Cruzeiro 0x0 Santos - 03/06/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Ceará.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Atlético-GO.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Ceará.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Atlético-GO.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Botafogo.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Atlético-MG.png
Contra Santos
Escudo Santos.png 1x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Santos.png 4x1 Escudo Cruzeiro.png

[edit]

Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
0 × 0 Escudo Santos.png
Santos
6ª Rodada Campeonato Brasileiro 2010
Data: 2 de junho de 2010 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: 21:50 Estádio: Mineirão
Árbitro: Wilton Sampaio (DF) Público pagante: 15.708
Assistente 1: Marrubson Freitas (DF) Público presente: 17.482
Assistente 2: Cesar Oliveira Vaz (DF) Renda: R$ 532.867,50 R$ 532.867,5
Cr$ 532.867,5
NCr$ 532.867,5
Cz$ 532.867,5
NCz$ 532.867,5
(preço médio: R$ 33,92 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Cruzeiro: Santos:
1. Fábio 1. Rafael
2. Jonathan Cartão amarelo recebido aos 2. Edu Dracena
3. Gil Cartão amarelo recebido aos 3. Alex Sandro
4. Thiago Heleno 4. Pará
6. Diego Renan Substituição realizada  de jogo ( 13. Sebá ) 5. Rodriguinho
5. Fabrício Cartão amarelo recebido aos 6. Durval Cartão amarelo recebido aos
7. Marquinhos Paraná 7. Marquinhos Substituição realizada  de jogo ( 16. Zezinho Cartão amarelo recebido aos )
8. Henrique Cartão amarelo recebido aos 8. Wesley
17. Elicarlos Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 15. Pedro Ken ) 9. André Substituição realizada  de jogo ( 17. Marcel Cartão vermelho recebido aos )
9. Eliandro Substituição realizada  de jogo ( 23. Roger ) 10. Ganso Cartão amarelo recebido aos
11. Thiago Ribeiro 11. Neymar Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 18. Madson )
Técnico: Adílson Batista Técnico: Dorival Júnior
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Santos:
12. Rafael 12. Felipe
14. Fabinho Alves 13. Bruno Aguiar
16. Fernandinho 14. Maranhão
18. Kieza 15. Breitner


Como Foi

1º Tempo

  • 21h45 – Times entram em campo, Santos com uniforme todo branco, Cruzeiro com camisa amarelas, calções e meias azuis.
  • 21h48 – Hino Nacional executado como parte das comemorações pelo encerramento das atividades do Mineirão para a reforma para a Copa de 2014.
  • 21h51 – Começa o jogo. Cruzeiro defende o Gol da Cidade, à direita das cabines de rádio. Será a última partida do Cruzeiro no velho Mineirão. O estádio fechará a partir da próxima semana pra ser reformado.
  • 01 Thiago Ribeiro cobra falta para a área e Wesley afasta o perigo
  • 01 Cruzamento para a área do Santos e a defesa afasta mal. Jonathan pega o rebote, tenta duas vezes, mas isola a bola
  • 02 Diego Renan disputa a bola na intermediária e arrisca forte. Rafael, bem colocado, defende em dois tempos
  • 04 Thiago Ribeiro recebe lançamento pela direita, tenta o cruzamento, mas a bola é muito forte e Eliandro não alcança
  • 05 Novamente Thiago Ribeiro desce em velocidade pela direita e cruza para a área.
  • 06 Diego Renan tenta invadir a área, mas acaba cercado por três marcadores e perde a bola
  • 07 André recebe lançamento pela direita, invade a área e chuta forte. Fábio, bem colocado, espalma
  • 09 Pressionado pelo Santos, o Cruzeiro troca passes pelo campo
  • 10 Após longa troca de passes, Henrique levanta a bola na área, mas o árbitro marca falta de Thiago Ribeiro em Druval
  • 13 Contra-ataque rápido do Santos. Ganso tenta o cruzamento para a área, mas a bola bate em Gil, que, na sequência, faz o corte pela lateral
  • 15 Sem pressa, o Cruzeiro volta a trocar passes
  • 16 Eliandro recebe de Marquinhos Paraná pela esquerda, tenta um drible em Pará e acaba desarmado
  • 18 Thiago Ribeiro rouba a bola no meio de campo, tenta lançamento para Eliandro, mas a bola fica com o goleiro Rafael
  • 19 Diego Renan puxa contra-ataque pela esquerda, tenta passar por Pará, mas adianta demais a bola, que sai pela linha de fundo
  • 20 Thiago Ribeiro tenta jogada pela direita, mas acaba derrubado por Rodriguinho. Boa oportunidade para o Cruzeiro
  • 21 Falta cobrada na área do Santos e Gil toca de cabeça, mas Rafael faz a defesa
  • 23 Rodriguinho recebe passe de Pará pela direita, avança com a bola, mas cruza mal, direto pela linha de fundo
  • 24 O Cruzeiro trabalha bem a bola no campo de ataque, mas não consegue achar espaços na defesa santista
  • 26 Fabrício invade a área pela direita, tenta passe para Thiago Ribeiro, mas acaba ficando sema bola
  • 28 Os dois times se estudam muito e não criam boas oportunidades. O Cruzeiro domina a posse de bola, mas tem dificuldades para chegar perto do gol do Santos
  • 29 Thiago Ribeiro cobra escanteio da direita e Gil cabeceia livre. A bola explode no travessão de Rafael e sai pela linha de fundo
  • 30 Jonathan tenta lançamento na direita para Thiago Ribeiro, mas pega forte na bola, que se perde pela linha de fundo
  • 32 O Cruzeiro tem muita calma para armar seu jogo e roda a bola pelo campo
  • 34 Elicarlos derruba Ganso no meio de campo e recebe o amarelo
  • 35 Henrique tenta passe na intermediária do Santos, mas a bola bate no árbitro e fica com a defesa santista
  • 36 Bola na esquerda para Neymar, que tenta passar por Gil, mas acaba indo ao chão. A bola sai
  • pela linha de fundo e o árbitro marca apenas tiro de meta para o Cruzeiro
  • 38 Após sofrer falta, Ganso reclama com o árbitro e recebe o amarelo
  • 39 Thiago Ribeiro aparece mais uma vez pela direita e cruza na área. Edu Dracena estica a perna e corta pela linha de fundo, antes da chegada de Eliandro
  • 40 Fabrício levanta a bola na área, mas ninguém do Cruzeiro aparece para completar e Rafael faz a defesa
  • 42 Depois de longa troca de passes do Cruzeiro, a bola chega para Diego Renan, que chuta de fora da área, mas pega mal na bola. Rafael defende com segurança
  • 44 Fabrício levanta a bola na área, ninguém desvia e é só tiro de meta para o Santos
  • 45 Termina o primeiro tempo
  • Fábio: “O time está bem, está concentrado, marcando certo.”
  • Gil: “Acertei a trave. Aquela bola poderia ter entrado e decidido o jogo.”
  • Diego Renan: “Criamos oportunidades, podíamos ter vencido. Fiquei uma semana parado, mas vou tentar jogar até o fim.”
  • Thiago Ribeiro: “O time jogou bem. Marcamos bem. Só precisamos do meio de campo chegar mais ao ataque.”

2º tempo

  • 22h55 – Começa o 2º tempo.
  • 01 Fabrício acerta o rosto de Ganso e recebe o amarelo.
  • 03 Neymar recebe pela esquerda, tenta o passe para Ganso, mas Thiago Heleno faz o corte
  • 04 Lançamento longo para Rodriguinho, que divide a bola com Fábio e acaba ficando sem a bola. Na sequência, Elicarlos aparece para cortar antes da chegada de Neymar
  • 06 Marquinhos cobra escanteio na área e a defesa do Cruzeiro afasta o perigo
  • 07 Eliandro faz boa jogada pela esquerda e rola para Fabrício. O camisa 5 tenta um corte em Alex Sandro e acaba ficando sem a bola
  • 08 Thiago Ribeiro recebe de Eliandro na direita e cruza para a área. Marquinhos Paraná aparece para concluir, mas Pará se antecipa e faz o corte
  • 09 Fabrício aparece com liberdade pela esquerda e cruza para a área. Eliandro domina e toca de cabeça por cima de Rafael, mas Durval, antes da bola entrar, aparece para fazer o corte
  • 10 Lançamento longo para Neymar e Fábio sai da área para afastar o perigo
  • 11 O árbitro para o jogo e vai até a lateral para chamar a atenção do técnico Dorival Júnior
  • 11 Wesley avança pelo meio de chuta forte de fora da área. Fábio, bem colocado, defende firme
  • 12 Durval para o contra-ataque do Cruzeiro com falta em Thiago Ribeiro e recebe o amarelo
  • 13 Substituição no Santos: sai Marquinhos e entra Zezinho
  • 14 Thiago Ribeiro cobra a falta com força, mas manda à direita do gol de Rafael
  • 14 Em disputa de bola, Neymar deixa o braço no rosto de Elicarlos e recebe o amarelo
  • 16 Alex Sandro tenta passar por Jonathan na esquerda, mas acaba desarmado pelo cruzeirense
  • 17 Zezinho recebe passe dentro da área, tenta o chute, mas manda a bola longe do gol de Fábio
  • 20 Substituição no Santos: sai André e entra Marcel
  • 21 Henrique tenta lançamento longo para Jonathan, mas a bola é muito forte e sai pela linha de fundo
  • 22 Substituição no Cruzeiro: sai Elicarlos e entra Pedro Ken
  • 24 Pedro Ken briga pela bola na direita e cruza para a área. Jonathan não domina bem e acaba sendo travado na hora do chute
  • 25 Marcel entra muito forte em Jonathan e recebe o cartão vermelho
  • 26 Após a entrada de Marcelo, Jonathan fica caído no gramado sentindo dores. Os médicos do Cruzeiro entram em campo para atendê-lo
  • 27 Ainda mancando, Jonathan já estão de volta ao gramado
  • 28 Substituição no Cruzeiro: sai Diego Renan e entra Sebá
  • 29 Henrique derruba Ganso na intermediária e recebe o amarelo
  • 30 Substituição no Santos: sai Neymar e entra Madson
  • 32 Substituição no Cruzeiro: sai Eliandro e entra Roger
  • 33 Thiago Ribeiro cobra escanteio na área e Rafael defende firme
  • 34 Jonathan recene de Roger pela direita, tenta o cruzamento para a área e Edu Dracena faz o corte
  • 35 O Cruzeiro troca passes tentando achar um espaço na defesa santista
  • 37 Wesley recebe de Ganso na esquerda, cruza para a área e Fabrício afasta o perigo
  • 38′ Roger cobra falta fechada na área, Gil tenta alcançar a bola, mas a defesa do Santos faz o corte
  • 39 O Santos se fecha e dificulta as investidas do Cruzeiro
  • 40 Jonathan derruba Madson, mata o contra-ataque do Santos e recebe o amarelo
  • 42 Zezinho chega forte em Thiago Ribeiro e também é amarelado
  • 43 Jonathan tenta passe em profundidade para Thiago Ribeiro e Rafael sai do gol para ficar com a bola
  • 44 Teremos três minutos de acréscimo
  • 48 Termina o jogo no Mineirão

Atuações

  • Fábio - Perfeito com as mãos e com os pés. Barreira inexpugnável. (Síndico) Como goleiro foi exigido apenas uma vez. Como líbero outras duas. Sempre seguro e corajoso nas intervensões. (Gustavo Sobrinho)
  • Elicarlos - Botou Neymar no bolso. (Síndico) Atuou como terceiro zagueiro, pela direita, e foi fundamental para que o sistema defensivo fizesse a sua melhor partida no ano. Taticamente foi irrepreensível, e nos lances individuais levou a melhor em todas. (Marcus)
  • Pedro Ken – Trabalhou muito. (Síndico) Trabalhou duro e fez pelo menos uma grande jogada de linha de fundo, que os atacantes acabaram desperdiçando. Pra quem já entra em campo sempre sob vaias implacáveis, saiu-se melhor que a encomenda. (Matheus Penido)
  • Gil – Soberbo. No bom sentido. Anulou o ataque santista. E ainda balançou o travessão do arco peixeiro com uma cabeçada monumental. (Síndico) Fez uma partidaça! Atuação como eu gostaria que um zagueiro do Cruzeiro tivesse sempre. Sem afinar. Marcou colado os atacantes do Santos, sempre muito firme e na bola. (Renato-SP) Impressionante o seu crescimento nos últimos jogos. O que mais me chama a atenção é sua tranquilidade, às vezes, até proporcionando grandes emoções. (Raul Miranda Penna)
  • Thiago Heleno - Com duas pernas no 1º tempo, com apenas uma na etapa final, foi um monstro. Espanou todas as bolas. Parou os Meninos da Vila com autoridade de adulto. (Síndico) Fez uma de suas melhores partidas pelo Cruzeiro. Marcou, deu chutão, lançou, fez viradas de jogo e espanou quando precisou. Mostrou raça e técnica. Talvez, as vaias não dêem a segurança de que ele precisa pra ser sempre assim. É outro que vai brilhar em um outro clube e deixará nossa torcida de ressaca. (Claudinei Vilela)
  • Diego Renan – Bom enquanto teve fôlego. (Síndico) Apareceu bem no início do jogo, depois cuidou da marcação. (Renato-SP)
  • Jonathan – No meio de campo, preocupou-se mais em defender do que em atacar. Na lateral, descansou, pois os santistas já estavam desanimados após inúmeras e infrutíferas tentativas de armar jogadas no campo de defesa celeste. (Síndico) Trabalhou muito, tanto defendendo quanto atacando, mas comprometeu um pouco sua atuação pelos erros na definição das jogadas. (Matheus Penido)
  • Henrique - Excelente na marcação, sua principal função no jogo, mas pouco efetivo no apoio. (Síndico) Bastante participativo na marcação, mas tá errando muito passe. Parece realmente cansado. (Renato-SP) Quase impecável na marcação do astro Ganso, dessa vez atacou pouco. (Matheus Penido) Manteve o Ganso no bolso a maior parte do tempo. Criou algumas alternativas no campo de ataque, mas sem os atacantes em noite inspirada e sem um meia mais criativo para apoio não conseguiu transformar os lances em chances de gol. (Gustavo Sobrinho)
  • Fabrício - Marcou muito, levantou o moral da tropa com sua raça, mas, saiu pouco pro jogo. (Síndico) Deitou e rolou. A canetada no Wesley foi espetacular. Exagerou no tapa no Ganso, o que poderia ter nos complicado. (Renato-SP)
  • Marquinhos Paraná - Atuação de mestre. Protegeu a ala esquerda, armou e apareceu no ataque com frequência. Sem malabarismos inúteis nem com a bunda no chão como exigem sues teleguiados detratores. (Síndico) Foi o cara lúcido de sempre, dessa vez com mais inspiração que nas últimas partidas. (Matheus Penido) Deve ter errado dois passes. O suficiente para ter avaliação ruim por parte dos seca pimenteiros. Foi a arma ofensiva mais lúcida do time, clareou diversas jogadas no ataque, com inversões de bola e toques de primeira. Chegou a entrar na área e exercer a função de centroavante, mas foi bloqueado por Pará na hora da finalização. Na defesa fez o de costume. (Gustavo Sobrinho) Foi o melhor em campo. (Hugo Serelo) Sobrou ontem. Jogou tão bem que nem as vaias previamente articuladas puderam ser ouvidas. Uma aula de futebol sem sujar o calção ou dar carrinho. (Elias Guimarães) No desarme foi muito bem, como todo o time. Entretanto, continua devendo nos erros de passe. Seu índice nesse quesito tem sido muito acima do normal. Nos mal acostumou, pois nunca errava. (Raul Miranda Penna)
  • Roger Galera - Entrou quando o adversário já estava cansado e desfalacado, ciscou, ciscou, mas não construiu nada de útil. (Síndico) Fez algumas boas jogadas, que não chegaram a levar perigo à meta so Santos por falta de maior penetração do time celeste. (Matheus Penido) Fiquei uns 15 minutos observando-o no aquecimento, quando já rolava o segundo tempo. Mais assistia o jogo do que aquecia. Puxava uma perna, puxava a outra, mas no geral, manteve-se de braços cruzados vendo o jogo mais próximo as placas de publicidade, enquanto os companheiros aqueciam atrás dele. Para mim, não consegue atuar mais do que 25 minutos. Uma partida inteira? Jamais! (Vinícius Cabral)
  • Thiago Ribeiro - Muita luta, mas pouca gente com quem jogar. (Síndico) Jogou isolado no ataque e errou muitos passes. (Renato-SP)
  • Eliandro – Esforçado, mas pouco inspirado. (Síndico) Esforçou-se bastante e deu um trabalho danado pra defesa de terceira idade do Santos. (Renato-SP) Fez boas jogadas e mostrou muita raça. Melhor assim do que o cai-cai insuportável do Wellington Paulista. (Binho)
  • Sebá – Correu muito sem conseguir, contudo, emplacar uma jogada fatal. Foi perseguido pelos idiotas de sempre. (Síndico) É preciso ter um pouco de paciência com esse menino, que é muito bom, melhor até que Eliandro, em minha opinião. Será titular do time ainda nesse Brasileiro. Foi sua 1ª partida como profissional, ou uma das primeiras. Joga muito esse garoto. (Binho)
  • Adilson Baptista - Fez o Santos passar em branco pela primeira vez em 2010. Sim, nas 37 partidas anteiores, o Peixe fez gol. Contra o Cruzeiro, não conseguiu. Se tivesse um camisa nove pra escalar, teria vencido a partida apenas com suas mágicas. As duas linhas de quatro tão comuns na Europa, mas completamente desconhecidas pelos idiotas dos microfones e teclados foi usada com inteligência. Os quatro volantes marcaram muito e dois deles sairam pro jogo quando possível. Faltou apenas um definidor de jogadas no comando do ataque. (Síndico) Foi o jogo de um time que tem um otimo ataque e uma defesa frágil contra outro que montou um esquema defensivo muito bom, mas não tinha ataque. As antas da CBN deram 1 gol de vantagem para o Santos quando disseram que o Cruzeiro teria que fazer no mínimo 2 pra vencer. AB provou que nem galinha, nem peixe ciscam no terreno dele. E. depois de 2 anos e meio. os tapados que ganham dinheiro falando sobre futebol ainda nao sabem nada. (Zé do Canadá)
  • Grande Torcida - Torceu a favor do Cruzeiro. (Síndico) Perfeito o comentário sobre a torcida… A maioria torce a favor e a minoria torce conforme o Emanuel manda. Isso tem que ficar claro, pois qualquer generalização sobre o comportamento da Maior Torcida de Minas é injusta e equivocada. (Flávio Carneiro)
  • Torcida miúda - Torceu contra o Cruzeiro.
  • Seca-pimenteiras - Torceram para o Santos golear e ficaram com cara de tacho.
  • Juiz & Bandeiras - Dentro da normalidade.
  • Santos - DJ respeitou o Cruzeiro. Não foi pra cima como costuma fazer com os demais times. Se enrolou com a marcação do meio de campo celeste e viu seus astros, um a um caindo diante da marcação dos geniais Elicarlos, Gil e Thiago Heleno. É mole? Edu Dracena foi o Xerife de sempre. Marquinhos, como sempre, até abrir o bico, exibiu técnica impecável. Wesley e Rodriguinho também foram excelentes, principalmente, na marcação. Rafael surpreendeu pela segurança e tranquilidade. Neymar, Ganso e André, a esta altura, ainda devem estar procurando um jeito de escapar dos bolsos de Elicarlos, Gil e Thiago Heleno. O que é muito divertido.

O que foi dito

  • Adilson Batista, treinador do Cruzeiro: Vou fazer meu último jogo lá em Goiânia, contra o Atlético-GO, e um abraço. É isso aí. É meu último jogo. Pra felicidade geral da nação, de alguns, eu faço meu último jogo lá. Já conversei com o Zezé, ele até nem queria que eu falasse isso aqui hoje, mas estou chateado com algumas coisas. Só cego que não vê o que é trabalhar uma equipe, o que é ter dificuldade, o que é organizar. Mas isso aí, tem muita gente do outro lado aí expert em futebol. A gente vai com calma, aprendendo todo dia. Quando o adversário joga contra o Santos é o jogo do ano. Quando somos nós, é jogo sob pressão. É assim que funciona aqui em Minas Gerais. Fico chateado com algumas pessoas vaiando o presidente, lamento, pela contribuição do presidente, pela história, pelos títulos, pelas conquistas, isso machuca a gente. Eu tenho só a agradecer, eu sou um cruzeirense, tenho carinho muito grande pelo clube, vou continuar torcendo pelo clube, mas a gente tem que pensar profissionalmente e chegou o momento de sair. Vida que segue. Vou rezar pra que um bom profissional entre e tenha sucesso. Vejo um Cruzeiro forte, competitivo, com grandes jogadores. Na parada da Copa, tem condições de reverter. Gosto muito do Maluf, é um grande profissional, muito correto, não deixava vazar muita coisa, porque vocês gostam muito de uma fonte segura, sempre têm fontes de informação, e o Maluf é firme, sério, cobrando, lutando, agindo com responsabilidade. Mas ele é um profissional capacitado, que daqui a pouco está no meio. A gente lamenta, mas é uma decisão do presidente, precisamos respeitar. Faz parte no futebol. Daqui a pouco volta. Não é em função do Maluf. Eu já estava conversando com o Maluf, em Atibaia eu coloquei que o meu intuito não era prejudicar. Mas já estava dentro dos planos. Grande motivo da saída e futuro destino: o coração, o meu coração. O coração é que está deixando. Não falo nada sobre futuro. Vou fazer o jogo, cheio de jogadores com dor, e tenho um compromisso em São Paulo na segunda-feira. Só isso. Tenho respeito pela imprensa, sempre tive. A gente tem que conviver de maneira saudável, honesta, procurando ser imparcial, ser profissional. Respeito muitos de vocês, pelo trabalho, sei o grau de dificuldade. Precisamos é conversar mais, esclarecer mais, ter um pouquinho mais de cuidado, porque hoje é blog, é twitter, é facebook, todo mundo fala. Esses dias a Miriam Leitão estava criticando o Júlio Baptista, o Gilberto, disse que ia tomar um remédio tarja preta. Quer dizer, todo mundo fala de futebol. Esses dias, o Cerezo encontrou o Maluf no aeroporto e elogiou o Cruzeiro. Esse está na minha seleção. Isso me dá satisfação, não quem escuto dizendo que tem que jogar esse daqui, esse aqui precisa pegar ritmo. Até esse pegar ritmo, eu caí, porque o futebol é muito dinâmico. Eu respeito, nós precisamos melhorar, eu tenho a minha linha de raciocínio, mas não fico fazendo média com ninguém, não dou informação para ninguém, trato todo mundo igual. Acho que ninguém deve ter privilégio de informação e alguns ficam bravos. Mas eu durmo tranquilo, um grande abraço para vocês. Voltar um dia? Volta tem. Isso daí… No futebol acontece muita coisa e a gente espera um dia voltar, mas a cabeça é só fazer esse jogo contra o Atlético-GO e não tem jeito, a gente gosta de trabalhar e vamos pensar o que fazer com calma. O Cruzeiro tem o meu respeito, a própria torcida. A minoria fica vaiando presidente, este, aquele, isso faz parte. Mas sempre tive o carinho, a admiração. Vejo o torcedor inteligente me apoiando, sabendo, tendo noção, discernimento de perceber algumas coisas. O clima está tranqüilo no grupo. Eles estão chateados, porque gostariam de estar numa situação melhor. Mas .enfrentamos um grande adversário. No Cruzeiro, cria-se crise. O Ceará está ganhando de todo mundo. Na Vila o Ceará jogou contra o Santos, que só não tinha o Robinho, e o Santos teve dificuldade. Teve um pênalti no Misael, que dá trabalho pra todo mundo. Pelo carinho, pelo respeito que tenho pelo Cruzeiro, eu procuro cobrar dos atletas pra que se entreguem naquilo que estão fazendo. Por algumas razões, não coloquei A, B ou C e é assim que vou agir em qualquer clube. Um atleta tem que ter esse comprometimento, tem que se dedicar, pois ele é bem remunerado. É evidente que uma hora vai perder. Mas tem de vender a derrota caro. O torcedor gosta de ver o jogador lutando.
  • Dimas Fonseca, Diretor de Futebol do Cruzeiro: O Cruzeiro, por ser um time de ponta, vai trazer um treinador de ponta, não vai trazer treinador que esteja começando. O Cruzeiro precisa de um treinador que tenha o perfil dessa nova filosofia do Adílson, que prestigiava muito a base, haja vista outros atletas que foram revelados enquanto ele esteve à frente do time. Qualquer que seja o treinador, terá que ter esse perfil e dar importância aos jogadores revelados na base. No momento, são muitos os oferecidos ao Cruzeiro. Estamos conversando com esses que foram oferecidos, analisando o melhor nome, mas nós não temos ainda um nome com uma conversa adiantada. Até porque, a conversa do presidente Zezé Perrella com o Adílson foi ontem. Então, esse é um tempo muito curto pra se definir quem vai ser o novo técnico.
  • Fábio', goleiro do Cruzeiro': A gente conseguiu parar uma boa equipe, com jogadores de bastante velocidade. A defesa parou eles muito bem e eu ainda tive a oportunidade de fazer uma boa defesa e ajudar a equipe neutralizando as oportunidades do adversário. No 2º tempo, a gente melhorou, chegou mais e criou mais. Tivemos chances de gol, então não podemos lamentar. Todo mundo sabe que em um jogo como esse detalhes fazem a diferença. Anulamos bem a equipe do Santos, mas quando tivemos oportunidade não fizemos gol. Aqui, vivi muitas alegrias, fiz muitas defesas e, graças a Deus, isto é o importante. Com certeza, o Mineirão vai fechar pra ficar muito mais confortável. O torcedor mineiro, principalmente o cruzeirense, merece. Agradeço a Deus, à minha família e ao Cruzeiro. Gravar as mãos na Calçada da Fama do Mineirão é muito importante pra mim. Uma homenagem que ficará gravada em minha memória.
  • Gil, beque do Cruzeiro: Graças a Deus, eu e o Thiago Heleno conseguimos segurar ali atrás e junto com o Fábio e o restante do setor defensivo, conseguimos fazer com que a bola não chegasse ao André e ao Neymar. Seguramos o ataque deles.
  • Henrique, volante do Cruzeiro: A equipe estava muito aguerrida e determinada na marcação. Só faltou o detalhe essencial, que é o gol. Mas a equipe já teve uma melhoria muita boa em relação à ultima partida. E é assim que tem que ser. Uma equipe vibrante.
  • Pedro Ken, volante do Cruzeiro: Foi difícil. Todo mundo sabe da qualidade do Santos. No geral, fomos melhores, mas não conseguimos fazer o gol. Ficamos com a bola o tempo inteiro, e eles criaram só uma chance.
  • Sebá, atacante do Cruzeiro: É muito bom entrar contra o Santos, equipe que vem fazendo bons campeonatos. Tenho que parabenizar ao grupo que se dedicou ao máximo desde o início da partida.
  • Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Foi um jogo muito movimentado. Fomos um pouco superiores ao Santos e tivemos duas chances claras. Uma no 1º tempo, a da trave, e outra no 2º, em uma bola que o Eliandro deixou escapar um pouco. Às vezes essas oportunidades desperdiçadas fazem falta. No mais, o Cruzeiro mostrou vontade e determinação.
  • Edu Dracena, beque do Santos: Só tenho que agradecer ao Cruzeiro e à sua torcida, que sempre vão estar guardados na minha cabeça e em meu coração. Estou feliz, com uma satisfação enorme, eu nunca tinha sentido isso. Fico feliz com o torcedor gritando meu nome. É um sentimento maravilhoso saber que o seu trabalho foi reconhecido. Eu agradeço de coração ao carinho que o torcedor cruzeirense tem comigo, porque foram três anos e meio com cinco títulos aqui. Tenho contrato com o Santos por mais dois anos, mas quem sabe um dia eu volte a vestir a camisa do Cruzeiro, onde eu fui muito feliz?
  • Dorival Júnior, treinador do Santos: Hoje, não foi uma partida com confiança das duas equipes, com futebol de toque, de penetração, como estão acostumadas, mas foi muito disputada. Acabamos fugindo das nossas características, mas voltamos a ter vibração e isso foi muito importante. Com a pouca recuperação entre as partidas, as dificuldades aumentam a cada rodada, por isso a parada será muito boa pra nós. Sair de uma competição e entrar em outra não é tão simples. Alcançamos um objetivo importante que seriam as finais da Copa do Brasil e depois já começaram outras partidas dificílimas. É muito complicado pra todas equipes que estavam brigando em duas competições paralelas.
  • Rafael, goleiro do Santos: Foi uma estréia importante. Valeu foi determinação do grupo. Passei por momentos de dificuldades, mas graças a Deus foi tudo superado. Agradeço ao Dr. Joaquim Grava, que me operou, a minha família, e a todos da fisioterapia do Santos. Estou feliz pelo treinador ter confiado em mim também. Os dois times estavam bem postados, bem marcados, e isso criou dificuldades. Se não tivesse ocorrido a expulsão do Marcel, poderíamos ter tido um resultado melhor.
  • Wesley, meia do Santos: O Cruzeiro é um bom time e todo mundo sabe da qualidade que eles têm. Não é fácil jogar no Mineirão e, felizmente, conquistamos um pontinho importante fora de casa. Eles têm uma equipe com jogadores muito bons e, por isso, acredito que foi um ótimo resultado pra gente, jogando com um a menos.
  • André, atacante do Santos: Jogar com o Cruzeiro foi difícil. A gente estava com um a menos. Mas não foi mau resultado. Agora é só ganhar domingo que a gente vai cumprir nosso objetivo até a pausa da Copa. O clima está o mesmo de antes. Robinho sem dúvida faz falta, na bagunça e em tudo. Mas é normal essa queda de rendimento, a gente sabia que ia acontecer. Estamos tranquilos. Estamos focados pra ganhar domingo e terminar entre os quatro. Essas especulações são de gente de fora. O pessoal tem que ter o que falar. A gente aqui dentro está como sempre, sabe que o grupo está unido. Isso é coisa de fora.
  • Lédio Carmona, em seu blog: Por falar em Cruzeiro, parece que a parada para a Copa será fundamental na Toca da Raposa. O técnico Adilson Batista resolveu encerrar seu ciclo no comando da equipe no próximo domingo. Não suportou a pressão da exigente torcida cruzeirense, apesar de ter montado ótimas escalações e ter levado à final da Libertadores 2009. Coisas do futebol. Agora o Cruzeiro fica sem técnico e sem seu principal jogador. Torçamos para que reponha à altura. No Mineirão, a partida entre Cruzeiro e Santos foi o típico duelo de duas equipes que não estão focadas no campeonato. Um 0 a 0 clássico, onde emoção foi raridade. O Santos precisa começar a pontuar na competição. Estão apostando todas as fichas no título da Copa do Brasil. Esquecem que tem pela frente o entrosado Vitória. A tática de Dorival não me parece ser a mais inteligente…
  • Vitor Birner, em seu blog: Jogo de poucas emoções no Mineirão. Os bastidores foram mais movimentados que a partida. O presidente do Cruzeiro afirmou que Kleber será liberado para o Palmeiras, e Adilson Batista anunciou a sua saída da Raposa. No gramado, a defesa santista funcionou, o time de Dorival Jr atuou mais fechado do que de costume. Mostrou outra característica, e deu certo. Gil cabeceou bola na trave, na melhor chance do 1° tempo. E Marcel, que acabara de entrar, foi expulso aos 25 da etapa complementar, deixando o Peixe com um a menos. O time paulista suportou a pressão. Despedida melancólica do Mineirão que fechará para reformas.
  • Leandro Mattos, em seu blog: O Cruzeiro vive dias turbulentos desde a eliminação precoce na Libertadores da América 2010. O empate sem gols com o Santos, nessa quarta-feira, no Mineirão, encerrou a ‘era Adílson Batista’ na Toca da Raposa II. Foi o próprio treinador quem resolveu colocar o ponto final na história. Adílson somou um bom tempo no comando da equipe estrelada, principalmente se levarmos em conta o ‘padrão’ da maioria dos clubes brasileiros, que trocam de técnicos pelo menos duas vezes por ano. A relação de Batista com parte da torcida já estava desgastada, os títulos almejados não vieram e a cobrança excessiva, tida como exagerada pelo ex-comandante celeste, pôs um fim na história. “Vou fazer meu último jogo lá em Goiânia, contra o Atlético-GO, e um abraço. É isso aí. É meu último jogo. Para felicidade geral da nação, de alguns, eu faço meu último jogo lá”, disse Adílson, ao abrir sua entrevista coletiva após a igualdade com o Peixe. Pra mim, Adílson tem um grande potencial, é um técnico que trabalha muito, mas precisa -caso queira atingir o ápice de sua profissão- aprender a lidar melhor com as críticas, enxergar que também erra, como qualquer profissional, e trabalhar um pouco mais a questão da humildade. Quando temos um trabalho público, estamos sim sujeitos a julgamentos, críticas, elogios e avaliações das mais variadas. O Cruzeiro chega ao final da semana sem Eduardo Maluf (ex-diretor de futebol), Kléber e Adílson Batista. Por sorte, o Campeonato Brasileiro será paralisado para a Copa do Mundo e o clube azul terá um tempo razoável para se reorganizar e tentar colher um segundo semestre mais feliz.
  • Gustavo Martins, no PHD: Foi um grande jogo. Um Cruzeiro totalmente diferente do time que nos fez passar raiva nos últimos jogos. E quem diria que nossa zaga, todos temiam, iria se sair tão bem hoje? Quanto ao Adílson, foi realmente uma pena. Um técnico acima da média, que nos levou a importantes vitórias. E quase entrou pra história, se tivesse conquistado aquela maldita Libertadores. Trabalhador, sincero, autêntico. Vai fazer falta. Só os tolos não enxergavam que ele conseguia transformar um time mediano em um time bem competitivo. E sempre me lembrarei dos 5×0 nas cocotas e dele dando as respostas pro pessoal da rádio câncer. Que ele seja feliz. E que nós sejamos ainda mais felizes, com o novo técnico.
  • Evandro Oliveira, no PHD: Juro que tive um acesso de risadas quando técnico do “melhor time dos últimos dez anos no Brasil” tirou o André e colocou o conhecido Marcel (procurem saber quem é empresário do Marcel, do técnico etc e tal). Mas como existem visões diferenciadas, é bom respeitar.
  • Renato-SP, no PHD: Parabéns ao time pelo jogo. A dupla de zaga fez uma ótima partida. Gil matou a pau. Quando o time tem uma pegada melhor os jogadores referência estavam em baixa. TR e Jonathan erraram 95% dos passes. Acontece. Gostei da movimentação e proteção do Eliandro. Gostei das investidas do Sebá. Thiago Heleno merece uma menção honrosa por finalizar o jogo mesmo estando contundido. E não se poupou em nenhum lance. Triste pela saída do comandante. Uma pena mesmo. Perdemos mais uma batalha para a rádio das frangas. Não há de ser nada, na volta da Copa estaremos com outra postura. Espero.
  • Celeste Campos, no PHD: Vi o jogo pela Bandeirantes. Antes de começar, a Dimara tentou induzir o Roger a criticar o Adílson Baptista pelo fato de mantê-lo na reserva. O meia se saiu bem e disse que o momento era de apoio integral ao técnico e ao grupo que estava em campo. Durante toda a transmissão, o comentarista Neto criticou o técnico por manter o Pedro Ken e o Roger na reserva. Ele certamente não viu os últimos jogos deles pelo Cruzeiro.


Informações adicionais

O Técnico Adílson Batista anunciou após a partida que estava deixando o Cruzeiro.

Porque é um Jogo Imortal?

Esta foi a última partida do Cruzeiro no Mineirão antes de sua reforma para a Copa do Mundo no Brasil em 2014.

Links e Fontes