Colo-Colo 1x1 Cruzeiro - 15/04/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Betim.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 1x3 Escudo Betim.png
Por Copa Libertadores da América
Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Vélez Sársfield.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x1 Escudo Nacional-URU.png
No estádio Monumental de Chile
Escudo Colo-Colo.png 0x0 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Última ficha →
Contra Colo-Colo
Escudo Cruzeiro.png 4x1 Escudo Colo-Colo.png Gol aos do Última ficha →

[edit]

Escudo Colo-Colo.png
Colo-Colo
1 × 1 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
5ª rodada - 1ª fase - Copa Libertadores da América 2019
Data: 15 de abril de 2010 Local: Santiago, CHI
Horário: 21:50 Estádio: Monumental de Chile
Árbitro: Carlos Manuel Torres (PAR) Público pagante: Não disponível
Assistente 1: Milcíades Saldívar (PAR) Público presente: Não disponível
Assistente 2: Carlos Cáceres (PAR) Renda: Não informado
Súmula: Súmula
Escalações
Colo-Colo: Cruzeiro:

1. Prieto 1. Fábio
2. Magalhaes Substituição realizada de jogo ( 13. Fuenzalida ) 2. Jonathan
8. Toro Cartão amarelo recebido aos 3. Gil Cartão amarelo recebido aos  (1)
19. Scotti Cartão vermelho recebido aos 4. Leonardo Silva Cartão amarelo recebido aos  (1)
4. Cereceda Substituição realizada de jogo ( 21. Quiroga ) 6. Diego Renan Substituição realizada de jogo ( 14. Thiago Heleno )
16. Aránguiz Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada de jogo ( 22. Graf ) 15. Fabinho Alves Substituição realizada Intervalo de jogo Intervalo ( 5. Fabrício )
18. Meléndez Cartão amarelo recebido aos 7. Marquinho Paraná
14. Millar Gol aos do 8. Henrique
10. Torres 10. Gilberto
11. Miralles Cartão amarelo recebido aos 9. Wellington Paulista Substituição realizada de jogo ( 23. Roger )
9. Bogado 11. Thiago Ribeiro  Gol aos do
Técnico: Hugo Tocalli Técnico: Adilson Batista
Reservas que não entraram na partida
Colo-Colo: Cruzeiro:

Como foi

Por Mauro França

Para se classificar, o Cruzeiro só não podia perder por 4×0 ou 5×1. Apesar da boa vantagem, não se previa jogo fácil, principalmente em função do desespero do Colo-Colo e da própria instabilidade do time celeste.

Para encarar o desafio, Adilson manteve a base dos últimos jogos. A única alteração foi a entrada de Wellington Paulista no lugar de Kleber, contundido. Gil e Fabinho Alves seguem no time e Fabrício ficou no banco como opção.

1º TEMPO

O Cruzeiro entrou em campo com o objetivo de impedir qualquer pressão do Colo-Colo. Para tanto, congestionou sua intermediária e fez uma marcação agressiva.

Sem espaço para articulação, os chilenos se limitaram a tentar lançamentos longos e alçar bolas na área, sem sucesso.

A jogada em que Miralles penetrou pelo lado direito do ataque e obrigou Fábio a sair do gol para abafar o perigo, aos 6 minutos, foi praticamente um lance isolado.

O Cruzeiro conseguiu esfriar o jogo, impondo um ritmo cadenciado que melhor lhe convinha.

Organizado, valorizava a posse de bola trocando passes e marcava presença no campo de ataque, ainda que sem criar lances mais agudos.

Gilberto, aberto pela esquerda, aparecia pouco. Wellington Paulista só brigava.

A principal opção de ataque, como sempre, era pela direita, com a movimentação intensa de Thiago Ribeiro e o apoio de Jonathan.

Por volta dos 20 minutos o time conseguiu criar boas situações no ataque.

Aos 18, Wellington Paulista ganhou da marcação e foi derrubado na entrada da área, pela direita. Na cobrança, Thiago Ribeiro rolou para Gilberto, que chutou alto, longe do gol.

Aos 21, Diego Renan tabelou com Gilberto, avançou e bateu cruzado, por cima do gol.

No minuto seguinte, Paraná escapou pela esquerda e cruzou. Scotti, com o peito, atrasou para Prieto.

O Colo-Colo praticamente não ameaçava. A zaga, firme, espanava bem as tentativas dos chilenos, com o apoio de Henrique e Fabinho Alves, este grudado em McNelly Torres.

Aos 30, Aranguiz perdeu um lance de ataque e quis peitar Gil. O juiz deu cartão amarelo para os dois.

Aos 34, Leonardo Silva e Miralles se estranharam e foram amarelados. Com os cartões, o juiz não deixou o clima esquentar além da conta.

O Cruzeiro seguiu marcando presença no ataque, ainda que chegasse sem velocidade e sem conseguir penetrar na área chilena.

Aos 31, teve outra oportunidade em cobrança de falta nas proximidades da área, pela direita. Desta vez, Thiago Ribeiro jogou na área e a defesa cortou.

Aos 34, deslocado pela esquerda, Thiago Ribeiro recebeu de Gilberto, tinha espaço para avançar, mas se precipitou e bateu de fora da área, fraco, à direita do gol.

Depois dos 35 o Colo-Colo esboçou uma pressão e chegou com certo perigo à área celeste. Aos 37, Melendez aproveitou um rebote e bateu forte da entrada da área, por cima do gol.

No minuto seguinte, Bogado jogou na área e Fábio fez boa defesa.

Na sequência, Magallanes cruzou da direita, a bola cruzou toda a extensão da área e sobrou para Bogado, que jogou de volta no bolo. Fábio fez defesa parcial e Leonardo Silva cortou o perigo com um chutão.

A pressão parou por aí. Depois dos 40 o Cruzeiro conteve o ímpeto chileno, retomou o controle das ações e levou o jogo até o apito final do juiz sem maiores problemas.

2º TEMPO

Os dois técnicos fizeram alterações para o segundo tempo. No Colo-Colo, Fuenzalida substituiu Magallanes, em opção ofensiva de Hugo Tocalli. Adilson, por sua vez, trocou Fabinho Alves por Fabrício, com intenção de melhorar a saída de bola e arriscar um pouco mais no ataque.

O Cruzeiro ameaçou nos instantes iniciais, em jogadas de Marquinhos Paraná.

Aos 2, ele foi ao fundo, pela direita, cruzou e a defesa cortou. No minuto seguinte, penetrou em diagonal na área, cortou o goleiro e perdeu o ângulo. Prieto se recuperou e cortou o cruzamento.

A resposta do Colo-Colo veio em contra ataque puxado por Miralles que, aos 6, avançou pela esquerda e bateu cruzado da entrada da área. A bola saiu à esquerda de Fábio, com muito perigo.

O jogo ficou aberto e ganhou em movimentação. Com um posicionamento mais adiantado, o Cruzeiro ganhou força ofensiva.

Gilberto cresceu e passou a se movimentar mais, criando boas jogadas. Em contra partida, o Colo-Colo teve mais espaço para atacar, principalmente pelo lado direito do seu ataque, sempre com Miralles, sua melhor opção ofensiva.

Por volta dos 10 minutos o Cruzeiro chegou com perigo na área chilena por duas vezes. Aos 12, Gilberto recebeu lançamento primoroso de Fabrício nas costas do marcador, pela esquerda, avançou e cruzou.

Thiago Ribeiro apareceu do outro lado e, na corrida, pegou de primeira e acertou o canto direito de Prieto. Golaço. Cruzeiro, 1×0.

A resposta do Colo-Colo foi imediata. Já no minuto seguinte, Miralles chutou de fora da área e Fábio defendeu.

Aos 14, Miralles cruzou da direita e Fuenzalida furou na cara do gol, dentro da pequena área, perdendo uma chance incrível.

Aos 15, Millar recebeu lançamento nas costas da zaga, pela direita, penetrou livre pela área e bateu cruzado, forte, sem chance para Fábio. Colo-Colo, 1×1.

Aproveitando o apagão momentâneo da defesa celeste, os chilenos seguiram atacando.

No minuto seguinte, Miralles recebeu livre na grande área, novamente pela direita, e bateu para o gol. Fábio fez grande defesa. Aos 18, Fábio defendeu cruzamento acossado por Scotti e aproveitou para cair no gramado e esfriar o jogo. Para fechar o corredor por onde Miralles deitava e rolava, Adilson trocou Diego Renan por Thiago Heleno.

A alteração funcionou. Aos poucos o Cruzeiro se assentou e voltou a equilibrar as ações.

Hugo Tocalli trocou Cereceda por Quiroga aos 21, mas seu time começou a dar sinais de nervosismo. Toro acertou um soco em Thiago Ribeiro e foi amarelado.

Por volta dos 25 minutos o Cruzeiro já tinha neutralizado a pressão e retomou o controle.

Mas, errando muitos passes e lançamentos, não conseguia dar sequência aos contra-ataques que se ofereciam com o avanço desesperado do adversário.

Na tentativa de resolver o problema, Adilson Wellington Paulista por Roger, aos 28.

Aos 30, Jonathan recebeu pela direita, depois de jogada que começou com Roger e passou por Gilberto. Ao tentar o drible, foi atingido por Melendez, que foi amarelado.

Na cobrança, Roger e Jonathan se confundiram e desperdiçaram boa chance.

Aos 34, Scotti atingiu Henrique com violência e foi expulso.

O Colo-Colo se perdeu de vez. À beira do campo, Adilson começou a gritar para o time forçar no ataque em busca da vitória.

Mas, àquela altura, sentindo o desgaste da partida, o time pouco conseguiu, desperdiçando sucessivos ataques por erros de passes e precipitações.

Aos 38, Roger cobrou falta pela direita e na tentativa de cortar Toro rebateu contra sua própria meta, quase fazendo gol contra.

Na cobrança do escanteio, Gil tentou de cabeça e a bola sobrou para Gilberto, que pegou de primeira e jogou por cima do travessão.

Já sem muita força, o Colo-Colo ainda tentou algumas investidas que foram bem rechaçadas pela defesa celeste.

O Cruzeiro gastou o tempo tocando a bola no ataque, sem conseguir criar nenhuma situação mais esclarecida para marcar.

O importante é que o objetivo principal –a classificação– foi atingido. E com méritos.

O time controlou as ações na maior parte do tempo. Mostrou segurança, organização tática e maturidade para enfrentar e conter a pressão do adversário.

Se algumas peças importantes não estiveram bem tecnicamente, o coletivo sobressaiu-se mais uma vez.

O que foi dito

Notícias relacionadas

Transmissão

  • Sportv

Vídeos

Links e Fontes

Cruzeiro.Org

Blog PHD