Temporada 2002

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
(Redirecionado de 2002)
Ir para navegação Ir para pesquisar
← Temporada 2001 Icone-Calendario.png Temporada 2003


Sobre a temporada[editar]

A temporada de 2002 ficou marcada na memória dos cruzeirenses pela despedida de um dos maiores ídolos da história do clube. O argentino Juan Pablo Sorín chegara ao clube em 2000 e, em dois anos, caiu nas graças da torcida celeste.

Em maio, o Cruzeiro confirmou a negociação do argentino com a Lazio, da Itália, e a final da Copa Sul-Minas serviu como despedida do jogador. A festa não poderia ter sido mais completa. A partida, contra o Atlético-PR, campeão brasileiro da época, reuniu 69.533 pagantes no Mineirão, que vibraram com o triunfo por 1 a 0, com gol do próprio Sorín. Durante o jogo, o atleta sofrera um corte no supercílio, mas fez questão de jogar até o último minuto, com uma proteção próxima ao olho.

Coincidentemente, a data da final foi em um domingo de dia das mães e dona Ruth, mãe do ídolo celeste, compareceu ao Mineirão para fazer uma surpresa para o filho. Sorín se emocionou na despedida e chegou a deixar uma carta aberta à torcida, revelando gratidão e amor ao clube.

De fato, Sorín se identificou com a torcida celeste. O jogador ainda voltou ao clube em duas oportunidades: 2004 e 2009, quando encerrou sua carreira e passou a residir oficialmente em Belo Horizonte, cidade que escolheu para viver com a família e torcer pelo Cruzeiro.

Pouco tempo depois do título da Sul-Minas, o Cruzeiro sagrou-se supercampeão mineiro, em disputa que reuniu os clubes da capital e ainda a Caldense, que havia se sagrado campeã mineira entre os clubes do interior.

No segundo semestre, a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo deu esperanças à torcida de conquistar o sonhado título brasileiro. O time, de fato, engrenou. Venceu os últimos cinco jogos da fase de classificação e por pouco não ficou entre o grupo dos oito que disputariam o mata-mata até a decisão.

Por ironia, quem tomou a vaga do Cruzeiro foi o Santos, que terminou a fase de pontos corridos com campanha idêntica à celeste, mas com saldo de gols superior. O Peixe acabou trilhando o caminho pretendido pelo Cruzeiro e foi o campeão, passando por São Paulo, Grêmio e Corinthians. Ficou no torcedor celeste a impressão de que, se o clube tivesse classificado, chegaria à decisão, por estar embalado e mostrando um futebol de altíssimo nível.

A impressão que ficou em 2002 não era em vão. Tanto que foi confirmada em 2003, quando o Cruzeiro foi arrasador e conquistou o Campeonato Mineiro e a Copa do Brasil de forma invicta, além do Campeonato Brasileiro. [1]

Geral[editar]

Mando de Campo Jogos Vitórias
(aprov.)
Empates Derrotas Gols Feitos Gols Sofridos Saldo Gols Média gols Média gols
sofridos

Geral 64 37
(57,81%)
13 14 119 73 46 1,86 1,14
Mandante 32 19
(59,38%)
5 8 64 35 29 2,00 1,09
Visitante 28 14
(50,00%)
8 6 43 38 5 1,54 1,36
Amistosos 4 4
(100,00%)
0 0 12 0 12 3,00 0,00

Maior período de invencibilidade[editar]

  • Invícto: 11 jogos
  • Vitórias consecutivas: 7 jogos

Artilharia[editar]

- - Jogador Gols Gol aos do
Fábio Júnior 23
Edilson Capetinha 11
JoãozinhoSimbolo jogador base.png 10
Luisão 10
Jussiê 6
Marcelo Ramos 6
RicardinhoSimbolo jogador base.png 6
Cris 6
Sorín 5
10º Alessandro 5
11º Jorge Wagner 4
12º Alessandro Cambalhota 4
13º Marcelo Batatais 3
14º Vander 3
15º Leonardo 2
16º Alex 2
17º Paulo Miranda 2
18º Ruy 2
19º Lúcio 2
20º MaiconSimbolo jogador base.png 2
21º WendelSimbolo jogador base.png 1
22º Paulo Isidoro 1
23º Leandro Silva 1
- - Gols contra aos do 2
  • Simbolo jogador base.png - Jogador formado na Base

Estatísticas[editar]

# Nome Jogos
oficiais
Tit. Res. Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos Amist.
Luisão (ZAG) 57 56 1 4 1 4
Maicon Simbolo jogador base.png (LAT) 50 49 1 6 0 4
Cris (ZAG) 49 49 0 6 3 4
Fábio Júnior (ATA) 50 46 4 2 0 0
Augusto Recife Simbolo jogador base.png (VOL) 44 34 10 9 2 4
Jefferson (GOL) 44 44 0 0 0 4
Jorge Wagner (MEI) 38 28 10 4 0 4
Jussiê (ATA) 37 29 8 6 0 4
Ruy (MEI) 38 16 22 5 1 2
10º Marcelo Batatais (ZAG) 34 22 12 2 0 4
11º Vander (MEI) 31 27 4 7 1 4
12º Fernando Miguel (MEI) 31 24 7 9 0 4
13º Joãozinho Simbolo jogador base.png (ATA) 31 12 19 4 1 3
14º Ricardinho Simbolo jogador base.png (VOL) 29 29 0 6 1 4
15º Leandro Silva (LAT) 27 27 0 4 0 2
16º Marcelo Ramos (ATA) 23 19 4 2 0 0
17º Wendel Simbolo jogador base.png (VOL) 20 6 14 2 0 2
18º Lúcio (MEI) 18 9 9 0 0 4
19º Sorín (LAT) 18 18 0 1 1 1
20º Alessandro Cambalhota (ATA) 18 2 16 1 0 0
21º Paulo Miranda (ZAG) 16 15 1 3 0 0
22º Edilson Capetinha (MEI) 16 16 0 3 0 0
23º Gomes Simbolo jogador base.png (GOL) 14 14 0 1 0 2
24º Alessandro (LAT) 12 5 7 0 1 2
25º Alex (MEI) 13 13 0 2 0 0
26º Jorginho Paulista (ZAG) 12 8 4 2 0 0
27º Lucas (ATA) 11 8 3 0 0 0
28º Viveros (LAT) 11 9 2 2 0 0
29º Quintana (MEI) 10 9 1 3 0 0
30º Leonardo (ATA) 7 2 5 0 0 2
31º Thiago Gosling (ZAG) 6 4 2 0 0 2
32º Rondinelli (LAT) 4 4 0 1 0 0
33º Alexandre Fávaro (GOL) 3 2 1 0 0 0
34º Leandro Gaviolle (MEI) 3 3 0 0 0 0
35º Lucas NA () 0 0 0 0 0 2
36º Léo NA () 0 0 0 0 0 2
37º Paulo Isidoro (MEI) 0 0 0 0 0 2
38º Adriano Chuva (ATA) 0 0 0 0 0 2
39º Marcos Paulo Simbolo jogador base.png (MEI) 1 0 1 0 0 0
40º Cleiton () 0 0 0 0 0 1
41º Gedeon (MEI) 1 1 0 0 0 0
42º Gléguer (GOL) 0 0 0 0 0 1
43º Alemão (LAT) 1 1 0 0 0 0
  • Simbolo jogador base.png - Jogador formado na Base


Públicos e Rendas[editar]

Total
Público pagante Público presente Renda Bruta Ingresso médio
559.994 (média: 17.500) 578.171 (média: 18.068) R$ 3.390.402,00 (média: R$ 105.950,06) R$ 6,05

Jogos[editar]

Legenda
Vitória Empate Derrota

Ver também[editar]

Fonte[editar]