Falta pro Cruzeiro.
  • 25 – Montillo cobra falta, defesa corintiana afasta a bola da área.
  • 26 – Jogo truncado, com marcação forte e muitas faltas.
  • 26’30”- Montillo cobra falta pela direita, Júlio César erra na tentativa de corte, mas Paulo André corta pra longe.
  • 27 – Francisco Everton avança pelo meio, mas é derrubado por Willian. Falta perigosa.
  • 28 – Willian comete falta em Francisco Everton a 15 metros da entrada da área.
  • 28’30”- Charles cobra a falta, bola bate na barreira. Corinthians fica com o rebote e parte pro ataque.
  • 29 – Willian recebe na esquerda, avança e, da entrada da área, chuta rasteiro. Fábio defende em dois tempos, no canto direito.
  • 30 – Ralf sai do gramado com a boca sangrando. Tite reclama da arbitragem.
  • 31 – Vítor avança pela direita, passa por dois marcadores e cruza. Júlio César defende em dois tempos.
  • 32 – Willian puxa contra-ataque pela esquerda e passa a Liedson, na grande área. Victorino corta e a bola vai à linha de fundo.
  • 33 – Defesaça! Alex cobra escanteio pela esquerda. Paulo André sobe mais que a bequeira celeste e cabeceia. Bola vai no canto direito, mas Fábio voa e, com a mão trocada, espalma pra escanteio.
  • 34 – Montillo avança pelo meio, mas é desarmado por Leandro Castan. Argentino cobra falta lançando Keirrison, que está impedido.
  • 35 – Irritado! Montillo avança pelo meio do ataque, perde a bola na entrada da área e reclama do posicionamento de Wellington Paulista, que estava atrás na jogada e não ofereceu alternativa pro passe.
  • 35’30” – Amarelo! Alessandro atropela Marquinhos Paraná com um carrinho.
  • 36 – Fabrício lança Montillo na grande área, mas o argentino chuta por cima do travessão. Bandeira pára o loance marcando impedimento.
  • 37 – Juiz para o jogo pros atletas beberem água.
  • 38 – Jogadores retornam ao gramado. Partida reiniciada.
  • 39 – Cruzeiro toca bola no meio de campo, mas não consegue chegar ao gol adversário.
  • 40 – Montillo avança pela direita e cruza. Bola passa pela área, Alex cede escanteio.
  • 41 – Alessandro e Francisco Everton dividem bola no lado esquerdo da defesa celeste. Cruzeirense leva a pior e fica caído.
  • 42 – Diego Renan começa aquecimento pra substituir Francisco Everton.
  • 43 – Troca! Francisco Everton, que sai na maca com dores no joelho direito, por Diego Renan.
  • 44 – Keirrison recebe passe na grande área, mas demora a chutar e perde a bola quando tenta o passe pra Montillo.
  • 45 – Montillo cobra o escanteio pela direita. Leo Simões sobe mais que a defesa e cabeceia no canto direito. Júlio César defende.
  • 46 – Defesaça! Liedson recebe passe na grande área e fica frente a frente com Fábio, que consegue espalmar salvamndo gol certo.
  • 47 – Vacilou! Keirrison recebe lançamento de Montillo entre os beques, entra na área, fica frente a frente com o goleiro, mas prefere cruzar pra Wellington Paulista desperdiçando a jogada, pois a defesa corta pra escanteio.
  • 48 – Alex avança pela esquerda, passa por Vítor e cruza. Fábio defende.
  • 49 – Fim de 1º tempo.

Segundo Tempo

  • 17h06 – Times voltam a campo.
  • 17h08 – Começa o 2º tempo.
  • 00 – Troca! Keirrison por Anselmo Ramon.
  • 01 – Após dividida com Ramon, o cadarço da chuteira de Vítor se rompe e ele tem de sair de campo pra trocar de chanca.
  • 02 – Alex pega rebote na entrada da área, passa pela marcação e arrisca chute rasteiro. A bola passa à esquerda de Fábio
  • 03 – Alessandro recebe passe na meia direita e tenta cruzamento para Liédson. Porém, o passe vai muito forte e sai pela linha de fundo
  • 04 – Corinthians começa com mais posse de bola na segunda etapa, mas tem dificuldade na saída de bola
  • 05 – Ralf pega rebote na entrada da área e arrisca chute. A bola sobra para Alex, mas o árbitro marca impedimento do armador
  • 06 – Wellington Paulista é lançado na ponta direita, tenta invadir a grande área, mas Leandro Castan chega e manda a bola para a linha de fundo
  • 07 – Vítor recebe passe de Fabrício na grande área e cruza, bola vai no primeiro poste, Júlio César faz a defesa.
  • 08 – Danilo, na entrada da área, passa a Liedson, que é desarmado por Vítor dentro da área.
  • 09 – Anselmo Ramon passa por Alessandro na entrada da área chuta. Bbola vai no canto direito do gol e Júlio César, que faz a defesa.
  • 10 – Montillo recebe passe na grande área, tenta o chute, mas é desarmado por Leandro Castan. Escanteio para o Cruzeiro pela direita
  • 11 – Corinthians toca a bola na intermediária e tenta chegar ao gol de Fábio
  • 12 – Alex cruza da esquerda, Liedson chega atrasado e não arremata.
  • 13 – Amarelo! Wellington Paulista tenta avanço pela direita, mas é derrubado por Ramon.
  • Falta perigosa para o time da casa e amarelo para o lateral corintiano
  • 14 – Montillo cobra falta da ponta direita. Leo Simões sobe mais que os beques e cabeceia. Bola sai à direita do gol de Júlio César.
  • 15 – Cruzeiro toca a bola na defesa e tenta encontrar espaços na marcação do Corinthians
  • 16 – Montillo é lançado na grande área. O goleiro Júlio César sai do gol e faz a defesa
  • 17 – Wellington Paulista derruba Leandro Castan inutilizando ataque celeste.
  • 18 – Liedson é lançado na grande área. Vítor chega e afasta o perigo para a linha lateral.
  • 18’30”- Diego Renan cruza da esquerda, Júlio César espalma pra escanteio.
  • 19 – Troca! Willian por Edenílson.
  • 20 – Gol! Willian recebe passe em diagonal de Edenílson na grande área, é combatido por Charles e Victorino, mas rola para Paulinho, que chuta no canto esquerdo de Fábio, sem chance de defesa. Corintiãs 1xo.
  • 21 – Cruzeiro tenta reagir em Sete Lagoas, mas não consegue chegar ao gol de Júlio César
  • 22 – Quase! Alex é lançado por Alessandro na grande área e cabeceia, livre, no canto direito. Bola sai à direita de Fábio.
  • 23 – Montillo avança pela meia direita, tenta passar por Leandro Castan, mas cai no gramado. O árbitro manda o jogo seguir
  • 24 – Montillo é lançado na grande área. Júlio César sai do gol e manda a bola para a linha de fundo
  • 25 – Troca! Ramon por Wallace.
  • 26 – Troca! Charles por Elber.
  • 27 – Cruzeiro pressiona em busca do empate. O Corinthians se fecha, tentando manter o placar.
  • Montillo cobra escanteio pela esquerda, Ralf cede outro escanteio.
  • 28 – Escanteios: Cruzeiro 11×2.
  • 29 – Montillo cruza da direita, Alessandro corta de cabeça, dentro da área.
  • 30 – Anselmo Ramon pega rebote na linha de fundo, tenta passar por Alessandro, mas o lateral manda a bola para escanteio.
  • 31 – Elber cruza da direita, Júlio César corta com os punhos.
  • 31’30”- Montillo cruza da esquerda, Wellington Paulista comete falta em Paulo André.
  • 32 – Alex passa de calcanhar a Paulinho, Fábio fica com a bola.
  • 32’30”- Pênalti! Montillo cruza bola da ponta esquerda, Elber tenta o cabeceio, mas é deslocado pelas costas por Edenílson, com um empurrão.
  • 33 – Jogadores do Corintiãs pressionam o Juiz, que mantém siuua decisão. Montillo apanha a bola pra cobrança.
  • 34 – Desperdício! Montillo bate a penalidade por cima do travessão. Bateu um tiro de meta!
  • 35 – Expulso! Tite reclama da arbitragem e é expulso de campo. O treinador reclama da marcação da penalidade, perdida por Montillo.
  • 36 – Troca! Liedson por Ramírez.
  • 37 – Time celeste não se entrega. Continua lutando. Torcida não vaia apesar da decepção.
  • 38 – Corinthians toca a bola no campo de ataque, mas tem dificuldades em chutar ao gol de Fábio
  • 39 – Diego Renan cruza para a área. Wellington Paulista tenta chutar, mas o árbitro já marcava impedimento
  • 40 – Alessandro tenta invadir a área celeste pela direita, mas é desarmado por Victorino.
  • 41 – Vítor cruza da direita, bola sai pela linha de fundo.
  • 42 – Alex invade a área celeste e solta uma bomba, cruzada, que passa rente ao poste esquerdo.
  • 43 – Defesaça! Wellington Paulista recebe passe na grande área e cruza. Anselmo Ramon sobe mais que a marcação e cabeceia. O goleiro corintiano salva a equipe.
  • 44 – Amarelo! Wellington Paulista se desentende com o goleiro Júlio César .
  • 45 –Melhores em campo, segundo o Portal UOL: Leandro Castan, que venceu todas as disputas com Montillo e Julio Cesar, que fez grandes defesas, impedindo o empate do Cruzeiro no fim.
  • 45’30” – Piores em campo, segundo o Portal UOL: Keirrison, que esteve sumido em campo e, na grande chance que teve, chutou por cima do travessão e Montillo, que chutou um pênalti pra longe, lembrando Robrto Baggio na final da Copa de 1994.
  • 46 – Corinthians toca bola no campo de ataque pra manter o resultado.
  • 47 – Cruzeiro toca a bola no campo de defesa tentando encontrar espaços pra buscar uma jogada aguda.
  • 48 – Vítor tenta cruzamento pela direita, bola sai pela linha de fundo.
  • 49 – Fim de Jogo! Posições inalteradas: Corintiãs em 1º com 54 pontos, Cruzeiro em 16º lugar com 31 pontos.

Vídeos

Atuações

  • Fábio – Fez as defesas salvadoras de sempre, duas delas espetaculares evitando gols de Paulo André e Liedson. Um dos melhores em campo. (Síndico) ///
  • Vítor - Ainda não consegue ser um lateral tão eficiente quanto era o Jonathan de 2009 mas já dá alternativa ao time e consegue algumas boas jogadas. Pode e deve melhorar, pois parece que tá a fim de jogo. (Matheus Penido) /// O maior problema do Vitor é a preguiça que se abate sobre ele em alguns momentos. (Mariana Resende) ///
  • Victorino – Teve a vida facilitada pela forma física meia boca do Liedson e não comprometeu. Mas é outro que precisa voltar a jogar com mais “punch”, como se espera de um becão de verdade. (Matheus Penido) ///
  • Leo Simões – O melhor da defesa jogando com decisão e ganhando a maioria das disputas. (Síndico) ///
  • Francisco Everton - Vem crescendo a cada jogo. Aprendeu, por força da necessidade, e jogar como ala. Habilidoso e com bom chute, vem mesclando funcionalidades de um volante e de um lateral. Apresenta-se no meio, sai jogando, cobre e marca bem, precisa apenas a aprender a alçar bolas na área. (Gustavo Rocha) ///
  • Diego Renan - Sempre teve uma grande qualidade: O Poderio ofensivo e jogadas em diagonal. Nunca foi de ir na linha de fundo, mas sempre foi incisivo e muito ofensivo. Agora, talvez pelas excessivas críticas à sua definciencia de marcação, se planta atrás e dificilmente avança. Foi pouco ao ataque, consequentemente não dá opções ao armador e neste ritmo, o Everton tem sido mais util e merce ser titular. (Oliveira Farma) ///
  • Marquinhos Paraná - O melhor da equipe. Equilibrado, não se perde por nervosismo nem se livra da bola de qualuqer jeito. Marca, protege a bequeira e sai jogando com qualidade. Errou dois passes, o suficiente para os tijolistas se irritarem. Normal em se tratando de torcedores que jamais chutaram uma bola. (Síndico) ///
  • Charles – Precisa recuperar a pegada que fez dele um excelente volante em 2007/2008. Também seria bom voltar ao antigo preparo físico pra poder jogar 90 minutos em bom nível. (Matheus Penido) ///
  • Fabrício – Voltou disposto, com fome de bola e boas subidas ao ataque. O problema é que, pra correr atrás do ótimo meio de campo corintiano é preciso mais fôlego do que ele tem neste momento. Por isso, lá pela metade do 2 tempo, seu jogo começou a cair. Normal pra quem está voltando de mais uma contusão. (Síndico) ///
  • Montillo - Incansável, buscou o jogo o tempo todo e foi o autor de quase todas as jogadas perigosas criadas pelo Cruzeiro. Chutou muito mal um pênalti e saiu de campo se culpando pela derrota. O que não foi o caso. (Síndico) ///
  • Keirrison - Um medroso. Não tem colhões pra jogar “decisões”. Perdeu uma chance na pequena área e em outras duas jogadas teve medo de chutar pro gol. Deveria ter aulas com o Geraldo Magela, o ceguinho. Nesses lances é fechar o olho e soltar a porrada, meu filho! (Chaves) ///
  • Elber – Entrou bem no jogo substituindo o cansadão do Charles, movimentou-se bem e conseguiu o pênalti que nosso craque perdeu. (Cláudio Henrique Cardoso) ///
  • Wellington Paulista – Lutou com a bola e os beques o tempo todo e só teve sucesso a 5 minutos do fim ao fazer uma bela jogada, que resultou em cruzamento pra Anselmo Ramon concluir e Júlio César defenmder espetacularmente.
  • Anselmo Ramon - É um cara lúcido, entende o jogo. Está longe de ser craque, mas sabe se posicionar e não desperdiça as jogadas com lances bisonhos como seus companheiros de posição. Quase deixou o dele no fim do jogo, mas não conseguiu tirar do goleiro a cabeçada. Pelo conjunto da obra até aqui, merece a camisa 9 até o fim do ano. (Chaves) ///
  • Vagner Mancini –Falta pouco pra ter um time competitivo. Basta encontrar uma dupla de ataque mais atrevida. O time está evoluindo, mas precisa somar pontos com urgência. Tomara que a direção do clube não cometa a besteira de trocá-lo nesta altura da competição. (Síndico) ///
  • Torcida – Lotou a Arena do Jacaré e apoiou nos bons e nos maus momentos. Como deve ser. (Síndico) ///
  • Juiz & Bandeiras – Dois impedimentos errados que prejudicaram o Cruzeiro foram os erros claros. Os três lances de pênalti foram interpretativos e o Juiz acertou todos. (Síndico) ///
  • Cruzeiro – Jogou o máximo pra perder pelo placar mínimo. Alguns jogadores estão fora de forma, outros não têm intimidade com a bola. Taticamente, o time foi bem. E pode voltar a vencer a qualquer hora. Basta pegar um adversário num dia ruim. (Síndico) ///
  • Corintiãs - Tite está há um ano no comando do time. Perdeu o Brasileiro, foi humilhado na Libertadores, perdeu o Paulista, teve a cabeça pedida pela torcida idiotizada, mas continua firme e a equipe tem padrão de jogo bem definido. Tirante Liedson, os demais jogadores são fortes. E não há ninguém fora de forma. Time encardido, que teve dois meias criativos, Alex e danilo, uma parelha de beque imbatível, Paulo André e Leandro castan, e dois volantaços, que marcam, armam e finalizam, Ralf e Paulinho. (Síndico) ///

O que foi dito

  • Mauro França, no PHD: O Cruzeiro encarou um time que no momento lhe é superior técnica, tática e fisicamente. E de igual pra igual. Teve chances pra vencer ou empatar, mesmo com as limitações técnicas e físicas. Daí que o resultado em si foi um castigo. A fase é mesmo terrível. Como explicar que o melhor jogador do time, um dos que mais lutam e tentam reverter a situação, perde aquele penalti? Enfim, acho que o time mostrou evolução, não foi apatico, não se entregou facilmente. Merecia melhor sorte.
  • Vitor, lateral-direito do Cruzeiro: Foi horrível, horroroso, mais um jogo deixamos escapar.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Perdemos muitas oportunidades, a bola não entrou e num contra-ataque, o forte do Corinthians, numa bola parada, eles fizeram o gol. Fica o bom futebol que jogamos. Tivemos chances pra empatar e ate ganhar.
  • Montillo, meia do Cruzeiro: Estou mal. É a situação ruim do time. O pênalti foi feio, o time se esforçou muito pra criar os lances e ganhar… Assumo a responsabilidade de não ter empatado o jogo, mas não chuto pra errar. Foi um dia ruim pra mim, com meu filho internado também. Não poder ajudar o time é ruim, mas temos de continuar trabalhando. É uma situação difícil. Foram muitas emoções na semana. Não conseguimos vencer, mas temos de continuar.
  • Anselmo Ramon, atacante do Cruzeiro: A gente tem que trabalhar, só vamos sair dessa situação trabalhando.
  • Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: Aumenta a preocupação. Estamos perto da zona de rebaixamento e temos que vencer de todo o jeito. Criamos inúmeras chances e não conseguimos. O Júlio César foi muito bem. Está tudo dando errado. É até um pecado, pois corremos demais, trabalhamos bem a bola, fizemos tudo o que o professor pediu. Acertamos o último passe, mas na hora de finalizar pecamos.
  • Wagner Mancini, treinador do Cruzeiro: O time foi bem, o jogo foi equiparado, as duas equipes tiveram chances, mas a nossa teve mais chances de sair vencedora. Não podemos errar contra um time que briga pela ponta, que se aproveitou de um erro nosso, no meio de campo, e fez o gol. Houve superioridade da nossa equipe. Faltou tranquilidade pra fazer o gol.
  • Willian, atacante do Corinthians: A gente sabia que não poderia dar oportunidade ao Cruzeiro. Erramos pouco.
  • Tite, treinador do Corinthians: Foi a vitória de uma equipe que se concentrou muito pro jogo. Sabíamos da qualidade do Cruzeiro. No 1º tempo, proporcionamos alguns contra-ataques, mas criamos as melhores chances e o Fábio foi muito bem. Construímos o placar. Já era pra termos saído na frente no 1º tempo em cabeceio do Paulo André. Com exceção de uma grande defesa do Julio Cesar no final, os chutes do Cruzeiro foram quase todos de fora da área. Foi justo o placar. Nossa vitória quase foi por água abaixo em um lance que meu jogador sofreu a falta. Todo mundo viu. Teve outro que o Paulinho tirou a bola e recebeu a falta, outro que o Ramírez saiu na cara do gol e ele deu impedimento e outro de cartão pro Marquinhos Paraná. Disse o que os 30 milhões de corintianos queriam: “chega, apita igual pros dois!“. Tive a convicção que não foi pênalti. Só quero igualdade no tratamento. Não quero privilégio. Todo o estádio viu que não foi pênalti. A bola foi pra fora porque não era para ser. Poderia ser em outro lance, mas naquele ali não. Jogar contra o Cruzeiro é muito difícil pela qualidade da equipe. O nível de exigência do campeonato é muito alto. Contra o Cruzeiro repetimos a média de atuações que vínhamos tendo. A bola não queimou no pé, construímos o resultado. Não adianta enfiar a bunda lá atrás e esperar o resultado. Vai ser campeã a equipe que estiver com todos os atletas com saúde, concentrada e tendo equilíbrio emocional. Rezamos pelo Montillo depois do jogo. Não lembro qual foi o jogador que falou sobre isso e fizemos a oração. Não é pelo momento profissional, mas pelo lado pessoal. Que ele consiga superar isso.
  • André Kfouri, em seu blog: O jogo quase foi contaminado por um pênalti para o Cruzeiro, inventado pelo árbitro Pablo dos Santos Alves.
  • Gustavo Poli, em seu blog: O Corinthians fez um primeiro tempo ruim em Sete Lagoas, foi dominado pelo Cruzeiro… e escapou. No segundo tempo, arrumou seu gol num contra-ataque em que Alex não quis exatamente passar –mas Paulinho foi preciso e decisivo. Agora, mais do que nunca, Tite precisa de Sheik e Liédson para ter velocidade, drible e finalização na frente. E, para desespero dos teóricos da conspiração pró-Corinthians, o Timão foi prejudicadíssimo pela arbitragem na partida. Teve um pênalti cristalino de Léo sobre Paulinho ignorado –e um ectoplásmico marcado contra. O Cruzeiro, por sua vez, finalmente jogou com sangue e com apoio do torcedor. Mas a fase –e a qualidade ofensiva do time– não ajudam. O melhor jogador do time, Montillo, está vivendo um drama pessoal com seu filho –tanto que mencionou isso na saída do campo. É ilusão pensar que algo assim não influencia. Montillo vem sendo a rara inspiração do time azul –o único jogador capaz de criar algo do meio pra frente (às vezes, muito às vezes, com ajuda de Roger). Mas os atacantes que sobraram são limitados. Vágner Mancini vai ter que tirar algum coelho de sua cartola. Sua tabela não é mole. Na próxima rodada enfrenta o Atlético-GO em casa –depois sai para pegar Botafogo e Flamengo… e a seguir recebe o Inter. Seu único jogo “teoricamente” fácil é na 36ª rodada contra o Atlético-PR na Arena do Jacaré.
  • Tostão, em sua coluna n’O tempo: Contra o Corinthians, o Cruzeiro, pela primeira vez no segundo turno, mostrou um time organizado. Isso dá esperança. Por outro lado, sem ter atacantes razoáveis, fica muito difícil. Welligton Paulista não joga futebol. Briga e cria caso. É o jogador mais chato do Brasileirão. Keirrison não briga nem cria caso. Ele não desaprendeu a jogar. É mais um centroavante supervalorizado por marcar muitos gols no início de carreira.
  • Juca Kfouri, em seu blog: Cruzeiro e Corinthians fizeram dos jogos mais disputados palmo a palmo do Brasileirão. E o resultado final, com a vitória por 1×0 do líder do campeonato em gol de Paulinho, aos 20 do 2º tempo na Arena do Jacaré, com direito a um pênalti, inventado pelo arbitragem, chutado nas nuvens pelo brilhante Montillo indica duas coisas: 1. que o Corinthians pode estar com a chamada sorte de campeão e; 2. mais do que isso, o Cruzeiro parece mesmo marcado para cair. De resto foi um jogo com chances para os dois lados, embora Fábio tenha trabalhado mais que Júlio César e em bolas mais agudas, exceção feita a derradeira defesa do corintiano, milagrosa mesmo, aos 43, em cabeçada de Anselmo Ramon, à queima-roupa. Mas o Corinthians não deu mole e recuperou os três pontos que havia perdido para o Cruzeiro no primeiro turno, no Pacaembu, pelo mesmo placar. E pela 21ª vez, em 30 rodadas, o Corinthians lidera.
  • Mauro Beting, em seu blog: Um bonito gol de Paulinho, chegando na área adversária depois de belo lance de Alex às costas de Diego Renan, aos 19 do segundo tempo. Foi o que precisou o líder do campeonato para manter-se na ponta. Foi o que bastou para a maior decepção do Brasileirão seguir ameaçado de inédito rebaixamento num campeonato equilibrado. Onde não é preciso ter um esquadrão para ser campeão. Mas é dever sempre respeitar um time que enfrenta outro grande, aguenta a pressão na casa rival, e consegue vitória reabilitadora depois do tropeço no Pacaembu diante de um Botafogo cada vez mais vivo. O calor infernal do primeiro tempo disputado absurdamente no horário solar das três da tarde travou as equipes tanto quanto os esquemas mais precavidos dos técnicos: Mancini deixou Montillo muito isolado na armação, com o trio de volantes esperando um Corinthians que prendeu demais Alex pela esquerda, pouco adiantou Danilo por dentro, e sofreu com Liedson sem ritmo, apesar do esforço. Substantivo ainda mais abstrato quando se pensa em Keirrison. Atacante de talento que só deu sangue quando ele escorreu da testa num choque com Ramón. O Cruzeiro criou mais oportunidades num primeiro tempo igual. Na segunda etapa, o calor foi minando as equipes. O jogo ficou mais aberto. Tite fechou o time sacando o cansado Willian e colocando mais um volante. Mal deu tempo de Edenílson se achar em campo quando saiu o gol. O Cruzeiro se atirou à frente e ganhou um pênalti inexistente (ou “menos pênalti” que um sofrido por Paulinho, no primeiro tempo). Pênalti que o heroico Montillo, exemplo de pessoa, profissional e jogador, isolou, deixando o Corinthians ainda na ponta apesar de ter um jogo a mais que o Botafogo. Mas com mais um jogo para lembrar que é grande como foi decisivo Júlio César na pressão celeste. Mais um jogo para o Cruzeiro repensar a vida.
  • Vitor Birner, em seu blog: Foi um jogo dos nervos cruzeirenses contra a paciência corintiana. Da iniciativa dos comandados de Vagner Mancini diante do equilíbrio da equipe armada por Tite. O Corinthians errou mais que o usual no primeiro tempo e melhorou depois do intervalo. Na etapa complentar foi o apitador quem falhou ao dar o pênalti para os celestes. O Cruzeiro, muito mal na parte ofensiva, não aproveitou nada. Pecado mortal diante da equipe que lidera o campeonato brasileiro. Escalações: Cruzeiro – Fábio; Vitor, Léo, Victorino e Everton; Fabricio, Charles, Marquinhos Paraná e Montillo; Wellington Paulista e Keirrison Corinthians – Julio César; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Ramon; Ralf e Paulinho; Willian, Danilo e Alex; Liedson Tensão cruzeirense x pragmatismo corintiano: O time do Cruzeiro entrou muito tenso no jogo. Ameaçado pelo rebaixamento e muito preocupado com cada decisão da arbitragem (provavelmente por causa da derrota por 1×0, ano passado, naquele pênalti polêmico marcado em Ronaldo), correu e reclamou bastante. Vagner Mancini preparou a equipe para ter a iniciativa de buscar o gol. Tanto os laterais Vitor e Everton quanto os volantes Fabrício e Marquinhos Paraná apareceram bastante na frente. Apenas Charles (volante) e a dupla de zaga ficaram atrás. Montillo se movimentou bastante para tentar abrir espaços no sistema defensivo corintiano. Wellington Paulista, deslocado para os lados do ataque, e Keirrison, o centroavante, completaram a irritadiça equipe celeste. As melhores e poucas oportunidades da etapa inicial foram da Raposa. O Corinthians começou a marcação no meio-campo. O Alvinegro não tinha o menor interesse de entrar na correria e ‘pilha’ adversárias. Trabalhou para não dar espaço atrás e contragolpear. E falhou. O contra-ataque e a transição de bola da defesa para o ataque não funcionaram. A má qualidade do passe facilitou a recuperação da redonda por parte do anfitrião. A atuação de mediana dos comandados de Tite ficou ruim nos 10 minutos que antecederam o intervalo. O Cruzeiro desperdiçou dois contragolpes perigosos. Num deles, o ensimesmado Keirrison, que tem complexo de craque, demorou para devolver a dita cuja para Montillo. O argentino estava em ótima condição de balançar a rede. A torcida não perdoou. Enraivecida, xingou o centroavante. Mancini mexe: Everton, machucado, havia sido substituído por Diego Renan aos 43 do primeiro tempo. Vagner Mancini mudou a equipe novamente para a etapa complementar. Trocou Keirrison por Anselmo Ramon. Mais aberto: O Corinthians saiu um pouco mais para o jogo no segundo tempo. A participação de Danilo aumentou e junto com ela o tempo de posse de bola do time no ataque. A correria cruzeirense, provavelmente por causa do cansaço, diminuiu. As defesas deram mais espaço. A corintiana apenas pelos lados; a do Cruzeiro em várias partes. As oportunidades de gol não apareceram em quantidade por causa dos erros de passes. Aos 19, Willian, cansado, deu lugar a Edenilson. Sem erro: Aos 20, Alex, posicionado na direita, aberto, soube aproveitar a lacuna deixada pelo anfitrião. Recebeu o passe na direita, a marcação chegou atrasada, e o meia, inteligente, rolou com categoria para Paulinho chutar no canto esquerdo e fazer 1×0. Preocupações distintas: A saída de Willian enfraqueceu o contragolpe corintiano. O Cruzeiro obviamente precisavca correr mais riscos. Os levantamentos de bola na área executados por Montillo, que começou a aparecer de ambos os lados, foram a principal alternativa celeste na busca pelo empate. Aos 25, preocupado em reforçar a marcação por cima, Tite colocou Wallace, zagueiro, no lugar de Ramon. Castan foi jogar na lateral esquerda. Em seguida, Mancini pôs Elber luga de Charles. Queria melhorar a qualidade do passe no meio-campo. Pênalti dos “Zé Regrinhas”: Aos 32, Montillo cruzou, Élber Pimentel foi tocado por Edenilson e o soprador deu o pênalti. O toque do corintiano deslocou muito pouco o adversário. Não foi pênalti. Montillo cobrou mal demais, por cima do gol. Ele, na Argentina, quando defendia o San Lorenzo, tinha fama de sumir em momentos decisivos. Não sei se a fama procede, mas a forma como chutou a penalidade me fez lembrar disso. Vale lembrar que o filho dele está internado, doente, e Montillo, abalado, assumiu a responsabilidade pelo erro depois do jogo. Ataque e nervos x defesa: O desespero tomou conta da torcida e jogadores do Cruzeiro. O Corinthians se preocupou apenas em defender e nunca deixou o rival entrar com a bola dominada na área para chutar em boa condição. Julio César, como quase sempre: Só uma vez depois de perder o pênalti o Cruzeiro criou ótima chance de igualar. Aos 43, Anselmo Ramon cabeceou e Julio César evitou o gol. Apesar da grande quantidade de corintianos que não confiam nele, normalmente, na hora do aperto, ele costuma salvar o time com grandes defesas. Fez isso de novo nas Minas Gerais e contribuiu para a manutenção da liderança corintiana.

Fontes

Transmissão

  • Sportv