Cruzeiro 0x0 Tupi - 08/03/2009

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
Por temporada
Escudo Universitário Sucre.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo América-MG.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Cruzeiro.png 4x1 Escudo Ituiutaba.png Gol aos do Escudo América-MG.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 4x1 Escudo Ituiutaba.png Gol aos do Escudo América-MG.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png
Contra Tupi
Escudo Tupi.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Tupi.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
0 × 0 Escudo Tupi.png
Tupi
8ª rodada do Campeonato Mineiro 2009
Data: 8 de março de 2009 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 19h10 Estádio: Mineirão
Árbitro: Angela Paula Cruz R. Ribeiro Público pagante: 9.535
Assistente 1: Cinthia Mara da Silva Público presente: 10.851
Assistente 2: Caio Cesar de Oliveira Filho Renda: R$ 139.547,50 R$ 139.547,5
Cr$ 139.547,5
NCr$ 139.547,5
Cz$ 139.547,5
NCz$ 139.547,5
(preço médio: R$ 14,64 )
Súmula: Súmula e Borderô
Escalações
Cruzeiro: Tupi:
1. Andrey 1. Gonçalves Cartão amarelo recebido aos 88 88'  
2. Marquinhos Paraná 2. Serginho
3. Anderson Beraldo 3. Reginaldo Cartão amarelo recebido aos 62 62'  
4. Gustavo Schiavolin Cartão amarelo recebido aos 42 42'   4. Rodrigão Cartão amarelo recebido aos 52 52'  
5. Fabrício 5. Robson
6. Sorín Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 16. Fernandinho Substituição realizada 51 de jogo 51 ( 14. Diego Renan ) ) 6. Michel
7. Henrique Cartão amarelo recebido aos 58 58'   7. Marcel
8. Bernardo Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 15. Ramires ) 8. Daniel
9. Wellington Paulista 9. Ademilson
10. Wagner 10. Bruno Ramos Cartão amarelo recebido aos 62 62'  
30. Kléber 11. Rodrigo Mucarbel Substituição realizada 86' de jogo 86' ( 13. Itamar )
Técnico: Adilson Batista Técnico: José Carlos do Amaral
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Tupi:
12. Rafael 12. Alan
13. Leonardo Silva 14. Jaiminho
17. Wanderley dos Santos 15. Léo Salino
18. Soares 16. Felipe
17. Márcio Carioca
18. Jonathan


Pré-Jogo

O Cruzeiro defende uma invencibilidade de 12 jogos na temporada e tenta manter a diferença folgada que o separa dos rivais no Mineiro.

Desclassificado no jogo de volta (2×0, 0×3) da 1ª fase da Copa do Brasil em Criciúma, o Tupi tenta se manter na luta por uma das 8 vagas para as quartas-de-final do estadual.

Estes são os atrativos menores do jogo desta noite de domingo no Mineirão. Os maiores são as presenças de Sorín e Kléber no time celeste.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 19h10 – Começa o jogo. Com uniforme tradicional, o Cruzeiro defende o Gol da Cidade. Tupi, também com primeiro uniforme, defende do Gol da Lagoa.
  • 02 – Bernardo chuta de fora da área, Gonçalves dá rebote, Wellington Paulista chuta, o goleiro defende de novo.
  • 07 – Fabrício e WP trocam passes dentro da área. Gonçalves defende.
  • 09 – Kléber dribla Reginaldo dentro da área e rola a bola para WP, que chuta por cima do travessão.
  • 10 – Rodrigo Mucarbel chuta fraco, de dentro da área, Andrey defende.
  • 17 – Bruno Ramos recebe uma bola, dentro da área, e, livre de marcação, chuta forte, Andrey defende parcialmente. No rebote, a bola sobra para Robson, que finaliza com uma bomba, à queima-roupa. Andrey salva o time com defesa extraordinária.
  • 21 – Sorín passa a Kléber que faz tabela com WP e chuta forte. Gonçalves defende.
  • 30 – Wagner cruza da ponta-esquerda. Kléber fica com a bola, que rola para Fabrício. O volante solta uma bomba, a meia altura, cruzada, que sai à esquerda de Gonçalves.
  • 35 – Ademílson cabeceia, Andrey defende.
  • 41 – Gustavo Schiavolin Schiavolin para contra-ataque com falta no meio de campo e recebe cartão amarelo.
  • 45 – Serginho cruza da direita, Gustavo Schiavolin corta.
  • 46 – Ademílson chuta rasteiro, à direita de Andrey.
  • 47 – Fim de 1º tempo. Gustavo Schiavolin pede mais inteligência e toque de bola ao time, pois o adversário está fechado deixando somente um atacante à frente da linha da bola. Kléber dia que precisa certar o último passe e voltar menos para combater o adversário, pois isto acaba com o preparo físico do atacante.

Segundo Tempo

  • 20h15 – O Cruzeiro volta com Fernandinho em lugar de Sorín e Ramires no de Bernardo.
  • 03 – Fernandinho e Henrique trocam passes, o lateral, entra na área, chuta pressionado por Bruno Ramos. Os dois se chocam e o cruzeirense fica caído pedindo substituição. Devido a uma entorse no joelho.
  • 05 – Diego Rena, 19 anos, substitui Fernandinho.
  • 06 – Rodrigão derruba Henrique e recebe cartão amarelo.
  • 08 – Kléber e WP tabelam, bola sobra pra Wagner que é derrubado na entrada da área. O meia bate a falta e a bola passa por cima do travessão.
  • 11 – Diego Renan, do meio de campo, lança WP, que chuta forte, à direita de Gonçalves.
  • 12 – Fabrício lança Wagner, que cruza, de curva. Kléber pega a bola de voleio, mas ela sai à direita do arco do Tupi.
  • 15 – Henrique derruba adversário no meio de campo e recebe cartão amarelo.
  • 16 – Diego vai para a lateral-direita, Paraná passa a volante e Wagner vira ala-esquerda.
  • 17 – Bruno Ramos derruba Wagner e recebe cartão amarelo.
  • 18 – Wagner cruza da direita, Kléber da esquerda, Rodrigão corta de cabeça para escanteio.
  • 21 – Ademílson puxa contra-ataque, corta Anderson dentro da área, e chuta forte. Andrey defende com uma ponte.
  • 22 – Kléber serve WP, que chuta, de voleio, A bola acerta os dois postes e a defesa consegue cortar. Entusiasmada, a torcida aumenta o tom de voz.
  • 23 – Cruzeiro ataca muito, sobram espaços para o contra-ataque. Ademílson recebe lançamento, mas não consegue concluir a jogada.
  • 25 – Fabrício cobra falta lançando a bola na área. Henrique, Kléber e Daniel se chocam na disputa pelo alto. Kléber leva a pior e sai de campo sangrando.
  • 28 – Diego Renan cruza, Reginaldo corta.
  • 29 – Wagner cruza, Reginaldo corta.
  • 31 – Diego cruza, Marcel empurra WP dentro da área. Juiz manda seguir o jogo.
  • 32 – Fabrício chuta de fora da área, Gonçalves defende.
  • 33 – Gonçalves simula contusão para arrefecer a pressão do Cruzeiro.
  • 34 – Fabrício lança WP, que é derrubado por Reginaldo.
  • 35 – Kléber bate falta na barreira, Paraná fica com a bola, dribla vários adversários e serve Kléber, que chuta pra fora.
  • 37 – Paraná recebe passe de Kléber e lança Ramires, que cabeceia por cima do travessão.
  • 38 – Fabrico bate falta para Wagner que chuta de longe, por cima do travessão.
  • 40 – Torcia empurra o time com muita vibração.
  • 41 – Michel cruza da esquerda, Ademílson cabeceia por cima do travessão.
  • 42 – Itamar substitui Rodrigo Mucarbel.
  • 43 – Reginaldo bate falta na intermediária. Bola acerta a barreira.
  • 44 – Bate-rebate dentro da área do Tupi. Todos chutam. Defesa espana pra escanteio.
  • 45 – Kléber passa a Paraná, que serve Fabrico para um chute longo, por cima do travessão.
  • 36 – Gonçalves faz cera.
  • 48 – Fim de jogo.

Atuações

  • Adílson Baptista – Obedecendo ao planejamento que visa à preservação física e ao rodízio para que todos atletas estejam em ritmo de jogo, montou uma boa equipe. Faltou o time decidir a partida nas oportunidades que teve. Algo que o Tupi também não fez pra sua sorte e desgosto de seus perseguidores.
  • Torcida – Longe de seus melhores momentos, compareceu em baixa quantidade e apoiou de forma intermitente.
  • Andrey – Ainda não descobriu que calção e meiões pretos são incompatíveis com o uniforme do Mais Querido de Minas. E que camisa roxa confunde com a azul. Será que, no Cruzeiro, cada jogador decide com que roupa entra em campo? Afora isto, teve outra excelente atuação. Salvou 2 gols e foi um dos melhores em campo.
  • Marquinhos Paraná – Foi um lateral-direito conservador, preso à marcação, sempre disposto a ajudar os volantes, pois Bernardo jogou mais avançado. Quando voltou à linha de volantes, defendeu e empurrando o time para o ataque.
  • Diego Renan – Desinibido, marcou e saiu pro jogo. Quando estiver mais enturmado, renderá mais. De qualquer forma, teve boa atuação para um quase-estreante.
  • Anderson Beraldo – Cumpriu bem suas obrigações defensivas.
  • Gustavo Schiavolin Schiavolin – Bem na defesa, saiu pro jogo quando as circunstâncias eram favoráveis.
  • Sorín – Começou preso à marcação. Com o tempo, soltou-se tentando apoiar o ataque. Nestas ocasiões, deixou espaços que Wagner e os volantes, Fabrício e Henrique, tiveram que ocupar. Continua longe da forma ideal.
  • Fernandinho – Entrou com disposição pra atacar, mas sofreu entorse no joelho em sua primeira tentativa de arremate e deixou o gramado.
  • Henrique – Sóbrio e eficiente na marcação.
  • Fabrício – Muita raça, boa marcação, grande disposição para arremates de média distância. Só pecou pela insistência na condução da bola para ligar defesa e ataque. Aos poucos, está voltando à forma de 2008.
  • Bernardo – Avançado e preso na faixa direita do ataque, não deu velocidade ao jogo. Sua presença implicou na manutenção de dois volantes e um lateral cuidando exclusivamente da marcação. A contrapartida, na forma de bons arremates a gol, não aconteceu. Continua arriscando jogadas de efeito o que, se por um lado demonstra confiança por outro, tira velocidade da equipe.
  • Ramires – Poucos lampejos do grande jogador que a torcida se acostumou a ver. Michel vivgiou seus passos com zelo, mas, ainda assim, ele descolou uma chance de marcar que acabou não concretizando.
  • Wagner – Depois do jogo, comentaristas do Seu Nome, seu Bairro fizeram fila para linchá-lo. Por quê? Onde buscaram inspiração para críticas tão contundentes? Se não foi brilhante, sua atuação esteve longe de ter sido fraca. Fez bons cruzamentos, deu passes corretos e, quando necessário, voltou para impedir contra-ataques nos espaços deixados por Sorín. No final, disciplinadamente, foi lateral e ponta-esquerda para que Diego Renan fosse para a lateral-direita atacar.
  • Kléber – Apesar da forte marcação de Reginaldo, construiu belos lances e mostrou grande disposição. Ainda precisa encontrar um posicionamento adequado para que o ataque flue melhor com Wagner, Ramires, WP e ele.
  • Wellington Paulista – Não é uma Brastemp, mas compensa deficiências técnicas com disposição incomum. Movimenta-se muito e cria enormes dificuldades para as defesas. Nesta partida, a baliza não permitiu que ele fizesse um gol.
  • Juiz & Bandeiras – Se quisesse, o juiz poderia ter marcado pênalti sobre WP quando o centroavante levou um empurrão dentro da área. Mas e a coragem, diante da ameaça de CPI?! Piada títpica de uma rocinha como Belzonte e sua medíocre e covarde impresnsa que dá sustentação a kartolas boquirrotos. Deveria ter acrescentado o dobro dos protovolares 3 minutos no final da partida para compensar as paraliszações do 2º tempo. Mas e o medo da CPI do Kartolinha?! Coisas da roça.
  • Adversários – José Carlos Amaral foi competente na armação de uma equipe que defendeu com nove e atacou sem desespero tocando a bola com rapidez. Daniel foi bom organizador de jogo no meio de campo. Ademílson lutou muito no ataque. Reginaldo foi a muralha defensiva que evitou situações de gols em favor do Cruzeiro.

O que foi dito

  • “Gostei da postura do time. Os jogadores lutaram o tempo todo. Em nenhum momento, a equipe foi relapsa ou teve apagão. Aplaudo o time pela entrega. Este é o espírito que espero do Cruzeiro.” (Hugo Serelo, torcedor)
  • “O time não foi muito diferente dos outros jogos. Diferente foi o adversário não ter cometido falha que resultasse em gol, apesar da pressão sofrida durante todo o jogo. Não concordei com a saída do Sorín. Não acredito que tenha sido apenas por questão física. Não gostei também da saída do Bernardo. Preferia ver a substituição do Wagner. Durante o 2º tempo, Adílson tentou corrigir a bobagem, deslocou Wagner pra esquerda e colocou o Paraná no meio. Paraná joga muito. Quando o time mais precisa ele se apresenta e cria as melhores jogadas do time. Outro que não fugiu no jogo foi o Kléber. E a bola batendo nas duas traves mostra a falta de sorte do time, hoje.” (Gustavo Schiavolin Sobrinho, tijolista)
  • “A única coisa que eu reclamo é de o Adílson Baptista não ter deixado o Sorín e principalmente, o Bernardo, um pouco mais. Mas também não atiro pedras. Sabe-se lá se o argentino estava muito cansado. E se ele se machuca ao invés do Fernandinho, acho que o prejuízo seria muito maior. Não que isso seja desejar mal ao Fernandinho, torço é pra que não seja nada de grave, mas eu acho que o Sorín voltou pra liderar o time.” (Gabriel Moreira, torcedor)
  • “Já era hora de acontecer um resultado adverso. Menos mal que foi agora. O time não encaixou. E, convenhamos, o Tupi teve méritos. Marcou muito bem, saiu jogando, privilegiou a posse de bola e fez por merecer o empate jogando o arroz com feijão. O Cruzeiro jogou no ritmo da torcida, que estava pequena como quase sempre em jogos deste nível, e morna no apoio, que aconteceu em espasmos no 2º tempo. Gostei muito do Adílson Baptista. Ele armou um time forte, ofensivo, com as peças que tinha. Preservou atletas mais desgastados e está colocando quase todo mundo pra jogar. Tudo certo. Mas, daqui a pouco, é hora de começar a embalar com o time titular pra chegar ao mata-mata voando.” (Walfrido Júnior, torcedor)
  • “Primeiro, tem que enaltecer o espírito dos jogadores. Tivemos dificuldades como o desgaste da viagem, o de sair pro jogo, criar, tomar iniciativa. Criamos algumas situações que poderíamos fazer, mas a bola não queria entrar. Bola na trave… Faz parte. Importante é que estamos 3 pontos na frente, somos líderes. Foi um jogo bem disputado. O Tupi está de parabéns pelo comportamento, pela tática que nos envolveu em determinados momentos. Tiveram méritos, neutralizaram, marcaram, tentaram sair da pressão.” (Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro)
  • “Futebol é assim mesmo. Tem jogo que temos só uma oportunidade e ganhamos, tem outros, como o de hoje, que temos muitas não vencemos. A bola não estava entrando de jeito nenhum, mas jogamos bem, embora não tenhamos conseguido dar a vitória pra torcida, que mais uma vez compareceu e nos apoiou. Bom é que a gente não perdeu, continuamos invictos e na liderança. Isto é o mais importante.” (Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro)

Fontes