Benecy Queiroz

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar

Histórico[editar]

Benecy Queiroz é um dos funcionários mais antigos do Cruzeiro. Atuando no clube mineiro desde a década de 1970, ele já exerceu diversas funções, até sendo treinador por algumas partidas.

Polêmica da Mala Preta[editar]

Em entrevista a TV Rede Minas ele confirmou que no futebol existe a famosa mala preta, citando uma tentativa de comprar um árbitro em Minas Gerais, em uma das cinco passagens do técnico Enio Andrade no clube. A entrevista foi concedida à emissora de televisão Rede Minas.

Segundo ele, entretanto, a tentativa não foi bem sucedida, já que o árbitro não cumpriu com o combinado e não favoreceu o Cruzeiro na partida em que aconteceu a situação. O dirigente não citou contra qual time e em que ano o fato ocorreu.[1]

Após a entrevista a Procuradoria do STJD começou a analisar as declarações do dirigente que poderia responder pelos artigos 237 e 241 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e artigos 42 e 62 do Código Disciplinar da Fifa. A Procuradoria ressaltou que o tempo de prescrição no CBJD é de 20 anos, ou seja, os casos que tenham ocorrido antes de 1996 não podem mais ser alvos de denúncia do Tribunal. No entanto, no texto do Art. 42, do Código Disciplinar da Fifa, não existe tempo de prescrição em caso de corrupção.[2]

No dia 13 de janeiro disse que tudo não passou de uma história inventada por ele e anunciou seu afastamento do clube devido a problemas de ordem médica[3].

No dia 15 de janeiro em nota oficial, divulgada no site oficial do Cruzeiro, a diretoria da Raposa confirmou o licenciamento do dirigente por tempo indeterminado.[4]

No dia 20 de janeiro foi denunciado pelo STJD por "mala preta" [5]

Ainda licenciado do clube, no dia 27 de janeiro foi suspenso por 90 dias. Foi denunciado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que diz: "assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva". O dirigente escapou de uma punição mais pesada, por falta de materialidade, ou seja, falta nome do árbitro envolvido, adversário, etc. O supervisor de futebol justificou, dias depois da entrevista, que tudo não passou de uma "brincadeira".

O Cruzeiro foi absolvido no caso. Durante o julgamento, foi afastada a hipótese de corrupção, já que não foi possível identificar o árbitro envolvido na tentativa de suborno nem a partida supostamente manipulada.[6][7]

No dia 20 de fevereiro conseguiu efeito suspensivo junto ao ao Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da suspensão de 90 dias e retornou ao clube no dia 24 de fevereiro liberado, Benecy Queiroz voltou a viver a sua rotina de trabalho pelo clube. Porém, segundo informações da diretoria, ele não reassumirá seu antigo cargo, de supervisor de futebol, que permanece com Pedro Moreira, apresentado no dia 21 de janeiro[8][9][10].


Como treinador[editar]

As vezes que atuou como treinador foi como Interino.


[edit]

Icone-Jogador-Cruzeiro.png
Benecy Queiroz
Números totais
Número de jogos 6
Vitórias 2
Empates 1
Derrotas 3
Gols pró 6 (média: 1 )
Gols contra 8 (média: 1.33 )
Aprov. em pontos 38,89%
Aprov. de vitórias 33,33%
Último jogo considerado
Cruzeiro Escudo Cruzeiro.png 0x1 Escudo Corinthians.png Corinthians - 11/04/1991
Substituiu Foi substituido por

Referências[editar]