Cruzeiro 1x0 Atlético-MG - 27/06/1993

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
Ir para: navegação, pesquisa

[edit]

Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG
Campeonato Mineiro 1993
Data: 27 de junho de 1993 Local: Belo Horizonte, MG
Horário: Não disponível Estádio: Mineirão
Árbitro: Lincoln Bicalho Público pagante: 27.860
Assistente 1: José Eugênio Público presente: Não disponível
Assistente 2: Marco Antônio Martins Renda: Cr$ 3.651.000,00
Súmula: Não disponível
Escalações
Cruzeiro: Atlético-MG:
1. Paulo César 1. Luis Henrique
2. Rogério Lage 2. Luciano
3. Robson 3. Orlando Cartão vermelho recebido aos 35  (2T) 35'  (2T)  
4. Célio Lúcio 4. Ryuler
5. Genilson 5. Paulo Roberto Cartão vermelho recebido aos 35  (2T) 35'  (2T)  
6. Douglas 6. Valdir
7. Ademir Cartão amarelo recebido aos Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 7. Toinho Pereira
8. Luiz Fernando Substituição realizada  de jogo ( Ramon Menezes ) 8. Alessandro Substituição realizada  de jogo ( Reinaldo )
9. Edenilson Pateta Substituição realizada  de jogo ( Éder Cartão vermelho recebido aos 35  (2T) 35'  (2T)   ) 9. Sérgio Araújo
10. Cleison aos 34 do  (2T) 34'  (2T) 10. Aílton
11. Roberto Gaúcho Cartão amarelo recebido aos Cartão vermelho recebido aos 35  (2) 35'  (2)   11. Bira Substituição realizada  de jogo ( Gilson )
Técnico: Eduardo Amorim Técnico: Nelinho
Reservas que não entraram na partida
Cruzeiro: Atlético-MG:

Sobre o jogo

O América deve ao Cruzeiro um título estadual em sua história. A generosidade cruzeirense aconteceu na última rodada do Campeonato Mineiro de 1993. O título foi disputado num quadrangular final que também contou com as participações de Atlético e Democrata de Valadares. Sem chances de chegar ao título, o time estrelado foi ao clássico contra o Atlético, no Mineirão, pela última rodada, em 27 de junho, com a missão de evitar a conquista do rival. Galo e América somavam 7 pontos e, caso terminassem com a mesma pontuação, ainda teriam que decidir o título em um jogo-extra. O América fez a sua parte e derrotou o lanterna Democrata por 4 a 1, em Valadares, mas só comemorou o título, após o Cruzeiro vencer o Galo por 1 a 0, mesmo com um jogador a menos em campo.

O Cruzeiro entrou no quadrangular ostentando o título da Copa do Brasil que conquistou três dias antes da estreia contra o Democrata. As convocações do lateral Nonato e do meio-campista Boiadeiro para a Seleção Brasileira, os desfalques por contusão e o cansaço com a maratona de jogos resultaram numa participação irregular nos jogos das finais do Estadual. O empate sem gols contra o América, pela quarta rodada, no Mineirão, significou a despedida estrelada. Com três pontos em quatro jogos ficou a três dos líderes América e Atlético. Não havia combinação de resultados nas rodadas seguintes que fosse capaz de beneficiar o Cruzeiro. Assim bastou cumprir a tabela e lutar pela vaga de vice, que significava uma das vagas para a Copa do Brasil do ano seguinte.

Na última rodada, o América foi a Valadares enfrentar o lanterna Democrata. Para o alviverde não bastava vencer, mas torcer pelo Cruzeiro contra o Galo. No segundo tempo, o alviverde vencia o Democrata por 3 a 1, em Valadares, quando o árbitro Lincoln Afonso Bicalho deu cartão vermelho ao volante Ademir, do Cruzeiro, no Mineirão. O clássico seguia empatado sem gols, mas com um jogador a mais em campo, as chances do Galo de vencer o jogão e chegar ao título aumentaram. No entanto, aos 79 minutos, o ponta esquerda Roberto Gaúcho lançou a bola para a área e o atacante Cleison desviou de cabeça para o fundo das redes: Cruzeiro 1 a 0. O América estava a 10 minutos de soltar o grito de campeão, após 22 anos de jejum! O jogo em Valadares já havia terminado, mas os americanos tiveram que aguardar o final do clássico. Logo após o gol de Cleison, o árbitro distribuiu mais quatro cartões vermelhos: Éder e Roberto Gaúcho, pelo Cruzeiro e Orlando e Paulo Roberto, pelo Atlético. As expulsões tornaram o jogo mais aberto e, portanto, mais imprevisível. O Cruzeiro administrou o placar, venceu o Galo e os americanos puderam, enfim, comemorar o seu título.


Fontes