Atlético-MG 0x2 Cruzeiro - 19/10/2008

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar


Confrontos
(clique no jogo para navegar)
Por temporada
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Betim.png Gol aos do Escudo Atlético-PR.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png
Por Campeonato Brasileiro
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Betim.png Gol aos do Escudo Atlético-PR.png 1x0 Escudo Cruzeiro.png
No estádio Mineirão
Escudo Cruzeiro.png 1x0 Escudo Betim.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 3x0 Escudo Grêmio.png
Contra Atlético-MG
Escudo Cruzeiro.png 2x1 Escudo Atlético-MG.png Gol aos do Escudo Cruzeiro.png 4x2 Escudo Atlético-MG.png

[edit]

Escudo Atlético-MG.png
0 × 2
Escudo Cruzeiro.png



Informações

Data: 19 de outubro de 2008
Local: Belo Horizonte, MG
Estádio: Mineirão

Árbitro: Wagner Tardelli de Azevedo
Assistente 1:
Assistente 1:


Público e Renda

Público pagante: 52.884
Público Presente: 54.954
Renda: R$ 1.008.651,50 R$ 1.008.651,5 <br />Cr$ 1.008.651,5 <br />NCr$ 1.008.651,5 <br />Cz$ 1.008.651,5 <br />NCz$ 1.008.651,5 <br /> (preço médio: R$ 19,07 )


Escalações

Atlético-MG
  1. Juninho Cartão amarelo recebido aos
  2. Sheslon
  3. Vinícius Cartão amarelo recebido aos
  4. Leandro Almeida
  5. Élton Substituição realizada de jogo ( Tchô )
  6. Denílson Substituição realizada de jogo ( Rafael Aguiar )
  7. Serginho
  8. Márcio Araújo Cartão amarelo recebido aos
  9. Renan Oliveira
10. Marques Substituição realizada de jogo ( Pedro Paulo )
11. Castillo
Técnico: Marcelo Oliveira

Cruzeiro
  1.  Fábio
  2.  Jonathan  Gol aos do
  3.  Léo Fortunato
  4.  Thiago Heleno
  5.  Carlinhos
  6.  Marquinhos Paraná
  7.  Henrique Substituição realizada de jogo ( Elicarlos )
  8.  Ramires
  9.  Fernandinho Substituição realizada de jogo ( Wagner )
10.  Guilherme  Gol aos do P
11.  Thiago Ribeiro Substituição realizada de jogo ( Camilo )
Técnico: Adilson Batista


Reservas que não entraram na partida


Atuações[editar]

  • Adilson Batista – Levou seu time à vice-liderança e com o maior número de vitórias dentre os 20 concorrentes. Apesar da oposição burra dos que insistem em não enxergar méritos em seu trabalho, vai levando o barco com segurança. Antes do clássico, mostrando não guardar rancor da torcida que, vira e mexe, o chama de burro, alentou a equipe nos vestiários lembrando as imagens dos torcedores entusiasmados que acompanharam o ônibus na chegada da delegação ao Mineirão.
  • Torcida – Dividiu o estádio com a rival, rediviva após o êxito fugaz no Maracanã, mas goleou no quesito entusiasmo. Como sempre. De qualquer forma, ainda continua devendo uma festa inesquecível neste Brasileiro. Quem sabe ela acontecerá contra o Grêmio?
  • Fábio – Teve pouco trabalho. Fez 2 defesas com grau mínimo de dificuldade e só.
  • Jonathan – Teve algum trabalho para conter Marques, por isto não atacou muito. Quando o fez, contudo, deixou sua marca com um golaço parecido com o de Carlos Alberto Torres na final da Copa de 70.
  • Léo Fortunato – Marcou, rebateu e fez coberturas na lateral-direita, setor em que o rival criava suas jogadas..
  • Thiago Heleno – No mesmo nível do companheiro de zaga.
  • Carlinhos – Melhor na defesa do que no ataque, não brilhou, mas também não comprometeu.
  • Marquinhos Paraná – Tranqüilo, desarmou e municiou o ataque com bons passes.
  • Henrique – Voluntarioso, tomou muitas bolas, mas também errou vários passes. Disciplinado taticamente, protege bem a bequeira num trabalho pouco valorizado pelo torcedor.
  • Elicarlos – Sofreu o pênalti que resultou no 2º gol e contundiu-se com seriedade no lance.
  • Ramires – O Queniano esteve em seus melhores dias. Desconsertou o sistema de marcação atleticano com suas arrancadas.
  • Fernandinho – O lançamento para o gol de Jonathan já serviria para justificar sua presença, mas ele fez mais: marcou e armou com eficiência.
  • Wagner – Entrou num momento em que a equipe estava perdendo punch e a empurrou pra cima do adversário. Criou e perdeu duas oportunidades de gol.
  • Thiago Ribeiro – A movimentação de sempre pela direita aproveitando a improvisação do rival naquele setor. Chutou bolas perigosas a gol, mas continua sem marcar no Mineirão. Cansado, foi substituído no final da partida.
  • Camilo – Marcou sua presença com a bela jogada que resultou no 2º gol.
  • Guilherme Gusmão – Belos toques, tabelas e arrancadas. Pecou nas finalizações, mas mostrou categoria no pênalti. Mais uma vez carimbou as redes atleticanas. Está se tornando um fenômeno do clássico, tantos são os gols que marca contra o rival.
  • Juiz & Bandeiras – Tardelli se deu nota máxima nas entrevistas pós-jogo. Discordo. Ele economizou ao menos dois cartões vermelhos. Um para Vinícius, que, sendo o último homem da defesa, derrubou Guilherme Gusmão quando o atacante rumava em direção ao arco atleticano. Outro para o goleiro Juninho que derrubou com violência Elicarlos no lance do pênalti. Satisfeito da vida com o que tem feito no futebol, ele promete se aposentar na próxima temporada. Se a demora for por falta de adeus, tchau!
  • Adversários – Juninho fez 3 defesas difíceis evitando gols certos. Marques lutou sozinho contra a defesa celeste, pois não encontrou parceiros no meio de campo, na lateral e tampouco no ataque alvinegro para dividir responsabilidades pela execução das jogadas de ataque. A menos que tenha cansado, não há explicações para sua substituição.


Links e Fontes[editar]