Botafogo 2x2 Cruzeiro - 18/09/2010

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 4x2 Escudo Guarani.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Ceará.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 4x2 Escudo Guarani.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 2x0 Escudo Ceará.png
No estádio Engenhão
Escudo Botafogo.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos do Escudo Fluminense.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png
Contra Botafogo
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Botafogo.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Botafogo.png

[edit]

Escudo Botafogo.png
Botafogo
2 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
Campeonato Brasileiro 2010
Data: 18 de setembro de 2010 Local: Rio de Janeiro, RJ
Horário: 18:30 Estádio: Engenhão
Árbitro: Heber Roberto Lopes Público pagante: 14.128
Assistente 1: Altemir Hausmann Público presente: 16.259
Assistente 2: José Amilton Pontarolo Renda: R$ 305.080,00 R$ 305.080
Cr$ 305.080
NCr$ 305.080
Cz$ 305.080
NCz$ 305.080
(preço médio: R$ 21,59 )
Súmula: Súmula Borderô
Escalações
Botafogo: Cruzeiro:
1. Jefferson 1. Fábio
2. Alessandro Gol aos 4 do  (1T) 4'  (1T) 2. Jonathan
3. Antônio Carlos 3. Edcarlos
4. Fábio Ferreira 4. Léo Cartão amarelo recebido aos 7  (2T) 7'  (2T)  
5. Leandro Guerreiro Cartão amarelo recebido aos 31  (2T) 31'  (2T)   5. Fabrício Substituição realizada 35' 1T de jogo 35' 1T ( 15. Fabinho Alves )
6. Somália 6. Diego Renan
7. Maicosuel 7. Roger
8. Fahel 8. Henrique
9. Danny Morais Substituição realizada 27' 2T ( 18. Caio 10'  (2T)   ) de jogo Substituição realizada 27' 2T de jogo 27' 2T ( 18. Caio Cartão amarelo recebido aos 10  (2T) 10'  (2T)   ) ( 17. Herrera ) 9. Farías Substituição realizada 24' 2T de jogo 24' 2T ( 18. Wallyson )
10. Renato Cajá Substituição realizada 17' 2T de jogo 17' 2T ( 11. Edno ) 10. Montillo Gol aos 12 do  (2T) 12'  (2T) Gol aos 26 do  (2T) 26'  (2T)
13. El Loco Abreu Gol aos 30 do  (2T) 30'  (2T) 11. Thiago Ribeiro Substituição realizada 37' 2T de jogo 37' 2T ( 14. Gil )
Técnico: Joel Santana Técnico: Cuca
Reservas que não entraram na partida
Botafogo: Cruzeiro:


Pré-Jogo

Em 3º lugar com 40 pontos, se vencer, o Cruzeiro pode até chegar à liderança. Se perder, fica em 4º lugar.

Marquinhos Paraná e Wellington Paulista, contundidos, desfalcam o time celeste.

Em 4º lugar com 37 pontos, o Botafogo pode chegar à vice-liderança, se vencer. Perdendo, pode cair uma ou duas posições.

Jobson, Marcelo Cordeiro e Marcelo Matos, contundidos, desfalcam o alvinegro carioca.

Como foi

Primeiro Tempo

  • 18h20 – Engenhão com público mediano. Choveu no Rio, torcedor ficou em casa.
  • 18h26 – Botafogo em campo com uniforme tradicional.
  • 18h27 – Cruzeiro em campo com uniforme tradicional.
  • 18h28 – Cuca: “Vamos jogar de forma equilibrada.”
  • Banco do Cruzeiro: Rafael Monteiro, Rômulo, Gil, Francisco Everton, Fabinho Alves, Wallyson.
  • 18h33 – Começa o Jogo. Cruzeiro, à esquerda das tribunas, dá a saída.
  • 30 seg – Thiago Ribeiro avança pela direita, mas é desarmado por Antônio Caros.
  • 01 – Fábio sai do arco e defende aos pés de Maicosuel, que invade a área pela esquerda. Lateral para o Botafogo.02 – Jonathan comete falta em Leandro Guerreiro no meio de campo.
  • 03 – Alessandro cruza pela direita, Edcarlos afasta na entrada da área.
  • 04 – Renato Cajá cruza da esquerda, Edcarlos e Leo dão bote, mas levm um corte de Alessandro que chuta forte, cruzado. Bola desvia no montinho artilheiro e Fábio não alcança. Botafogo 1×0.
  • 07 – Montillo tabela com Thiago Ribeiro, que chuta fraco, sem perigo pra defesa carioca.
  • 08 – Alessandro cruza da direita, Fábio defende.
  • 09 – Jonathan cruza, Farias cabeceia de raspãp, Danny Morais corta.
  • 10 – Roger Galera cruza da esquerda, Jefferson sobe mais que Farias e desvia para escanteio.
  • 11 – Montillo cobra escanteio, Leo cabeceia, bola sai para escanteio.
  • 12 – Loco Abreu é desarmado por Edcarlos. No contra-ataque, Henrique chuta forte, bola passa por cima do travessão.
  • 13 – Alessandro cruza da direita, Fábio defende pelo alto.
  • 14 – Guerreiro comete falta em Montillo, que cobra da intermediária. Bola desvia na defesa. escanteio.
  • 15 – Montillo cobra escanteio pela direita, defesa corta.
  • 16 – Fahel avança, Edcarlos cede escanteio, de carrinho.
  • 17 – Thiago Ribeiro ajeita, Montillo acert uma bomba de fora da área. Bola sai à esquerda de Jefferson.
  • 18 – Alessandro cruza da direita, bola atravessa a área. Somália cruza da esquerda, Abreu cabeceia por cima do travessão.
  • 19 – Cruzeiro tem 60% de posse de bola, mas sofre frequentes contra[ataques. Jonathan ataca pela direita, Somália cede escanteio.
  • 20 – Montillo cobra, pel direita, 5º escanteio do Cruzeiro. Danny corta de cabeça, Roger fica cm o rebote, mas ajeita a bola com a mão.
  • 21 – Diego Renan cruza da esquerda, farias toca pra rede. Gol anulado. Heber Roberto dá tiro de meta. E
  • 22 – Máfia Azul chega ao Engenhão e os mil torcedores celestes cantam mais alto do que os botafoguenses.
  • 23 – Somália desarma ataque celeste e dá um chutão. Henrique fica com a bola e sai jogando.
  • 26 – Guerreiro chuta de longe, Fábio defende.
  • 27 – cajá cruza da esquerda, Edcrlos corta. Abreu cruza, Fábio defende.
  • 28 – Montillo cruza da direita, Ferreira cede escanteio. Montillo cobra, defesa corta.
  • 29 – Jonathan cruza, Jefferson defende pelo alto.
  • 30 – Montillo erra passe, Fahel dá esticão, Fábio sai doa rco e fica com a bola.
  • 31 – Thiago Ribeiro faz jogada pela esquerda e chuta da entrada da área, Somália corta.
  • 32 – Maicosuel solta uma bomba da entrada da área, Fábio vola e desvia pra escanteio, no ângulo superior direito.
  • 33 – Maicosuel tabela com Jonathan, Somália desrama o ataque e estica para o ataque. Alessandro cruza, Leo Simões espana.
  • 34 – Roger sofre falta no meiod e campo. Montillo joga bola na área. Danny corta de cabeç.
  • 35 – Fabinho Alves substitui Fabrício.
  • 36 – Cajá toca a bola com a mão na entrada da área. Roger e Montillo tomam posição pra cobrar. Montillo cobra, bola acerta a barreira.
  • 37 – Farias fora de campo com ferimento na cabeça.
  • 38 – Caio substitui Danny Morais.
  • 39 – Roger Galera tenta armar jogada pela direita, mas erra o passe.
  • 40 – Somália lança bola sobre a área celeste. Edcarlos vence Abreu pelo alto e corta.
  • 41 – Roger puxa contra-ataque. Guerreiro pára a jogada com falta. Montillo cobra, Jefferson escolta bola, que sai pela linha de fundo.
  • 42 – Somália levanta bola na área celeste, Diego Renan fica com ela na lateral-esquerda.
  • 44 – Jonathan parte para o ataque, mas é parado com uma rasteira de Somália. Montillo cobra, Antônio Carlos corta de cabeça.
  • 45 – Renato Cajá tom bola de Diego Renan e cruza. Edcarlos corta.
  • 46 – Roger Galera derruba Abreu na lateral da área. Alessandro cobra da direita, Antônio Carlos cabeceia pra fora.
  • Leo Simões: “O time suportou bem a pressão no 1º tempo.”
  • Roger Galera: “Jogar aqui é complicado. Eles estão usando muito as beiradas do campo.”
  • Renato Cajá: “Vamos voltar marcando bem no meio de campo.”

Segundo Tempo

  • 9h35 – Cruzeiro volta a campo.
  • 19h36 – Jonathan: “Jefferson trabalhou pouco. Precisamos chutar mais. Fabrício marca e sai pro jogo, Fabinho Alves fica mais na contenção. Estamos acostumados a jogar ocm os dois.”
  • 19h38 – Começa o 2º tempo.Botafgo dá a saída.
  • 01 – Jonathan recua bola pra Fabinho Alves. Bola queima no pé do volante, que dá um chutão pra linha de fundo.
  • 02 – Cajá cruza da esquerda, Abreu cabeceia, Fábio defende.
  • 03 – Caio puxa contra-ataque, mas leva rasteira de Edcarlos e fica ca[ido.
  • 05 – Jonathan cruza da direita, Antônio carlos corta de cabe;ca.
  • 06 – Thiago Ribeiro chuta de fora da área, bola desvia no montinho artilehiro e quase engana Jefferson, que consegue desviar pra escanteio.
  • 07 – TR cruza da direita, Farias tenta arrematar, mas cai na área.
  • 08 – Maicosueal deixa fabinho pra trás e avança. Leo comete a falta e recebe cartão amarelo. Renato Cajá cobra, bola sai pela linha de fundo.
  • 09 – Abreu passa a Cajá, que é desaamdo por DR dentro da área celeste.
  • 10 – Roger Galera lança Diego renan, que é derrubado por caio dentro da área. Pênalti.
  • 11 – Montillo cobra com chute bem colocado. Bola no canto esquerdo. Jefferson no direito. Cruzeiro 1×1.
  • 13 – Caio passa a Maicosuel na área. Edcarlos corta pra escanteio. cajá cobra, Fahel cabeceia pra fora.
  • 15 – Abreu cabeceia, Leo despacha com um chutão.
  • 16 – Joel Santana saca a prancheta e rabisca um esquema qualquer.
  • 17 – Antônio Carlos lança Caio, que tenta cruzar. Edcarlos cede lateral.
  • 18 – Edno substitui Renato Cajá. Jonathan passa por Somália e cruza. Farias se atrapalha com a bola dentro da área.
  • 19 – Montillo tabe;a com Roger e lança DR, que entra na área e chuta pra fora, acossado por Antônio Carlos.
  • 21 – Alessandro cruza da direita, Abreu não consegue arrmatar de cabeça.
  • 22 – Maicosuel chuta de longe, Fábio defende.
  • 23 – Jonathan faz grande lançamento nas costas da bequeira do Bota. TR aparece pra arrematar, mas a bola sai pela linha de fundo.
  • 24 – fahel tenta cruzar, mas é impedido por DR, que cede escanteio.
  • 25 – Wallyson substitui farias. Maicosuel cobra escanteio da direita, Loco Abreu cabeceia, bola sai por cima do travessão.
  • 26 – Montillo faz grande jogada individual, passa por três botafoguenses, ajeita o corpo e solat uma bomab, da entrada da área. Bola entra noc anto equrdod e Jefferson que, hipnotizado, nem vai na bola. Cruzeiro 2×1.
  • 27 – Herrera substitui caio, que sai vaiado.
  • 28 – Maicosuel ataca pelo meio, edcarlos corta.
  • 29 – Maicosuel se atira sobre DR no bico da área. Heber Roberto Lopes marca pênalti.
  • 31 – Loco Abreu chuta seco, de escanhota, no canto direito. Fábio acerta o canto, mas não alcança a bola. Botafogo 2×2.
  • 32 – Herrera cruza da esquerda, Hemrique corta dentro da área.
  • 33 – Herrea cruza da esquerda, Somália cbcia, Fábio se estica e corta no canto direito.
  • 34 – Falta cobrada sobre a área celeste, Defesa faz linha de impedimento, Ferreira cabeceia , Fábio espalma pra escanteio.
  • 36 – Bola esticada na área, Jefferson fica com ela sem problemas.
  • 37 – Gil substitui Thiago Ribeiro.
  • 38 – Montillo entra na área driblando, Ferreira corta pra escanteio. Montillo cobra, AC cede escanteio. Montillo cobra, Loco Abreu corta de cabeça.
  • 39 – Herrera cruza da direit, bola desvia em DR sai a escanteio.
  • 40 – Montillo recebe chutão da defesa, corre, mas [e desaramdo por Guerreiro.
  • 41 – Herrera passa por Gil, mas é desmado por fabinho.
  • 42 – Alessandro cruza da esquerda, fabinho corta.
  • 43 – Alessandro cruza da direita, Abreu cabeceia, Leo corta dentro da área.
  • 44 – Edno desarama Montillo e sai para o ataque. Gil corta cruzamento.
  • 45 – Wallyson desrama Alessandro no campo de defesa celeste.
  • 46 – Fahel recebe passe de Maicosuel e cruza. Leo corts. bola sai pela laterl.
  • 47 – Roger galera cobra falta sobre a área, Jefferson defende pelo alto.
  • Roger galera. Fora de casa, não foi mau resultado diante de uma excelente equipe.
  • Henrique: Reagimos bem e num detalhe, o pênalti, eles empataram. Estamos todos de parabéns pela reação.

Vídeos

Gols da partida fonte: Globoesporte.com

Fotos

Atuações

  • Fábio – Passou de um goleiro que nunca saia na foto para um quase especialista em pegar penaltys. Se não tivesse sido batido com maestria teria pegado mais um. Fez seu milagre costumeiro e só foi vencido mesmo pelo montinho artilheiro. (Walterson Almeida) Falhou no 1º gol do Botafogo. Saiu mal em uma bola cruzada, que não achou e permitiu que o botafoguense cabeceasse com perigo. Fez uma grande defesa em um chute do Maicosuel, de fora da área, e depois defendeu um cabeçada dentro da pequena área, que tinha o endereço certo. Não brilhou, mas também não comprometeu. (Naldo Morato)
  • Jonathan – A despeito da quantidade de areia no gramado, fez um bom jogo. Assim como Montillo e Roger, teve marcação especial e muitas subidas pelo seu lado. Melhorou no 2º tempo quando finalizou uma bola perigosa e tentou armar alguns contra-ataques. Na defesa, esteve firme. (Frede Amaral)
  • Leo Simões – Embora tenha apresentado dificuldade no jogo aéreo, jogou bem. Antecipou-se várias vezes nas disputas com os atacantes e foi guerreiro o tempo todo. Firma-se a cada dia. (João Chiabi Duarte)
  • Edcarlos – Errou o lance do 1° gol do Botafogo porque perdeu o tempo da bola, mas reequilibrou-se e atuou bem no restante da partida. (João Chiabi Duarte)
  • Gil – Entrou pra mudar o sistema de jogo e fechou bem o setor e, embora tenha atuado pouco tempo, fez três desarmes importantes. É um jogador que já inspira confiança. (João Chiabi Duarte)
  • Diego Renan - Ao lado de Edcarlos, foi mal no lance do 1º gol do Botafogo. No 2º tempo, teve mais liberdade e pelo seu lado saíram as melhores oportunidades do Cruzeiro. Quando Maicosuel caiu pelo seu lado, ficou mais contido e ganhou a maioria das jogadas. E, na minha opinião, não cometeu o pênalti em Maicossuel, que resultou no empate dos cariocas. (Frede Amaral)
  • Roger Galera – Jogou praticamente como um terceiro volante e foi muito bem. Aguentou os 90 min, ajudou a marcar e armar. Não brilhou mas foi muito útil ao time. (Frede Amaral) Ajudou na marcação e tem se esforçado pra ser opção. Sabe prender a bola e passá-la bem. Não brilhou, mas também não comprometeu. Depois de muito tempo, conseguiu jogar 90 minutos. Pode ser opção pra desafogar o Montillo, principalmente, se entrar no 2º tempo. (Naldo Morato) Jogou bem. O que a gente não pode é esperar dele um futebol de alta rotação como o do Montillo, pois ele é mais cadenciado. E na defsa, o cara tá se desdobrando, não é a dele e tem ajudado. Temos que ter calma pra julgar, ele tem 32 anos, não é mais menino. Pra mim, fez uma partidaça, com alguns erros e muitos acertos. E jogamos contra um bom time, sem dúvida um dos 5 ou 6 melhores do Brasileirão. (Walfrido Jr.)
  • Fabrício – Guerreiro, luta e se entrega o tempo todo,marca muito e ainda sabe sair jogando. Não é craque, mas é fundamental. Nesta partida, esteve sério como sempre. Em forma, não resta dúvida, será sempre titular. (Carfelix)
  • Fabinho Alves – Quando acaba o contrato do Fabinho Alves? É um bom jogador, sempre foi, mas nitidamente continua sem motivação, joga com uma preguiça que não combina com a raça do time. Será que ele não percebe que, com os volantes que temos, é justo ele ser reserva? Até o Roger deixou a preguiça de lado, mas o Fabinho Alves insiste. Uma pena, pois é um bom jogador e um bom reserva. (Charles Libertadores)
  • Henrique – Uma grande atuação à frente da zaga dificultando o trabalho de armação do Botafogo, seja com Renato Cajá (vocês quase não ouviram o nome dele na etapa inicial… tanto que saiu para Caio entrar), seja com Maicosuel. Apareceu bem ao passar um bolão ao Thiago Ribeiro, que perdeu gol certo (se tivesse levantado a cabeça veria Montillo livre na marca do pênalti). (João Chiabi Duarte) É o Senhor Eficiência. Vem jogando muita bola. Desarma com muita qualidade. Estã em constante evolução. (Frede Amaral)
  • Montillo – Marcado homem a homem, ora por Guerreiro, ora por Fahel, conseguiu se desvencilhar e armar jogadas de perigo contra os cariocas. Lá pelas tantas, irritado com tanta gente em volta, comeu, no bom sentido, três botafogos e encheu o pé fazendo um golaço. Esse cara é tão bom, que deveria ser vaiado em todas as partidas pra não chmar a atenção dos europeus. Artur Morais bem que poderia continuar enchendo a bola do fabinho e fazer uma campanhazinha contra este argentino. (Síndico) Baita jogador! Mesmo com marcação individual, conseguia se esquivar e criar jogadas de perigo. Tem muita habilidade e bom porte físico apesar da estatura. Tem visão de jogo e vontade de ganhar. Está sempre incomodando a defesa adversária. Particpou do lance em que Diego Renan sofreu o pênalti, que cobrou com maestria mandando a bola para um lado e o goleiro para o outro. Depois, em uma sensacional jogada individual, driblou três adversários e fez um golaço, daqueles que não se vê a toda hora. Novamente, Jeferson só pode olhar a bola sem chance de defendê-la. Enquandtom o Real Madrid não aparecer com uma mala cheia de euros, este gringo vai dar muitas alegrias à torcida celeste. (Naldo Morato)
  • Thiago Ribeiro – Mais uma boa partida com muita movimentação, marcação e boas jogadas ofensivas. Finalizou duas vezes com muito perigo. Em uma delas, contou com a ajuda do montinho, mas não com a do goleiro Jefferson, que fez ótima defesa. Na outra, tabelou com Jonathan, mas pegou muito embaixo da bola. (Frede Amaral)
  • Ernesto Farías – Não conseguiu ganhar nenhuma das inúmeras bolas que foram levantadas na área mas mesmo assim fez o seu gol, que foi incorretamente anulado pelo Juiz. De resto, como o Cruzeiro não esteve muito inspirado no ataque, pouco apareceu. (Ernesto Araújo)
  • Wallyson – Não apareceu a chance de ouro pra ele matar a partida. Assim, limitou-se a correr atrás dos adversários pra compor a marcação. Como não fez nenhuma bobagem, pode-se considerar mediana sua atuação. (Ernesto Araújo)
  • Cuca – Armou um time ofensivo, mas o plano não deu certo. O Botafogo partiu pra cima e dominou o 1º tempo, pois o Cruzeiro ficou fragilizado na defesa e inexpressivo no ataque. No 2º tempo, sem fazer substituições (exceto a troca necessária de Fabrício por Fabinho Alves) conseguiu fazer o time subir de produção. (Ernesto Araújo) Cuca poderia ter entrado com Francisco Everton no lugar do Roger Galera. As melhores jogadas do Botafogo aconteciam do lado esquerdo do Cruzeiro, onde Roger atuava. Quando fizemos o 2º gol, ainda faltavam 20 minutos pra acabar a partida, ele entrou com Gil para ser o 3º zagueiro, mas o problema continuava com os ataques do Botafogo pela esquerda. Este foi seu erro capital. Não fosse ele, poderíamos ter vencido. O Cruzeiro precisa se encontrar, levar muitos gols não é a característica dotime do Cuca e já tomamos quatro nos dois últimos jogos, o que me lembra do time indígena do DJ. Não consigo enxergar um time competitivo e estável com Roger Galera e Walter Montillo juntos. Precisamos encontrar um substituto para Marquinhos Paraná. Finalmente, espero que Fabrício se recupere logo. (Maurício Sangue Azul)
  • Torcida – Show de bola! Só tinha nego da pesada. Eram mil contra 13 mil e, mesmo assim, calaram a botafogaiada várias vezes. Consta que o único deslize foi cometido pelo Xina que, após ingerir 55 chopes, adormeceu no Jardim de Alá, em Ipanema, e não compareceu, sobrecarregando o Rogério e o Maurício. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras – HRL errou ao marcar pênalti em Maicosuel. Pode ter errado no gol anulado de Farías, pois a bola cruzada por Diego Renan talvez não tenha saído de campo. Acertou ao não marcar pênalti numa bola que acertou o cotovelo de Alessandro, por ter sido acidente de trabalho. Acertou, pelos critérios brasileiros, no pênalti sofrido por Diego Renan. (Síndico)
  • Chorões – Show de bola! Não viram compô na expulsão injusta do Mazola no meio de semana, mas viram no pênalti mal marcado e na bola, que ninguém sabe se saiu ou não, ontem. Faz parte. o Chorão é o sal da terra. O responsável pelo emprego do Blatter. Eu, chorão da Geração 74, aposentei minha imaginação criadora. Hoje em dia, depois de um equívoco de Sua Senhoria, mando um fiedaputa e segue o jogo. Mais do que isto, sinceramente, não me animo. (Síndico)
  • Montinho Artilheiro – Show de bola! Fez um gol em Fábio e, por pouco, não faz outro em Jefferson. E o talentoso Jonathan não reclamou. Ele só tem olhos pro relvado da Arena do Jacaré. Com certeza, não foi sorteado na casa mais famosa de Sete Lagoas e pegou birra da cidade. (Síndico)
  • Botafogo – Somália jogou uma enormidade. Defendeu, armou, atacou. Que coisa, siô! Olho nele, Mano! Guerreiro foi guerreiro, uai. Alessandro fez um golaço e encheu o saco o tempo inteiro. Os demais, se não foram brilhantes, trabalharam à exaustão. Primo Joel é o cara! Está fazendo excelente trabalho no Glorioso. E sem gastar o latim em entrevistas marqueteiras. Muito menos o escorreito inglês, que usa em suas incursões mundo afora. (Síndico)

O que foi dito

  • Lédio Carmona, em seu blog: Não faltou nada para transformar Botafogo 2 x 2 Cruzeiro num dos melhores jogos do Brasileirão-2010. Não afirmo que foi o melhor pois não vi todos. Mas foi muito bem jogado. Partida intensa, com volume, poucas faltas, belos gols e… muita polêmica. Resultado justo. Ninguém merecia perder duelo tão bem disputado. Jogo multi-facetado, com talentos nacionais, um gigante uruguaio que caiu no gosto dos alvinegros e um craque argentino que redefiniu a Raposa a partir de sua chegada. Jogo de encher os olhos. Jogão. Jogaço. Escolha o termo que quiser. Só não dá para negar que foram 90 minutos muito bem usufruídos no sábado de inverno do Rio de Janeiro. Joel surpreendeu e entrou com três zagueiros, mas com Leandro Guerreiro trabalhando como volante, ao lado de Fahel. Edno ficou no banco e Somália foi lateral-esquerdo. Tudo tem explicação: Guerreiro, enquanto teve fôlego, foi a sombra de Montillo. Fahel colou em Roger. E Somália não deixava Jonathan a vontade para atacar. Desse jeito, o Botafogo jogou e não deixou o Cruzeiro fazer o mesmo no primeiro tempo. Fez 1 a 0, logo no início, como Alessandro, e ainda teve a sorte de Heber Roberto Lopes ter “achado” que a bola cruzada por Diego Renan e completada para o gol por Farias tivesse saído. Primeira polêmica. O árbitro errou. Cuca também surpreendeu ao entrar com Roger e Montillo juntos. Deixou Everton no banco. Coisa de treinador com confiança no time. Procurou apostar no toque de bola e na movimentação, ao contrário do Botafogo, que usou (e bem) a velocidade e o contra-ataque. A opção de Cuca não deu certo no primeiro tempo. Mas funcionou no segundo, quando Roger entrou de vez na partida e tirou todo peso de Montillo. 12 minutos do segundo tempo. O renascido Roger faz belo passe para Diego Renan. Caio, que entrara no lugar de Danny Morais, se atrapalha e faz pênalti. Daqueles que só quem é muito fanático acha que não foi. Montillo bateu com classe: 1 a 1. O Cruzeiro era melhor. Até que o mesmo Montillo arrancou em velocidade, fez fila e bateu forte, da entrada da área: 2 a 1. Esse argentino, com apenas oito jogos, já está na briga para ser craque do Brasileirão. Exagero? Então tá… Cinco minutos depois, a maior polêmica do jogo. Diego Renan estava fora da área quando fez a falta em Maicossuel? Dúvida cruel. Heber Roberto Lopes não a teve. Pênalti. E Loco Abreu empatou, marcando seu quarto gol em quatro jogos seguidos. No fim, recuo exagerado do Cruzeiro, pressão do Botafogo e empate final em 2 a 2. Partidão. E que só confirma a força de Botafogo e Cruzeiro. Estão na briga por tudo o que está em jogo nesse Brasileirão. E tem o mérito de jogar. Apostam. Arriscam. E valem o ingresso. Uma partida entre quem merece lutar em cima. Quem venham outras. Faz bem para o futebol. E como.
  • Mauro Beting, em seu blog: Os times que começaram o ótimo clássico no Engenhão. Fogão no 3-4-1-2, quase um 3-4-1-2, com o avanço de Maicosuel; Cruzeiro num 4-2-2-2 que variou para um 4-4-2, sem a bola. O Botafogo respeitou o Cruzeiro na escalação inicial. O time de Cuca resolveu atacar mais o de Joel. A zaga mais insegura e exposta falhou com Edcarlos, e Alessandro fez um belo gol de atacante – de cordilheira artilheira, aos 4 minutos. Teve um lance aos 20 minutos de saída de bola que Diego Renan cruzou para Farías fazer um belíssimo gol. Mas não valeu o lance. Difícil de discutir. Mas, na dúvida, teria deixado o jogo seguir, diferentemente da interpretação de Héber Roberto Lopes. Depois do belo gol de Alessandro, o Fogão recuou demais. Ainda assim, no contragolpe, com Maicossuel e Renato Cajá dando bom ritmo ao 3-4-2-1 alvinegro, o time carioca teve mais oportunidades que o mineiro, no primeiro tempo. Somália, mais uma vez, jogou e marcou muito. E Jobson continua fazendo falta. Montillo e Roger podem jogar juntos, no 4-2-2-2, por vezes 4-4-2, de Cuca. Ainda mais contra volantes que pouco saíram para a partida, como Leandro Guerreiro (que acompanhou o argentino) e Fahel. Caio é um dos nomes que melhor definem um atleta como o bom meia-atacante alvinegro. Ele sabe jogar. Não precisa se jogar tanto no gramado. Se muitas das faltas marcadas em Caio são discutíveis, também foi discutível o pênalti que teria sido cometido por ele em Diego Renan. Bem discutível. Eu não marcaria o pênalti muito bem cobrado pelo excelente Montillo. Gol que fez justiça ao time que atacou contra o outro que ficou muito atrás. Cruzeiro que seguiu atacando, explorando o Botafogo que enfim tentou jogar. Deu espaço no 4-2-2-2 que Joel armou depois da saída de Danny Morais, e levou o golaço de Montillo. Outro 10 gringo que desequilibra em plagas brasileiras. Pelo que não fez em campo, pelo que retrucou na saída dele, Caio vai ocupando o lugar no panteão de vaias alvinegras que era de Alessandro, Fahel e Lúcio Flávio. Se dá para discutir a bola que saiu-não-saiu no primeiro tempo, se dá para discutir o pênalti do empate do Cruzeiro, dá para ainda mais discutir o pênalti que Heber Roberto Lopes marcou de Diego Renan em Maicossuel. Não sei nem se foi dentro da área. Mas tenho convicção que o ótimo botafoguense se atirou sobre a perna do lateral cruzeirense. Encontro de craques do pênalti no empate. Só Abreu para vencer o excelente Fábio que acertou o canto. Com o Fogão ganhando todas as bolas por cima, Cuca colocou Gil na bateria antiaérea no lugar de Thiago Ribeiro, adiantando Montillo. Um jeito de não perder o grande clássico no Engenhão. O Botafogo segue vivo no BR-10. Mas o Cruzeiro parece mais vivo. Mais pronto para perseguir o Corinthians que dá pinta, hoje, de ser o adversário a ser batido por todos. P.S.: Dos três lances polêmicos, minhas interpretações: não vi a bola fora; não marcaria nenhum dos pênaltis. Mas o mais marcável era o pênalti a favor do Cruzeiro; o menos marcável era o pênalto a favor do Botafogo; e o lance mais difícil foi o da bola saiu ou não saiu.
  • PVC, em seu blog: O Botafogo começou a abrir mão da vitória sobre o Cruzeiro quando perdeu Danny Morais. Claro que não pela saída do zagueiro, mas pela substituição feita por Joel Santana. O Botafogo marcava o Cruzeiro com Leandro Guerreiro, desta vez volante, grudado em Montillo, Fahel cuidando de Roger, Danny Morais com Farias, Antônio Carlos de líbero, Fábio Ferreira com Thiago Ribeiro. Quando Danny Morais saiu com lesão na cabeça, Alessandro virou o terceiro zagueiro. Até aí, tudo bem. O problema é que Caio, substrituto de Danny, virou ala e passou a marcar Diego Renan. Virou um baile. Para piorar, Montillo (foto) virou protagonista do jogo, passou a vencer o duelo com Leandro Guerreiro, que havia feito bom jogo na primeira etapa. O Cruzeiro virou. Primeiro no pênalti cometido por Caio sobre Diego Renan. Em vez de obrigar o lateral cruzeirense a persegui-lo, Caio estava sempre atrasado na marcação. Estava atrasado de novo aos 19 minutos, quando Diego Renan entrou -- com CAio em seu encalço -- e quase fez 2 x 1. Essa jogada ficou guardada para Montillo, que tirou Leandro Guerreiro num drible e finalizou de fora da área. Que Montillo foi o melhor em campo é indiscutível, ainda que se deva destacar atuações como as de Diego Renan, o primeiro tempo de Leandro Guerreiro e o final da partida de Maicosuel, responsável pelo lance mais polêmico e decisivo do clássico. Depois da saída de Caio, Maicosuel virou o ala. No duelo com Diego Renan, no lance do pênalti, forçou a barra para cair. Mas a questão não é nem sequer a falta, que pareceu existir. É se foi dentro ou fora da área -- para mim, fora. De tantas mudanças táticas, o jogo terminou com o Botafogo tentando o terceiro gol e com Joel fazendo uma boa alteração de posicionamento. Como Cuca trocou Thiago Ribeiro por Gil e avançou Montillo, Joel puxou Leandro Guerreiro para a zaga. Lançou Edno na ala esquerda, puxou Somália para volante e devolveu Alessandro à ala direita. Diego Renan não percebeu e continuou seguindo Maicosuel, o homem que marcava na segunda metade do segundo tempo. Numa dessas, Alessandro chegou livre à linha de fundo e fez cruzamento para Loco Abreu cabecear. O Botafogo poderia vencer a partida. Mas é o Cruzeiro quem dá mais pinta de que vai brigar pelo título. O Corinthians, favorito ainda mais depois da vitória sobre o Prudente, tem de olhar pelo retrovisor o ótimo time de Cuca.
  • Vitor Birner, em seu blog: O empate no Engenhão também foi bom para o líder. Que bela partida. O Botafogo começou pressionando e inaugurou o placar logo aos 4 minutos, graça ao gol de Alessandro. Com 3 zagueiros, A. Carlos. F. Ferreira e Danny Moraes, o time de Joel poderia usar Renato Cajá e Somália pelos lados para atacar. Leandro Guerreiro, Fahel e Maicossuel se preocuparam mais com a marcação. O Glorioso gosta de jogar fechado, e a vantagem em casa permitiu isso. O Cruzeiro passou o primeiro tempo com a bola, mas foi pouco objetivo. Roger não estava bem. Cuca escalou ele e Montillo, dois meias. O argentino jogou mais livre. E foi o melhor em campo. Diego Renan apoiou o ataque de maneira tímida. Jonatan, na outra lateral, desceu mais vezes. O gol anulado de Farias foi polêmico. Acho que bola não saiu inteira no cruzamento de D. Renan. mas fico com a decisão de árbitro e auxiliar porque os cruzeirenses não reclamaram muito. Quando D. Moraes se machucou ainda antes do intervalo, Joel o substituiu por Caio que acabou sendo xingado pelos próprios torcedores botafoguenses depois da equipe sofrer a virada na etapa complementar. A posse de bola cruzeirense foi objetiva no segundo tempo. Pelo meio, o infernal Montillo levou a melhor contra o forte sistema defensivo dos anfitriões. Diego Renan virou alternativa de avanço. Sofreu a penalidade – típico lance que a arbitragem brasileira sopra, D. Renan caiu “muito facilmente” – depois do belo lançamento de Roger, melhor após o período do descanso. Montillo cobrou e empatou aos 12. Depois doutros 14 minutos, de fora da área, ele mesmo virou. Além de ser o principal articulador do sistema ofensivo cruzeirense, marcou gols, cavou faltas, prendeu a bola e determinou o ritmo do seu time. Aos 30, Heber Roberto Lopes viu a penalidade de Diego Renan em Maicossuel. Acho que o botafoguense forçou o contato e se jogou. E não sei se foi dentro da área a dita falta. Loco Abreu igualou. O Glorioso cresceu, o Cruzeiro não aproveitou os contragolpes, e a excelente partida, uma das melhores da competição, terminou empatada. Resultado ruim para ambos, pois o Corinthians se distanciou.
  • Fabrício, volante do Cruzeiro: Eu vinha sentindo isso desde ontem (sexta-feira). Acabou piorando durante o jogo, e eu pedi para sair por isso. Fonte: Globo.com
  • Henrique, volante do Cruzeiro: A gente está colado ali (no líder). Em um confronto direto com o Botafogo, que está junto da gente, um empate fora de casa não é um mau resultado, mas poderíamos ter saído com a vitória. Parabéns para o grupo que lutou e buscou o resultado a todo momento. Fonte: Superesportes
  • Montillo, meia do Cruzeiro: Jogamos muito bem, nos superamos contra uma equipe muito difícil de jogar. Não penso em ser o melhor de todos, foi um jogo difícil e, se o Cruzeiro jogou bem, é porque o grupo é forte e todos os jogadores estão bem. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Roger, meia do Cruzeiro: Dominamos no segundo tempo, fizemos o segundo gol e, em um lance duvidoso, um pênalti colocou eles de novo na partida. Nesse campeonato, vitória é sempre melhor, mas em um jogo fora de casa, contra um adversário direto, o empate não é dos piores resultados, até porque a equipe mostrou, novamente, poder de reação. Um bom jogo de todos contra uma excelente equipe. Temos que valorizar o resultado. Fonte: Superesportes
  • Cuca, treinador do Cruzeiro: Acabou acontecendo o empate. Não é um mau resultado para nós. Continuamos três pontos à frente do Botafogo e jogamos fora de casa. Mas fica um gostinho de quero mais porque a gente teve o jogo na mão para ganhar. Foi um jogo lindo, bonito, cheio de emoções. Um tempo do Botafogo, um pouco melhor no primeiro tempo, não muito. E um segundo tempo com o Cruzeiro. Cada um na sua característica, o Botafogo na bola pressionada e a gente com saída em toques. Fizemos o 2 x 1 e perdemos de fazer o 3 x 1. Tivemos duas chances na cara do gol e, se faz uma, mata o jogo. Daí a torcida ia pressionar. No final, depois daquele pênalti, veio a pressão aérea. Tiramos o Thiago, pusemos o Gil para compensar e adiantamos o Montillo do lado do Wallyson. Perdemos um pouco de força ofensiva para equilibrar a jogada aérea. (O empate) Não era o que a gente queria. É um jogo que, se você ganha, se candidata enormemente ao título. Deixa o adversário direto seis pontos atrás. A gente não pensou em um ponto, pensou em vencer. Podia correr o risco de perder, podia ganhar e acabou empatando. O Botafogo teve seus méritos. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Valdir Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro: O Cruzeiro vai fazer seu protesto veemente a partir de segunda-feira na CBF, porque o Héber Roberto Lopes tem histórico conosco. Já esteve uma longa temporada sem apitar jogos do Cruzeiro e, retornando, teve um lance duvidoso contra o Palmeiras, na marcação de um pênalti do Wellington Paulista. E hoje (sábado), aqui no Engenhão, foi vergonhosa a atuação dele, porque errar um lance, tudo bem. Mas errar lances como ele errou é realmente desrespeitoso para com o Cruzeiro e o público que estava aqui presente. Naquele gol anulado que a bola não saiu, ele assumiu o risco, sendo que o bandeira é que estava na linha para marcar a saída da bola, que estava no ar. Ele tomou para si a decisão. Era um direito dele, mas foi um direito equivocado. E depois o lance do pênalti que não existiu e resultou no gol do empate do Botafogo. Nós sabemos que todo ser humano erra. Agora, errar na sequência como ele faz, realmente é absurda a coisa. O Cruzeiro vai fazer novos protestos. A Comissão Nacional de Arbitragem tem que tomar certos cuidados com alguns árbitros que não se encaixam em determinados jogos. O Héber não se encaixa em jogos do Cruzeiro. Ele não tem que apitar a nosso favor, mas sim aquilo que determina a lei. Fonte: Saite Oficial do Cruzeiro
  • Alessandro, lateral-direito do Botafogo: Não foi o segundo tempo que a gente queria. Demos o empate para eles no pênalti e depois foi uma outra bobeira nossa. Era para matar a jogada. A gente sempre fala que quando a equipe deles puxa o contra ataque, tem que matar a jogada para não estourar lá atrás. Nós não matamos e eles fizeram o gol. Depois tivemos o pênalti e pressionamos, mas não saímos com a vitória. Ainda estamos na briga e temos dois jogos dentro de casa (Vasco e Atlético-PR) para a gente se manter na briga cada vez mais. Fonte: Superesportes
  • Danny Morais, beque do Botafogo: Tentei continuar no jogo, mas fiquei tonto e com dificuldade para enxergar! Queria ter continuado no jogo, mas não teve como! Acordei com bem menos dor. Agora é recuperar o mais rápido possível para os próximos jogos. Fonte: Globo.com
  • Leandro Guerreiro, volante do Botafogo: No segundo tempo demos duas vaciladas que não podíamos e sofremos dois gols. Foi como eu falei no intervalo. Tem que jogar os dois tempos iguais e, no segundo tempo, nós jogamos abaixo. Mas o mais importante foi que, pelo menos, empatamos a partida. Foi importante que a equipe não perdeu, apesar de ter empatado em casa, jogamos contra uma grande equipe. Agora é descansar para pegar o Vasco no meio da semana, que será mais um jogo difícil. Fonte: Superesportes
  • Somália, do Botafogo: Foi ruim, foi muito ruim. Quem está pensando em título não pode empatar em casa. Tem que ganhar. Fonte: Superesportes
  • Maicosuel, meia do Botafogo: Dentro de casa, não era aquilo o que a gente esperava da partida. O Cruzeiro é uma grande equipe e foi um bom jogo. Erramos muito na finalização, mas na situação de jogo, foi o que ficou. Ainda estamos no bolo e o Botafogo continua na disputa pelo título do Campeonato Brasileiro. Fonte: Superesportes
  • Joel Santana, treinador do Botafogo: Foi um resultado normal, jogamos contra um dos melhores times do país. Ruim foi o resultado diante do Goiás (derrota por 4 a 1). Hoje tivemos uma postura diferente em relação à última quarta, mas pecamos em algumas situações. Se vencermos, vamos chegar lá na frente de novo. Além disso, o Corinthians pega o Santos e outras equipes vão ter problemas no campeonato. Nós agora estamos pegando os bichos-papões. O Caio sentiu, mas mesmo assim não quis esperar porque ele não teria equilíbrio emocional para continuar no jogo. Nessa hora o treinador preserva o atleta. Não era o dia dele. Senti que estava querendo resolver o jogo sozinho, e além de cometer o pênalti, perdeu a bola que resultou no segundo gol do Cruzeiro. Fonte: Globo.com

Links e Fontes

Transmissão

  • PPV