Anexo:Sócio do Futebol Antes Novo Mineirão

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para navegação Ir para pesquisar
Voltar ao artigo principal

Pré fechamento do Mineirão[editar]

O torcedor fará sua adesão pela internet ou pessoalmente na Sede Administrativa;

Adesão pela internet terá taxa de administração (custeio de emissão do Cartão e outras despesas) no valor de R$15,00 + custo de remessa pelo Correio no valor de R$6,50 ;

Adesão com atendimento pessoal terá taxa de administração (custeio de emissão do Cartão e outras despesas) no valor de R$30,00;

O Projeto disponibilizará inicialmente 20 mil lugares em função da reforma do Mineirão que será iniciada em 2010, quando o Cruzeiro deverá fazer seus jogos no Independência.

Após esgotados os 20 mil lugares, o Cruzeiro disponibilizará um novo lote, a ser definido valor e quantidade, que terá validade somente para 2009 ou enquanto o Cruzeiro jogar no estádio Mineirão, com mando de campo.

Pós fechamento do Mineirão[editar]

Após o fim da Copa do Mundo de 2010, o Cruzeiro ficou sem estádio para mandar os seus jogos em Belo Horizonte devido a reformas no Mineirão e o atraso para a finalização do Independência. Isso fez com que aproximadamente 12 mil sócios não renovassem seu cadastro o que deixou um número de 5 mil sócios fiéis.

Supensão de adesão [1][editar]

Foi anunciado a suspensão de novas adesões ao Sócio do Futebol até que houvessem definições de onde o Cruzeiro mandaria em definitivo seus jogos. As adesões só devem mesmo serem restauradas quando o Independência ficar pronto.

1000 vagas [2][editar]

Em 30 de maio de 2010, foi anunciado a abertura de mil vagas para quem quizesse ser sócio. Com a eliminação da Libertadores e consequente queda na demanda pelo cartão. O Sócio do Futebol resolveu abrir mil vagas para quem quizesse fazer o cartão e acompanhar o Cruzeiro no restante do Campeonato Brasileiro:

Em comemoração ao aniversário de dois anos do Sócio do Futebol, o Cruzeiro irá conceder a oportunidade de mais mil torcedores se filiarem ao Clube. Com isto, o torcedor poderá comparecer a todos os jogos em que o Cruzeiro for mandante sem precisar de ingressos ou enfrentar filas, além de concorrer a várias outras vantagens e prêmios. A ação abrange o torcedor que já foi Sócio do Futebol e deseja voltar a participar do programa e também aquele que deseja fazer a adesão pela primeira vez. O contrato terá validade de sete meses, ou seja, até dezembro. Os custos que o Sócio arcará são a mensalidade, de R$45, e a taxa de adesão, com o valor único de R$30.

No dia 21 de junho de 2010 foi anunciado o esgotamento das mil vagas[3].

Últimas vagas [4][editar]

Próximo de lançar a nova categoria do Sócio Torcedor (Cruzeiro Sempre), o Cruzeiro concedeu, a oportunidade de mais alguns torcedores se filiarem ao Clube. Foram cadastrados cruzeirenses até o Programa completar as últimas vagas do quadro de Sócios.

Com isto, o torcedor, em dia com sua mensalidade, poderia comparecer a todos os jogos em que o Cruzeiro for mandante sem precisar de ingressos ou enfrentar filas, além de concorrer a prêmios e usufruir de várias vantagens.

Quatro dias depois as vagas se esgotaram[5]. Dois dias após o esgotamento das vagas o presidente Gilvan Pinho Tavares, liberou a abertura de mais mil vagas[6], que se esgostaram no dia seguinte [7].

Referências[editar]