Atlético-MG 2x2 Cruzeiro - 08/04/2012

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa


Confrontos posteriores e anteriores
Por temporada
Escudo Boa Esporte.png 0x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Chapecoense.png 1x1 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Mineiro
Escudo Boa Esporte.png 0x2 Escudo Cruzeiro.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 3x2 Escudo Uberaba.png
No estádio Arena do Jacaré
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo América-MG.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 4x1 Escudo Chapecoense.png
Contra Atlético-MG
Escudo Cruzeiro.png 6x1 Escudo Atlético-MG.png Gol aos  do Escudo Cruzeiro.png 2x2 Escudo Atlético-MG.png

[edit]

Escudo Atlético-MG.png
Atlético-MG
2 × 2 Escudo Cruzeiro.png
Cruzeiro
10ª rodada do Campeonato Mineiro 2012
Data: 8 de abril de 2012 Local: Sete Lagoas, MG
Horário: 16h Estádio: Arena do Jacaré
Árbitro: Renato Cardoso Conceição Público pagante: 17.724
Assistente 1: Celso Luiz da Silva Público presente: 18.334
Assistente 2: Marconi Helbert Vieira Renda: R$ 325.240,00 R$ 325.240
Cr$ 325.240
NCr$ 325.240
Cz$ 325.240
NCz$ 325.240
(preço médio: R$ 18,35 )
Súmula: Súmula e Borderô
Escalações
Atlético-MG: Cruzeiro:
30. Renan Ribeiro Cartão amarelo recebido aos 1. Fábio
2. Marcos Rocha Cartão amarelo recebido aos 2. Marcos Martins Substituição realizada  Intervalo de jogo Intervalo ( 15. Everton )
3. Réver 3. Léo Cartão amarelo recebido aos
4. Rafael Marques 4. Victorino
5. Pierre Cartão amarelo recebido aos Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 5. Leandro Guerreiro Cartão amarelo recebido aos
6. Richarlyson 6. Diego Renan
7. Danilinho Gol aos  do Cartão amarelo recebido aos 7. Wallyson Substituição realizada  de jogo ( 17. Roger Cartão amarelo recebido aos )
8. Filipe Souto 8. Marcelo Oliveira Ferreira
9. André Gol aos  do Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 16. Mancini ) 9. Wellington Paulista Cartão amarelo recebido aos Substituição realizada  de jogo ( 18. Walter )
10. Guilherme Substituição realizada  de jogo ( 13. Luiz Eduardo Cartão amarelo recebido aos ) 10. Montillo Cartão amarelo recebido aos
11. Bernard Substituição realizada  de jogo ( 18. Neto Berola ) 11. Anselmo Ramon Gol aos  do Cartão amarelo recebido aos Gol aos  do
Técnico: Cuca Técnico: Vágner Mancini
Reservas que não entraram na partida
Atlético-MG: Cruzeiro:


Pré-Jogo

Em 2º lugar com 24 pontos, o Cruzeiro precisa vencer pra alcançar a liderança.

Vagner Mancini não poderá contar com o volante Rudnei e o lateral esquerdo Gilson, contundidos.

O meia Roger Galera, recuperado de uma lesão, poderá jogar, caso o treinador resolva mudar o 4-2-1-3 para o 4-2-2-2.

Em 1º lugar, com 27 pontos, ao Atlético-MG basta um empate pra sem manter na liderança.

O beque Leonardo Silva é o único atleta fora de combate no elenco emplumado. O volante Leonardo Donizete e o meia Escudero são dúvidas.

Lance a lance

Primeiro Tempo

  • 15h55 – Cocota em campo com uniforme tradicional.
  • 15h56 – Cruzeiro em campo com uniforme tradicional.
  • 15h58 – Execução do Hino Nacional.
  • 16h04 – Começa o jogo. Cruzeiro, à esquerda das cabines, dá a saída.
  • 00 – Reservas do Cruzeiro: Rafael
 Monteiro, Thiago Carvalho, Amaral, Francisco Everton, Elber, Roger Galera, Walter.
  • 00’30”- Vapt! Vupt! Montillo é derrubado por Danilinho, logo na saída de bola. Juiz economiza o cartão vermelho. Ou, no mínimo, um amarelo.
  • 01 – Guilherme chuta da entrada da área, Leo Simões corta.
  • 02 – Wellington Paulista invade a área perseguido por Rever. Renan Ribeiro fica com a bola.
  • 03 – Amarelos! Renan Ribeiro e Wellington Paulista.
  • 03’30” – Cuca discute com Wellington Paulista.
  • 04 – Bernard empurra Wellington Paulista, que fica caído na ponta direita.
  • 05 – Leo Simões desarma Guilherme e sai jogando com Wallyson.
  • 05’30” – Pierre e Wallyson trocam empurrões.
  • 06 – Wellington Paulista derruba Bernard na ponta esquerda.
  • 06’30” – Bernard aproveita rebote de falta e cruza. Marcos cede escanteio.
  • 07 – Marcelo Oliveira perde bola no meio de campo, Danilinho chuta, Fábio defende.
  • 08 – Montillo faz lançamento longo, bola fica com Renan Ribeiro.
  • 09 – Diego Renan cruza da esquerda, Rever desvia de cabeça, dentro da área.
  • 10 – Richarlyson cruza da esquerda, Victorino corta de cabeça, dentro da área.
  • 10 – Réver joga bola na área celeste, Victorino corta cm um bico.
  • 10’30” – Anselmo Ramon derruba Richarlyson na ponta esquerda.
  • 11 – Bernard cobra falta, Guilherme cabeceia, Rafael Marques tenta desviar, mas acerta Fábio, que defende no chão.
  • 12 – Juiz marca falta de Victorino em André na intermediária. Errou.
  • 13 – Richarlyson cobra falta, Leo Simões corta. Escanteio.
  • 14 – André arremata de bicicleta, Fábio defende.
  • 15 – Montillo aciona Wellington Paulista, que é derrubado por Richarlyson, na ponta direita.
  • 15’30” – Montillo cobra falta, Renan Ribeiro defende pelo alto.
  • 16 – Salvou! Guilherme Oliveira entra livre na área e chuta. Marcelo Oliveira, de carrinho, cede escanteio.
  • 17 – Guilherme cruza da esquerda, Rever arremata de prima, bola passa por cima do travessão.
  • 18 – Montillo lança Wellington Paulista, Renan Ribeiro sai da área e limpa o lance com um chutão.
  • 19 – Guilherme é desarmado por Leo Simões, Bernard fica com o rebote e chuta a bola na bandeirinha de corner.
  • 20 – Cocota domina, mas cede espaços na defesa. Wallyson passa a jogar pela direita, Wellington Paulista vai pra esquerda.
  • 21 – Leandro Guerreiro derruba Guilherme no meio de campo.
  • 22 – Marcos Rocha rola pra Guilherme, que da entrada da área arremata. Bola sai por cima do travessão.
  • 22’30” – Bernard tenta driblar Guerreiro, mas é desaramdo antes de concluir.
  • 23 – Amarelo! Montillo, por carrinho em Richarlyson.
  • 24 – Gol! Richarlyson cruza da esquerda, Danilinho, livre dentro da área se abaixa pra cabecear, bola entra no canto esquerdo de Fábio. Atlético-MG 1×0.
  • 25 – Bernard disputa bola com Leo Simões e deixa que ela saia pela linha de fundo.
  • 26 – Pierre, marcador de Montillo, desarma o argentino.
  • 27 – Wallyson derrubado por Pierre na direita. Falta cobrada, defesa corta.
  • 28 – Wellington Paulista chuta de fora da área, Renan Ribeiro defende sem problemas.
  • 29 – Richarlyson agarra Wellington Paulista. Falta no meio de campo.
  • 30 – Juiz diz que está de olho em Wellington Paulista.
  • 30’30” – Wellington Paulista derrubado. Montillo cobra falta, Renan Ribeiro corta. Marcelo Oliveira chuta, bola explode na defesa.
  • 31 – Marcelo Oliveira tenta jogada pela direita, bola sai pela linha de fundo.
  • 32 – Marcos disputa bola com Bernard e Guilherme e foca com o lateral.
  • 32’30” – Anselmo Ramon carrega a bola e lança Wallyson , que cai na área em disputa com Rever. Bandeira arca impedimento que não houve.
  • 33 – Wallyson desrama Bernard e cede escanteio.
  • 34 – Bernard cobraescanteio, Guerreiro cabeceia, Bola fica com Rever que também cabeceia, mas a bola sai pela linha de fundo.
  • 35 – Danilinho erra passe no meio de campo, Wellington Paulista fica com a bola, avança e chuta forte. Bola passa por cima do travessão.
  • 36 – Marcelo Oliveira é derrubado por Filipe Soutto no meio de campo.
  • 37 – Cocota marca mais, pressiona mais, ganha mais divididas. Cruzeiro está muito devagar.
  • 38 – Gol! Apagão na defesa celeste, Danilinho vai à linha de fundo, Fábio vai atrás, o meia cruza, bola passa entre as pernas do goleiro e é tocada pra rede por André, em cima da risca. Atlético-MG 2×0.
  • 39 – Amarelo! André por sair de campo desmunhecando na comemoração.
  • 40 – Falta a favor do Cruzeiro. Montillo cobra, Marcos Rocha corta.
  • 41 – Amarelo! Leo Simões por derrubar André evitando o contra-ataque.
  • 42 – Locutor é cor de rosa! Torcida da Cocota pede mais um gol. Marcos Leandro, locutor do PFC, concorda. “Quanto mais, melhor!”
  • 43 – Marcos cede lateral ao tentar tocar bola pra Guerreiro.
  • 44 – Marcos dá bobeira e perde bola pra Bernarda na onta esquerda.
  • 45 – Richarlyson cruza da esquerda, bandeira marca impedimento dele.
  • 45’30” – Bolas sumiram! Juiz fica doidão pedindo uma gorduchinha pra continuar o jogo.
  • 46 – Fim de 1º tempo. Cruzeiro mereceu perder. Ficou até barato.
  • Tempo fechou! Danilinho e Victorino discutem. Turma do deixa-disso entra em ação.
  • Fábio: “A gente não conseguiu anular as jogadas do adversário e agora não adianta perder a a cabeça, é preciso ter tranquilidade.”


Segundo Tempo

  • 17h03 – Cruzeiro volta a campo com duas substituições.
  • 17h07 – Cocota volta a campo sem alterações.
  • 17h08 – Começa o 2º tempo. Cocota dá a saida.
  • 00 – Trocas! Marcos por Francisco Everton, Wallyson por Roger Galera.
  • 01 – Roger Galera cobra falta pela esquerda, jogando a bola na área. Ela passa por todo mundo e sai pela linha de fundo.
  • 02 – Pierre derruba Roger Galera, que cobra a falta. Guilherme corta.
  • 03 – Diego Renan derruba Bernard na ponta esquerda.
  • 03’30” – Diego Renan lança Wellington Paulista, bola corre demais.
  • 04 – Marcelo Oliveira tenta uma gaúcha em Rafael Marques, que faz o corte.
  • 05 – Cocota marca por pressão, defesa celeste se atrapalha.
  • 05’30”- Bernard dribla Diego Renan e passa a Danilinho, que perde a bola pra Victorino.
  • 06 – Bernard dribla Diego Renan, corta pro meio, e chuta
  • 06’30”- Inacreditável! Montillo entra na área, dribla Diego Renan e rola pra Anselmo Ramon na pequena área. O centroavante, com o arco aberto, arremata por cima do travessão.
  • 07 – André avança pela direita, Victorino empurra a bola pra escanteio.
  • 08 – Bernard cobra escanteio, Réver cabeceia, Fábio defende.
  • 09 – Bombardeio! Bate-rebate na área celeste. Defesa fica com a última bola.
  • 10 – Amarelo! Roger Galera por entrada criminosa em Danilinho. Um cotovelaço na nuca.
  • 11 – Richarlyson cobra falta, bola sai à esquerda de Fábio. Tiro de meta.
  • 12 – Francisco Everton entra na área pela esquerda, Danilinho o persegue e cede escanteio.
  • 13 – Marcelo Oliveira recua de longe pra Fábio.
  • 13’30”- Cocota pressiona, Cruzeiro não consegue sair da defesa.
  • 14 – Gol! Diego Renan cruza da direita, Renan Ribeiro cata borboletas, Anselmo Ramon cabeceia pra rede. Cruzeiro 1×2.
  • 15 – Cocota sai pro ataque, defesa celeste corta.
  • 16 – André e Guilherme tabelam na defesa aberta do Cruzeiro, mas Leo Simões aparece pra sair jogando.
  • 17 – Richarlyson cobra falta sobre a área, Diego Renan é derrubado. Falta pro Cruzeiro.
  • 18 – Diego Renan tenta sair jogando, mas é empurrado por Bernard.
  • 19 – Roger Galera cobra falta pela direita, Anselmo Ramon não alcança.
  • 19’30”- Amarelo! Anselmo Ramon por tentar tocar a mão na bola, já fora de campo. Juiz errou.
  • 20 – Wellington Paulista cruza da esquerda, muito fechado, Renan Ribeiro defende pelo alto.
  • 21 – Bola sobre a área rosa, Rafael Marques corta de cabeça.
  • 22 – Diego Renan desarama Bernard, dentro da área, e sai jogando.
  • 23 – Wellington Paulista solta uma bomba, bola sai por cima do travessão.
  • 24 – Troca! Bernard por Berola.
  • 24’30” – Wellington Paulista é derrubado por Rafael Marques.
  • 25 – Montillo cobra falta, defesa corta.
  • 26 – Berola avança livre pela mei esquerda e chuta. Marcelo Oliveira corta.
  • 26’30”- Troca! André por Mancini.
  • 27 – Amarelo! Danilinho por carrinho em Roger Galera.
  • 28 – Rosas não falam! Torcida emplumada caladona, preocupada.
  • 29 – Danilinho rola pra Berola, Marcelo Oliveira aparece pra desfazer a tabela.
  • 29’30”- Mancini chuta de fora da área, Fábio defende.
  • 30 – Troca! Wellington Paulista por Walter.
  • 31 – Roger Galera cobra falta da intermediária, Renan Ribeiro defende pelo alto.
  • 32 – Milagre! Filipe Soutto chuta forte, de fora da área, bola explode no poste esquerdo e sobra pra Guilherme que, livre, na frente de Fábio chuta no último degrau da arquibancada.
  • 33 – Amarelo! Pierre entra de sola em Montillo.
  • 33’30”- Roger Galera cobra falta pela direita, AR sobe, mas bola desvia em Rafael Marques e sai pela linha de fundo. Juiz erra marcando tiro de meta.
  • 34 – Gol! Cocota sai errado, Montillo fica cm a bola e serve Anselmo Ramon, que toca na saída de Renan Ribeiro. Cruzeiro 2×2.
  • 35 – Depressão! Torcida emplumada em silêncio absoluto.
  • 36 – Berola recebe passe de Danilinho em impedimento e marca. Bandeira dá impedimento.
  • 37 – Vermelho! Pierre dá um pescoção em Montillo e recebe segundo cartão amarelo e o vermelho.
  • 38 – Roger Galera cobra falta pela esquerda, Anselmo Ramon cabeceia por cima do travessão.
  • 39 – Troca! Guilherme por Luís Eduardo.
  • 40 – Richarlyson chuta de longe, bola desvia na defesa e sai a escanteio.
  • 41 – Mancini cobra escanteio pela esquerda, bola sai pela lateral do lado oposto.
  • 41’30”- Escanteio pra Cocota, Mancini, confusão absurda na área celeste, Victorino cede outro escanteio.
  • 42 – Filipe Soutto lança bola na área, Fábio defende.
  • 42’30” – Público: 17.724 pagantes. Renda: R$325.240,00
  • 43 – Cruzeiro toca bola no meio de campo.
  • 43’30” – Montillo lança Walter, Rafael Marques corta.
  • 44 – Amarelo! Leandro Guerreiro por falta em Marcos Rocha.
  • 44’30” – MVP! Anselmo Ramon, eleito melhor em campo pela equipe da Rádio Itatiaia.
  • 45 – Bola na área, Francisco Everton corta de cabeça. Contra-ataque, Walter cruza da direita, Renan Ribeiro defende.
  • 45’30”- Amarelo! Marcos Rocha por derrubar Roger Galera.
  • 46 – Francisco Everton cruza da esquerda, Renan Ribeiro não corta, Rafael Marques cede escanteio.
  • 46’30”- Roger Galera cobra escanteio diretamente pra fora.
  • 47 – Amarelo! Luís Eduardo por derrubar Roger Galera.
  • 47’30”- Roger Galera cobra falta sobre a área atleticana, Rafael Marques corta.
  • 48 – Fim de jogo. Resultado bom pra Cocota em termos de tabela, porque ela se mantém na liderança, mas desastroso em termos morais.
  • Anselmo Ramon: “Não foi o primeiro nem o úktimo gol que perco, mas importante é ter levantado a cabeça e marcado outros. Sair atrás num clássico e sair empatar é bom.”
  • Filipe Soutto: “Não era o resultado que a gente queria, mas uma derrota seria pior. ”


Vídeos

  • Melhores momentos

Atuações

  • Camisa Azul-estrelada - Assusta o rival, impõe respeito. Futebol tem dessas coisas. Impossível explicar o fenômeno à luz da ciência. E nem precisa. Mistérios tornam o futebol mais emocionante. (Sindico)
  • Fábio – Não salvou o time em nenhuma ocasião, como faz habitualmente, nem foi responsável pelos gols. (Síndico)
  • Marcos – Sofreu com os ataques de Richarlyson por seu lado, errou passes e não atacou. (Síndico)
  • Leo Simões –O melhor da defesa. Atuação firme, desarmes oportunos e muita raça. (Síndico)
  • Victorino – Alternou boas e más jogadas. Não conseguiu cortar a bola que resultou no primeiro gol emplumado. (Síndico)
  • Diego Renan – Inexistiu ofensivamente no 1º tempo e ainda deixou o Danilinho fazer duas jogadas em cima dele. Melhorou muito no 2º, mas tomou vareio do Bernard e do Berola. (Walterson Almeida) /// Preso à marcação no 1º tempo, apoiou mais no 2º. Perdeu e ganhou jogadas contra Bernard e Berola. Saldo positivo por consertar a lateral-direita, o setor mais frágil do time no 1º tempo e pelo cruzamento do primeiro gol celeste. (Síndico)
  • Francisco Everton – Melhorou a marcação na lateral-esquerda e subiu com perigo ao ataque algumas vezes. (Síndico)
  • Leandro Guerreiro – Jogou muito. Calado, sem firula, foi um motorzinho. Cobriu todo mundo e ainda fez boas ligações com o ataque. (Cuné) /// Muita raça, bons desarmes, mas nenhuma ação ofensiva digna de nota. (Síndico)
  • Marcelo Oliveira - Fez sua melhor partida com a azul-estrelada compensando a pouca técnica com uma disposição fantástica. (Síndico)
  • Roger Galera – Bacana o Roger… acerta aquele double nelson na 7ª vertebra cervical do micro, aos 10 minutos de jogo, com o time perdendo de 2, tentando sair da pressão, duas substituições já realizadas. Se tivesse sido expulso, sacola. E ainda periga tomar um gancho no embalo das imagens. Espero que tenha sido seu momento oncecaldas do ano. (Ricardo Malafaia) /// Não foi o melhor do time, mas parte do resultado tem de ser creditado a ele. Foi putaveia, desequilibrou os ânimos das cocotas, cadenciou o jogo e até falta desclassificante fez. Mudou a cara do jogo, (Rosan Amaral) /// Povoou o meio de campo, bateu boas faltas, mas quase põe tudo a perder com uma agressão covarde a Danilinho. (Síndico)
  • Montillo - Anulado por Pierre no 1º tempo, fez grandes jogadas no 2º, inclusive o serviço do segundo gol. De quebra, tirou seu marcador do jogo, obrigando-o a cometer seguidas faltas. (Síndico)
  • Anselmo Ramon – Saiu do jogo sem dever nada, pegou mal na bola, perdeu um gol, mas fez dois. Quem já jogou futebol sabe o que é pegar mal na bola, quem nunca jogou corneta. (Zé do Canadá) /// Perdeu um gol incrível, mas fez dois salvadores. (Síndico)
  • Wallyson – Apagado, não aproveitou os espaços concedidos pelo sistema defensivo emplumado e pouco contribuiu pra marcação. Foi sacado com justiça no intervalo.(Síndico)
  • Wellington Paulista - Encheu o saco dos emplumados e do juiz. Lutou como sempre, deu o único chute sério a gol do Cruzeiro no 1º tempo e, por pouco, não marca um belo gol, em outro arremate no 2º. (Síndico)
  • Walter - Pouca participação. Um cruzamento perigoso e nada mais. Sua presença neste clássico será lembrada pela comemoração no gol de empate e pela declaração de que o rival pipoca quando pressionado. (Síndico)
  • Vagner Mancini – Entrou com os três atacantes que vinham jogando bem ao longo do torneio, mas soube tirar lições do massacre que seu time tomou no 1º tempo e consertou o meio de campo e as laterais com as entradas de Roger Galera e Francisco Everton.. Tem o mérito de ter enxergado os problemas e tomado providências radicais sem esperar os tais 15 minutos do 2º tempo pra mexer no time. (Síndico)
  • Torcida – Ausente do estádio por força do regulamento, fez festa nos bares de Beagá pelo improvável empate que o time arrancou na 2ª etapa. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras – O juiz poderia ter expulsado Danilinho, Roger Galera e Luís Eduardo por jogadas violentas, mas preferiu contemporizar e levar o clássico catimbado até o fim aplicando uma dúzia de cartões amarelos e apenas um inevitável vermelho. Correu o risco e se deu bem. Renato cardoso Conceição mostrou personalidade, pois recebeu pressão dos dois lados e não permitiu que elas interferissem em suas decisões. Um dos bandeiras errou ao marcar impedimento inexistente de Wallyson. (Síndico)
  • Cruzeiro – Péssimo na etapa inicial, equilibrou a partida na volta do intervalo após trocar um atacante por um meia. Teve 10 minutos pra tentar a vitória com um jogador a mais, mas não quis arriscar o bom resultado que, nas circunstâncias, havia alcançado. Leo Simões, Marcelo Oliveira, Montillo e Anselmo Ramon foram os destaques. (Síndico)
  • Atlético-MG – Fosse boxe, venceria por pontos. Teve 60% de posse de bola no 1º tempo quando dominou do primeiro ao último minuto. No 2º, mesmo tomando o empate, criou boas oportunidades pra decidir o jogo a seu favor. O time está ajustado, mas algo amedrontado, talvez por conta dos 6×1 do final do ano passado. Bernard, Fellippe Souto e Richarlyson foram os melhores. (Síndico)

O que foi dito

  • Mauro França, analista do PHD: O 1º tempo foi um pesadelo. Depois de 15 minutos nervosos e truncados, com entradas duras, faltas e provocações de lado a lado, o Atlético-MG passou a atacar mais e dominou as ações. Começou a rondar a área celeste, explorando principalmente o lado esquerdo do seu ataque. Dali nasceu o primeiro gol, um cruzamento de Richarlyson que encontrou Danilinho livre na entrada da pequena área pra desviar de peixinho no canto direito de Fábio, aos 24. O Cruzeiro era um time estanque, com dois blocos separados por um buraco no meio de campo. Com uma saída de bola quase sempre forçada o ataque pouco produzia e também não criava dificuldades para a saída do adversário. Atrás, a zaga e os volantes se desdobravam na marcação nas proximidades da entrada da área, quase sempre em desvantagem numérica, e os laterais falhavam além do aceitável. O Atlético-MG intensificou a pressão e o Cruzeiro, num ritmo bem mais lento, não conseguiu opor resistência. O segundo gol saiu quando Danilinho entrou livre pela área pela direita, aproveitou a saída errada de Fábio para cruzar rente à linha do gol e André apareceu pra fazer 2×0, aos 38. Clima de alvoroço nas arquibancadas e nas cabines de imprensa. O sonho de devolver uma goleada parecia prestes a se tornar realidade. O Cruzeiro voltou mudado para o 2º tempo e nem poderia ser diferente. Mancini optou pelas entradas de Roger e Everton nos lugares de Wallyson e Marcos, com Diego Renan sendo deslocado para a direita. Depois de alguma dificuldade nos minutos iniciais em função da pressão do adversário na saída de bola o time se acertou o bastante para equilibrar as ações. O buraco do meio foi eliminado com um posicionamento mais adiantado dos volantes e o ataque começou a encontrar espaços pra manobrar. A primeira ameaça nasceu em grande jogada de Montillo, que depois de driblar Renan Ribeiro colocou Anselmo Ramon na cara do gol, mas a conclusão saiu alta, por cima do travessão, aos 6. Roger quase põe o esforço de reação a perder com uma entrada violenta em Danilinho aos 10, recebendo amarelo que saiu barato. Pouco depois, a reação ganhou força quando Diego Renan cruzou da direita, a bola desviou num zagueiro, Renan Ribeiro errou o tempo e Anselmo Ramon, bem colocado, se redimiu do gol perdido com uma cabeçada certeira, aos 14. O gol foi o bastante para acabar com o clima de euforia da torcida adversária. O jogo ficou aberto, nervoso, mas ligeiramente favorável ao Cruzeiro. Cuca mexeu duas vezes, na tentativa de repor o gás que já faltava. Mancini trocou Wellington Paulista por Walter. E em apenas dois minutos, aconteceram dois lances cruciais. O primeiro, um chute de Felipe Souto de fora da área, que depois de desvio de Fábio acertou a trave. Na cara do gol, Guilherme isolou o rebote, aos 32. O segundo começou com uma saída errada de Berola, que Montillo aproveitou com maestria pra servir com belo passe a Anselmo Ramon, que na entrada da área, dominou e bateu cruzado no canto direito de Renan Ribeiro. A Arena emudeceu. Pierre ainda foi expulso aos 38 e o silêncio foi trocado por vaias e debandada geral. O Atlético ainda tentou uma última pressão que não deu resultado e o Cruzeiro respondeu tocando bola. Pelas circunstâncias, o empate teve sabor de vitória.
  • Vagner Mancini, treinador do Cruzeiro: O 2×2 foi justo em função do que o Atlético fez no 1ª tempo e do que fizemos no 2º. Poderíamos até vencer, mas acho que o resultado foi justo. No 1º tempo, com certo nervosismo, nossa equipe perdeu muito a bola e errou muitos passes. Mas a reação me deixa muito satisfeito, porque vamos ter outros jogos desse porte, não só nas finais do Mineiro, mas na sequência do ano. Tivemos superação e o emocional muito equilibrado pra buscar o primeiro gol. Perdemos um gol incrível quando ainda estava 2×0, mas chegamos ao empate com muita força física. É fundamental a equipe mostrar força nos momentos decisivos. Hoje, o Cruzeiro mostrou estar apto a sonhar muito ainda, porque dá pra gente ganhar o título, mesmo respeitando o Atlético. Eu sou mais o Cruzeiro. No início do jogo alguns atletas estavam sobrecarregados na armação. Wallyson, como os outros atacantes, não vinha bem, Marcos tinha certa dificuldade na marcação sobre o Bernard e errou alguns passes. É o dia do cara. Eu poderia ter escolhido outros pra substituir, mas, na minha cabeça, a estratégia do 2º tempo seria entrar com o Everton na esquerda, e o Roger, que jogando e armando, faz nossa equipe ter maior poder de posse de bola. Ele acabou sendo determinante pra mudança de atitude. Agora é obvio que o time inteiro voltou diferente, com mais gana, mais inteiro, buscando mais o gol, o que não fizemos na etapa inicial.
  • Cuca, treinador do Atlético-MG: O 1º tempo foi muito bem jogado por nós. O Cruzeiro não deu um chute, fizemos 2 gols e perdemos outros. O 2º tempo também foi melhor jogado pelo Atlético do que pelo Cruzeiro. Pecamos em não matar o jogo. Tivemos um pênalti, que o Bernard preferiu a vantagem da jogada. O tempo vai ensinar. Num lance fortuito, a bola bate em alguém, encobre o goleiro, erramos o tempo de bola e o Cruzeiro fez 2×1. Vira outro jogo. Tivemos bola na trave, perdemos gols. O Cruzeiro teve sorte. No futebol, não existe merecimento. Se existisse, deveríamos vencer. O empate teve gosto de derrota, ainda que a gente continue 3 pontos na frente. O Cruzeiro teve eficácia, competência pra fazer o gol, e sorte pelo resultado, com bola na trave deles. Tomamos o segundo gol num contra-ataque nosso. Essas faixas de protesto estão presentes desde o começo do ano, algumas viradas. Temos que compreender, porque fracassamos no último jogo do ano passado. Hoje, a torcida estava feliz e saiu frustrada, num jogo em que ela viu que poderíamos e deveríamos ter vencido. Falhamos e empatamos. Temos que ter equilíbrio e sensatez, porque não somos torcedores, somos profissionais. O torcedor está puto da vida. Eu também estou, mas não posso pôr fogo em Roma em cima de um empate em que fomos melhores nos dois tempos. Até com 10, tivemos chances de fazer gol.
  • Marcos Aurélio Dezessete Sampaio, atleticano, leitor do PHD, por telefone: No 1º tempo, o Atlético teve mais volume. Era até normal, pois quem joga com torcida tem de se impor. No 2º tempo, por estar 2×0, o time relaxou, tirou o pé e foi castigado. Ter se entusiasmado e corrido muito no 1º tempo pode ter sido a maior falha, pois ninguém tem preparo físico pra correr igual durante 90 minutos. O Cruzeiro, que estava devagar no começo, pôde usar sua reserva de gás para pressionar no fim da partida. Cuca vacilou ao trocar André por Mancini e mandar Guilherme pro comando do ataque. Mancini errou demais e comprometeu o time, que na prática passou a jogar com um a menos. Outro problema foi a deficiência técnica do goleiro, que perdeu o tempo de bola no cruzamento do primeiro gol. O jogo foi muito bom e o resultado, mesmo com a chiadeira da torcida, foi bom pro Atlético em termos de tabela.erme, porque perdeu gol, no Renan, porque errou tempo de bola, ou no Berola, por ter saído jogando errado. Vamos precisar desses caras.
  • Roger Galera, meia do Cruzeiro: Faz parte do espetáculo. A torcida atleticana me chamou de chifrudo e eu mostrei os chifres (seis) a eles. Mas com todo respeito.
  • Anselmo Ramon, centroavante do Cruzeiro: Foi um jogo bom. Saímos atrás e tivemos força pra fazer os 2 gols. Esse gol que perdi não foi o primeiro nem vai ser o último, então é levantar a cabeça, como levantei. Tive personalidade, pude fazer os 2 gols pra ajudar a equipe. Tenho de agradecer aos meus companheiros, que me ajudaram bastante. Num clássico, sair ganhando por 2×0 e deixar empatar… Pra gente, foi muito bom, foi como uma vitória. A comemoração foi por causa de uma música baiana da banda Black Style. O nome da música é ‘Cisca, que eu jogo milho’. Já havia combinado com o Walter e estava tudo ensaiado.
  • Walter, atacante do Cruzeiro: Entramos mal no 1º tempo, mas no 2º entramos bem, ligados. É normal eles pipocarem pro nosso time. Eu disse que nosso time estava bem, plantado. Isso que falei. A qualquer momento que saísse o gol, o time do Atlético ficaria com medo. Eles estavam na pressão. Aquele resultado mexeu muito com o torcedor deles. Não é à toa que, quando empatamos, eles começaram a vaiar os jogadores deles. É uma pressão muito difícil. O Atlético Mineiro vai demorar muito a esquecer aquela derrota.
  • Leandro Guerreiro, volante do Cruzeiro: Danilinho fez que ia chutar uma bola que passou perto dele, mas não chutou, segurou o pé. Esse foi nosso combustível no interval. É fácil fazer quando está 2×0. Quero ver ele fazer de conta que vai chutar a bola e segurar o pé com 2×2. Não adianta tirar sarro, ainda mais de um time grande como o Cruzeiro. Não se ganha um clássico só jogando 45 minutos. Você ganha só quando o juiz apita o final. Quando vencemos com 6 gols, respeitamos fazendo gols, não fazendo cena pra torcida.
  • Fillipe Soutto, volante do Atlético-MG: No final das contas, o empate foi melhor pra gente que pra eles. Isso que temos que pensar. Lógico, tirar as lições, mas pensar positivamente que o Atlético ainda está invicto. Derrota seria muito pior. O empate nos mantém na primeira colocação, pelo menos, até domingo. Isso que a gente tem de conquistar, pois é nosso maior objetivo agora. Nossa pegada caiu um pouco no 2º tempo. Depois da alteração que o Mancini fez, dificultou nossa marcação, mas isso não é desculpa. O Atlético tem que manter no 2º tempo o que fez no 2º e não foi o que vimos hoje. É necessário maior inteligência pra jogar com o resultado nas mãos, principalmente quando se é uma equipe grande como é o Cruzeiro, num clássico. Um detalhe errado nosso foi fatal. Não saímos com gosto de derrota, mas é claro que a gente fica chateado, porque a torcida veio, apoiou. A gente esperava que cobraria, como cobrou, mas a gente precisava ter jogado melhor pra dar um presente a ela.
  • O Alixandre, presidente do Atlético-MG: Esse rapaz joga de que? É um gordinho? Ele desmoraliza o preparador do Cruzeiro. Eu o vi em campo, ele é uma aberração. Vamos falar de Wellington Paulista e Anselmo Ramon. Falar de Walter? Ele está é desmoralizando a nutricionista e o preparador físico do Cruzeiro.
  • Eugenio Raggi, no PHD: Kalil falar em gordinho é piada, né? Daniel Carvalho empurrou um ano com a barriga por lá e ele vem falar que o Walter desmoraliza o preparador físico do Cruzeiro. Um comediante esse Kaiu.
  • JP Chaves, no PHD: Uma coisa é ter três volantes que sabem jogar. Outra é como ocorre atualmente, que nossos volantes não sabem. Isto torna necessário ter um Roger Galera em campo pra ajudar na saída de bola. Certa vez, ele disse no Bem Amigos, que o segredo do Cruzeiro era a trinca de volantes -Paraná, Fabrício e Henrique- em cujos pés a bola não queimava. Hoje, nitidamente, eu vi o Cruzeiro desesperado pra sair jogando.

Fontes

Transmissão

  • PPV