Corinthians 1x1 Cruzeiro - 28/08/2002

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Bahia.png Gol aos do Escudo Flamengo.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Bahia.png Gol aos do Escudo Flamengo.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Pacaembu
Escudo Corinthians.png 2x4 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Corinthians.png 0x1 Escudo Cruzeiro.png
Contra Corinthians
Escudo Cruzeiro.png 2x3 Escudo Corinthians.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Corinthians.png

[edit]

Escudo Corinthians.png
Corinthians
1 × 1 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1ª Fase do Campeonato Brasileiro 2002
Data: 28 de agosto de 2002 Local: São Paulo, SP
Horário: 20:30 Estádio: Pacaembu
Árbitro: Luciano Augusto T. Almeida Público pagante: 14.943
Assistente 1: Público presente: Não disponível
Assistente 2: Renda: Não informado
Súmula: Não disponível
Escalações
Corinthians: Cruzeiro:

1. Doni 1. Jefferson
2. Fábio Luciano Cartão amarelo recebido aos 2. Cris
3. Scheidt 3. Luisão
4. Fabinho Cartão amarelo recebido aos 4. Leandro Silva
5. Kléber 5. Maicon
6. Rogério Gol aos 25 do  (1T) 25'  (1T) 6. Augusto Recife Cartão amarelo recebido aos
7. Renato Cartão amarelo recebido aos 7. Fernando Miguel Substituição realizada de jogo ( Wendel )
8. Vampeta 8. Jorge Wagner Substituição realizada de jogo ( Jussiê Cartão amarelo recebido aos )
9. Deivid 9. Vander
10. Gil 10. Fábio Júnior Gol aos 16 do  (1T) 16'  (1T) Substituição realizada de jogo ( Joãozinho II )
11. Leandro Substituição realizada de jogo ( Marcinho ) 11. Marcelo Ramos
Técnico: Carlos Alberto Parreira Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Reservas que não entraram na partida
Corinthians: Cruzeiro:


Jogo

No reencontro do Corinthians com Vanderlei Luxemburgo, seu ex-treinador, o time paulista não conseguiu vencer o Cruzeiro, ficando no empate de 1 a 1.

Com o resultado, os corintianos chegaram a dez pontos na tabela, três a menos do que o Juventude, líder do campeonato. Os mineiros, que lutam para fugir das últimas colocações, estão com seis.

Durante a partida, a torcida corintiana aproveitou para protestar contra a diretoria do clube e a administração de Alberto Dualib.

Uma das faixas perguntava "Cadê o nosso estádio?", em alusão à promessa não cumprida que havia sido feita quando o time fechou parceria com o HMTF, fundo de investimentos norte-americano. Não faltaram protestos também em relação à saída de Ricardinho, meia contratado pelo São Paulo. A diretoria foi chamada de incompetente; o jogador, de mercenário.

Em campo, o Cruzeiro começou melhor e abriu o marcador aos 16min. O lateral Maicon fez jogada pela direita do ataque do time mineiro, cruzou para a área, e o atacante Fábio Júnior aproveitou para chutar e anotar o gol.

Sete minutos depois, o time mineiro quase marcou o segundo. Fábio Júnior chutou despretensiosamente de longe, Doni não foi bem no lance, mas ainda assim conseguiu fazer a defesa.

Aos 25min, porém, o Corinthians chegou ao empate. Rogério, cobrando falta, chutou no canto direito do goleiro Jéfferson, fazendo 1 a 1.

Aos 32min, o atacante Leandro chutou de fora da área, mas Doni conseguiu tocar para escanteio. Seis minutos depois foram os paulistas que quase desempataram. Jéfferson espalmou mal, Deivid aproveitou o rebote, mas o goleiro conseguiu segurar a bola.

No intervalo, os corintianos saíram reclamando do excesso de faltas dos rivais, que tinham cometido 16 contra 9 dos paulistas. No final, o time de Luxemburgo cometeu 28 faltas, nove a mais do que a equipe da casa.

Na partida anterior, quando venceram o Bahia, em casa, por 2 a 1, os mineiros chegaram a cometer 46 faltas, mais do que qualquer time no atual Brasileiro.

No segundo tempo, os dois times caíram de produção, e o jogo teve lances bizarros. Em um deles, o meia Renato entrou de carrinho no assistente (bandeirinha), tentando evitar que a bola saísse.

As melhores chances do Cruzeiro continuaram sendo em chutes de fora da área, já que Doni, demonstrando insegurança, rebatia mal na maioria dos lances.

O Corinthians, com dificuldades para chegar à área rival, apesar do bom índice de acerto de passes -91,3%-, também tentava chutes de fora da área, mas em nenhum deles ofereceu perigo ao goleiro cruzeirense e teve de se contentar com o empate.[1]

Referências

Transmissão

  • PPV