Boca Juniors 2x0 Cruzeiro - 19/09/2018

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 0x0 Escudo Atlético-MG.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Santos.png
Por Copa Libertadores da América
Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Flamengo.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Boca Juniors.png
No estádio La Bombonera
Escudo Boca Juniors.png 2x1 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Última ficha →
Contra Boca Juniors
Escudo Cruzeiro.png 1x2 Escudo Boca Juniors.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 1x1 Escudo Boca Juniors.png

[edit]

Escudo Boca Juniors.png
Boca Juniors
2 × 0 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
1º jogo das Quartas de Final da Copa Libertadores da América 2018
Data: 19 de setembro de 2018 Local: Buenos Aires, Argentina
Horário: 21:45 Estádio: La Bombonera
Árbitro: Eber Aquino Público pagante: Não disponível
Assistente 1: Eduardo Cardozo Público presente: Não disponível
Assistente 2: Juan Zorrilla Renda: Não informado
Súmula: Não disponível
Escalações
Boca Juniors: Cruzeiro:
1. Andrada 1. Fábio
29. Jara 22. Edilson Cartão amarelo recebido aos 46  (2T) 46'  (2T)  
21. Izquierdoz 3. Léo
6. Magallán 26. Dedé Cartão vermelho recebido aos 29  (2T) 29'  (2T)  
20. Olaza Cartão amarelo recebido aos 9  (2T) 9'  (2T)   6. Egídio
16. Nández Cartão amarelo recebido aos 44  (2T) 44'  (2T)   8. Henrique
15. Barrios 16. Lucas Silva
8. Pablo Pérez Gol aos 36 do  (2T) 36'  (2T) Substituição realizada 38'(2T) de jogo 38'(2T) ( 25. Almendra ) 19. Robinho
7. Pavón 30. Thiago Neves Substituição realizada 22'(2T) de jogo 22'(2T) ( 7. Rafael Sóbis )
19. Zárate Gol aos 35 do  (1T) 35'  (1T) Substituição realizada 16'(2T) de jogo 16'(2T) ( 22. Villa ) 18. Rafinha Substituição realizada 39'(2T) de jogo 39'(2T) ( 27. Manoel )
18. Benedetto 28. Barcos Substituição realizada 33'(2T) de jogo 33'(2T) ( 17. Raniel )
Técnico: Guillermo Schelotto Técnico: Mano Menezes
Reservas que não entraram na partida
Boca Juniors: Cruzeiro:


Pré-Jogo

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 21h45 COMEÇA o jogo Cruzeiro, à esquerda, dá a saída.
  • 01 Rafinha cobra corner na esquerda, Naves cabeceia, bola sai rente ao poste direito.
  • 02 MÉDIA de idade do Cruzeiro é de 32 anos. Lucas, com 25,
  • e o único abaixo dos 30.
  • 03 UNIFORME: Boca, tradicional, Cruzeiro com camisa azul-conga, calções e meias brancas.
  • 03 Robinho comete falta em Perez.
  • 04 Pavón cruz da direita, Leo corta.
  • 05 Egídio cruza da esquerda, Andrada fica coma bola.
  • 06 Erro de passe do Boca, Cruzeiro cobra lateral na direita.
  • 07 JUIZ paraguaio dá 7 amarelos, em média, por jogo.
  • 08 Henrique comanda a troca de passes na meiuca, Boca muito fechado.
  • 09 Barrios chuta de fora da área, pra fora.
  • 10 Robinho, Neves e Edílson triangulam na direita, Juiz marca falta do lateral celeste. Inventou.
  • 11 FALTAS: Cruzeiro 3×0.
  • 12 Egídio lança neves, Isquerdoz intercepta a bola.
  • 13 POSSE DE BOLA: Cruzeiro, 58%.
  • 14 Zarate chuta da entrada da área, bola desvia na defesa celeste e sai a corner.
  • 14 Corner cobrado na esquerda, defesa celeste corta.
  • 15 FINALIZAÇÕES: Boca 3×1.
  • 16 Pavón derruba Edílson, Juiz manda seguir.
  • 17 PASSES ERRADOS: Boca 13×7.
  • 17 Pavón corta da esquerda pro meio, Henrique faz o desarma na frente da área celeste
  • 18 Isquerdoz derruba Rafinha.
  • 19 Robinho cobra corner na esquerda, ninguém aparece pra finalizar. Tiro de meta, Boca.
  • 20 Pavón ataca pela direita, Egídio escancia a bola.
  • 21 Boca cobra dois escanteios na direita, no segundo, Egídio corta na pequena área.
  • 22 Em 137 jogos de Libertadores na Bombonera, Boca só perdeu 13.
  • 23 Fábio cata bola chutada de longe por Jara.
  • 24 POSSE DE BOLA: Boca, 53%.
  • 25 Egídio avança pela esquerda, Jara escanteio a bola.
  • 26 Robinho cobra c orner na esquerda, Andrada cata a bola no alto.
  • 27 Egídio derruba Benedetto.
  • 27 Jara cobra falta, bola fica com Pavón na pontesquerda. Edílson cerca e toma a bola do ponteiro xeneize.
  • 28 Pavón, invade área celeste pela esquerda, dedo escanteio a bola.
  • 29 Zarate derruba Dedé. Roger galera diz que o beque está dando o primeiro combate e ficando sem cobertura.
  • 30 Perez derruba Neves acabando com contra-ataque celeste.
  • 31 Edílson, Dedé, bola esticada pra Barcos, que não consegue o domínio.
  • 32 Neves volta à intermediária celeste, recupera a bola e faz o passe a Rafinha. Passe ruim, bola perdida.
  • 33 Olaza cruza da esquerda, Dedé corta.
  • 34 Boca troca passes na área celeste, Perez finaliza, dbola desvia em Deé e vaia corner.
  • 35 GOL. Pavón cobra corner na esquerda, xeneizes tabelam na entrada da área celeste, Pérez coloca Zárate na cara do gol, Fábio ai, mas o arremate é preciso. BOCA 1×0.
  • 36 3º GOL de Zárate no torneio.
  • 37 Henrique chuta de longe, pra fora.
  • 38 Boca gasta um minuto pra repor a bola em jogo.
  • 39 Fábio recebe bola recuada e sai jogando com Leo.
  • 40 Bola na área celeste, Edílson corta.
  • 44 ROGER GALERA, comentarista da Globo: “Rafinha e Barcos não jogaram até agora”.
  • 45 Henrique corta bola cruzada sobre a área celeste.
  • 45 Pavón chuta de fora da área, pra fora.
  • 46 FIM de 1º tempo. Cruzeiro controlou o Boca durante 25 minutos. Daí em diante, foi envolvido.

Segundo Tempo

  • 22h48 COMEÇA o 2º tempo. Boca dá a saída.
  • 46 Barcos cava falta, Juiz manda seguir o jogo.
  • 47 QUASE! Edílson cruza da direita, Neves, livre na área, cabeceia pra fora.
  • 48 QUASE! Rafinha finaliza de dentro pequena área, na saída de Andrada, Barrios corta bola em cima da risca.
  • 9 Torcida do Boca cresce, canta alta, anima seu time.
  • 50 Bola na área do boca, dedé tenta, mas não consegue arrematar.
  • 51 FINALIZAÇÕES: Boca 7×3
  • 52 Bola na área celeste, Leo corta, Boca insiste, Dedé corta.
  • 53 POSSE DE BOLA: Cruzeiro, 54%.
  • 54 NEVES joga de centroavante, Barcos flutua. Mas tá jogando mal, não acerta nada.
  • 55 AMARELO. Olaza, por falta em Rafinha.
  • 56 Rafinha dispara rumo à área xeneize, mas é derrubado por Barrios. Juiz não marca.
  • 57 BALIZA. Zárate chuta de fora da área, Fábio pula, não alcança a bola, que bate no pé do poste direito.
  • 58 Nandez cruza direita, Benedetto sobe ais que Dedé e cabeceia, bola sai pela linha de fundo.
  • 59 Edílson põe a bola na área xeneize, defesa corta.
  • 60 TROCA. Zárate x Villa.
  • 61 Villa é jogador da Seleção Colombiana. Tem 22 anos e vai jogar na pontadestra.
  • 62 Henrique faz a cobertura de dDdé e impede finalização de Benedetto na pequena área celeste.
  • 63 Edílson cruza direita, bola atravessa a área e sai do lado oposto.
  • 64 PASSES ERRADOS: Boca 35×32.
  • 65 SOBIS ven aí!
  • 66 JUIZ não marca falta nem fodendo!
  • 67 Lucas chuta de fora da área. Tiro de meta, Boca.
  • 68 TROCA. Neves x Sobis.
  • 69 Henrique lança Barcos, Magallan manda a bola pra corner.
  • 70 TROMBADA. Andrada sai do arco e tromba com Dedé, que tentava arrematar de cabeça.
  • 71 LANCE FEIO. Goleiro do Boca caído, com sangramento na boca.
  • 72 NEVES saiu sentindo dores na coxa esquerda.
  • 73 ANDRADA se recupera.
  • 74 VERMELHO. Juiz confere o lance no var e expulsa Dedé. Errou. Lance foi casual.
  • 75 IDIOTAS que pedem Var, chupem!
  • 76 TROCA. Benedetto x Tevez.
  • 77 Eber Aquino foi Heber Roberto Lopes.
  • 78 TROCA. Barcos x Raniel.
  • 79 HENRIQUE joga de beque no lugar de Dedé.
  • 80 VAR decidiu uma Copa do Mundo, por que não pode uma Libertadores/ Só idiotas acreditam nessa farsa.
  • 81 GOL. Bola na área celeste, Edílson corta de cabeça, bola acerta Henrique e sobra pra Perez, que enche o pé. Nenhuma chance de defesa. BOCA 2×0.
  • 82 TROCA. Perez x Almendra.
  • 82 ALMENDRA, volante de 18 anos, é revelação da base xeneize.
  • 83 TROCA. Rafinha x Manoel.
  • 84 Pavón chuta de longe, pra fora.
  • 85 TUDO ERRADO. Juiz roubou, Cruzeiro jogou mal, Mano demorou a arrumar a bequeira.
  • 86 Manoel disputa com Teve e vence duelo na área celeste.
  • 87 Cruzeiro cadencia o jogo.
  • 88 AMARELO. Nandez, por pontapé em Lucas.
  • 89 Edílson cobra falta com chute forte, Andrada escanteia a bola.
  • 90 AMARELO. Edílson, por meter a mo mão na bola.
  • 91 Pavón cobra corner, Fábio defende.
  • 92 Boca toca bola lentamente.
  • 93 Boca gira a bola de um lado pra outro, Cruzeiro só espia.
  • 94 VAR, a empulhação que os idiotas amam.
  • 95 Fábio defende bola chutada por Tevez.
  • 96 FIM de jogo. Boca tem mais time que o Cruzeiro, mas recebeu grande ajuda do Juiz.

Vídeos

Bastidores

Atuações

  • TORCIDA CELESTE não lotou o espaço a ela reservado, mas apoiou o time. O que pouco significou na prática, diante do volume da cantoria xeneize.
  • FÁBIO não teve como evitados gols, deu sorte de uma bola acertar o poste e defendeu as demais que chegaram a seu arco.
  • EDÍLSON contou coma inestimável ajuda de Dedé para cercar Pavón, errou a rebatida que deu origem ao segundo gol. Afora isto, fez boa partida, buscando o ataque e chutando uma bola perigosa a gol.
  • DEDÉ fazia uma partida quase perfeito –só havia perdido uma disputa pelo alto, cara Benedetto– até ser expulso injustamente. Foi impressionante sua capacidade de vencer os duelos contra o arisco Pavón, fazendo a cobertura pela direita.
  • LEO jogou coma segurança de sempre. Um dos poucos jogadores do Cruzeiro em quem se pode confiar.
  • EGÍDIO não foi ofensivo como em outros jogos. Nem podia, posto que o Boca tem ponteiros de grande qualidade. Fez o que era possível na contenção.
  • HENRIQUE foi um dos três melhores do time. Marcou, ocupou espaços, saiu jogando com qualidade e atacou, quando foi possível. Jogou com simplicidade e inteligência contra um meio de campo de enorme qualidade. que se dá ao luxo de manter o talentoso Gago no banco.
  • LUCAS não esteve inspirado contra um tripé de volantes poderoso. Marcou razoavelmente, mas não foi efetivo na criação e no apoio aos atacantes.
  • ROBINHO começou bem, com bons passes e tabelas, teve seu melhor momento no começo da etapa final com belo passe que quase virou gol de Rafinha. Depois, perdeu força e terminou o jogo apagado.
  • NEVES fez um bom primeiro tempo, tentando jogadas com os companheiros. Teve uma chance de marcar gol, mas não arrematou bem. No fim, cansou e saiu sentindo dores na perna esquerda.
  • RAFINHA fez um primeiro tempo ruim que dói na esquerda. Mudou de lado e quase fez o gol de empate no segundo tempo. Daí em diante, contribuiu com correria e marcação.
  • BARCOS não passou nem perto de incomodar a bequeira xeneize. Quando muito, cavou faltas, que o juiz desconsiderou. Na etapa final, saiu mais da área, mas continuou inútil em outros setores.
  • SOBIS não produziu nada de relevante no ataque, mas ajudou a segurar o adversário em seu campo de defesa, evitando uma avalanche.
  • RANIEL teve pouco tempo e quase ninguém com quem jogar. Não fez diferença.
  • MANOEL errou uma saída de bola, mas logo controlou a situação. Afora isto, esteve seguro.
  • MANO manteve a estratégia que deu certo em outros jogos de ida: manter o controle da bola para evitar o bombardeio inicial dos donos da casa. Deu certo durante meia hora. O problema é que o Boca tem jogadores capazes de desferir ataques terríveis quando se aproximam da área adversária. E foi assim que saiu o primeiro gol. Na etapa final, ele adiantou Neves, mandou Barcos se movimentar, criou duas oportunidades de empatar, mas aí veio a lambança do Juiz paraguaio expulsando Dedé. Neste momento, Mano vacilou. Demorou a recompor a bequeira os xeneizes fizerem outro gol.
  • CRUZEIRO fez o de sempre: reteve a bola, mas não teve ímpeto quando podia contratacar ou quando se aproximava da área adversária tocando a bola. A defesa funcionou bem, mas o ataque, mais uma vez, foi improdutivo. Nem as mudanças táticas do técnico conseguem tirar s atacantes celestes da letargia. No fim das contas, a derrota foi merecida.
  • BOCA tinha ao menos oito jogadores técnica e fisicamente superiores aos do Cruzeiro e fez valer isto. Demorou a controlar a partida, mas quando fez, tratou de marcar gols, o que é quase impossível para o time celeste. Apesar da ajuda do Juiz na expulsão de Dedé, mereceu a vitória. Quando nada, por ter criado cinco chances de gols contra duas do Cruzeiro. Pérez e Zárate foram os melhores, num time em que ninguém jogou mal.
  • ÁRBITROS erraram feio. A expulsão de dedo foi uma arbitrariedade sem tamanho. Lance casual, choque de jogo, sem maldade e o idiota da cabine manda o idiota do apito consultar as imagens. Teria sido um absurdo se focasse nisto. mas não, o idiota do apito embora tenha visto que foi um lance casual, expulsou o beque celeste. O Var comprovou, depois de tantas caretices na Copa do Mundo, e mais esta na Libertadores, ser um instrumento inútil, caro e que só faz sentido para burros posarem de “mudernos”.

O que foi dito

  • MANO MENEZES: Faltou-nos profundidade no 1º tempo. Numa jogada de área, a bola sobrou pro Perez, que fez uma assistência bem feita, e sofremos o gol. Logo depois, com o ambiente favorável ao adversário, cometemos dois ou três erros em sequência e perdemos um pouco do controle. Foi nosso pior momento. No 2º tempo, fiz a inversão, pus Rafinha pela direita e Robinho por dentro, o time melhorou. Perdemos uma chance com o Rafinha, quando a bola esteve pra entrar. Mas pelo nosso 2º tempo, podemos fazer o resultado lá, traduzir o domínio em gols, criar chances pra tentar os gols de que precisamos. Depois da expulsão, recompusemos com os jogadores que estavam em campo pra ver como o jogo ia se encaminhar. Sofremos o gol, que não foi por falta de um zagueiro, mas por um erro feio, uma bola que não se cabeceia pra dentro. Mas lá dentro talvez você avalie diferente. Segurei uma alteração um pouco, sem saber quem poderia ir até o final. Optei por tirar o Rafinha, deixar o Robinho, era um ou outro. São decisões que se toma lá dentro.
  • FERNANDÃO ÁVILA: O Boca teve uma chance no 1º tempo, a do gol. Se Rafinha tivesse a qualidade que o Zárate teve pra finalizar a jogada, ou clarividência que Pérez teve pra passar a bola, poderíamos ter empatado aos 47. Depois do gol perdido, o jogo caminhava pra um 1×0 definitivo. Mas aconteceu a expulsão. Ao contrário da maioria, acho que o Mano acertou ao não recompor imediatamente. Não se queima a regra 3 num jogo desse tão cedo. Ficar com dois a menos por conta de uma lesão poderia piorar o quadro de pressão suportável do mandante. Edílson, porém, cometeu uma pixotada indesculpável pra um jogador experiente. Lamentável levar o 2º gol dessa forma. Agora, é preciso reconhecer que o Cruzeiro não fez um grande jogo. Suas referências técnicas, à exceção de Dedé, estiveram mal tecnicamente e a derrota por dois gols poderia acontecer, mesmo sem a expulsão. Mas o fato é que houve a expulsão. Houve a injustiça e aí há um fato pra nos inspirar: a raiva. Ela pode ser canalizada pra uma revanche. A injustiça pode nos guiar à próxima fase, o tal certo por linhas tortas. Afinal, um 2×0 inapelável, sem um fato dessa importância, seria mais difícil de reverter.
  • MATHEUS CHAVES: Roubo à parte, o time celeste se mostrou desatento, cometendo erros não forçados e não aproveitando as falhas do Boca. Edilson, Egídio e Rafinha foram os piores. Mano demorou um tempo inteiro pra corrigir posicionamento do Rafinha e errou ao demorar na recomposição após a expulsão do Dedé. Era pra ter feito uma troca defensiva na hora. Se queria deixar o Henrique de beque, tinha então que ter colocado mais um volante.
  • BRUNO BARROS: Se Andrada não sai, Dedé provavelmente faria o gol. Ele foi pra cabecear a bola e só não conseguiu porque o goleiro saiu muito bem. O choque foi casual. Não há como ter outra interpretação do lance. Não foi um erro do juiz, foi roubo mesmo. Casinha armada, formação de quadrilha.
  • EDUARDO BOHRER: A expulsão foi um escândalo. Arnaldo, que costuma ser comedido e moderado nos seus comentários, classificou como um crime. Galvão chamou a atenção pra um fato importante: os jogadores do Boca nem haviam reclamado. Uma vergonha.
  • LEONARDO MATARELLI: Time frouxo! Era caso pra abandonar o campo e os caras quase nem reclamaram. Bando de cordeirinhos. Bananas!
  • FÁBIO SCHRIER: O time celeste jogou bem. Tirando Edílson, os demais foram bem. Houve infelicidade nos lances capitais teve a expulsão absurda. Henrique foi o melhor.
  • SOUZA: Que garfada! Até que o Cruzeiro jogava bem no 2º tempo, mas aí o juiz detonou o jogo.
  • KLAUSS MOURÃO: Dedé foi o melhor. O ridículo fica por conta do Edilson e a nulidade por conta do Barcos,. Jogamos com nove!

Fontes

Transmissão

  • Globo Minas
  • Sportv
  • FoxSports